segunda-feira, junho 27, 2022

Gripen para o Brasil

O projeto de modernização dos treinadores EMB-312 Tucano da Força Aérea Argentina

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A empresa argentina Redimec de Tandil ficará encarregada de modernizar o Embraer EMB-312 da Força Aérea Argentina, adaptando-o às necessidades atuais e estendendo sua vida útil.

A Força Aérea Argentina deu início ao programa de modificação de suas aeronaves Embraer EMB-312, atualmente tripuladas pela III Brigada Aérea com sede em Reconquista.

Utilizando o financiamento previsto na Lei que criou o Fundo de Defesa Nacional (FONDEF), a Força Aérea Argentina, por meio de concorrência pública contratou a empresa Redimec SRL.

A Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento da Força Aérea Argentina é a principal responsável pela execução do projeto, incluindo participantes da III Brigada Aérea e da Direção Geral de Aeronavegabilidade Militar Conjunta.

A modernização proverá tecnologia de ponta a bordo, telas sensíveis ao toque, visão sintética, sistemas de comunicação e navegação, sistemas de segurança operacional e forte redundância apoiada por uma arquitetura de barramento digital de alta velocidade.

Para saber maiores detalhes da modernização, acesse a matéria completa no site Pucará. clicando aqui.

- Advertisement -

35 Comments

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JT8D

Uma pena que a Embraer não continuou o desenvolvimento do EMB 312. Com seus sistemas modernizados ele continua a ser um dos melhores treinadores do mercado

Jadson S. Cabral

Continuar pra que, se tem o substituto, que é muito melhor, o EMB 314?

BRUNO CESAR BOTELHO MARTINS

mais barato, e competidor na mesma faixa de preço do
AT-6, que é campeão de venda$$$$, só por isso!

Guilherme

Além disso o AT-6 tem o respaldo do FMS (Foreign Military Sales) do governo americano. O que torna a competição com o AT-6 muito difícil.

JT8D

Não são da mesma categoria. Você vê algum EMB-314 treinando cadetes na AFA?

Rinaldo Nery

O EMB-314 (A-29) não é treinador.

Guilherme

Categorias diferentes. Um é um Maverick o outro é um Mustang.
A FAB comprou o projeto de um Tucano mais parrudo para treinamentos avançado e controle do espaço aéreo contra aviões do narcotráfico. O EMB-314 Super Tucano.
A Embraer na epoca, estava mal das pernas, e decidiu descontinuar o EMB312 Tucano, para não fazer concorrência ao EMB314 nas potenciais vendas internacionais.
Decisão aparentemente equivocada, pois hoje a Embraer perde toda licitação internacional quando o requisito é treinador básico. Ela não consegue emplacar o Super Tucano pois é muito potente e muito caro para treinamento básico.

Flanker

O A-29 NÃO é substituto do T-27 para a função de treinamento.

André Garcia

A 29 treinador? Essa é novidade!

Teropode

Mas nada impedi da Embraer retornar a produção dele , quando criaram o ST julgaram que ele iria abocanhar o treinamento primário e os seguintes , mas os clientes não tiveram a mesma ideia , então ficou o ST restrito a caça de baixo nível , Coin e treinamento avançado com os cara saindo dele para os caças , pelo que se vê até agora salvando excessões , ele não foi um sucesso de vendas , foram comercializados unidades pequenas , faisqueiras , além disso para a função CoIN os Drones Sáo mais relevantes e muito mais baratos …….ou seja… Read more »

Rinaldo Nery

A EMBRAER NUNCA julgou que o A-29 iria abocanhar o treinamento primário, até porque o avião NÃO foi projetado para isso. Foi requisitado, desde o início (1992, eu fui um dos que escreveu os ROP) para a missão COIN. O que faz MUITO bem. Não confundir com o JPATS, esse sim projetado para a concorrência USAF/NAVY. O A-29 é OUTRO avião, que aproveitou o conceito inicial do JPATS.

FernandoEMB

Exato Rinaldo. A Embraer, para a concorrência do JPATS criou o EMB-312H POC que foi uma prova de conceito, e foi chamado de “Ana Raio” dentro da Embraer, por causa da sua pintura. Era basicamente um Tucano alongado e com mais potência. Muito mais próximo do EMB-312 do que do EMB-314. Para a concorrência do JPATS foram desenvolvida uma nova variante da qual foram produzidas duas aeronaves. Este modelo, que também foi chamado de Super Tucano, era como um meio termo entre o Tucano e o que hoje é o EMB-314. Era voltada para o treinamento seguindo os requisitos do… Read more »

Rinaldo Nery

Voei no Ana Raio, em 1992, com o TCel Schitini. Estávamos na EMBRAER ministrando instrução de T-27 pros colombianos. Nessa oportunidade ganhamos, de presente, sacolas p capacete, com nosso nome. Tenho a minha até hoje.

