terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

StandardAero avança como parceiro de manutenção do motor do Saab Gripen na concorrência do Canadá

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A StandardAero avançou sua posição na concorrência de Projetos de Capacidade de Caça do Futuro do Canadá (FFCP), já que a aeronave Saab Gripen é uma das duas finalistas restantes. O Gripen foi considerado compatível com todos os requisitos técnicos, industriais, tecnológicos e de segurança da Royal Canadian Air Force (RCAF).

No início deste ano, a equipe conjunta da Saab e da General Electric (GE) Aviation selecionou a StandardAero para servir como parceiro de sustentação no país para apoiar os serviços de manutenção, reparo e revisão (MRO) do motor GE F414-39E que equipam os caças Saab Gripen.

“A experiente equipe da StandardAero está entusiasmada em servir à prontidão da missão do Canadá e aos requisitos para o FFCP e fornecer o conjunto mais completo de serviços de MRO de motor de aeronave para a equipe Saab Gripen Canada de nossa instalação em Winnipeg, Manitoba”, disse Marc Drobny, Presidente divisão das Forças Armadas da StandardAero. “Por mais de seis décadas, temos parceria com a Royal Canadian Air Force para fornecer sustentação do motor para os motores T56 que acionam sua frota CC-130 – tornando-nos a solução MRO de motor mais capaz e lógica para o FFCP.”

A StandardAero tem uma excelente reputação em todo o setor por fornecer serviços superiores de MRO para motores em seu campus de 665.000 pés quadrados em Winnipeg. Adicionar uma nova linha de motor militar GE F414-39E em Winnipeg construiria não apenas sobre a longa história da StandardAero apoiando a RCAF, mas também levaria ao crescimento de sua força de trabalho substancial e altamente qualificada e forneceria uma excelente oportunidade de exportação para apoiar outras frotas F414.

Como parte da equipe Saab Gripen para o Canadá, a StandardAero assinou um Memorando de Entendimento com a GE para realizar a manutenção dos motores F414-39E. Além disso, a StandardAero traz uma parceria muito próxima e de longo prazo com a GE para o FFCP. StandardAero é um MRO licenciado em uma variedade de linhas de motores GE e monta todos os novos motores a jato F110 da GE.

Em 2012, as duas empresas anunciaram a abertura de um novo Centro de Teste, Pesquisa e Desenvolvimento de motores de aeronaves de $ 50 milhões (TRDC) em Winnipeg. A instalação de 12.500 pés quadrados está localizada no Aeroporto Internacional James A. Richardson em Winnipeg. A GE projetou e construiu o TRDC e, sob um contrato de longo prazo, a StandardAero mantém e opera o centro de teste de certificação, que pode testar motores de turbina a gás de até 150 polegadas de diâmetro e até 150.000 libras de empuxo, bem como capacidades para acomodar motores militares de alto desempenho.

“Com nossa experiência militar bem estabelecida, ampla presença em todo o Canadá e nosso alinhamento OEM para oferecer suporte a um motor GE adicional, estamos prontos para cumprir nossa missão de apoiar a prontidão para os futuros caças canadenses”, concluiu Drobny.

FONTE: StandardAero

- Advertisement -

18 Comments

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Thomaz Alves

Politicamente existe uma grande vontade no Canadá de serem “rebeldes” com os Estados Unidos e escolher um caça europeu. Mas entre os militares e a parte técnica da Defesa o F-35 provavelmente é o preferido.

OSEIAS

Não vejo a hora dos físicos anunciarem uma nova forma de propulsão que não seja mais baseada em motores a combustão interna. Imaginou a coisa como seria?? Será que veremos isso acontecer?

Jadson S. Cabral

Essa tecnologia já existe e é, inclusive, mais velha que os motores de interna. Se chama motor elétrico. Seu problema é que as baterias ainda não são tão eficientes, mas isso é questão de tempo. Quanto a outro meio, só lá pro final do século.

Junior Souza

Também queria ver isso acontecer. Ver o homem superar a gravidade usando algum outro meio além dos disponíveis atualmente seria magnifico, mas concordo que estamos bem longe disso.

André Macedo

O Canadá é um quintal americano, muito improvável eles levarem o Gripen, independente das especificações técnicas.

Thomaz Alves

Eu diria que sofre de forte influência americana devido ao contexto histórico e por possuírem a maior fronteira terrestre do mundo. Esse negócio de quintal é mais pra país atrasado, o Canadá socialmente é mais desenvolvido que o USA… Mas existe resistência de alguns grupos políticos lá para diminuir a grande influência, O F-35 mesmo é um caso pois já eram pra ter escolhido ele faz tempo e segue se arrastando a escolha.

Rommelqe

Inclusive, agregando uma observação: a participação canadense no programa F-35 não decolou porque? è um aspecto curioso mas significativo. Veremos….

gordo

A parte Francesa do Canadá sempre foi mais propensa a olhar para a Europa em questões socioeconômicas.

Jadson S. Cabral

Embora tudo indique que o F-35 leve mais essa, eu não descarto a possibilidade do contrário acontecer e eu adoraria ver a cara de todo mundo.

Rafa

Penso que o gripen é o melhor.

Rommelqe

Aproveitando o ensejo: como está a programação, hoje, da manutenção dos F414-39E dos Gripens brasileiros?

Rafa

Deve ser feita na GE no Brasil mesmo.

Rommelqe

Caro Rafa, entendo que sim, mas todos os procedimentos, dispositivos específicos, complementações nas instalações físicas, planejamento do apoio ao longo do ciclo de vida,etc. tudo isso já está totalmente sincronizado e pronto para começar o atendimento aos primeiros Gripens da FAB? Afinal não são turbinas triviais.

Sergio Cintra

Já não está batido o martelo que é na ex- Celma ( “terra de Pedro”-RJ ), hoje GE, que não por acaso é a fabricante do ” motorzinho “?!.

Rommelqe

Caro Sergio: apenas definir que deve ser a “ex-Celma” nãp significa que esteja pronta. Será que já está mobilizada? Foi necessário treinar previamente pessoal visando o conhecimento eficaz das novas unidades deste “motorzinho” tão trivial que qualquer zé das bigornas da esquina pode apertar um ou outro parafuso? Não foi necessário efetuar investimentos em material e pessoal?

Hellen

O canada vai de F-35,o que esta ém jogo é a segurança nacional americana com o canada participando do Norad,a pressao dos falcoes do pentagono sempre funciona !!@@

Bardini

88 caças…
Ao que tudo indica, é a última chance de vender “grandes” números. Depois, restam as chances de vender 30 ou menos unidades.
.
A SAAB dizia existir mercado para uma faixa de 300 Gripens E/F. Se chegarem na metade disso em termos de vendas, aparentemente vai ser “lucro”.
.
Complicado. Quem falava que seria o “novo AMX”, de certa forma, ainda não errou.

Last edited 11 dias atrás by Bardini
Johan

Depois de um tempo lendo sobre o tema, chegueia essa comparação, porém há uma grande diferença que é o grande “erro” e tendão de Aquiles do projeto projeto AMX: o motor escolhido. O mesmo já estava obsoleto na época e hoje virou o grande problema de disponibilidade de peças. Enquanto o Gripen utiliza um motor moderno, fabricado em grande número e que ainda terá muitos anos em operação e apoio do fabricante.

Últimas Notícias

Chile quer comprar aeronaves britânicas E-3D Sentry ‘AWACS’ aposentadas

Uma fonte disse ao UK Defense Journal que o Chile está procurando comprar “mais de uma” aeronave E-3D aposentada...
- Advertisement -
- Advertisement -