sexta-feira, maio 14, 2021

Gripen para o Brasil

Custos do F-35 e problemas de teste sob fogo, enquanto a decisão de produção de cadência total se aproxima

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

24 de fevereiro (UPI) — A paciência de Washington está acabando com o conturbado avião de combate F-35, conforme uma decisão sobre sua produção em cadência máxima se aproxima, disse o senador Jack Reed, D-RI, esta semana.

O programa F-35, construindo o que é considerado o avião de combate mais avançado do mundo, custou quase US$ 1,8 trilhão em custos de desenvolvimento nos últimos 20 anos.

Apenas cerca de 500 foram produzidos, embora o Pentágono tenha previsto a compra de milhares para substituir aviões de combate antigos como o F-16.

“Estamos construindo e ainda está em teste operacional e avaliação, e assim que terminar, e esperamos que seja concluído imediatamente, podemos fazer uma avaliação muito mais completa do sistema”, Reed, presidente dos Serviços Armados do Senado Comitê, disse à Bloomberg no início desta semana.

“Esperamos que a resposta seja dada em breve sobre a eficácia do F-35 e a justificativa para seu faturamento como o melhor caça do mundo”, disse Reed.

A manutenção foi retardada por problemas de logística e entrega de peças, de acordo com funcionários e vários relatórios do governo.

O programa inclui três variantes do avião, e uma Joint Simulation Environment Facility totalmente funcional e há muito prometida, para testar vários aspectos do projeto e equipamento do avião em cenários de combate simulados, não foi entregue à Marinha dos EUA, de acordo com um relatório publicado esta semana.

Como os funcionários do programa demoraram a contratar e instalar o equipamento necessário, o Pentágono só recentemente começou os testes, ainda não concluídos, para saber se o F-35 poderia lançar bombas e mísseis se um inimigo interrompesse seus sinais de GPS.

Piloto de F-35 treinando em simulador

As recorrentes deficiências de hardware e software do avião levaram a correções caras e demoradas, e um prazo determinado pelo governo para decidir se a fabricante Lockheed Martin deve embarcar na produção em cadência total foi adiado em 2020.

O Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General Charles Brown Jr., ansioso para ver uma mistura de aviões de combate de última geração e mais baratos na frota militar dos EUA, comparou o F-35 na semana passada a uma Ferrari.

“Você não dirige sua Ferrari para o trabalho todos os dias, você só dirige aos domingos”, disse Brown. “Este [o F-35] é nosso ‘high end’. Queremos ter certeza de que não usaremos para tudo na luta de baixo custo. Quero moderar o quanto estamos usando essas aeronaves.”

Uma avaliação técnica independente dos elementos necessários para começar o teste de combate em um simulador apropriado, pelo Laboratório de Física Aplicada da Johns Hopkins University, o Instituto de Engenharia de Software da Carnegie Mellon University e o Instituto de Pesquisa Tecnológica da Geórgia deve ser entregue até 28 de fevereiro.

Reed observou que o Congresso normalmente considera o preço inicial de um programa militar, sem considerar a sustentação de longo prazo do programa.

“Acho que o F-35 vai nos forçar a ser muito mais conscientes da sustentabilidade”, disse Reed, “sobre como esses custos podem ser reduzidos, sobre como devemos olhar para esses sistemas em termos de seus ciclos de vida, não apenas quanto custa construí-lo.”

FONTE: UPI

- Advertisement -

57 Comments

Subscribe
Notify of
guest
57 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marquês de São Vicente

Acredito que ninguém mais tem dúvidas. Esse projeto foi um tiro no pé. Desenvolveu-se bastante tecnologia, gastou-se muito dinheiro, agora é buscar um jeito de encerrar esse programa com dignidade.

Tomcat4,2

Concordo plenamente, o caça ,com todos os problemas e tal, é o que há de mais foda no mundo mas…….

Antoniokings

E os EUA passaram o problema para alguns países aliados.
Outros foram espertos e se recusaram a comprar.

Dart

exatamente… penso em países que colocaram todas suas fichas no F-Bug… que irão fazer agora? Tenso…

Karl Bonfim

São tecnologias novas, o correto seria investir em versões melhoradas (do F 35 e do F 22), com problemas resolvidos, não dá para voltar para traz com relação as armas e as tecnologias de guerra. Seria como largar as armas de fogo e voltar a usar arco e flecha, lanças e espadas!

