Home Aviação Comercial Belavia recebe o primeiro Embraer E195-E2

Belavia recebe o primeiro Embraer E195-E2

1005
17

São José dos Campos, Brasil, 21 de dezembro de 2020 – A companhia aérea Belavia, transportadora nacional da Bielorússia, recebeu hoje no Brasil o seu primeiro avião E2, a nova geração de aeronaves da Embraer. O novo avião é o primeiro de três jatos E195-E2 a ser arrendada à Belavia pela AerCap.

A aeronave está configurada em uma confortável disposição de duas classes, para 125 passageiros no total, sendo nove assentos na Executiva e 116 na Econômica. A Belavia planeja operar as novas aeronaves em rotas importantes como Londres, Barcelona, Nur-Sultan, Munique, Paris, Sochi e Amsterdã.

“Os passageiros da Belavia adoram os nossos atuais aviões Embraer e espero que apreciem ainda mais a nova geração. O E2 oferece à Belavia custos operacionais mais baixos, bem como o menor impacto ambiental. Gostamos de manter a nossa frota jovem e atualizada e com a aquisição do E195-E2 é a combinação perfeita, nos permitindo levar mais passageiros, mais longe, com maior conforto, e de forma mais eficiente”, disse Anatoly Gusarov, CEO da JSC “Belavia”.

“É ótimo receber mais uma companhia aérea na família de operadores E2. À medida que as companhias aéreas retomam as operações, o E195-E2 está perfeitamente posicionado, com o tamanho ideal, para atuar em rotas anteriormente operadas por aeronaves de corredor único, mantendo, ao mesmo tempo, a frequência e ajustando a capacidade aos novos níveis de ocupação”, disse Cesar Pereira, Vice-Presidente da Europa, Oriente Médio e África da Embraer Aviação Comercial. “Estamos ansiosos por apoiar a Belavia em sua busca contínua para atualizar a oferta aos seus clientes.”

“Felicitamos a equipe da Belavia pelo recebimento do primeiro E195-E2”, disse Philip Scruggs, Presidente e Diretor Comercial da AerCap. “Desejamos à Belavia todo o sucesso enquanto continuam a modernizar a frota.”

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde sua fundação, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vicente Araujo
Vicente Araujo
1 mês atrás

EMBRAER era aquela empresa Brasileira que iria falir se não se fundisse com a BOEING ?? Poise ainda bem que essa fusão não aconteceu é a EMBRAER está ai vendendo suas aeronaves como água no deserto, se fosse pela vontade de muitos entreguistas por ai a EMBRAER hoje se chamaria “BOEING-EMBRAER”

João Adaime
João Adaime
Reply to  Vicente Araujo
1 mês atrás

Caro Vicente
Sem entrar no mérito da fusão, se esta acontecesse, o novo nome seria Boeing Brasil – Commercial.
Abraço

MMerlin
MMerlin
Reply to  Vicente Araujo
1 mês atrás

Primeiro. Ela não iria falir se não se fundisse, mesmo que negócio fosse apenas o segmento comercial, com a Boeing. Segundo. Aqui ninguém torcia para isto. O que existia era (e é) apenas opiniões diferentes acerca de como o mercado de aviões comerciais se comportaria e quais as dificuldades oriundas de seu estreitamento e, agora, com as restrições do COVID-19. Terceiro. Nenhuma companhia está com voos suficientes (na verdade, uma parte delas já estão decretando falência e iniciando processos de reestruturações) nem fabricante nenhuma está construindo o suficiente para ser igual a “vender água no deserto. Lembrando que se não… Read more »

João Fernando
João Fernando
Reply to  Vicente Araujo
1 mês atrás

Aguá no deserto??????? Vc tá falando daquele avião da Airbus, o A220?

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  João Fernando
1 mês atrás

Neste este…

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  João Fernando
1 mês atrás

Não, não… Esse daí está sendo, praticamente, dado, não vendido… O descontasso que estão fazendo… Putz. Depois a AIRBUS ainda quer bancar a coitada na OMC… Hipocrisia pouca é bobagem….

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Vicente Araujo
1 mês atrás

Vicente, sua análise carece de fundamentos… 1- o negócio da aviação comercial que no passado foi o que carregava a empresa, olhando para frente (em 2018-2019) a previsão era de um cenário muito difícil. A concorrência agora é com a Airbus e muitas grandes vendas que estavam quase não nossas mãos foram perdidas… O E2 vendia muito abaixo do esperado, ou do necessário para dar retorno ao investimento. E, de outro lado, a estrutura para manter a aviação comercial na empresa é cara e pesada… Olhando somente do ponto de vista de negócio, o acordo poderia ser benéfico sim. Mas… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Fernando EMB
1 mês atrás

Kkkkkk
Então tu achastes bom o negócio ter dado errado?! Ah… Pára…. Kkkkkk
Fanfarrão….
Feliz Natal Fernando, grande abraço!!! Rsrsrsrs

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Achei sim, apesar dos desafios e riscos que isso representa. Um feliz Natal e próspero 2021 para todos.

Last edited 1 mês atrás by Fernando EMB
Luiz Silva
Reply to  Vicente Araujo
1 mês atrás

” Agua no deserto” ? Esse e o nosso sonho, mas, a verdade e que a Embraer nao esta vendendo muitas aeronaves como deveria, pelo investimento que fez. Mas,com trabalh0, dedicacao e fe vai chegar la.
Esse trabalho maravilhoso tem de ser recompensado.

JSilva
JSilva
Reply to  Vicente Araujo
1 mês atrás

As dificuldades da Embraer não sumiram por um toque de mágica, quem entende de análise fundamentalista pode perceber que a empresa tem problemas para o futuro, muito endividada, setor com forte queda de receita…

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

E vamos seguindo em frente, essas entregas devem ajudar a melhor o caixa num ano tão atípico!

João Fernando
João Fernando
1 mês atrás

Só pra animar os liberais de botequim, esses são vendidos com dinheiro do comprador ou nosso dinheiro via a caixa preta do BNDES?

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 mês atrás

É como marcar um gol na casa do adversário, no caso, da Sukhoi.

Matheus
Matheus
1 mês atrás

Fazendo a última perna da viagem agora: B22024 from Malaga to Minsk https://fr24.com/BRU2024/2663f30f

Fresney
Fresney
1 mês atrás

Queria ver esses assentos da executiva , alguma foto ?

Matheus
Matheus
Reply to  Fresney
1 mês atrás

No Instagram da Belavia você acha.