sábado, junho 19, 2021

Gripen para o Brasil

FAB reativa a Base Aérea de Manaus (BAMN)

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A cerimônia e o ato de assunção do cargo aconteceram na quarta-feira (24)

A cerimônia militar de reativação da Base Aérea de Manaus (BAMN), que ocorreu na quarta-feira (24), foi presidida pelo Comandante da Ala 8, Brigadeiro do Ar Luiz Guilherme da Silva Magarão. Na oportunidade, aconteceu o ato de assunção do Coronel Aviador Marcos Afonso de Carvalho de Quintella, como novo Comandante da Organização e, ainda, a desativação do Grupamento de Apoio de Manaus (GAP-MN), na qual o Tenente-Coronel Intendente Emanuel Rosa dos Santos Júnior entregou o cargo de Comandante.

Estiveram presentes na cerimônia Comandantes, Chefes, Diretora e Prefeita das Organizações Militares apoiadas. A cerimônia marca uma etapa da Diretriz do Aprimoramento da Reestruturação do Comando da Aeronáutica (COMAER), iniciada no ano de 2020, em todo o Brasil.

O Brigadeiro do Ar Magarão agradeceu a dedicação do Tenente-Coronel Emanuel ao longo do seu comando no GAP-MN, bem como reforçou a capacitação e experiência do Coronel Quintella para assumir a estratégica missão de comandar a Base Aérea de Manaus. “A atuação desta Organização, bem como do seu efetivo, tem um papel fundamental de apoio administrativo das organizações subordinadas para o cumprimento da atividade-fim. Uma atividade que engloba, inclusive, os destacamentos de Eirunepé e São Gabriel da Cachoeira, comprovando assim a magnitude do novo desafio”, disse.

Para o novo Comandante da BAMN, Coronel Quintella, a reativação das Bases Aéreas denota a preocupação da FAB em aprimorar seus processos administrativos, ampliar sua capacidade de apoio e melhor definir sua representatividade junto à sociedade. “Após extensas e exitosas deliberações, renasce a BAMN sob o lema da Secretaria de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica: ‘A Serviço da Missão’, na nobre região Amazônica, que tanto necessita da atuação perene da Força Aérea Brasileira”, destaca.

Ao despedir-se do GAP-MN, o Tenente-Coronel Emanuel relembrou que sua principal missão era definir uma referência na gestão, um elemento que priorizasse o efetivo para o propósito de apoiar, a fim de deslocar o foco legalista e processual para o resultado e eficácia. “E fizemos muito mais, porém dentre todos os resultados alcançados, defino que a união da equipe foi o resultado mais valoroso”, finalizou o Coronel que agradeceu, ainda, o empenho de todos e o alicerce de sua família.

FONTE: Força Aérea Brasileira

NOTA DO EDITOR: A Base Aérea de Manaus tinha sido desativada em 2017 por causa da reestruturação decidida em 2016. Mas a nova estrutura não funcionou como se esperava e voltaram a reativar as bases.

- Advertisement -

58 Comments

Subscribe
Notify of
guest
58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo

Essa base é importante para a segurança da região não deveriam ter fechado, mas esse erro foi corrigido agora!

Rinaldo Nery

NUNCA foi fechada. Somente mudou o nome pra Ala 8.

igortepe

Ativar e desativar bases deve ter um custo, o péssimo planejamento das forças armadas e pago com o dinheiro dos contribuintes.

Sagaz

Eles aproveitam para fazer cerimônia de reabertura com buffet padrão, convidados oriundos de todo o país com os jatinhos da FAB, hospedagem, etc

Oráculo

Nem deveriam ter fechado.

Aliás, quem foi o “Jênio” que mandou fechar a principal base aérea da região, localizada no coração da Amazônia?

