quinta-feira, setembro 23, 2021

Gripen para o Brasil

USAF testa novos sistemas de guerra eletrônica para o caça F-16

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

VOLK FIELD ANG BASE, Wisconsin – Caças F-16 do 85th Test and Evaluation Squadron e Operational Flight Program Combined Test Force retornaram à Eglin AFB em 20 de agosto de 2021, depois de completar um exercício bem-sucedido em Wisconsin.

Os dois esquadrões trabalharam lado a lado durante o exercício Northern Lightning 2021, onde a equipe introduziu o software do F-16 mais recente em um exercício de grande força e atingiu vários objetivos de teste, incluindo a integração do Legion Pod da Lockheed Martin equipado com tecnologia de sistema de busca e rastreamento infravermelho.

“Conseguimos alcançar o que normalmente leva de três a seis meses de testes em questão de semanas”, disse o tenente-coronel Jeremy Castor, gerente do programa de sensores F-16, OFP CTF. “Isso tem tudo a ver com a colaboração que ocorreu entre a equipe da Lockheed Martin e os operadores em campo que testavam a tecnologia de busca e rastreamento infravermelho durante cada surtida, em seguida, recolhiam os dados e reprogramavam o pod para melhor equipar o combatente em nossos cenários de combate.”

O Northern Lightning foi a primeira vez que os engenheiros receberam dados do mundo real sobre todos os jogadores do exercício, com mais de 64 aeronaves participando de 18 cenários representativos de combate. Os dados recebidos foram inestimáveis ​​para o avanço da capacidade de combate do F-16, de acordo com Castor.

“Este exercício define uma base de como queremos fazer o desenvolvimento de software no futuro”, disse Castor. “Quanto mais dados forem recebidos e mais cenários onde pod é colocado, mais rápido ele evoluirá e o desempenho do pod aumentará para todas as aeronaves que usam o Legion Pod.”

O OFP CTF também trabalhou ao lado do escritório do programa de sistemas do F-16 e da Northrop Grumman para testar a suíte Next Generation Electronic Warfare (NGEW). A Northrop modificou seu Flying Test Bed, um Canadair Regional Jet equipado com um radar Active Eletronicically Scanned Array do F-16 com o NGEW, que inclui um novo Digital Radar Warning Receiver, antenas e processadores de última geração e um jammer interno de memória de frequência digital.

“Durante o Northern Lightning, obtivemos informações valiosas sobre as capacidades do NGEW e obtivemos mais de 170 pontos de teste contra emissores aéreos e terrestres”, disse o tenente-coronel Stephen Graham, diretor de testes de guerra eletrônica do F-16, OFP CTF. “Estamos um passo mais perto de instalar a primeira suíte NGEW em um F-16 de Eglin em menos de um ano.”

O Northern Lightning definiu o ambiente para demonstrar a compatibilidade do NGEW com AESA enquanto identifica ameaças de interferência em todo o espectro de radiofrequência.

“Há um forte impulso para melhorar a proteção eletrônica do F-16 contra adversários modernos”, disse Graham. “O NL21 permitiu um ambiente denso de RF, permitindo testes direcionados antes, durante e depois dos combates de LFE.”

Outro pod que passou por avaliação operacional durante o Northern Lightning é conhecido como Angry Kitten Combat Pod, desenvolvido pelo Georgia Tech Research Institute. Este pod de memória de radiofrequência digital tem a capacidade de avaliar e responder a uma ameaça e modificar sinais de interferência conforme necessário. Durante o exercício, as equipes foram capazes de avaliar a interoperabilidade e identificar as melhorias necessárias para converter o Angry Kitten de um pod de agressor em um pod de combate.

Um dos resultados mais importantes do Northern Lightning foi o exercício de graduação do F-16 Mission Modular Computer M7.3, que hospeda o novo software para o jato. A próxima etapa será lançar o software para as Forças Aéreas de Combate, onde a frota de F-16 como um todo receberá uma atualização em seu sistema de aviônicos e armas com recursos aprimorados para melhorar as capacidades ar-ar e precisão de mira, permitindo novas capacidades de combate.

“O F-16 está melhorando rapidamente sua capacidade de combate para permanecer relevante em um combate com inimigos similares e a dedicação da comunidade de teste do F-16 é evidente na mudança acelerada para o CAF”, disse o Capitão Michael Mclain, chefe de padronização e avaliação, 85th Test and Evaluation Squadron.

Os LFE, como o Northern Lightning, oferecem uma oportunidade de testar o software e o hardware mais recentes desenvolvidos para a comunidade F-16. Eles são essenciais para validar novas tecnologias e táticas relevantes em um ambiente representativo de combate.

