quarta-feira, dezembro 8, 2021

Gripen para o Brasil

KC-390 lança paraquedistas com C-17 e C-130 da USAF

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O voo em conjunto com as aeronaves da Força Aérea dos EUA ocorreu na madrugada desta terça-feira (02/02)

O avião multimissão KC-390 realizou, na madrugada desta terça-feira (02/02), o lançamento de paraquedistas em voos em conjunto com as aeronaves C-17 e C-130 da Força Aérea dos EUA, durante o Exercício Operacional “Culminating”, em Alexandria – Louisiana, Estados Unidos. A missão foi um marco no projeto de desenvolvimento do KC-390, pois a aeronave teve a oportunidade de operar, cumprindo todos os objetivos traçados, com aviões militares de transporte já consagrados e empregados em cenClique aqui para baixar a imagem originalários de combate ao redor do mundo.

“Era um sonho imaginar que um produto da indústria aeronáutica nacional, fruto de décadas de desenvolvimento, poderia atuar lado a lado, em pé de igualdade, com aeronaves historicamente consagradas. Acabamos de provar que alcançamos, sim, esse tão desejado nível de maturidade técnica e operacional”, ressaltou o Oficial de Operações do 1° Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT), Tenente-Coronel Aviador Daniel Silva Fortes.

O KC-390 integrou um voo de pacote, que é quando aeronaves decolam em um curto espaço de tempo para cumprir ações de Força Aérea complementares, visando a um objetivo comum. Nesse caso, a meta foi realizar o lançamento de paraquedistas para conquistar uma posição por meio aéreo.

Cerca de 120 paraquedistas do Exército Brasileiro, que participam do exercício em conjunto com o Exército dos Estados Unidos, foram lançados do KC-390 na Zona de Lançamento do Joint Readiness Training Center, unidade do Exército Americano especializada em receber esse tipo de treinamento conjunto.

De acordo com o coordenador da missão, Major Aviador Daniel Elias Souza, a coordenação teve uma complexidade maior, porque as diversas aeronaves que integravam o voo de pacote partiram de localidades diferentes e se encontraram em um ponto comum. “Dentro desse desafio, nós percebemos que nosso planejamento foi adequado às metas que tínhamos e conseguimos atingir todas elas”, ressaltou.

Além do KC-390, participaram dos voos nove aeronaves C-17 e quatro aeronaves C-130, todas da Força Aérea Americana. Foram lançados cerca de 1.600 paraquedistas, além de 22 plataformas com equipamento pesado. “Nós percebemos que o KC-390 é uma aeronave que está compatível com esse tipo de cenário, assim como, a doutrina da FAB”, complementou.

Outra etapa conquistada pelos militares do 1°GTT durante o exercício foi a operacionalidade completa da tripulação em lançamentos de paraquedistas. Pela primeira vez, o KC-390 realizou a missão de salto de militares com tripulação operacional 100% composta por militares da Força Aérea.

Em visita ao exercício, o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, ressaltou a interoperabilidade das Forças Armadas Brasileiras ampliada pela participação conjunta, no Exercício Operacional “Culminating”, do KC-390 da FAB e da Brigada Paraquedista do Exército Brasileiro.

“É um dia histórico para as Forças Armadas Brasileiras nesse exercício inédito, o ‘Culminating’, com o lançamento dos paraquedistas da Brigada de Paraquedistas, também utilizando a nova aeronave da FAB: o KC-390”, ressaltou.

KC-390

O primeiro KC-390 Millennium foi entregue à Força Aérea em setembro de 2019. E, após cerca de um ano e meio operando a aeronave multimissão, a FAB atualmente conta com quatro KC-390 em sua frota realizando missões fundamentais para o país, como a Operação COVID-19, de apoio no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, e na missão de assistência humanitária à República Libanesa.

A participação do KC-390 em treinamentos como o exercício “Culminating” é fundamental para o aprimoramento da utilização da aeronave. A capacidade operacional e de atuação do KC-390 são obtidas mediante o acúmulo de experiências em exercícios conjuntos, o que também possibilita o desenvolvimento doutrinário para a utilização segura da aeronave.

