sábado, outubro 16, 2021

Gripen para o Brasil

Participação da FAB na Segunda Guerra Mundial é retratada em exposição na Itália

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A intenção é homenagear a FAB e a FEB, divulgar a história, além de relembrar o espírito de fraternidade entre brasileiros e italianos

A Embaixada do Brasil na Itália inaugurou, na segunda-feira (22), na Galeria Cândido Portinari do Palazzo Pamphilj, a Mostra “Liberatori – Il Brasile nella Campagna D’Italia (Libertadores – O Brasil na Campanha da Itália – 1944/1945)”. A exposição, gratuita e aberta ao público até o dia 19 de março, visa homenagear a Força Aérea Brasileira (FAB) e a Força Expedicionária Brasileira (FEB), divulgar uma importante página de história e, ainda, relembrar o espírito de fraternidade entre brasileiros e italianos.

A mostra foi montada seguindo um percurso cronológico, desde a declaração de guerra do Brasil aos países do eixo, passando pelo embarque das tropas para a Itália, as ações nas campanhas aérea e terrestre, o cotidiano dos militares nas bases e nos acampamentos, as memoráveis conquistas e o retorno ao Brasil. Tudo ilustrado por fotos, documentos raros e objetos usados no período, que retratam os feitos de pilotos, soldados e enfermeiras que colocaram em risco a própria vida pela liberdade e democracia dos povos. São dezenas de relíquias expostas em seis vitrines. O acervo de objetos integra a coleção privada do especialista em arqueologia militar e historiador italiano Giovanni Sulla.

O Adido de Defesa e Aeronáutico do Brasil na Itália, Coronel Aviador André Luiz Alves Ferreira, ressaltou que a exposição foi concebida pela Embaixada do Brasil na Itália para ser realizada em 2020, sendo um dentre os diversos eventos que estavam planejados para as comemorações dos 75 anos do final da Segunda Guerra Mundial, mas foi postergado em função da pandemia.

“O acervo é belíssimo e retrata fielmente o sacrifício de brasileiros e brasileiras que lutaram pelos ideais de liberdade, paz e democracia nos céus e terras italianas. Remete-nos ao cenário do final da Grande Guerra, ao rigoroso inverno de 1944 e à força dos inimigos nazifascistas, sobretudo de sua artilharia antiaérea, maior desafio de nossos bravos pilotos do Primeiro Grupo de Aviação de Caça e da Primeira Esquadrilha de Ligação e Observação. Recordar todas as conquistas e vitórias nos enche de muito orgulho”, destacou o Oficial.

Para o Embaixador do Brasil em Roma e idealizador do evento, Hélio Vitor Ramos Filho, a exposição ilustra um dos capítulos mais importantes das relações entre os dois países. “O Brasil foi o único País latino-americano a ter enviado militares para os campos de batalha europeus durante a Segunda Guerra Mundial. O legado dos jovens brasileiros, homens e mulheres, que participaram da Campanha da Itália se traduziu, também, em competência, coragem e, principalmente, na humanidade”, finaliza o Embaixador.

FONTE: Força Aérea Brasileira

- Advertisement -

53 Comments

Subscribe
Notify of
guest
53 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Bó

Ainda tenha quem desmereça em solo brasileiro a atuação da FEB e da FAB na 2ªGM.

O quantitativo foi pequeno, mas foi valente!

Saldanha da Gama

Onde assino!!!! Valente e competente, além de vitorioso!!!!!!!!!!!

Allan Lemos

Eu já tive professores de história me dizendo que o Brasil não lutou na guerra, já que ela tinha terminado no momento em que os soldados brasileiros saíram dos navios. É lamentável que os italianos deem mais valor à bravura e ao esforço da FEB do que os próprios brasileiros.

José de Souza

Me pergunto quantas vezes repetiu de ano, porque só assim para ter vários professores de história ensinando sobre a segunda guerra mundial, matéria que só é vista em um trimestre letivo no ensino médio…

Allan Lemos

Meu caro, felizmente, eu tive a sorte de ter estudado em uma boa escola particular durante toda a minha vida. E como sempre me interessei por história(em particular por história militar), já tive a oportunidade de conversar com vários professores sobre o tema da Segunda Guerra. Além disso, não é preciso que um determinado tópico esteja necessariamente na grade curricular para que um professor aborde o assunto, principalmente quando se trata de história, já que vários temas estão conectados e um leva ao outro.

Obs: Jamais repeti de ano na escola, e nem de semestre na faculdade.

Cássio Silva

Boa tarde! Estudei em escola pública da sexta até a oitava série do primeiro grau, e nesse período tive a honra de conviver com o professor de História Targino; o mesmo foi expedicionário. Imagine os casos contados pelo mesmo.
Saudações!

