sexta-feira, janeiro 21, 2022

Gripen para o Brasil

Canadá diz à Boeing que sua oferta de caças Super Hornet não atende aos requisitos da concorrência

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Boeing foi informada de que sua oferta para substituir os velhos CF-18 do Canadá por uma nova frota de jatos de combate F/A-18E/F Super Hornet da empresa americana não atendeu aos requisitos do governo federal.

Três fontes da indústria e do governo dizem que a mensagem foi entregue na quarta-feira (24), quando as outras duas empresas que competem pelo contrato de C$ 19 bilhões – a gigante da defesa Lockheed Martin dos EUA e a empresa sueca Saab – foram informadas de que atendiam aos requisitos do governo.

As três fontes obtiveram anonimato porque não foram autorizadas a discutir esses assuntos publicamente.

O Departamento de Defesa Nacional e Serviços Públicos e Compras do Canadá, que está administrando a competição em nome do governo federal, não respondeu aos pedidos de comentário na quinta-feira.

As empresas receberam ordens de mostrar que seus caças a jato eram capazes de atender aos requisitos militares para missões locais e no exterior, mas também que ganhar o contrato resultaria em benefícios econômicos substanciais para o Canadá.

No entanto, embora o fracasso da Boeing em atender aos requisitos pareça desqualificar o Super Hornet da competição, deixando apenas o F-35 da Lockheed Martin e o caça Gripen da Saab na disputa, nenhuma das empresas foi informada se ainda estão dentro ou fora.

Um porta-voz da Boeing disse que a empresa reservaria comentários até a notificação oficial do governo.

A notícia de que uma das duas empresas americanas que competem pelo contrato não atendeu a um ou mais desses requisitos é a última reviravolta no que já foi um longo e muitas vezes imprevisível caminho para substituir os CF-18s do Canadá.

Muitos observadores viram o Super Hornet e o F-35 como a única competição real por causa do relacionamento próximo do Canadá com os Estados Unidos, que inclui o uso conjunto de jatos de combate para defender o espaço aéreo norte-americano diariamente.

Mockup do F-35 com as cores do Canadá

Essas percepções só foram ampliadas depois que duas outras empresas europeias saíram da competição antes mesmo de ela começar, reclamando que as exigências do governo haviam marcado as cartas em favor de seus rivais nos EUA.

A Suécia não é membro da OTAN ou do comando de defesa conjunto canadense-americano conhecido como Norad, responsável por proteger o continente de ameaças estrangeiras. Isso levantou questões sobre a compatibilidade do Gripen com aeronaves dos EUA.

Embora o fracasso da Boeing em atender às exigências do governo seja surpreendente, disse o analista de defesa David Perry, do Canadian Global Affairs Institute, isso também pode favorecer as afirmações do governo de que está realizando uma competição justa e imparcial para substituir os CF-18s.

“Isso indica que foi uma aquisição genuinamente competitiva, que o Canadá fez um grande esforço para garantir que fosse o caso”, disse ele.

Perry acrescentou: “Houve muita especulação sobre se um caça não americano poderia realmente ser um competidor real, dados os requisitos do Canadá para interoperabilidade com os Estados Unidos. Se eles ainda estão na competição, a Saab obviamente atingiu essa marca.”

O Saab Gripen E é um dos concorrentes pelo contrato de caças do Canadá

Mesmo assim, Jeff Collins, um especialista em compras militares da University of Prince Edward Island, disse que ainda há preocupações de longa data em alguns setores de que toda a competição tenha sido montada desde o início para selecionar o F-35.

A escolha de um caça diferente, acrescentou ele, representaria uma grande ruptura com os aliados mais próximos do Canadá, a maioria dos quais está comprando o F-35.

O Canadá se juntou aos EUA e outros aliados como parceiro no desenvolvimento do F-35 em 1997 e desde então pagou US$ 613 milhões para permanecer na mesa. Os parceiros obtêm um desconto na compra dos jatos e competem por bilhões de dólares em contratos associados à construção e manutenção dos mesmos.

O governo conservador de Stephen Harper então se comprometeu a comprar 65 jatos F-35 sem competição em 2010, antes que as preocupações com o custo e as capacidades do caça stealth o obrigassem a voltar à prancheta.

