terça-feira, novembro 30, 2021

Gripen para o Brasil

Lockheed Martin abre instalação inteligente de produção de mísseis hipersônicos

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A mais recente instalação do Alabama inclui ferramentas de produção avançadas e soluções inteligentes de fábrica

COURTLAND, Alabama – A Lockheed Martin (NYSE: LMT) está quebrando barreiras em tecnologia hipersônica, adicionando ao seu portfólio de classe mundial outro marco com a inauguração de uma instalação de produção avançada em Courtland, Alabama, com foco na produção de ataque hipersônico. Capitalizando os recursos essenciais da fábrica digital para fornecer essa tecnologia, a corporação está trabalhando em estreita colaboração com o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DOD) para fornecer novos recursos de guerra do século 21.

“A Lockheed Martin fabrica sistemas de defesa em Courtland desde 1994, fornecendo recursos cada vez mais sofisticados para proteger nossa nação, aliados e parceiros de segurança”, disse Sarah Hiza, vice-presidente e gerente geral de Sistemas de Defesa Estratégica e de Mísseis da Lockheed Martin Space. “Nossas parcerias de longa data com o Alabama, o Departamento de Defesa e pesquisadores acadêmicos abriram caminho para o desenvolvimento das mais avançadas capacidades de ataque hipersônico usando as melhores das melhores tecnologias digitais de toda a nossa empresa.”

Conduzindo a produção avançada por meio da prontidão digital

A instalação representa o compromisso da Lockheed Martin em estabelecer o norte do Alabama como a base dos programas de ataque hipersônico da empresa. O Hypersonic Missile Assembly Building 4 (MAB 4) de 65.000 pés quadrados é construído sobre a base digital que a Lockheed Martin priorizou por meio de esforços de transformação voltados para a missão em toda a empresa para atender às necessidades dos clientes com velocidade e agilidade, ao mesmo tempo em que reforça a capacidade de fabricação dos EUA.

A segunda instalação de produção Convencional Prompt Strike (CPS) integra avanços críticos de transformação digital, como recursos de aplicação de proteção térmica robótica, ferramentas de torque inteligentes e recursos de realidade mista para treinamento e inspeções virtuais. As máquinas nesta instalação também se conectarão ao Intelligent Factory Framework da empresa no início do próximo ano, que conecta digitalmente instalações de produção e ativos em toda a empresa Lockheed Martin para ajudar a permitir percepções sem precedentes sobre a saúde, o status e a otimização das operações.

A unidade de Courtland abriga uma das quatro instalações de manufatura transformacional que a Lockheed Martin está abrindo nos Estados Unidos dentro de um ano.

Entregando a produção de ataque hipersônico

A Lockheed Martin continua a fazer investimentos significativos no desenvolvimento e fabricação de sistemas hipersônicos para combater as ameaças emergentes de adversários semelhantes. Os programas produzidos neste local apóiam vários ramos militares dos EUA e a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa, incluindo CPS, Long Range Hypersonic Weapon (LRHW) and the Air-Launched Rapid Response Weapon (ARRW).

AGM-183A

“As capacidades de ataque hipersônico são críticas para combater as ameaças em evolução, dando aos nossos combatentes as ferramentas de que precisam para completar missões complexas”, disse Jay Pitman, vice-presidente de Armas de Domínio Aéreo e Ataque da Lockheed Martin Missiles and Fire Control. “As equipes talentosas que trabalham nessas novas instalações avançadas de produção de ataque estão entregando tecnologias essenciais de mísseis e veículos hipersônicos em apoio à Estratégia de Defesa Nacional dos EUA.”

O glider superior é o HTV-2, que tem um design de corpo em forma de cunha. O glider inferior é C-HGB que tem um design mais cônico, sua capacidade de girar em voo reduz a tensão térmica e também torna o glider menos sujeito a rolar fora de controle. As imagens não estão em escala. (DARPA/Exército dos EUA)

Desenvolvendo a Força de Trabalho do Norte do Alabama

A Lockheed Martin está presente no norte do Alabama há mais de cinco décadas. Nos últimos dois anos, a Lockheed Martin acrescentou um total de 117.000 pés quadrados nas instalações de Courtland. A inauguração do MAB4 vai trazer cerca de 70 empregos para a área, somando-se aos cerca de 2.600 funcionários já baseados no estado.

