sábado, maio 28, 2022

Gripen para o Brasil

Disputa franco-alemã paralisa novo avião de caça europeu

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Segundo a Bloomberg, o desenvolvimento de um futuro caça europeu proposto pela ex-chanceler alemã Angela Merkel e pelo presidente francês Emmanuel Macron em 2017 está paralisado por uma disputa entre os principais fornecedores do setor.

O chefe da Dassault Aviation SA alertou na quarta-feira (26/1) que as negociações com o braço alemão da Airbus SE foram prejudicadas por uma disputa de poder sobre a “divisão do trabalho” que poderia ameaçar o projeto.

“Ainda temos dificuldades com a Airbus”, disse o CEO da Dassault, Eric Trappier, em entrevista coletiva em Paris. “Nem sempre é fácil negociar com os alemães.”

A Dassault – fabricante francesa do avião de combate Rafale – e a Airbus estão em negociações sobre a próxima fase de desenvolvimento do jato, conhecido como New Generation Fighter, que só entrará em serviço por volta de 2040. A Airbus deve aceitar que “a expertise estará na França e não em qualquer outro lugar”, disse Trappier.

“O que está claro é que a Dassault será a líder”, disse ele.

A possibilidade de a Alemanha encomendar caças dos EUA que carreguem armas nucleares como parte de um acordo de longa data da Otan também está pesando no projeto, disse Trappier.

O impasse ocorre quase cinco anos depois que os líderes franceses e alemães concordaram em uma aliança de combate aéreo que incluía o novo jato, deixando o Reino Unido de lado após a decisão do país de deixar a União Europeia. A BAE Systems, com sede em Londres, a maior empresa de defesa da Europa, desenvolve um avião de combate rival, o Tempest, e convidou a italiana Leonardo SpA e a sueca Saab AB para seu projeto.

- Advertisement -

133 Comments

Subscribe
Notify of
guest
133 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
pangloss

Hmmm… Por que será que a notícia não me surpreendeu?

Tomcat

Europeus e suas “cooperações” que no final é sempre cada um pro seu lado. Nada surpreendente mesmo.

Wagner

Curioso é como tem gente que sempre cai nessa conversa de “cooperação anglo-germânica”.

Nonato

Franco germânica..

Wagner

Isso mesmo! Passou batido, valeu!

Last edited 3 meses atrás by Wagner
Nonato

Por curiosidade poderíamos treinar nosso vocabulário.
Hispano-germanica, italo, greco, turco, sino, nipo…

Nonato

Como seria de Portugal, Brasil, Coreia?
Eu não sei…

Renato

De Portugal é luso.

Carlos Crispim

Verdade, os caras não se entendem, por isso nunca vão superar os americanos. O Typhoon saiu com aquele shape bizarro por causa disso, cada um dando pitaco, o caça virou um frankeinstein, o avião mais feio do mundo, que só recentemente incorporou uma radar AESA, décadas depois dos americanos.

Jadson S. Cabral

Olha… que é feio é feio mesmo.

Teropode

Eu avisei ???, com a crescente venda de Rafales a Dassault já tem a grana que precisam pra desenvolver o seu Fighter , 80 unidades compradas pelos EAU garantiram este financiamento .

Emmanuel

Sempre eles, os franceses.
Vão pular fora no meio do caminho deixando todo mundo chupando dedo.
Vão fazer seu próprio caça e jogar o abacaxi na mão da Alemanha.
Franceses não são confiáveis.

André Macedo

Os franceses são um dos maiores fornecedores de armas pro Brasil e nunca nos prejudicaram, Exocet, Mirage, Bahia, Scorpéne… Alguns emocionados falam que o A-12 foi uma “armadilha”, como se a MB não tivesse vistoriado o navio antes de comprar.

Emmanuel

Se você for atrás de boa parte disso vai encontrar uma pontinha de corrupção.
O Brasil paga à França para ter armas.
Quem faz caridade são os norte americanos quando nos doam alguma coisa que não querem, ou precisam mais.
Franceses só prejudicam àqueles que vão contra seus interesses. Alemães sabem bem disso.

