segunda-feira, setembro 27, 2021

Gripen para o Brasil

Primeiro C-130J Super Hercules da Luftwaffe

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O primeiro C-130J da Força Aérea Alemã já está quase pronto para a entrega.

A aeronave 55+01 foi apresentada nas instalações da Lockheed Martin em Marietta-Dobbins ARB (GA) em meados de agosto.

Ela será sediada na Base Aérienne 105 (BA105) Evreux/Fauville (França), onde se juntará ao novo esquadrão franco-alemão de aeronaves Lockheed C-130J Super Hercules.

A Luftwaffe encomendou três C-130J-30s e três KC-130Js, que serão entregues entre o final deste ano e 2023.

O esquadrão combinado ainda sem nome vai operar dez aeronaves de transporte C-130J, quatro francesas e seis alemãs, até 2023.

- Advertisement -

40 Comments

Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
OSEIAS

É nessa hora quer nosso governo tem, que aparecer. Compras Angra 1, 2 e 3 dos caras, compras submarino classe Tupi dos caras, compramos agora as Tamandares dos mesmos ai fica a pergunta? Porque não compram nosso KC-390, que raios de parceria é essa que só eu gasto? Sem falar das empresas alemãs que rasgam de ganhar dinheiro aqui.

Hcosta

Quantos KC já foram entregues?
E querem ter todas as aeronaves em 2023.
E o C130 é americano, Se tivessem escolha compravam um avião da Airbus, talvez o A400, A330, etc… E isto porque o estado Francês e Alemão controlam a Airbus.

E esses negócios não são parcerias, são apenas isso, negócios.

OSEIAS

Já que você mencionou negócios então vamos lá.
Amigão eu compro Tamandaré de você e você compra KC-390 de mim, olha como é fácil se impor, ainda mais que a Embraer Defesa participa do programa Tamandaré.

Thiago

Cara, a balança comercial do EUA e Alemanha é muito maior que a do Brasil, infelizmente nesse jogo aí a gente só consegue ganhar na qualidade como a Embraer fez na parte comercial.

Hcosta

Não é assim que funciona.
E não sei se existem exemplos de negócios feitos assim. Normalmente é através de contrapartidas.
Agora será fácil impor uma aeronave, que vai demorar a ser entregue e ainda em processo de certificação, para a Luftwaffe?
Não sei em que país esse esquema iria resultar.

Carlos Campos

não queria nem que fosse KC, se fosse metal bruto, soja, mangá, laranja, suco de alguma coisa, celulose e peças de carro, já seria ótimo.

Hcosta

Isso é uma forma de pagamento. Isto é outra coisa.
Forçar a Alemanha a comprar um produto militar Brasileiro não sei se resulta.

Carlos Campos

Não é forma de pagamento é acordo comercial.

Hcosta

Acordo comercial internacional, a este nível, é muito mais do que isso. Vender produtos Brasileiros para que comprem outros é uma coisa. Depender de trocas para comprar produtos militares é outra coisa. E certamente que os valores são muito inferiores a um produto militar. E estes negócios são feitos entre o governo e uma companhia, apesar de acompanhada pelo seu governo. Já viu a confusão que é fazer um negócio simples de compra e venda e contra partidas, etc..? Agora acrescente fazer mais um negócio e necessariamente outros produtos e em que todas as partes têm de estar de acordo,… Read more »

Carlos Campos

facil não é, mas é possivel, no final todos saem ganhando de alguma forma, e o comercio de armas é uma boa maneira de se propor um acordo comercial entra os países envolvidos, o Brasil por exemplo tá pensando em comprar um novo MBT, poderia ser o Japão, por exemplo, nunca usamos nada do Japão e é caro comprar deles, mas e se eles dessem a nos a oportunidade vender coisas em impostos de importação por lá, em troca parte de peças da Honda e Toyota, Kawasaki e Yamaha que saem do Japão não pagariam imposto de importação no Brasil,… Read more »

NashArrow

Compras Angra 1, 2 e 3 dos caras, compras submarino classe Tupi dos caras, compramos agora as Tamandares dos mesmos ai fica a pergunta? Porque não compram nosso KC-390, que raios de parceria é essa que só eu gasto?” Que pensamento simplista, agora os países só podem fazer comércio se for no “toma lá dá cá”.
que raios de parceria é essa que só eu gasto? Sem falar das empresas alemãs que rasgam de ganhar dinheiro aqui.” Essa foi bem deprimente, nem merece resposta.