Para apoiar o crescimento contínuo, a Lockheed Martin está empenhada em desenvolver um forte fluxo de talentos por meio de iniciativas como o programa AMTAP criado pela Lockheed Martin, um programa de treinamento que permite aos participantes desenvolver habilidades de manufatura nas áreas eletrônica, mecânica, eletromecânica e óptica. Além disso, a empresa se envolveu ativamente com a Aerospace States Association Alabama Chapter para hospedar oportunidades de envolvimento com estudantes e pequenas empresas.

Em 2020, a empresa doou mais de US$ 300.000 para instituições de caridade do Alabama, forneceu quase 15.000 itens de EPI para funcionários da linha de frente e entregou centenas de refeições para profissionais de saúde.

Sobre a Lockheed Martin

Sediada em Bethesda, Maryland, a Lockheed Martin Corporation é uma empresa global de segurança e aeroespacial que emprega aproximadamente 114.000 pessoas em todo o mundo e se dedica principalmente à pesquisa, projeto, desenvolvimento, fabricação, integração e sustentação de sistemas, produtos e serviços de tecnologia avançada.

FONTE: Lockheed Martin

- Advertisement -

52 Comments

Subscribe
Notify of
guest
52 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings

Quem tem condições, que compre ações da LM.
O Governo americano garante.

Bosco

As opções de ataque convencional disponíveis aos EUA ficarão bem flexíveis com as novas armas:
USA:
GMLRS+: 150/200 km (supersônico)
PrSM: 500/700 km (supersônico)
Tomahawk Block V: 1800 km
LRHW: 2500/4000 km (hipersônico HGV)

USN:
SM-6: 400/450 km (supersônico)
SM-6 Block IB: 1000 km (hipersônico semibalístico)
Tomahawk Block V: 1800 km
CPS: 2500/4000 km (hipersônico HGV)

JASSM-ER: 1000 km
LRASM: 700 km
AARGM-ER: 300/400 km (supersônico)

USAF:
SiAW: 300/400 km (supersônico)
LRASM: 700 km
HACM: 1000 km (hipersônico scramjet)
JASSM-ER: 1000 km
JASSM-XR: 2000/2300 km
AGM-183: 1500/2000 km (hipersônico HGV)

Victor Filipe

Como assim Bosco? armas Hipersônicas não era a bala de prata da Russia e China? não eram os dois únicos países capazes de te-las?
Como assim os EUA tem armas Hipersônicas também? não era isso que alguns aqui pregavam.

Estou 100% surpreso *0*

(sarcasmo OFF)

Antoniokings

‘Como assim os EUA tem armas Hipersônicas também?’

Ainda não.
E mesmo assim, se fossem isso, seriam mais ‘lentas’ que as russas e chinesas.
Como está na moda dizer, russos e chineses estão em outro ‘patamar’.

Victor Filipe

EUA: AGM-183: Mach 20+ HACM: Velocidade não divulgada, ainda em desenvolvimento CPS: Velocidade não divulgada, ainda em desenvolvimento SM-6 Block IB: Velocidade não divulgada, ainda em desenvolvimento LRHW: Velocidade não divulgada, ainda em testes. minima de Mach 5+ Pelo que da pra ver, das armas hipersônicas dos EUA é meio complicado você chegar aqui e dizer “são mais lentas que as Russas” quando não se tem os dados das versões americanas. Russia: 3M22 Zircon: Mach 9BrahMos-II: Mach 89K720 Iskander: Mach 6R-37: Mach 6Kh-47M2 Kinzhal: Mach 12 (Para os dois lados eu botei a maior velocidade possível que encontrei, deixei de… Read more »

Bosco

Victor, Os mísseis hipersônicos americanos não foram feitos para disputar corrida com os futuros mísseis russos e mais futuros ainda, chineses, e sim para permitir que eles reduzam o tempo de percurso de modo a atingir alvos de tempo crítico em tempo hábil. Sobre o desempenho dos mísseis russos e chineses, todos são baseados em especulação da mídia ocidental e na cabeça dos abestados que a consomem, e tem pra todo gosto. Como papel e tela de computador e smartphone aceita tudo se diz do Avangard que tem velocidade de Mach 20 a 27 , mas também pudera, é lançado… Read more »

Eduardo

Obrigado Bosco pelas informações, admiro seus comentários focados e objetivos, onde há muitos anos entro aqui para encontrá-los.

