terça-feira, junho 22, 2021

Gripen para o Brasil

Testes de voo do novo Su-30SMD em Zhukovsky

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Em fevereiro de 2020, o vice-primeiro-ministro da Federação Russa, Yuri Borisov, anunciou planos para unificar os caças Sukhoi Su-30SM e Su-35, o que levou ao desenvolvimento de uma nova versão chamada Su-30SMD, executada pelo escritório de projetos Sukhoi trabalhando junto com o Irkut Scientific Production Group.

Entre as melhorias está a substituição dos motores Saturn AL-31FP usados ​​atualmente por turbofans empuxo vetorial Izd.117S (AL-41F-1S) atualmente instalados em todos os caças Su-35S. Os novos motores desenvolvem um empuxo molhado de 31.900 lbf (142 kN), 15% a mais do que o tipo original, com 27.600 lbf (122,6 kN). Isso requer alguns testes de voo e fuselagem significativos no Su-30SM e, com base nos resultados dos testes, eles determinariam se a aeronave entrará na produção em massa e se as fuselagens atuais precisam ser modificadas.

Contrariando todas as expectativas, os desenvolvedores decidiram não usar os veneráveis ​​bancos de ensaio Su-30MKI, mas em vez disso, pegaram uma fuselagem Su-30SM, RF-34010/Bort 72 Azul de série (número de construção 10MK5-1411) servindo com os 4º Regimento de Guardas de Aviação de Ataque Marítimo Bandeira Vermelha da Aviação Naval Russa, com base em Chernyakhovsk NAB na região de Kaliningrado.

A aeronave chegou à fábrica de Irkut para revisão em meados de 2020 e, de acordo com o planejado, deveria ser entregue até o final do ano. Não se sabe a data exata, mas os spotters finalmente o fotografaram no final de janeiro de 2021 no aeroporto Zhukovsky perto de Moscou, realizando sua rotina de testes.

FONTE: Scramble Magazine / FOTO: Vyacheslav Grushnikov, RussianPlanes.net

- Advertisement -

39 Comments

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo

Foi uma boa opção transformar os SU-30 em SU-35 se der certo vão oferecer ao clientes externos esse upgrade?

Bidenilson

Podem colocar o motor do Saturn V que ainda será uma presa fácil do nosso Gripen El Sukhoi Killer

Last edited 4 meses atrás by Bidenilson
Matheus Augusto

Nosso Gripen ainda não “matou” nada então abaixa a bola ai.
Nossos pilotos com o Gripen com certeza dariam um baile nos cucarachos norte de Roraima, mas bota um piloto Russo experiente num SU-30 SM pra ver se até os pilotos da USAF não suam a camisa.

Subestimar os adversários nunca é bom.

pangloss

Matheus Augusto, se subestimar adversários nunca é bom, creio que o comentário sobre os “cucarachos norte de Roraima” foi apenas uma ironia sua.

Augusto L

O Gripen E/F é amplamente superior aos SU-30 da Venezuela, estamos falando de um caça de 4,5 geração contra um mero 4 geração. Com o Meteor que a FAB comprou então, nem se fala….Não fale besteiras.

Bidenilson

Sukhoi é alvo fácil dos gripens. Brilha igual um 737 no radar do caça sueco. Típico avião russo fabricado apenas pra fazer manobras em show aéreo. Na hora do vamo ver os russos sempre decepcionam. Desde a primeira guerra são fregueses de qualquer equipamento ocidental. Algum caça russo já abateu mais caças ocidentais que o contrário? Não. Então baixa a bola você juvenil.

Last edited 4 meses atrás by Bidenilson
Leandro Costa

Acho que você não tem a mínima noção do que está falando, Bidenilson.

Luís Henrique

Na 2a Guerra Mundial a URSS venceu a Alemanha. A Alemanha que tinha vencido quase toda a Europa. A Alemanha que humilhou a França, que expulsou os ingleses do continente, etc. De lá para cá os russos conseguiram manter a 2a posição em vendas de armas e não é atoa. Os conflitos onde caças ocidentais tiveram resultados melhores que caças russos foram todos entre os EUA, a maior potência militar do planeta contra países de 3o mundo. Ou uma coalizão internacional contra países de 3o mundo. Ou Israel, uma potência militar e tecnológica, com acesso aos melhores equipamentos americanos, contra… Read more »

Leandro Costa

Sua intenção foi boa, mas a argumentação foi péssima hehehehehehe

Andre

Com certeza você esqueceu da ajuda que os países ocidentais deram para a URSS, tanto em material como caminhões, vagões e trilhos, como em espionagem, esqueceu que Stalin ameaçou sair da guerra se os países ocidentais não invadissem a Europa ocidental ainda em 1943, esqueceu que Hitler retirou parte das tropas que tiveram algum sucesso em Kursk para enfrentar a invasão da Itália, e esqueceu do cacete que os aviões americanos pilotados pelos iranianos, sem qualquer suporte americano, deram nos aviões soviéticos, pilotados pelos iraquianos, com total apoio soviético. Claro que esqueceu que nas guerras de 67 e 73 os… Read more »

Leandro Costa

E em 67 os israelenses não tinham NENHUM avião americano hehehehe.

