quarta-feira, dezembro 1, 2021

Gripen para o Brasil

Indonésia quer comprar caças F-15EX e Rafale

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Durante uma reunião de equipe na sede em 18 de fevereiro de 2021, o marechal Fadjar Prasetyo, Kepala Staf Angkatan Udara (KSAU, Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica) da Tentara Nasional Indonesia – Angkatan Udara (TNI-AU, Força Aérea Indonésia) divulgou que em 2024 várias aeronaves serão adquiridas.

A visão geral que ele deu consistiu em oito Boeing F-15EX, até 36 Dassault Rafales, dois transportadores Lockheed C-130J Hercules e um número desconhecido de Sistemas Aéreos Não Tripulados de Média Altitude e Longa Resistência (MALE UAS). Foi também informado que as encomendas do Rafale e do F-15EX já deveriam ser feitas em 2021.

Esta lista de desejos é o próximo capítulo de uma longa saga que incluiu um contrato cancelado do Sukhoi Su-35 Flanker, o pedido de informações sobre os Typhoon austríacos e oferta de Lockheed Martin F-16V Fighting Falcon.

O Marshall Fadjar Prasetyo também acrescentou que “uma série de fatores e condições podem alterar esta aquisição proposta”. E que se trata de “revisões dos equipamentos de defesa propostos”.

F-15EX

Dassault Rafale

K-FX

A agência de aquisição de armas da Coréia do Sul disse no sábado que o plano da Indonésia de comprar jatos F-15EX da gigante de defesa dos EUA, Boeing, e caças franceses Rafale, é “separado” de um projeto de desenvolvimento de aviões de combate conjunto entre os dois países.

A Defense Acquisition Program Administration (DAPA) fez o comentário depois que surgiram informes de que o país do Sudeste Asiático planeja comprar os caças entre 2021 e 2024 em meio a especulações de que pode querer encerrar o programa de desenvolvimento de caças KF-X com a Coreia.

“Avaliamos que (o plano de compra da Indonésia) é uma questão separada do esquema de desenvolvimento conjunto KF-X”, disse a DAPA em um comunicado à imprensa. “É uma medida que a Indonésia já vem buscando para aumentar o poder da Força Aérea da Indonésia.

A DAPA também observou que a Indonésia expressou sua intenção de continuar a participar do projeto KF-X.

“Por meio de múltiplas consultas em nível de trabalho, os dois países têm conduzido negociações de uma forma mutuamente benéfica”, disse o documento.

A Coreia do Sul está trabalhando no projeto KF-X desde 2015 para desenvolver uma aeronave de caça de última geração para substituir a frota envelhecida da Força Aérea de jatos F-4 e F-5.

KF-X

FONTE: Scramble Magazine / Yonhap News Agency

- Advertisement -

79 Comments

Subscribe
Notify of
guest
79 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wellington R. Soares

Muito boa essa combinação de um caça mais pesado e outro mais leve. Quem dera conseguíssemos um lote de 12 F15EX ou SU34 rsrr…
Mas na atuais circunstâncias, ficaria muito feliz com mais 2 lotes de Gripens rsrr..

Bardini

Quem dera se a FAB conseguisse pagar pelos 36 Gripens e manter o cronograma atual. Quem dera se a FAB conseguisse comprar mais Gripen, para justificar a linha BR. Quem dera se a FAB conseguisse pagar pelos 28 KC-390 e manter o cronograma, que tem tudo para atrasar ainda mais. Quem dera se a FAB conseguisse explicar como vão fazer para operar e manter 28 KC-390. Quem dera se a FAB conseguisse enterrar o desperdício de recursos que é o inútil Esquadrão Poti. Dinheiro bom jogado no lixo, que poderia ser injetado em A330 MRTT… Quem dera se a FAB… Read more »

Wellington R. Soares

Quem dera tivéssemos forças armadas condizente com o dinheiro investido !

Zorann

Perfeito

Jack

Belíssimo resumo.

willhorv

É a pura verdade. Que vergonha isso!

Zorann

Quem lê, pensa que falta dinheiro.