Blind Man´s Bluff

O que voce sabe sobre alemaes e franceses? Ja morou por aqui? Senao, te recomendo deixar de falar m… O alemaes desde o fim da guerra fria nao desenvolveram nada. Todos os projetos que entraram, avacalharam e empurraram com a barriga até hoje: Puma, Tiger, F125, MEADS….Querem impor seus requisitos, mas n querem investir ou manter. Hoje é patetico comparar os recursos militares dos países, a Alemanha nao investe nem os 2% requeridos pela OTAN. Além disso a Alemanha é tao fraca e vulneravel que se tornou completamente dependente do gas natural russo. Se voce nao acredita, pesquise sobre os… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Blind Man´s Bluff
Jadson S. Cabral

ah, claro… os EUA tão fazendo caridade sim… vamos fingir que eles estão apenas evitando que tenhamos uma industria pujante ou que compremos no concorrente, nos presenteando com material excedente.
Você peca por desconsiderar que todo país sério é desse jeito, presa por seus interesses. Ingleses, franceses, alemães e americanos… são todos iguais. Não fedem nem cheiram

pampapoker

Produto pronto concordo, mas para produzir equipamento, eles sempre pulam fora,

Carlos Campos

Nunca nos prejudicaram. Só tentaram ao longo dos séculos tomar nosso território e recursos naturais, claro que isso não é nada

wilson

As lagostas que o digam.

Melkor747

Isso porque o Brasil nunca teve de fato um embate contra eles ou aliados.
Veja a Argentina nas Malvinas…

Luiz Alberto Mezzomo

´Falkland! Assim se reconhecem aqueles que moram lá.

Flanker

Se tu ler, e falar com o pessoal mais antigo, em especial pessoal da graxa, vai saber como era negociar com os franceses nas manutenções dos Mirage III, de motor a radar. A manutenção dos pods Cayman, que operaram com os F-5, idem.

Joao Moita Jr

Depois do ocorrido nas Malvinas, eu teria jogado todos os Exocet no mar e comprado, depois desenvolvido algo diferente…

Pablo

O proprio Rafale é um exemplo disso.

J R

Exemplo de que a França sabe desenvolver caça e a Alemanha não?

Pablo

Até onde sei, a França etava no projeto do typhoon no inicio, depois eles sairam fora e fizeram o Rafale.

Jadson S. Cabral

Porque a Alemanha, como sempre, queria tudo do seu jeito e não dava o braço a torcer, do mesmo jeito que está acorrendo agora.
Não vamos esquecer que o A400M teve problemas enormes com os motores (acho que até hj não resolveram 100% ainda) pq a Alemanha quis empurrar um motor que não estava maduro o suficiente ainda.

Maurício.

“Franceses não são confiáveis”.
Emmanuel, concordo, mas agora, me cite um país que seja totalmente confiável, ainda mais nesse meio de defesa.

Emmanuel

US e Reino Unido.
Pelo menos foram aqueles que o Brasil pode realmente contar na sua história.

Maurício.

US e Reino Unido totalmente confiáveis? Tudo bem, cada um acredita na ilusão que quiser…

Pablo

Da uma lida no epsodio da guerra das lagostas. Tua visão mudará instantaneamente!!

Jadson S. Cabral

Meu deus kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Augusto L

Pelo que parece quem não esta sendo confiável é a Alemanha ou voces acham que franceses iriam entregar o bolo da sua tecnologia para outros países ainda mais a Alemanha. Risos

Hcosta

Não é não serem confiáveis mas para liderarem o projeto.
Eles fazem o caça mas tem de ser como eles querem.
O A400 é um exemplo de como não fazer estas parcerias e os riscos de uma decisão feita por políticos como acontece nos EUA. Quanto mais caro for, melhor. Se é um bom projeto, isso é secundário.

Vendéen

Bonsoir Emmanuel,

Por favor, você pode me explicar por que neste processo (SCAF) do acordo franco-alemão-espanhol os franceses não são confiáveis?

Apesar do meu chauvinismo lol, saiba que, como francês, estou bastante disposto a aceitar e entender críticas justificadas por fatos convincentes.

Emmanuel

Veja a novela Rafale/Typhoon e vai entender.
Família Dassault é bem complicada. Extremamente exigente com o dinheiro que não é dela.

Vendéen

história de Rafale/Typhoon é muito diferente da do SCAF. A história do R/T evoluiu negativamente desde o início porque os desejos conceituais básicos eram totalmente opostos, o que não é o caso com o SCAF. Em resumo, a “viabilidade do tufão” com a França não foi possível. Por que: -Os tomadores de decisão, os aviadores militares britânicos, italianos, alemães e espanhóis queriam um combatente apenas pela superioridade aérea. Os tomadores de decisão, os aviadores militares franceses (não Dassault) queriam um caça multirole/muito versátil e muito atualizável.  Portanto, uma aeronave que não tinha as mesmas missões. Isto impossibilitou a França de… Read more »

Neto

Sem falar que para a França o caça deveria possuir uma variante naval.
.
Só esse detalhe inviabilizava o negócio.
.

