terça-feira, outubro 4, 2022

Gripen para o Brasil

Apresentação do jato IA-63 Pampa III Block II na Argentina

Destaques

Alexandre Galante
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O Presidente da Argentina, Alberto Fernández, juntamente com o Ministro da Defesa, Agustín Rossi, participou ontem, na Fábrica de Aeronaves Argentinas “Brigadeiro San Martín” SA (FAdeA), da entrega oficial à Força Aérea Argentina (FAA) de uma aeronave IA-63 Pampa III Block II.

A aeronave está equipada com um inovador sistema de treinamento e comunicação entre aeronaves em voo que permitirá o treinamento de pilotos em sistemas de aeronaves de quarta geração.

Este processo de reequipamento das Forças Armadas e o desenvolvimento da indústria nacional argentina é possível graças ao financiamento do Fundo de Defesa Nacional (FONDEF).

A FAdeA foi renacionalizada em 2009 e até 2015 apenas um Pampa III tinha sido construído. O jato Pampa III é um projeto atualizado do Pampa II iniciado em 2012.

Entre 2015 e 2019, a FAdeA entregou 3 jatos Pampa III à FAA.

O jato apresentado ontem na verdade está sendo usado para ensaios em voo e não é uma aeronave operacional na FAA.

- Advertisement -

211 Comments

Subscribe
Notify of
guest

211 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carvalho2008

Um ótimo avião da categoria.

Pena que surgiu em momento errado e não decolou na propria Argentina.

Rodrigo M

Cópia (mal feita) do Alpha Jet.

carvalho2008

Não…não é…ele foi feito para ser um projeto mais simples e barato que o AlphaJet. Embora baseado, são de categorias diferentes.
É preciso conhecer os dois projetos para entender as virtudes que cada projeto buscava.

Teropode

De volta para o futuro XXI .

Claudio Pepe

Os Pampas tem radar?

Marcelo Bardo

Creio que não.

JOSE LUIS TERAN MORALES

?????

Alejandro Pérez

Não….

Fabio Araujo

Como a falta de grana tem atrapalhado o desenvolvimento do Pampa e pelo que vejo se não comprarem um caça supersônico o Pampa vai ser o cavalo de batalha da defesa aérea argentina, bem ou mal é o que eles tem de mais novo, mas o ritmo de entrega é assustadoramente lento. O caça começou a ser desenvolvido em 1984 e o primeiro foi entregue em 1988 e de lá para cá nem 30 foram produzidos e em torno de 20 estão em operação!

Claudio Moraes

Fábio Araujo, esse avião aí não é um caça. É um avião de treinamento e que na minha opinião apesar dos esforços da Argentina, mal serve para a força aérea deles. Talvez somente para treinamento e mantenimento da adestração dos pilotos e de produção de aeronaves na Fadea. Vejo esse avião como um produto de treinamento e só.

Camargoer

Olá Claudio. De fato, o Pampa é um avião de treinamento, mas que serve para muitas missões de combate. Assim como o A29 é um avião de combate, de baixo custo e de alta efetividade. A FAB mostrou que para muitas missões, basta um turboélice com boa eletrônica e com bom armamento para fazer muitas missões de combate e até de interceptação.

Claudio Moraes

Camargoer sim, mas penso que para missões de combate o Pampa não é muito eficiente, a função dele basicamente é de treino mesmo. Ele é um produto que pode ser aprimorado, mas a Argentina não tem condições no momento para fazer isso. O A29 sim é capaz de efetuar missões de combate, apesar de ser turboélice, foi pensado desde o começo pra missões de treinamento e combate, é mais robusto, carrega mais armamentos e pode efetuar diversas missões de apoio de ataques de média e leve intensidade.

Fabio Araujo

Ele não é um caça mas na falta de um caça os A4R e os Pampas estão fazendo essa função, essas última versão do Pampa usa os mesmos armamentos dos A4R. E o que eu disse é que se não comprarem caças eles vão ser o cavalo de batalha pois não vão ter outra opção!

Fabrizio

Não usa mísseis e não usa tanques externos. Tb não faz REVO.

Usa bombas burras e Pods 7,62 nas asas é um Pod 20mm no ponto central.

Claudio Moraes

Fabio Araujo, realmente. É o que a Argentina tem no momento. Também acredito que se não adquirirem caças interceptadores, vão acabar ficando com os Pampas mesmo.

Teropode

O Pampa poderia ter sido usado para um processo de evolução tecnologica e isso não ocorreu ,poderiam hoje estar com um caça leve do porte de um M386 , perderam a oportunidade , perderam tempo com o revanchismo , perderam com o orgulho , de boa eu acho que neste momento é mais interessante eles investirem no PUCARA , as novas necessidades contra insurgência requerem vetores baratos de manutenção simples , O Pucara poderia sofrer um processo vitaminado , miras laser , IRST , um radar simples para dar uma melhor capacidade ar ar contra helicópteros e um motor mais… Read more »

Camargoer

Olá Fábio. Comentei algo parecido sobre isso no post sobre os F16 para as Filipinas. Eu fico com muita dúvida sobre a efetividade de um país pequeno operar um esquadrão de caças de primeira linha (como F16, Gripens, Rafales, etc) que são caros de adquirir e operar, contudo são insuficientes como poder dissuasório contra médias e grandes potências militares e acabam sendo ineficientes contra pequenas ameaças. O problema da Argentina é outro, óbvio mas penso em países como Equador, Bolívia, Uruguai (e muitos outros na África, Leste Europeu, sudeste asiático..). Qual a real efetividade destes países manterem um esquadrão de… Read more »

Fabio Araujo

Por isso surgiram os LIFTS que são caças pequenos monomotores, levam poucos armamentos, mas possuem tecnologia de ponta e podem operar os armamentos mais modernos mesmo sendo em pouca quantidade, e o mais importante tem um excelente custo/benefício pois são mais baratos de comprar e operar!

Last edited 1 ano atrás by Fabio Araujo
Gabriel

A cada notícia, relativa ao Pampa, eu lembro da FAA de 1982.

É realmente incrível como se apequenaram tanto.

Ao ponto de 4 ou 5 Pampa e 2 ou 3 A-4 serem toda a aviação de caça da Argentina.

O pior é que a situação não vai mudar em menos de 10 anos, mesmo que resolvam, hoje, adquirir um caça de alto desempenho.

(Marinha e Exército não estão muito diferentes).

Lamentável.

Allan Lemos

Lamentável nada, é melhor assim para que não representem uma ameaça ao Brasil.

João Fernando

Ameaça só na sua cabeça. Não estamos nos anos 50 do Perón. Se bem que naquela época era só questão de vontade deles em derrotar o Brasil. Nem tinha comparação. Hj são o nosso maior parceiro comercial. Erro nosso em não usar o Pampa como lift.

Camargoer

Olá João. Acho que a FAB tem o A29 que cumpriria a missão de um Pampa, contudo acho que você tem razão sobre outra oportunidade de colaboração entre o Brasil e Argentina (e o Chile), como por exemplo na construção de navios de patrulha, carros de combate mas também em vacinas, suprimentos para a área de saúde, etc.

Allan Lemos

Você não entende nada de geopolítica. Irã e EUA costumavam ser “amigos”, tanto é que aquele comprou o F-14 deste, porém hoje são inimigos. França e Inglaterra foram inimigos por séculos, hoje são amigos.

A relação entre dois países pode mudar com o passar do tempo. Interesses mudam. Líderes também. O vizinho sempre tem que ser visto com desconfiança, caso contrário poderá ter surpresas desagradáveis.

Quanto a nós usarmos o Pampa, jamais. deixa esse aviãozinho de papel que ninguém quis para os hermanos mesmo.

EduardoSP

Vc é que está com uma visão limitada. Para evitar conflitos armados nada melhor que integração econômica e interdependência.

Allan Lemos

Interdependência vem às custas da soberania e da identidade nacional. Repare como foi difícil para o UK se desvencilhar das amarras da EU e reaver a sua autonomia.

Claudio Pepe

Tanto LIFT bom, porque comprar esse lixo?