Wellington R. Soares

Verdade, muitos pensam que nossas forças armadas tem problema com falta de grana, mas não é só isso.
Logicamente com nosso orçamento não dá pra ser um EUA, China ou Rússia, mas estamos em situação de penúria e não serão apenas 36 Gripens e 4 fragatas leves que mudarão nossa situação.
Com o orçamento atual daria pra ter uns 100 caças de ponta, pelo menos umas 12 fragatas modernas, com algumas com deslocamento próximo às 6 mil toneladas, além de um tanque novo para o EB.

Fernando Turatti

A Itália tem ~100 só de eurofighters, fora as encomendas de F-35 e mesmo os Tornados. Com o mesmo orçamento brasileiro, desenvolvendo e fabricando seus caças e navios.
Países que optam por compras de prateleiras conseguem ter AINDA MAIS do que a Itália, muito embora eu, para o Brasil, prefira a opção da Itália, de ter uma indústria aliada a um número ok de vetores.
Nosso único gasto prioritário é pessoal ativo e aposentado. Jamais teremos nada de bom, nem em quantidade.

Thiago A.

Se pelo menos tivéssemos um debate em curso e as relativas propostas de como reaproveitar e restruturar o orçamento existente já seria um passo para frente. Claro que não seria algo imediato, talvez um arco de tempo de 10 / 15 anos , mas já seria um sinal de compromisso e seriedade com a defesa nacional, não simplesmente esperar por mágica por imprevisível, improvável e irresponsável aumento de recursos.

Fernando Turatti

Nós jogamos fora a chance da década: a reforma da previdência. Era o momento perfeito, o governo gozava de apoio, uma cama quentinha feita pelo Temer com o dreamteam anterior. Dava pra ter feito ela até MELHOR se demonstrasse ao povo que o sacrifício seria de todos, incluindo os militares e 100 bilhões só nos primeiros dez anos(e como pode imaginar, a economia da segunda década seria ainda maior). O resultado final nós todos conhecemos: o presidente comportou-se como o sindicalista de farda que sempre foi. Defendeu sua classe, jogou a conta para o resto da sociedade e garantiu que… Read more »

Leandro Costa

Lá vem essa ladainha de comparação com a Itália de novo hehehehehe

Gelson

Boa tarde, todo o mundo vê e sabe onde está o rombo das forças (des)armadas do Brasil. O detalhe é que não se vê ninguém da turma da “pátria amada” falar ou propor alguma melhoria neste sentido. Apenas o eterno lamento de que não tem verba…que os políticos,…
Eu sei que cortar a própria carne dói mas, por favor, já passou muito dessa hora. E o que vemos é essa mazela que aí está. Uma vergonha!
Já países, como a Indonésia, e muitos outros estão aí na batalha por melhorias de equipamento. Parabéns para eles.

Last edited 9 meses atrás by Gelson
Michel

Correto!

Carlos Crispim

E extinguisse o GTE, ficando o presidente só com o avião presidencial e mais nada, acabasse com essa mamata. essa pouca vergonha de levar ministros pra passear pelo Brasil com o nosso dinheiro, que o combustível fosse usado no treinamento dos caças.

Zorann

Não tirando sua razão, mas o que se gasta com o GTE, perto do que se torra com soldos de um monte de gente que pouco faz, é pouco.

Allan Lemos

Defendo isso há séculos. Precisamos de um caça pesado de superioridade aérea para complementar os Gripens, que serão a espinha dorsal da força. Mas isso não acontecerá, então nem é bom ficar sonhando com isso.

Welington S.