Vendéen

Bonjour Neto,

Tem razão em levantar também esta opção, este pormenor de grande importância para a estratégia francesa que não teve necessariamente um apoio unânime.

Tenha um bom fim de semana

Jadson S. Cabral

Ótima resposta. Combatendo achismos e teorias sem fundamento algum com argumentos embasados em fatos.

Teropode

Bobagem imensa , fazem caças e extraordinários , veja o sucesso que é o Rafale , vida longa a Dasssault .

Leandro Costa

Monsieur Vendéen, talvez você possa arranjar fontes para me tirar uma dúvida. Algum tempo atrás eu vi uma foto, que não consigo achar agora, de um mirage F-1 fazendo manutenção na Dassault enquanto aconteciam embates no Chad, em que forças Francesas e Líbias se enfrentaram, mas apesar disso a manutenção estava sendo feita.

Na época não pude corroborar o que me parecia um contra senso, mas talvez você sendo Francês, possa conseguir meios de corroborar ou não a alegação da foto.

Vendéen

Bonjour Leandro Costa,

Não consigo encontrar esta foto referente a um Mirage F1 em manutenção na época e que poderia corroborar um “nonsense” (?).

Algumas fotos para possivelmente guiá-lo em sua busca.
https://www.google.com/search?sa=N&rls=en&biw=1280&bih=737&sxsrf=APq-WBtq4MHjQOSxlGaTND_ISRu5Lep56g:1643445041205&source=univ&tbm=isch&q=Mirage+F1+Tchad&client=safari&fir=a2yGj0G04J5NyM%252CqbXPg1SumWSq_M%252C_%253B9eO-d6E- ALDrGM% 252CrxyMkaKu-4V7pM% 252C_% 253BoVZkMECbYNHkLM% 252C-aNl1j1TPPic3M% 252C_% 253BRH6-uoR7_IyDMM% 252C3WpipesEIph3UM% 252C_% 253BQU_-qyfb8cFo_M% 252CkJ3cl38ey-Z5-M% 252C_% 253BWHsxYyps59ulrM% 252C46TBJimDrmWkZM% 252C_% 253ByhXr-t136jAXqM% 252CtQwp8YY7jWyWqM% 252C_% 253BiDqRgEyyuSDtKM% 252CdHeHcPO7t7K2DM% 252C_ 253BPahcRcHLE4uyrM %%% 252CoXr8gAiWmIrM5M 252C_ 253BGlHBDhrEyvsKYM %%% 252CKPrPo33daTLytM 252C_ 253BOxvwy0L4OPGw2M %%% 252CPDo3zqXDgVEuZM 252C_ 253BQIB1tBBioweHUM %%% 252C34KcWL67fMmAqM 252C_ & USG = AI4_-kTgBc_Bz9FziSct9BS0wYFbRBH4bg & ved = 2ahUKEwj70I3vxdb1AhWt4IUKHWIOD9g4ChCMmQR6BAgQEAI

Tenha um bom fim de semana

Satyricon

Ao que consta, há nesse projeto a mesma disputa pela motorização que houve no caso Rafales/Thyphoon, onde o lado francês insiste num motor Snecma e o alemão no MTU. O M-88 francês parece estar no limite do seu desenvolvimento, enquanto o formidável EJ-200 do eurofighter, além de já ser muito mais potente, anida tem muito mais margem para aprimoramento, reforçada ainda por sua confiabilidade muito acima da média. A França dificilmente abrirá mão disso, assim como o fez no programa A-400, forçando o uso de uma adaptação do M-88 Snecma chamada M-138. Lembrando que o A-400 padece, até hoje, de… Read more »

Joao Moita Jr

“Prefiro uma divisão alemã por diante, do que uma francesa cuidando da minha retaguarda.”

General George S Patton

Pronoia

Que tem coisa estranha no meio de alguns acordos ou negócios com a França tem sim. No caso dos submarinos, primeiro o problema foi com a Espanha, anos depois com a Australia. Na india os Rafales andaram um tempo meio que na corda bamba, com o compra / não compra, depois deu certo mas num número menor do previsto, e outros casos por ai… os submarinos na India aprovaram.

Elias

E depois reclamam da Austrália…

Submarino de Anão

“União Europeia” uma bobagem…. Muito mais uma “união” comercial criada no passado para terem força de negociar em conjunto, já que isoladamente apenas poucos países do bloco conseguiriam negociar hoje se o bloco não existisse. Se não é a questão comercial nada mais os une…

pangloss

A União Europeia produziu a paz mais duradoura no continente.
Melhorou demais a vida econômica de países mais pobres, como Portugal, Espanha, Irlanda e Grécia.
Aumentou o peso geopolítico do continente.
Obviamente, nem tudo são flores. É complicado obter consenso de tantos países soberanos, com interesses tão diversificados.
Mas eu creio que o saldo é muito positivo.
Se a UE não fosse relevante, não seria alvo de constantes sabotagens, por outros players (EUA/UK e Rússia, sobretudo) e por resistências internas de seus próprios membros, em reflexo de disputas políticas no âmbito nacional.

