terça-feira, junho 22, 2021

Gripen para o Brasil

Gripen E: Saab oferece dois centros aeroespaciais ao Canadá

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Saab JAS 39E Gripen
Saab JAS 39E Gripen

A Saab está oferecendo a abertura de dois novos centros aeroespaciais como parte de sua proposta do Gripen E para o Projeto de Capacidade de Caça do Futuro do Canadá.

As instalações aeroespaciais, o Gripen Center e o Aerospace Research & Development Centre, seriam sediadas na região da grande Montreal, anunciou a empresa no International Aerospace Innovation Forum 2020 da Aero Montreal em 14 de dezembro.

O desenvolvimento de software e hardware do sistema de missão, bem como a integração, para o proposto Gripen E da Royal Canadian Air Force (RCAF) seria feito no Gripen Center.

O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Aeroespacial se concentraria em uma variedade de tecnologias aeroespaciais, incluindo automação, inteligência artificial e tecnologias “verdes”. Esse trabalho pode ou não estar diretamente relacionado ao Gripen E. Em vez disso, a pesquisa e o desenvolvimento se concentrariam nas tecnologias aeroespaciais de próxima geração de maneira mais geral.

A Saab também está em negociações com universidades locais não divulgadas sobre parcerias relacionadas aos centros aeroespaciais, diz.

A Saab tem apenas cerca de 50 pessoas trabalhando no Canadá atualmente, em vários negócios, como gerenciamento de tráfego marítimo e treinamento do exército e trabalho de simulação. No entanto, entre os dois centros aeroespaciais, a empresa prevê pelo menos 3.000 pessoas empregadas diretamente.

A RCAF pretende comprar 88 caças avançados para substituir sua frota de Boeing CF-18 Hornets. O Departamento de Defesa Nacional do Canadá estima que a aquisição da aeronave, equipamentos relacionados e a entrada em serviço custarão de C$ 15 a 19 bilhões (US$ 11,8 a 14,9 bilhões).

A adjudicação do contrato está prevista para 2022 após avaliação do RCAF. A Força Aérea quer que os primeiros jatos sejam recebidos já em 2025. A nova frota deve voar além de 2060.

Além da Saab, a RCAF recebeu propostas em julho da Boeing, que está oferecendo seu F/ A-18E/F Super Hornet, e da Lockheed Martin, que está oferecendo caças stealth F-35 Lightning II.

O Canadá também faz parte do programa F-35 Joint Strike Fighter, gastando mais de US$ 500 milhões no esforço desde 1997, um investimento que permitiu às empresas canadenses garantir C$ 1,8 bilhão em contratos do projeto.

No entanto, Ottawa ainda não se comprometeu a comprar F-35s, daí a competição de aquisição. Os políticos se opuseram aos F-35s em parte devido ao alto custo dos primeiros exemplares de caça stealth. O custo do F-35A caiu para US$ 77,9 milhões por unidade, embora os custos operacionais permaneçam altos, em US$ 35.000 por hora. A Lockheed prometeu reduzir esse valor para US$ 25.000 por hora até 2025.

Por sua vez, a Saab propôs que a IMP Aerospace & Defense do Canadá administrasse a produção nacional do Gripen E e fornecesse suporte durante a vida útil da frota. A empresa diz que a aeronave inicial seria produzida na Suécia para atender à meta de Ottawa de entrega do primeiro caça em 2025. A empresa ainda está avaliando quantas aeronaves poderiam ser fabricadas no Canadá, mas afirma que pretende “maximizar” o número.

O restante da equipe do Saab Gripen para o Canadá incluiria a CAE, que fornecerá treinamento e sistemas de missão; Peraton Canada, que deve fornecer equipamentos aviônicos e de teste, bem como manutenção, reparo e revisão geral de componentes e gerenciamento de materiais; e a GE Aviation, que deve fornecer e manter os motores de turbina dos caças.

FONTE: FlightGlobal

- Advertisement -

33 Comments

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Allan Lemos

Espero que vençam, mas acho difícil a SAAB levar essa.

Rogério Loureiro Dhierio

Tenho mesmo sentimento e mesmo pensamento.
Gostaria muito que ganhassem. Más acho que os EUA levam.

Seja pelo F-18 seja pelo F-35.

Más seria bacana no encontro de operadores do Gripen, a FAB voar ao lado da RCAF e da força aérea sueca.

filipe

Esforço ingrato para competir com o F-35. ASAAB tem desenvolver o FS2020 ou FS2025 para poder competir ate 2060 com os novos caças F-35 e F-XX .

Fabio Araujo

Se o Gripen levasse essa seria muito bom, mas acho difícil o Canadá deixar de usar material americano, já que a defesa aérea é em conjunto com a dos EUA!

Marcelo M

Talvez a SAAB tenha esperanças no histórico do Canadá, que mesmo vizinho e aliado dos EUA, de longíssima data, comprou 30 MIG 21 em 1960. Quem já comprou MIG, fica mais fácil comprar Gripen e preterir o F35.

https://theaviationgeekclub.com/cf-121-redhawk-program-the-true-story-behind-canadas-purchase-of-30-soviet-built-mig-21-fishbed-fighters/

Clésio Luiz

Bicho, esse artigo foi publicado no 1º de abril…

Marcelo M

Opa. Por favor, ignorem!

Clésio Luiz

Eu acho que eu cheguei a ler esse artigo na época. O sujeito escreveu de forma muito convincente, realmente caprichou nos detalhes. Só perto do final do artigo foi que a ficha caiu e eu me liguei da data.

Marcelo

🙂

MCruel

Hahahahhaha!