A transferência de tecnologia para indústrias nacionais no âmbito do programa Gripen poderá dar condições suficientes para que futuramente o Brasil possa “almejar a possibilidade de desenvolver uma aeronave de quinta geração”. A declaração foi do Major-Brigadeiro Valter Borges Malta. https://www.edrotacultural.com.br/apos-gripen-industria-brasileira-podera-construir-caca-de-5a-geracao/?fbclid=IwAR0NsSkVBQyOTUGCsKQPtArnNqegBwml4Im5rS0X0QOMXIeCvuRsbJ8G50U De fato, existe essa possibilidade tendo em vista a transferência de tecnologia que nós estamos recebendo. O que vai tocar a bola é se realmente vão querer fazer isso. Dinheiro tem e o que falta é uma mulher administração. MAS, nós que queremos ver nossas forças armadas fortes, temos que fazer nosso papel como cidadãos e cobrar também os… Read more »

Cleber

Estao podendo hein …

Luís Henrique

A Indonésia é mais um grande emergente que está prestes a melhorar bastante suas forças armadas e deixar o Brasil isolado como um dos poucos grandes com poder militar de pequeno.

Fernando Turatti

Não consigo imaginar a razão para a aquisição de 8 F-15EX… Honestamente, com uma escala dessas é melhor comprar só um modelo e não um mix esquisito desses, que serviria exclusivamente para drenar eficiência nas linhas de manutenção.

ERNANI BORGES

Talvez temam dependerem de um só fornecedor.

Fernando Turatti

Eu creria nisso… Se fosse metade-metade. O ponto é que eles já tem alguns caças russos também.
Não vejo uma situação na qual 8 caças, naquela região, façam qualquer diferença.

Gabriel BR

Bom demais!
Mas eu no lugar deles substituiria os F-15 por mais Rafales.

Teropode

Acredito que os indonesios agem para agradar Washignton , isso faz parte do jogo político , eles costuram relações com 3 players , mantendo um bom pragmatismo e no final estarão bem servidos , os F15EX serão usados como um cartão de visitas .

Fabio Araujo

O receio com a China esta levando aos países daquela região a se armarem!

Thiago A.

A indonésia no obstante seu enorme potencial é extremamente instável e oscilante, parece não ter ainda uma visão/projeto de defesa claro.

Gabriel BR

Nessas últimas duas décadas a Indonésia esteve estável , os militares indonésios têm um projeto bom de defesa nacional , o problema de lá é o mesmo daqui que são “os políticos” … os políticos não aprovam orçamento se o fornecedor não for “Simpático” com eles…

sub urbano

Discordo. A Indonésia é a Turquia asiática, são extremamente nacionalistas (até expansionistas de certa forma) e sabem muito bem o que querem.

Samuka

A Turquia já é a Turquia (meio) asiativa, não?

Mas entendi sua analogia e tem muito sentido…

Samuka

#asiática..

Adriano Madureira

Oque a ameaça do CAATSA não faz…

E ainda há pessoas que acreditam que tal lei foi feita somente devido ao envolvimento contínuo da Rússia no guerras na Ucrânia e na Síria e em sua interferência nas eleições americanas e é apenas um instrumento para punir a Rússia devido a seus atos maléficos…

Viva o livre Mercado !

comment image

José

Nessas horas sinto vergonha de ser brasileiro.

V12 aero

Só nessas horas?

Gabriel BR

Cada país tem seu cenário.
O Gripen E é um bom avião e vai colocar nossa indústria em outro patamar…

Zorann

O Gripen é um bom avião mesmo. A melhor escolha que poderia ter sido feita.

Mas industria mudar de patamar…. É sério mesmo que você acredita nisto?

Marcos

O AMX mudou, pq com o Gripen seria diferente?

nonato

A Indonésia tem uma geografia estranha.
Imagine a trabalheira para levar comida, energia, combustível para umas 500 ilhas.
Ao mesmo tempo é uma barreira que separa oceano indico, mar do sul da China e Oceania…
Posição privilegiada e perigosa também.
Possível alvo de países imperialistas.
Um país afastado onde o islamismo conseguiu dominar lá pelo século XIV…

Gabriel BR

A Indonésia é um país que foi expansionista por muito tempo , lá os homens usam um chapéu chamado Songkok para expressar o seu nacionalismo indonésio e são conservadores e durões pra caramba.

Adriano Madureira

E além dos belos Songkok ainda usam o Sarong…

comment image

comment image
comment image

comment image

Roberto

Essa nova versão do site ficou muito carregada,poluida de informações, eu gostava mais da anterior .