Os liberais prometeram em 2015 não comprar o F-35, mas lançar uma competição aberta para substituir os CF-18s. Posteriormente, eles planejaram comprar 18 Super Hornets sem competição como uma medida “provisória” para garantir que o Canadá tivesse aeronaves suficientes até que as substituições permanentes pudessem ser adquiridas.

Na época, alguns questionaram esse plano, sugerindo que os liberais estavam tentando encontrar uma maneira de comprometer o Canadá com o Super Hornet sem se abrir para um recurso legal da Lockheed Martin ou de qualquer outro fabricante de jatos.

Mas o governo cancelou o plano depois que a Boeing lançou uma disputa comercial com a empresa aeroespacial Bombardier de Montreal sobre os aviões C-Series desta última. Posteriormente, ele introduziu uma penalidade para empresas que buscam um contrato federal que iniciaram uma disputa comercial com o Canadá.

Collins questionou se a chamada “cláusula Boeing” desempenhou algum papel na competição de caça a jato, embora os funcionários tenham dito anteriormente que não era um fator, já que a disputa foi resolvida a favor da Bombardier em 2018.

Enquanto isso, o governo foi forçado a investir centenas de milhões de dólares adicionais na frota do CF-18 para mantê-lo voando até que um substituto possa ser entregue. O governo disse que planeja nomear um vencedor nos próximos meses, com o primeiro avião entregue em 2025.

O último avião deve ser entregue só 2032, quando os CF-18 já existirão há 50 anos.

FONTE: The Canadian Press

- Advertisement -

92 Comments

Subscribe
Notify of
guest
92 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
EduardoSP

Fechou!
Vão de F-35.

Henrique

Não vão. Se fossem já teriam pego e não feito duas licitação pra dizer se vão ou não pegar
.
No momento que tá ganhando é: Nada, Gripen e o F35 (nessa ordem)

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Emmanuel

Falou uma voz lúcida.
Concordo totalmente.
Também acredito que vai dar Gripen. Seria o mais racional.

Rodrigo Martins Ferreira

Por que mais racional ?

Emmanuel

Sério essa pergunta?

Rodrigo Martins Ferreira

Sim…

Você está dizendo que usar um avião que n é superior as ameaças que o Canadá tem que enfrentar nos acordos do NORAD é mais racional que usar aquele que será o futuro do maior parceiro canadense e tem capacidade de enfrentar as ameaças russas de agora e do futuro

Mas cada um vê racionalidade onde melhor lhe cabe.

MFB

Você está sendo no mínimo ingênuo achando que o Gripen tem alguma chance nessa concorrência.

Henrique

Tá……………….. ..
.
cara acha que é só o caça que tá sendo discutido na licitação….. Vai nessa filho

Last edited 1 mês atrás by Henrique
MFB

Você que está achando isso. Se não fosse isso, seu comentário não seria tão ingênuo. Chega a ser cômica sua resposta. Não tem a menor ideia sobre o que está falando. Puro achismo e torcida.

Last edited 1 mês atrás by MFB
Luiz Trindade

“Isso indica que foi uma aquisição genuinamente competitiva, que o Canadá fez um grande esforço para garantir que fosse o caso”

Conversa para boi dormir… Eles irão de F-35 e ponto!

Henrique

se eles fossem com F35 já teriam pego na primeira vez e ponto!
.
Canadá queria até proibir o F-35 de participar dessa última

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Teropode

Lógico , por que deixariam de comprar o caça mais capaz ? Ao contrário de nós que somos abastecidos de informações por terceiros , o comando canadense tem todas informação direto do patrão.

Rogério Loureiro Dhiério

Tb Acho. São parceiros no projeto.
No caso do F-18 é mais um Vovô que se vai e deixa de ser produzido.
No caso do Gripen, até que estão tentando más o mais lógico e acredito que dará a lógica, seria o Canadá ir de F-35.

Rodrigo Martins Ferreira

Os alemães praticamente já fecharam no SH..

Este vovô vai ficar em produção muitos anos ainda.

Teropode

A Alemanha não pode escolher muito , o F35 é proibido para quem pretende produzir o próprio 🤭🤭🤭🤭

Rogério Loureiro Dhiério

Um velho aposentado na ativa kkkk
Abs.

pgusmao

Não dá nem para comparar um Gripen com um F-35, acho que a Saab vai entender a perda do cliente.