Flanker

A FAB não comprou e não precisa de um LIFT, e se quisesse um, não seria algo como o Pampa e sim da categoria do M346, TA-50, etc…o Pampa está numa categoria abaixo, concorrendo com M345, o próprio A-29, PC-21, ….

Welington S.

Melhor ainda… a FAB poderia muito bem fazer um pedido para que a EMBRAER desenvolva um Lift; ainda mais agora, com toda essa transferência de tecnologia que estamos recebendo desde o início do programa Gripen. Simples!

Carvalho2008

A FAB nao precisa de LIFT na sua composição atual,

Mas se fosse para fazer volume, o melhor lift seria como o proprio F5MF….mas como nao existem mas, o JL-9 será a o ideal…o FTC-2000G tem desempenho igual ou ligeiramente superior aos Mike, com preço de Super Tucano

Welington S.

Usar o Pampa como lift… você só pode estar de brincadeira, né? Nunca

Luiz Antonio

Brasil e Argentina são dois desgraçados unidos pela mediocridade dos seus respectivos povos que produzem políticos e funcionários públicos que ao menor sinal de vantagem, assaltam os recursos públicos de forma endêmica. A maior ameaça para ambos é mudar o caráter dos respectivos povos; um que já nasce propenso a tirar vantagem sobre qualquer coisa e o outro que ao vir ao mundo pensa que é herdeiro da Europa. São ridículos.

Allan Lemos

Mas o Brasil ao menos sabe que é desgraçado, os argentinos pensam que são europeus, como você mesmo disse, e se esquecem que vieram da ralé de lá e são tratados como tal pelos verdadeiros europeus, tal como nós.

Gabriel

Não podemos esquecer que a classe política não é “produzida”, é eleita.

Quem sabe, quando a média moral da população aumentar, tenhamos políticos melhores.

Enquanto as pessoas acharem que a culpa da desgraça é do eleito e não do eleitor, ficaremos correndo atrás do próprio rabo.

Camargoer

Caro Gabriel. Existem dois regimes políticos possíveis. De um lado há a democracia. Do outro existem as não-democracias. A democracia é algo novo na história humana (pouco mais de 200 anos). Ela nasce como uma resposta aos abusos de uma elite absolutista e escravagista contra a maioria da população. A classe política é eleita mas também é “produzida” quando se dificulta o acesso da maioria da população á renda e á educação. Uma sociedade desigual como a nossa dificulta sim o acesso de todos á democracia, reduzindo a opção eleitoral aos nomes “produzidos” pela elite econômica. Lenin escreveu no início… Read more »

LEONARDO BASTOS

Parei em “Lenin escreveu”… Demais pra minha mente “pequeno-burguesa”… rsrsrs

Camargoer

Caro Leo. Um vez vi uma entrevista do Delfin Netto dizendo que ele tinha uma biblioteca sobre Marx muito maior que a de qualquer marxista. O problema de parar de ler no meio é que nunca se compreende a conclusão do texto.

LEONARDO BASTOS

Aproveitando o ensejo, aproveito para indicar-lhe a leitura do livro “O Marxismo de Marx” (R. Aron): https://www.amazon.com.br/Marxismo-Marx-Raymond-Aron/dp/8575811827/ref=mp_s_a_1_1?dchild=1&keywords=raymond+aron+marx&qid=1624753504&sr=8-1

Camargoer

Olá Leonardo. Obrigado pela sugestão. Vou ver sim. Estou querendo comprar o segundo volume da série “escravidão” do Lira Neto. Aproveito e comprarei os dois.

Michel

Muito bem posto, sr. Carmagoer. História da ciência político-social é indispensável a uma nação que deseja ser soberana.
Porque uma nação só se torna soberana quando não abandona os seus cidadãos à miséria, ao ostracismo, à doença e a tantos outros males sociais.
Mesmo que a verdade incomode determinados grupos sociais privilegiados ou outros que pensem que o são, ela precisa ser dita.

Camargoer

Olá Michel. Pois é. Só queria ter mais tempo para ler mais.

Johan

Só falta você dizer que a China é uma democracia.
Concordo que a “elite” brasileira é egoísta retrógrada e etc, mas você conhece uma favela carioca? Já entrou em uma? Conheço bem e sei que nem tudo está nos livros.
Os políticos vem do povo e mostram bem a identidade do mesmo.

Camargoer

Olá Johan. Uma democracia moderna é baseada em quatro princípios. Primeiro no Estado de Direito. Segundo no respeito á soberania popular. Terceiro, no respeito aos direitos humanos. E quarto, na proteção ao meio-ambiente. A China não é uma democracia. Isso é um fato. O regime de partido único é um obstáculo para considerarmos que a China é uma democracia. Eu não entendi o que a favela do RIo de Janeiro tem a ver com o debate, mas eu conheço poucas favelas em outras grandes cidades brasileiras (RIo de Janeiro, Salvador, etc) mas conheço muito bem a periferia de São Paulo.… Read more »

carvalho2008

Mestre Camargoer, incluir meio ambiente como caracteristica democratica é um grande erro. Fosse assim, os maiores poluidores do planeta estariam então automaticamente descartados, lembrando que o Brasil alcança posição de vanguarda. Não há esta relação. Voce jogará toda a europa e USA na lanterninha assim fosse…

Camargoer

Olá Carvalho. Acho que será muito difícil ignorar a questão ambiental daqui para frente. Inclusive, já existe uma proposta que vem ganhando destaque sobre um novo índice RDH, que seria incluir o fator ambiental no IDH. O primeiro pilar da democracia moderna foi o estabelecimento de um Estado de Direito, que encerrou o ciclo de regimes absolutistas. Em seguida, vem a ampliação do direito do voto, primeiro a todos os homens, depois ás mulheres e recentemente aos analfabetos. A ampliação do direito do voto amplo, livre e secreto é a base da soberania popular. Contudo, os eventos da II Guerra… Read more »

carvalho2008

Ainda assim, é uma confusão total….não são conceitos que se relacionam. Pode ser um conceito de desenvolvimento, mas não de democracia, na medida poluição é absolutamente democratico. Eu e voce por exemplo, temos o pleno dominio da poluição que geramos, por meio de nosso proprio consumo. O lixo que geramos é absolutamente em detrimento de nossas opções. Poluição é absolutamente democratico, não obstante diretamente relacionado ao nosso desenvolvimento moral e tecnico. Voce opta pelas embalagens de isopor, pelas sacolas plasticas, pela carro da garagem….pela arquitetura sem arvores ou plantas, por não fazer uma horta na sacada do apartamento… Poluição é… Read more »

Claudio

Estava indo tão bem!
Mas quando citou Lenin eu parei!

Camargoer

Caro Claudio. O mais engraçado é que se eu não tivesse citado o autor, provavelmente você teria lido o comentário até o fim e até concordado com o que estava escrito.

Luiz Antonio

Sim, a classe política é produzida e depois eleita para sacramentar os sonhos e devaneios de um povo totalmente desprovido de valores decentes. Não existe político mau caráter e sim cidadão mau caráter que vira político.

Last edited 1 ano atrás by Luiz Antonio
Camargoer

Caro Luiz. Culpar o povo pelas mazela impostas por sua elite é um erro. O povo não é medíocre. Aliás, ontem (25 de junho) descobrimos que foi um funcionário público concursado que evitou um desvio de R$ 1,5 bilhão em vacinas superfaturadas.

LEONARDO BASTOS

Na verdade, ele apenas apontou equivocos no recibo de entrega das vacinas e q foram corrigidos posteriormente. A questão é saber se os erros foram intencionalmente feitos a fim de burlar o contrato firmado e, em caso positivo, quem seria o responsável! Não se trata de “desvio”, o que se investiga é a possibilidade de querer se provocar um hipotético superfaturamento, caso os recibos não tivessem sido corrigidos! Para maior aprofundamento indico assistir a sessão da CPI…

Mauricio Pacheco

Anda se informando pela Globo ou Folha de São Paulo?

Camargoer

Caro Maurício. Tenho acompanhado os depoimentos ao vivo.