Entro na página e um dos nomes (existem outros participantes também muito bons, pois sempre acrescentam informações) que pesquiso, na thread de comentários é o seu para saber se houve algum comentário.

Allan Lemos

Alguns aqui também pregam que apenas a Rússia e a China são imunes às armas hipersônicas, pois já têm meios de detê-las, com o pensamento aparentemente.

Slow

Talibã que se cuide !

Ah não deixa quieto ..

Antoniokings

Pois é

Eu não sei se o pessoal ‘viaja na maionese’ ou estão na fase ‘no me engana que eu gosto’.

Jagdverband#44

Fase boa é aquela na qual você responde para você mesmo num forum.

Antoniokings

E tem gente que lê e se preocupa em responder.
rsrsrsrs

Inimigo do Estado

E pior, responde em mais de um comentário kkkkk

Isso é praxe do ser humano, inclusive está lá no livro “As 48 leis do poder”, quem te odeia sempre irá te rebater, por que eles sempre procuram uma maneira de se sentirem superiores, e é aí que você, alguém que busca o poder, fisga alguns incautos.

Last edited 1 mês atrás by Inimigo do Estado
Nilton Reis

EUA na frente: “EUA estão 20+ anos a frente!”;
EUA atrás: “não é uma corrida. EUA querem estar atrás. MUH FRIDUM MUH LIBERTI GIMME MUH CAPITALISM”.

Leandro Costa

É tipo aquele pessoal que sofre com blecautes e interrupções de energia em centros produtivos e diz que é tudo planejado hehehehehe

Antoniokings

E foi mesmo.
A prova é que a China está enfrentando a questão ambiental com bastante afinco.

‘China enfrenta onda de blecautes’
‘Aumento da demanda, disparada no preço do carvão e cortes feitos pelas províncias para cumprir metas ambientais se encontram na origem do problema.’
brasil.elpais.com/internacional/2021-09-30/china-enfrenta-onda-de-blecautes.html

Reportagem do prestigioso El País.
Não é do Wapp da família.

Leandro Costa

Ao mesmo tempo mostra claramente a falta de planejamento. Uma mudança de matriz energética bem feita simplesmente não acarreta em falta de fornecimento e os prejuízos bilionários decorrentes disso ainda mais em tempos de altíssima demanda.

Isso de ‘ter sido planejado’ é a maior balela jamais contada na História da geração e transmissão de energia. Só cai nesse conto de fadas mal escrito quem quiser.

Antoniokings

kkkkkk

Famoso contorcionismo mental.

SDS

Yuri Dogkove

LRHW: 2500/4000 km (hipersônico HGV)”? Cadê os vídeos desse suposto míssel sendo testado, tem? Encontrei essa matéria que fala a respeito mas sequer menciona esse alcance todo que você escreveu… https://breakingdefense.com/2021/05/army-discloses-hypersonic-lrhw-range-of-1725-miles-watch-out-china/

Leandro Costa

Duas coisas:

1- O link que você postou afirma que o míssil atinge ‘over 1725 miles’ e traduzindo para os mongolóides isso significa ‘acima de…’ ou ‘para além de…’ 1725 milhas, que dá aí uns 2700km ou seja, bem dentro do que ele postou;

2- A palavra se escreve ‘MÍSSIL’ e não ‘míssel.’

Yuri Dogkove

Calma! Fica nervosa não, fia… Assim vai se engasgar!

Kayron

Fica assim sempre quando vai defendê-lo. Ele e mais outros aqui fazem uma defesa incondicional.

Bosco

Leandro,
O alcance de 1725 milhas foi o registrado no teste. O objetivo final é ter um alcance bem maior devido à necessidade dos mísseis poderem ser implantados em Guam , que dista 3000 km da China.
Em Guam os americanos não precisariam de obter permissão de nenhum país aliado e poderia atacar o coração da China, notadamente as bases que ameaçam seus porta-aviões.
Há algum tempo testes tem sido feitos em outros programas com o mesmo HGV cônico e chegou-se a 2000 milhas náuticas de alcance, o que é considerado adequado para o USA.