Ou é muito burro ou estava mal intencionado…

Saldanha da Gama

Tem 4 chances para adivinhar kkkkkk
abraços

Leandro Costa

A estrutura ficou funcionando sob administração da Ala 8. ‘Fechou’ a BAMN para ‘abrir’ a Ala 8. Foi o que eu entendi. Portanto a base (pista, instalações, etc.) em si ficou funcionando ininterruptamente.

miguel Felicio

Troca nome, volta nome, parece até Marinha trocando o nome e definição para manter a mesma coisa no caso do A-140…………O que diminui custos é ECONOMIA, e não nome. Alias o Brasil é prodigo em adjetivos, em nomes, etc…

Leandro Costa

Eventualmente devem ser, mas isso é especulação minha. Ainda é cedo para sabermos detalhes além do fato de que o GDA deve ser o primeiro esquadrão contemplado, justamente por se concentrar os esforços de implantação dos Gripen lá em Anápolis.

Rinaldo Nery

Vão operar desdobrados em qualquer aeródromo brasileiro onde caibam. Já ouviu falar de um princípio de Força Aérea chamado ¨mobilidade¨?

Fernando Turatti

Você sabe que a pergunta não foi “podem operar?”… Obviamente foi no sentido de “teremos Gripens baseados lá?”.

Rinaldo Nery

….¨futuramente operarem DESDOBRADOS¨….

Allan Lemos

Alguns Gripens deveriam ficar permanentemente baseados em Manaus para proteger uma área estratégica para o Brasil, ao invés de ficarem todos no DF para proteger as cabeças dos corruptos da Capital.

Marcelo Andrade

Eles ficarão em Anápolis GO e não no DF. E não é para proteger os curruptos e sim desdobrarem para qualquer ponto do Brasil.

Allan Lemos

Sim, Anápolis. Erro meu. No entanto, como eu disse, alguns deveriam ficar permanentemente na Amazônia para emprego imediato, seria muito mais eficaz, a menos que os Gripens venham equipados com dispositivos de teletransporte, de modo a tornar o tempo de deslocamento do ponto A ao ponto B nulo. Do contrário, quando os F-39 estiverem chegando na Amazônia, os aviões inimigos já estariam cruzando a fronteira, após terem descarregado suas bombas.

Cristiano GR

Não existe amazônia. O que existe é Amazonas, Acre, Pará, Amapá, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Tocantins e Maranhão.
Ponham isso na cabeça. Unidades Federativas da União.
Região Norte.
Floresta amazônica, bioma com vegetação predominante de floresta tropical que abrange a maior parte de 6 desses estados brasileiros e uma parte dos outros 3.

Dod

poh cara desse jeito tu me ofende kkkkkkkk, ñ mora so político no DF não, tem gente que acorda cedo pra tralahar

nonato

A base é para proteger a capital do pais e as lideranças.
Não gosto dessa generalização tosca dos políticos.
O Brasil está tentando mudar.
Nivelar todos por baixo é conveniente para as raposas velhas.
Imagine um que já foi presidente do senado várias vezes e se acha dono do Brasil…
E é adversário do atual governo…
E aliado dos anteriores…

Gabriel

Admiro a sua paciência em, frequentemente, explicar o óbvio para aqueles que, normalmente, preferem criticar/contestar/questionar antes mesmo de buscar entender do assunto.

Mauro Cambuquira

Coronel, engraçado a turma te negativar. Não sabes quem tu és! Sua história e seus conhecimentos são repassados de forma curta e objetiva. Ainda bem que és ativo por aqui.

Rinaldo Nery

E não dou a mínima! Alguém tem que corrigir algumas bobagens postadas.

willhorv

Deveriam…pelo menos mais 36 unidades….assim como 36 no sul e no sudeste, compondo o que seria o mínimo de 144 unidades…mas se fala em 108…72…36…e daqui a pouco fica com este aí fazendo postal do RJ.
Acorda nação…não se vive e cresce de futebol e carnaval.

Fernando Turatti

Não é o carnaval que está a comer 81% do orçamento gigantesco do ministério da defesa…

igortepe

É o rancho de luxo que está fazendo isso.