GFC_RJ

Só complementando…
Se não fosse relevante não teria tanto brasileiro sonhando com cidadania de qualquer país da UE que seja só pra ter passaporte e vazar daqui para a Europa.

Submarino de Anão

Sim, muito travesti e GP brasileira na Europa. Nos Estados Unidos tbm muita gente sonhando. Vejo muita gente sem qualificação ou qualificação precária que não dão emprego isso sim. As pessoas de qualificação que conheço e estão na Europa, Canadá, Estados Unidos e Austrália foram transferidas a trabalho temporariamente e nem sonham em ficar ou ter passaporte

Rodrigo Martins Ferreira

Nem tanto… são muitas vagas em áreas carentes principalmente em Portugal.

O problema é que querem pagar para os brasileiros menos da metade que pagariam para um português.

Eu recebo semanalmente, as vezes mais de um por semana e dou risada dos valores.

Podem ser vagas interessantes para iniciantes e pessoas que ainda não tem a vida estruturada aqui, para mim n vale a mais a pena.

Submarino de Anão

Verdade, falha minha. Esqueci que tem vagas qualificadas sim. Em Portugal já ouvi falar de muitas para TI, mas estou por fora dos valores. Mas no Brasil também… a estimativa se não me engano é falta de 750 mil trabalhadores para TI nos próximos 5 anos.

Sobre experiência, vc tocou em um ponto interessante… nunca tive essa vontade de trabalhar no exterior… e quando poderia ter não tinha experiência… hoje que tenho experiência graças a Deus não preciso. Não faço nenhuma questão de ter “experiência” no exterior. A não ser que seja temporariamente voltando depois de um tempo.

GFC_RJ

Sou vinculado a área de TI. Conheço MUITA gente do meu círculo profissional que foi pra Europa, 80% para Portugal e, se depender deles, não voltam nunca mais. Programador é uma função que muitas vezes não exige passaporte. Já outras áreas como funcionais, GPs etc. tendem a exigir. Em Portugal não pagam bem. O português bom, tende a não ficar em Portugal. Tende a se espalhar pela Europa, principalmente Alemanha e Inglaterra, ou outros lugares como Holanda, França…  No entanto, em TI, Portugal se tornou meio que “hub” de serviços na Europa. Muitos outscourcings. Meio que uma “India” na Europa.… Read more »

Submarino de Anão

Eu também sou de TI rsrsr conheço muita gente que foi para a Polônia e Rep Tcheca só pra dizer que está trabalhando no exterior e na Europa, pra dizer que tem experiência internacional rsrsrs já fez o cálculo de quanto é um salário lá nesses países? Rsrsr

rui mendes

Mais uma vez, ao lado.
A Polónia da UE, nada tem que ver com a da URSS, basta que falam que será o próximo UK da UE, e cidades como Varsóvia e Cracóvia estão em grande desenvolvimento, fisíco e financeiro.

rui mendes

Já dá para ver, porque falas sem saber nada.

Submarino de Anão

Sim quem sabe é só você, o dono da verdade.

“ Por vezes as pessoas não querem ouvir a verdade, porque não desejam que as suas ilusões sejam destruídas”

Heinz Guderian

É por isso que estou pensando em largar Eng. Elétrica e ir pra alguma área da tecnologia. Só não sei qual ainda, mas tem muitas vagas de emprego, tanto no Brasil, como fora.

Blind Man´s Bluff

Todas os profissionais qualificados que conheço e que moram fora do Brasil estao todos empregados e bem de vida. O problema é sair do Brasil sem experiencia ou qualificaçao e nao se formar por aqui.
Poucos diplomas brasileiros tem algum valor fora do Brasil, o que é normal para um país que nao investe em ciencia ou educacao.

pangloss

Prezado Submarino de Anão, recomendo que você procure conhecer mais gente.

rui mendes

Mesmo ou pelo menos a não falar á toa.

Fernando

Não fala besteira. Interessante que boa parte do empresariado ou pessoas em ascensão financeira procura estás regiões. Não é só pobre ou GP ou travesti como citou

Rodrigo Martins Ferreira

Ta aqui um brasileiro que nega vagas na Europa literalmente semanalmente.

