domingo, junho 13, 2021

Gripen para o Brasil

USAF e Lockheed iniciam produção de caças F-16 na Carolina do Sul para vendas militares estrangeiras

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

WRIGHT-PATTERSON AIR FORCE BASE, Ohio – Para dar suporte à crescente demanda por novas aeronaves F-16 de nações parceiras, a Força Aérea dos Estados Unidos se uniu à Lockheed Martin Co. para abrir uma nova linha de produção para construir aviões de combate F-16 Block 70/72 nas instalações da empresa em Greenville, SC.

Lançada no Dia dos Veteranos de 2019, a linha é a única unidade de produção de F-16s no mundo, inaugurada três anos depois que a linha de F-16 de longa data da empresa em Fort Worth, Texas, encerrou a produção.

Recentemente, e em nome de cinco parceiros militares estrangeiros, a USAF concedeu à Lockheed Martin aproximadamente US$ 14 bilhões para construir 128 F-16s nas instalações até 2026.

“Esta nova linha de produção é muito significativa”, disse o coronel Brian Pearson, líder da equipe de produto integrado para vendas militares estrangeiras de F-16, com o Air Force Life Cycle Management Center’s (AFLCMC) Fighters and Advanced Aircraft Directorate, que está liderando o esforço para construir e entregar os novos F-16s. “Existem 25 nações operando F-16s hoje, e eles têm muita experiência com a aeronave. A linha nos ajuda a atender a demanda global que várias nações têm por aeronaves F-16 e nos dá a capacidade adicional de fornecer a aeronave a países interessados ​​em comprá-la pela primeira vez. ”

Espera-se que os primeiros F-16 saiam da linha de produção em 2022, e a produção deve aumentar após o primeiro ano. A aeronave será entregue a vários parceiros militares estrangeiros, incluindo Bahrein, Eslováquia, Bulgária, Taiwan e outros, muitos dos quais manifestaram interesse além das primeiras entregas.

F-16V Block 70/72

Cockpit do F-16V Block 70/72

Espera-se que mais aeronaves sejam construídas nos próximos anos, e há pedidos de F-16s sob análise de outros parceiros militares estrangeiros.

“Desde que a linha de produção da LM foi aberta, a AFSAC [AFLCMC’s Air Force Security Assistance and Cooperation Directorate] viu um aumento de interesse nas nações parceiras, solicitando informações detalhadas e solicitações de vendas do governo dos Estados Unidos”, disse o coronel Anthony Walker, líder sênior de material da Divisão Internacional. “Estamos entusiasmados com a nova carga de trabalho e maiores oportunidades de fornecer capacidades de poder aéreo que fortaleçam as Parcerias Internacionais e promovam a Segurança Nacional.”

Além de liderar os esforços para lançar novos F-16s, a Diretoria de Caças e Aeronaves Avançadas também está modernizando 405 F-16s – operados por quatro nações parceiras – com a configuração V, que consiste em um novo radar e outras atualizações para torná-los semelhantes à aeronave que sairá da linha de produção.

“Os F-16 estão operacionais em todo o mundo e são uma capacidade essencial para fortalecer a segurança de nossos parceiros internacionais”, disse o Brig. Gen. Dale White, Program Executive Officer for Fighters and Advanced Aircraft. “Cada F-16 que equipamos nossos parceiros estrangeiros melhora sua capacidade de defender seus interesses e apoiar nossos interesses de segurança mútuos. O calibre e o talento de nossas equipes de escritórios do programa de vendas militares estrangeiras são excelentes e seu impacto é sentido globalmente. O F-16 é um caça compacto altamente capaz e duradouro que terá um grande papel na segurança de muitas nações parceiras nos próximos anos.”

A nova linha de produção do F-16 da Lockheed Martin em Greenville, South Carolina

FONTE: Air Force Life Cycle Management Center

- Advertisement -

81 Comments

Subscribe
Notify of
guest
81 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Andromeda1016

Pois é ….. e a morte dos caças de quarta geração já havia sido anunciada não? Até os próprios EUA vão adquirir aviões de quarta geração para seu inventário ….

