terça-feira, junho 22, 2021

Gripen para o Brasil

Grécia assina acordo com a França para adquirir 18 caças Rafale

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Grécia equipa-se com o Rafale na continuidade de uma parceria com a Dassault Aviation de mais de 45 anos

Theodoros Lagios, Diretor Geral de Armamento e Investimentos do Ministério da Defesa da Grécia, e Eric Trappier, Presidente e CEO da Dassault Aviation, assinaram hoje um contrato para a aquisição de 18 aeronaves Rafale para a Força Aérea Grega, bem como um contrato para o apoio logístico da frota.

Esta cerimónia de assinatura teve lugar em Atenas na presença da Sra. Florence Parly, Ministra das Forças Armadas da França, e do Sr. Nikolaos Panagiotopoulos, Ministro da Defesa Nacional da Grécia.

Como país europeu e membro da OTAN, a Grécia é um importante parceiro estratégico da França. A Dassault Aviation está honrada com a decisão do governo grego, que estende uma parceria ininterrupta por 45 anos.

O pedido de 18 Rafale inclui 12 Rafale recentemente em serviço na Força Aérea Francesa e 6 novos Rafale produzidos nas fábricas da Dassault Aviation.

Para atender à necessidade urgente das autoridades gregas, as entregas de aeronaves começarão no verão de 2021 e se estenderão ao longo de dois anos.

O contrato de suporte logístico apoiará a atividade aérea dos Rafale da Força Aérea Grega durante quatro anos e meio, mantendo a disponibilidade de equipamentos e sistemas ao mais alto nível.

Arte do Rafale nas cores da Força Aérea Grega – Antonis Karidis

A chegada do Rafale à Grécia destaca a qualidade do relacionamento estratégico entre Grécia e França e a continuação de mais de quarenta e cinco anos de sólida parceria com a Dassault Aviation e seus parceiros industriais Thales e Safran.

Tal como aconteceu com o Mirage F1 em 1974, o Mirage 2000 em 1985 e finalmente o Mirage 2000-5 em 2000, o Rafale é uma oportunidade para lançar uma nova cooperação com a indústria aeroespacial grega.

“A Grécia é um parceiro europeu líder, um membro importante da OTAN e um parceiro especial da França, com o qual a Dassault Aviation tem estado firmemente ao seu lado por mais de 45 anos. A continuidade da nossa presença na Grécia, mesmo nos momentos mais difíceis, é uma prova da qualidade desta relação. É por isso que estou orgulhoso e feliz por assinar hoje este contrato, que simboliza a extensão do compromisso da Dassault Aviation com a Grécia desde 1974. Gostaria de agradecer às autoridades gregas por sua confiança renovada em nós. Garanto a eles nossa total mobilização para atingir os objetivos definidos”, disse Eric Trappier, presidente e CEO da Dassault Aviation.

O amplo leque de armas e equipamentos do Rafale (clique na imagem para ampliar)

Sobre a Dassault Aviation

Com mais de 10.000 aeronaves militares e civis entregues em mais de 90 países ao longo do século passado, a Dassault Aviation acumulou expertise reconhecida mundialmente no projeto, desenvolvimento, venda e suporte de todos os tipos de aeronaves, desde o caça Rafale, até a família Falcon de jatos executivos de alto nível, drones militares e sistemas espaciais. Em 2019, a Dassault Aviation reportou receitas de € 7,3 bilhões. A empresa possui 12.750 funcionários.

DIVULGAÇÃO: Dassault

- Advertisement -

53 Comments

Subscribe
Notify of
guest
53 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JT8D

Um caça à altura da temperatura da região

Rui Chapéu

No fim o Rafale que era a Jaca pq não vendia vai vender mais que o Gripen….

Pablo

está comparando o Rafale com o Gripen E/F?

Rui Chapéu

Eu ia responder mas ai iam me chamar de parafuso de patrola então deixa quieto….

Pablo

nao to dizendo qual é o melhor ou pior, só quero saber com qual versão ta comparando

Last edited 4 meses atrás by Pablo
Flanker

Independente da versão, acho que o Rafale já tem mais pedidos (entregues +encomendados) do que o Gripen. Falo isso incluindo todas as versões do caça francês e todas as versões do caça sueco.

Pablo

me refiro as ultimas versões de ambos, que não tem como comparar um ainda finalizando o desenvolvimento e outro já pronto.

Wellington Góes

E?! Quero entender o que isso teria a ver? A tua tentativa é comparar a quantidade de Gripens E/F vendidos em relação ao Rafale F-4, é isso?!
Desculpa, tua pergunta é confusão… Seria interessante falar qual o objetivo dela, talvez assim fica mais fácil de entender…

Teropode

O E/F para na centésima unidade , geral , se a Suécia não desistir dos seus .

Nilton L Junior

Você esta de provocação só pode.