FONTE: USAF

- Advertisement -

16 Comments

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nonato

“Conseguimos alcançar o que normalmente leva de três a seis meses de testes em questão de semanas”, disse o tenente-coronel Jeremy Castor,
Basta querer e ter vontade.
É comum em vários ramos de atividade complicar.

Carlos Campos

EUA tem investido muito nos últimos tempo em EW para os caças, todos com suíte de ponta, desde agora o F16 até F35, acredito que isso vai mudar um pouco o modo de ataque dos EUA, antes nos ataque iam caça dedicado ao EW, com essas capacidade vai mudar a situação, ao meu ver os ataques vão na primeira onda além de Tomahawk, vai algum anti radiação de longo alcane, com capacidade de vadiagem e parecendo um caça voando, depois vai vir os caças destruir os radares que sobrou e assegurar a superioridade aérea, depois vai vir os caças até… Read more »

Last edited 14 dias atrás by Carlos Campos
100nick-Elã

Mas aí vem a pergunta que o saudoso e genial Garrincha sempre fez: combinou com os russos?

Antoniokings

Pois é.
Imagine vc começar um ataque contra uma superpotência inimiga usando F-16.

Chris

Olha… Com a quantidade de F-16 que os americanos e aliados possuem… Se bobear, nem precisem mesmo acionar os F-15, F-22, F-35 na linha de frente, como certamente fariam, etc….

Alias, tenta respirar um pouco antes de destilar seu odio pelos americanos… O que derruba o inimigo são os mísseis… E a única diferença significativa de um caça leve como o F-16 ou Gripen, para os demais maiores… É carregar menos armas ! A letalidade é a mesma. E eu pensaria duas vezes, antes de peitar um F-16V, recheado com radar e tecnologias do F-35 !

Last edited 14 dias atrás by Chris
Carlos Campos

os EUA contra uma potência inimiga ia usar os F22 e F35.

peter nine nine

E F-18, F-15-, F16 e muitos outros aviões das mais variadas classes e feitios. Não duvide, um conflito a ocorrer hoje, principalmente de grandes dimensões, contaria ainda com alta taxa de participação dos caças já testados que conhecemos bem.

Carlos Campos

vão usar, porém nos primeiros dias~, vai ser o F22 e F35.

Flanker

Essa pergunta tem que ser feita por qualquer um….até pelos próprios russos!

Chris

Imagino que os russos tbem não tenham combinado nada com os americanos…

Last edited 14 dias atrás by Chris
Carlos Campos

falei de como eles podem atacar, preservando seus caças e usando tecnologia de ponto a seu favor, agora ninguém combina nada com ninguém, se isso vai funcionar ou não pe outra história.

Antoniokings

Aí vc acordou do seu sonho.
E deve ser um sonho das antigas, porque tem uma fantástica combinação de F-16, Tomahawk e mísseis antirradiação.
Acorda!
Já acordou.

Antoniokings

E antes que vc se ‘anime’ com o ‘moderno e disruptivo’ F-35.

O futuro do programa F-35 é incerto devido a falhas de projeto, escassez de peças e estouro de custos
https://www.abc.net.au/news/2021-09-08/f35-program-design-flaws-part-shortages-costs-opinions-divided/100431664

Esse artigo é recente. De 08/09/21.

Carlos Campos

o Futuro do programa F35 é continuar sendo até a alguns anos o stelth mais produzidos de todos, nesse momento 09/09/2021 o F35 apesar de todos os problemas, é o caça mais avanaçado que existe no mundo, o melhor radar, a melhor suíte EW, uma interface homem máquina de dar inveja a qualquer caça, agora se o F35 vai parar, vão colocar outro Stelth no lugar, ainda melhor do que o antigo, não se preocupa que os EUA sabe que caça é importante para vencer uma guerra, de qualquer forma acredito que a USAF agradeceria sua preocupação com supremacia aérea… Read more »

Carlos Campos

Xings, acalma no seu chilique aí, não recebeu Yuan esse mês? será que faltou para cobrir os rombos da Evergrande? kkkkkkkkkk os EUA vão usar seus mísseis Tomahawk para saturar defesas inimigas, assimo como os anti radiação, depois vai vir o F35 e F22 manter a supremacia aérea, únicos caças no mundo que batem de frente com ele é o J20 e SU57, o velho 16 apesar de velho bate de frente com qualquer outro caça 4G, com radares novos e sistema EW então nem se fale, e mais disse como eles podem ser usados, todos os sistemas, não disse… Read more »

angelo

E ter grana para, o q não é problema para eles…bom pra eles.

Últimas Notícias

Eve, da Embraer, e Bristow firmam parceria para desenvolver operações de UAM com pedido de até 100 eVTOLs

Melbourne, Flórida, 23 de setembro de 2021 – A Eve Urban Air Mobility, uma empresa da Embraer, e a...
- Advertisement -
- Advertisement -