Maurício Veiga

A 5 geração de caças não gerou o custo/benefício desejado ao longo do projeto, os caças Americanos da 4 geração vão continuar voando por décadas…

Andre

Se prestar bem atenção à matéria, verá que a produção se destina à exportação. Há pouco saiu outra reportagem onde consta que espera-se que a USAF receba 40/45 F35 por ano nos próximos 5 anos, pelo menos.

Andromeda1016

Para a USAF será desenvolvido um novo caça de 4.5 geração que será adquirido para substituir parte dos F-35 a serem adquiridos no futuro, ou seja, comprarão menos F-35 para poder adquirir os novos caças de 4.5 geração.

Leandro Costa

De onde tirou essa informação?

Andromeda1016

O assunto foi abordado aqui no blog em 18/02/2021. Veja o link da matéria abaixo:

https://www.aereo.jor.br/2021/02/18/chefe-da-usaf-quer-novo-caca-menos-avancado-que-o-f-35-e-que-substitua-o-f-16/

Leandro Costa

Então… em nenhum lugar naquela matéria disse que isso será feito. Em nenhum lugar falam que irão substituir parte dos F-35, mas sim de F-16. Então não tem absolutamente nada confirmado sobre isso e acredito que nem vai acontecer. Ainda mais com a aquisição dos novos Eagles. Para que a gente possa afirmar, seria melhor pelo menos esperar para ver o resultado do estudo. É o que eles mesmos vão fazer antes de tomar uma decisão, mas serão alguns meses antes de termos o negativo ou o positivo sobre isso. De novo, acho bastante improvável e acho que vão focar… Read more »

Andromeda1016

Eu leio notícias de tantas fontes que às vezes me confundo. Segue notícia no link abaixo. Não consigo encontrar a fonte da notícia que diz que o corte do F35 será complementado com caça de quarta geração,
principalmente com o novo caça a ser desenvolvido mas dou procurar. Como disse, leio tantas notícias de tantas fontes diversas que às vezes acho que as pessoas sabem do que falo e não me preocupo em trazer prova das coisas que falo.

https://www.airforcemag.com/usaf-to-cut-f-35-buy-in-future-years-defense-plan/

Last edited 24 dias atrás by Andromeda1016
Leandro Costa

Andromeda, de novo, esse artigo não menciona, em nenhum momento, qualquer tipo de proposta de substituição do F-35, mas apenas em redução de pedidos de F-35 ao longo de uns anos (2023 até 2026), de 48 unidades para 43 unidades, ou seja, cinco míseras unidades por ano. O motivo disso, citado na matéria, é o alto custo operacional. E ele vai além, mostrando que isso é mais uma ‘ameaça’ do que de fato o que querem. Se a Lockheed-Martin conseguir baixar o custo operacional do F-35 para os níveis desejados (que se equiparam com o custo dos F-16), eles voltam… Read more »

Andromeda1016

Eles querem diminuir a quantidade de F35 para preencher parte de seu número com caças menos sofisticados e baratos de operar e isso é fato. Isso só não ocorrerá se o block 4 do F35 conseguir essa façanha, o que provavelmente não ocorrerá. Também é fato que querem um novo caça que substitua o F16 e você mesmo reconheceu que há um projeto em andamento para construir o novo caça, logo se a quantidade de F35 for de fato reduzida o novo caça será o caça ideal para preencher o número de caças vagos, principalmente porque eles não querem substituir… Read more »

Leandro Costa

Eu não reconheci que há um novo projeto em andamento. Eu disse que havia um estudo em andamento sobre a possibilidade de uma nova aeronave. Esse estudo levará meses, de acordo com o chefe da USAF. E a decisão levará seis a oito anos para ser tomada e, caso positivo, aí sim será feito um projeto, que levará ainda mais um tempo, possivelmente anos, já que querem algo inteiramente novo. Nesse meio tempo, em um período de três anos, vão diminuir o número de F-35’s contratados por ano em cinco unidades, ou seja, quinze aviões, para usarem a economia em… Read more »