Saldanha da Gama

2!!!!!!!!!!

nonato

E só aparecem as 4 últimas matérias.
Depois são matérias temáticas…

Michel

Uau!!! Isso é que é incremento à uma Força Aérea.

Luiz

Todos se armando até os dentes e o Brasil nessa vergonha. Um dia ainda será invadido e não poderá se defender.

Zorann

A situação do país é tão ruim, que talvez a invasão, seja a nossa salvação

Gelson

O Brasil é o país que não precisa ser invadido. Quem iria querer gastar boa munição aqui. Ocupar toda esta terra com seus centros urbanos eivados de problemas de toda a espécie. É bem mais fácil continuar dando uns trocados para aquela casta de sem-vergonhas que dominam este país que tudo estará bem. As portas estão e continuarão abertas…! Sejam bem-vindos!
O resto é só teatro (encenação) para continuar garantindo o provento e as mordomias.
Pobre país!

Last edited 9 meses atrás by Gelson
Andre

Além dos EUA, quem tem capacidade de invadir o Brasil? Não digo bombardear uma ou duas cidades litorâneas, mas invadir o país e chegar pelo menos na capital.

Fernando Turatti

Honestamente, depende. Se estamos falando de apenas Brasil vs um outro país, sem interferências externas, partindo do pressuposto de que ninguém irá interferir, temos alguns bem capazes de tomar Brasília. Pra começar, temos que pensar principalmente em países com Porta-aviões e capacidade expedicionária. Dá pra dizer que UK, França, China, Russia(caso conserte mesmo o kuznetsov) e India, além de terem porta-aviões, tem marinhas em tamanhos e capacidades de águas azuis o bastante para começar uma guerra dessas. Uma vez que nossa marinha é ignorável para qualquer adversário de alto nível, à exceção dos submarinos, dá pra dizer que ela terminará… Read more »

Adriano Madureira

Para mim Fernando de Noronha ser relegada a apenas um santuário ecológico,um mero ponto turístico é um grande desperdício estratégico… Se ao menos usassem a ilha e lá instalassem um sistema de vigilância como o radar OTH que há em Santa Vitória do Palmar (RS),seria de grande utilidade. Um sistema concebido para vigiar uma fronteira marítima afastada até 200 milhas náuticas (370,4 km) da costa brasileira, mas que está perfeitamente preparado para identificar alvos para além dessa distância, chegando a 250 milhas [463 km] Se instalado no continente, o sistema poderia identificar embarcações localizadas até em fernando de noronha,que fica… Read more »

Andre

Se você acha que um porta aviões com uns 20 aviões e uma capacidade de desembarque de uns 3 ou 4 mil soldados são suficientes para tomar mais de 1000 km até Brasília, eu recomendo você dar uma olhada no que foi necessário para invadir países como o Iraque ou o Afeganistão. Leia o relatório que está aqui no site sobre a campanha aérea contra o ISIS, veja a quantidade de aviões e de missões contra um grupo para militar. Veja a quantidade de aviões que a Rússia utiliza para apoiar o al assadi, com bases dentro da Síria, e… Read more »

Victor Filipe

Não são, mas também não precisam. como ele falou, ninguém precisa por se quer uma alma dentro desse pais pra gente se render. Basta acertar alguns alvos estratégicos pra mostrar toda a incompetência das nossas forças armadas e depois soltar uma bomba/míssil de cruzeiro em Brasilia para que as calças dos políticos fiquem mais sujas que estrada de terra na época da chuva.

Fazendo isso nosso pais se rende.

Fernando Turatti

Pois é… A pergunta que eu respondi falou em “chegar pelo menos na capital”. Eu não falei em momento algum sobre uma anexação do território brasileiro, foquei-me em algo muito mais plausível: rendição.
E olha que eu fui bem otimista e não levei a guerra a patamares de “guerra total, sem tempo para acabar”, porque aí dava pra colocar mais um punhado de países como a Alemanha.

Leandro Costa

Diria que até para os EUA fica difícil

Fernando C. Vidoto

Os EUA invadiriam Brasília em 2 semanas no máximo (como foi em Baghdad).