Teropode

Alguém ainda tinha dúvidas quanto a isto ? Rejeitar o mais capaz vetor da atualidade é burrice , nem os socialistas mais mal intencionados conseguiriam justificar caso rejeitasse o F35 , seria uma burrice , o custo total é. Semelhante só visto do gripenE

Gustavo

com o custo estratosférico? Aham!

Bruno Vinícius

Sendo bem sincero, não achei surpreendente. Esta é uma competição em que apenas o F-35 tem chances reais. A SAAB deveria focar na Finlândia, onde tem melhores chances de ganhar.

Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
Rogério Loureiro Dhiério

Se bobear somente a Finlândia está no páreo para a SAAB. Índia e Canadá a meu ver sem chances.
Se, aparecer algo mais no radar a médio prazo poderíamos falar de Colômbia e assim mesmo, lá vai brigar com F-16 e Typhons.

Ou seja, chances muito pequenas tb.

Rui

Eu apostaria nas Filipinas também.

J R

Mas Filipinas pelo jeito vai de C/D e não de E/F…

Teropode

O futuro certo do Gê é no Brasil , com 90% de chances na Finlândia onde creio que irão de dois vetores , SH e Gripen , um HI LO de 2 gerações .

SGT MAX WOLF FILHO

O OBJETIVO DESSA DISPUTA E BAIXAR O PREÇO DOS F35, FIZERAM ISSO SO PRA VER SE SAI MAIS SUCO DESSA LARANJA CHAMADA F35

Hellen

O Canadá ja possui os Hornets de quarta 4 geração e nao vao querer o gripen 4 ++ !!!!
O Canada vai de F-35 !!!

Rodrigo LD

“O Canadá se juntou aos EUA e outros aliados como parceiro no desenvolvimento do F-35 em 1997 e desde então pagou US$ 613 milhões para permanecer na mesa. Os parceiros obtêm um desconto na compra dos jatos e competem por bilhões de dólares em contratos associados à construção e manutenção dos mesmos.”
Depois de ler isso, alguém ainda tem coragem de apostar no Saab Gripen? O resultado já saiu antes da abertura da concorrência.

SoldierofFEB

Olá, acredito que haja uma diferença em forneces o parafuso da fuselagem traseira para todos os f 35 fabricados no mundo, e fabricar um aeronave quase que por inteiramente em seu país.

Antoniokings

A chance da Boeing é o Governo americano entrar em ação e encomendar alguns para não fechar a linha de produção.
A fase não é boa na empresa.

Rogério Loureiro Dhiério

Mais um vovô que se aposenta.

Camargoer

Olá colegas. “Caboeing”. Estes canadenses sao interessantes. Seus CF18 vão operar por mais tempo que os F5 na FAB. Fico pensando qual seria o requisito que o F18 não cumpriu mas o F35 e o F39 cumpriram. Só consigo pensar no fato do F18 ter dois motores e os outros apena um. Ou no fato do F35 e F38 terem paines tipo WAD e o F18 não.

Zeus

Prezado Camargoer, F-18 Advanced SH é corda velha com nós novos. Foi um bom projeto mas está ultrapassado. Sua célula não permite mais evoluções, inclusive os tanques conformais que aparecem na imagem foram abandonados pela Boeing porque não conseguiram uma integração satisfatória. Sem IRST integrado , aquele portátil colocado na ponta de um enorme tanque de combustível ventral é ridículo, pois o tanque aumenta o peso e o arrasto do jato e num dogfight, terá que ser alijado junto com o irst. E o mesmo vale para a integração de sistemas de guerra eletrônica, os quais ele tem que carregar… Read more »

Antoniokings

Prezado Zeus.

Todos sabemos que em muitos casos, componente principal em concorrência para aquisição de armas é a influência política.
E nesse caso, os EUA levam clara vantagem.

SDS

Zeus

Sem dúvidas a pressão do governo dos EUA é gigantesco e além das questões apontadas no texto como parceria no projeto, etc, a quantidade de políticos que a LM deve ter no bolso supera de longe os concorrentes.

Antoniokings

Correm suspeitas que isso ocorreu na concorrência da Suíça.
Parece que estão querendo cancelar o certame.