Andromeda1016

Da minha parte quando foi afirmado que haveria a necessidade de desenvolvimento de um novo caça de quarta geração subentendi que o projeto estava em andamento ou era algo inevitável. Penso desta forma devido a uma série de fatos e pensamentos subjetivos que não vale a pena mencionar pois posso estar errado, mas para mim o novo caça é inevitável e resulta do reconhecimento tácito de que o F35 deixou a desejar e foi um projeto fora da realidade ou ambicioso demais. Oficialmente ainda passam pano no F35 (por motivos político, óbvio) mas deve ser dada a importância que merecem… Read more »

Last edited 23 dias atrás by Andromeda1016
Leandro Costa

Pois é, mas nunca houve afirmação sobre a necessidade de desenvolvimento de um novo caça de 4ª geração.

Leandro Costa

Não, não houve.

“O Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General Charles Q. Brown Jr., está lançando um estudo de meses de duração…”

O estudo, que eu não paro de mencionar, é que vai determinar se há necessidade e se há viabilidade ou não para uma aeronave assim.

Andromeda1016

Pelo jeito divergimos. Para mim essa frase e demais informações que constam na matéria são o reconhecimento tácito de que há necessidade sim. Você se atem à literalidade das palavras. Tudo bem. Esperemos para ver os próximos capítulos desta novela.

Leandro Costa

O que eu faço normalmente é pegar o que existe de fato, e extrapolar à partir daí de acordo com informações vindas de diferentes fontes. As diferentes fontes, se elas repetirem a informação da mesma forma, confirma algumas coisas. Mas acho bastante importante ler, e entender o que cada palavra significa. Podemos especular em relação ao sentido delas dentro de um determinado contexto, mas ainda é mera especulação até que alguma coisa se confirme. Nesse caso, como diversas fontes atribuem ao General em comando da USAF os dizeres que ‘propôs um estudo, que levará meses, e que daqui a alguns… Read more »

Agressor's

O próprio abacaxi do f-35 se categoriza como um programa de 4.5 geração pois ele não foi requisitado como um projeto Full-Stealth ou Allaspect Stealth…

Leonardo Bastos

Bullshit…

Leandro Costa

Aggressor, então eu lamento informar que você não sabe o que está falando. Você não sabe o que é Stealth e não sabe o que é aeronave de 4.5 G

Então, vamos à fonte oficial:

https://www.jsf.mil/stealth

Agressor's

O que vende um produto hoje, não é a qualidade, é a propaganda. Nem tudo que esta escrito é verdade, tendo em vista de que quem escreve, depende disso.

Leandro Costa

Tá sabendo mais sobre Stealth do que os caras que desenvolveram a tecnologia hein? LOL

Joao Moita Jr

Ainda mantenho a opinião que duas décadas atrás o Brasil deveria ter seguido o exemplo do Chile, comprando pelo menos 36 unidades para minimamente segurar as pontas até que algo como o Gripen chegasse ao pais em números dissuatorios. Que até hoje a defesa área esteja nas mãos do F-5 é simplesmente ridículo.

Rodrigo Martins Ferreira

O problema é outro…

Os inimigos dos EUA não evoluiram a ponto de tornar a 4G obsoleta. Por isto o custo benefício dela ainda é bom.

Maurício.

Rodrigo, se fosse esse mesmo o problema, não teria a necessidade dos americanos já entrarem num projeto de aeronave de sexta geração, acho que a explicação do Maurício Veiga está mais perto da realidade, até porque, pelo plano original o F-35 já estaria na linha de frente há muito tempo, antes mesmo da China pensar em fazer o J-20 e J-31, e da Rússia ter o Su-57.

Leandro Costa

F-117 e B-2 começaram seu desenvolvimento coisa de uns dois anos mais ou menos após a entrada de serviço dos F-15 e F-16, e já estavam sendo estudados um tempinho antes.