O problema seria manter o Brasil subjugado. Aí eu vejo em um cenário de guerrilla warfare nós saíndo vitoriosos.

Leandro Costa

Acho que atacar Brasília é bem fácil. Chegar até lá também. Manter é bem diferente mesmo. O problema principal, na verdade seria encontrar motivo para fazer algo assim.

Mas cá entre nós, se eles pulverizarem Brasília, ou invadirem e tomarem Brasília, estarão fazendo um grande serviço para nós.

Andre

Compare a distancia do litoral até Bagdá e até Brasília, além disso, pesquise sobre a concentração de tropas que os EUA fizeram na Arábia Saudita e no Kuwait antes de invadirem o Iraque. Na am do Sul eles iriam fazer essa concentração de tropas onde? Na Colômbia e atravessar a amazônia de mbt?

Fernando Turatti

Ninguém está falando em anexação, estamos falando de forçar uma rendição.
O Brasil até poderia não ser anexado ao inimigo, mas nós LITERALMENTE voltaríamos à idade da pedra, não teríamos mais energia elétrica, não teríamos mais um ml de combustível, não teríamos nada.
Nos renderíamos, no mais tardar, em questão de 2 meses a uma marinha como a americana.

JuggerBR

China hoje já teria condições de um ataque em grande escala aqui, centenas de navios, NAE, transporte massivo de tropas. Não há motivo algum pra algo assim, mas condições eles tem…

Andre

Dois nae com umas 5 ou 6 dezenas de aviões, mais umas 3 ou 4 dezenas de milhares de soldados não são suficientes. A única maneira seria fazer uma gigantesca concentração de tropas na Venezuela ou algum outro lugar perto, mas ai teriam que atravessa a amazônia e um longo caminho até Brasília. Por mar, a China ainda não tem capacidade.

DanielJr

Como os colegas disseram, não precisa colocar ninguém em terra. Basta uma frota que destrua uns 5 portos (São Luís, Santos, Paranaguá, Rio Grande e mais um outro do Espírito Santo) que nossa capacidade de realizar negócios é drasticamente reduzida. Os navios não precisam estar em guerra o tempo todo, basta colocar suas armas em alcance dos portos, fazer o serviço, ir para mais longe da costa onde quase nenhum vetor irá fazer frente ao seu movimento e ir de alvo em alvo. Se o inimigo usar mísseis de cruzeiro, poderá destruir linhas de transmissão de energia, as estruturas onde… Read more »

Andre

Um bloqueio comercial é possível, mas neste caso, você tem que considerar que isso afeta não só nossa capacidade de exportar e importar, como afeta os nossos clientes e fornecedores. Imaginando que a frança tenha uma atitude dessas, quanto tempo nosso maior parceiro comercial, a China aceitaria isso calada? Imaginando que a China faria isso, quanto tempo o EUA acharia uma grande frota chinesa em seu quintal normal?

Fernando Turatti

Não demorou até você começar a apelar para a boa vontade do resto do mundo.
Quanto tempo levou até alguém socorrer a Polônia?
Ah, verdade, ninguém socorreu-a e a mesma terminou a WWII sob controle de um dos seus dois invasores originais.

Andre

A Alemanha não precisou cruzar o atlântico para invadir a Polônia.

Não existe boa vontade aqui, apenas interesse. Se vão apenas fazer um bloqueio comercial, a ajuda é muito diferente para um caso de invasão em larga escala. Veja o quanto de ajuda foi enviada para a URSS e veja como terminou a invasão alemã por aqueles lados…

Marcos Cooper

A Indonésia seguindo o exemplo do Brasil: “Defesa levada à sério “.
#sqn….

Welington S.

”… Lockheed C-130J Hercules…” Tá aí a oportunidade do KC-390…

Andre

Mais um cliente sukoi procurando caças ocidentais…

Adriano Madureira

Sendo ameaçado pelos eua e pressionado pelo CAATSA amigo, lógico que os indonésios irão pensar duas vezes, infelizmente eles não tem o peso político e militar de países como a Índia ,que pode mandar Washington pegar sua lei e introduzir onde eles acharem melhor.

