terça-feira, setembro 21, 2021

Gripen para o Brasil

Avistado o primeiro A-29B Super Tucano da USAF em cores retrô

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Em 23 de fevereiro de 2021, o primeiro Embraer/Sierra Nevada Corporation A-29B Super Tucano da USAF foi fotografado em um aeroporto nos EUA.

No momento, a USAF tem três aeronaves encomendadas. Espera-se que os A-29Bs sejam adicionados ao 6th Special Operations Squadron do AFSOC (Air Force Special Operations Command) em Duke Field (FL) no devido tempo.

Em 12 de maio de 2020, a Sierra Nevada Corporation (SNC) informou que uma terceira aeronave A-29B Super Tucano seria entregue para a missão Combat Aviation Advisor (CAA) do AFSOC.

A ação de contratação indefinida pela USAF é para a SNC, como contratada principal, e seu parceiro, Embraer Defense & Security, entregar os A-29Bs, bem como equipamentos de apoio em solo, treinamento de pilotos (incluindo treinamento diferencial e treinamento de atualização de piloto instrutor), suporte logístico da contratada, reserva de aeronaves e sustentação para a missão CAA do AFSOC, que ajuda a desenvolver a capacidade de parceiros internacionais.

A produção das aeronaves de combate A-29B de ataque leve e reconhecimento sob este contrato está em andamento em Jacksonville (FL) com entrega planejada de todas as três aeronaves em 2021. As atividades de treinamento e suporte da SNC continuarão até 2024.

NOTA DO EDITOR: O autor da foto pediu que ela fosse removida para que ele não tenha problemas de fazer imagens futuramente no aeroporto local. Deixamos no lugar da foto o desenho do P-51 Mustang cujo esquema de pintura foi usado no A-29B da USAF.

- Advertisement -

131 Comments

Subscribe
Notify of
guest
131 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JOACY SANTOS JUNIOR

Ficou muito bonito.
Espero que faça sucesso na nova missão

Gustavo

Bonito!

Saldanha da Gama

Quem imaginou que um dia, veríamos um avião concebido no Brasil voando pela air force e usando a estrela branca embutida no círculo azul?

Welington S.

Eu sempre disse que uma hora ou outra o A-29 Super Tucano voaria na USAF e seria muito elogiado pela sua capacidade de entrega. Assim como acreditei no A-29 Super Tucano voando na USAF, acredito também que o KC-390 voará na USAF. Questão de tempo.

Leandro Costa

KC-390 eu já duvido que vá acontecer. No caso do Super Tucano eles não tem uma aeronave que faça o mesmo trabalho. Podem argumentar o caso do AT-6, mas ele não é nem de perto tão bom quanto o Super Tucano. Já o no caso do KC-390 o concorrente direto é o C-130J, então não vejo como adotariam o avião Brasileiro.

José

Legal vê-lo voando no país que detém a tecnologia para fabricá-lo, pois se dependesse do Brasil nem o motor ele teria.

Julio Buzoli

Vira Latas detectado!

Elias

Concordo, são os Hard haha! As hienas que choram e não riem “ó céus o vida…. “ lembra do desenho animado?

leonidas

Infelizmente vc esta coberto de razão.
Não fosse o motor e a avionica de fora ele seria apenas uma bela maquete.
Há mérito da Embraer?
Claro por possuir a tecnologia de projetar pois se fosse tão simples todos os paises montariam aeronaves ou projetaria as mesmas.
Porem falta muito para podermos sentir orgulho …

Last edited 6 meses atrás by leonidas
Fernando

Falta muito para você sentir orgulho, não para mim. Trabalhei com este avião na sua concepção. Conceber uma aeronave vai muito, mas muito além do que imagina. Uma empresa que concebe aeronave normalmente não concebe seus motores… mas precisa ter a competência para escolher o mais adequado (independente se é nacional ou não) e integrar este motor ao avião. A mesma coisa para a aviônica. E não há demérito para Embraer por causa do fato do motor e aviônica (e olha que uma parte desta é nacional sim, snme). Dizer que o país não projeta o produz motores vai muito… Read more »

leonidas

Não é vira latismo, e nem falta de patriotismo.
E apenas encarar os fatos!
A Embraer tem seus méritos e não neguei isso alias citei sua expertise no texto.
Mas para sentir orgulho de um avião nacional ele deve ser necessáriamente nacional quando o assunto é patriotismo e não ufanismo…rs
Sentir orgulho de empresa todos podem sentir, vc da Empresa Embraer , alguém da Nestle enfim… rs
Mas falo do que importa, a capacidade de uma nação deter tecnologia para de fato andar sob suas pernas.
O resto é mimimi e ufanismo…

Bueno

Para esta turma, Oscar Niemeyer não tem nada de relevante, quem tem relevância é o fabricante de concreto armado.

