quarta-feira, maio 12, 2021

Gripen para o Brasil

Saab recebe contrato adicional para o GlobalEye

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Saab recebeu hoje um contrato subsequente com os Emirados Árabes Unidos para a venda de dois sistemas GlobalEye, o sistema avançado de vigilância aerotransportada da Saab. O valor do pedido é de US$ 1,018 bilhão e o período do contrato é 2020-2025

O contrato original com os Emirados Árabes Unidos para a GlobalEye foi assinado em 2015. Este contrato é uma emenda ao assinado em 2015.

“Estamos orgulhosos que os Emirados Árabes Unidos continuem a mostrar grande confiança na Saab e em nossas soluções. Isso mostra que a Saab permanece na vanguarda em termos de tecnologia avançada. O programa GlobalEye está funcionando de acordo com o planejado e temos uma cooperação eficiente com o cliente”, afirma Micael Johansson, Presidente e CEO da Saab.

O trabalho será realizado em Gotemburgo, Linköping, Arboga, Järfälla e Luleå na Suécia e em Centurion, na África do Sul.

O contrato foi assinado pelo cliente em 30 de dezembro de 2020, portanto, o pedido foi registrado durante o quarto trimestre de 2020.

O GlobalEye fornece vigilância aérea, marítima e terrestre simultânea. Ele combina tecnologia de radar sofisticada com a aeronave Global 6000 de alcance ultralongo da Bombardier.

- Advertisement -

28 Comments

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Helio

O Brasil poderia cogitar no curto à médio espaço de tempo adquirir mais unidades do E-99M, com as novas tecnologias e configurações deste GlobalEyes!! Sonho seria ter em cada base aérea de caça uma ou duas aeronaves de alerta antecipado operarando junto.
Sonho, Brasil operando uns 110 Gripens E/F distribuídos em 6 a 7 bases aéreas pelo nosso territorio, fazendo dupla ao menos com um a dois E-99M “GlobalEyes” por esquadrão, os caças sendo armados com Meteor e Adarter, teríamos a nível amaerica Latina e hemisfério sul uma digna força aérea!

Carlos Campos

já temos o mesmo radar deles, só precisaríamos de mais do que já temos, a questão é que não temos dinheiro.

Rodrigo M

Dinheiro tem, surgiu bilhões como mágica sabe-se lá de onde para essa pandemia por ex. O que não tem é vontade politica, defesa não dá voto só isso.

Heinz Guderian

Ei cara, pior que é verdade, esses dias lendo notícias, fiquei abismado com a quantia que o governo federal utilizou na pandemia. Pensei que não seria aquilo tudo. Muita grana!

Paulo

Não surgiu do nada, foi emitida divida publica para financiar os gastos com a covid19. Dinheiro que, em algum momento, terá que ser pago. Até lá pagar-se-a juros.

Adriano RA

Isso mesmo. Somando novas dívidas e pagamento de juros em 2020, chegamos a 1 trilhão de reais. Ao fazermos dívida, estamos em última análise vendendo o nosso trabalho futuro (a renda de nosso trabalho que será coletada pelo governo na forma de impostos e entregue aos credores). Empobrecemos bastante. Sem querer julgar se foi bom ou mau, o fato é que no auxílio emergencial se foram os futuros Gripens, Subs e Escoltas, junto com Hospitais, Portos, etc. Garantidos mesmo só os salários dos juízes, procuradores, deputados, almirantes, etc.

Rodrigo M

Eu sempre me esqueço que figuras de linguagem não são compreendidas pelo brasileiro médio..
É preciso desenhar, explicar o desenho, fazer mímica..
Mas como estou sem tempo e disposição fica assim mesmo.

Thiago

Apareceu não, é a mesma coisa de um cara que ganha um salário mínimo e compra um iPhone de 10k, coloca no crédito e depois vê como se paga. A última vez que li, toda a economia que as reformas trouxeram foi gasto com a pandemia, o auxílio foi necessário, mas o dinheiro poderia ter saído de outras contas, como fundão eleitoral, maaaaaaas cada um com sua prioridade.

ERNANI BORGES

Infelizmente não foram eleitos junto com o presidente, deputados e senadores suficientes para apoiá-lo no senado e na câmara dos deputados e ainda tivemos alguns traidores eleitos.

Jadson Cabral

Mais traidor que o próprio presidente??? Ainda não consegue enxergar?

Rinaldo Nery

Você quer mesmo pulverizar a manutenção de uma aeronave desse tipo, altamente complexa, em sete Bases? E criar sete novas UAE (comandante, operações, médico, comunicação social, seção de apoio etc…) de AWACS, com duas aeronaves cada? Não é assim que funciona, nem na USAF. Sabe como é a estrutura interna de uma UAE pós reestruturação? Ahh, e tem que ter prédio administrativo, viaturas, sentinela… Não há a MÍNIMA necessidade desse tipo de casamento.

Marcos

Quem acompanhou como eu o desenvolvimento do E99 sabe que já na época o ERJ-145 era pequeno e que alguns sistemas desejados não foram colocados no avião o que ficou evidente na proposta feita aos EUA que não ganhou a concorrência.
Eu acho que o momento não é agora mas quando forem substituir os E99 provavelmente vai ser em cima dos aviões maiores da Embraer que garantirão maior autonomia e adição de mais sistemas eletrônicos dando uma salto em capacidade e desempenho.

Defensor da liberdade

Já pensam num substituto para os E-99 e os P-3? Logo, logo chegam no fim de suas vidas úteis.

