Home Aviação de Caça Japão continua o co-desenvolvimento do míssil JNAAM

Japão continua o co-desenvolvimento do míssil JNAAM

3039
40

Como parte do orçamento do ano fiscal (AF) de 2021, o gabinete do primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga em 21 de dezembro aprovou planos para avançar com o co-desenvolvimento de um Novo Míssil Ar-Ar Conjunto (JNAAM) com o Reino Unido.

Especificamente, o Ministério da Defesa do Japão (MoD) garantiu JPY 1,0 bilhão (US$ 9,7 milhões) para financiar os custos de desenvolvimento relacionados à produção experimental de um protótipo do JNAAM, um funcionário do MoD confirmou durante uma coletiva de imprensa em 21 de dezembro.

O programa conjunto fez a transição para um estágio de protótipo no ano fiscal de 2018 e deverá terminar a produção experimental do protótipo durante o ano fiscal de 2022, de acordo com documentos do MoD. Em seguida, os dois países avaliarão o desempenho do míssil e então decidirão se colocarão a arma em produção em massa.

O gabinete do primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga aprovou em 21 de dezembro o financiamento para o co-desenvolvimento de um novo míssil ar-ar conjunto (JNAAM) com o Reino Unido.

O atual projeto de pesquisa conjunto Japão-Reino Unido, iniciado pelas duas nações em 2014, está programado para ser concluído no final do ano fiscal de 2023, que é março de 2024 no Japão.

Segundo o Jane’s, as tecnologias de mísseis do Reino Unido incluídas no programa se relacionam ao míssil ar-ar Meteor, o Beyond Visual Range Air to Air Missile (BVRAAM) da MBDA.

No lado japonês, o MoD está procurando integrar tecnologias avançadas de busca por radiofrequência (RF) desenvolvidas pela Mitsubishi Electric Corporation para o míssil AAM4B, com o objetivo de aumentar a precisão e o desempenho do BVRAAM e apoiar o desenvolvimento do JNAAM.

Um porta-voz da Mitsubishi Electric Corporation em Tóquio não quis comentar com o  Jane’s sobre os detalhes do programa, observando que “é normal que a empresa não se refira a nenhum projeto de defesa nacional”.

FONTE: Jane’s

Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
27 dias atrás

Esse ai vai ser com radar AESA?

E qual seria a vantagem desse para o Meteor que acabou de sair do forno praticamente?

Bosco
Bosco
Reply to  Rui Chapéu
27 dias atrás

Basicamente, maior resistência às ECMs e melhor sensibilidade para detectar aeronaves stealths.

Last edited 27 dias atrás by Bosco
Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Bosco
27 dias atrás

Quais nações além dessas, está desenvolvenso algo semelhante?

Kemen
Kemen
Reply to  Vinicius Momesso
24 dias atrás

Missil Ar-Ar. Japão- desde 2004 tenta adaptar um missil existente com AESA acho que desitiram, Russia- se mencionou o desenvolvimento de um K-77M com AESA que ninguém comprovou existir, e pelo nosso colega indiano ai embaixo acredito que também a India (“na cola” do que teoricamente queria a Russia), até hoje não existe protótipo de missil com o que mais se asemelharia a um buscador AESA. Os USA e nenhum pais europeu nunca pensaram em desenvolver isso, por que? Muito estranho com a tecnologia que tem não? Eu acho que até poderiam desenvolver algo em misseis de grande porte com… Read more »

Teropode
Reply to  Bosco
27 dias atrás

Sem falar do aprendizado , coisa que japoneses não abrem mão .

Kemen
Kemen
Reply to  Bosco
26 dias atrás

Então encaixe num missil ar-ar uma tecnologia AESA tal como usam os caças hoje e boa sorte, nunca li a respeito em tema serio, mas quem sabe não fiquei sabendo, “estou por fora”.

Last edited 26 dias atrás by Kemen
Kemen
Kemen
Reply to  Bosco
24 dias atrás

“melhor sensibilidade para detectar aeronaves stealths.” Quando disparam um missil contra uma aeronave furtiva, é porque o radar (aéreo, maritimo ou terrestre) já o localizou e travou o alvo, a partir dai o missil segue, quando o radar detectar que o seeker (buscador do missil) travou a aeronave o missil segue por sua conta. Observação: Um missil tem velocidade bem maior que uma aeronave. Existem varias possibilidades e cenários, mas tem a possibilidade, da aeronave se evadir e o radar que orienta o missil perder o travamento da mesma, dai o missil seguira desorientado com remotas possibilidades do seu buscador… Read more »

Last edited 24 dias atrás by Kemen
Nostra
Nostra
Reply to  Rui Chapéu
27 dias atrás