OSEIAS

Caro forista, apenas expus minha opinião sobre uma relação comercial que na área comercial de defesa poderia ser melhor explorada, somos todos cientes da força americana. Vejo que muito vem aqui deixar a opinião e ai aparece Deuses cheios de sabedoria para apenas diminuir o pensamento alheio, e mais, não contribui em nada com uma boa argumentação, apenas escreve, “pensamento simplista”, “não merece respostas”. Seja mais produtivo com o forista abaixo que argumentou que na época da assinatura do contrato o KC-390 sofreria atrasos, enriqueça a pauta com bons argumentos e convença as pessoas, exponha seu ponto de vista, acrescente!… Read more »

Salomon

Eu acho que ele está certo. Está cheio de órgãos oficiais e não oficiais de fomento e vendas externas, afora a diplomacia toda, e a reciprocidade passa longe.

NashArrow

“não contribui em nada com uma boa argumentação, apenas escreve, “pensamento simplista”, “não merece respostas”. Seja mais produtivo” Com todo respeito, eu poderia fazer isso, como já o fiz diversas vezes nesta trilogia. Acho que foi recíproco, já que não houve boa argumentação de sua parte. O problema é que seu comentário carece de fontes técnicas, chegando a ser um “cherry picking” de péssima qualidade. Acha mesmo que uma opinião do nível “nós compramos deles, logo eles deveriam comprar de mim” é aceita nos meios especializados ou ensinando em ambiente acadêmico? Opiniões assim não passam de terraplanismo. *Apesar de tudo,… Read more »

Carlos Campos

ele tá mais do que certo, sempre que possível temos que arrancar algo dos gringos, se não der paciência, mas tem que ser assim, eu mesmo compro e ganho milhas, cashback e o GF tem que comprar e nem tentar ganhar uma compensação, por favor ne

Hcosta

E daí vem as contrapartidas mas fazer negócios desse tipo é raro acontecer, de venda e compra simultânea.
É preciso muita coisa estar alinhada para isso acontecer.

Vitor

Não encomendaram porque na época da assinatura o KC-390 estava atrasado e em fase de desenvolvimento de protótipo ainda. Fora que o Governo federal estava no maior escândalo de corrupção do planeta.

Vitor

Angra e Tupi faz décadas. Porém maioria dos investimentos alemães fora da Europa se não me engano são no Brasil. Eles gastam muito aqui, isso é fato. Investem e geram muito emprego. E como empresario sei que já perderam muito dinheiro também no Brasil. Referente as Tamandarés, o contrato dos C-130 foi assinado antes e na época o KC-390 ainda era um prototipo e não tinha IOC. Portanto disso, não podemos cobrar deles pois queriam uma solução madura e o KC-390 ainda estava em desenvolvimento no momento da decisão. Como foi uma decisão Franco-Alemã, e nós não compramos o Rafale,… Read more »

EduardoSP

Vc realmente não acredita que o Brasil tenha alguma capacidade de pressão sobre a relação França/Alemanha/EUA, né?
Nós não somos nada nesse rolo aí.
França lutou com os americanos na guerra de independência deles Os americanos retribuíram lutando duas vezes pela independência francesa. Na frente da casa Branca tem uma estátua bem grande de um marechal francês.
Os EUA derrotaram a Alemanha 2 vezes, mas garantiram sua independência frente a URSS, a reconstrução do país e a sua unificação em 1991.
Eles são parceiros estratégicos.
Nós só somos parceiros comerciais.

Carlos Campos

pelo menos eles vendem materal que depois gera riqueza aqui, agora vamos um caso parecido que Lula queria fazer com a França, Viria Rafale e Submarina depois voltava produtos agro para a França-UE, o que houve? nada! a França desde aquela época é o maior impecilho para produtos do Brasil na Europa, a Alemanha deve pensar parecido, podem falar que não veio Rafale, mas veio caros Subs e ToT, tudo isso a peso de ouro como sempre…

Hcosta

Supostamente o Brasil estará capacitado para produzir submarinos nucleares e convencionais. E daí o preço ser mais caro.

Carlos Campos

E daí que temos que ganhar mais na hora da compra. Compremos de quem oferece mais e melhor. Simpes

Hcosta

Não, quem oferece a tecnologia estará a perder, a correr o risco de perder mercado.
Isto é um negócio, se não quiserem, vão a outro lado.
Se vais comprar um carro o vendedor não tem de comprar o que tens de vender. Pode é aceitar como forma de pagamento.