É normal se olhar para o futuro, mas entendo que aqui no Brasil esse tipo de pensamento de longo prazo não ocorre.

Cleber

Vida longa ao F 16 ! Obs : Alguem tem noticias do Gripen NG como andam seus testes ?

Agressor's

Vida longa ao F 16! Ao maior recordista de fazer viúvas da historia da aviação até hoje…

Flanker

Como é que é???

Glasquis 7

???

Renato

Gripen NG segue nos testes sem fim.
E agora testando sua capacidade stealth. Ninguém mais o vê.. Desapareceu.

Leandro Costa

Embraer, Saab e FAB não tem um contrato assinado que os obrigue à divulgar todas as etapas de desenvolvimento e testes. Só porque não estão falando nada não significa que os testes não estejam ocorrendo ou que o cronograma não será cumprido.

Sejam boas ou más notícias, nós ficaremos sabendo em breve.

Welington S.

Vimos recentemente que a Colômbia adiou a aquisição de aeronaves de combate devido os problemas ao qual o país está enfrentando no momento. Será que no futuro a Colômbia irá de F-16 Block 70/72? Eles teriam grana para tal?

Eduardo

Vão é virar força Aérea Argentina e uruguaia, isso sim.

Pugnattor

a Força Aérea Uruguaia vai de M-346 ou FA-50. Já a argentina caso comprem algo, é mais fácil o JF-17

Glasquis 7

a Força Aérea Uruguaia vai de M-346 ou FA-50.”

Difícil. acho muito mais viável eles pularem pro F 16 MLU. Mesmo assim, ainda acredito que eles estão na espera da chegada dos Gripen pra ver se sobra algum F5 FAB pra eles. Já estaria de muito bom tamanho.

Pugnattor

o F-16 não estava entre os cotados pela FAU, o M-346 é o mais provável, mas com essa notícia… As coisas podem mudar um pouco…

Glasquis 7

Muito caro pra FAU

Glasquis 7

A Colômbia vai de f 16 MLU, com vetores dos estoques americanos Up gradeados e vai estar muito bem servida durante uns 25 anos.

Gil U

O F16 é o “novo” F5, um avião relativamente barato, confiável e capaz, mas que deve ter uma importância cada vez menor para a força aérea Americana, tendo ainda um boa procura por outras forças, sendo utilizado nelas por muito tempo depois da aposentadoria pela USAF.

Marcelo 75

Aqui no meu país, meu mundo abstrato é uma “M”! O texto afirma que as primeiras aeronaves da Lockheed saía da linha de produção já em 2022. No mesmo texto, confirma a estimativa de 128 F-16 até 2026! *Pode isso “Arnaldo”??? Só por aqui a regra não é clara! Quem dera a SAAB ou a Embraer pudesse ter investimentos bilionários a manter uma linha de produção feito a Lockheed! Há estimativa na aquisição de 120 caças Gripen-E proposto no plano inicial, a contemplar a FAB com o mínimo de aeronaves para um país dessa dimensão, é vergonhoso a 1° encomenda… Read more »

Eduardo

Milicos devaneados te negativaram ao montes.

É ridículo mesmo só 36 caças. E, mais 36 caças, são será tarefa nada fácil. Sempre virão outras prioridades na frente. É capaz de: – vamos encomendar um lote de 18 … 12 … e parar por aí.

Paulo

36 tá de bom tamanho para um país como o nosso que tem zero transparência, imagina manter 120, o contribuinte é que vai sofrer.

Leandro Costa

O contribuinte vai sofrer mais se ficarmos apenas nos 36 iniciais.

Wellington

Você deveria procurar ajuda!

Heinz Guderian

Sucesso de vendas!

Maurício Veiga

Pressão para cima do Gripe, os EUA não querem e não podem perder mercado neste segmento!!!

JuggerBR

Uai, cadê o fã de F-16 pra dizer: ‘manda uns lotes pro Brasil’??

Rodrigo LD

Já deveriam ter vindo lá no primeiro F-X. Agora estariam sendo modernizados, juntamente com aquisição de outros mais modernos. Estaríamos já com décadas de utilização da aeronave.