Fernando

Excelente paralelo.

Caio Andrade Garcia

vou anotar essa.

RICARDO

Prazer em conhecer, sou a Embraer !!!

https://www.youtube.com/watch?v=9G3PKOeN6lE

Funcionario da Comlurb

Vira latas 2, detectado

Thiago A.

Sem noção camarada, nem a Lockheed nem a Boeing produzem os motores que serão integrados nas aeronaves que eles projetam e fabricam. Só AIRBUS que eu saiba, no seu conglomerado defesa, participa dessa etapa , pois no caso do turboprop do Atlas não existiam alternativas no mercado. O utra etapa, outro setor, outra capacidade e know-how. E por último , para você entender quanto complicado e difícil é criar uma empresa como a Embraer, países bem mais desenvolvidos, com todo o conhecimento necessário, não foram capazes de se inserir nesse mercado como a Embraer fez. Conquistando confiança e sempre mais… Read more »

igortepe

O negócio é, que o Brasil não produz motores aeronáuticos de nenhum tipo.

Thiago A.

Sim igortepe, mas isso são outros quinhentos . São duas produções diferentes e em nada desmerece a Embraer e seu trabalho. É só você observar a concorrência para para entender. Também gostaria que tivéssemos participação nesse segmento tão estratégico . Mas infelizmente nesse momento, com essa mentalidade, com essa economia, não é factível. Ou a FAB e o ministério começam a bancar o desenvolvimento garantindo compras de centenas de aeronaves, mesmo que mais caras e menos eficientes ( algo totalmente compreensível no começo- e mais não é só importante a quantidade de aeronaves e sim a continuidade nas compras) ou… Read more »

Nelson Brasil

Pesquise turbomachine e Polaris.

leonidas

Sério ? rs Puxa tinha certeza que a Lockheed fornecia motores para a Boeing…rs Eu não sei porque as pessoas querem acreditar que o simples fato de admitir algo obvio seja o mesmo que desmerecer a Embraer enquanto empresa. Eu citei que falta muito para termos orgulho de uma aeronave nacional voar com as cores da USAF no sentido (ainda que oculto, mas ainda assim obvio) de não termos tecnologia aeronáutica que nos permita fazer uma aeronave sair do chão!!!!!! Simples e desconcertante assim, não tem nada a ver com desmerecer a Embraer e sim lamentar o contexto de uma… Read more »

Last edited 6 meses atrás by leonidas
Kleber Paulo Peters

Mas ele não falou da Embraer. Falou do Brasil. E nesse ponto está correto. Não poderia ser um Caramuru no lugar do PW? Ou um CBT? Engesa? Esse é o ponto. De resto, palmas para a Embraer, fez um ótimo trabalho e um ótimo avião, que se tivesse um motor nacional (se existisse) seria o ideal.

José

Perfeito! Se fôssemos como os russos, que além de fabricar toda a estrutura, ainda tem o motor, armamento e aviônica próprio… com certeza eu teria orgulho. Mas fabricar um turbo-hélice recheado de componentes importados não é muito difícil. E pra acabar com a humilhação, sempre que precisa vender tem que pedir a benção e autorização dos EUA. Quem sabe um dia teremos uma aeronave 100% brasileira.

Last edited 6 meses atrás by José
CAIO ANDRADE GARCIA

Navio de superfície de fabricação russa utilizam em sua maioria turbinas a gás Zorya-Mashproekt de fabricação ucraniana. A maior parte dos helicoteros russos utilizam motores da Motor-Sich (ucraniana também), sem falar nos motores aeronáuticos Ivchenko – Progress dos Antonov (ucranianos). Além dos veículos lançadores de misseis balísticos que são feitos em Belarus.