Carlos Campos

entre países não é assim, além de que vc esquece que offsets são comuns, mas podemos trocar o offset por acordos comefciais, e sim, queria algo, propus a forma de compra com as cláusulas que eu quero, se a pessoa não quiser vender, eu vou atrás de outro vendedor, se ainda assim ninguém quiser a venda da forma que eu quero, eu procuro o menor preço dentro do que minhas nessidades são cumpridas, ponto! é díficil entender que estamos falando de páises, e não estamos falando de escambo, esquece isso e aí poderá entender.

Jodreski

Amigo as coisas não são simples assim… há lobby, nosso produto é novo no mercado, os alemães conhecem bem os C-130 e nosso poder de negociar o KC-390 é limitado, não basta só vender aeronave vc tb tem que ter um financiamento próprio, muita diplomacia, e por ai vai…

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Será que é porque Angra 1 é um reator Westinghouse (EUA) e porque Angra 2 e 3 foram entregues pelos alemães, mas levaram quase 30 anos para instalar Angra 2 e Angra 3 ninguém sabe quando vai ser instalada? Será que é porque o Brasil parou o programa Tupi no meio do caminho e desistiu do seu desenvolvimento? Uma parceria depende das partes cumprirem o que se comprometem a fazer, coisa que o Brasil nunca fez com os alemães…

Fabio Araujo
Rafael Costa

Ao invés de sentar esperando isso acontecer, vou deitar, assim vou me cansar menos. Grande abraço a todos. Uma excelente semana para todos nós.

Willber Rodrigues

Rapaz, se for fazer matéria sobre todas as vezes em que a Argentina “analisa” algum caça ou equipamento militar pra uma “suposta compra”, dá pra fazer um site apenas disso…

Lucas Garcia

Os caras não conseguem dinheiro nem pra comprar uma dúzia de Guaranis, com pagamento parcelado a perder de vista.

E os caras preocupados com MIG-35.

Welington S.

A mimir.

Tutu

Eles já analisaram, Mig-29, mirage 2000, Kfir, Gripen C, Gripen E, F-16, F/A-18, Jf-17 e F/A-50.

Estão sempre analisando.

Leandro Costa

Esqueceu os Mirage F1 ex-Espanha.

Flanker

De novo?

Vitor

Nós perdemos a oportunidade de vender para França e Alemanha devido ao Atraso que as gestões federais passadas impuseram ao projeto. Não so ao KC-390 , como também no PROSUB entre outros.
O Projeto original previa entregas de KC-390 já em 2016. Como atrasaram os clientes ficaram inseguros de encomendar um projeto que ainda estava em “desenvolvimento”.

Nascimento

Atrasaram o FX-2 em 10 anos para financiar o Fome-Zero. E alguns ainda dizem que foram os governos que mais investiram na defesa… Sei… Na verdade os programas apenas tiveram que ser assinados naquela gestões, mas foram subsequentemente atrasados na mesma.

Vendéen

Bonjour tout le monde,

Em 2009 ou em 2O10 (?) Parece-me que a França mostrou interesse no KC-390. Na época, falava-se em uma possível compra de 10 ou 12 aeronaves (?). Também me parece que foi acordado que a Dassault participaria para desenvolver o projeto da aeronave KC-390 desejado pela França (?).
Ocorreu um evento perturbador; O Brasil desistiu da aquisição do Rafale (Brasil nada legal rs). Sério, isso certamente teve um papel na decisão que fez a França abandonar a aquisição do KC-390 (?).

Carlos Campos

ó Brasil pode não comprar o Rafale mas compramos Scorpene e ToT, quanto ao KC acrdito que tenha sido uma conjunto de fatores como o atraso por exemplo.

Vendéen

Sim, tem certamente razão, tais decisões são multifactoriais.
Caso contrário, espero que a Marinha brasileira esteja feliz por ter submarinos Scorpene (3 ou 4 planeados, penso eu).
 Talvez também no futuro NAWS (propulsão nuclear).
Como eu sou um pouco chauvinista rs
Com a grande frente marítima do Brasil, o Scorpene é uma escolha muito boa.

Últimas Notícias

Força Aérea dos EUA desativa 17 bombardeiros B-1B Lancer

A Força Aérea dos EUA terminou de aposentar 17 bombardeiros B-1B Lancer nesta semana, seu primeiro passo para desinvestir...
- Advertisement -
- Advertisement -