César Antônio Ferreira

Na imagem a plataforma: Global 6000 da Bombardier…
Exemplo máximo da “SAAB parceira”…

Enquanto isso, outra coisa não se fala em Banana Land que não seja “Segundo Lote”…

Pois bem. Seria a hora de chamar o sueco e dizer: – “Venha cá, camaradinha, vamos conversar”…
Mas nós sabemos que não acontecerá…
Nunca acontece, sempre se deixa passar.

EduardoSP

Não tem nenhuma aeronave nacional que se aproxime do Global 6000. Não tem porque ficar magoado com a SAAB.

Matheus

Verdade. O pessoal não entende. A Embraer não tem nada que se aproxime do Global 6000. Segue o jogo.

Carlos Crispim

Gostaria de perguntar aos confrades em que a plataforma Bombardier é melhor que a ERJ-145? Olhando as duas aeronaves tenho a impressão que a “nossa” é bem maior e esguia, como pode isso? Se alguém puder me ajudar.

Tiago da Silva

O diferencial reside basicamente no alcance já que o Global 6000 é uma aeronave executiva de longo alcance e uma das mais modernas do mercado contra o ERJ-145 que apesar de ainda moderno é uma plataforma regional. Tem mais alcance que um “145” padrão sim tem mas nem se compara ao Global 6000, a aviônica é mais moderna também agora quanto aos sistemas embarcados só sabendo detalhadamente para poder comparar mas o sistema GlobalEye foi feito com amplas capacidades que os nossos E-99 talvez nem tenham mesmo com a modernização. E temos que lembrar de uma coisa, são pelo menos… Read more »

Heli

O ERJ145 tem alcance entre 1600 a 2000 milhas com teto de 37000 pes. Já o do Global6000 fica entre 6500 e 6900 milhas, ou seja,mais que o triplo, permitindo assim um tempo de permanencia sobre o TO bem maior, possi ainda teto de 51000 pes. Alem disso a fuselagem e mais larga permitindo acomodar mais hardware. Nao sao concorrentes diretos.

Carlos Crispim

Fiquei abismado com essa diferença, como pode um avião que aparentemente parece ser bem menor ter o triplo de alcance do outro, inacreditável.
Obrigado a todos

Jadson Cabral

Ter, tem, só que aí já é outro patamar. O que falar do E195-E2? A Bombardier tem algo melhor que isso?

nonato

Quando se fala em determinados produtos, as pessoas dizem Ah não tem mercado não vale a pena desenvolver produzir vender mas aí a gente vê a Saab. Desenvolve uns produtos de nicho que vende pouco mas esse pouco vai se somando e a empresa vai continuando. Até porque muitos produtos acabam vendendo tanto não é apenas essa plataforma o globaleye. O próprio Rafale, supertucano, KC 390. Ninguém espera vender 500, 1.000, 2.000. São produtos de boa qualidade para oferecer. Aí vai vendendo 2 aqui, 5 ali, 10 acolá… Para uma empresa pequena, vai sustentando a empresa. 1 bilhão de dólares… Read more »

Junior

A Saab só desenvolveu o global eye porque achou um cliente que bancasse que foi os Emirados Árabes Unidos, aliás a exigência do cliente foi justamente que a plataforma do sistema fosse o global 6000. Ela jamais poria o dinheiro dela em um produto que não houvesse um cliente bastante interessado, um exemplo é o Saab Swordfish MPA também usando o global 6000 como plataforma, ela apresentou o conceito, pensando nas concorrências da Nova Zelândia e Coréia do SUL, perdeu as duas para o Boeing P8, e como não achou mais interessados, resolveu parar de gastar dinheiro fazendo promoção desse… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Junior
nonato

Nunca mais se falou no radar OTH que seria testado no sul do país.
Parecia interessante.
Um radar em terra monitorando uma ampla faixa do mar.
Mais barato do que aviões no ar, pelo menos para um monitoramento inicial sem desprezar o uso de aviões e navios se necessário.

Kemen

Me lembro que já teve gente aqui desdenhando os produtos da Saab e a pouca quantidade vendida, a Suecia é um pais sem poder de pressões politicas, mas segue vendendo porque seus produtos são bons, com alto custo/beneficio e atende o que o cliente quer, tendo alta versatilidade de configurações e sitemas abertos mais baratos para futuros upgrades, diferente de produtos empacotados de outros fabricantes, as vezes com sistemas “meia boca” na configuraçãp para exportação.

Recentemente outras empresas estão introduzindo esse enfoque da Saab nos seus produtos, open systems é o futuro para diminuir os custos operacionais dos clientes.

Last edited 4 meses atrás by Kemen
Juarez

Que bela aeronave e que alcance incrível! Uma opção de plataforma embraer poderia ser uma versão militarizada do Lineage 1000, este possui autonomia de cerca de 8,500  (5,300 mi, 4,600 nmi) com 8 passageiros (M 0.78, NBAA IFR res.).

Será que conseguiria comportar todos os equipamentos e passageiros que as missões típicas que essa nova versão Global Eye executa ?

Saudações a todos

Rinaldo Nery

Dá e sobra!

Adriano Santos

Dá tranquilo. O Lineage 1000 é praticamente (mesmas dimensões) um E-190 convertido em jato executivo.

Reportagens especiais

Além do Gripen: Saab apresenta fábrica de aeroestruturas do caça, no Brasil, de olho no mercado mundial

Grupo sueco, que venceu o programa F-X2 de 36 caças para a FAB, apresentou em São Bernardo do Campo...
- Advertisement -
- Advertisement -