Carvalho2008

Mestre Camargoer, Para a minha sorte ou azar, sempre trabalhei em áreas ligadas a aprovar, fiscalizar, coordenar qualitativamente o serviços de outros. Tinha de analisar e aprovar milhares de contratos mensais. Especificações faturamento, etc. É a coisa mais comum do mundo você receber documentos com não conformidade e você após a análise, ter de devolve-los para correção. Muitas das vezes, voltam com reincidências de erros ou até erros que não havia anteriormente. A área que se preza tem inclusive um indicador de qualidade para isto. Alguns erros inclusive estes com persistência, tem como caracteristica a “persistencia de embates juridicos entre… Read more »

Camargoer

Caro Carvalho. Eu compreendo o seu argumento e concordo que erros em contratos, notas fiscais, invoice, etc, é algo relativamente comum e na maioria da vezes são fáceis de corrigir. O caso da vacina indiana vai além. Uma das coisas estranhas foi a exclusão do artigo da minuta da MP que autorizava o governo federal firmar um seguro para a aquisição das vacinas da Pfizer quando enviada ao congresso, que foi novamente incluído como emenda pelo congresso e vetado depois pela presidência. Este artigo foi depois aprovado por iniciativa do senado, viabilizando a aquisição da vacina da Pfizer. Outra coisa… Read more »

carvalho2008

Mestre, não foi minha leitura. E tambem assisti. O que vi foi um deputado que se encarregou de falar em nome do irmão que estava mudo e nitidamente a contragosto. Parecia que o irmão deputado tinha o levado a força….quase não falava e apenas o irmão deputado falava e respondia as perguntas que na verdade eram endereçadas ao Servidor. inclusive, não so ele….o Presidente da CPI e relator da comissão quase depunham no lugar dos convidados. O fato é que em 72 horas o processo burocratico de acerto de documentação foi regularizado. Algo absolutamente corriqueiro. Outro aspecto importante: Em hipotese… Read more »

Leandro Costa

Carvalho, eu concordo com você em relação aos trâmites de importação. Achei tudo absolutamente normal também. O que eu gostaria de saber é por que esse processo de aquisição foi feita através de um intermediário, quanto esse intermediário está levando com isso, e por que escolheram importar uma vacina sem a aprovação ANVISA. Aliás, se não me engano, se não houver o OK da ANVISA, acho que isso nem poderia ser desembaraçado na aduana, ou se fosse, não poderia ser utilizado. Na minha cabeça, a importação dessa vacina simplesmente não faz sentido a menos que ela seja extremamente mais barata… Read more »

carvalho2008

Num momento de crise pode ser alguma coisa somente ou tudo misturado… Pesquisa facil na web sobre a lesgislação , mais uma para retirar do Gov a atribuição das compras,,,o Consorcio Nordeste… Fica uma mistureba de interesses…digite KIM PAIM….é tanta coisa que voce fica perdido…lembrar que a estabilização das vacinas mal e mal ocorreu somente na virada de abril para maio…quanto mais vacinas melhor e mais rapido voce sai das ondas ou se blinda das novas ondas…não vou entrar no merito ANVISA de aprovação pois é tecnico e tecnico deve ser… A unica coisa que dá para perceber, é que… Read more »

Mauricio Pacheco

E acreditando em uma denúncia de um dos maiores 171 de Brasília, depois do Renan Calheiros é claro!

Camargoer

Caro Mauricio. O correto é desqualificar a denúncia nunca o denunciante. A investigação deve ser feita a partir da existência de indícios. E os indícios são bastante fortes.

Allan Lemos

Caro Camargoer, cada povo tem o governo que merece. O erro é achar que ele é melhor do que a elite. Eu já te disse isso uma vez, usando o exemplo das aglomerações. As mesmas que acontecem no Leblon e em Campos do Jordão acontecem na Rocinha, as únicas coisas que mudam é a cor da pele dos que estão se aglomerando e a paisagem.

A elite brasileira é atrasada, mas o povo também é.

carvalho2008

Me diga quem é da elite que não era pobre 40 anos atras…..obvio todo pais possui aristocracias….mas este pensamento de elite é muito antigo….o problema é de todos….cada um com suas mazelas….

Camargoer

Caro Carvalho. De modo geral, a gente pode pensar em uma sociedade dividida em três classes. Existem os trabalhadores, que são a maioria, que possuem apenas a sua capacidade de trabalho para sobreviver. Tem a elite que possui os meios de produção (os grandes empresários, os grandes banqueiros, o milionários e bilionários). E entre as duas classes, tem a classe média (prestadores de serviço como médicos, servidores públicos, advgados, professores) caracterizada por deter o conhecimento, mas não o capital. No Brasil existe um elevado nível de mobilidade social, mas ao mesmo tempo existe também uma elevada desigualdade social. O fato… Read more »

carvalho2008

Ok grato por não esquecer que a “classe dominante” contem por exemplos dentre muitos outros, os “Ermirio de Moraes” que começaram com ferro velho honestamente…que a mobilidade é grande e portanto, afirmar que quem tem posse atual de dinheiro é o culpado ou domina não justifica, pois são os mesmos pobres que deixaram de ser…então sem vitimas e sem algozes… Mas admito que existem sim muitos que não prosperam sem uma intima ligação política. Estes sim devem ser atacados tanto como as “elites Politicas tambem devem sumir do mapa”…pois ao longo do tempo voce percebe uma parasitose no sistema e… Read more »

Camargoer

Olá Carvalho. Eu acho que é um erro colocar exemplos pessoais para tentar justificar ou refutar uma tese sociológica. Claro que existem inúmeros pessoas que enriqueceram com trabalho, outras que empobreceram, filhos de imigrantes que se tornaram médicos e engenheiros. Estes casos mostram que existe uma mobilidade social. Contudo, quando sabemos que os filhos de pais com nível superior têm mais de 75% de chance de concluir o nível superior, mas os filhos de pais com nível fundamental incompleto tem menos de 5% de chance de concluir o ensino superior, conseguimos entender que o esforço para ascendência social é muito… Read more »

carvalho2008

Mestre, sem dúvida a influencia dos pais é essencial.

Mas é a autodeterminação antes de tudo….o conjunto de valores que a pessoa forma para si mesma…

Meus sogros sempre trabalharam muito, mas não tem nem o ginasio.

Minha esposa no entanto, é Pós Graduada…pela propria determinação, desde criança…

Claudio

Fala sério Camargoer!
Já vimos que sua ideologia a esquerda é grande!
Estamos aqui falando sobre aviões e não debate político!
Contenha-se!

Camargoer

Caro Claudio. O fato de um colega pensar mais á direita ou á esquerda não é mérito nem demérito. O fato de tratar os colegas com educação e respeito já é uma questão de mérito e resultado de muito esforço.

Tallguiese

Pior que vc está certo, por mais chato que seja a situação de nossos povos é isso mesmo. Lamentável!

Marcos Cooper

tirando a ideia de sermos aliados dos argies,concordo com todo o resto. Melhor comentário do ano!

Camargoer

Olá Allan. A Europa mostrou que o caminho para a paz duradoura e para o crescimento econômico e social é por meio da integração dos países. As duas guerras mundiais ocorreram em contextos de corrida armamentista. O Oriente Médio tem repetido este padrão. Seria um erro se a América Latina também adotasse este padrão. Ao invés de considerar a Argentina e o Chile como adversários, é preciso buscar a integração econômica e cultural destes países. Já escrevi isso dezenas de vezes e continuarei escrevendo enquanto for necessário.

LEONARDO BASTOS

O problema é que a Argentina sempre foi quem mais SABOTOU a harmonia das políticas do Mercosul…

GFC_RJ

E a Alemanha tocou o terror na Europa há pouco tempo. Hoje é a líder da CE. O mundo dá muitas voltas para o mal e para o bem.
A Geografia não tem partido, nem ideologias. Nosso entorno é esse e é com esse que temos que nos integrar.

Allan Lemos

Camargoer, as duas guerras mundiais aconteceram porque tinham que acontecer, é a natureza humana fazer a guerra. Ela é a política por outros meios, como bem disse Clausewitz.

