sábado, maio 28, 2022

Gripen para o Brasil

Último voo operacional da aeronave CC-115 Buffalo no Canadá

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O voo operacional final para a aeronave CC-115 Buffalo foi realizado no dia 15 de janeiro pelo 442º Esquadrão de Transporte e Resgate, baseado em 19 Wing Comox, British Columbia, no Canadá.

Como fizeram inúmeras vezes ao longo do serviço do Buffalo para o Canadá, o voo operacional final envolveu treinamento de espera de busca e salvamento aéreo, realizando um voo dentro da região de busca e salvamento Victoria, pronto para desviar para uma emergência a qualquer momento do Centro Conjunto de Coordenação de Resgate Victoria.

O treinamento incluiu saltos de paraquedas de técnico de busca e resgate e lançamentos de equipamentos de emergência enquanto a aeronave voava sobre locais ao redor da Ilha de Vancouver.

Enquanto o trabalho continua para preparar a aeronave CC-295 Kingfisher para seu novo papel como aeronave de busca e salvamento de asa fixa do Canadá, a cobertura provisória de busca e salvamento para a região de busca e salvamento Victoria será fornecida pela frota CC-130H Hercules.

As aeronaves do Esquadrão de Transporte e Resgate 435 incrementarão o Esquadrão de Transporte e Resgate 442 para garantir uma cobertura consistente de busca e resgate de asa fixa.

CC-295 Kingfisher

FONTE: Forças Armadas do Canadá

- Advertisement -

29 Comments

Subscribe
Notify of
guest
29 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Angelo Mafaraci

Devido descanso. Tive o prazer de vê-lo voando nas cores da FAB e o som do seus motores está guardado em meu coração.
Missão cumprida velho guerreiro.

João Adaime

Caro Angelo
Bota guerreiro nisso.
Abraço

Buffalo.jpg
Marcelo Andrade

Sim Angelo, morava em Guadalupe, bairro do suburbio carioca , em meados dos anos 80, próximo ao Campo dos Afonsos e várias tardes , nos treinamentos de saltos paraquedistas, eles faziam a curva do circuito sobre minha casa a baixa altura, lindo ronco dos GE CT-64

Atirador 33

Existe um guerreiro desse ai “ex – FAB”, exposto e aberto a visitação em um posto de gasolina na Rodovia Washington Luiz em Araraquara-SP, bem legal visitar o avião por dentro.

Angelo Mafaraci

Estive em Araraquara para vê-lo e foi emocionante. Tirei várias fotos para eternizar.

Clésio Luiz

Quando o Buffalo foi substituído C-295 na FAB, não faltou quem criticasse, inclusive chamando a aeronave espanhola de “eurobambi”. Agora o CASA é de longe a aeronave mais vendida de sua categoria e o país originário do Buffalo escolhe o que para ficar no lugar? O mesmo C-295 que a FAB escolheu.

Last edited 4 meses atrás by Clésio Luiz
José C. Messias

Muito bem colocado Clésio. O C-115 teve seu tempo, foi uma grande ferramenta de integração nas mãos da FAB, ficou velho e difícil de manter. Agora o casa tem cumprido a missão, especialmente porque já existem pistas minimamente preparadas para tanto.
Duas aeronaves, grandes histórias.

Rinaldo Nery

E o C-105 Amazonas deverá substituir o C-130 na Antártida, temporariamente, até o KC-390 assumir.

Pablo

Por qual motivo o C-130 não fará mais essas missões?

Leandro Costa

Porque os C-130 estão sendo gradualmente retirados de serviço. Idade avançada.

Pablo

Obrigado

Rinaldo Nery

Phase out.

Marcelo Andrade

Alias, a FAB foi o maior operador mundial de Buffalos, 20 unidades divididas em 2 esquadrões, o 1/9 Gav, Arara, em manaus e o 2/1 GTT, na Base Aérea dos Afonsos – RJ

Marcelo Andrade

ERRATA: Na vdd foram 24 aeronaveis!!!!

Murder Nova

O avião que desbravou a Amazônia

Brandenburg

Desculpe amigo voei muito no Búfalo quando servi na Amazônia e o Pel Fron que comandei era abastecido por eles. Mas quem “desbravou” a Amazônia, na minha opinião, foram o C-47 e o Catalina. Também voei muito no C47 que tinha por base Belém.

