quarta-feira, setembro 22, 2021

Gripen para o Brasil

Protótipo estático do caça sul-coreano KF-21 iniciará testes em setembro

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O protótipo estático do caça sul-coreano KF-21 foi movido do edifício de asa fixa para o edifício de teste estrutural. Isso significa que o projeto KF-21 entrará na fase de teste e avaliação em escala real, e o dispositivo de teste, dispositivo de adição de carga, sensor e atuador hidráulico serão instalados em agosto.

O teste principal começará em setembro. O protótipo estático de corpo inteiro é equipado com alguns itens como radar, trem de pouso, motor e cauda horizontal como um mockup, e o resto é uma aeronave estruturalmente completa fabricada da mesma forma que o protótipo de voo.

O teste estático geral está programado para ser realizado por 27,5 meses até dezembro de 2023, começando com o teste de verificação de carga limite para garantir a segurança do primeiro voo.

A KAI abriu a linha de montagem do KF-21 para o Hankyoreh, o primeiro jornal sul-coreano a ter acesso à fábrica.

Durante a visita sem precedentes, vinte engenheiros trabalharam juntos para carregar mísseis no segundo protótipo. “Os aviões não podem ser soldados porque são feitos de alumínio e outros materiais especiais. Montamos a fuselagem e anexamos as asas à fuselagem fazendo muitos orifícios em ambos os lados para inserir rebites. Uma única asa precisa de mais de 10.000 rebites”, disse Lee Il-woo, engenheiro sênior do projeto KF-21. “O interior do caça tem uma estrutura complicada projetada para continuar funcionando mesmo que algumas partes sejam danificadas por tiros durante um dogfight. O equipamento eletrônico vai da cabine até a extremidade das asas”, disse Lee.

O KAI KF-21 Boramae/Fighting Hawk (anteriormente conhecido como KF-X) é um programa de desenvolvimento de aeronaves de caça de geração 4.5 da Coreia do Sul/Indonésia com o objetivo de produzir um caça multifuncional avançado para as forças aéreas sul-coreana  e indonésia. A estrutura é mais furtiva do que outros caças de 4ª geração, mas não carrega armas em compartimentos internos como os caças de 5ª geração, embora os compartimentos internos possam ser introduzidos posteriormente no desenvolvimento.

O programa é liderado pelo governo sul-coreano, que detém 60% das ações do programa. A Indonésia teve uma participação de 20% no programa em 2010, e os 20% restantes são detidos por parceiros privados, incluindo a fabricante Korean Aerospace Industries (KAI). O KAI KF-X é o segundo programa de desenvolvimento de jatos de combate domésticos da Coreia do Sul, após o FA-50.

Em 9 abril de 2021, o primeiro protótipo foi concluído e apresentado durante uma cerimônia de lançamento na sede da KAI em Sacheon. Recebeu oficialmente o nome de Boramae. O primeiro teste de voo está programado para 2022, com todo o processo de desenvolvimento previsto para ser concluído até 2026. A Força Aérea da Coreia do Sul planeja introduzir 40 unidades KF-21 até 2028 e outras 80 unidades até 2032, totalizando 120 aeronaves. Também estará disponível para o mercado de exportação.

Segundo um acordo com a Indonésia, a Coreia do Sul deve entregar um protótipo e tecnologia a Jacarta para fabricar a aeronave na Indonésia, onde o programa de desenvolvimento KF-X é referido como o programa IF-X. O Jakarta Globe informou que a aeronave receberá a designação F-33.

O KF-21 foi apresentado em 9 de abril de 2021

- Advertisement -

18 Comments

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Bó

Há algumas semanas noticiaram que um protótipo do KF-21 estaria a ser completamente desmontado após a apresentação ao público em abril. Será que trata-se do mesmo que será colocado nos testes estáticos?

Juggerbr

Estão atrasados nesta corrida, mas antes desenvolver tarde, do que pagar caro por ToT imaginária…

leonidas

Mas tem nego que confunde ufanismo com patriotismo né? Então consideram algo razoável uma nação do porte do Brasil levar quase 30 anos para comprar míseros 36 caças a preço de F 35 com empresas brasileiras que deveriam receber esta tecnologia abandonadas a própria sorte de modo que são compradas por aquelas que supostamente iriam transferir algo. Então na prática nos compramos o produto a preço bem acima do que seria normal e no fim financiamos a empresa vendedora para que compre as empregas que receberiam a tal transferência. Fora que falar em transferência de tecnologia para uma nação onde… Read more »

Demolidor

China se desenvolveu muito através de ToT as versões Chinesas do SU-30 , Mig-21 , AS-565 Panther, Python III e muitos outros projetos foram fabricados sob-licenca com Transferencia de tecnologia e hoje eles conseguem fabricar muita coisa sozinhos e até copiar sistemas complexos.
A Embraer se desenvolveu muito montando sob-licença MB-326 Xavante e muitos outros aviões no início da Embraer e teve muita Transferencia de tecnologia para ela montar esses aviões.
Se for bem planejado a Transferência de tecnologia pode ser muito boa.
Mas a forma que a Transferência de tecnologia é feita nos projetos militares Brasileiros é ruim.