Marcelo Andrade

Calma amigo, nem entregaram o primeiro e voçe está pensando em um segundo lote. Olhe o rombo no Orçamento que esta pandemia está fazendo. Vai haver mais lotes no momento certo.

Fernando Turatti

O orçamento da defesa subiu durante a pandemia, só pra constar.

Anthony

Será devido ao aumento do número de voos da FAB? Pq gasolina de aviação não eh de graça né?

Se orienta rapa!

willhorv

Lógico….houveram reajustes nos soldos não houveram?
Kkkk.
O problema é que vai se arrastar tanto os programas da FAB que há o risco de ficarmos sem cobertura nenhuma (de forma eficiente), pois os Mike ou já caíram todos ou se recusarão a decolar. Fora o parque fabril estagnado.

Marcelo Andrade

Você devia pesquisar mais sobre as operações da FAB antes de escrever isso! Além do mais os Programas estão em andamento. podem estar com atrasos mas não pararam.

Cristiano GR

Eu adoraria ver Gripens voando aqui nos céus do sul, mas acho um desperdício. O certo é tê-los baseados no centro-oeste e norte.

Last edited 3 meses atrás by Cristiano GR
Zorann

É a dança das cadeiras. Tem de arrumar mesa pra este monte de gente.

Eu fico triste porque nada mudou. Tinha esperança que este plano de reestruturação lá de 2016 fosse gerar alguma economia. Já reativaram os COMAR, agora as bases.

Muda nome, cria cargo e a única coisa que muda é que se gasta cada vez mais, para fazer cada vez menos.

Last edited 3 meses atrás by Zorann
Gabriel

Qual seria tua proposta de reestruturação da Força Aérea, já que aparentemente a atual não te agrada?

Quais seriam as estruturas/organizações/efetivos extintos? Quais seriam reestruturados e como?

Quais as áreas, que atualmente são de responsabilidade da Aeronáutica, que deixariam de ser e qual órgão federal seria o responsável?

Tudo visando, é claro, gerar economia, como citou.

Barak MX para o Brasil

“Qual seria tua proposta de reestruturação da Força Aérea, já que aparentemente a atual não te agrada?” O cara não é do governo/FAB ou qualquer órgão regulador pra ter que apresentar qualquer proposta.

Gabriel

Peculiar comentário fruto de desconhecimento e capacidade cognitiva.

“Não concordo com a atual estrutura”

O que propõe para o lugar?

“Não tenho que apresentar idéia porque não sou do Governo/Aeronáutica”

Se não entende, não critica. Se critica, saiba apresentar argumentos e alternativas.

Explicação simples e didática que até você vai conseguir entender, Barak.

Atirador 33

Eu começaria a restruturação em três frentes, para gerar a economia necessária para a(s) força(s) Primeira: reveria a quantidade de oficiais que se formam anulmente nas academias, pq está sobrando generais, temos mais generais, brigadeiros e almirantes que a máquina de guerra americana. Segundo: promoveria mudanças nos cardápios das forças, pois 80 mil latas de cervejas e a quantidade de picanha consumida pela força é inexplicável para os contribuintes desse país. Terceiro: essa terceira não estaria nad mãos das forças, e sim do congresso, acabaria com as tais legislações que da interpretações para o tão nocivo “direito adquirido”, e caçaria… Read more »

Gabriel

Interessante os apontamentos.

Quantos Of são necessários e quantos estão sobrando?

Quantas latas de cerveja e kg de picanha são consumidos por ano/por militar? qual é o seu valor ideal por militar/ano?

Defina direito adquirido, a luz da legislação existente.

A Lei que previa o pagamento de pensão para as filhas ainda está em vigor? era só para “filhotas” de Of de alta patente? qual a situação atual?