Last edited 2 meses atrás by Karl Bonfim
Thiago A.

Nem todos os problemas não são relacionados à implementação de novos sistemas e tecnologias inovadoras. Poderia ser uma desculpa para o pesadelo que foi o sistema ALIS (Information Logistics System). A má gestão foi uma constante . Problemas como a troca de rebites estruturais ou com o canhão por exemplo não são certamente por culpa de alguma “tecnologia inovadora”.

Mirade1969

Meu ponto de vista é que ele devia ser desenvolvido menos sofisticado do que eles planejavam fazer isto gerou demoras e muito tempo perdido desenvolvendo tecnologias novas. Deveria ser um caça mais simples no modelo A e depois ao longo dos anos ir desenvolvendo as outras versões e não fazer três versões ao mesmo tempo desde o lançamento do avião.

Antoniokings
Allan Lemos

Esse avião é o ápice da expressão “o barato sai caro”.

Teropode

Neste caso é: O caro saiu carissimo , mas paixões colocadas de lado ,o F35 é o melhor atacante do momento , com grande capacidade de penetração , ele dispensa ajuda para promover uma guerra eletrônica , ele é uma plataforma completa , porém o preço disto é alto e portanto ele possuí uma limitação não por ser incapaz mas por ser custoso , não sendo viável utilizá-lo em qualquer conflito sub pena de estourarem orçamentos , fazendo a USAF sua refém , então parece que a ficha caiu , sabem que precisam de um carregador de piano mais humilde… Read more »

Andre

“Apenas 500 unidades produzidas”

Quais aviões atuais, não americanos, produziram mais que isso?

Typhoon, J10…mais algum?

Su35, Rafale, J11, J20, JF17, não chegaram nem perto…

construindo o que é considerado o avião de combate mais avançado do mundo”

Last edited 2 meses atrás by Andre
Tomcat4,2

Ninguém nega que seja o cara ,o mais moderno mas nem por ter mais de 500 entregues e tal deixa de ser um abacaxi voador, caro de operar, caro de manter e de comprar, hora de voo caríssima e nada como os próprios bancadores do projeto para falar conforme os link’s postados acima.

Antoniokings

Eu quero mais é que a USAF compre 2.000, 3.000 ou até mais unidades.
Vai secar totalmente o orçamento militar deles e com a baixa taxa de operacionalidade, deles será uma beleza.
Estão no caminho certo.

Thiago A.

Não penso seja uma opção, tendo já em vista os caças de 6* geração batendo na porta e que o programa prévia um custo total de
um trilhão e meio mas já superou esse custo com apenas 500 unidades.

Alex Barreto Cypriano

Tá todo mundo confundindo custos projetados com custos realizados. Até informações oficiais tem desinformado. Custos de R&D, MilCon, Procurement somam o Acquisition cost. Custos O&S são outro custo que somado ao anterior dá o custo do programa. Esses custos podem vir em dólar não retroajustado (then year dollar) ou dólar retroajustado (constant FY12 dollar) – dá diferença pra menos daquele pra este. Tem vez em que se fala do custo unitário e este não considera o custo a turbina, que é um outro programa. Os custos O&S são projetados pros próximos 50 anos e é muito arbitrário pois antevê coisas… Read more »

Esteves

É isso.

Apenas 500 produzidos. Apenas? Seriam milhares. Quantos milhares? 3 mil? 5 mil?

Tecnologia custa caro. Eles não encerarão programa de trilhões. Vão seguir evoluindo nas versões, aprendendo com as inovações, forçando o combate dos aviões. Cada cenário terá seu combatente.

Fazendo contas. Somente fazendo contas.

O avião passa…os cães lamentam,

— Se eu tivesse um avião como esse e grana para operar.