FONTE: Força Aérea Brasileira

- Advertisement -

118 Comments

Subscribe
Notify of
guest
118 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fernando Martins

Diz que os caras ficaram impressionados com o profissionalismo dos nossos irmãos. Podem descer a lenha no exército mas aqui na América do Sul não tem pra ninguém, ainda mais com um vetor como esse KC-390. Baita dum avião a Embraer fez. Particularmente estou na expectativa de ver o modelo em escala do STOUT, será uma espécie de KC menor, muito necessário. Esse exercício é uma vitória para o exército e essa matéria engrandece o blog de vocês.
👍

Last edited 10 meses atrás by Fernando Martins
Marcos10

Os americanos sempre dizem para todos: ficamos impressionados!

Fernando Martins

Não duvido que tenham ficado REALMENTE impressionados. Não é todo mundo que conhece nossas capacidades. Abriram até a nossa bandeira, tiraram foto e tal. Eu morei lá e sei que eles não pagam pau pra qualquer coisa.

Salomon

Concordo. Tb morei e sei como funciona. Sem falar que estão acostumadíssimos com essas operações e visualizam boa e má qualidade. Se falaram é porque ficaram mesmo. Viralatismo e complexo de inferioridade nos fazem muito mal. Imagine se fosse com os hermanos, estariam fazendo um carnaval. Aqui dizemos que falam isso para tudo. Ah…que s a c o.

Conan

Eu não só morei lá como fui militar lá e o que você disse é um fato, não pagam pau mesmo e se disseram que ficaram impressionados é porque realmente gostaram do que viram.

Bille

Estratégia de diplomacia. Podem até ter ficado, mas se não for muito peba eles dizem isso pra todos.

Os caras não são bobos e operam com o mundo todo. De certa forma, eles já tem um bom treinamento pra lidar com latinos, e o ego é um ponto que é trabalhado. Esse treinamento de ajuste cultural é bem trabalhado lá principalmente depois do início das operações no oriente médio.

Não tira o profissionalismo nem o brilhantismo, muito menos caso tenham dado show. Só não dá pra comprar sem refletir. O bom seria alguém ter o Feedback in off depois…

EParro

Elogios ao Brasil, em tempos de Biden?! Ah, deve ser mesmo comemorado com entusiasmo.

Tadeu Mendes

Não diz não.

Henrique

Tb to esperando pra ver STOUT (vulgo kcetinho auhsauh), mas acho que ainda vai uns ~2 anos até o roll out

Jadson Cabral

2 anos até roll out? A Embraer nem apresentou o projeto detalhado ainda… ainda vai ter muito estudo, muita mudança… até ter um avião pronto pra voar vai no mínimo uns 5 anos

Wilson Lobe Junior

A Embraer é ótima no emprego de tecnologias já conhecidas até o “Estado de Arte” (vide A-29 e EJets) mas não tem um bom histórico em desbravar novas tecnologias (vide 123 Vector), por isso não me entusiasmo muito com o STOUT – mas gostaria de estar errado.

Conan

O 123 Vector foi o precursor do mais bem sucedido produto da Embraer, o EMB145 e o fato de não ter sido bem sucedido comercialmente foi na verdade um erro de marketing pois tinha tanta tecnologia inovadora nele que seu custo acabou passando de muito o que deveria ter sido somente uma aeronave de 19 assentos mais moderno para substituir o Bandeirantes. Ainda por cima tivemos problemas com os argentinos que seriam parceiros nossos no projeto mas isso é outra estória.

Fernando

WIlson… o erro do CBA-123 não foi ter empregado tecnologias de ponta (outros produtos da empresa também tiveram altos investimentos em novas tecnologias). O comentário do Conan foi cirúrgico e perfeito. O problema do CBA-123 foi um mal posicionamento dele no mercado (era pequeno), e um estudo deficiente de mercado que levou a um avião que oferecia coisas pelas quais o mercado não estava disposto a pagar. Além do “over engineering” que levou a uma aeronave muito cara para aquele mercado. FOi uma grande lição para a empresa… tem que desenvolver o produto olhando o mercado, e não o que… Read more »

Conan

Obrigado Fernando, era o que eu estava tentando explicar mas acho que saiu meio torto. kkk. Não sei o que fizeram dos protótipos mas me lembro que estavam meio que jogados atrás de um dos prédios da Embraer ( acho que o F-11 da usinagem) durante muitos anos.

Leandro Costa

Conan, um deles está preservado no MUSAL no Rio de Janeiro. Da última vez em que estive lá (final de 2019, ou início de 2020), ele estava muito bem preservado. Pelo menos por fora.