Fabio Jeffer

A Rússia já não utiliza mais as turbinas Ucranianas

Caio Andrade Garcia

Não devido ao embargo, a klimov está tentando suprir essa lacuna. A Marinha da Índia não aceita turbinas da Klimov, a Zorya entrega diretamente para os indianos integrarem na classe Talwar por exemplo.

Leandro Costa

Não é muito difícil mesmo não, claro. Mas o que realmente não é muito difícil é falar muita besteira, mas muita besteira mesmo, na internet e ainda achar que está certo. Nesse ponto você conseguiu em cheio.

José

Ficou nervoso ouvindo verdades? Nem mesmo o assento ejetor é fabricado no Brasil. Vergonha! Na proxima tenta refutar com argumentos.

Leandro Costa

Eu poderia argumentar sobre uma coisa é pegar equipamentos ou componentes e o trabalho em se encontrar soluções de engenharia para aproveitar todo o potencial de tudo que está ali, mas certamente você não entenderia.

José

“Encontrar soluções de engenharia”. Você fala como se construir um turbo-hélice leve, fosse semelhante a construir um ônibus espacial. Deve ter sido muito difícil para os engenheiros da Embraer desenvolver esse projeto utilizando tantos componentes importados.!

Last edited 6 meses atrás by José
Leandro Costa

O mais interessante é que você parece simplesmente não ter noção nenhuma da vergonha que está passando. Não sei se tem menos noção de engenharia ou do ambiente que o cerca.

Marcos Cooper

Saia de fininho rapidinho. Está ficando vergonhoso sua falta de noção e conhecimento sobre o assunto…

Wilson Look

O desenvolvimento de ambos é semelhante, o processo é o mesmo, o que muda são os cálculos, pois os materiais são diferentes, as necessidades são diferentes.

O AT-6E está ai para mostrar que, mesmo o país com a indústria aeronáutica mais avançada consegue criar algo inferior a um produto já consolidado no mercado.

igortepe

O negócio é, que o Brasil não produz motores aeronáuticos de nenhum tipo.

Leandro Costa

Tudo bem, eu entendo isso. Mas esse bonde já passou. Pelo menos por enquanto. O catzo é que se fosse qualquer outra fabricante de aeronaves, elas em sua enorme maioria escolhem os componentes e motores exatamente da mesma forma que a Embraer escolhe e os integra dentro do projeto. Então na prática, o que ele está dizendo sobre a Embraer pode ser aplicada à qualquer fabricante de aeronaves.

Se aplicássemos a ‘lógica’ dele, teríamos que bater ainda mais palmas para a Embraer, já que está usando componentes estrangeiros melhor que os próprios hehehehe

Wilson Look

As microturbinas para misseis e drones da TurboMachine, não contam?

Flanker

Nem mesmo o assento ejetável?? Existem mais países que fabricam submarinos nucleares do que países que fabricam assentos ejetáveis. Só como exemplo, em toda a Europa somente a Inglaterra produz esses assentos.

Last edited 6 meses atrás by Flanker
Gal. Ruela

Meu amigo, não basta querer fabricar internamente os componentes. Essas coisas custam muito dinheiro. Para vc viabilizar o negócio, é necessário competitividade, clientes e lucro. Já é um belo de um orgulho que a 3a maior fabricante de aeronaves do mundo seja brasileira. Tomara que consigamos mais.

CAIO ANDRADE GARCIA

Navio de superfície de fabricação russa utilizam em sua maioria turbinas a gás Zorya-Mashproekt de fabricação ucraniana. A maior parte dos helicoteros russos utilizam motores da Motor-Sich (ucraniana também), sem falar nos motores aeronáuticos Ivchenko – Progress dos Antonov (ucranianos). Além dos veículos lançadores de misseis balísticos que são feitos em Belarus. Sem falar nos ICBMS (Pivdenne/yuzmash) …ucranianos.

José

Realmente a Ucrânia está bem à frente da Rússia no que diz respeito a tecnologia militar. Você tem razão. O que seria da Rússia sem a Ucrânia. Será se o Yuri Gargarim teria ido ao espaço na Sputnik? Acho que não. A Ucrânia é a nova potência militar e sem ela a Rússia não tem capacidade de fabricar seus próprios componentes.

Last edited 6 meses atrás by José
CAIO ANDRADE GARCIA

De fato não teriam conseguido. https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Sergei_Koroliov O “pai” do programa espacial Soviético ucraniano.