For any high performance seeker capable of tracking highly maneuverable and very fast aerial targets , a high rate of change of line of sight to the target with respect to the missile is required. For that in older and current generation seekers gimbal mechanism ( electromechanical servo system ) is utilised. ie the servo mechanism enables the antenna to keep continuous track lock of any high speed , maneuvering target. Thus it is the servo mechanism which ultimately determines the overall seeker performance in terms of precision and speed. However due to inherent mechanical inertia of any gimballed antenna… Read more »

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
27 dias atrás

Example

This is drdo Ku band AESA seeker for BVRAAM
comment image

This is drdo X band AESA seeker for SAM
comment image

Note there is no gimbal mechanism in either of the AESA seekers

Last edited 27 dias atrás by Nostra
Kemen
Kemen
Reply to  Nostra
26 dias atrás

How much modules tx/rx has this misil?

Nostra
Nostra
Reply to  Kemen
26 dias atrás

The X and Ku band AESA seekers are basically prototypes in development stage .

All I know is that they adopt Vivaldi configuration. That means they will have double the no of TX/RX over older traditional AESA radars within the same space.

Kemen
Kemen
Reply to  Nostra
25 dias atrás

Ok, with more frequencies, but Vivaldi configuratin will reduce de frequency output power.

Kemen
Kemen
Reply to  Nostra
26 dias atrás

It´s operational? Which air force it´s using this misil?

Which type of misil is it?

Last edited 26 dias atrás by Kemen
Nostra
Nostra
Reply to  Kemen
26 dias atrás

Not operational as of now , in development and testing. Radar development has a long gestation time.

They will be used when ready for DRDO long range BVRAAM and SAMs, like Astra mk2 ( possibly ) , Astra mk3 , XRSAM , BMD interceptors etc

Last edited 26 dias atrás by Nostra
Kemen
Kemen
Reply to  Nostra
25 dias atrás

Missiles with AESA seeker are all in development, but against to Figther with AESA radar ECM in, this kind of misil can´t have advantage over other types of missiles frequency seekers. One advantage of AESA Seeker can be expand their range detention, pehaps 20% or 30% more, but this will be a problem because expend more internal energy, reducing the missil capabilities, i think this isn´t more important if there are missiles that can have their operation over 60, 80 or 100 km, f. e. Meteor, AIM 120C, etc. Generaly the detection range of their several kinds of frequency seekers… Read more »

Nostra
Nostra
Reply to  Kemen
25 dias atrás

Advantages of airborne AESA radars also applies to AESA based seekers and is far more vis a vis traditional pulse Doppler radar seekers.

Aesa radar seekers will be the future IMO because it allows for combining the functionalities of multiple antennas into one ie shared aperture radar. Time interleaving , multiple independent beams etc will allow a AESA seeker to implement tasks previous not possible.

Also in future we will see conformal AESA radars on missiles .

The picture below is a DRDO experimental conformal omni-directional wrap around multi band antenna for missiles.

A2-03.16.52.jpg
Claudio
Claudio
Reply to  Nostra
27 dias atrás

Não sabe escrever em português não?

Nostra
Nostra
Reply to  Claudio
27 dias atrás

Unfortunately no

embedded Google translate converts website from Portuguese to English and then only I can read to understand.

Last edited 27 dias atrás by Nostra
Claudio
Claudio
Reply to  Nostra
27 dias atrás

Sorry my friend, I thought I was a Brazilian kid, so I asked if I didn’t know how to write in Portuguese, because some Brazilians who comment here are American fanboys

Nostra
Nostra
Reply to  Claudio
27 dias atrás

Ok, no problem thanks

Last edited 27 dias atrás by Nostra
Mark
Mark
Reply to  Nostra
27 dias atrás

Thanks for your comments. They were detailed and useful.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
Reply to  Claudio
26 dias atrás

and others are chinese/russian fanboys.
Chinese/Cyrilic required.

Kemen
Kemen
Reply to  Jagdverband#44
25 dias atrás

A neutral fan too.