Camargoer.

Olá Zeus. Tudo isso que você falou é verdade, mas acho improvável a integração de um IRST ou pod de guerra eletrônica sejam fatores eliminatórios (novamente, falando de orelhudo, porque desconheço os requisitos canadenses e desconheço os motivos que levaram à eliminação do F18). Fico pensando em qual tipo de offset a SAAB seria capaz de oferecer ao Canadá que a Boeing teria dificuldade de oferecer? Qual conteúdo eletrônico teria o F39 que não teria no F18? Uma possibilidade seja mesmo o conflito entre a Boeing e a Bombardier. Quais são as empresas canadenses que estão participando do desenvolvimento do… Read more »

Jacinto

A Saab é parte do conglomerado pertencente à família Wallenberg e que inclui, entre outras, a SKF (maior indústria de rolamentos do mundo), a Astrazeneca (das vacinas), Eletrolux (eletrodomésticos), Ericsson (comunicações) e muitas outras empresas da área industrial. Na prática, se a Saab joga o peso da família Walleneberg na questão de offset, eles conseguem ter uma gama de opções de offset enorme abrangendo quase todo o espectro industrial.

Luís Henrique

Creio não ser capacidade do caça, provavelmente esta relacionado à offsets, o Canadá quer uma grande compensação financeira por adquirir o caça estrangeiro.

Camargoer.

Olá Luis. Concordo com você. Os suecos foram bastante agressivos no offset e ToT no caso do FX2. Neste aspecto, o F35 seria mais do mesmo para os canadenses.

DSC

Camargoer

O F/A-18E/F Block 3 tem WAD também.
https://youtu.be/3mWFnIoivO8

https://youtu.be/SHEiOE2TsUg
comment image
comment image

Last edited 1 mês atrás by DSC
carcara_br

Isso já foi estudado? WAD é vantajoso em termos de desempenho operacional? as atividades do piloto ganham agilidade?

Leandro Costa

Sim, Carcará. Foram feitos estudos sobre isso. A própria Suécia era cética, mas após os testes com o WAD Brasileiro eles resolveram adotar também.

Marcelo Martins

Tudo indica que o Canadá irá de F-35! Alocaram mais de US$ 600 milhões na parceria de desenvolvimento do F-35 e não irão jogar fora esse dinheiro! A licitação foi para dar um ar de “competição justa” ao processo! A Boeing dançou porque os canadenses ainda estão com o episódio da briga com a Bombardier entalado na garganta! O Gripen não tem a menor chance! Quase todos os membros da OTAN estão indo de F-35 e a pressão da diplomacia americana terá um peso enorme sobre os canadenses! Eu ainda achava que o F-18 SH seria a escolha mais adequada… Read more »

Leandro Costa

Concordo que o Canadá deve ir de F-35, mas a grana investida muito provavelmente já foi recuperada porque o Canadá fabrica partes do F-35 desde o início. Acho possível até que o Canadá tenha tido lucro com isso.

Teropode

Pessoal , deixemos a ideologia de lado , o F35 é uma máquina fantástica , com um custo inferior aos de muitos caças 4g+++, a compra do não ocorreu antes por causa dos trabalhistas canadenses que queriam criar dificuldades para negociar facilidades , pelo jeito a Lockheed já abriu contas em Jersey e Bahamas ……

Bruno Vinícius

A autonomia do F-35 e do F-18 quando armados para a função de interceptação é praticamente a mesma (ambos ficam na casa das 560 – 600 milhas náuticas). Se estiverem com um loadout para ataque ar-terra, o F-35 fica na vantagem (as bombas aumentam consideravelmente o arrasto do SH, mas não o fazem no F-35, por estarem em baias internas). E a capacidade de carregar armas também é semelhante em ambos (8160 kg no F-35 e 8050 kg no SH). O F-35 também tem uma velocidade máxima quando em configuração de combate (mach 1.6) maior do que a do F-18… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
Henrique

Bom é que a Saab tem mais a ganhar com esse negócio do que a perder.
.
Se não levar a desculpa de “carta marcada” já está na mesa e todo mundo tá esperando isso (ou o nada acontecer). O prejuízo vai se mínimo e ao menos o Gripen teve visibilidade.
.
Agora se a Saab ganhar contra o F-35 e ainda no Canada que é supostamente um “quintal” do F-35…….. meu amigo kkkkkkkkkkkkkkkkk

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Emmanuel

Aí vão começar a ver com outros olhos a Saab e seu caça.