CAIO ANDRADE GARCIA

Navio de superfície de fabricação russa utilizam em sua maioria turbinas a gás Zorya-Mashproekt de fabricação ucraniana. A maior parte dos helicoteros russos utilizam motores da Motor-Sich (ucraniana também), sem falar nos motores aeronáuticos Ivchenko – Progress dos Antonov (ucranianos). Além dos veículos lançadores de misseis balísticos que são feitos em Belarus. Sem falar nos ICBMS (Pivdenne/yuzmash) …ucranianos. 

Caio

Navio de superfície de fabricação russa utilizam em sua maioria turbinas a gás Zorya-Mashproekt de fabricação ucraniana. A maior parte dos helicoteros russos utilizam motores da Motor-Sich (ucraniana também), sem falar nos motores aeronáuticos Ivchenko – Progress dos Antonov (ucranianos). Além dos veículos lançadores de misseis balísticos que são feitos em Belarus. Sem falar nos ICBMS (Pivdenne/yuzmash) …ucranianos. 

José C. Messias

PODE FALTAR MUITO ORGULHO PARA MUITAS PESSOAS, MAS NÃO PARA MIM, TAMBÉM!
Tive a felicidade de ver chegarem os primeiros três exemplares da FAB na BANT em 2004, para serem implantados no 2º/5º GAV. A tecnologia embarcada, a estrutura da aeronave, a motorização e armamento integrados nessa aeronave é produto da indústria nacional.
Qual é o país que é auto suficiente na concepção, projeto e construção de uma aeronave como essa?
Hoje se contam é com parcerias estratégicas; e nisso, a EMBRAER manda muito bem.
É PRA SENTIR ORGULHO SIM!

Rachid

A EMBRAER é a terceira maior fabricante de aviões do mundo, não fale asneiras. Empresa consagrada e consolidada no planeta. Com certeza o Super Tucano não faz frente aos caças Norte Americanos, mas dentro de sua categoria é sem sombra de dúvidas o mais consistente. Cada um tem seu emprego.
Assim como Embraer tem centenas de aviões civis de passageiros voando nas cias aéreas americanas, mesmos a Boeing tendo capacidade de fabricá-los. Cada um no seu quadrado.

Last edited 6 meses atrás by Rachid
Funcionario da Comlurb

Você perdeu uma ótima chance de ficar calado.

Vira latice aqui no blog ainda aparece, como você, mas está acabando.

José

Pra não falar que eu sou vira-lata, eu reconheço que pelo menos o mockup (maquete) do Gripen que fica exposto nos shoppings foi construído com tecnologia e componentes 100% brasileira! 😁

Last edited 6 meses atrás by José
Flanker

Te engana de novo…essa maquete foi construída na Suécia.

João Adaime

Prezados José e Leonidas
Fabricar um avião não é apenas pegar um motor e alguns softwares e fazer uma carenagem em volta. Até na indústria automobilística o desenvolvimento de um modelo leva anos, imagina um avião.
Vou dar apenas um exemplo. Um comparativo da evolução do E 195 para o E 195 E2. Repare na pontas da asas do E 195, um pedaço dela voltado para cima. É o winglets. Sua função é reduzir o vortex, ou a turbulência.

E 195.jpg
João Adaime

Prezados José e Leonidas Agora reparem na ponta das asas do E 195 E2. O winglets desapareceu. Usando o conceito de “asa gaivota” ou “wing tip”, conseguiu-se o mesmo efeito do winglets, mas com uma melhor performance em vôo e uma redução do consumo de combustível. Aliado a outras melhorias na estrutura e materiais empregados, além de nova tecnologia de motores, o E2 apresentará uma economia de até 24% de consumo e 20% nos custos de manutenção. E levará 10% de passageiros a mais do que o concorrente, mantendo o mesmo peso. Isto só foi possível com um corpo técnico… Read more »

E 195 E2.jpg
Thiago A.

O sujeito tava esperando a o público aplaudir e jogar osso pra ele… Não dessa vez, não aqui. Tenta na próxima, talvez no Facebook ou Instagram. Abs

José

Obrigado pela audiência. rs

Fernando EMB

Comemorar audiência por ignorância é triste…

José

Triste é se incomodar com verdades ditas por um estranho na internet. Até o assento ejetor (onde o piloto se senta) é importado, se não fosse a Martin Baker o piloto não teria aonde se amarrar. “Orgulho nacional esse caça” rs

Last edited 6 meses atrás by José
Thiago A.

