quarta-feira, setembro 22, 2021

Gripen para o Brasil

Raytheon ganha contrato de US$ 2 bilhões para desenvolver novo míssil de cruzeiro nuclear

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Raytheon Technologies Corp. recebeu um contrato de até US$ 2 bilhões para desenvolver um novo míssil de cruzeiro nuclear, a primeira grande iniciativa do governo Biden para substituir o envelhecido arsenal nuclear dos Estados Unidos, disse o Pentágono na quinta-feira.

A Força Aérea planeja comprar até 1.000 Long-Range Standoff Weapons (LRSO) para substituir o Air Launched Cruise Missile pela primeira vez em 1982. A nova arma, se colocada em campo, seria transportada em bombardeiros B-52 e B-21.

O contrato da Força Aérea indica que a modernização da capacidade da época da Guerra Fria do país para fornecer armas nucleares por ar, terra e mar continua a ser uma prioridade chave do Pentágono sob a administração Biden depois que foi iniciada pelo presidente Barack Obama e continuada pelo presidente Donald Trump.

Os alicerces da próxima geração da chamada tríade nuclear são o submarino classe Columbia da Marinha, o novo ICBM da Força Aérea conhecido como Dissuasor Estratégico em Terra e uma infraestrutura de comando e controle nuclear atualizada.

O trabalho no novo míssil de cruzeiro será realizado em Tucson, Arizona, e deverá ser concluído no início de 2027. Ele formará a base para uma decisão de produção no final daquele ano, disse a Força Aérea dos EUA no dia 1 de julho. O míssil seria emparelhado com uma nova ogiva W80-4 em desenvolvimento pela Administração de Segurança Nuclear Nacional do Departamento de Energia.

Ogiva nuclear W80-4
Ogiva nuclear W80-4

O AGM-86 deverá ser substituído pelo LRSO

Em sua última revisão dos custos da tríade de longo prazo, o Escritório de Orçamento do Congresso estimou em maio que, se executados, os planos das forças nucleares do Pentágono e do Departamento de Energia custariam um total de US$ 634 bilhões até 2030. A Força Aérea recusou-se a lançar estimativas de custos de aquisição e desenvolvimento de mísseis de cruzeiro.

O contrato “marca nossa próxima etapa na finalização do desenvolvimento, amadurecimento total de nossas técnicas de fabricação e prova” que o novo míssil atende aos seus “requisitos operacionais”, disse a gerente do programa da Força Aérea, Elizabeth Thorn, em um comunicado.

A Raytheon e a Lockheed Martin Corp., sediadas em Waltham, Massachusetts, estavam desenvolvendo projetos concorrentes para o míssil de cruzeiro durante uma “fase de maturação de tecnologia e redução de risco”. A USAF no ano passado decidiu prosseguir com a Raytheon “após uma extensa avaliação da abordagem programática e técnica da contratada”, disse a Força.

A concessão do contrato foi feita enquanto o Pentágono lança uma nova Revisão da Postura Nuclear, que pode reviver o debate sobre a estratégia nuclear dos EUA, os tipos de armas que devem ser adquiridas e seus custos.

FONTE: Bloomberg

- Advertisement -

8 Comments

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Agressor's

As guerras modernas serão de mísseis contra mísseis, o braziu e essas nossas forças armadas estão brincando de segurança e defesa, visto que não temos meios de defesa antiaérea de médio e longo alcance pra nos defendermos….

Bruno

Verdade, fazendo corveta e chamando de fragata. Piada.

Teropode

Brinquedinhos novos para garantir a paz ( nuclear pelomenos ) , neste caso a estupidez perde espaço para o medo da aniquilação , isso é bom e desejável ….

Adriano Madureira

Em sua última revisão dos custos da tríade de longo prazo, o Escritório de Orçamento do Congresso estimou em maio que, se executados, os planos das forças nucleares do Pentágono e do Departamento de Energia custariam um total de US$ 634 bilhões até 2030. A Força Aérea recusou-se a lançar estimativas de custos de aquisição e desenvolvimento de mísseis de cruzeiro”.



Os eua queimarão bilhões de dólares para renovar seu arsenal de mísseis de cruzeiro para fortalecer sua tríade nuclear,e depois tem gente que ainda acha aqui que o Brasil deveria usar nosso parco orçamento em desenvolvimento de armamento nuclear…

Caio

E porque não meu caro? Com o nosso tamanho de Território, com terras férteis e recursos minerais em grande quantidade.
Eu sou plenamente a favor de uns brinquedos desses.
O futuro da humanidade não pende para mais segurança e sim pelo contrário.

Carlos Gallani

Se sua análise for invariável, a Coreia do Norte é uma potência econômica muito maior do que qualquer um imaginária!

Adriano Madureira

Não tem como comparar meu caro ! A coréia do norte é militarmente nuclear as custas das privações que seu povo passa, enquanto os amigos do Rei Momo são uma casta privilegiada, o povo passa restrições…

E a grana que deveria ser investida no bem estar social deles vai para a pasta da defesa.

Pablo Maroka

Agora sim, bomba na cabeça dos bremelhos é refresco!

Últimas Notícias

Embraer amplia o Programa Pool com a Cobham, da Austrália

Singapura – 22 de setembro de 2021 - A Embraer anunciou hoje a assinatura de uma extensão e ampliação...
- Advertisement -
- Advertisement -