A integração econômica não é o principal motivo de não haver mais guerras na Europa, mas sim a necessidade de unirem-se contra um inimigo comun(URSS/Rússia) e o fato de dois dos países mais fortes possuírem armas atômicas.

O nacionalismo é e sempre foi importante para a proteção da identidade nacional e dos interesses de cada povo.

A Argentina não é nossa amiga, ela é uma adversária pela liderança da região.

Camargoer

Caro Allan. Sobre a Grande Guerra, recomendo o livro “Os Sonâmbulos” sobre a origem da guerra. Dizer que uma guerra é uma consequência fatalista me parece bastante equivocado. Uma guerra assim como um período de paz resulta da decisão de pessoas. Nada há de natural nisso. O nacionalismo é algo recente na história humana. A ideia que as pessoas estão unidas em torno de uma ideia de pátria é algo novo. Por muitos muito mais tempo, as comunidades forma mantidas por laços de religião, ás vezes de língua e em grupos menores, por tradições culturais.

Leandro Costa

Aconteceram porque tinham que acontecer? Qual sua teoria mirabolante que explica essa besteirada? Vai botar isso na conta do Clausewitz ou do Ludendorff?

Allan Lemos

O que acontece quando o interesse de duas ou mais potências se chocam? O que acontece quando uma potência tenta destronar a outra? Estude um pouco de história, amigo. As Guerras Médicas, as Guerras Púnicas, a Guerra dos 100 anos, as Guerras Otomano-Húngaras, a Guerra Franco-Prussiana. Todas têm a mesma raiz, a busca pela dominação regional e/ou mundial, embora possam ter diferentes casus belli. Sendo assim, é óbvio que a busca de poder da Alemanha e a obstinação da França e do Reino Unido em defender suas posições como potências globais acabaria levando a uma guerra em larga escala. Então… Read more »

Leandro Costa

Nossa! Abriu os olhos agora. Azar o desse pessoal maluco que estuda guerras passadas para tentar evitá-las no futuro. Ou quem sabe algumas várias Guerras foram evitadas em se aprendendo com o passado? Quem sabe, né? Só sei que está perdendo seu tempo aqui. Deveria estar dando aulas em Harvard! Os caras não chegaram à esse patamar de iluminação, com certeza! Quem sabe a gente até aprende à aplicar os ensinamentos de Clausewitz aonde ele tem que ser aplicado!

Allan Lemos

Cara, até mesmo no mundo animal acontecem “guerras”, com quando um bando de leões enfrenta um bando de hienas ou uma alcateia de lobos tentando tomar o território da outra. Se o seu vizinho desrespeitar a sua mulher, haverá uma “mini-guerra” sua contra ele(se você não for um frouxo). O conflito é inerente à natureza dos seres vivos, lutas por território, pelos direitos de reprodução, pelos recursos naturais, ou ainda por poder, por glória ou por política(no caso humano). Se você acha que algum dia será possível viver em um mundo totalmente sem conflitos, então você está viajando. Assim como… Read more »

Allan Lemos

Espero que não haja nunca integração cultural com os argentinos. Eles têm sua identidade, e nós a nossa.

O globalismo não trará a paz, apenas levará todos os países para o mesmo buraco juntos. Todos caminharão abraçados em direção ao mesmo futuro sombrio.

Camargoer

Caro Allan. É comum que em grande cidades existam regiões caracterizadas culturalmente, muitas vezes decorrentes da imigração. Estes bairros costuma ser integrados culturalmente com o resto da cidade, com festas, eventos, festivais etc. Nos casos em que não ha esta integração, o resultado são guetos. Os festivais folclóricos e gastronômicos da comunidade japonesa em SP (tanto na capital quando no interior) seria um bom exemplo. Comida deliciosa, oficinas de mangá, bonsai e origami, apresentações de kendo, de taiko. de danças, karaokê… ainda aproveitando o exemplo da comunidade nipônica, a cultura japonesa está bastante integrada. Também é curioso que em Yokohama… Read more »

João Fernando

Amigo vc pelo menos sabe onde fica Buenos Aires? Se conhece, já conversou com um argentino letrado? Experimente apenas uma vez, ir para Buenos Aires e entre numa livraria antiga. Puxe pago com os velhos. Se identifique como pesquisador. E converse. Eu fiz isso diversas vezes. Pensava como vc. Descobri que a Argentina tem um povo educado, cordial e gente boa. E qdo estiver no avião, tente ver pela janela a linha que separa o Brasil da Argentina. Não existe. Somos uma coisa só, procurando o mesmo. Vá para a Argentina, e mergulhe de cabeça. Vc vai gostar.

Flanker

Tem linha, Sim…..aqui no RS é o rio Uruguai…..quanto ao povo argentino, vc não pode tomar como base Buenos Aires, pessoas letradas, frequentadores de livrarias……essa é parte mínima do povo argentino…..assim como seus pares brasileiros o são aqui, desse lado do rio. Mas, é tua opinião e respeito, mesmo discordando.

Allan Lemos

Pensava como vc. Descobri que a Argentina tem um povo educado, cordial e gente boa. Realmente, aqueles que sempre nos chamaram de “macaquitos” em jogos de Libertadores são realmente muito cordiais e educados. Inclusive o seu presidente, que dias atrás nos chamou de selvagens enquanto que eles são os “civilizados”. Poupe-me. Não existe. Somos uma coisa só, procurando o mesmo. Não, não somos. Somos uma coisa e eles outra. Existem barreiras invisíveis não só entre nós e os argentinos, mas também entre nós e o resto da América Latina. Vá para a Argentina, e mergulhe de cabeça. Vc vai gostar.… Read more »

Leandro Costa

Isso aí… vamos tomar como amostra os torcedores de torcida organizada de algum time de futebol para julgar se um povo inteiro é ‘válido’ ou não. Muito bom. Prático. Evita o esforço de realmente pensar e conhecer. Bem brasileiro mesmo.

Renan

Já ouviu falar de rádio PX? Tipo aqueles que os caminhoneiros usam bastante? Pois é, eu falo no rádio a mais de 30 ANOS e “macaco preto” (e em tom ofensivo sim senhor..) é como os argentinos gostam de nos chamar lá. Entre outras coisas que nem convém repetir aqui.. . Não acredita em mim? Não precisa.. Pergunte para qualquer caminhoneiro que fale no PX. Além disso, tenho amigos que já moraram lá e já me confirmaram que o argentino comum é muito racista sim. . Mas cada um acredita no que quiser não é.. Tem gente que acredita no… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Renan
Leandro Costa

Não vejo muita diferença do caminhoneiro Brasileiro médio, pra ser sincero. E sim, já ‘ouvi’ falar em PX por um acaso. Também já escutei falar na LABRE, então fique sossegado. Conheço muitos Argentinos, e até agora o que mais verifiquei perto deles são Brasileiros fazendo piadinhas ao invés do contrário.

Renan

O brasileiro ou argentino médio é aquele torcedor que vai ao estádio gritar pelo seu time, o caminhoneiro que fala no rádio, o seu Zé do açougue etc.. O país É ISSO, é feito de pessoas comuns.
Ao que parece, para você é preciso escolher uma casta de preferência com histórico de várias viagens internacionais e no minimo Doutorado no Curriculum, livros publicados etc, para representar adequadamente o país.
.
Apenas expus o que já vi, vivi ou me contaram, mas como disse, cada qual acredita no que quer acreditar. Livre opinião.

Leandro Costa

Sim, porque obviamente a amostragem que vale é aquela com a qual nós temos contato ao invés de uma amostragem verdadeira, né? É por causa disso que ainda tem gente achando que cloroquina resolve casos de covid…

Renan

Se tiver interesse, leia (Provérbios 17:28) pode ser uma lição de vida para seu caso.
Abraço.