Pronoia

Não melhorou p*rra nenhuma para os paises do sul europeu, que provavelmente estariam melhor hoje se não fossem da comunidade, ao contrario, tiveram que seguir regras sobre o agro negocio e industria textil e outras particularidades economicas, inclusive as importações / exportações que prejudicaram sua produção em detrimento dos outros. As particularidades da economia de cada pais tiveram que se ater aos principios economicos da Alemanha e em parte da França. O Banco Europeu solta dinheiro mas cobra juros e como cobra, quer dizer “eu te arruino mas te empresto dinheiro”. Melhor o FMI. Desse jeito acho que o risco… Read more »

pangloss

Eu acho que a análise dos benefícios e dos prejuízos trazidos pela UE deve observar uma janela cronológica mais ampla. Portugal era miserável, a ponto de haver grande imigração de portugueses pobres para o Brasil, até a década de 60 (e mesmo de 70, quando as coisas começaram a melhorar por lá). Hoje, a classe média alta brasileira, quando tem meios para imigrar para Portugal, nem pensa duas vezes. A Grécia, que se queixa da opressão financeira alemã, só tem do que se queixar porque desfrutou de crédito amplo por muito tempo. Mas crédito não é doação. Um dia, a… Read more »

rui mendes

Dizes isso tudo, sem te rir ou por ressabiamento????

Pronoia

Digo pelas vertentes que se podem ver dos partidos politicos na rede, desses paises. Podes estar a ver tu também. E não mencionei Portugal que “andou na “corda bamba” também pois lá não encontrei comentarios a respeito.

Last edited 3 meses atrás by Pronoia
rui mendes

Subscrevo totalmente, só acrescento á sabotagem, inveja.

pangloss

Prezado Rui Mendes, inveja é artigo inesgotável neste país dilacerado por divisões internas, alimentadas sem cessar neste século.

Hcosta

É uma questão entre a Alemanha e a França e talvez a Espanha faça o desempate. A UE tem pouco poder neste assunto. A UE até pode financiar parte do projeto mas isto é um projeto industrial entre os três países. E cada vez mais penso que deve ser assim. Cada país escolhe o seu caminho, tendo a liberdade para fazer o que quiser, desde que não quebre os compromissos com a UE. E é uma grande vantagem da UE, diferente dos EUA ou da China. Perde-se alguma dimensão mas ganha-se em diversidade e resiliência. E pode ter a certeza… Read more »

Blind Man's Bluff

A Alemanha se compremeteu a aumentar seu investimento em defesa para os 2% minimo da otan ate 2035. É o unico motivo pelo qual a Franca ainda coopera com eles. Eles tem que gastar um pouco do seu maior pib da europa. No momento em que a intrasigencia alema fala mais forte, cada um vai pro seu lado com um projeto 50%. A Franca continua e cria alguma coisa e vende pros Arabes Unidos, a alemanha abandona e compra dos yanks.

rui mendes

Como se vê que não sabes do que falas, nada vou dizer de substancial, mas continua a fazer figura de bobo, ou informa-se melhor, a UE é muito mais real e unida que muitos países, basta ter órgãos políticos, sociais, financeiros e fiscalizadores próprios e de as leis da UE, prevalecerem sobre as dos estados, além de ter eleições próprias, bem como uma moeda como o Euro, que é a segunda mais importante do mundo, só tendo o dólar USA na frente, mas fica a grande distância da terceira mais importante.

Matheus

comment image

Luiz Trindade

A União Européia sempre vai ter embates. O que deve ser levantado é o que se ganha e se perde com esse racha entre os alemães e os franceses? O fato é que quem manda no banco da União são os alemães mas por sua vez não tem expertise em produção de armas. Já a França não manda nos cofres da União Européia mas tem expertise em produção de armas. Alguém tem de chegar lá e botas as duas crianças de castigo um tempo de frente para o outro para se entenderem!

Last edited 3 meses atrás by Luiz Trindade
Carlos Campos

Alemanha tem sim expertise na produção de armas. Porém a França tem mais capacidade

Vendéen

Bonjour Carlos Campos, Os alemães são muito dinâmicos em muitas áreas de armamento e fazem alta qualidade (vários veículos blindados – Armamentos individuais – Navios de combate e submarinos – Mísseis – Eletrônicos e optrônicos etc… .) Eles não têm motivos para sentir inveja, exceto pelo domínio aéreo militar fortemente penalizado após a Segunda Guerra Mundial. Os franceses têm muitas deficiências, por exemplo, no armamento individual, que gradualmente foi praticamente abandonado. É claro que a França tem outros ativos, mas isso não a torna uma nação européia dominante no vasto setor de armas. Dito isso, além das diferenças relacionadas ao… Read more »

rui mendes

Exatamente, que discutam e continuem com este excelente projecto que é o SCAF e o mesmo digo para o Tempest, pois é pelo bem Europeu e da UE.

airbus-fcas-espana-520.jpg
rui mendes

E também Tempest

bae-leonardo-tempest-2-750x737.jpg
rui mendes

SCAF

fcas-4.jpg
rui mendes

Scaf

New-Generation-Fighter-fotoshowBig-6bd8c2da-1602611.jpg
rui mendes

Sistema Scaf

5-2.jpg
rui mendes

A Alemanha não têm expertise em armas????
Desde quando?????