Leandro Costa

Allan, infelizmente tivemos experiências parecidas.

Roerto Medeiros

Cara, desmerecer é o de menos… a maioria desconhece

Marcelo M

Muito orgulho. Nem cabe nessa mensagem!

Adriano Madureira

Enquanto os italianos honram nossos feitos de bravura contra um tirano louco, genocida e sua maquina de guerra superior, aqui no Brasil são fadados ao esquecimento… Já vi video de crianças italianas cantando em português o hino da FEB,as daqui desconhecem até que fomos para a WW2 e certamente só sabem funk e sofrência. Aliás, algumas desconhecem nosso hino nacional, o da bandeira, da independência… Duvido muito que a maioria dos nossos jovens conheça tão belo hino como esse,seja os de educação privada ou pública. “Salve, lindo pendão da esperança, Salve, símbolo augusto da paz! Tua nobre presença à lembrança… Read more »

Last edited 7 meses atrás by Adriano Madureira
Fabio

Sou professor da educação infantil, entusiasta da aviação militar, mas comemoro o dia do expedicionário, fazendo uma atividade e explicando dentro da linguagem pertinente dos 5 anos a importância. Fui muito criticado pela gestão, liguei o botão do fo**-se e faço todos os anos .

Welington S.

Parabéns! É isso aí. Ensine seus alunos o que realmente é história.

Nilo

Virei teu fã, P*#&*&#.

Tomcat4,2

Aplausos pra vc meu caro e que Deus o ilumine na instrução dos pequeninos, futuros guardiões da pátria !!!

carvalho2008

Parabéns Mestre Fabio!!

Muitas guerras são a representatividade da falência do bom senso, mas se teve uma que valia a penar lutar foi esta!!!

Para que o mal prevaleça, basta que os homens de bem não façam nada!!

O povo que não conhece sua história, desconhece seu futuro….

Marco

Parabéns professor. O senhor é um diferenciado. Atitude digna dos maiores elogios!!!

Fabio

A todos vocês obrigado, aprendo com cada um, sou de comentar pouco, mas vou relatar um fato que aconteceu em uma reunião de professores, um que se ofendeu da atividade estava com a camiseta do che quer vara, e gosta de falar que brasileiro ultimamente é muito de meme, brincalhão. Coloquei Sinhá Lurdinha pra tocar na hora da minha fala.

O docente ficou roxo de nervoso.
Sou do interior de SP

José Carlos David

Você é uma rara exceção à regra! Parabéns!

Adriano Madureira

Parabéns e continue o bom trabalho de mostrar aos alunos a verdade dos fatos, passagens da nossa história que alguns cretinos preferem esconder…

Roerto Medeiros

Parabéns! Precisamos de mais professores q pensem assim!!!!

Rodrigo Maçolla

Parabéns Fábio , continue , precisamos de mais pessoas como você que valorizam nossa história e passa pra frente para os pequeninos, Uma semente bem plantada sempre ira florescer

Tomcat4,2

Triste é ver “professores” que ,com base em sua ideologia e falta total de conhecimento mínimo manipulam crianças, desde o ensino infantil(como em vídeo veiculado e comentado pelos repórteres do Pingo nos I’s)contra o seu presidente e a favor de suas ideologias enquanto tentam acabar com ,o mínimo, que é tocar o hino nacional ao menos uma vez na semana, e há escolas onde se faz oração e ensina as crianças, é lindo ouvi-las cantando o hino nacional e orando (atrás de minha casa por exemplo em uma escola municipal, na qual meu filho estuda, em Betim MG). Vemos o… Read more »

José de Souza

Criança não tem que orar em escola pública!

Wilson Look

Ensino religioso é permitido em escolas públicas, é uma matéria optativa, só faz quem quer. E também se a criança quiser orar deixe orar, é um direito dela.

E tem as escolas confessionais, estudei em uma e foi bom pois aprendi a ter respeito pelas crenças de outras pessoas, e a não impor as minhas próprias.

Luciano

Olá, Wilson. Infelizmente, na prática nao é assim. Na escola pública onde leciono “religião” é uma disciplina do currículo diversificado, porém nenhuma disciplina deste é facultativa ao aluno. Ele tem q ter frequência. O problema começa antes, ou seja, no lugar de aumentar a CH de filosofia ou história – disciplinas que poderiam abordar temas relacionados à ideia de um ensino de religião (que por mim é errado) – criam um programa complementar com disciplinas questionáveis. Religião é algo privado, se alguém quiser um ensino confessional, procura uma escola vinculada a alguma religião. No ensino público, há de ser laico.… Read more »

Adriano Madureira

Acho desperdício de tempo e dinheiro ensinar religião nas escolas…

Como o amigo disse, religião é algo privado.

