segunda-feira, março 1, 2021

Gripen para o Brasil

A PLAAF está produzindo pilotos de caça mais bem treinados e em ritmo mais rápido

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Um novo relatório do Instituto de Estudos Aeroespaciais da China da USAF diz que a Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) começou a implementar um novo currículo de treinamento para seus pilotos de caça.

O autor do relatório, Derek Solen, disse que a PLAAF tinha três problemas com seu programa de treinamento de pilotos de caça. Primeiro, o programa era muito longo; segundo, faltava uma aeronave de treinamento avançado que correspondesse às capacidades de seus caças mais recentes; e em terceiro lugar, o programa não preparava esses pilotos para o combate.

O serviço tomou medidas para encurtar seu programa de treinamento, cortando-o de dez para sete ou oito anos.

A introdução do jato Hongdu JL-10 (L-15) em serviço na academia de voo de Shijiazhuang também permitiu a eliminação da fase de treinamento de voo intermediário. Isso pode ter encurtado o programa de treinamento em um ano.

Por último, acrescentou o combate ar-ar improvisado ao currículo de treinamento e os alunos agora podem lançar munições reais para o treinamento de ataque ar-superfície.

- Advertisement -

54 Comments

Subscribe
Notify of
guest
54 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings

Daqui a pouco, vem alguém: “mas não tem a experiência de combate que a USAF’.
A última ‘experiência de combate, ‘combate mesmo’, da USAF foi há cinquenta anos no Vietnã e não foi nada interessante para os EUA.

Pedro Bó

Aham, agora senta lá, Cláudia.

Leandro Costa

Outra demonstração de que não sabe o que está falando. Pela matéria eu consigo deduzir que o treinamento de caça Chinês era bastante parecido com o treinamento da USAF do início da década de 1960. Então só agora passaram à treinar como uma força aérea moderna. Até o Brasil treina melhor do que isso e não temos nem uma fração dos recursos que esses caras tem. Isso surpreendeu até a mim! LOL

Rui Chapéu

A USAF está fazendo isso tb…

Está testando os pilotos sairem direto dos T-6 Texan, passar pra simulador e ir pro F-35.

Quem disse isso é um próprio piloto de F-35 que tem um canal no youtube: Hasard Lee

Inclusive fica a sugestão aqui.

Gabriel BR

Futura força aérea mais poderosa do mundo?!

MFB

Vou consultar minha bola de cristal e depois te respondo.

OCIMAR

FALTA MTO. A TECNOLOGIA É MEIO XING LING.

miguel Felicio

Vai pensando assim, vai, vai acreditando no Xing Ling…….

sergio

Acho difícil, mais acho que vão se equiparar, os Americanos mais avançados e algumas coisas, os chineses em outras !!!

Gustavo de Paula

Não sou especialista em aviação, apenas um leitor curioso.

Do meu ponto de vista a aviação americana ainda “nada de braçada” (décadas de experiência!), mas diminuir essa distância (em um ritmo intenso) me parece ser um imenso valor/qualidade demonstrado pelos chineses.

Pedro Bó

Talvez venha a tornar-se a maior, sobre ser a mais poderosa será uma incógnita.

E que permaneça um incógnita, porque a julgar pelo Tibete e os uigures, qualquer país que entre em conflito com a China correrá o risco real de extermínio sistêmico e violações de direitos humanos diversos.

Fabio Araujo

Se quer estar entre as melhores não basta ter bons equipamentos, tem que ter bons pilotos também, Israel que o diga!

Zorann

Agora imaginem como esta última foto influencia os jovens a quererem se alistar. Jovens descolados, a vontade, com aquele ar desafiador de aventura e adrenalina.

Marco

esse é o ponto Zorann, bem observado,

Rodrigo

é como eu tinha visto um gringo falar.

“Os jovens na china querem ser soldados e astronautas, os jovens no ocidente querem ser youtubers e tiktokers”

J R

Não é bem assim, essa semana saiu uma notícia que a China esta preocupada com essa geração mimimi que esta se formando por lá também, querem alterar o currículo das escolas para formarem homens mais “viris”…

Rinaldo Nery

A USAFA tem sérios problemas com drogas e álcool.

Defensor da liberdade

Tem gente ganhando mais dinheiro no Tik Tok que pilotando avião.