Fernando EMB

Os três protótipos estão preservados… Um no Musal, como dito, outro aqui em São José na Memorial Aeroespacial Brasileiro, e o terceiro, que seria o protótipo argentino, e que não chegou a ser completado, está numa praça em Córdoba.

Rinaldo Nery

Voei nele com o falecido Almeida, em 1992.

Welington S.

Quem se lembra daquela invasão americana que eles fizeram e o EB se mobilizou em peso e foi pra cima mesmo com tão pouco naquela época, sabe que, quando entramos, não é pra brincadeira. Tem muita gente que duvida de nossas capacidades, muita gente. Canso de ver viralatismo.

Ted

Os argentinos também forao pra cima. Mas sem tecnologia. Deu no que deu. Só pra exemplificar, um tomahawk tem alcance de 2.500 km e pode ser lançado de um submarino.

Pablo

Vao acabar com um país Continental so com tomahawk?

Bidenilson

Varios tomahawk acabam fácil com o Brasil.

Pablo

A sim, quantos???

Leandro Costa

O que acaba fácil com o Brasil já foi lançado faz muito tempo e está ativamente trabalhando para destruir o país. Chama-se: O Brasileiro padrão.

Tadeu Mendes

Com Tomahawks nucleares fica fácil.

Last edited 10 meses atrás by Tadeu Mendes
carvalho2008

Nem ao céu nem a terra…

  • no mato não entra tanque;
  • no mato não entra artilharia pesada;
  • no mato so entra bota preta e bufalo;
  • no mato, so helicoptero e aviação…mas mesmo assim de forma mais complicada…e veja, helicoptero e aviação não mantem posição em terra…
Leandro Costa

Invasão americana…? Onde?

Pablo

Importantíssimo esse exercício para o EB e a FAB, mostra o grau de preparação e competência dos nossos militares (e no caso do KC, a nossa indústria também). É um “cala a boca” pros vira lata que adoram ficar de mimimi.

Last edited 10 meses atrás by Pablo
Diogo

Pois é, com pouquíssimos recursos conseguimos fazer tudo isso. Precisamos cobrar mais empenho político para o tema da defesa nacional.

BENTO

Será que vai ter um treinamento durante o dia?
Para render algumas Boa Fotos rs
C-130 C-17 e KC-390

Fabio Araujo

Uma boa prova de profissionalismo de nossas FA’s e uma boa propaganda para do KC-90!

Allan Lemos

Que venham mais vendas para o KC-390.

Pedro ESIE

Qual a necessidade da ida de um Ministro de Defesa? Brasil como sempre gastando dinheiro com uma ”comitiva” desnecessária. Vide a ida de muitos ”representantes” para a Espanha na entrega do C-105 Amazonas.

Bueno

É melhor mandar o Ministro da defesa do que o Zé das couve.
 
O Brasil tem muito a ganhar, quando manda um
ministro da Defesa é uma forte mensagem do fortalecimento da parceria entre as Forças Armadas dos dois países.

Last edited 10 meses atrás by Bueno
Jadson Cabral

hmmm, quando foi que o secretário de defesa dos EUA veio no Brasil mesmo?
Só vejo ministros da defesa estrangeiros virem ao Brasil quando há interesse em negócios

Pedro ESIE

o Brasil vai ganhar com oq??? Não é a Europa e os EUA que vão dar dor de cabeça ao Brasil no futuro? EUA não olham para nós como um aliado e tampouco como parceiro.

Bueno

Países tem interesses.
O governo de cada pais e sua estrutura político, militar e industrial tecnológica tem que se convergir para os seus interesses,  se os EUA faz isto muito bem e o Brasil não faz , o problema é o da Nação Brasileira meu caro.
O Problema é a corja de políticos que temos, estes saíram do meio do povo, sendo assim o problema é nosso que não temos projeto de nação e somos patriotas de rede sociais.

Esta conversinha é bem infantil e não agrega muita coisa na realidade dos fatos.

Fernando XO

Recomendo a leitura do livro Seapower – The History and Geopolitics of the World’s Oceans do ex-CNO Adm Stavridis… ali está um pouco dessa questão de aliado e parceiro…

PauloR

Diárias é uma boa fonte de renda extra.

Wilson Lobe Junior

Mais as mordomias.

carvalho2008

o Mestre Pedro quer vender por catalogo ou e-commerce??

Marcelo Baptista

Eu entendo que a ida no MD é uma questão de diplomacia, boa diplomacia.