Wilson Look

Se está se referindo ao ensino confessional, em escolas públicas, então sim, isso até mesmo fere a laicidade do ensino(para não dizer do Estado).
Agora abortar religião para explicar certos períodos históricos, povos antigos e abordagens filosóficas, eu considero valido porque facilita o entendimento sobre essas questões.

Wilson Look

Eu mencionei isso, pois foi o que eu li a alguns anos atrás quando teve algumas matérias pequenas sobre isso. Apesar de ter começado a fazer Licenciatura em História, acabei parando depois, gosto de história e no meu ver certos períodos, como a Idade Média, exigem a abordagem de religião por causa de se ter uma união muito forte entre a Igreja e os Estados, isso também ajuda a explicar o do porque vivermos em um Estado Laico e o que é isso.(muita gente confunde com Estado Ateu, infelizmente). Se o ensino religioso, aonde você leciona, for confessional, então eu… Read more »

Luciano

Olá, Wilson. Pois, como vc chegou a cursar, vc sabe que analisamos um período histórico em seus diversos aspectos. Dentro dos conteúdos já temos as diversas áreas das história abarcadas na análise do fato sendo que em alguns a História das Religiões predomina na abordagem. O x é q muitas vezes a disciplina “Religião” cai na mão de professores que fazem disso oportunidade para praticar proselitismo, ensinando a doutrina que acreditam. Reitero, era só aumentar a CH de história ou outra disciplina de humanas que a História das Religiões ou Sociologia da Religião, etc, seria contemplada.

Tomcat4,2

No caso não há ensino religioso na escola, apenas uma oração(não é nem o Pai Nosso) pelas famílias e etc, e a mesma é repetida todos os dias como uma música. É pequena e objetiva e não remete a nenhuma religião em si ,apenas a Deus!!! E tanto as crianças como os adultos podem e devem ,caso queiram, orar onde quer que estejam, Deus está sempre ouvindo e disposto a nos ajudar, nós é que não O buscamos. “Criança não tem que orar em escola pública!” Bom mesmo é dançar funk, denegrindo a imagem da mulher ,estimulando ,além da sexualidade… Read more »

Daniel Campos

A rendição da 148ª DI alemã à FEB foi o auge da participação do Brasil na IIWWW, no meu entender. Claro, que esta questão tem muitas nuances. Quem sou eu para avaliar…. Mas nosso pessoal dedicou-se em todas missões com bravura e coragem. Saudações e congratulações onde quer que estejam! Em tempo, vamos prestigiar o nosso MUSAL!

Thiago A.

Louvável iniciativa feita pela embaixada, ainda que rara infelizmente. Da última vez que fui lá, intecionado a quebrar estereótipos e aprofundar o conhecimento da minha ex esposa sobre o Brasil, tinha uma exposição sobre o futebol ou Pelé, agora não lembro exatamente. Nada contra, mas valeria um esforço maior para expor e exportar faces poucos conhecidas do nosso país.
Quem tiver a oportunidade de ir (nesse momento de pandemia claro que não ) aconselho vivamente a visita, è uma das embaixadas mais bonitas e de melhor localização em Roma, de grande valor artístico turístico .

Allan Lemos

Smoking Snakes.

Fernando EMB

Por falar em Smoking Snakes, este é o título de uma música da banda sueca de power metal Sabaton.

Em homenagem aos nossos pracinhas.

Algum músico brasileiro atual já homenageou a FEB?

Allan Lemos

Não. Brasileiro só gosta de homenagear o que não presta.

Fabio

Aliás Fernando, o álbum heroes do Sabaton, traz a música no bullets fly sobre a escolta que um bf-109 fez em um b-17. Recomendo o álbum, e também no em um dos shows que fizeram no Brasil, tinha um veterano na feb, fato que foi único na carreira da banda, nunca nenhum veterano da ww2 esteve presente em um show.
Ps. Considerem também me-109 pra não criar polêmica.

Fabio
Leandro Costa

Fabio, não pude olhar o link agora, mas deve ser o caso do Franz Stigler e do Charlie Brown. Se for esse o caso, há um excelente livro sobre o ocorrido chamado ‘O Amigo Alemão.’

Fabio

Sim, exatamente essa história

Luciano

Olá, Fernando. Atualmente eu recordo apenas de um trecho de uma música que Beto Guedes gravou, mas é uma referência indireta. Contudo, nos ano 40 teve MUITAS música sobre a II Guerra e a FEB. Tem muitos sambas e marchinhas sobre o tema. Inclusive escrevi um artigo sobre isso anos atrás. “E a cobra sambou: a II guerra mundial nos sambas”.