Canarinho

Nao que alguem me perguntou algo, mas suspeito ( e so suspeito, ok?) que a quantidade de oficiais necessários, e toda a mao de obra envolvida, deve ser proporcionais aos meios que se dispõem. Nao tem meio, nao se justifica pessoal, que seria um suporte a esses meios de serem empregados. Regra de 3, nao e dificil de vc entender, e ainda mais tendo em vista a atual tendencia de automatizacao de processos, a ideia seria uma redução de quadros de em toda a cadeia de suprimentos e manutenção. Se nao ficou claro vou desenhar. se tem X avioes –… Read more »

Canarinho

Outra coisa. Tem que rever também os critérios de promoção dos militares de carreira. Por exemplo, se estabeleca um teto, de numero de oficiais versus militares na ativa, que seja coerente com um numero na maioria das OM militares de referencia no mundo ( ou seja que sao exemplo de uma gestao eficiente). Nao adianta ter muito cacique para pouco indio. Sugiro que houvesse um critério flexível de promoção, de acordo com a realidade atual das FA. Porque do jeito que ta, ficou uma bagunca, e isso acredito eu, ta desmoralizando os militares para uma boa fatia da sociedade que… Read more »

Zorann

Quando lá em 2016 foi noticiada esta reestruturação, criando as Alas, fechando bases, acabando com os COMAR, criando estruturas próprias para atender a parte burocrática e deixando as Alas somente com a parte operativa… tudo foi noticiado como um grande avanço, rumo à economia de recursos/racionalização dos gastos, dando maior importância à parte operativa. Tudo como início do tal Dimensão 22. Aqui no site mesmo há diversas postagens a respeito. Inclusive comentadas pela maioria dos que aqui frequentam até hoje. A grande maioria feliz com as mudanças e até cobrando atitude semelhantes das outras duas forças. Menos de 4 anos… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Zorann
Fernando XO

O caminho será por meio de militares temporários, pois o servidor civil das FFAA é uma raça em extinção, em função de não haver concurso há muito tempo.

Marcelo Andrade

Cara, o pessoal não mudou, estavam todos lá. Foi só administrativamente. É que o Blog também não explica e joga a manchete igual ao Jornal EXTRA. Desculpe Alexandre Galante, gosot de você pra caramba, mas as vezes parece que voces querem cer o circo pegar fogo!!!

Jhonn

Verdade o site tem publicado umas noticias incompletas, deve ser escrita por algum estágio! Lembra muito as notícias do JN.

Matheus

Caraca, que confusão. Mas se for bom pra força que seja feita as mudanças necessárias. A FAB tinha é que mudar esse sistema confuso de denominar seus esquadrões. Esse negócio de primeiro esquadrão do segundo grupo de aviação não cola. O Jambock e Pif Paf, por exemplo deveriam ser 1 esquadrão de caça e aí por diante. Tem muita coisa na mão da FAB que já devia estar fora do domínio dela faz tempo. Por exemplo, o GEIV a calibração de sistemas ILS dos nossos aeroportos deveriam ser feitas por empresas privadas. Como é nos EUA. E até mesmo a… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Matheus
Marcelo Andrade

Amigo, o fato de termos um CINDACTA, ou seja, integrar o Controle do tráfego aéreo e a Defesa aérea em um só sistema já demosntra o senso de economia da época!! Hoje estamos sendo copiados!! Se os EUA tivessem um Controle Integrado na época do 11 de setembro, talves alguns daqueles aviões teriam sido interceptados!

pampapoker

Isso e fato, o sistema nosso de controle aéreo e um exemplo para o mundo. Um exemplo foi o caso do sequestro do avião da Vasp. Sobre passar para um órgão civil a investigação de acidentes, e capaz de gente ganhar por fora, afinal isso e Brasil.idem para a inspeção.