LUIS NATAL

Pedro, não sou militar, mas acredito que a presença dele lá é muito importante para às Forças Armadas e engrandece a importância do exercício. Além disso fortalece a diplomacia (pelo menos nas Forças Armadas) com a maior potência militar global. Existem outros gastos, a maioria desconhecidos por nós, que devem ser muito menos importantes que a participação do MD nesse exercício. Abraço.

Ted

A maior potência militar do mundo é a Rússia. Pergunta para as SS nazista o que aconteceu no final da segunda guerra

Conan

Pergunta você para os japoneses o que aconteceu com duas bombas atômicas na cabeça. Pergunta para os russos porque eles perderam todo leste da Europa para a OTAN. Pergunta para o Putin porque a URSS quebrou. Muitas perguntas meu amigo.

EParro

Conan,
mais um aí que nunca “ouviu falar” dos Comboios de Murmansk (ou Ártico) e nem do Corredor Persa.

Leandro Costa

Rapaz, esses últimos dias tem batido o recorde de gente assim…

Agnelo

Agora conta aquela da ervilha no alto do prédio……

Tadeu Mendes

Errado. A maior potência militar durante a segunda guerra mindial foi a Alemanha.
A Russia era buxa de canhão.

A única atual superpotêcia militar global chama-se Estados Unidos da America.
Nuclear + convencional.

A Russia é uma potência nuclear > convencional.

A China é uma potência convencional > nuclear.

Last edited 10 meses atrás by Tadeu Mendes
Agnelo

Esse exercício é muito mais do q um intercâmbio normal.
Já fizemos e continuamos fazendo com diversos exércitos, inclusive o americano.
O grande salto deste exercício é a avaliação q será feita.
A estrutura de avaliação será como a do CA-Leste aqui.
Pra quem gosta de aviação, será como um Red Flag terrestre, onde a tropa é REALMENTE testada no seu preparo e emprego das TTP.
Importantíssimo o próprio MD, militar de elevadíssimo escol no Brasil, verificar pessoalmente o andamento do exercício.
Reduzir isso a ganhar diária é de um minimismo impressionante.

Tadeu Mendes

Aqui no blog aparecem os acéfalos de sempre. Uma massa humana ignara que não sabe o falar.

Matheus Augusto

Parabéns paraquedistas, mostrando mesmo pra maior força militar do mundo que o brasileiro é profissional e sabe combater. Parabéns Brasil, Selva !!!

Sergio

Tomara que isto traga visibilidade ao projeto e que o mesmo renda muitos frutos a EMBRAER e ao Brasil…

Gabriel

Inicialmente todos militares envolvidos, direta e indiretamente, no Exercício Operacional estão de parabéns. Não tem como não destacar também o KC-390, que acerto da Força Aérea e Embraer. Não vou falar em América do Sul, pois ai é até covardia, mas quantos países no mundo conseguem participar de um Exercício (Seja com EUA, Rússia ou China) com uma Companhia + Paraquedista, com uniforme/equipamento/armamento nacionais, usando um avião nacional? É óbvio que, tanto o Exército quanto a Força Aérea, têm muitos pontos para serem melhorados e aprimorados, mas esse tipo de operação demonstra que estamos no caminho certo. Por fim, é… Read more »

Tadeu Mendes

Fizerarm um grande trabalho. Parabéns.

Matheus

Sem palavras pra descrever o orgulho de vocês que transborda no peito, pessoal. O Millenium, sem comentários. Que avião meus amigos! Que avião!

acr j

Ilha de fantasia, na marinha o usuario do sistema de saude da marinha nao consegue nem marcar um dentista .

Flanker

As Forças Armadas tem que ter serviço de saúde próprio somente nos locais onde não há serviço de saúde privado. Em cidades em que haja oferta de profissionais civis, um plano de saúde tipo Unimed ou outros seria o necessário. Em locais com dificuldade inexistência desse serviço, aí sim, as Forças teriam pessoal de saúde próprios.

Rinaldo Nery

Em combate a UNIMED vai junto?

EParro

Hahahahaha!
Boa Rinaldo, muito boa.

carvalho2008

pois é…

carvalho2008

O pessoal não entende que o que é da vida militar…militar deve ser, com todas as suas especificidades inerentes….é bicho diferente e assim deve ser…

isto não quer dizer que em tempos de paz, todos os recursos e tempo disponivel devem ser fpor óbvio focados para o treino e serviço publico naquilo que é possivel fazer com seus recursos…não há disperdício focando assim.