Adriano Madureira

Cobras FumantesNós lembramos, sem rendição Heróis de nosso século 3 homens foram fortes, e eles resistiram por muito tempo Indo para a luta, para a morte que os espera Loucos ou corajosos, isso acabará na sepultura? Enquanto dão suas vidas Como sua honra determina Longe, longe de casa, para uma guerra Travada em solo estrangeiro Longe, longe do conhecido, contem seu conto Sua história esquecida Cobras fumantes, eterna é sua vitória Ergam-se do sangue dos seus heróis Vocês, foram aqueles que se recusaram a se render Os 3, escolheram morrer ao invés de fugir Saibam que a sua memória Será… Read more »

Fabio

OFF, Fernando sexta feira poderia confirmar se o Gripen estava em vôo na região de Catanduva, pois todas as cidades da região ouviram um estrondo e alguns falam em terremoto!, mas eu acredito ser o Gripen provavelmente algum boom sônico.

Odair Botelho

Boa noite Srs. Essa musica do Sabaton é uma homenagem maravilhosa. Sempre ouço e vejo o clipe, ontem mesmo, inclusive.
Abraços a todos.

Rinaldo Nery

Em música não, mas o Baroni (Paralamas do Sucesso), filho de pracinha, é um grande entusiasta e estudioso da FEB. Patriota.

Bruno

Alguém no Brasil sabe o que é FEB? Kkkkkkk… nem no regime militar os próprios militares não se preocuparam em ensinar sobre a nossa participação na guerra! Deveria estar nos currículos escolares desde sempre. A real é dura e triste, ninguém liga pra FEB ou qualquer coisa que envolva a nossa história, nem mesmo os milicos! Até pq quem deu o golpe no império foram eles!
Passei a vida inteira ensinando sobre a nossa participação na guerra, pq ninguém sabe nem que existiu.

Wilson Look

Vou dar uma olhada em um livro de história da época do regime militar que eu tenho.

Não cheguei a olhar a parte da segunda guerra, mas a parte da monarquia, é muito boa e completa, dos livros sobre ensino de história é um dos melhores que tenho.
E a propósito, não tem como eu não saber o que foi a FEB, já que meu bisavô foi convocado para integrar ela.(ele não chegou a ter que se apresentar pois a guerra acabou antes da data de apresentação dele no tiro de guerra).

Last edited 7 meses atrás by Wilson Look
Wilson Look

Deu uma olhada, sobre a segunda guerra, o livro resume muito ela, para apresentar os pontos mais importantes de cada ano, é abordado a FEB, tendo inclusive algumas imagens no TO, mas é bem resumido, é dedicado mais tempo ao governo Vargas e a influencia que a participação na guerra teve no Brasil.

Luciano

Olá, Bruno. Sim, os livros atuais tanto no Ensino Fundamental II quanto no Ensino Médio falam sobre a FEB. Alguns têm textos melhores que outros, mas isso acontece com todos os assuntos. Já abordam faz alguns anos com regularidade.

Adriano Madureira

No meu tempo de escola, nos anos 90, alguns livros faziam menção a atuação do Brasil na WW2 , mas no máximo uma ou duas páginas reservadas ao tema.

Muito triste…

Last edited 7 meses atrás by Adriano Madureira
Luciano

Ainda hoje o foco do Brasil na II Guerra é principalmente no governo Vargas e como ele lidou com as questões. A FEB aparece em uma ou duas páginas, mas isso ocorre com outros assuntos também, contudo, nunca foi impedimento para o professor aprofundar as questões. O x mesmo é q existem poucos pesquisadores sobre FEB aqui. Uns anos atrás num congresso sobre um tema na UFRJ, se nao me engano, contei entre 30 ou 40 pesquisadores que se dedicavam diretamente ao tema. Se tem poucos pesquisadores, tem pouca produção de artigos, dissertações e teses. A maior parte da bibliografia… Read more »

Carlos Crispim

Meus caros confrades, quem é do Rio não pode perder uma visita ao museu CONDE DE LINHARes, em São Cristóvão, vale muito a pena, por dentro é cheio de relíquias da FEB e da Wehrmacht, o acervo mais completo que já vi, no pátio ficam os canhões, leves e pesados, metralhadoras, tem um tanque Caxias, e muito material alemão capturado, tem até um canhão ferroviário! Além disso, tem o Osório, nosso MBT que foi sem nunca ter sido. Imperdível, levem seus filhos eles vão adorar, tem estacionamento grátis (bem, era há muito tempo).

Luciano

Realmente, o acervo deles é muito bom!

GEIS CIPRIANO DE SOUZA

Os Italianos reconhecem a bravura dos nossos heróis brasileiros, enquanto aqui no Brasil, são chamados de herói, é jogador de futebol.

Últimas Notícias

ESPECIAL: A Força Aérea Sueca durante a Guerra Fria

A Força Aérea Sueca (Svenska flygvapnet ou somente flygvapnet) foi criada em 1º de julho de 1926, quando as...
- Advertisement -
- Advertisement -