Last edited 2 meses atrás by Demolidor
leonidas

Eu acho que “ruim” não define bem o nosso contexto, viu colega…rs
Se fosse ruim a gente já teria desenvolvido ou estaria desenvolvendo pelo menos um caça a jato de treinamento na Embraer, nem falo de um caça substituto para o AMX.
O fato é que não existe essa politica, se existisse poderia ser taxada de ruim.
A Embraer existiu até a presente data de teimosa que é, não fosse isso seria uma lembrança como hoje é a Engesa, e se bobear daqui a pouco a Avibras…

Last edited 2 meses atrás by leonidas
Mayuan

Olha bem para o que a Embraer já projetou e construiu. Se eles não produziram um jato treinador ou mesmo um caça até hoje não foi por falta de capacidade mas porque analisaram as variáveis e não julgaram vantajoso.

leonidas

Acho que vc não entendeu nada do que postei amigo.
A Embraer tem capacidade para liderar um projeto de ponta seja de um avião comercial de grande porte seja de um caça pesado.
O problema não é e nunca foi ela, ou a Engesa, ou é a Avibrás.
O problema é um governo e uma nação que simplesmente não tem compromisso algum com compacidade para resguardar sua soberania…

A6MZero

Na minha opinião o KF-21 Boramae é um dos mais belos caças recentes (mas gosto não se discute haha). O grande ponto dessa aeronave é ser praticamente um híbrido entre o 4.5 e 5 geração alinhando características das aeronaves mais modernas mas um custo mais baixo usando soluções já consagradas e menos inovadoras (e não digo isso no mau sentido, mas sim no sentido de aliar inovação e conceitos testado visando algo eficiente e um pouco menos custoso). E realmente espero que seja um caça com mercado, afinal quanto mais unidades estiverem em operação maior minha chance de ver algum… Read more »

Last edited 2 meses atrás by A6MZero
Teropode

Só faltou a baía interna , acho que foi a condição para receberem apoio técnico da Lockheed .🤔

Andromeda1016

A LM transferiu diversas tecnologias como compensação pela venda dos F35 à CS logo foram transferidas sem existência de condições. No resto a LM só prestou serviço de consultoria no projeto revisando detalhes específicos do projeto, logo eles não tem poder de controle sobre o caça. Desta vez a LM não tem poder de veto na venda do caça como tem no FA-50. A baia interna já está aí só não vai ser ativadpo agora.

Last edited 2 meses atrás by Andromeda1016
André Macedo

Imagino a consultoria: “Ai você pede um cheque em branco e coloca mil defeitos na aeronave, pra ela virar um eterno protótipo”

Andromeda1016

Pode ser 😄😄

Teropode

Foi assistência pesada mesmo , superior a que os japas obteve no f2. O resto é lenda .

Teropode

Bobagem , não há baia e não há compensação por venda de F35 ( que a CS implorou para poder comprar) , e a participação no projeto da Lockheed é enorme , aliás ele possuí 90% de recheio americano , portanto tá sujeito a veto de venda sim , não viaje na maionese …..

andromeda1016

Ok. Entendido.

willhorv

Quantos transmissores de pressão, células de carga e sensores de temperatura encrustrados não!? Isso custa muita grana!!!

Andromeda1016

Video sobre o processo de teste do K-21 na KAI. Entrevistas e imagens sobre o procedimento.

https://youtu.be/LQ0FWXr1mig

Last edited 2 meses atrás by Andromeda1016
Nick

Gostaria de ver uma versão do Gripen E com mais características furtivas como esse KF-21. O FS-2020/25 seria o ideal mas aqui é sonhar demais.

Últimas Notícias

Embraer amplia o Programa Pool com a Cobham, da Austrália

Singapura – 22 de setembro de 2021 - A Embraer anunciou hoje a assinatura de uma extensão e ampliação...
- Advertisement -
- Advertisement -