Agnelo

Prezado Quem trabalha na saúde em locais onde há serviço privado são aqueles que mobíliam as frações de saúde previstas em caso de emprego da Força. O médico não pode ficar sem ser empregado esperando acontecer a guerra ou as ações GLO. Nem pode se desmobilizar os locais onde só há saúde por parte das FFAA, pra emprega-los junto das outras tropas. Além disso, não é o caso se delegar a uma instituição privada o resultado do tratamento de alguém q realiza atividade de risco. Será q envidará todos os esforços pro melhor tratamento ou buscarão o lucro? Quem paga… Read more »

Funcionario da Comlurb

Cadê aquele rapaz que chama a FAB de Aero Clube?

Maurício.

Funcionario, uma força aérea não é formada apenas por aeronaves de transporte, atualmente onde está a “força” da nossa força aérea brasileira? Num punhados de aviões do “tempo do êpa” e num punhado(beeeeem pequeno) de AMX, nossas armas ar-solo são bombas burras e novamente apenas um punhado de kit Lizard, não temos sequer um míssil antinavio lançado por caças.
Infelizmente, quando o tal rapaz chama a FAB de aeroclube, no quesito “força” ele está mais que correto.

Funcionario da Comlurb

Maurício,

Não concordo com você nem com a tal pessoa que faz essa afirmação pejorativa sobre a FAB.

Não sei sua idade, eu tenho 54 anos e ao longo desse tempo já vi muitas conquistas da nossa FAB , em todas as suas ramificações.

Um abraço.

Maurício.

Funcionário, eu tenho 34 anos, discordar faz parte.
Só um detalhe, não acho o termo aeroclube pejorativo, tanto a FAB quanto um aeroclube possuem o amor pela aviação, ensinam, e até podem servir à população em alguma crise, possuem instrutores/pilotos civis tão bons quanto instrutores/pilotos militares, a principal diferença é que em um aeroclube não se tem aeronaves de combate, o que também está faltando para a FAB.
Um abraço.

carvalho2008

Não concordo…

Não existe inventário da FAB mais economico e passivel de uso com o orçamento atual…

A existencia de erros taticos em não possuir missil anti navio antes de ser um erro fabiano é um erro de MD que devia mediar a estratégia entre MB e FAB.

F-39 vem ai…KC-390 vem ai….meteor vem ai…matador parece que vem ai…ST foi acertado….F-5M foi acertado…com o que recebeu para comprar é isto ai…

Maurício.

Carvalho, quando alguém vem com esse papo de “orçamento”, a primeira imagem que me vem a cabeça, é essa:

images (17).jpeg
Mauro

Míssil de cruzeiro Avibras, lançado de dentro do Brasil atinge qualquer país da América do Sul, vou repetir, qualquer um, talvez só não chegue a Santiago no Chile, só. Talvez. Não existe defesa contra este míssil no continente, simplesmente não existe. Não esqueça que as primeiras versões do Astros levaram o terror as tropas americanas no Iraque, ao ponto do General Schwarzkopf declarar em entrevista a rede CNN sobre o perigo dessa arma em específico, e sua prioridade em encontrá-las e destruí-las. Uns 50 F5M e uns 45 AMX, para o cenário sul americano, dá e sobra. Outra coisa, o… Read more »

Maurício.

Mauro, atualmente, quantos desses tais mísseis da avibras estão operacionais e nos paióis das forças armadas? Provavelmente você deve ter ficado empolgado com o vídeo em que o Caiafa fala dele…
50 F-5 e 45 AMX? De onde você tirou esses números? Temos apenas um punhado disso, pode apostar, os números de aeronaves operacionais, passa bem longe desses números.
Sinceramente, eu não entendo o porque que alguns ficam indignados quando tentamos mostrar os fatos.

Rodrigo

Por acaso o senhor trabalha no MD? Se trabalha o senhor está se colocando em uma situação complicada pois esse tipo de informação é sigilosa, se não trabalha então não sabe, ou seja insustentável sua alegação de um “punhado”.

Maurício.

Rodrigo, pergunte para alguém da ativa da FAB quantos desses tais 50 F-5 e 45 AMX estão operacionais nesse momento.
Provavelmente o Galante tenha alguns conhecidos na FAB que sabem que sim, é apenas um punhado, claro que eles não dirão o número correto, por ser um assunto “sigiloso”.