Andre

Aviões soviético tomando cacete de qualquer avião ocidental….

Michel

Viajou em sonhos febris.

Pedro

Aqueles pilotos que nao conseguem nem ganhar uma guerra contra aranhas?

JuggerBR

Isso é golpe baixo… heheh

Vinicius Momesso

A SAAB já fez alguma missão conjunta com a OTAN na Síria afim de testar as capacidades do Gripe, assim com fez a França com o Rafale?

Munhoz

Amigo tente analisar de uma forma mais séria, um Su é um caça bimotor grande, um Gripen é um monomotor médio, sendo que um combate é resultado de vários fatores, não é tão simples assim ! Por exemplo Su leva vantagem quando carregado pois não perde desempenho com o arrasto e esta é a principal vantagem dos caças bimotores grandes, e também tem uma maior capacidade de aceleração resultando em um maior desempenho em determinadas manobras e principalmente após, quando o caça pode acelerar para tomar uma nova posição ou até para fugir de um ataque ou ganhar mais tempo… Read more »

Munhoz

Ainda numa numa analise mais avançada vc compara o desempenho dos misseis Meteor e Iris T contra os R 73 e R 77, sendo que os primeiros atualmente levam vantagem, no entanto não sabemos como seria o comportamento em caso de uma guerra real e nem como seria o ARW de ambos os lados, sendo que obviamente leva vantagem o sistema com mais tecnologia investida, porem os últimos misseis russos e chineses já podem estar encurtando esta vantagem, além do que é bom salientar que sempre vc cria um veneno e o outro lado o antidoto, por exemplo os novos… Read more »

Augusto L

Resumindo o Gripen ganha, porque os Su-30 venezuelanos não são os Su-35.

Estamos falando de um caca de tecnologia dos anos 90 contra um 4,5gen.

Um F-15c também perderia para o Gripen E/F

Augusto L

Pra ninguém achar q sou russofilico ou algo do tipo

Last edited 4 meses atrás by Augusto L
Munhoz

Tecnicamente ganha pelos misseis, radar e apoio AEW&C.
Porem quando se compara a carcaça dos dois projetos o Su é uma tecnologia bem superior, pois com o dobro do tamanho ele consegue entregar a mesma capacidade de manobra e acomodar muito combustível internamente, é um projeto magnifico por isso vende bastante, e outra ambos são dos anos 90.

Augusto L

O Gripen E/F tem bem mais capacitação de manobra que o SU-30 da Venezuela, eles nem tem empuxo vetorado. E o Gripen chega a perfomances parecidas com o Rafale e Typhoon muito superiores a familia flankers, especialmente a versão sem empuxo vetorado.

E ele não tem o dobro de alcance.

Munhoz

Não é questão de alcance mas sim de categoria.
São categorias diferentes .
Um Su entrega sim quase a mesma capacidade de manobra sendo que quando carregado não perde o desempenho .
Tem que ser técnico ao analisar, se fosse do jeito que falam todos que apostaram em bimotores grandes foram uns bobões inclusive a USAF.

Augusto L

Não entrega, pode pegar a curva de curva sustentava X instantânea, aqui no aereo mesmo tem.

Leandro Costa

Munhoz, não faz sentido dizer que o Sukhoi seria superior por ser maior. Efetivamente é o que você diz, já que acrescenta que consegue entregar a mesma capacidade de manobra. Se ambos tem as mesmas capacidades de manobra e performance em geral, diferindo apenas em alcance, o Sukhoi se torna mais vulnerável por ser muito maior, e portanto um alvo teoricamente mais fácil de se localizar e atingir.

Mas isso partindo como base a sua argumentação. Comparações assim são bem rasas e infrutíferas.

Augusto L

So que o Sukhoi não tem a mesma capacidade de manobra a diferença e gritante.

A versão venezuelana não tem os motores vetoriais que seriam o diferencial.

O Gripen E/F é uns dos cacas com as melhores taxas de curva sustentada X instantânea muito acima de qualquer caça de quarta geração e bem próximo aos outros eurocanards.

Resumindo, o nosso Gripen, tem um radar, sistema de guerra eletrônica, aviônica , mísseis e capacidade de manobra amplamente superior a QUALQUER CAÇA atualmente na América Latina.