Camargoer

Olá Leandro. Faz anos que alerto sobre esse problema de tomar o senso comum ou a experiência pessoal como referência. Normalmente, ou quase sempre, nem o senso comum nem a experiência pessoal tem validade estatística. Um excelente exemplo disso é o medo que as famílias têm de desconhecidos ou de moradores de rua, enquanto que mais de 95% dos casos de agressão infantil e infanticídio ocorrem dentro das famílias, causados por pais, tios, cunhados e padrastos. Tem dois livros muito bons, “O andar do bêbado” e “Viver é perigoso” que trazem muitos exemplos. Também tem um livro de um sociólogo… Read more »

Allan Lemos

O Presidente da Argentina é um exemplo bom o bastante para você?

Leandro Costa

À julgar pelo nosso próprio Presidente, ficam elas por elas. Serve como parâmetro de equalização para você?

Allan Lemos

O nome disso ai é “whataboutism”.

Carvalho2008

Eu sou a favor do globalismo irrestrito. Queira Deus que um dia exista apenas uma economia global, sem divisas de paises e que um cidadão nascido no Senegal, Brasil, indonesia Alemanha e Eua estejam dentro das mesmas leis e voto eleitoral. Isto nao quer dizer que até lá muita coisa não tenha de se ajeitar, com muito cuidado e respeito a todos, inclusive a vigilância de todos pois até la, muitos consensos deverão ocorrer sem a imposição e dependência. Nada contra doar a Amazonia se doarem para mim Washington, Paris, Londres, Moscow Pequin….eu votando onde desejar, a pagando imposto e… Read more »

Allan Lemos

Mas que papinho hippie sem noção rsrsrs. Duvido muito que quem é da Escandinávia algum dia vai querer se misturar com o pessoal do Senegal, do Brasil ou da Indonésia. Assim como os americanos não querem se misturar com os latinos. Assim como os britânicos não querem se misturar com árabes. E eu sei que nós aqui somos um povo ferrado, mas acho que a maioria aqui também não tem nenhum interesse em se misturar com quem é mais ferrado que nós, como paraguaios, venezuelanos ou bolivianos. O melhor é que cada um fique em seu quadrado. Misturar países desenvolvidos… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Allan Lemos
carvalho2008

nossa geração não….mas a geração nova ou as proximas…. o mundo já está cheio de migrantes…florida voce nem consegue exercitar ingles…..Nova York tem Indiano e latino por todo lado….Universidades repletas de Iranianos, Indianos e outros alunos estrangeiros….Paris nem se reconhece mais….Alemanha idem….da mesma forma que muitos brasileiros desejam viver nos EUA, muitos outros buscam locais melhores….o que vemos hoje é somente o inicio…daqui a 3 gerações….quem sabe….a meninada é doida por QPOP BTS….A America do Sul não tem a menor ideia do que é imigração de verdade….aqui ainda é muito pouco em termos numericos…os morros cariocas ficaram proximos de Copacabana….os… Read more »

Fernando C. Vidoto

Vc tá com uma visão otimista mesmo.

Provavelmente nunca entrou em contato com pessoas de fato da cultura norte americana ou européia.

Participei de um fórum internacional de assuntos militares e sofri discriminação só pelo fato de dizer ser brasileiro. Eles tratavam mal latinos e asiáticos (Malásia, Indonesia e Índia).

Att.

Camargoer

Caro Fernando. Por outro lado, na comunidade científica, o fato de um pesquisador ou estudante ser de outro país é sempre comemorado e celebrado. Talvez seja o caso de trocar de comunidade.

Carvalho2008

Nao apenas participo como ja fiquei la em US….indico participar do SecretProjects britanico. A elite dele é formada por ex engenheiros da industria belica inglesa e americana e obvio, entusiastas tambem….mas veja, como tem este pessoal senior ai, os adolescentes mentais que normalmente pululam os blogs ficam sob controle….grande parte dos projetos que me referencio vem de lá….e lá nao tem achometro…

Carvalho2008

O HiSutton tambem é excelente e tambem participa lá…

Leandro Costa

Engraçado… participo de um a décadas e sou extremamente bem tratado.

carvalho2008

PS: Sou um Treker…e para um Traker…a Federação do Planetas Unidos por obvio somente ocorreria com um Planeta unido….

Flanker

??????

Carvalho2008

Uai… de Genio e Doido todo mundo tem um pouco….

Marcelo Baptista

Flanker, somos um grupo que acredita que no futuro seremos apenas humanos. hehehe

Last edited 1 ano atrás by Marcelo Baptista
Leandro Costa

Trekkies… Star Trek…

Ent1701.jpg
Marcelo Baptista

To contigo, Vida Longa E Prospera.

carvalho2008

comment image

Leandro Costa

Vida Longa e Próspera… mas lembre-se que nos unimos apenas depois do Primeiro Contato 😛

carvalho2008

comment image

Leandro Costa

Carvalho, eu gostaria muito de embarcar nessa, sendo fanzoca de Star Trek como sou, mas infelizmente sou mais realista nesse sentido e acho que ainda temos que comer muito feijão com arroz como raça para chegarmos lá. Até lá, o velho jogo para se chegar à desenvolvimento com segurança continua, mas aos poucos…. bem aos poucos… vai mudando.

carvalho2008

comment image

Toda a realidade começa com um desejo…

Até lá, vigiar e boa construção e protege-la…

Marcelo Baptista

Não existe integração cultural nem entre cidades no mesmo estado, veja a diferença entre a capital de São Paulo e o seu interior. Realidades completamente diferentes, e sei pois vivo entre os dois pontos. Então entre países menos ainda, o que existe é influencia cultural, por exemplo, alfajor (cacete! como eu adoro comer esse negocio!) ou tango, e do nosso lado, o samba, e as novelas. Mas eles continuam Argentinos e nós Brasileiros. Um ótimo exemplo é o Jiujtso, hoje temos a variante brasileira reconhecida no mundo todo, pegamos algo de outro pais e adaptamos para a nossa realidade. Graças… Read more »

Leandro Costa

Integração regional não tem absolutamente NADA a ver com perda de identidade cultural. Pergunte aos Franceses se eles se acham portugueses ou se os Alemães se acham iguais aos Espanhóis.

Nós como Brasileiros moramos em um país multicultural em que conseguimos separar as diferentes identidades regionais por suas culturas e ainda integrá-las numa boa. Vide Nordestinos, Indígenas, Cariocas, Paulistas, Sulistas, etc. Temos culturas bem diferentes aqui dentro. Sempre tivemos e sempre conseguimos integrá-las às diferentes regiões sem a perde de identidade local.

Allan Lemos

Integração regional não tem absolutamente NADA a ver com perda de identidade cultural. Pergunte aos Franceses se eles se acham portugueses ou se os Alemães se acham iguais aos Espanhóis. Você não sabe de nada. Vários atentados aconteceram na França justamente por causa que os imigrantes muçulmanos consideram certos aspectos da cultura local ofensivos à fé deles. Há vídeos na internet onde mulheres são agredidas e roubadas por imigrantes e certos bairros da França parecem guetos. Integração cultural implica perda de identidade porque duas culturas quase nunca irão viver em harmonia, principalmente aquelas mais inferiores como as africanas e as… Read more »

carvalho2008

Mestre Allan, mas isto é um inicio ou ou fim…? Toda a mudança traz choques e conflitos…mas no final…tudo se resolve…

Quando Italianos vieram ao Brasil, quando Irlandeses foram a Nova York….devemos negar o mundo de hoje pela acomodação que houve no passado com conflitos?

Se o mundo está pequeno hoje….não estará menor ainda amanhã?

Allan Lemos

as diferentes identidades regionais por suas culturas e ainda integrá-las numa boa

Que piada. Eu não sei em que bolha você vive, mas certamente nunca viu como pessoas com o sotaque nordestino são tratadas em SP.

carvalho2008

Sou filho legitimo de pais de Guarabira….Esposa filha de Baianos Conceição do Coité….os espinhos que surgem no caminho não foram maiores que as flores colhidas…os Sotaques do Paulista de hoje já não são mais iguais aos do Paulista de 70 anos atras…

Desconheço Japonesa que não adore Feijoada, não dance como Brasileiros, nem Arabe que não vá a praia, inclusive suas mulheres….