LucianoSR71

Sofisticados europeus me lembrando um ditado nordestino: ‘farinha pouca, meu pirão primeiro’.

ZEUS

A Inglaterra também deixou claro que manda no seu projeto são eles. E foi isto que fez a França e a Alemanha buscarem outro rumo. A expertise inquestionável que a Dassault tem lhe dá o direito de liderar o projeto. Se os alemães saírem, os franceses o realizarão com os espanhóis, que também são parceiros, ou mesmo sozinhos. Assim como fizeram o Rafale sozinhos, num tempo mais curto e logo de início com capacidade multirole, apresentando um vetor de capacidades muito superiores ao que interceptador Thypoon entregava, eles podem fazer de novo com a garantia histórica de que produzirão algo… Read more »

Rodrigo

Se a questão central fosse criar um produto de defesa, o acerto seria mais fácil, mas como se trata de manutenção de empregos, inclusive dos políticos envolvidos dos dois lados da fronteira, criação e controle de tecnologias entre vários conglomerados industriais temos o alto risco de termos novos Rafale e Eurofighter, e pior ainda com a concorrencia do Tempest.

Antoniokings

Evidente que a Dassault será a líder do projeto.
Afinal ela é desenvolvedora do melhor caça ocidental da atualidade.
Não há motivos para os alemães pleitearem muito nesse campo.

Agora, o que causa espécie é a desunião que reina entre os consortes europeus.
Nos mais diversos assuntos.
Acho que no campo militar, a OTAN vai para o saco.
Como esperado.

Rodrigo

Nunca li tanta bobagem não minha vida.

glasquis 7

É novo por estas bandas?

Nilo

A Otan não acabou, continuará a existir, mesmo depois da derrubada da União Soviéticas, não está a vista qualquer movimento de saída da França, Alemanha,… muito pelo contrário a quem quer entrar.

Last edited 3 meses atrás by Nilo
Antoniokings

Sempre considera os comentários de quem está por dentro e participa do assunto.

em.com.br/app/noticia/internacional/2019/12/03/interna_internacional,1105498/macron-mantem-declaracao-sobre-morte-cerebral-da-otan.shtml

Wellington Kramer

O Macron já teve morte cerebral faz tempo.

Antoniokings

Tem outros que já até apodreceram e não sabem, né?

Flanker

2019??

Antoniokings

Sim.
Em 2019 foi a França.
Em 2022 é a Alemanha dizendo que não vai participar de nada contra a Rússia.
É assim que o processo de dissolução caminha.

Flanker

Ahãm….tá bem….se tu acredita…..

pangloss

Sobre as divergências entre os europeus, acho que isso decorre de uma certa semelhança entre suas potencialidades.
Se há relativo equilíbrio entre Alemanha, França e UK (e ainda Itália e Espanha, em menor grau), eles vão ser concorrentes, em muitos aspectos.
O mesmo não ocorre, por exemplo, na América do Norte, em que os EUA exercem ampla hegemonia sobre o Canadá e o México, muito díspares do poder americano.
E discordo quanto ao fim da OTAN. Ela desempenha papel muito diferente daquele exercido durante a Guerra Fria, mas ainda sobreviverá, sob outras formas.

Andre

Se a OTAN estivesse tão mal, a Russia não estaria tão preocupada com a aproximação da OTAN de suas fronteiras.

Mas tudo bem, seus comentários são completamente desconectados da realidade. Veja essa pérola: “Afinal ela é desenvolvedora do melhor caça ocidental da atualidade”

Antoniokings

Pelo menos dos que voam.

Andre

Ainda tem mais de 700 f35 voando e mais de 120 f22 voando.

Eu até sei qual avião vc pensou nos que não voam.

Antoniokings

E eu não preciso dizer o que não voa, né?

Flanker

Su-57??

Andre

Não precisava dizer….

Chris

Realmente Kings… É o SU-57 que voa…

E a bronca da Rússia… Nem é exatamente o fortalecimento da OTAN com mais e mais paises a aderindo.