RenanZ

Obviamente a geo-politica francesa se faz um fator de desequilíbrio desta balança. Aos olhos de quem assina a compra, as aeronaves são igualmente meros gastadores de dinheiro, mas uma negociata com a França poderia dar mais frutos do que com a Suécia.

CRISTIANO CORREA SCHMIDT

Quantos Rafale foram vendidos a tempo de projeto, antes de mesmo de estarem prontos ?

Vinicius Momesso

No caso do Gripen, apenas o Brasil comprou. A Suécia poderia enviar o Gripen-E para a Síria para sortidas em auxílio com a OTAN.

Wellington Góes

Ao que me lembro, mais de 200… Mas aí vem ou pergunta, o que isso teria a ver?

Gabriel BR

Melhor caça da categoria !

Flamenguista

Não sei se é o melhor, mas que é o mais bonito, isso é!!! E, como dizem por lá, se não é belo, não voa bem…

Nilton L Junior

O kibababe dos turcos está assando.

Barak MX para o Brasil

Rafale vendendo que nem água. O caça mais lindo de todos.

DOUGLAS TARGINO

Bom, acho que fizemos a compra correta! Mas vou te dizer, 12 unidades dessas como um caça maior para o Brasil seria maravilhoso!

Flight_Falcon

Caça maior, mais custoso e outra linha de suprimentos em uma época em que se quer reduzir.
Não sei se seria tão bom assim.

Fernando Turatti

Até acho que seria bom ter um caça “mais parrudo”, em especial no 1º GDA. Não necessariamente o Rafale, muito embora seja uma boa opção.
Um caça comprado total e completamente de prateleira, entre 12 e 18, pra servir como a linha de frente em um confronto, com mais alcance e carga paga do que o Gripen.
Nunca irá acontecer, afinal, a FAB prefere redbull dando asas aos 70+ mil militares sem aviões, mas que seria bom, isso seria.

GABRIEL

Do que adianta ter caça parrudo se o custo de operação não permite sair do chão?

Funcionário da Petrobras

Pois é Gabriel.
Não querendo criticar, mas já criticando, o pessoal olha aparência sem analisar o pós compra.
Faço analogia com aqueles que têm renda de 1 salário mínmo, mas que querem ter ou até têm carro de R$ 100 mil. Financiam até a mãe para fazer a aquisição, mas se desfaz quando as parcelas começam a acumular e têm que desembolsar para manter rodando (combustível, revisão, seguro, etc.).
Literalmente o brasileiro pensa dentro da caixinha.

Last edited 4 meses atrás by Funcionário da Petrobras
Fernando Turatti

Olha, se ler até o final do meu comentário vai entender de onde vem o orçamento, ou seja: NÃO VEM.
Na verdade, o orçamento tá lá, COLOSSAL, muitas e muitas vezes superior ao orçamento grego, por exemplo, povo que conta com F-16 à granel, Mirage 2000 e breve contará com Rafale e F-35.
A analogia deveria ter sido feita com alguém que ganha 10 mil reais, mas usa todo o seu dinheiro em meretrizes, jogos de azar e drogas, terminando por andar de bicicleta para sustentar os vícios.

Funcionário da Petrobras

Na verdade Fernando generalizei meu comentário, não necessariamente se adequando ao seu.
Têm muitos entusiastas aqui que sonham, sem ironia nenhuma, em ver a FAB operando caças do tipo F-15, F-35.
Surreal.

Pablo

Por ser maior não diz muita coisa, o Brasil é um país continental, precisaríamos de um avião com autonomia suficiente e nisso a FAB acertou. Entre os três finalistas o Gripen é o menor mas com maior autonomia. Sem contar que o que o Rafale faz o que o Gripen também faz e por um custo bem inferior sem perder em tecnologia. Lógico que o Rafale é um baita caça, isso não tem como se negar, fomos clientes dos franceses com os mirages e a FAB tem conhecimento da tecnologia francesa. Mas prefiro ver mais lotes do Gripen que comprar… Read more »

DSC

“Entre os três finalistas o Gripen é o menor mas com maior autonomia.”

Fonte(s)? 🙂

Luís Henrique

O Gripen ficou em 1º apenas na missão Alpha, que era o translado Sem armas. Ou seja, desarmado e cheio de tanques externos de combustível, o Gripen E realmente venceu os concorrentes.
Mas para missões armadas as coisas mudam. O peso dos armamentos afetam mais um caça mais leve e menos potente como o Gripen.
Não que faça feio, pelo contrário, chega perto, mas não fica em 1º.

PACRF

O que o Brasil mais desejou na compra dos caças, só a Suécia ofereceu: transferência de tecnologia em um nível muito superior ao dos concorrentes.