Diferentes tipos de Seekers.
comment image

Desenvolvimentos de Seekers são frequentes.

https://breakingdefense.com/2020/06/army-tests-prsm-seeker-to-hunt-ships-sams/

Last edited 25 dias atrás by Kemen
Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Claudio
27 dias atrás

Salvo engano o Nostra é Indiano, ele escreve em inglês para facilitar a comunicação, nas poucas vezes que tentei usar o tradutor do português para hindu, muito do sentido se perde.

não vejo problemas dele escrever em inglês, os comentários dele são bem ricos e informativos

Nostra
Nostra
Reply to  Victor Filipe
27 dias atrás

Thank you

Kemen
Kemen
Reply to  Rui Chapéu
26 dias atrás

Fica dificil para mim imaginar uns minimos 20 a 30 TX/RX módulos dentro de um missil ar-ar naquele pequeno diâmetro, quando em caças de frente fina fica até dificil colocar uma antena para RADAR AESA que tenha ganho suficiente para torna-lo eficaz. Fica mais dificil ainda para mim imaginar um sistema de refrigeração para os TX/RX por menores que sejam e por menos potencia que tenham. Mas quem sabe não… nesse mundo enorme, as vezes somos nós que estamos errados e não temos o conhecimento do que seja um buscador de um missil ar-ar nem obrigação alguma de saber. Em… Read more »

Last edited 26 dias atrás by Kemen
Nostra
Nostra
Reply to  Kemen
26 dias atrás

The benefits of the AESA over other radars are known. But with the AESA radars there is a constant competition for mounting more and more TRMs( transmit and receive modules ). More the number of TRMs, more difficult it is evade the radar, more difficult it is to jam the radar and so on. To overcome the limitations of lower no of TX/RX, TSA (tapered slot antenna) / Vivaldi antenna was implemented to fit in more Transmitters and Receivers within the same space of older generation AESA TRMs . With the TSA/Vivaldi, every TRM now has 2 transmitters and 2… Read more »

images.jpeg
Last edited 26 dias atrás by Nostra
Esteves
Esteves
Reply to  Kemen
26 dias atrás

Nostra, hindu. Kemen, índio.

Para mim…

Kemen
Kemen
Reply to  Esteves
23 dias atrás

Teria o mesmo orgulho do que eu sou se fosse indio, você Esteves mostra que é um racista a mais menosprezando os indigenas. Mais um!

Mais um seguidor e apoiador desses politicos racistas.

Last edited 23 dias atrás by Kemen
Zeca
Zeca
27 dias atrás

Certamente será o melhor míssil ar-ar já construído.

gordo
gordo
Reply to  Zeca
27 dias atrás

Vai ter que ser muito bom para ser melhor que o sidewinder lá dos anos 50, é o antes e o depois. Inovou em todos os aspectos e quando caiu nas mãos dos Soviéticos deu a eles aulas fantásticas de eletrônica segundo relato dos engenheiros que participaram da engenharia reversa do míssil.

Carlos Campos
Carlos Campos
27 dias atrás

vai ser o Meteor Japa, seria uma alternativa para não comprar mais o Meteor que dá dinheiro para vários países Europeus.

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Carlos Campos
26 dias atrás

Projeto anglo-japonês!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Paulo Siqueira
26 dias atrás

Eu falei em vários países Europeus, mas estava me referindo a dois somente que estão enchendo o saco. não tenho problema com todos os países da Europa,

Reginaldo
Reginaldo
Reply to  Carlos Campos
26 dias atrás

A Inglaterra faz parte da Europa. (rsrsrs)

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Reginaldo
26 dias atrás

e quem disse que não faz? releia comentário, e lei a resposta para o colega acima.

Kemen
Kemen
26 dias atrás

De 2014 a 2022 com apoio de um pais que já projeta e fabrica misseis a anos. O desenvolvimento de um missil demora muito, imaginem para um pais que tenta desenvolver um missil sozinho sem acordo ou apoio de nenhum outro pais.

Kemen
Kemen
26 dias atrás

Esse projeto na minha opinião é a tentativa de produzir um análogo ao missil Meteor no Japão, com envolvimento da industria japonesa no desenho e fabricação. Poderia apresentar algumas diferenças e melhorias inclusive, desejo boa sorte, o Japão precisa desenvolver tecnologias nessa área.

Nostra
Nostra
Reply to  Kemen
26 dias atrás

Japan has locally developed AAM4 BVRAAM in service . First BVRAAM in the world to have AESA radar seeker .

AAM4 cannot fit inside f35 so they go for newer one which can fit inside.

AESA seeker of AAM4

R2ioIEO.jpg
Kemen
Kemen
Reply to  Nostra
23 dias atrás
  • XRIM-4 – Naval surface-launched variant, project was previously canceled but effectively resurrected in 2016.
  • AAM-4 – Original version with 100 kilometres 62 mi range that entered service in 1999.
  • AAM-4B – Improved version introduced in 2010 with Ka band millimetric frequency AESA seeker and 120 km 75 mi range. The seeker also utilized to the Type 12 Surface-to-Ship Missile.

And what was the gain with this seeker? (100 Km x 120 Km).

Observe that the country who developed the first AESA radar of the world , doesn´t develop missiles with AESA seeker until today.