DanielJr

Até que demorou

Maurício.

Bem, a Alemanha não tem a experiência que a França/Dassault tem, e isso é um fato, qual o último caça feito inteiramente pelos alemães?
Mas, eu acho que mesmo se os alemães tivessem o mesmo nível de experiência dos franceses a coisa também seria complicada, são europeus, com o ego lá nas alturas, ninguém quer ficar por baixo, aí complica tudo.

Fabio Araujo

De novo? Quando estavam fazendo o projeto do Eurofighter Typhoon não chegaram há um acordo e a França saiu do projeto e criou o Rafale!

Augusto L

Os Alemães não se dando bem com americanos e franceses, isso me traz lembranças não muito boaas.

Segatto

E o óbvio acontece

LEONARDO BASTOS

Nigel Farage está gargalhando disso… kkkkk

Carlos Campos

Para surpresa de zero pessoas

Marcelo Martins

Alguém tem alguma dúvida de que a Airbus vai cair fora e deixar os franceses falando sozinhos? Os alemães farão muito melhor se juntares os trapos com os ingleses. Já fizeram isso no Tornado, que deu muito certo! Os franceses nunca abrem mão da liderança. O fato da Europa ter o o Typhoon e o Rafale é justamente pelo mesmo problema. Os franceses, na época do início do desenvolvimento de um caça em conjunto com a Inglaterra, não aceitavam as ideias de alemães e ingleses, e acabaram saindo fora do programa (que viria a parir o Typhoon) e iniciam o… Read more »

Teropode

Graças a Deus , imagine se ficassem no projeto e se tivéssemos hoje apenas aquela porcaria chamada Eurofighter ?

Emmanuel

O que você bebeu?
Quero beber também.

leonidas

Grande novidade né?
Quem conhece a história dos franceses e a Europa no desenvolvimento de caças sabe que não há espaço para o Ego deles com o de qualquer outra nação européia… rs

Vendéen

Bonjour leonidas,

Acho o conteúdo de seus comentários um pouco gratuito e arbitrário e escorrendo por toda parte uma “anti-França primária” lol.
A história do desenvolvimento dos projetos em que a França participou certamente não é um rio longo e calmo (não são em essência), mas fazer dos franceses um bode expiatório me parece muito exagerado.
Na Europa, a França nunca se opôs em princípio (Ego) ao esforço que consiste em agrupar o desenvolvimento de um projeto desde que se enquadre num quadro que represente uma verdadeira unanimidade estratégica.

Tenha um bom fim de semana

Adriano madureira

Estava até demorando para acontecer…

Andre

que só entrará em serviço por volta de 2040″

Eles não têm pressa. O avião 5gen da Russia, caso eles não desistam e comprem um chinês, deve entrar em serviço na mesma época.

Jacinto

A Dassault quer ser líder, o que é legítimo. Mas de onde sairá o investimento para este desenvolvimento? Se também for preponderantemente francês, nada mais justo. Agora se o aporte for alemão… ai é esquisito.

Flanker

Já vi essa novela antes…Typhoon/Rafale…

Satyricon

Parece que meu primeiro comentário foi bloqueado, então vá lá. A França quer a liderança para ditar seus fornecedores, simples assim. Ela tenta emplacar novamente o Motor M-88, usado no Rafales, numa versão “aprimorada”. Fez o mesmo com o programa A-400, enfiando goela abaixo dos demais parceiros uma adaptação do M-88 para turboprop, chamada M-138. Esse foi o ponto mais traumático do programa A-400, e o principal motivo dos atrasos, lembrando que ainda hj apresenta questões de confiabilidade quanto a seus propulsores. Como cachorro mordido por cobra tem medo de linguiça, o alemães não estão dispostos a pagar pra ver… Read more »

Vendéen

Bonjour Satyricon, O desenvolvimento deste motor para o A400M foi uma “provação”. Muitos problemas com este motor, mas não apenas porque os requisitos solicitados a este avião são numerosos, muito caros e muito ambiciosos. Por exemplo, transportar 32 toneladas a 5.000 quilômetros (20T a 8.700 km) pesando 140 toneladas no máximo a uma velocidade de Mach 0,72 é muito ambicioso e difícil de alcançar. Também atualmente em 2022 o A400M faz isso muito bem com motores que agora parecem ser significativamente mais confiáveis. De fato, no início, o motor TP400-D1 foi baseado no conceito do motor turbojato Snecma M88. Também… Read more »

Satyricon

Caro Vendéem, realmente não se tem mais ouvido falar em problemas na motorização dos A-400 então, à prioiri, é possível falar-se que esteja solucionado. Torçamos para que sim.
Quanto à motorização do Scaf, e o aparente desentendimento entre os sócios do programa neste ponto específico, li em um site estrangeiro a muito tempo, e agora não o estou encontrando. Torço para que consigam chegar a um quociente comum, ainda mais agora.