Tu é tão tapado, ou se faz, para não entender que o segmento da Embraer é um e o da Pratt & Whitney, Rolls-Royce, General Electric, Honeywell , MTU etc è outro ? Visse aviões aviões voando por aí dessas empresas que eu acabei de elencar ? Não , né. Eu também gostaria que o Brasil entrasse nesse ramo, mas no momento não é factível, não é só questão da capacidade e conhecimento. Existem n’ países que teriam o conhecimento necessário para ingressar nesse ramo, mas não enxergam viabilidade/sustentabilidade para uma empreitada tão dispendiosa e complicada sem um gigantesco suporte… Read more »

Thiago A.

Se é tão fácil porque não temos na AL ( Mexico, Chile, Argentina… pra ficar nos países mais óbvios) congêneres com potencial da Embraer ? Deve ser porque eles não queriam uma produção tão desprezível…
Vai catar coquinho José

CAIO ANDRADE GARCIA

Assento ejetor é algo tão complexo que além da Martin Baker há somente outras duas empresas com capacidade técnica para produzir, Collins Aeroespace e e NPP ZVEZEDA.

Silveira

Amigão, pega uma enxada e vai capinar um lote. Nem seu computador e internet você teria.

José

Amigão, não imaginava que a verdade iria incomodar os pseudo patriotas. rsrs

Fernando EMB

Não alimentem o troll. Ignorem.
Lá fora todos os que entendem de aviação admiram e muito a Embraer. Mas nós brasileiros somos quem teimamos em nos rebaixar.

Last edited 6 meses atrás by Fernando EMB
José

O Troll que fala verdades. Se algum dia o Brasil sofrer embargos econômicos e militares, adios super tucano.

Fernando EMB

Estamos falando aqui no orgulho do que faz a Embraer… E não do Brasil. Deu para entender ou precisa desenhar??
Tenho orgulho porque o que a Embraer faz, poucas empresas do mundo fazem, e menos ainda fazem tão bem.
Agora do Brasil… Bem, dependendo do assunto, não dá para ter orgulho mesmo.
E e acha que é fácil desenvolver uma aeronave, como a ST, ou um KC390 ou E2… que é só juntar peças… Bem, então sua ignorância no assunto é gritante

Last edited 6 meses atrás by Fernando EMB
João Adaime

Origem das partes do Boeing 787.

boeing 787.png
Fernando C. Vidoto

Po galera, mundo globalizado. Países ocidentais não costumam fazer 💯 da aeronave.

Mauricio Pacheco

Vira latas!!

Fernando Turatti

Parece um tanto quanto curioso o programa para aviões de ataque leve.
Enquanto a USN está se remodelando pensando em combates de alta intensidade, na USAF ainda vemos um programa de aquisição que chegou severamente atrasado, umas duas décadas mais ou menos.
A essa altura eu nem sei se isso vai mesmo pra frente, e se for, se não será um outro erro ao, novamente, adaptar-se para o momento errado.

GFC_RJ

Acho que uma coisa não tem a ver com a outra.
Uma coisa é uma frente estratégica contra ameaças convencionais, outra coisa é outra frente estratégica contra ameaças não convencionais.
Esta segunda continuará na pauta americana por um bom tempo ainda, principalmente pelo fato de que a nova administração está recuando na desmobilização na Síria e no Afeganistão.

Fernando Turatti

Na verdade, são rigorosamente a mesma coisa. A marinha americana estava engajada em encontrar soluções para esses conflitos, trazendo navios para combate litorâneo, focando nos Zummwalt em trazer canhões de precisão que jamais viram a luz do dia(ao menos a munição) e o escambau. São projetos que nasceram do mesmo problema. A marinha, entretanto, abandonou completamente(ou quase) a ideia de voltar-se ao combate assimétrico, indo de encontro ao que deve ser buscado para combater mais eficientemente países de verdade como a China. Até vejo utilidade para Super Tucano e afins na USAF, só não sei se o cobertor – sempre… Read more »

Fernando C. Vidoto

Só dos EUA adquirir o super tucano já é um sinal que os EUA estão se equipando para o combate guerrilla de forma econômica (pq antes era a10; f16; f15; B1; Tomahawk e etc).