Rodrigo LD

Esse é um daqueles ícones, como UH-1, B-52, C-130, F-5 que serão utilizados por mais de 50 anos, com sucessivas modernizações, tornando-se cada vez mais baratos de adquirir e operar….

jonas123

Portugal também deve “comprar” F-16Vs no futuro. Comprar/leasing/ajuda da NATO, etc.
Preferia o Gripen, mas como o F-16 já opera no País desde 1994, é provável que continue.

Peter nine nine

O que você preferia não faz sentido nenhum, o que você disse é no entanto provável: modernização “V”.

jonas123

Modernizar os F-16 actuais não é possível, há muita gente que diz isso mas não é verdade. Já foram modernizados duas vezes (as células foram todas construídas antes de 94 e já estão muito cansadas). Além disso, os pilotos da FAP (apesar das restrições orçamentárias) continuam a treinar no número mínimo de horas normal da NATO, o que desgasta muito mais as aeronaves do que noutros Países fora da aliança. O “V” por outro lado exige uma mudança completa em todo o sistema de cabelagem e no equipamento de arrefecimento dos sistemas electrónicos, em especial no radar. Não esquecer que… Read more »

Peter nine nine

Sim é sabido do cansaço que se vai acumulando nas células portuguesas. Mas tal não inviabiliza a modernização para a versão V. Seja adquirido células menos cansadas aptas de serem modernizadas ou adquirindo novas. Eu disse modernização V no sentido em que ah uma certa probabilidade que tal ocorra, não disse como, nem expus nenhum pensamento detalhado no sentido. Eu pessoalmente até acho que a FAP vai pular para a geração seguinte, apenas me encosto a esta possibilidade em discussão por conta do “pessimismo” geral. Probavel também é que nunca veremos 40 aeronaves do futuro avião como chegámos a ver… Read more »

jonas123

Nisso, concordo inteiramente consigo. Vamos ver o que o futuro nos reserva com esperança. Não acredito que voltemos á discrepância de usar os A-7Ps enquanto a NATO começava a receber os F-16. Mas como as ameaças ao nosso País (graças a Deus) são quase inexistentes, o número de armas irá certamente diminuir.

angelo

Olha aí brasil…via lá……….

Antoniokings

Todo o esforço da ‘Diplomacia’ americana é essa.
Vender esses casos antigos para clientes de ‘segunda categoria’ para não fechar a linha de produção e manter alguns empregos.
Devemos lembrar que o F-16 e o F-15 são os caças mais antigos ainda em produção.

Flanker

E o Mig-29 e o Su-27, que são contemporâneos dos dois caças dos EUA? Não contam pra ti?

Victor Filipe

na cabeça dele Su-35 é um avião completamente novo, e não uma variante do Su-27. só porque os Russos trocam números ao invés de letras igual os americanos.

Guilherme Gabriel Lins

é exatamente isso Victor kkkkkkkkk na cabeça dessas pessoas, o “MIG-35” (leia-se mig-29 plus) e o “SU-35” (leia-se su-27 plus) são caças recém projetados kkkkkkkkk

Peter Nine Nine

Aviões de “segunda” com as melhores “rap sheets”… F16 e F15, caças de segunda. 😉
Só se for de “segunda”-feira, que na terça o inimigo já está todo no chão ^-^.

Last edited 21 dias atrás by Peter Nine Nine
Andre

“Para dar suporte à crescente demanda por novas aeronaves F-16 de nações parceiras”

O “vetusto” segue vendendo, e de maneira crescente.

Imagino se fosse ruim…

Last edited 24 dias atrás by Alexandre Galante
Jacinto

Mas se for ver, do F-16A/B original para os atuais, mudou tudo o que é importante.

Peter nine nine

Se o gripen E é um caça novo, esse Viper também é.