Thiago A.

o custo de um trilhão e meio era a previsão do programa completo, chegaram a 500 e já estouraram essa previsão e estão longe de ter uma plataforma 100% operacional e livre de falhas.

nonato

A previsão era 1.200 já fabricaram 500… Falta pouco. O problema não é a quantidade. O problema é eatar funcionando bem. Eu manteria em baixa cadência e daria o prazo de 2 anos para resolverem sem custos. Fábrica 50 por ano até 2022. O avião é bom e funciona mas tem deficiências. Deficiências em tese podem ser resolvidas. Mas já percebi que o F 35 não será mais o substituto do F 16. Vão deixar como mais um caça stealth, mas não o caça produzido em larga escala. Tanto porque vão investir em 6a geração, loyal wingman e talvez o… Read more »

Alex Barreto Cypriano

O Esteves sabe, mas lembro que o JSF vai produzir 2470 unidades nos EUA (1763 As pra USAF, 353 Bs e 67 Cs pro USMC, 273 Cs pra USN e 14 JSF pra pesquisa e desenvolvimento) e entre 602 e 802 pra aliados. O JSF vai operar por 50 anos ou 8000 horas de vôo (sem previsão de extensões de vida). Atualmente eles estão adquirindo entre 60 e 100 aeronaves por ano. Cada JSF tem voado entre 150 e 170 horas por ano (11 a 15 horas por mês, 6 a 7 decolagens por mês). Custos em dólares retroajustados pra… Read more »

Alex Barreto Cypriano

Todo mundo é injusto com o JSF. O custo do programa inclui R&D, O&S previstos pros milhares de airframes nos 20-40 anos de uso (aquelas médias 6000 horas de vôo, 200 por ano). E custos de aquisição e O&S tem caído pro JSF. O DoD se engana na contabilidade ao não acrescer, no custo de hora de vôo, a amortizacao do custo de aquisição da aeronave. Dizem: ainn, o F-18 custa 10 mil a hora de vôo enquanto o F-35 custa 28 mil. Engano, o F-18 custa o dobro, 20 mil, acrescido da amortização; mas e o F-35, chega a… Read more »

54a2d87369bedd8f0b0e8372-1136-892-484x380.jpg
Alex Barreto Cypriano

E mais:

Costs-per-flight-hour-of-Militarys-Fighter-jets-533x380.jpg
Nilo

👍

Salim

Parabéns, são poucos que argumentam com dados. Fica claro que o custo e maior, porem próximo ao F15 e inferior F22. Acredito que , como F22 , sera utilizado nas situações mais difíceis conflito e visto inimigos atuais náo terem nada melhor que F16 atualizado. E o mesmo argumento utilizado para compra do Tucano, com ambiente menos contestado usa Tucano ao invés de A10. Defendo esta combinação Hi/low para FAB. Veja que Israel esta indo para este caminho também, 3 esquadrões F35 e demais F15/F16.

Tomcat4,2

Rapaz, 135 mil doletas a hora de voo do B-2, não é pra qualquer um não viu, agora ,70 mil doletas por hora do V-22 tbm é cabuloso.

Alex Barreto Cypriano

Estranho e inacreditável esse custo de hora de vôo, né? Se você der uma olhada na mais recente tabela de reimbursement rates for fixed wing aircraft and helicopters publicada pelo DoD, o valor da hora de uso de um V-22 está nuns 28000 dólares. Em quem eu acredito? Sei lá…

Mark

Sempre curto quando alguem apresenta dados e fatos em vez de bater o martelo apenas no “eu acho”.
Quanto ao custos, a ironia eh que mesmo sendo apenas numeros, dependendo de como a empresa classifica-os, modelo de custo adotado, etc, o resultado (o custo) de um modelo sera bem diferente do outro.

Sérgio Luís

Desde de 2018 já era uma aeronave que já nasceu morta!
F-35 “natimorto”
Fico imaginando como a maioria mesmo vendo as falhas continuaram acreditando neste embuste.

Sérgio Luís

E mais surpreendente é que os defensores do natimorto desapareceram!

Thiago A.

Não , alguns Dom Quixotes resistem bravamente.

Sérgio Luís

É o chamado silêncio fúnebre!!
Rsrs

PauloR

Já justificaram os problemas ou os fãboys vão continuar insistindo no sucesso do F35 pq ate agora só vejo um caça cheio de problemas sendo empurrado a força para os aliados.