Tomcat4,3

Se colocar o custo da hora de voo nesta conta como algo de relevância, tchau F-35 com força ,fora valor unitário etc etc etc , Gripen E na cabeça !!!

Henrique

Não só custo de hora… só da Saab oferecendo tecnóloga, integração e fabrica no local já era pro Canadá ter aceito o Gripen…
.
Pais que está operando o mesmo caça a 50 anos não precisa de caça de 5ª geração. o 4++ resolve todos os problemas do Canadá e os que os Eua arrumarem pra eles (até pq o Canadá não vai começar uma guerra)

Teropode

Gripen é para nações pequenas , que não possuam compromisso mundial , apenas com defesa doméstica , o Canadá possui responsabilidades globais , por isso vão de F35 , o melhor que há , simples assim , podem rasgar calci*** a vontade mas a realidade é esta , relaxem …..

Last edited 1 mês atrás by Teropode
José C. Messias

Outros tempos!
Competição para ver quem ganha a vende/compra de vetores aéreos!

Red Pill - 红色药丸

Meu palpite: adiam por uns 5 anos, e lá na frente vÃo e F-35.

Felipe Maia

E se eventualmente um o bode entrasse na sala de vez e ao Canadá optasse por um “mix hi-lo”? Pensei nisso porque existem críticas severas na Suíça sobre a escolha do F-35 considerando os custos operacionais. Dizem que seria como usar uma Ferrari pra ir ao trabalho todos os dias. Tudo bem que em questões militares o barato pode sair bem caro, mas até que faz algum sentido.
Como são 84 aeronaves, imagino que sirvam para equipar 6 esquadrões de 14 aeronaves cada. Então um eventual mix de 28 F-35 + 56 Gripen E seria uma opção.

Teropode

Seria na minha opinião o melhor para Finlândia Canadá Polônia .

Camargoer.

Olá Colegas. Diversas empresas canadenses participam do programa F35 (parece que a Bombardier não). Isso seria uma vantagem do F35 sobre o F18 e o F39. Por outro lado, a SAAB é bastante agressiva na transferência de tecnologia e na participação de empresas locais, como demonstra o programa FX2 da FAB. Se por um lado, a escolha do F35 ampliaria as encomendas de empresas canadenses que já estão envolvidas no programa, a escolha do F39 permitiria que novas empresas pudessem participar. A Boeing foi incapaz de garantir a ToT requerida pela FAB, mesmo com os aviões atendendo os requisitos de… Read more »

Leandro Costa

Salvo engano, assim como no caso Brasileiro, a Saab já firmou parcerias com empresas Canadenses, acho que focando no pacote de comunicações que tem que ser totalmente integrado ao padrão OTAN e funcionar nativamente com o NORAD e isso explica um pouco o questionamento da matéria acerca de sua interoperabilidade com a OTAN. Na minha opinião pessoal, o Gripen seria uma boa opção para o Canadá, com alto grau de ‘customização’ vs custo. Mas sabemos que o F-35 já tem tudo para ser adotado. O ideal seria fazer um Hi-Low mix que o Canadá já adotou em outros tempos, mas… Read more »

Plinio

Acho que vai dar Grippen Saab. Talvez a empresa, possa potencializar a sua fábrica sueca, isto também é vantajoso ao Brasil, talvez a fábrica Saab no Brasil possa produzir algumas partes no futuro de caças canadenses. Na pior das hipóteses, mais dinheiro em caixa da Saab, Pode render mais desenvolvimento na filial brasileira, empregos, produção. E colocaria o Grippen como Caça de combate top mundial com a grande encomenda. VEREMOS.

Leandro Costa

Plínio, o Brasil já está dentro da cadeia de suprimentos global do Gripen, portanto qualquer novo cliente do Gripen vai ter peças vindas do Brasil também. Aqueles que selecionarem o Gripen F, acho até que teremos alguns royalties na venda de unidades dessa variante também.

Lewandowski

Por que a Boeing insiste em oferecer o F/A-18E e não o F-15? Aqui no Brasil com o FX, Austrália, Canada, índia… O Eagle só vende quando o cliente já solicita… Custo?