Rodrigo

Daqui a pouco quando chegar no DACTA eu pergunto tá ok. Vou lá no hangar pedir o número dos PAMA então te passo a informação, amigo entenda que tudo relacionado a inventário de armazenamento de Mat Bel é sigiloso, não se pode passa informações sobre disponibilidade de caças, quantidades de bombas, mísseis, só um conselho para de falar essas coisas fica feio pq quem sabe vê a vergonha alheia do colega por falar essas besteiras.

Last edited 10 meses atrás by Rodrigo
Maurício.

Rodrigo, tá bom então, vou fingir que acredito que a FAB tem 50 F-5 e 45 AMX operacionais…

Rinaldo Nery

A disponibilidade dos F-5 é muito boa, e estão voando bem, obrigado. Idem pros A-29.Quanto aos A-1, o erro foi não modernizar as células disponíveis, limitando a 14.

Maurício.

Rinaldo, então fala aí o número correto de F-5 operacionais na FAB, quero ver se são mesmo esses 50 que estão dizendo por aí…
Quantos operacionais em cada base? 4-6 ou nem isso? Os AMX, coitados, apenas 9 modernizados, o que já é apenas um punhado, mas desses 9 quantos estão em algum tipo de revisão?
Você pode ainda, se quiser, adicionar os dois únicos A-4 da Marinha operacionais que ainda sim, será apenas um punhado de aeronaves, muito pouco para um país do tamanho do Brasil.

Rinaldo Nery

47 foram modernizados. Daí você conclui, com uma disponibilidade superior a 65%.

Maurício.

Rinaldo, se for verdade esses números( o que dúvido muito), demonstra que um pouco mais da metade desses tais 50 F-5 que falaram por aí estão operacionais, portanto, longe dos tais 50, portanto, apenas um punhado.

antonio mattioli

Brilhante narrativa sr Mauro, parabéns. Alguns não conseguem entender a interpretação, de uma narrativa como a que escrevestes. não me canso de dizer:
não entendo certas objetivações, a ideia de constatar que estamos lá, batalhando, mostrando que também somos capazes e também somos americanos , mas do sul, que todas as nossas forças são e estão capacitadas. Ainda temos muito que melhorar, é verdade, que procuramos na diplomacia, como uma nação apaziguadora, sim. Mas não esqueçam; temos o braço forte e uma mão amiga.

Flanker

Sobre os F-5M: a FAB possui um total de 48 aeronaves.
Sobre o A-1M: a FAB possui 9 entregues e mais 5 em processo de modernização. As não modernizadas não operam mais desde o final de 2019.

Jadson Cabral

Eu espero que tanto a FAB quanto o EB façam bons vídeos para divulgar nas redes sociais, pq se tem uma coisa em que as FFAA brasileiras são ruins é de marketing

Mauro

O pai do General Azevedo, atual Ministro da Defesa, foi o idealizador e quem implantou os Forças Especiais no Brasil. Criou o B.F.E.

E com essa asa de prata no peito, ele impõe respeito a qualquer um de fora.

RENAN

A ida do ministro a este evento traz visibilidade a aeronave.
Parabéns
Vamos trabalhar o marketing e quem sabe renderá vendas a países aliados.

Pedro Bó

O C-390 e os A-330 são um incremento enorme na capacidade de transporte da FAB. Porém será que uma aeronave do porte do Il-76 ou do C-17 não seriam interessante também? Não temos nada, por exemplo, capaz de transportar um MBT de um ponto a outro do país em questão de horas.

Jadson Cabral

Pra operar com qual dinheiro? Mal tem dinheiro pra operar C-130… eu já duvido muito que a FAB consiga manter 30 KC-390… imagina C-17… sem falar que não se fabrica mais. Só do deserto, retrofitado

Tomcat4,2

Em vez de aplaudir o desempenho de nossas forças em solo estrangeiro e a belíssima propaganda do KC-390, ainda tem gente que prefere questionar a presença do MD brasileiro no local devido a gastos e o mesmo bla bla bla de sempre.
Não lembro de ver essa galera preocupada com os gastos de presidentes da câmara e do senado (agora EX ,Maia e Alcolumbre fora outros) com vôos em aeronaves da FAB .

Rodrigo Maçolla

Onde assino ?