Adriano RA

Peter, aqui preciso discordar. O F-16V não tem alterações estruturais, dimensões, reposicionamento de trem de pouso, motor de dimensões diferentes, sistema de fly by wire completamente novo, etc, etc, que o Gripen E tem. O caso do Gripen E é mais parecido com o do Super Hornet. As alterações de projeto aplicadas à nova versão do Gripen levam, na prática, à ensaios de vôo quase tão longos e completos quanto aos de um novo avião.

Peter nine nine

As alterações estruturais do gripen E têm origem nas limitações de tamanho, autonomia, capacidade de carga e alcance da versão original do gripen.
O F16 não sofria desses problemas e daí nunca ter sido “esticado”.
Ainda assim, engana se se pensa que o F16, desde o seu lançamento, não recebeu extensas alterações na sua estrutura, motorização e avionicos.
O F16V é tão ou mais diferente do F16 de lançamento quanto o Gripen E é do de lançamento.

Tomcat4,2

Saudosa “Águia de Aço”, baita máquina e esta versão atual nem se fala ,mais belo e mortal , seria bacana ver este ícone na FAB mas vamos de Gripen E/F e nisso estaremos muito bem na fita,creio que até melhor do que se fôssemos de F-16 .

Charles

Chegou a Vez da Argentina….pode anotar aí…

Ramon

Tio Sam provavelmente não ia procurar briga com os primos britânicos, se tiver um parafuso britânico em um f-16 já dá um problema daqueles.

Rodrigo

Anhamm e o tio Sam obedeceria um não do Reino Unido assim de boa.. Talvez até pedisse desculpa..
Certinha sua análise…

Last edited 24 dias atrás by Rodrigo
Luís Henrique

Esquece. A Argentina está buscando um caça barato. O JF-17 deve custar próximo de U$ 35 mi e o MiG-35 deve ficar próximo de U$ 50 mi.
Será um dos dois. Um F-16 V sai por U$ 120 à U$ 150 mi cada.

Eduardo

Argentina não tem cacife nem credibilidade para tal.

Odair Botelho

Rapaz, sem dúvidas é um caça fantástico. Mas isso vai vir e deverá atrapalhar a vida do Grippen por aí viu. Torçamos que não.

Maurício.

Podemos dizer que o F-16 é o caça americano de maior sucesso de todos os tempos? Incluindo performance, custo-benefício, números produzidos e vendidos entre outros fatores?

Leandro Costa

Acho que ainda não. Talvez ‘caça à jato americano’ de maior sucesso. Caça mesmo, ainda tem outro que ainda obteve mais sucesso, tanto em performance, custo x benefício, números produzidos e vendidos:

XP-51.jpg
Maurício.

Leandro, eu deveria ter colocado caça a jato mesmo, confesso que os caças da segunda guerra nunca chamaram muito a minha atenção, até tenho algumas revistas aqui sobre o tema, mas o P-51 sem dúvidas é um grande sucesso.

Glasquis 7

Uma plataforma tão versátil que tem sobrevivido e evoluído a custos razoáveis.

Do primeiro F 16 da USAF pro f 16 V, há uma diferença enorme quanto a capacidades. Não me surpreenderia se no futuro a própria USAF pensasse em comprar mais células dele pra complementar a sua frota.

Leandro Costa

Acho que não Glasquis. A USAF quer cortar custos e já encomendou os F-15EX. O comandante da USAF declarou que se for necessário ter uma nova aeronave abaixo da 5ª G, vai ser algo inteiramente novo, exatamente porque o F-16 não consegue entregar o que procuram.

Anthony

Só não entendi o motivo de mudar de local a linha de montagem…

Leandro Costa

A linha de montagem anterior vai se concentrar apenas na produção do F-35.

Luiz Trindade

O F-16 é um caça formidável! A visão ampla dele do canopi é uma coisa que nenhum outro caça consegue!

Reportagens especiais

As chances do Gripen ao redor do planeta

E como isso poderá ser benéfico para o Brasil Por Guilherme Poggio (colaborou: Fernando "Nunão" De Martini) Em matéria anterior eu mencionei...
- Advertisement -
- Advertisement -