Saldanha da Gama

Meu sonho dourado de defesa baseado na costa….(pode ser também o su35, 57, rafale e até f18)

Delfim

Acho relativa a importância do CAATSA na recusa indonesiana pelos Su-35; se sanções fossem aplicadas a Indonésia cairia na esfera chinesa, abrindo caminho ao Oceano Índico e Austrália.
Prefiro acreditar em desconfiança dos russos que tem fortes laços com a China.
Quem é vizinho do dragão não pode vacilar.
.
E sanções por sanções, a China pode resolver jogar duro com quem comprar e vender armas pela vizinhança.
.
Eu trocaria os Rafales pelos F-39, em maior quantidade.
.
A Indonésia opera alguma aeronave AEW&C ?

Clésio Luiz

Off Topic:

F-15 japonês aparece com possível mockup de um IRIST no tanque de combustível. O flagra foi feito por um entusiasta que posta vídeos de caças japoneses no YT:

https://www.youtube.com/watch?v=Xhk50GqL_BY

Sérgio Luís

A China tá colocando todos na região em polvorosa!
Esse F-15x não vai dar pra quem quer!
Vai se transformar em um produto igual as vacinas contra a Covid!

Last edited 9 meses atrás by Sérgio Luís
Antônio C

É uma pena ler os comentários de anti-patriotas que só falam que o Brasil precisa ser invadido por esse ou aquele País. Vejo um esforço interessante de consertar os problemas mas não é fácil sair de um estado e ir para um outro melhor. A indústria de submarinos está melhor (começando) e tem um monte de gente criticando, nem sabem se vai haver mais compras ou não. Indústria aeronáutica melhorando e tem várias pessoas metendo o pau. Tem o exército fazendo algumas compras como por exemplo o Guarani e muitas outras e tem pessoal metendo impai aqui. Só tenho uma… Read more »

Fernando C. Vidoto

O Brasil poderia estar melhor. Vejo essas críticas como positivas para abrir os olhos do povo.

Um país do tamanho do Brasil era pra ter no mínimo F15.

Mas é a Indonésia que vai fazer a compra e não nós.

Antônio C

O que eu escrevi doeu? Porque tiraram minha resposta.

Jadson Cabral

C-130J? Mais um mercado potencial que o KC-390 perdeu

Last edited 9 meses atrás by Jadson Cabral
MFB

E o Brasil com 3 dúzias de gripadinhos. Lamentável.

Victor Filipe

Se os EUA conseguissem mandar 30 Mil Fuzileiros navais para algum ponto da costa pra construir uma cabeça de praia eu acredito que eles poderiam e iriam fazer isso com certa facilidade. da pra imaginar ainda que 30 mil não é um numero irreal e estou desconsiderando unidades aerotransportadas. como a 101St e 82St. Esses 30 mil homens contariam com superioridade numérica local tanto em números de militares quanto em qualidade e quantidade de equipamentos porque a logística sofrível do nosso pais (com malha ferroviária praticamente inexistente) seria ainda mais degradada pelos ataques aéreos e misseis de cruzeiros. Assim que… Read more »

Wellington Góes

Não acredito… Com Joe Biden, a relação com a Indonésia pode azedar…. de novo… O atual governo dos EUA não concorda com as práticas do governo indonésio, especialmente, no quê diz respeito a direitos humanos (aqui, sem juízo de valor da minha parte). Outro fator seria a não tão forte pressão assim contra a aquisição de equipamentos russo, por parte do novo governo dos EUA, até por causa do precedente que estão abrindo para a Índia (que está adquirindo os S400 russos). Sem contar os custos disso tudo e a bagunça logística que farão (no melhor estilo Índia). Está mais… Read more »

Últimas Notícias

Brave Eagle AJT entregue à Força Aérea da República da China (RoCAF)

A Aerospace Industrial Development Corporation (AIDC) de Taiwan entregou o primeiro treinador a jato avançado T-5 Brave Eagle à...
- Advertisement -
- Advertisement -