Pedro Bó

Há alguns anos li uma matéria em uma revista semanal (não lembro se foi a Época ou a Carta Capital) falando que por conta da política do filho único e de questões culturais sobre a paridade social entre homens e mulheres a China tinha um desequilíbrio no percentual entre sexos/gênero nas gerações mais recentes de sua sociedade. E que uma maneira de equilibrar isso seria através do uso da força militar.

Ou seja, esses jovens “descolados” possivelmente são apenas peões. Recordando que na China o Estado vem antes do bem-estar do cidadão.

Karl Bonfim

A FAB já não faz isso com A-29 Super Tucano?

Flight_Falcon

Realmente estão sendo protagonista em muitas coisas.
Testando e ajustando.
Isso é evoluir.
Aqui tentaram fazer a renovação da estrutura da força até 2041, mas parece que não foi bem aceita e estão voltando ao modelo anterior.

Rinaldo Nery

Não exatamente. Só retornaram os COMAR, pois as Alas não conseguiram absorver todas as atribuições necessárias.

Flight_Falcon

Cel, mas o modelo proposto anteriormente de reformulação da Força, onde teoricamente teria uma redução de pessoal efetivos nas atividades meio e administrativas e maior foco nas atividades fins, além da reorganização e redistribuição dos meios não seria sustentável a longo prazo?

Rinaldo Nery

Acredito que sim. Administrativamente, as Alas não conseguiram fazer tudo. É o que quis dizer. E, vejo com reservas essa ampliação do número de temporários. Não é o ¨ovo de Colombo¨. A maioria será ¨universitários de farda¨. Como já ocorre com os médicos, dentistas e farmacêuticos R2, na sua maioria. Ponha um desses de oficial de dia e veja o resultado. Os formados pelas Academias deverão ser, no meu ponto de vista, a massa das armas combatentes. Sempre. E, no Brasil, país pobre e desigual, ainda teremos, por muito tempo, a doutrina da ¨presença¨, visto que somos um continente. Daí… Read more »

Flight_Falcon

Agradeço a exposição do ponto de vista.

sub urbano

Não vejo a hora da China botar esse time em campo.

Jagdverband#44

Ai tu vai te mudar do subúrbio para debaixo da terra mesmo.

LEONARDO BASTOS

Cópia do Yak-130 e Aermacchi M-346 ???

sergio ribamar ferreira

Parabéns ao PLAAF. Gostaria que pelo menos nossas Forças tivessem metade das aeronaves, belonaves e armas de dissuasão mais a tecnologia e avanços que se obtêm com Defesa. Felicidades a todos.

Elias

Comparado ao nós , é como bater em bebado ,,estamos começando a se reeguer após Quase 30 anos de desgovernos . Mas comparados a primeiro mundo, os chineses tem muito caminho pela frente

sergio

Quem diria que a menos de 40 anos, nos e que estávamos a frente deles, lamentável !!!!

Pedro Bó

Há 521 anos de desgovernos*

Nilton L Junior

Tenho uma curiosidade, será que a China também envia seus oficiais para academias de outros países.

Gabriel BR

deve ter intercambio com os russos e países próximos como o Camboja e Myanmar

Alfredo Araujo

Tirando o T25 no treinamento básico, não é isso q a FAB faz com o ST ?

Cristiano de Aquino Campos

Sim.

Rinaldo Nery

O caminho é T-25, T-27, A-29 (pro caçador). Quando o T-27 foi implantado na instrução, (1985), alguns cadetes da turma de cima da minha voaram direto o T-27, num projeto piloto. Deu certo.

Matheus S

Uma informação interessante no relatório é que a PLAAF ainda continua com a deficiência de reter alguns de seus melhores graduados como instrutores de voo para a academia. Ao invés de levar pilotos das unidades operacionais para serem instrutores de voo e permita assim que os alunos tenha um aprendizado de alguém com experiência fazendo enorme diferença no nível educacional, eles ainda não alteraram esse sistema por completo. Além disso, não há indicações de que isso vá mudar nos próximos anos. Ou seja, ao mesmo tempo em que retém os melhores graduados da academia de voo, onde poderiam ser de… Read more »

Renato B.

Eu imagino que várias forças devem ter esse problema mundo afora.

Matheus S

Eu não imagino. Há de se supor que alguns países realmente retém alguns graduados para serem instrutores de voo, mas não por muito tempo, apenas como uma medida temporária até outro graduado tomar o lugar, mas acredito que a maioria dos instrutores dos diversos países sejam de unidades operacionais, ao contrário da China que retém a maioria dos graduados a serem instrutores de voo pelo resto das vidas e sem contato com as unidades operacionais.