Luís Henrique

Com a oferta do SH a Boeing promete um caça mais barato que o F-35 e com custo de operação bem menor. Se oferecesse o F-15, o caça seria mais caro e o custo de operação não seria tão menor.
Tem a questão da mais rápida familiarização, já que o Canadá opera Hornet, trocar pelo Super Hornet seria mais fácil.

Rodrigo Martins Ferreira

Este negócio da cada vez mais parecido com o FX do Brasil..

Como se fica com dois aparelhos com características tão distintas assim em uma concorrência ?! Nem tem condições de disputar quem é o melhor ou pior de tão díspares que são os dois..

Leandro Costa

Tudo tem seus prós e contras. O F-35 é absolutamente fantástico, mas é uma aeronave cara de operar, necessita de certos cuidados, etc. O Gripen é feito para operar em condições bem rústicas, é bem mais barato de operar e ainda pode oferecer um off-set bem generoso.

O Canadá tem algumas condições bem parecidas em relação à Suécia na operação de seus meios aéreos. Então talvez necessite de menor investimento em relação à infra estrutura operacional e por aí vai.

Um não faz o que o outro faz e vice versa, mas entendo a confusão.

Nonato

O Canadá disse o gripen atende os requisitos…
Não exigiram furtividade.
Se bem que a do gripen o RCS é o mesmo de uma bola de futebol a 400 km…

Rodrigo Martins Ferreira

Olha o nível da ameaça que o Canadá tem que enfrentar…

As chances do Gripen contra os aviões russos mais novos não são das melhores..

Contra Su30 da Venezuela, realmente são superiores…

Mas o Su35, 57 e dai pra frente a tecnologia é muito semelhante.

Carlos Gonzaga

Rodrigo, o nível de ameaça russa para a Suécia e muito superior à canadense. Rússia e Suecia são vizinhos que têm pendengas históricas. Os Gripen foram projetados para enfrentar essa ameaça de forma diferente. O conceito é guerra em rede. Combinando aeronaves, sistemas e recursos. Esse conceito é diferente do habitual que é a superioridade individual. Um grupo de ataque com F35 ou SU 57 difícilmente terá vantagem sobre um grupo de defesa F39 combinado operando em rede com auxílio de outros recursos como sistemas de vigilância de longa distância e sistemas de controle de operações integrados. Conceitos diferentes, ferramentas… Read more »

Salim

Suécia teria que matar SAAB pra comprar F35, sua linha de raciocínio náo se aplica neste caso. O Gripen terá muitas dificuldades visto F16V ser bem capaz , preço inferior , comprovado em combate , prazo rápido entrega. Os kits que Taiwan adquiriu para transformar f16a em V também reforçam minha observação. Taiwan fez contrato em 2019 e já tem esquadrão operacional.

Luiz Trindade

Alguém ainda tem dúvida se o F-35 já não ganhou a parada?!?

Antonio Palhares

Pelo jeito vai ser o F-35.
O Estados Unidos sabem fazer pressão. E o Canadá é um parceiro de valor alto na OTAN. A indústria de alta tecnologia americana terá os seus lucros e seus empregos garantidos. O governo sabe defender com todo vigor suas empresas.

Tomcat4,3

Olha…….pra mim deu Gripen E na cabeça !!!

CR Sertão

A Boeing veio aqui no Brasil, teve acesso a todas as informações na Embraer, e depois nos deu uma bela Banana. Quem sabe alguém lá no Canadá percebeu que eles não são confiáveis quanto a transferência de tecnologia. Canadá parece ser um Pais serio, as vezes o custo está sendo levado em conta, ai é Gripen na cabeça.

Henrique

A Boeing veio aqui no Brasil, teve acesso a todas as informações na Embraer, e depois nos deu uma bela Banana.
Fonte: vozes…
.
acho que vc deveria se informar sobre o que a Boeing fez com Bombardier…

Nonato

A Boeing não transfere e a LM transfere?
O Canadá já participa do programa…

Paulo

Difícil escolher entre uma Ferrari ou um Uno.

Tomcat4,3

Pobre mortal !!!

Henrique

F-35 tem os problemas dele mas ainda vale mais que um Uno… (se vendo que Uno pode achar acima do limite de velocidade)

Paulo

Detalhe que o Uno não sai da garagem.