Mauro Cambuquira

Nesse momento o Brasil não compra nada da França. As FFAA já devem estar preocupadas com os investimentos feitos pela Marinha no ProsSub e o que ainda tem que ser negociado, pois o projeto ainda está pela metade…

Wellington Góes

Bem, eu sou um dos que sempre defendeu o Hi-Low mix com Rafales e Gripens, por uma série de fatores que vão além de avaliação superficial de custos…

Fernando Turatti

Os franceses tem suas cotas de problemas quando o assunto é custo… Mas são um dos melhores parceiros para se terem.
A França é grande o bastante pra ter sua indústria de armas, mas não o suficiente para poder se dar ao luxo de perder venda, de limitar seus armamentos a condições idiotas ou de encher muito o saco dos compradores.
Enquanto isso, o rafale é provavelmente o que de melhor você pode ter sem a “forma” stealth, que como temos visto repetidas vezes com o F-35, é caro… Talvez até excessivamente caro.

Foxtrot

Rafale 20 x Gripen 0!
E o Brasil nunca aprende as lições.
Outro caça operador por apenas dois países e com fábricação limitada a poucas unidades para esses dois países.
Quando chegar ao período de necessidade de peças de reposição, a FAB irá penar mais uma vez como acontece no caso AMX.
Penar pelas péssimas escolhas de seu oficialato !
Fazer o que, segue as incoerências na banana Land!

GABRIEL

Mas com esses custos para operar o Rafael se o Brasil compra eles nunca saem do chão, sou mais o gripen mesmo

Fabio Araujo

Aí foi briga política regional, o Erdogan foi mexer no quintal do Macron e por conta disso o Macron esta reforçando a Grécia!

Marcio

Brazukas gênios incompreendidos.

Marcos10

Grécia: 36 Mirage + 150 F16
18 Rafale + xx F35

Wellington Góes

Os Mirages, com o tempo, devem ser substituídos por Rafales…

Tallguiese

Não desmerecendo nossos gripens mas cara que máquina que o Rafale é viu que máquina linda!

Fabio Araujo

Nada como reservas de petróleo e gás para reforçar o caixa de um país quebrado!

Theo Gatos

Ainda não teve efeito nenhum no caixa do país… que já investe pesado em defesa há décadas…

Mas se a Grécia espera que essas reservas de fato gerem royalties ao país precisam dos armamentos para garantirem sua soberania sobre elas… Senão não vai ter reservas pra chorar sobre depois!

Sds

Carlos Gonzaga

Fiz um comentário irritado que foi bloqueado então o farei de outra maneira. Esse Fla x Flu entre fãs de Rafale e de Gripe E/F é insanamente infantil. O Rafale hoje é um excelente projeto acabado e testado já em vias de receber atualizações, atualmente pode ser qualificado como compra de prateleira com custo de investimento e manutenção altos ( high CAPEX and OPEX). Quando da escolha do FX2 era operado apenas pela França e demorou para encontrar outros compradores. Na minha opinião é o melhor 4,5+ em operação. O Gripen E/F, ainda é um projeto em evolução tanto é… Read more »

Luizão

Antigamente tinha um comentarista, o Vader. Ele não podia ver nada do Rafale sem detona-lo. Ele ainda existe, ainda aparece por aqui?

Luizão

rs. Como assim?

Dart

Casou-se com um americano e foi morar lá

Funcionário da Petrobras

Finalmente o Rafale equipando várias FAs.
Devido à demora em ganhar mercado, muitos achavam que ia micar. Só que não.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

O projeto FX, que depois virou FX2, iniciou-se lá por 1995/1997. Na época aventaram o Mirage 2000 em detrimento do Rafale, que foi chamado de tudo pelos “especialistas”: jaca francesa, rainha de hangar, avião de um operador só, etc… se dizia que era um projeto, que não tinha sido testado em combate, que era muito caro, que o desenvolvimento estava atrasado, etc.. e tal… Igualzinho ao Gripen NG. Estamos entrando em 2021 e até agora, o avião que o Brasil adquiriu após mais de 20 anos de tratativas, ainda está em testes de recepção. Na verdade, hoje podemos constatar que… Read more »

Cleber

Diminui se o efetivo das forcas em 30 % , e compra uma duzia de Rafales para a MB q e mais futuro .

Flanker

Eu tb acho os efetivos das Forças Armadas além do que deveriam ser. Mas, vc falou em diminuir o efetivo em 30%. Muito bem….só faltou vc dizer como!

Justin Case

Olá, amigos.
França encomendou 12 Rafales para repor os que foram cedidos usados para a Grécia.
https://www.dassault-aviation.com/en/group/press/press-kits/dassault-aviation-receives-order-for-12-rafales-for-french-air-and-space-force/
Abraços,
Justin

Theo Gatos

Eles têm tempo pra esperar ficar pronto! Um dos diferenciais da proposta Francesa à Grécia foi justamente a disponibilização muito rápida de aviões dada a situação com a Turquia…
.
Sds

Reportagens especiais

Força Aérea Brasileira em 1979, poster da revista Flap Internacional

Reprodução do poster "Força Aérea Brasileira em 1979", da revista Flap Internacional, enviado gentilmente pelo leitor e colaborador Roberto...
- Advertisement -
- Advertisement -