Adriano Madureira

Ainda bem que nós recusamos esse abacaxi quando nós foi oferecido…

Melhor irmos de Saab Gripen-E mesmo.

Tomcat4,2

Melhor ,no mínimo, mil vezes irmos de Gripen E/F e aumentarmos a quantidade, mais duas encomendas de 36 pra FAB(quem sabe uns 24 pra MB tbm) meu caro !!!

Tiago da Silva

Falar sobre o programa F-35 é mexer em um vespeiro, de um lado os que gostam dos modelos e acham vantagens que muitas vezes são indiscutíveis e do outro os que apontam as suas falhas e milhares de problemas. Particularmente depois de anos acompanhando desde o programa JSF através de revistas na época (que nunca né?) e que hoje já estão com as páginas amareladas e passando posteriormente para os sites sinais foram dados muitas vezes que o F-35 é um programa além de caríssimo e problemático. Aos apaixonados pelo F-35 peço desculpas mas se o principal usuário do modelo… Read more »

Esteves

Tá. Tem.

Para os outros tem curva de aprendizado, curva da banheira, curva ABC, amortização. Tem que levar 50 anos aprendendo e…

A caravana passou…o F35 está voando. Quem tem, tem.

Argos Carreiro

O Su-57 também voa… A questão são os problemas e as promessas feitas sobre o caça perfeito que não pode voar na chuva, muito menos com trovões… São muitos problemas para algo tão caro. É como uma Ferrari que não pode passar dos 80 km e nem andar em pista molhada.

carvalho2008

ainda é um grande avião em combate e de superioridade inconteste por uns 15- 20 anos… mas o projeto foi um fracasso para as metas determinadas….isto afetará o custo programado pois ele não será realizado como planejado… de projeto padrão e como base evolutiva para os próximos 40 anos, passará a ser um projeto tampão…pois os EUA já dimensionam seu substituto. O projeto atual não irá substituir os F-16 nem os F-18SH….será mais um caça em meio a outros e isto não era o esperado… …a promessa não cumprida atrasou outras soluções que os EUA já poderiam estar investindo e… Read more »

Helio Eduadro

Respeito muito a opinião da maioria, mas ainda assim não vejo esse drama todo. A proposta era e é simples: construir o melhor e mais avançado caça de todos os tempos. Isso não é opção para quem quer ou mesmo que tem dinheiro, mas apenas para quem pode. O F-35 evoluiu de ser um misto de F15, F-16 e F-18 para ser o rei dos céus. Uma ambiciosa proposta, que, mais uma vez, lembro que não é para quem quer… Boa parte do custo de desenvolvimento vai gerar dezenas ou centenas de tecnologias, acumulou muitos e muitos zetabytes de dados… Read more »

Antoniokings

Tá!
Rodou, rodou e não justificou.

Helio Eduardo

E quem disse que tive a pretensão de justificar algo?? Expressei minha opinião, meu achismo, sem viés, sem torcidinha.

Teropode

Só não justifica ter 1600as unidades , 800 tá de bom tamanho , eu cancelaria a produção com 600 unidades , já deu prá perceber que os russos vão enfrenta-lo apenas com seus mísseis e radares , ehhhhhh , eles vão recusar o convite para dançar a música escolhida pelos Americanos .

Helio Eduardo

Sem dúvida, e talves por isso F-15X esteja aí e um “novo” caça “básico” no plano das hipóteses.

EdcarlosPrudente

Nada que um novo cheque em branco não possa resolver.

Saudações!

Teropode

Roma foi para o saco por causa destes delírios bélicos .

DSC

“…

Apenas cerca de 500 foram produzidos…”

Não.
Já foram entregues mais de 615 unidades:
https://www.f35.com/content/dam/lockheed-martin/aero/f35/documents/FG21-00000_001F35FastFactsV2_2021.pdf

Zorann

O salto tecnológico proposto lá no início do projeto, com os requisitos desejados, foi alto demais.

Nick

Produzir o F35 e ao mesmo tempo ir corrigindo os problemas que forem aparecendo. Em teoria mesma coisa que comprar um software no estágio alpha e ir fazendo atualizações até o gold. O problema que um caça não é somente linhas de código. Passaram um cheque em branco para a LM.