Leandro Costa

Mais um! Hehehehehehe

Faz parte…

João Fernando

Má oi????? kkkkkkkkkkkkkkk

Hellen

A saab pode oferecer de graça que o canada vai de f-35 !!!!!
No canada quem manda é os falcões de Washington !!!!

pangloss

A permanência da Saab nessa concorrência só serve para que o Canadá negocie melhores termos com a Lockheed.

Clésio Luiz

Exato. A Dassault viu que era perda de tempo e caiu fora bem antes.

Adriano RA

Com certeza. Mas lembrem-se que ser considerada em uma concorrência como a Canadense também é importante para a SAAB, ao menos neste momento. Não menosprezemos o poder das espectativas no jogo do mercado.

Rogério Loureiro Dhierio

Estou de acordo com os amigos. Pangloss e Clésio.

Pode ser que eu queime a língua. Más a Dassault percebeu o embroglio antes e caiu fora.
A Saab no meu entendimento só está lá para poder dizer a outros possíveis proponentes que está participando de uma vultuosa competição como forma de engrandecer o produto e conquistar novos contratos.
Eu gostaria que a FAB voasse ao lado da RCAF e da força aérea sueca. Más acho que vai ficar no sonho mesmo.

Zorann

Isso é engano seu e da maioria. A empresa ao participar de uma concorrencia, mostra que está presente. Pode acabar levando outras concorrencias menores.

Kommander

A gente sabe que essa disputa no Canadá é mera formalidade. Vai dar F-18 ou F-35!

Pablo Maroka

Injusto com o Gripen NG que é melhor que os 2

Flanker

O gripen é um caça muito bom…Ótimo, talvez….mas, afirmar de forma definitiva, como vc fez, que ele é melhor que F-18 SH e F-35 é um “pouquinho” demais…..

Roberto Medeiros

Concordo q o Gripen é muito bom e q é subestimado, e inclusive já mostrou serviço contra Typhoons, F-16 e J-11 (cópia xingling do SU27). Mas…. além de suposições, ainda não temos nada que demonstre q ele é superior ao SH e ao F-35.

Last edited 6 meses atrás by Roberto Medeiros
João Fernando

Baseado em que, se o NG não está pronto e muito menos provado em combate?

Gabriel BR

Torço pelo sucesso da Saab

nonato

Querem 88 caças?
Eu compraria 34 de cada.
O gripen para usar no dia a dia, custo baixo de operação.
O F 18 para superioridade aérea.
O F 35 para casos especiais e para voar até 2060.
F 18 compraria 28 comuns e 6 growlers.
E agrada gregos, troianos, a GE fabricaria os motores, o Canadá ganharia esses centros aeroespaciais…
Trump ficaria satisfeito…

Amauri

O problema de fazer isso é falta de padronização de equipamentos.É mais vantajoso para as forças armadas dos países terem seus meios padronizados. Assim elas gastam menos dinheiro, menos recursos humanos e menos espaço. Para ter os três modelos, eles teriam que ter três tipos de oficinas diferentes, em lugares diferentes, cada qual com ferramentas diferentes e mecânicos e técnicos com treinamento diferente. Não daria pra usar as ferramentas de um no outro, os mecânicos de um não saberiam mexer no outro e etc.. É muito mais barato e simples padronizar.

Welington S.

É, vai ser complicado competir com F-18 e F-35. Se a SAAB tivesse um caça de 5ª Geração, eu acredito que levariam, porém, como ainda não possuem, o Canadá irá de States mesmo. Agora, fico me perguntando… será que no futuro a FAB-SAAB desenvolverá um caça de 5ª Geração juntos?

Rodrigo

Seria muito bom aumentar o número de operadores. Ao longo do tempo teríamos mais empresas envolvidas, muito mais orçamento dedicado ao caça e à sua modernização.

Pacotes de atualização no futuro seriam melhores e mais baratos.

sj1

perda de tempo isso em país lacaio dos EUA

Leandro Costa

Fale isso para um Canadense na cara dura, mesmo para um de Toronto, que você vai ver aquela amabilidade Canadense, marca do povo de lá, ir embora rapidinho…

Mayuan

Quando os caras vem com termos tipo lacaio nem dou muita bola afinal, vamos pensar e olhar o mapa, com quem o Canadá desenvolveria parcerias naturalmente? Será que vamos concluir, com os EUA e com a Europa?

ADRIANO MADUREIRA

Todos querem casar com a “donzela” virgem,mas para ter a sua mão e o resto do “corpo”,tem que ser realmente um puta de um dote oferecido ao pai da mesma..

Tirando os eua,canadá é um dos países mais importantes do continente americano,e sua força aerea não pode ser descartada.

Renovar uma frota que conta com 103 aeronaves de caça é algo que é tentador para qualquer empresa de aviação do mercado.

Leandro Costa

A chance (pequena) que o Canadá tinha de ir de Gripen pode muito bem ter ido por água abaixo com a eleição do Biden, que certamente vai tentar adoçar ainda mais o negócio com o Canadá através de um monte de palavras bonitas. Com a aspereza de Trump, havia a possibilidade, embora pequena, de que o gabinete em Ottawa tentasse reiterar a independência Canadense e ter optado ir de Gripen.

Mas o fato é que ainda acredito que se não der F/A-18E/F, vai dar F-35, até por estarem participando do projeto. Mas é aquela coisa… torço pela SAAB.

Reportagens especiais

Momentos da história do AMX nos anos 80 em notícias do Estadão

Pesquisando no arquivo do Jornal O Estado de São Paulo, encontramos algumas notícias sobre o avião de ataque ítalo-brasileiro...
- Advertisement -
- Advertisement -