Isso está mudando, embora lentamente. Muito pouco desenvolvimento nesse quesito para se tornar uma força militar de classe mundial até 2050.

Magnus

Ops! Pequeno deslize na chamada. O correto seria “mais bem treinados”.

Satyricon

Interessante que este aviãozinho usa turbinas ukranianas

groosp

Encurtou para 7-8 anos? Não é muito tempo ainda?

Flight_Falcon

Aqui no Brasil é um tempo semelhante para você chegar na primeira linha.
Sai da AFA, faz curso de caça em Natal, vai para um Terceiro, fica uns 3 anos, se forma como líder de esquadrilha, depois volta como instrutor em Natal, fica mais uns 2 anos, para depois ir voar na Primeira linha, onde você passa um ou dois anos se formando e aprendendo tudo sobre a aeronave. Ou seja, vai voar mesmo na primeira linha como um Primeiro Tenente antigo ou mesmo já como Capitão.

Last edited 11 dias atrás by Flight_Falcon
groosp

Entendi, estão falando de um piloto totalmente formado.

Flight_Falcon

Isso, desde a saída da Academia até dominar totamente a aeronave e suas capacidades.

JuggerBR

Sempre me pareceu o maior mistério a qualidade e quantidade de pilotos que a China consegue ter, porque os aviões as vezes tem fotos e notícias, mas da parte humana é bem pouco o que é divulgado. Não há Super Trunfo sem pilotos de primeira linha.

carvalho2008

Isto sem falar dos quase 60 JL-9 que a PLAAF possui neste treinamento.comment image

Matheus S

Essa base de treinamento me parecer ser a base em Qinghuandgdao, uma base de treinamento de aviação sob a Frota do Mar do Norte do PLAN, portanto parece ser um treinamento da PLANAF e não da PLAAF.

carvalho2008
Renato B.

Eu me lembro de uma matéria sobre um estudo da RAND de 2016 que já criticava o treinamento dos pilotos chineses. A estrutura seria altamente centralizada e historicamente colocava a força aérea como secundária em relação ao exército. Assim, os pilotos seriam muito cobrados em termos de obediência a regras e os treinos seriam pouco realistas. O que limitaria iniciativa, capacidade de tomada de decisão e habilidades táticas dos pilotos. Mudanças culturais em instituições grandes geralmente são lutas longas e árduas. No caso de militares, é claro que uma guerra adianta muito o processo. Essa mudança sugere que chineses parecem… Read more »

Matheus S

No início da década de 2010, o programa da PLAAF para o treinamento inicial de cadetes pilotos de caça apresentava três problemas.  Primeiro, o programa era excessivamente longo e gradual.  Em segundo lugar, a PLAAF carecia de uma aeronave de treinamento avançado adequada para o treinamento de pilotos que eventualmente operariam uma aeronave na crescente frota de caças de nova geração da PLAAF.  Terceiro, apesar da extensão excessiva do programa de treinamento, seu currículo falhou totalmente em preparar candidatos a piloto para o combate.  No entanto, no final de 2020, a PLAAF já havia resolvido amplamente esses problemas, e seu… Read more »

Renato B.

Uma descrição interessante. Os esquadrões de agressores chineses descritos acima me parecem bem inspirados nos americanos. Um elemento que senti falta foi de exercícios similares aos “red flag” e cia de forma sistemática. Os americanos fazem treinamentos com estrangeiros justamente para entender melhor como atuar em coalizão mas especialmente como outros povos atuam.

Me pergunto como será a transição dentro das forças chinesas entre os novos e os antigos. Será que vai rolar uma “fighter máfia” versão chinesa? Fico pensando no impacto que isso vai ter em termos de táticas e desenhos no futuro.

Nestor

China debería tener, a esta altura, un turbohélices de entrenamiento básico, avanzado, antes de pasar a los reactores. En una Fuerza aerea como la China no se entiende que sigan usando el CJ-6

- Advertisement -

Combates Aéreos

Começou o exercício multinacional de operadores do Gripen, o Lion Effort 2015

Nesta edição que vai até 24 de maio, o exercício que ocorre a cada três anos é realizado na República...
- Advertisement -
- Advertisement -