Antoniokings

Os DF-26 têm ‘base móvel’ além de um alcance de 5.000 km.

Bosco
Kayron

Sinto muito! Mas no artigo diz que o Exército quer que o AHW tenha 3.700 milhas, mas não diz que foi realizado um teste com um HGV voando a esse alcance. O teste realizado em 2011 com o AHW atingiu um alcance de 3.700 km(2.300 milhas), o que certamente é um feito considerável, mas próximo do que você realmente disse, mas longe da sua afirmação de 3.700 mn assim como a fonte do artigo, nem tudo na imprensa ocidental é verdadeiro. O teste realizado em 2014 com esse alcance de 3.700 milhas falhou e desde então, ficou por isso mesmo.

Kayron

Incorreto novamente!

Os americanos não precisariam aumentar o alcance já que numa guerra o US Army estaria sendo implantado em ilhas em torno da Segunda Cadeia de Ilhas e encostando próximo a entrada da Primeira Cadeia de Ilhas, dando alcance suficiente para atingir o interior da China. O míssil hipersônico do US Army é facilmente aerotransportado e flexível, o que garantia agilidade de implantação assim que saltasse entre as ilhas no Pacífico Ocidental em direção a China.

Bosco

O que é “incorreto novamente”? Sem dúvida que o USA pode lançar o míssil de qualquer posição dentro do alcance máximo mas a distância ótima para lançamento de terra é que coloque o míssil em Guam, o que seria algo acima de 3000 km. Os testes iniciais dão conta de já atingirem “acima de” 2700 km , então minha alegação de alcance para uma arma que ainda não está pronta e acabada entre 2500 a 4000 km é absolutamente factível. Gostaria de ver esse empenho todo em desconstruir as narrativas de desempenho dos mísseis russos que são baseadas completamente em… Read more »

Kayron

Interpretou tudo errado. Em momento nenhum eu afirmei que o alcance de 4.000 não era factível, aliás, eu afirmei justamente que esse alcance era o que o teste de 2011 conseguiu atingir, o míssil do teste é o mesmo usado pelo US Army. Portanto, o alcance de 4.000 km é uma distância suficiente dos americanos acertarem qualquer alvo próximo da costa chinesa por Guam, o que não necessitaria aumentar o alcance do míssil, visto que o míssil pode ser implantado em ilhas próximos a entrada da Primeira Cadeia de Ilhas, o que estenderia o alcance até o interior da China.… Read more »

Bosco

O que eu disse textualmente foi : Esse artigo cita testes com o mesmo HGV que chegou a 3700 mn” e na sequência indiquei a fonte.
Como sei que os visitantes que frequentam a Trilogia sabem ler, apesar da escolha inadequada dos termos não foi minha intenção enganar ninguém e sim equívoco de minha parte.
Enganação faz os defensores dos supermísseis russos e chineses que lhes atribuem desempenho olímpico tudo na base do “vozes na minha cabeça” , sendo até o esquema do Zircon baseado no designe do X-51 A da Boeing.

Last edited 1 mês atrás by Bosco
Maximus

Eu fico me perguntando quando vamos ter uma arma dessas por aqui. Ah, mas esqueci que somos um país pacífico e que nao temos nenhum inimigo externo. Sendo assim é melhor ficarmos com nossas 4 corvetas e nosso subnuc…ja esta de bom tamanho! Brincadeiras a parte, nao precisamos e nem temos condições de ser uma potência militar. No entanto precisamos ter uma força capaz de fazer qualquer inimigo pensar duas vezes antes de querer nos agredir. Uma força militar condizente com o tamanho do país. Mas isso e somente um devaneio na cabeça de alguém que ainda vive no fantástico… Read more »

Nilton Reis

1. Ressalto o pedido aos senhores editores, para que artigos notadamente emprestados das relações públicas das empresas sejam indicados no início das “matérias”;
2. Será que, em 50 ou 100 anos, com a derrocada do padrão petrodólar e um possível neo Bretton woods, os EUA se tornaram uma nova Rússia (grande poderio militar com pequena contribuição econômica)?