Marcelo Baptista

Desculpe, mas basta ser humano para ficar tentado a receber “um por fora”, não importa se civil ou militar. O que importa é que os procedimentos de investigação possam ser auditados, ou seja, qualquer outro órgão investigador possa verificar os item e dados obtidos para chegar a uma conclusão, que pode ser a mesma ou não, mas no final significa que as provas da investigação não foram ou adulteradas ou desconsideradas. Da mesma forma que é ofensivo chamar todo servidor publico de corrupto ou leniente, isso também o é para um civil, não é só por que não sou militar… Read more »

Rinaldo Nery

Jambock e Pif Paf sempre foram uma ÚNICA UAE. É só o nome. Já postei aqui sobre o controle de tráfego aéreo exercido por civis (uma entidade civil). Seriam proibidos de greve? Impossível. Regidos pela CLT? Na primeira greve deles o País pára.

Larri Gonçalves

Duas forças que a princípio deveriam se caracterizar por mobilidade é Força Aérea e a Marinha, pois num primeiro momento suas bases seriam destruídas pelo inimigo, portanto desdobramento é uma imposição, tendo em vista sua sobrevivência em combate, não que o exército ou forças auxiliares não tenham que ter mobilidade, mas bases aéreas e navais são pontos de apoio logístico e bélico, assim como quartéis para o exército, mas deslocar forças terrestres é mais fácil camuflar sua presença em depósitos no terreno(leia-se em regiões montanhosas, florestas, etc) já camuflar aviões e todo seu arsenal de apoio é mais complicado e… Read more »

Rinaldo Nery

Quem te disse que a FAB não é móvel?

Flanker

Fábio Araújo, igortepe, Oráculo, Saldanha da Gama, …….a Base Aérea de Manaus nunca fechou. Ela apenas mudou de denominação em 2017, passando a ser denominada de Ala 8, com modificações nos serviços de manutenção, administração, etc. Agora, ela voltou a ser denominada Base Aérea de Manaus. Para vcs que pensam que ela havia fechado, onde vcs acham que estavam baseados o 1⁰/4⁰ GAV, o 1⁰/9⁰ GAV, o 7⁰/8⁰ GAV e o 7⁰ ETA?

Saldanha da Gama

Flanker, boa tarde!!!! Muito obrigado pela informação, eu sinceramente achei que a fecharam…. Muito menos mal que foi só a denominação que foi alterada….Abraços

filipe

Uma Base Aerea dedicada a Amazônia + 1 Satelite Dedicado a Amazonia, tudo na mesma semana…

Flanker

Meu Deus! Essa Base já existe há décadas!!!

willhorv

Acho que a eterna briga e de fato o problema da FAB, seja o mesmo das outras armas… Os soldos, que não vejo como injustos, e principalmente as aposentadorias e pensões vitalícias, que continuam a sair do orçamento das FAAs. Enquanto isto não entrar em uma gestão moderna, eficiente e como uma proposta profissional e coerente, vamos vivênciar esta farra do boi. Gastar mais 3/4 das verbas com pessoal ativo e inativo é o cúmulo da falta de planejamento, pra não dizer uma incompetência generalizada. Na verdade, acho que dá sim pra fazer mais, melhor e com menos. Um exemplo…a… Read more »

Canarinho

Exatamente

Marcelo Baptista

Galante, seria interessante, como informação, uma reportagem sobre a reestruturação e por que não funcionou, segundo a sua nota. Muitas pessoas acham que foi apenas uma mudança de nome, realocação base, mas é mais uma questão econômica e estratégica, pelo que eu entendi na época. Quais foram os empecilhos? grana, legislação, logística?
Obvio, dentro do que pode ser informado.

Solskhaer

Aloquem uns EMBRAER´s ST-29 e uns Northrop F-5 ll e pronto. Só não sei de que Grupo!?!?!

Last edited 3 meses atrás by Solskhaer
Alexandre

Eu moro em Manaus e nunca soube que a Base havia sido fechada. Só mudou de designação para Ala 8.

Reportagens especiais

Poder Aéreo no Marrakech Air Show

Por Jean François Auran Especial para Forças de Defesa/Poder Aéreo A sexta edição do show aéreo marroquino "Marrakech Air Show", ocorreu...
- Advertisement -
- Advertisement -