Reinaldo Deprera

Conheci a aeronave no Portões Abertos do PAMA-SP.
Naquela ocasião vi o Galante trabalhando com uns 20 kg de equipamento fotográfico 🙂

Decolagem curtíssima e a capacidade de operar onde nenhuma outra aeronave de sua categoria também pudesse.
A De Havilland hoje é Bae Systems. Acho que não tem mais nada da De Havilland voando 🙁

Carvalho2008

Alguns dizem que se a operação de resgate no Irã fosse realizada pelos C115 ao contrário dos C130 e Ch53….talvez ocorresse sucesso…os ch53 Sea stalion sofreram no voo baixo e poeira…Vários tiveram de retornar sendo uma missão para resgate de 52 reféns…o c130 chegou…mas dizem que um deles bateu num ch53….

O c115 era ideal pelo alcance e capacidade stol…acho que acreditaram que os Ch53 poderiam dar conta…mas não foi assim. Por outro lado, teriam de fazer similar a operação Dollitle…colocando os c115 em um dos dois aircraft Carrier que participaram da operação…

Leandro Costa

Todos os helicópteros na Garra de Águia foram perdidos. A colisão aconteceu já com a missão cancelada. Um dos RH-53’s estava se reposicionando para permitir o reabastecimento de outra aeronave. Não dava para taxiar então ele teve que sair do chão e voar baixo para sua nova posição, mas devido à perda de consicência situacional devido à areia, ele acabou colidindo com a cauda de um dos Hércules. Todos os RH-53 restantes foram abandonados no deserto.

Arthur

A Viking Air, do Canadá, adquiriu anos atrás vários projetos da de Havilland, inclusive o Buffalo.
Eles já vem produzindo unidades novas de Twin Otter, por exemplo.
Assim, eles possuem um projeto de produção do Buffalo NG.
Ou seja, caso surjam interessados, poderá haver Buffalos mais modernos, zero de fábrica.
Seria interessante, mas é um mercado complicado. Já há muita concorrência.

DOUGLAS TARGINO

Quando eu era menino, a uns 15 anos atrás mais ou menos, via treinamentos ele passando aqui em Campina Grande na paraíba. Sabia de longe a diferença entre ele e o hercules.

Luiz Trindade

Não sei que diacho é esse que todo país que aposenta o Búfalo bota o C-295. Esse avião não faz e nem pousa aonde o Búfalo pousava. Mas enfim…

Leandro Costa

Luiz, é mais uma questão de se pesar quais seriam as capacidades mínimas que uma aeronave desse porte teria a oferecer. Ele pode não fazer tudo que o Búfalo fazia, mas ao mesmo tempo o Búfalo não faz tudo que o C-105 faz. Além de não estar sendo mais fabricado, a manutenção do Búfalo estava ficando muito cara, as aeronaves estavam chegando nos seus limites de horas, etc. A FAB já tomou decisões assim antes, quando aposentou os Catalina, por exemplo. Até hoje não temos aeronave no inventário da FAB que faça o que ela fazia, claro. É importante que… Read more »

Rinaldo Nery

Os locais onde o Bufalo pousava estão TODOS asfaltados pela COMARA. O tempo passa e o País progride…

Tutu

Estamos vendo como o C-105 é hoje um dos aviões mais prestativos da FAB, pergunto se não seria correto adquirir mais uma unidade, talvez já nesse novo padrão para recompor a frota, afinal um deles foi perdido.

C105_ferrado7.jpg
Rinaldo Nery

Há um estudo, antigo, para mais 8 unidades.

Rinaldo Nery

Seriam pro 1° ETA, Belém, e 1°/15°, Campo Grande.

Adriano Madureira

O Buffalo pode ser uma boa aeronave,mas que é feia isso é…

Últimas Notícias

Ucrânia diz ter derrubado mais um caça Su-35 da Rússia sobre a região de Kherson

“Hoje, 27 de maio, por volta das 14h00, um caça MiG-29 da Força Aérea das Forças Armadas da Ucrânia...
- Advertisement -
- Advertisement -