[]’s

DSC

Esse artigo é só mais um daqueles com muito “cherrypicking” e fake news que muitas mídias tem postado nos últimos dias sobre o F-35… Mas a verdade é muito diferente daquilo que esses autores insinuam e dão a entender ao leitor. Segue os fatos: https://www.defenseone.com/business/2021/02/f-35-still-cornerstone-fighter-top-air-force-general-says/172318/ “F-35 Still the ‘Cornerstone’ Fighter, Top Air Force General SaysAfter calling for a new fighter, Gen. Brown clarified the F-35 is alive and well while a new study reevaluates fighters and drones for 2036.The U.S. Air Force’s top general said the service is committed to the F-35 stealth fighter following comments and headlines in the… Read more »

Last edited 2 meses atrás by DSC
DSC

https://www.airforcemag.com/tacair-study-will-determine-if-f-35-production-surge-needed/ “TacAir Study Will Determine If F-35 Production Surge NeededThe Air Force remains committed to the F-35, and it is the “cornerstone” of USAF’s force planning, but the new tactical aviation study will decide if USAF should surge its production of the jet, Chief of Staff Gen. Charles Q. Brown Jr. said Feb. 25.In a press conference at AFA’s virtual Aerospace Warfare Symposium, Brown disputed recent media reports that have pronounced the F-35 a failure.“The F-35 is the cornerstone of our … fighter capability,” and of USAF’s plans for the future, Brown asserted. The TacAir study he unveiled last week… Read more »

Last edited 2 meses atrás by DSC
Veiga 104

1,8 trilhões de dólares nos últimos 20 anos. Imagino que tenha muita gente do pentágono , senadores , deputados… todos rindo à toa.

nonato

A solução seria mandar prender os chefes da LM e dar um prazo de 2 anos para resolver.
Não tem nada a ver cok novas tecnologias.
Um canhão que atira torto.
Que tecnologia é essa?
Se fosse um laser até poderiam dizer isso.

Leonardo M.

Só o projeto de U$1.8 Trilhão daria para comprar 20.000 F-16 novinhos ou 15.000 F-15 novos

Mas se eles estão felizes com 500 unidades entso tá bom

Paulo Araújo

Ninguém discute sobre o conjunto de tecnologias que foram desenvolvidas e, de alguma forma, integradas nas versões do avião. Mas a forma como o contrato foi firmado com a LM nunca mais se repetirá. Esta discussão já ocorreu no DoD. Mas o avião será bancado e vai operar, já que existe, voa e seria difícil até para os norte americanos jogar 1 trilhão de bidens na lixeira. Além disso, há o compromisso com os aliados que compraram o avião. Os EUA não são bobos (apesar de alguns acharem que são…), fazem contas e já devem ter chegado à conclusão de… Read more »

Cético

O interessante é quê enquanto vários comandantes americanos falam que o projeto é ruim, alguns aqui falam que não, entendam, deixemos as paixões de lado,se o cara que é americano, comandante,especialista, fala quê é ruim é porque e ruim,num conflito ou pouco mais longo este avião quebra financeiramente uma nação e não é por causa das suas armas.

tadeu54

O custo desse avião não é apenas a compra, mantê-lo e o custo hora-vôo também são altíssimos !

PCOA

já se foram 20 anos, US$ 2 trilhões, “apenas” 500 aeronaves em baixa cadência de produção. vai passar a vida operacional sem ter efetivamente passado em todos os testes. Ao meu ver, me parece que o avião é bom e capaz, em termos mas, o modelo adotado para desenvolvimento, esse sim, foi um tiro no pe. teriam que ter definido um patamar mínimo para desenvolvimento e, ao longo do tempo e dos lotes, incrementando tecnologias. MATURAÇÃO. Tranche 1, 2, 3 para o Eurofiguter. Rafale tem seus F1, F2, F3 ….. F15, F16, F-18 tem suas versões e blocks… Agora, essa… Read more »

Reportagens especiais

Os F-5 da Jordânia, agora na FAB

A Real Força Aérea da Jordânia recebeu um total de 61 Northrop F-5E Tiger II e outros 12 F-5F...
- Advertisement -
- Advertisement -