Não é pq os EUA compram super tucanos que eles irão parar de usar os outros vetores. Super tucano entra como mais um vetor na lista.

Karl Bonfim

Que avião lindo!
Gostei!

DOUGLAS TARGINO

Quero mesmo saber quando vai sair o contrato grande! Acho que no final vão cancelar isso, demora da gota kkkk

Welington S.

Se é uma escolha, é demorado mesmo, não tem jeito. E os americanos sabem que o A-29 Super Tucano É o mais capaz.

Dod

Caraca que massa vei,

Fernando

Como não adiantou falar naquele outro tópico… que o AT-6 não ganhou nada… Que é um programa ainda experimental da USAF, que adquiriu ambos os modelos para teste do conceito de emprego.

Esta pintura é alusiva aos aviões que operaram no cenário da Ásia (Birmânia) na Segunda Guerra Mundial.

RICARDO

Fernando, cabe lembrar aqui que através do programa FMS – Foreign Military Sales (vendas militares a países estrangeiros) já foram ou serão entregues pela USAF/Governo Americano 26 unidades do A-29 para o Afeganistão (todas entregues), 6 para o Líbano (todas entregues) e 12 para Nigéria (estes em ainda produção) …

Flanker

Com essa pintura ficou mais parecido ainda com o P-51 Mustang.

Fernando C. Vidoto

Pelas funções da aeronave o análogo seria o P47 thunderbolt.

Flanker

Estou me referindo ao design, não à função.

JuggerBR

Se a LM tivesse um contrato desses pro projeto do F-35, estava entregando avião direitinho, sem toneladas de defeitos… Mas é claro que não dá pra comparar o tamanho dos lobbies (e dos bol$os) da LM e da SNC…

Leandro Costa

Linda pintura que remete aos P-51A Mustang no CBI do 1st ACG. Lindo demais!

Bruno

Parabéns aos yankes, sempre relembrando seus heróis e suas maquinas históricas! Lembram daquela vez que a FAB pintou os nossos A-29 em homenagem aos nossos pilotos nas cores dos P-47? Pois é, nunca aconteceu!

Leandro Costa

Temos que homenagear em todas as aeronaves?

f5_1gavca.jpg
Flanker

A-29 nas cores dos P-47?? Não lembro. Quando isso ? Tem imagens?

Fernando EMB

Off Topic… A Embraer anunciou hoje que o Phenom 300 foi o jato executivo leve mais entregue no mundo em 2020. Essa marca foi atingida pelo Phenom 300 pelo nono ano consecutivo.

Leandro Costa

Vocês estão de parabéns! Além de ser boa e eficiente, ainda é uma aeronave bonita pra caceta!

Marco

A-29 se juntando ao T-45 Goshawk (BAe Hawk) e ao AV-8 Harrier ((Hawker / BAe) também foram concebidos em outros países e adotados pelas forças armadas americanas. Parabéns Embraer!!!

LucianoSR71

Na realidade o próprio T-6 Texan II é originalmente um PC-9 da Pilatus, c/ algumas modificações. No passado também tivemos outros, lembro de pelo menos esses: de Havilland’s DH98 Mosquito e DHC-4 Caribou e o English Electric Canberra, que virou o Martin B-57.

Leandro Costa

Luciano, eu já havia visto fotos de Mosquitos servindo com a USAAF, mas não sabia que o Mosquito havia sido fabricado nos EUA. Imagino que tenha sido por pouco tempo, durante a Guerra. Obrigado pela info 🙂

LucianoSR71

Caro Leandro, não foram fabricados nos EUA, eu segui a linha do colega que se referia a aeronaves estrangeiras que serviram lá ( ‘foram adotados’ ), alem da Inglaterra foram fabricados no Canada e Australia. Abs.

Leandro Costa

Ah sim. Então nesse caso podemos colocar o Spitfire nessa conta também, assim como o UH-72 Lakota e acho que o Twin Otter também.

LucianoSR71

Amigo Leandro, lembrei de uma curiosidade: o filho do Pres. Roosevelt, Elliott Roosevelt, ao assistir uma demonstração do Mosquito ficou impressionado e pressionou p/ que fornecessem a USAAF a versão reconhecedor pois era mais veloz e tinha maior range que o Lockheed F-4 Lightning.