Adoro Esfiha…povo bonito….deu-nos o alfabeto e numeros Indo Arabicos…

Transição é uma coisa….depois da acomodação é outra…Brasil é exemplo que quebrou tudo isto até agora….

30 anos não é nada…depois de 30…..

Fabio Araujo

E se resolverem o problema da falta de sobressalentes para o assento ejetor terão os SEF da marinha, os únicos supersônicos.

Flanker

Os Super Etendard não são, e nunca foram, supersônicos. Podem alcançar Mach 1 em condições bastante específicas e sem cargas externas. Seu motor nem mesmo tem pós-combustor.

Renan

Engraçado como sempre lamentam e têm soluções mágicas para todo mundo.. Argentina, Rússia, China, Zamunda, Cochichina etc etc..
Será que eu estou errado, pois eu espero é que todos se explodam mesmo.
Torço em primeiro, segundo, terceiro, décimo lugar.. pelo Brasil e só.

Marcos Cooper

Lamentável? Tô nem aí pros argies! Quero que eles se quebrem de vez…

Camargoer

Caro Marco. Praticamente 1/3 da exportações de produtos industriais brasileiros é feita para a Argentina. Se por acaso seu desejo fosse atendido, o impacto sobre a economia brasileira seria desastroso. A indústria brasileira ainda opera com elevados níveis de ociosidade e com elevada taxa de desemprego. Caso a Argentina “quabrasse”, isso se refletiria imediatamente na indústria brasileira, elevando as demissões e reduzindo as exportações.

Marcos Cooper

Digo na área militar caro Camargoer.

Camargoer

Olá Marcos Infelizmente, Brasil e Argentina ainda tem poucos programas de colaboração na área militar. O Guarani poderia se tornar um exemplo de ampla colaboração entre os dois países. No PN eu sempre defendi um programa integrado de construção naval, inclusive com a participação do Chile. Se cada um dos três países não tem escala de produção, os três juntos conseguiriam implementar um amplo programa de construção naval conjunto para equipar as suas marinhas. Os inimigos do Brasil estão longe da América do Sul.

Marcos Cooper

Caro Camargoer,sempre a ideia de uma unificação na escolha do novo caça da fab e da FACh à época dos Programas F/X e Caza 2000. Podeiam ter seguido exemplo europeu que escolheu F-16 nos anos 70.
Lembro muito de uma entrevisita do Comandante Rolim quando ele explicou os motivos da aquisição conjunta dos Airbus com a LAN Chile uma outra empres,que agora me fugiu nome. Disse que a unica maneira de pobres conseguirem uma boa negociação com airbus ou Boeing era se unirem fexharem uma grande . Celebres palavras do saudoso Comandante Rolim.

Allan Lemos

Camargoer, qualquer programa militar com a Argentina poderia fazer com que os britânicos deixassem de nos ver com bons olhos e eles têm muito mais a nos oferecer do que nossos vizinhos(o Gripen está cheio de tecnologias do Reino Unido). No mais, os argentinos não têm dinheiro ou comprometimento com suas forças armadas, sem contar que estaríamos fortalecendo um rival regional. Por isso, não deve haver nenhum tipo de colaboração militar com a Argentina, no máximo a venda de alguns Guaranis ou outros produtos menos estratégicos.

Camargoer

Caro Allan. Pelo contrário. A existência de um colaboração entre Brasil-Argentina pode significar a garantia que a Argentina não voltará a se aventurar em uma nova guerra. Durante a Guerra das Malvinas, o Brasil se colocou em uma posição de neutralidade (desde que a Inglaterra não colocasse tropas no continente). Por anos, o Brasil foi considerado um mediador diplomático confiável (a não ser nos anos recentes sob o comando de Ernesto Araujo, que acabou demitido por pressão do Senado devido a sequência de erros. Lembrando que sempre fui um crítico dele e de outros ministros que acabaram demitidos também).

Allan Lemos

Não adiantaria nada o Brasil ter um navio se ele for igual ao dos vizinhos e não superior. É preciso sempre estarmos um passo à frente para mantermos a superioridade militar, isso significa usarmos equipamentos melhores.

Camargoer

Caro Allan. Isso depende sobre o tipo de navio. Por exemplo, NaPaOC não são navios de combate. São pouco armados porque não são construídos para combater outros navios de guerra, ao contrário das corvetas, fragatas e submarinos, que são navios de combate. O poder naval deve ser comparado entre os inimigos potenciais nas circunstâncias prováveis de combate. Um exemplo de uma corrida armamentista seria o Paquistão e a Índia. Neste caso, a disputa é óbvia. Por outro lado, a maioria das relações entre países que fazem fronteiras desde o fim da II Guerra são marcadas por relações de colaboração em… Read more »

Heinz Guderian

Agora botaram medo no ingleses!
Brincadeiras a parte, a Argentina vai ser isso ai por muito tempo, o país está quase quebrado, 42% da população está na pobreza, na Argentina você vende o almoço pra comprar um pão na janta.
Efeito de políticas públicas e econômicas desastrosas, de muito tempo.

Caio

E a sina latino americana e da maioria dos países em desenvolvimento. Quando conseguem estabilidade econômica e avanços financeiros simplesmente torram a grana, como se a situação fosse durar parar sempre. Eles os “””hermanos”””” que tiveram grande estabilidade nós anos 80 do século passado, com a dolarizacao e nos recentemente, fomos exemplo disso.

Camargoer

Caro Caio. O exemplo recente da história brasileiro mostra que existe uma real luta de classes em torno do controle dos recursos públicos. Mostra que quando o orçamento público passa a privilegiar a maioria da população, a elite (do atraso) reage. A crise brasileira nada tem a ver com gastança, mas tem a ver com o corte dos gastos sociais e com os investimentos públicos.

Caio

Caríssimos quase concordo com você em tudo, sendo que na gastanca, conto Copa do mundo, olimpíadas e 10 bilhões de dólares, no metrô para a zona sul da cidade do Rio de Janeiro, Leblon e Ipanema, dois dos bairros de maior renda da cidade.

Camargoer

Caro Caio. O investimento em transporte é apenas uma fração do investimento público. No caso do transporte de massa, como metrô e corredores de ônibus, isso depende de uma matriz de destino/origem. O fato de uma determinada linha passar por uma área rica ou pobre da cidade depende do mapa de circulação da cidade. Em todas as grandes cidades do mundo, a rede de metro é radial, partindo das áreas centrais em direção á periferia, passando prioritariamente pelas regiões de maior densidade. A rede de transporte público serve para levar as pessoas (independente da renda) das regiões predominantemente residenciais para… Read more »

Flanker

Camargo, respeito muito tua postura elegante e educada, mas a historia recente do Brasil mostrou como se gasta mais do que se arrecada, como gastar como se não houvesse amanhã, como assaltar e saquear estatais, etc……e mostra tb que o povo, cansado disso, votou em alguém que discursava de forma veemente contra tudo isso…..só que o eleito usa a máquina para fazer populismo, além de falar e fazer bobagens diariamente. ….resumindo, o Brasil está polarizado entre o roto e o esfarrapado…..