Vendéen

Estou me juntando a você. Além disso, digo no meu comentário acima: esse motor foi um pesadelo ou se preferir um problema equivalente a um quebra-cabeça chinês rs.  Não estou muito otimista sobre a continuidade, a sustentabilidade do projeto SCAF. Espero estar errado. Em relação ao motor do SCAF você não pode ignorar que houve desenvolvimentos:: A MTU e a Safran firmaram uma parceria industrial em 2019 para projetar e desenvolver o motor SCAF em igualdade de condições. Boas notícias, os franceses e os alemães encontraram um consenso sobre o motor. lol A distribuição das tarefas foi feita com base… Read more »

Satyricon

Vendéen, pelo que li, há uma versão em desenvolvimento do EJ-200 com 120kN de empuxo, bem mais que os atuais 90kN do Thyphoon e os 74 kN do m-88 do Rafale. Neste caso, não faria muito sentido o M-88 motorizando o protótipo Scaf.
Bom fim de semana.

Vendéen

Bonjour Satyricon, Sim, o EJ-200 faz parte das referências na área de reatores e, claro, a viabilidade de um EJ-200 com empuxo de 12.250 kgp com reaquecimento é possível, mas isso não foi integrado para poder ser incluído no SCAF programa, embora em algum momento talvez fosse possível. Vicissitudes industriais e possivelmente agora o Brexit fizeram isso. Por outro lado, esse fato não deve ser usado como argumento de autoridade destinado a desvalorizar (um absurdo) o trabalho dos motoristas do SCAF. lol Para constar, a França e o Reino Unido lançaram as bases da cooperação para definir um “futuro avião… Read more »

Nilton L Junior

Quando se diz que estado tem interesses ainda tem quem paga de torcedor.

Gabriel BR

Eu estou torcendo para a França pular fora e fazer o seu próprio avião.

Nonato

Esse é um problema simples. Dependia de uma vontade política no início e um documento estabelecendo o que se queria e o que cada um iria fazer. Ou não existe tal contrato ou foi mal feito e deixa lacunas ou alguém não está interpretando ou não quer seguir ou mudou de ideia. Poderiam suspender o programa até discutirem o que querem e assinar um novo documento se for o caso. Tudo é muito simples. Não há mistério. O primeiro passo para um bom contrato é a boa fé de todas as partes e a boa vontade. Todos tem que sair… Read more »

Sensato

Nada que já não fosse esperado desde o momento em que a parceria foi anunciada. Pode ser até que eles superem as divergências e sigam em frente mas a tendência é uma novela Eurofighter/Rafale parte 2.

Vejo com o projeto Tempest com olhos bem mais otimistas e penso que deveríamos tentar entrar nele por ser algo que poderia alçar nossa indústria a um novo nível. Obviamente, a Embraer ainda não tem como jogar de igual para igual com as parceiras europeias mas esse projeto pode ser o evento que muda isso.

Nonato

Num projeto desses cada um entra com o que pode.
A Embraer realmente não produz caças de 4,5a geração (está começando…).
Mas a indústria europeia também não produz caças de 5a geração…
Acredito que a Embraer teria muito a colaborar.
A Embraer é muito boa em desenvolver e administrar projetos.
Até porque nenhuma das empresas envolvidas sequer produziu um jato furtivo.
Então de certo modo é um aprendizado para todo mundo.
A Embraer teria muito a colaborar.
Não é uma empresa qualquer.
E o Brasil tem tinta RAM…

Last edited 3 meses atrás by Nonato
Cansado

Eu acho mais interessante enfrentar divergências mas continuar com um programa supranacional, que almeje um entendimento para que vários países colaborem com o projeto. Essa é a essência da UE.
Para mim, triste é a posição do Reino Unido, que resolveu sair da UE, se isolando do próprio continente.
Mas votaram para isso, então devem estar contentes. Assim, parafraseando um diálogo do filme Boogie Nights: “não é um PM, é um PD”, ou seja, isso não é Problema Meu, é Problema Deles.
A propósito: a asa dessa aeronave do esboço é parecida com a do vetusto F-101 Voodoo.

Últimas Notícias

Ucrânia diz ter derrubado mais um caça Su-35 da Rússia sobre a região de Kherson

“Hoje, 27 de maio, por volta das 14h00, um caça MiG-29 da Força Aérea das Forças Armadas da Ucrânia...
- Advertisement -
- Advertisement -