terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

Contratos de €260 milhões com a Leonardo para radares E-scan dos Typhoons alemães e espanhóis

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Leonardo, que lidera o desenvolvimento e entrega dos radares ECRS Mk0 e ECRS Mk2 do Typhoon, também fornecerá trabalho de P&D, bem como os principais componentes de antena, processador e APSC para o ECRS Mk1 liderado pela HENSOLDT

Roma, 14/01/2022 – A Leonardo assinou mais de € 260 milhões em contratos com a HENSOLDT, que farão com que a empresa tenha um papel fundamental no desenvolvimento e entrega do radar E-scan ECRS Mk1 (European Common Radar System Mk1) do Eurofighter Typhoon, encomendado pela Alemanha e Espanha. A companhia italiana conduzirá o trabalho de desenvolvimento de novos recursos de banda larga e fornecerá partes principais da antena do novo radar, APSC (Antenna Power Supply & Control) e seu processador.

A Leonardo já é a autoridade de projeto para o radar ECRS Mk0 E-scan encomendado pelo Kuwait e pelo Qatar, cujo projeto sustenta o ECRS Mk1, e é a autoridade de projeto para o radar ECRS Mk2 liderado pelo Reino Unido.

A HENSOLDT é a autoridade de design do radar ECRS Mk1, enquanto a Airbus Defence & Space integrará o radar ao Eurofighter Typhoon. A Leonardo, aproveitando sua liderança do consórcio EuroRADAR que produz o ECRS Mk0, está fornecendo facilitadores para a HENSOLDT assumir o papel de liderança do ECRS Mk1, reforçando as capacidades aéreas de combate terrestre da Alemanha. A colaboração próxima neste projeto é representativa da ampla e forte parceria entre as duas potências da área de eletrônicos de defesa.

O radar ECRS Mk1 alemão e espanhol apresenta um receptor multicanal digital e novos módulos de recepção de transmissão de banda larga, aprimorando a capacidade do Mk0. Além da produção da antena central, APSC e componentes do processador, a HENSOLDT contratou a Leonardo para realizar o trabalho de desenvolvimento dos recursos de banda larga que explorarão esses novos módulos de recepção e transmissão para aumentar o alcance e a precisão de detecção do ECRS Mk1. Espera-se que o primeiro radar ECRS Mk1 seja produzido em 2025.

A Leonardo entregará módulos para o ECRS Mk1 de suas instalações em Nerviano, Edimburgo, Campi Bisenzio e Palermo.

A Leonardo também está liderando o projeto do ECRS Mk2, uma nova variante que está sendo desenvolvida em parceria com a BAE Systems com uma matriz multifuncional. O desenvolvimento do ECRS Mk2 foi financiado pelo Reino Unido e está sendo apoiado pela Itália através do ECRS Mk2 Industrial Joint Team.

ECRS Mk1

ECRS Mk2

Sobre a Leonardo

A Leonardo, uma empresa global de alta tecnologia, está entre os principais players mundiais em Aeroespacial, Defesa e Segurança e é a principal empresa industrial da Itália. Organizada em cinco divisões de negócios, a Leonardo tem uma presença industrial significativa na Itália, Reino Unido, Polônia e EUA, onde também opera por meio de subsidiárias que incluem Leonardo DRS (eletrônica de defesa), e joint ventures e parcerias: ATR, MBDA, Telespazio, Thales Alenia Space e Avio. A Leonardo compete nos mais importantes mercados internacionais alavancando suas áreas de liderança tecnológica e de produtos (Helicópteros, Aeronaves, Aeroestruturas, Eletrônica, Cibersegurança e Espaço). Listada na Bolsa de Valores de Milão (LDO), em 2020 a Leonardo registrou receitas consolidadas de € 13,4 bilhões e investiu € 1,6 bilhão em Pesquisa e Desenvolvimento. A empresa faz parte dos Índices de Sustentabilidade Dow Jones (DJSI) desde 2010 e foi confirmada entre os líderes globais em sustentabilidade em 2021. A Leonardo também está incluída no índice MIB ESG.

DIVULGAÇÃO: Leonardo

- Advertisement -

8 Comments

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
OSEIAS

Se tem algum engenheiro eletrônico ou engenheiro de telecom aqui, sabe o qual difícil é esse negócio de radio frequência, modulação de sinais, cálculos de radio propagação e seus meios emissores e receptores. Lembro na graduação o inferno que era a matéria de radio propagação, turmas lotas no inicio do semestre, só três caras no final. kkkkk.

Marcelo Bardo

3 caras no final. Lembrei da minha graduação de Geologia kkkkkkkkkk

Jadson Cabral

Eu cheguei na matéria de eletromagnetismo e já tava enlouquecendo

Reinaldo Deprera

Sem dúvida é uma das áreas com maior índice de evasão/desistência. Porém vale lembrar que o curso de Ciências da Computação detém esse título desde que existe em qualquer país que você imagine, de longe.

Kemen

Sou da área, fiz estudos de viabilidade de propagação em 7 e 8 GHZ para empresas, em SHF, atuei no desenvolvimento de antenas de UHF nacionais, não é facil ficar no meio do mato fazendo testes de ganho em altura e alcance baseado em trailer com cobras, escorpiões e magangavas com baita ferrão. Delimitei a zona de proteção de aeródomos (alturas limites por Fresnel). O problema na propagação por micro ondas é que o K=4/3 para correção da curvatura pode variar em função de muita chuva ou seca. Em UHF tudo fica mais fácil. Mas é uma área muito atrativa… Read more »

Thiago A.

Movimento interessante esse da Leonardo. Com a aquisição de parte da HENSOLDT e a crescente participação nos programas de defesa alemães poderia garantir a sua presença no desenvolvimento FCAS/SCAF . O que seria um grande ganho industrial e tecnológico, a Itália seria um dos poucos países que contemporaneamente participaria ao desenvolvimento de 2 caças de 6ª . TEMPEST e FCAS. Outras movimentações interessantes : • Rheinmetall e Fincantieri ( juntas ) estudam a aquisição da ThyssenKrupp Marine Systems. •KMW e NEXTER já fizeram uma proposta para aquisição de Oto Melara e Wass, ambas do grupo Leonardo. A Leonardo parece interessada… Read more »

Mercenário

Thiago,

Em compensação, a Itália não lidera o desenvolvimento de nenhuma das aeronaves citadas e lidera apenas o radar ECRS Mk0, que é o modelo utilizado nos Typhoon vendidos ao Kuwait.

Thiago A.

Olá Mercenário, A Itália em si não, até porque para isso serve sobretudo peso político e pecúnia. Porém sua indústria e suas empresas sim, possuem uma posição de liderança em diversos desenvolvimentos. Pegando um gancho na matéria “A Leonardo também está liderando o projeto do ECRS Mk2, uma nova variante que está sendo desenvolvida em parceria com a BAE Systems com uma matriz multifuncional.” Bom lembrar que a Leonardo UK fez parte do team de desenvolvimento do Tempest, muito antes que o governo italiano optasse por um ou outro programa. Esse rol de proeminência da subsidiária britânica certamente pesou na… Read more »

Últimas Notícias

Chile quer comprar aeronaves britânicas E-3D Sentry ‘AWACS’ aposentadas

Uma fonte disse ao UK Defense Journal que o Chile está procurando comprar “mais de uma” aeronave E-3D aposentada...
- Advertisement -
- Advertisement -