segunda-feira, março 8, 2021

Gripen para o Brasil

Força Aérea Brasileira recebe terceira aeronave SC-105

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Cerimônia de entrega ocorreu em Sevilha, na Espanha

A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu, no dia 09 de dezembro de 2020, a terceira aeronave Casa 295 (SC-105), produzida pela Airbus Espanha. A cerimônia de entrega, ocorrida em Sevilha, na Espanha, foi presida pelo Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Tenente-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues, acompanhado do Presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), Major-Brigadeiro do Ar Valter Borges Malta, do Ministro-Conselheiro da Embaixada do Brasil em Madrid, Leandro Zenni Estevão, demais militares e funcionários da Airbus Espanha.

“A Força Aérea Brasileira recebe um vetor estratégico que assegura a capacidade de realizar busca e salvamento em uma área de 22 milhões de quilômetros quadrados de responsabilidade do Estado brasileiro, ou ainda realizando missões de evacuação aeromédica, socorro em voo, e outras missões humanitárias em todo território nacional e na América do Sul”, enfatizou o Diretor-Geral do DECEA.

Assim, o Brasil, como estado signatário da Organização de Aviação Civil Internacional, cumpre plenamente as normas e recomendações no quesito de “Busca e Salvamento”.

Segundo o Major-Brigadeiro Valter Borges Malta, “com o mais novo SC-105 Amazonas SAR, as tripulações do Esquadrão Pelicano estarão, 24 horas por dia, sete dias da semana, nos 365 dias do ano, aptas a cumprir a missão de Controlar, Defender e Integrar o espaço aéreo sob a responsabilidade do Brasil”, destacou.

Configurada para a missão de Busca e Salvamento, a nova aeronave seguirá rumo ao Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (2°/10° GAV) – Esquadrão Pelicano e contribuirá, sobremaneira, para a robustez operacional da Força Aérea Brasileira nas missões de Busca e Salvamento.

FONTE: Força Aérea Brasileira

- Advertisement -

43 Comments

Subscribe
Notify of
guest
43 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Matheus

Podiam voar até aqui para a entrega não?

Charles Dickens

Pois é. Não canso de me impressionar com a quantidade de gente que viaja ao exterior para receber equipamentos para as nossas FFAA. É comandante disso, diretor daquilo, coordenador de não sei o que, uma tremenda farra do boi.

Charles Dickens

Se fosse o primeiro de uma série, como no caso do Gripen, ok. Mas a farra continua sempre que se vai receber alguma coisa,

Cleber

E as diarias e q conta amigo .Farra com nosso dinheiro.

Pablo

Os Rafales indianos foram entregues oi buscados??

Leandro Costa

Se recebemos aeronaves, reclamam. Se não recebemos, reclamam também. Então prefiro que recebamos.

É engraçado, super normal de ir receber o equipamento lá fora. Tanto empresas privadas quanto públicas no Mundo todo fazem assim. Quando é aqui, não pode.

Leandro Costa

E nem sabem se sai mais barato ir pegar lá do que mandar entregarem aqui…mas enfim… Brasil-sil-sil-sil!

Wagner

Acho que a questao nao é ir receber a aeronave em si la fora e sim levar uma comissão tão grande e com tanta gente graúda para receber uma simples aeronave de transporte medio configurada para missao de busca e salvamento (e chamada de vetor estratégico…). Creio que tem muita gente cansada já de tanta pompa por nada que e que encontra aqui um canal para externar sua indignação. Nunca é demais lembrar que pagamos impostos como os Suecos e nao temos nada de retorno em qualquer area, incluso a defesa.

Wagner

ERRATA
“… pompa por nada e que encontra…”

Leandro Costa

Eu enxergo isso como o famoso caso do Brasileiro que comenta com propriedade absoluta o que não sabe. Isso é bastante comum infelizmente. A maneira como eu vejo o ocorrido foi simples. Essa foi a última aeronave dos três SC-105 encomendados pela FAB, fechando o ciclo de recebimento da aeronave junto à fabricante Espanhola. Um pouco de pompa é necessária porque é uma ação não apenas celebratória, mas diplomática. Os Espanhóis esperam isso, esperam a presença de autoridades graúdas para que tenham a importância de seu trabalho reconhecida pela maior força aérea da América Latina. Cerimônias assim podem parecer besteira… Read more »