Leandro Costa

Esse era aquele que era fuzileiro ou era o outro filho do Roosevelt?

LucianoSR71

James Roosevelt, o Jimmy, é que era fuzileiro, o Elliott era da USAAF. Outros 2 filhos foram da US Navy, isso era o que eu me lembrava, mas p/ não falar bobagem fui pesquisar e encontrei um artigo sobre isso – p/ o comentario não ficar preso devido ao link, bota no Google: sons-of-the-commander-in-chief-the-roosevelt-boys-in-world-war-ii

Leandro Costa

Isso, Jimmy! Ele foi um personagem, ficcionalizado claro, em uma saga de romances históricos que li algum tempo atrás.

Marcos Cooper

Lightining F-4 ou F-6? Agora confundiu.

LucianoSR71

Espero que o comentario não fique retido pelo link, vamos tentar:
http://www.historyofwar.org/articles/weapons_F-4_lightning.html

Marcos Cooper

Também teve Spitfires na USAAF.

LucianoSR71

O amigo Leandro já tinha citado o Spitfire – além UH-72 Lakota e do Twin Otter – quando eu escrevi, os exemplos que dei foram o que me vieram logo na memória, é bem capaz de se nós pararmos p/ pensar devem ter ainda outros, ou seja não é comum, mas esporadicamente vemos aeronaves estrangeiras voando pelas forças armadas americanas. Abs.

Leandro Costa

Sim Luciano, e isso apenas para citarmos as que são utilizadas regularmente. Eles ainda utilizam um monte de parafernálias estrangeiras para treinamento ou até mesmo para operações especiais. Se formos incluir armamento pessoal nisso, aí a lista fica maior ainda.

Marcos Cooper

Exatamente! Abraço.

CAIO ANDRADE GARCIA

até o t 6 texan II…é uma derivação do Pilatus PC 9M

CAIO ANDRADE GARCIA

até o t 6 texan II…é uma derivação do Pilatus PC 9M

Mauro

Seria esse o Super Tucano com a pintura mais linda jamais visto? O mais importante pouca gente percebe, a enorme carga de geopolítica que há neste programa, bem como nossos paraquedistas treinando com a 82nd Airborne Division. O general do US Army que comandava aquele exercício lembrou que o Brasil foi o único país da América do Sul a enviar tropas para combater na segunda guerra mundial, e que o Brasil foi também o primeiro país sul americano a enviar uma tropa do seu Exército para treinar com a 82 Divisão Aerotransportada nos Estados Unidos. Não quero nem falar no… Read more »

Antoniokings

Ficou muito legal.

Foxtrot

WWII.
Alusão ao P-51 Mustang.
Estranho a camuflagem, mas imponente!

Leandro Costa

🙂

P-51A_CBI.jpg
João Adaime

Gráfico demonstrativo da origem dos principais componentes do Boeing 787, com empresas e países.
Num mundo globalizado, empresas que buscam o melhor produto, mais barato, e por tabela mais lucro, procuram cada componente onde o custo/benefício for o mais favorável.

boeing 787.png
F-5

O DNA dele é nosso!!!!

Carlos Campos

Muito orgulho os ST nos deu, mas acredito que o Brasil devia seguir em frente com drones armados e IA, a Stella e a SIATT+TURBOMACHINE tem projetos bons, a da Stella já está até pronto, a EMBRAER devia se asscoiar a uma dessas empresas e tocar um projeto de drone armado, já que esse papel de apoio aproximado e interceptação pode ser feito por drones

Caio Andrade Garcia

o projeto do Tupan tem previsão de desenvolvimento de uma versão armada e outra como “loyal wingman” do Gripen.

MCruel

LIIIIINDAAAA!!! Quero uma em plastimodelismo!!! Bora se puxar Tamyia, Revell, etc !!!

m. wolf

adoraria ver um A-29 da FAB com as cores do P-47. mas nosso brigadeiros não gostam dessas coisas

Tomcat4,2

O nível de viralatice de alguns aqui é absurdamente de “riac o uc ad adnub uiv” !!!
É sim de se orgulhar da Embraer e seus colaboradores o fato de vermos nesta matéria um produto seu na maior força aérea do planeta !!!