FernandoEMB

Pois é… só que não existia, e ainda não existe capacidade para se fazer tudo. Recursos (financeiros, materiais e humanos) são limitados, e a empresa teve e tem de focar onde o retorno potencialmente será maior.

Guilherme

Pois é Fernando, mas vamos concordar que hoje a Embraer não ter uma aeronave na categoria de treinador básico é péssimo para a empresa. Não ganha uma concorrência quando o requisito é treinamento básico.
Porém, concordo contigo, não dá para abraçar vários projetos. Além disso, o Super Tucano já está desatualizado, e vai precisar de uma modernização significativa em breve.

FernandoEMB

Mas ora… não se pode ter tudo para todas as concorrências. É uma questão de escolhas. Como disse não se tem recursos para tudo. Ela investiu em opções muito mais rentáveis e de maior retorno. É a mesma história que alguns vivem falando… ah se ela tivesse continuado e evoluído do Brasília… é a mesma coisa. Ela abandonou os turboprops para focar nos jatos, e isso lhe proporcionou dominar o mercado regional nas décadas seguintes. Agora, se for interessante ela volta para o mercado de turboprops. Mas o mercado de aeronaves de treinamento básico parace ser algo que não atrai… Read more »

Camargoer.

Olá JT8D. Eu temo que a concorrência da USAF vencida pelo T6 foi o fim do Emb312.

Flanker

Naquela concorrência, o candidato brasileiro foi o EMB-312H, o qual não tinha quase nada em comum com o Tucano original. Foi um desenvolvimento que teve como base o EMB-312G, que era a versão do Tucano para a RAF. O “H” tinha mitor muito mais pitente que o Tucano “tradicional”, fuselagem mais longa, etc. Estava mais para um 314 do que um 312.

Flanker

Motor* potente*

MLott

Trabalhei neste projeto, o 312H foi baseado no 312A e não no G. E o 314 foi inspirado no 312H, porém estrutural mente, sistemas, motor, tudo novo com raras exceções.

Tomcat4,3

Mais um motivo pelo qual a FAB está modernizando os seus, os bicudos são porreta , no que tange a Embraer não continuar o desenvolvimento, esta é uma empresa e foca em resultados e as escolhas feitas, conforme dito pelo sr Fernando, surtiram os devidos e positivos resultados.

Demetrios

Ótima notícia!
Produtos bons tem a vida estendida , os ruins são sucateados.

Jefferson Henrique

Vida longa aos F-5EM !!

Joao Moita Jr

Bacana. Só que o pagamento tem que ser em espécie, e por adiantado…

João Bravo

É possível um novo Tucano invisível? Armado só com mísseis , elétrico?

José Carlos da Silva Peixoto

Sabe quando ? Nunca !!!!

Luis

José Carlos, invisível, creio que sim, bastaria fazermos engenharia reversa no avião da Mulher Maravilha, já, elétrico e armado só com misseis, já não sei te responder

Last edited 5 meses atrás by Luis
Jodreski

Não fale asneira amigo… o avião da Mulher Maravilha é um jato está em outra categoria! kkk

Zorann

A mulher maravilha acho que tinha um desses.

Caco

Sim , é possível fazer um tucano Stealth, porem não com misseis ar ar pois seria inútil .
Leis da física não podem ser burladas um míssil de 60 km de alcanse máximo disparado em velocidade super sônica atinge seu objetivo, porem esse mesmo míssil disparado por um tucano sub sônico atingiria no máximo 6 km de alcanse , mas com $$ é possível fazer um tucano furtivo com excessão das hélices , ou seja $$ nunca kkkk.

Flanker

Tu tens certeza sobre os alcances dos mísseis colocados por ti???

Caco

Com certeza q não né amigo isso é informação classificada , mas só quis especificar o quão difícil é essa integração , isso sem contar que necessitaria de um radar para engajar e dar o envelope de vôo correto , sem contar das pas rotativas que nao seriam furtivas , mas calculo que um derby disparado por um super tucano mesmo q por datalink e e99 comandando o travamento nao passaria de 25km de alcanse , talvez 30

Flanker

?????

Leandro Costa

Meu Tucano preferido é elétrico. Não está armado com mísseis, mas é possível. É invisível porque ainda não comprei. Afinal de contas estou sem espaço para modelos na escala 1/72, que dirá um numa escala um pouco maior hehehehehe

Jodreski

Alguém sabe quantos Tucanos a AFA opera?

Últimas Notícias

‘Top Gun: Maverick’ ultrapassa a marca de US$ 1 bilhão de faturamento

O filme "Top Gun: Maverick", continuação de "Top Gun" de 1986, ultrapassou a incrível marca de US$ 1 bilhão...
- Advertisement -
- Advertisement -