Camargoer.

Olá Paulo. Isso depende. Será um presente ou será preciso pagar pelo carro escolhido? O IPVA está pago? O seguro está pago? etc etc etc; Agora, a escolha entre o F35 e o F39 tem outros requisitos cuja escolha não teria nenhuma metáfora razoável. É melhor pensar que a escolha entre os dois caças é realmente uma escolha entre o F35 e o F39.

Paulo

O contribuinte sofrido é o que está bancando essa escolha pra variar.. ingênuo é quem acha que somos os espertos e o restante do mundo é bobo.

Nonato

Gripen com a mão na taça…

Nonato

45 F 35. 43 gripen (33 E e 10 F) e passa a regua.
Gripen para o patrulhamento diário.
F 35 bala de prata.

Teropode

Senhores , não adianta pontuar a participação do Canadá no projeto F35 , mesmo se isso não fosse real eles não iriam abrir mão do que há de mais moderno venda no ocidente , os caras fazem parte de uma aliança importante , com responsabilidades globais , o futuro do Gripen é aqui 👍, 85 caças na FAB.

Adriano Madureira

“A Boeing foi informada de que sua oferta para substituir os velhos CF-18 do Canadá por uma nova frota de jatos de combate F/A-18E/F Super Hornet da empresa americana não atendeu aos requisitos do governo federal”.

Será que o cavalo azarão Sueco vai emplacar uma venda importante na América do norte?!
comment image?h=19543e61&itok=Tty9R999

DSC

SE, repito, se, o SH está mesmo fora e “não atende aos requisitos” de certeza que não é por razões técnicas e das capacidades de combate da aeronave.

Porque se assim fosse, o Gripen estava fora também.

Nemo

Pela posição geográfica do Canadá eles deveriam optar pelo mais barato. Qual ameaça aérea o Canadá enfrenta? Certamente não a China; sequer a Rússia, mais próxima, seria uma ameaça aérea para o Canadá. O peso político dos EUA deve definir a parada.

Leandro Costa

Rússia via ártico. Não é à toa que o norte do Canadá é lotado de radares do NORAD.

Mayuan

Você pode elencar vários defeitos para o Putin mas burrice nunca será um deles. A chance da Russia atacar o Canadá é muito remota.

Heli

Pense numa novela que já passou do ponto do insuportável essa da substituição dos Hornets do Canadá

Nick

Esse atraso beneficiou tanto o F-35, que resolveu muito dos seus problemas, quanto o F-39E que já não é só um projeto. Vai depender dos canadenses, mas eu diria que 90% F-35 contra 10% F-39 de chances nessa concorrência.

Adriano Madureira

Essa novela canadense durou dez anos…

Adriano Madureira

Off-Topic: KIEV: Nos próximos anos, um trio de nações europeias tomará decisões importantes sobre seus futuros caças, o que significa um impacto potencial no mercado de caças americano / europeu de longo prazo – e se os fabricantes europeus podem obter vitórias contra os quase invictos F-35 – teares. Como sempre, as considerações usuais – quanta capacidade pode ser adquirida a que preço, qual é o custo de propriedade a longo prazo, qual dos fabricantes pode oferecer mais compartilhamento de trabalho e política doméstica – entrarão em jogo. Mas todas as três nações em questão têm atributos únicos que podem representar… Read more »

f35.jpg
Adriano Madureira

Pelo que andei lendo, os canadenses veem o Gripen-E com bons olhos, e quando digo canadenses, falo sociedade civil e não políticos… “The F-35 can’t sustain supersonic flight since it would destroy it’s stealth coating. So it’s in reality a subsonic fighter if it wants to stay stealthy. The Gripen on the other hand can supercruise with a full A2A load out and has a longer range than the F-35. The big bonus is that CPFH is in favour for the Gripen versus the F-35. You fly seven Gripens for the same cost as one F-35. Stealth… well SAAB and… Read more »

Últimas Notícias

Argentina também negocia a compra de caças F-16 da Dinamarca

Segundo o site argentino Pucara.org, as Forças Aéreas da Argentina e da Colômbia estão analisando ofertas para aeronaves Lockheed...
- Advertisement -
- Advertisement -