Camargoer

Olá Flanker. Obrigado pelas palavras. Também gosto muito do modo respeitoso que você coloca o debate. O problema nunca foi gastar mais do que arrecadação. Este limite é real para famílias e empresas, que precisam da renda antes do gasto (por exemplo, obtendo um financiamento, um empréstimo, um salário). Contudo, o Estado não precisa arrecadar antes de gastar. O normal é que durante os períodos de recessão, o Estado gaste mais do que arrecada para sustentar a atividade econômica, aproveitando os períodos de expansão econômica para resgatar a dívida. Um exemplo disso foi a acumulação de reservas cambiais durante vários… Read more »

Carvalho2008

Mestre Flanker, ninguem gosta do bolsonaro. Ninguém… O problema é que o povo detesta mais ainda a corja toda de todas as bandeiras partidárias que fazem esse a lambança aí…se alternam loteando o GOVERNO e canibalizando tudo…. Os ditados populares são afirmações de suas reais crenças: – Gigante adormecido!!, – O Brasil só não cai mas s no buraco porque é maior que o buraco!! – O Brasil é um país rico, só não dá certo porque roubam!! Então meu amigo, a sociedade tem total consciência de que este pessoal ai rouba e suga nosso dinheiro adoidado e que isto… Read more »

Camargoer

Caro Carvalho. Creio ser necessário separar o debate sobre o atual governo em pelo menos três tipos. Gostar/Não-gostar do atual presidente é uma opção pessoal mas também irrelevante para o debate. Essa opinião se expressou nas eleições passadas e se expressará nas próximas eleições. Como essa discussão envolve valores pessoais e morais, acaba sendo uma discussão inócua. O segundo tipo de debate para mim é mais importante e deve ser feito sobre as ações do atual governo. Quais foram as prioridades escolhidas para os gastos públicos, quais foram os setores sociais privilegiados? Esta é uma discussão material feita sobre fatos… Read more »

Johan

Várias obras pararam por falta de dinheiro. É notório que houve gastos acima do teto de gasto. Por isso sempre é o mesmo resultado: quebradeira. Vimos isto na Venezuela, estamos vendo agora na Argentina e, quem sabe teremos no Brasil.
Para você pode ser” normal” gastar o equivalente a construção de 7 estádios para reformar um único estádio.
Só para refrescar a memória curta ou seletiva:
https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2021/06/25/cabral-e-empresarios-de-onibus-sao-novamente-condenados-na-lava-jato.ghtml

carvalho2008

Existe sim uma luta de classes, de classes politicas, empresariais e sindicais….não entre si mas macomunadas para mamarem os recursos publicos.

Vejam o lucro faraonico das estatais de uma hora para outra. Deu tempo de lançarem receitas novas com novos produtos? Não! aumentaram as Receitas? Não!! Mudaram processos Estruturais??? Não!!! Nem deu tempo….Ahh Demitiram então funcionarios?? Não!!!!?…então mudaram as verbas, as gastanças, os contratos, as licitações….so sobrou isto….e isto atraiu muito odio e gente que perdeu interessada….de todos os lados

carvalho2008

comment image

Camargoer

Olá Carvalho. Acho um equivoco imaginar que exista uma “luta de classes” entre a sociedade civil e o Estado. A luta de classes ocorre pela controle do Estado. De um lado, há a classe financeira e empresarial, que tenta assegurar a manutenção de seus privilégios (esta classe sempre teve o controle do Estado). Do outro, há o advento da classe assalariada, que aparece a partir da urbanização e industrialização do Brasil, que cresceu em tamanho e vem pressionado por direitos e distribuição de renda. A manutenção da estrutura tributária que privilegia impostos indiretos ao invés de imposto de renda) poderia… Read more »

carvalho2008

Qualquer ato revolucionario é em si uma ruptura… E ruptura significa mudar a regra do jogo… Já fui bem claro sobre isto….nada contra e sou muito a favor de evoluir a regra do jogo…mas mudar a regra do jogo no meio do jogo significa impor uma lei fora da lei ou regra e transgredir a lei boa ou ruim que foi acordada dentro da regra do jogo. Enfim, significa roubar na regra do jogo para impor a nova regra…e a historia e para quem é sabio, viu e vê que não acaba bem…. Portanto a ruptura leva a um desrespeito… Read more »

737-800RJ

Essa deve ser a base da aviação deles pra essa década: alguns Pampa III e um esquadrão de Tejas ou JF-17, dependendo de quem fizer a melhor oferta. Pra quem não tem nada hoje, tá ótimo.

Fabio

Esperando a versão chinesa …

Larri Gonçalves

Bom Dia ! O problema da Argentina é mesmo dinheiro, se eles tivessem recursos teriam uma indústria bélica bem avançada, conheço a Argentina desde muito pequeno e visito esse pais a muitos anos, não acho pelo que ví e conversei com argentinos que tenham alguma intenção bélica contra o Brasil, isso foi criado nos anos que antecedem esse século e após alguns conflitos no período do Brasil Império, mas no Brasil Império o Brasil teve conflitos, guerras contra Uruguai, Argentina, Paraguai, nossos vizinhos mais próximos no cone sul, fui militar durante o período do final dos anos 70 e início… Read more »

Allan Lemos

Não irão secar. O Reino Unido é uma grande nação com um povo de primeira categoria a Argentina é republiqueta ralé com um povo de quinta. As Falklands jamais serão devolvidas, o que é ótimo para o Brasil.

Rinaldo Nery

Qualquer menção de crise militar entre Brasil e Argentina beira o ridículo. Particei de três CRUZEX com eles. Companheiros de turma cursaram o CPEA na Argentina. Hoje a Argentina tem é que cuidar da pobreza e da fome do povo. O peronismo (ainda vive) é o atraso deles. Como se o getulismo ainda vivesse aqui.

Camargoer

Olá Cel.Nery. Há anos repito que o Brasil e a Argentina estão com seus destinos atrelados. Governos passam, mas os dois países continuarão fazendo fronteira um com o outro por gerações. É óbvio que uma relação colaborativa e amistosa é muito mais proveitosa que uma relação conflituosa. Por outro lado, acho que os problemas da Argentina e do Brasil tem menos a ver com o período dos anos 40/50 e mais com o que ocorreu nos anos 80/90.

Rinaldo Nery

Camargo, acho q raiz dos problemas está no peronismo, q causou tudo, inclusive o golpe militar. O kirshnerismo é um filhote do peronismo.

Johan

O Peronismo se perpetua através do tamanho do “estado”

Screenshot_20210626-202518.jpg
Camargoer

Olá Cel.Nery. Eu precisaria estudar mais o peronismo, mas por outro lado gosto muito da biografia de Getúlio escrita pelo Lira Neto. A revolução de 30 ocorre em um contexto de crise da república velha mas também de crise do capitalismo. A revolução russa ocorrera há pouco mais de 10 anos e o fascismo nascido na Itália parecia ser a resposta capitalista apropriada para o impasse. Também é preciso lembrar da depressão de 30 que atingiu o mundo, inclusive no Brasil que ainda era dependente das exportações de café. O segundo momento varguista seria o período da II Guerra e… Read more »

Juggerbr

Acho que é pior que o Getulismo, pois aqui a economia era tratada com medidas ortodoxas, lá eles fizeram muitas bobagens sem sentido, como paridade com o dólar.

Bruno Moura

Antes de Getulio , só produzíamos café e cana de açúcar … escapamos do feudalismo e das Tordesilhas, direto para o século 20 , trabalhadores pularam da semi escravidão e tiveram seus direitos adquiridos…. Brasil naquela época ,tinha inflação controlada , divida externa e juros bancários , muito baixos , apesar dos erros , continuamos nos trilhos com JK e aos poucos deixávamos de ser um país satélite , e começávamos a ” incomodar ” o andar de cima ,,, a intervenção veio na hora certa ( Para eles ) Fomos caçar comunistas, imaginários debaixo da cama enquanto , a… Read more »

Flanker

Getulio era tão ou mais ditador, tão ou mais golpista, tão ou mais ditador que os militares a partir de 64……não defendo os crimes cometidos por ambos governos em seus períodos. Os comunista e, apesar de não terem nem perto da força que os militares pregavam que eles tinham, e existiam, sim. Grupos armados, com inspirações soviéticas e chinesas…..esses grupos eram o que? Capitalistas liberais? O problema é que esses comunas eram uma doença, mas o remédio -militares – foi quase tão destruidor quanro a doença que se propunha a evitar.