Antoniokings

Não há saída para os EUA.
Com um País altamente endividado e extremamente deficitário, não terá como acompanhar os altos gastos necessários para combater o poderio inimigo.
Refiro-me à China, Rússia, Coreia do Norte, Irã e outros que estão aparecendo.
São muitas frentes para combater, ainda com os países da OTAN aos poucos se distanciando dessa confusão.
Será a URSS versão 2.0 (ou já seria 3.0? kkkkk)

Yuri Dogkove

Maquetes e ilustrações 3D… Por enquanto não passa disso! Zircon e Kinzhal mandaram lembranças! kkkkk

Antoniokings

E não é?
Enquanto americanos fazem maquetes e ilustrações, os russos estão lançando os seus mísseis de submarinos.
E correm boatos que estão instalando ‘nesting dolls’ no espaço.
Tá ficando muito ruim para o Tio Sam.

militarywatchmagazine.com/article/russia-sats-attack-US-assets-claim

Bosco

Os russos sequer têm imaginação para o Zircon e utilizam o desenho básico do X-51A da Boeing para ilustrar. Patético!!!comment image
Esse designe utilizado para teste do propulsor scramjet da Boeing sequer deve ter alguma utilidade militar prática mas pateticamente os russos o adotam como sendo o designe do misterioso Zircon.

Yuri Dogkove

Ok, agora senta lá, Cláudia!

Bosco

Essa foto do Zircon feito pela Boeing ficou muito boa né Yuri Kings?

Bosco

Será que o radar é AESA? Acho que cabe um AESA retangular na pontinha. Que que cê acha???

Antoniokings

Cara.
É tão fácil e rápido admitir.
Russos e chineses estão muito à frente dos americanos quando o assunto é míssil hipersônico.
Relaxe!

Yuri Dogkove

Gente, mentir é feio e faz o nariz crescer! O suposto míssel que o EUA pretende um dia produzir não terá alcance de 4000km! Sequer chega perto! Não caiam em fake news de pessoas emocionadas… https://breakingdefense.com/2021/05/army-discloses-hypersonic-lrhw-range-of-1725-miles-watch-out-china/

Bosco

Yuri, Talvez você possa me vencer em xadrez ou dama, mas nessa peleja você ainda tem que comer muito lipídio pra poder forma mais sinapses. https://www.tealgroup.com/index.php/teal-group-media-news-briefs-2/teal-group-news-media/item/conventional-prompt-strike-missile-program Já em 2017, 2018 e 2019 testes vem sendo feitos só que não foram publicados pelas mídias que você segue e você não ficou sabendo. Nesses testes com o o HGV foi observado alcance da ordem de 2000 milhas náuticas (3700 km). O anúncio inicial da alcance de 1750 mn é relativo à divulgação da fase atual de testes, que diferente dos russos e chineses, liberam os dados. O objetivo ao final do programa… Read more »

Bosco

Te respondi mas ficou preso. Aguarde!

Bosco

Enquanto meu comentário não é liberado você poderia postar alguma informação oficial do governo russo ou de algum analista acerca da velocidade e alcance do Zircon e de quantos testes bem sucedidos já foram registrados contra navios em alto mar.

Yuri Dogkove

Você querendo que eu faça o que você não costuma fazer? kkkkk

Bosco

Não tem nada pra me mostrar de concreto, né? É só bla bla bla da mídia oficial e da ocidental entreguista. Típico! Se alimenta de narrativas.

Yuri Dogkove

Cê também tá brava? Que coisa hein…

Bosco

Eita! Dia de pagamento aí na repartição? rssss
Contratou um monte de robôs pra dar dislikes???
Vai! Vamos ver se você domina mesmo. Dá 40 dislikadas nesse aqui.
Eu começo.

Bosco

Falta só 36. Você pode mais Toinho.

Hcosta

Os Bots russos estão a trabalhar bem nos likes/dislikes.
Não é normal estes valores…

Bosco

H,
Todos os que dispararam esses likes/dilikes estão registrados no TSE.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Ué?

E eu, bôbo, que pensei que só Rússia e China tinham essa tecnologia capaz de mudar o rumo das guerras, a ponto de transformar os EUA num país indefeso?

Últimas Notícias

Atech levará tecnologia brasileira a eventos internacionais de Defesa e Segurança

Reconhecida como uma 'System House' brasileira, a empresa estará presente na EDEX e  ExpoDefensa 2021 A Atech, empresa do Grupo...
- Advertisement -
- Advertisement -