Jadson Cabral

Eu canso de ver gente criticando a farra dos voos executivos da FAB transportando autoridade Brasil a fora todo dia. Ninguém apoia isso. Não finja que você tbm não vê

carcara_br

Depois de tanta lambeção de botas e subserviência aos interesses de uma parte dos americanos (nominalmente: lunáticos, fanáticos religiosos e gente inescrupulosa), era de se esperar pelo menos uma encomenda de centenas de aeronaves. dizer que: “Era um sonho imaginar que um produto da indústria aeronáutica nacional, fruto de décadas de desenvolvimento, poderia atuar lado a lado, em pé de igualdade, com aeronaves historicamente consagradas. Acabamos de provar que alcançamos, sim, esse tão desejado nível de maturidade técnica e operacional” é se contentar com muito pouco, tentar fazer suco com o bagaço da fruta, diminuir o valor do próprio trabalho.

Conan

Não sei se entendi bem mas vou tentar, se eu estiver errado por favor me corrige. Você espera que de repente o Pentágono encomende uma centenas de KC-390 é isso? Ainda bem que hoje já é sexta-feira!

carcara_br

A gente entregou de graça apoio diplomático na forma mais cristalina de subserviência, a ponto de constranger os próprios americanos. Nós não exigimos absolutamente nada em troca, sem reciprocidade por parte dos americanos. Nada, nenhum plano de investimento estratégicos, acordo comercial, redução de taxas alfandegarias, acesso a tecnologia, intercambio educacional. Movidos por simpatia ideológica e teoria da conspiração. Se fosse uma partida de civilization o Brasil tinha sofrido múltiplas derrotas: diplomática, cultural e cientifica. Enfraquecemos os BRICS, arrumamos picuinhas diplomáticas com a China adotando posturas divergentes do nossos interesses econômicos, nos posicionamos contra a quebra de patente das vacinas, contrariando… Read more »

Leandro Costa

Por mais que diversos dos seus argumentos estejam corretos, por favor, esqueça esse negócio de BRICs, que simplesmente não irá à lugar algum. Nós não fomos os responsáveis por enfraquecer ainda mais algo que simplesmente não deveria existir como bloco, e cuja sigla só foi inventada para denominar alguns países que já nem mais se encontram na situação para qual a sigla foi criada. Esqueçam esse negócio que temos mais à lucrar com relações bilaterais com cada um desses países.

carvalho2008

O amigo que o posicionamento do Macron não é ideologico e que precisamos ficar fingindo de estatua? e a Alemanha? Não entendeu que que as as guerras políticas internas de cada país agora procuram se alicerçar em alianças externas? as esquerdas, direitas, centrões ficam se cotovelando em casa??? nada disto….as politicas internas se globalizaram as custas dos reais interesses de cada nação….olho vivo….classe e casta politica é uma mazela global que vende interesses nacionais aos seu proprios interesses….briga por emprego proprio…defendendo seu salario….custo o que custar…Merkel curral eleitoral de mineiros de carvão…quer falar de ambiente…sei…matriz energetica intocavel….Macron nem vou falar….e… Read more »

Tadeu Mendes

Você é um comuna recalcado.

Last edited 10 meses atrás by Tadeu Mendes
carcara_br

Que bom.

nonato

Quem trouxe os paraquedistas de volta?
Se csem em lugares diferentes?
Como fica?
Como o piloto sabe o trajeto, a velocidade, a hora, o local exato?
Já passam algo digital?
Algum desenho no papel?
Quem detenha isso?
Como foi coordenada a invasão do dia D?
Tipo 200 mil soldados em centenas de navios, aviões, paraquedas…
Como coordenar isso?
Soldado Antonio, Manoel, Francisco, Sebastião irão no avião 11.255, que decolara as 04:15, e estão lançados às 5:20 a 5 km da praia…

Rinaldo Nery

Dou risada quando leio essas perguntas. Num ¨pacote¨ (COMAO – Composite Air Operation) de transporte aeroterrestre, é designado um ¨líder¨(Airlift Package Commander) que será o responsável por todo o planejamento, a coordenação e a condução do vôo. As UAE recebem uma ordem (ATO – Air Tasking Order), através dos seus sistemas digitais de comando e controle (uma rede de emails, criptografada). Esso líder, vai reunir com os líderes das frações, num Initial Coordination Meeting. As UAE vão planejar as suas navegações, e depois todos vão refinar os seus planejamentos no Final Coordination Meeting, onde todos os dados dos vôos serão… Read more »