Yuri Dogkove

Parabéns a esse avião 60% americano!

Fernando

Parabéns a Engenharia brasileira por criar esta aeronave, que veio de outra aeronave, o EMB-312 Tucano, uma aeronave que simplesmente revolucionou o mercado e criou o padrão atual de aeronaves de treinamento.

Yuri Dogkove

Ah se o problema do Brasil fosse “apenas” fabricação de motores… Aqui praticamente não se fabrica quase nada! Tudo se compra! Vivem criticando a China por comprar motores russos, mas ignoram o fato dela já fabricar motores 100% chineses para parte de suas aeronaves, e já está desenvolvendo motores próprios para substituição de alguns destes! E a propósito: O Gripen NG da FAB é suéco ou brasileiro?

Last edited 6 meses atrás by Yuri Dogkove
Fernando

Um tempo atrás a produção dos Ejet´s sofreu atrasos por falta de motores… a GE (americana) deixou de entregar os motores porque não recebiam peças que eram exclusivamente feitas no Japão!!!!!

Se seguir o raciocínio de alguns aqui… ninguém tem orgulho de nada!!!

Gamayun

Não mesmo, e se seguir seu raciocínio fabricaríamos tudo nos EUA. você mesmo estava apoiando a entrega da EMB pra Boeing, se lembra disso?

Fernando

Nunca apoiei meu amigo… eu entendia a razão da Aviação Comercial (e não da Embraer) estar envolvida no negócio, só isso. Você erra duas vezes. Primeiro, isso não é apoiar, e segundo isso não é entrega da Embraer (mas sim a venda de 80% da aviação comercial), e a Embraer não é só aviação comercial… e este tópico mesmo é uma prova disso.

Então não me venha dizer que apoio ou não uma coisa. Vai lá buscar meus posts anteriores… vai aprender a ler e interpretar.

Alex Barreto Cypriano

Vejo gente se orgulhando de um airframe traçado aqui ir lutar (e ainda não está) na USAF – síndrome de cuckold, só pode! De outra parte, a USAF aplica um passa moleque nos saudosistas que querem aeronaves de ataque leve tripuladas quando drones já fazem o serviço e, evidentemente, ela prefere lidar com aeronaves sofisticadas (tripuladas ou não), caras de adquirir, operar e manter, porque se abaixar o padrão de consumo, depois é um suadouro pra incrementar a drenagem no bolso do contribuinte através do senado. Independente de estrategia nacional refocada em grande competição…

Last edited 6 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Fernando

Se engana quem pensa que os drones substituem os aviões de CAS. Pode ser no futuro, hoje não.

Alex Barreto Cypriano

A América já tem o A-10, AC-130, tem heli de ataque, tem drone, pra quê turboprop leve de ataque quando o foco deixou de ser CoIn extra ConUS? Por quê a USAF fica ensebando em testes desses mosquitos quando, ja tendo F-22, F-35, F-15 (fora bombardeiros), quer um substituto pro F-16 e um NGAD? A resposta parece óbvia…

Fernando

Porque cada um atua em seu quadrado… só por isso.

Dá para colocar um A-10 para CAS… dá, mas a que custo. E a frota de A-10 já está “no osso”.

Cada vetor tem suas funções e suas aplicações.

Kit Carson

Alguem sabe o motivo de estar com essa pintura? Algo celebrativo? Eles irão encomendar mais unidades com esse esquema?

Coisa linda! Mais fotos pleaaaaaaaaase!

Gamayun

Engraçado o tanto de “patriotas” que apoiavam a venda da Embraer pra Boeing vir aqui agora defender o produto “nacional”

Fernando

Engraçado o tanto de pessoas arrogantes que rotulam as outras sem o menor pudor!!!

Caio Andrade Garcia

Curiosidade… temos outra aeronave brasileira na USAF…Aeromot Super Ximango

1399283-large.jpg
Edivar Júnior

O USAF 20-2102 é o segundo!

Edivar Júnior

O primeiro com camuflagem padrão já foi entregue!

Últimas Notícias

Northrop Grumman tem agora cinco bombardeiros stealth B-21 Raider em produção

O Defense News noticiou que a Força Aérea dos EUA tem cinco bombardeiros B-21 Raider atualmente em vários estágios...
- Advertisement -
- Advertisement -