Somente quem não conhece caças não sabe disso.

Munhoz

Essa questão da curva sustentada é a propaganda do Gripen, eu não vou discutir sobre isto.
São vários fatores, o F 35 não deu muita importância para isto e já vi analises falando que ele é o cara em combates a curta distancia e analises falando que ele perde feio para um F 16, não acredite em tudo que escuta !

Munhoz

Não é isso que eu queria dizer, entenda; a diferença de um bimotor esta principalmente na sua capacidade de combate quando carregado (ele não perde desempenho), em seu espaço interno para carregar mais equipamentos como por exemplo um radar maior e na sua capacidade de aceleração. Outros fatores como a autonomia, capacidade de carga, e altitude máxima fazem menos diferença, mas dão alguma vantagem também a um bimotor. O que o pessoal não entende é que um bimotor com 6 TN de carga não perde desempenho enquanto um monomotor com a mesma carga perde bastante, e outra, em altitudes mais… Read more »

JuggerBR

Na pratica é só motores novos no mesmo caça de antes. Facilita a vida da logística de quem tem os dois aviões no inventário, além de melhorar o desempenho. De qualquer forma, segue um belo avião…

Juan

La nota no lo menciona, pero creo haber leído que estaba la idea de instalar el radar PESA Irbis-E del Su-35, por eso los nuevos motores, para abastecer de energía al nuevo radar

Gustavo

Bela máquina!

Ricardo Lacerda de Lacerda

Senhores valentões. A maior vitória que um Gripem ou um Su poderão obter um contra o outro será a de dissuasão de uma aventura adversária. Em outras palavras cumprirão suas missões com louvor se forem capaz mutuamente de convencer o adversário a permanecer no solo. A aviação Soviética foi abatida aos milhares no solo, T34 tinham vida útil no campo de batalha de apenas 3 dias e o Vietnam foi arrasado pela aviação do USA, nada disto impediu o resultado final bem conhecido. Utilizem suas testosterona com alguma coisa mais agradável, E torçamos para que ambos contendores permaneçam estacionados em… Read more »

Leandro Costa

Sábias palavras.

Fabrício

T-34 com vida útil de três dias? Curioso, nos pântanos bielorrussos, os manos tiram ele depois de 70 anos enterrado na lama e faz o motor do bicho pegar. Quase uma dezena de países o utiliza no serviço ativo, mais de sessenta anos do último ter deixa as linhas de produção na Tchecoslováquia.

Mas agora eu finalmente fui iluminado pela verdade de que ele dura somente três dias em condições de combate, no campo de batalha. Estou extasiado.

Last edited 4 meses atrás by Fabrício
Leandro Costa

Deixa eu te iluminar um pouco mais. Ele provavelmente se referiu ao início da Barbarossa, quando os T-34-76 tinham tripulações mal treinadas, eram mal acabados e geralmente nem tinham os dispositivos óticos para se fazer mira de forma decente. A torre do T-34-76 era ridiculamente pequena e o comandante do carro de combate também acumulava a função de atirador do armamento principal. O sistema elétrico que fazia a torre girar era ruim, e normalmente entrava em curto depois de pouquíssimo tempo de operação, fazendo com que a torre tivesse que ser girada manualmente. A maioria não tinha rádio e a… Read more »

Andre

Lembrando que no início da operação barbarossa os t34 enfrentavam majoritariamente Panzers III com canhões de 50mm e panzers IV ainda com o canhão curto de 75mm, o que ajudou muito a criar a mítica em torno deles. Com a entrada do Panzer IV F2 em 1942, cresceu muito a destruição de T34 ajudando a ter a média de 3 dias de vida dos T34.

Ricardo Lacerda de Lacerda

Leandro Costa. valeu suas exatas observações. Neste instante da operação Barbarossa até finais de 1942, a máxima de que, a quantidade tem uma qualidade em si mesma, teve que valer a qualquer custo, tanto para máquina quanto para homem. Com perdas terríveis. A medida que o tempo foi sendo ganho as coisas foram “entrando no eixo” (juro que minha intenção não foi fazer trocadilho), e o belo projeto foi tendo o acabamento e as melhorias devidas que o transformaram em uma arma icônica.

Rodrigo M

O nível dos comentários está sensacional..
Com essa pandemia e o fechamento das escolas a meninada está com tempo sobrando!

Reportagens especiais

Fotos do sábado da XXVII Convenção Nacional de Plastimodelismo 2013, no PAMA-SP

Você está em São Paulo? Gosta de plastimodelismo e assuntos relacionados? Então não perca! Neste domingo, último dia, a...
- Advertisement -
- Advertisement -