Fernando

E o KC-390 traz novos recursos de navegação e definição do “dropping point”…

nonato

Obrigado pela resposta e pela risada.
😬
Você deu uma ideia de como é.
Mas isso continua difícil de entender.
São tantas informações que fica difícil imaginar que alguém sozinho fará o detalhamento da missão.
O exemplo que dei do dia D.
Falar que vai invadir com 200 mil soldados é uma coisa.
Outra é colocar no papel cada detalhe.
Que navio vai por onde, com quem.
Até porque num ataque surpresa o ideal é que todos os meios convirjam para o mesmo local ao mesmo tempo.
Não adianta 5 navios chegarem e os aviões não…

carvalho2008

Mas não é uma pessoa não mestre….são centenas de comandos inter coordenados e relacionados… Existe lógico a estratégia inicial, ponto “a” ponto “b”, mas de cada uma delas teoricas ou definidas, sobe debaixo para cima, os recursos e subplanos que materializam ou não a factualidade se possivel ou não de execução…os caras de cima definem por seu vasto conhecimento estratégico de pessoal e material….os caras de baixo confirmam ou não a admissibilidade real ou eventuais ajustes necessarios a execução…tem um processo enorme e grande de analise de decisão nos diversos nucleos e isto é o que há de mais belo… Read more »

Agnelo

Nonato Boa tarde É o “cada macaco no seu galho” bem orquestrado. Cada nível de planejamento tem sua parte a fazer, de acordo com o nível superior e com as possibilidades do inferior. Importante saber, q o Coronel q planeja com seu Estado-Maior o emprego do batalhão, foi Capitão comandante de companhia, foi tenente comandante d pelotão. O tenente planeja as ações e os detalhes da zona de ação q o capitão lhe deu. O capitão idem da zona de ação que o batalhão lhe deu. O batalhão idem com o q a brigada lhe deu. Por aí vai…. No… Read more »

Rinaldo Nery

Como bem responderam Carvalho e Agnelo, existe uma coisa chamada Comando Conjunto / Combinado, com as 3 Forças (e, por vezes, mais de um País – Combinado), com seu Estado-Maior, que vai efetuar esse planejamento no nível macro. E, como disse o Agnelo, as unidades militares realização os planejamentos nos seus níveis (Força Aérea Componente, Divisão, Brigada, Batalhão, Força Tarefa etc.). É por isso que cursamos ECEME / EGN / ECEMAR (Curso de Comando e Estado-Maior). A guerra moderna é uma arte, e bem complexa!

Bidenilson

O que tem de tão especial em lançar paraquedistas à noite? Até um Cessna Caravan faz isso. Não passa de marketing da fab e Embraer pra tentar vender o KC 390. Dinheiro mal gasto dos meus impostos.

Last edited 10 meses atrás by Bidenilson
Tulio

Pelo menos ler uma coisa dessa ainda é melhor que ser cego.

Flanker

X2

Leandro Costa

Sei não Tulio… ainda estou em dúvida.

Funcionario da Comlurb

X3!

Nerudarruda

há muito tempo não lia um comentário com tanta inteligência.fico feliz em ter você com seus comentários com tanto conhecimento e sabedoria…

Matheus Augusto

Nessas horas o botão de negativar faz uma falta ….

Fernando C. Vidoto

Se investe reclama. Se não investe reclama.

.__.

Jadson Cabral

ah não kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Bueno

KC390 nos EUA em voo agora .
Deve esta indo para uma demostração pra um novo cliente??

Culminating terminaria 05/02/21 Conforme site da FAB

https://www.flightradar24.com/BRS55/26c6b2b6

Rinaldo Nery

Ensaios de gelo.

Joaquim Araujo

Será? Está indo em direção a Seatle!

Leandro Costa

Vai tirar um sarro com a Boeing.

Joaquim Araujo

Pousou em Moses Lake. Lá tem Boeing Co. e US Air Tanker Base! É estranho, porque se fosse para realização de testes, deveria ser usado o PT-ZNG ou o ZNJ.

Últimas Notícias

Desaer apresenta o ATL-300, turboélice para 40 passageiros

A nova fabricante brasileira Desaer apresentou nesta terça-feira (7) na 6º edição da Mostra BID Brasil o novo modelo...
- Advertisement -
- Advertisement -