Camargoer

Caro Flanker. Acho muito difícil comparar o contexto do início do Sec XX que emoldurou a revolução de 30, com o da Guerra Fria nas décadas de 60/70. O Brasil era essencialmente um país agrário e dependente da exportação de café. Além disso, a revolução russa era recente e pairava como uma ameaça ás elites agrárias da República Velha. Neste contexto, o fascismo italiano surgia como uma solução para a crise capitalista das décadas de 20/30 que foi agravada pela depressão de 30. Naquele contexto histórico, o fascismo parecia a solução para a crescente pressão dos trabalhadores por direitos trabalhistas… Read more »

Nascimento

Não entendi por que passar pano pras atrocidades do Estado Novo e criticar as do Regime Militar… O Brasil viveu impasses políticos muito antes, e sem interferencia direta dos EUA/CIA, mas como inspiração ideológica, um exemplo claro foi a Revolta de Aragarças e Jacareacanga, a pressão militar para a entrada do parlamentarismo no governo de João Goulart, ambas feitas pelos próprios militares brasileiros e pela elite. O golpe de 1964 é tão inconstitucional quanto a ”revolução” de 1930, ambas tiveram participação de setores do Exército e das elites, a diferença é que a de 1930 favorecia a burguesia industrial em… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Nascimento
Camargoer

Caro Nascimento. Acredito que é muito difícil comparar os eventos de 30 (e de 32 que resultaram dele) com os eventos de 64. Sem fazer juízo de valor, são momentos históricos muito diferentes para serem comparados. O Estado Novo foi violento e repressivo. A deportação de Olga é apenas o mais conhecido dos atos infames do regime, mas existiram muitos outros. Além disso, quando se discute Vargas é preciso delimitar sobre qual período esta sendo tratado. Podemos pensar em pelo menos três momentos distintos, o Estado novo (de 30 até a II Guerra), o período de guerra (da II Guerra… Read more »

Nascimento

Excelente comentário. Não sei quem vem dando negativo em tantos excelentes comentários na trilogia. Abraços.

Camargoer

Olá Nascimento. Lembro de um colega que disse que costuma negativar meus comentários antes de ler. Outro também comentou que para de ler no meio. Sei lá. Essa coisa de negativar é bíblica… “diga que te negativas e eu direi quem és”. Um grande abraço.

Rinaldo Nery

Flanker respondeu por mim. E muito bem…

Aéreo

O protótipo merecia uma pintura mais bonita.

Tutu

Essa pintura tentou fazer Homenagem/Referência ao Pampa 2000, que participou da concorrência JPATS “Joint Primary Aircraft Training System” da USAF nos anos 90.
Mas sinceramente, a original ficou melhor, essa camuflado ai não caiu bem.

7f349fca9ec615873d668e1f8da22e37.jpg
Tutu

Outra foto.

Vought-Pampa-2000-ready for take off.jpg
leonidas

Os Argentinos poderiam resolver seu problema em relação a falta de caças de alto desempenho, usando a criatividade da nossa marinha com o Atlântico né?
E só renomear um esquadrão de Pampa para grupo avançado de interceptação aérea e pronto, resolvido o problema…

Juggerbr

Expertise em lançar bomba burra em navios eles já demonstraram dominar…

João Adaime

Caro Roberto
Minha memória já não está boa, mas tenho uma vaga lembrança de que Austrália e Nova Zelândia teriam firmado um acordo onde caberia aos australianos a defesa aérea do vizinho. Só não lembro mais os termos do acordo, divisão de custos e outros detalhes.
Abraço

JuggerBR

Imagino que o destino da Embraer se ficasse na Argentina seria parecido ao da FADEA…

Zorann

Os argentinos aqui do nosso lado. Não é possível que não haja uma maneira de nos ajudarmos mutuamente. Nós aqui com uma industria de defesa que não consegue vender. E eles lá precisando comprar. Garanto que há oportunidades de negócio, de nosso interesse que poderiam ser alvo de negociações. Juntos poderíamos ser mais fortes. O mundo inteiro vem aqui oferecer produtos (e algumas vezes vender) aos argentinos, e nós que estamos aqui do lado, parceiro comercial de longa data, não conseguimos avançar nesta relação. A França veio ate aqui e vendeu navios de patrulha. Eles gostaram do Guarani? Vamos vender!!!… Read more »

Saldanha da Gama

Será mesmo que eles desejam comprar nossos produtos militares? Abraços

Zorann

Não falei só de produtos militares. Mas há sim interesse.

Camargoer

Olá Zorann. Exatamente. As duas economias e as duas sociedades têm muitas coisas em comum e muitas complementariedades..

Camargoer

Olá Zorann. Exatamente. Tenho falado sobre isso há anos. O objetivo nem seria aumentar a área de influência, mas maximizar resultados por meio da colaboração regional. A situação seria ainda mais favorável aos dois países que podem realizar suas transações comerciais em moeda local devido a existência de uma câmara de compensação real-pesos. Lembro das lições de economia sobre a vantagem de ampliar o comércio exterior sem necessariamente buscar grandes saldos comerciais. É muito melhor um comércio de 100 bilhões com um superávit de 1 bilhão do que um comércio de 10 bilhões com superávit de 5 bilhões.

Eduardo

Também penso assim, o problema é uma questão chamada pagamento. Eles estão quebrados.

Camargoer

Caro Eduardo. Como você exuca que a Argentina foi capaz de obter um empréstimo de um banco europeu para compra os navios de patrulha franceses se o seu governo está assim que raso? Este argumento que a Argentina está quebrada não faz sentido frente a realidade.

Juggerbr

Desde que haja garantias de pagamento, tudo certo. Que eles paguem em produtos agrícolas, somos clientes permanentes do trigo argentino mesmo…

Control

Jovem Zorann A Argentina está quebrada em crise fiscal e de desabastecimento (bloquearam até a exportação de alguns produtos alimentícios) com empresas e parte da população emigrando para outros países. A Argentina, no momento se assemelha a Venezuela em sua fase inicial rumo ao desastre econômico. Neste momento, fazer contratos com eles, só com alguma forma de seguro ou querendo fazer negócios de avô para neto, a fundo perdido. É claro que, dependendo do interesse geopolítico, mesmo sem la plata, negócios podem ser feitos, caso do interesse dos chineses e russos, que verem a oportunidade de fincar o pé no… Read more »

Camargoer

Caro Control. Discordo bastante da sua comparação. Chavez chegou á presidência da Venezuela como resultado do fracasso da política econômica liberal, que levou á crise do Caracazo, uma revolta popular em Caracas que foi violentamente reprimida pela polícia. As relações EUA-Venezuela foram prejudicada pela tentativa de golpe contra Chavez, que por sua vez levou á radicalização da disputa política entre oposição e governo. Com a morte de Chavez, abriu-se uma oportunidade de reconciliação política que foi desperdiçada, levando á oposição a boicotar as eleições e a uma crise de reconhecimento do resultado eleitoral a partir da autoproclamação de Guaido. Tenho… Read more »

Control

Jovem Camargoer Não entrei no mérito das causas do desastre bolivariano, até porque não é o caso. Apenas coloquei que a situação atual da Argentina se assemelha ao da Venezuela em sua fase inicial de desastre, onde tivemos a saída de empresas do país, fuga de capitais, quebra/abandono de atividades por muitas empresas, fuga dos mais ricos seguida dos pequenos empresários e de autônomos, etc. Isto são fatos e aconteceram na Venezuela e acontecem agora na Argentina. Se a situação argentina vai evoluir para a uma venezuelização plena, é outra história e só o futuro nos dirá. Espero que os… Read more »

Camargoer

Olá Control. Eu concordo com você que um colapso na economia argentina é ruim para o Brasil. Aliás, o colapso na economia venezuelana (aliada á miopia dos governos Temer e atual) fizeram a indústria brasileira perder mercado, algo lamentável em um período de recessão como o atual. Os efeitos sobre a economia (inflação, desabastecimento, queda do PIB…) podem ser parecidos, mas as causas das crises argentina e venezuelana têm causas diferentes. Acredito que dificilmente a Argentina entrará em um processo de crise política como o que está ocorrendo na Venezuela. Como as causas são diferentes, as ações necessárias também são… Read more »

Marcelo Baptista

Mas Zorann, nos ajudamos mutuamente.
Mas existe um limite econômico. Ambos os países passam por dificuldades na economia, então eles primeiro tem que fazer a lição de casa para depois melhorarem as trocas econômicas.
Talvez se nos tivéssemos uma reforma tributaria de verdade, (dos dois lados da Fronteira) a relação econômica fosse mais dinâmica, mas é o que temos para hoje.

Camargoer