Rinaldo Nery

Tinha UM 4 estrelas, o Heraldo. Representando o COMANTAER. E só…

Wagner

Vejo mais como uma questao de ponto de vista, nao como caso de comentario com propriedade sobre o que nao se sabe… Dadas as atuais circunstancias de isolamento social e penuria economica que se vive em funcao da pandemia, você não acredita que a presença fisica do embaixador do Brasil na Espanha e da equipe de translado da aeronave e que a presenca virtual via tele conferencia de um quatro estrelas e de um major-brigadeiro não atenderiam os requisitos diolomaticos impostos pela ocasiao, alem de economizar recursos para o erario, demonstrando compromisso da Força tanto com os seus parceiros comerciais… Read more »

Leandro Costa

Na verdade não. Podem criticar isso à vontade, mas uma ‘conferência virtual’ na verdade não é. Você pode acertar diversos detalhes da cerimônia virtualmente, mas não vai conseguir conferir verdadeira apreciação e nem muito menos ter conversas mais profundas via teleconferência. No final das contas, economizar numa viagem dessas é economia porca, ainda mais mediante a possibilidade de gerar algum mal estar futuro. Ainda mais se houverem sondagens e conversas acerca de outros produtos, parcerias ou serviços. Tipo de coisa que não se faz remotamente. Se fosse algo corriqueiro, como fulano indo até lá para entrevistar algum cara sobre determinado… Read more »

Wagner

Realmente é uma questao de ponto de vista, dado que até a reunião do G20, que envolve chefes e ministros de estado dos 20 paises mais industrializados do mundo se fez virtual esse ano, sem perdas diplomaticas e aparentemente sem danos relevantes a negociações de alto nível que envolvem acordos entre nações inteiras. Salientando que o grosso das conversas numa reuniao desse tipo se dá off grid e ainda assim funcionou muito bem virtual. Cordialmente discordo de você e, claro posso estar enganado pois é só uma opinião, creio que muito em breve reunioes presenciais se darao apenas em condicoes… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Wagner
Leandro Costa

Oi Wagner, então, discordo mas concordando em parte com você. Esse exemplo do G20 não é muito bom, exatamente porque um dos objetivos de a reunião ser feita é justamente mostrar a necessidade de cuidados em relação à pandemia, ou seja, o fato de ter sido uma reunião à distância era um dos objetivos da reunião. Então essa acho que ‘não conta.’ Mas enfim, quanto ao resto, principalmente em matéria de entrega de aeronaves civis, o que ocorre de forma muito mais corriqueira do que de aeronaves militares, ainda mais em se tratando de uma força que está renovando seus… Read more »

oswaldo

Parabens a FAB ! A cada dia melhor equipada.

FERNANDO

Sim, muito bom.
Logo a Embraer irá fabricar um igual.
Bem, parecido.

João Adaime

Caro Fernando
Será de asa alta ou baixa, como na ilustração de matéria de dias atrás?
Abraço

Bille

Esse avião aí da EMBRAER deve ser do tamanho do Brasília, não do C295. O que, aliás, é o que a FAB precisa – um avião do porte do Brasília, asa alta e rampa de carga.

João Adaime

Prezado Bille
A Embraer, ao que parece, está com dois projetos aguardando aprovação de quem de direito. Um turboélice de passageiros e outro para a FAB, o Stout, híbrido turboélice e elétrico, este do tamanho do Brasília.
O Fernando poderia dar mais detalhes se houver.
Abraço

João Adaime

Turboélice de passageiros.

Embraer 1.jpg
João Adaime

Stout

Embraer 2.jpg
Nilton L Junior

Os Russos tem o IL 114-300 asa baixa para operar em condições bem mais extremas que as nossas.

Bueno

Estes três SC-105 tem uma denominação diferente dos outros dois SAR mais básicos que já operam na FAB? As matriculas destes são 6550-6551-6552.

Li em algum site que os sensores destes três SC-105 tem alcance de 360km em 360º e capacidade de detecção de pequenas embarcações, até snoke e periscópio de submarinos.
Os P-95 “Bandeirulha” são de patrulha marítima, poderão ser substituidos pelos SC-105 com algum incremento de sensores?

Last edited 2 meses atrás by Bueno
Bueno

pesquisei um pouco e encontrei! 😉 C295MPA patrulha maritima..
Portugal, Irlanda, Chile e Oman operam o de patrulha maritima..

o de Portugal é completo..  guerra anti-submarina .. capacidade de lançar torpedo.. rs

https://www.aereo.jor.br/2010/05/10/c295-mpa-lanca-torpedo-pela-primeira-vez/

O Chile pretende substiruir seus 5 unds de P-95 pelos C295MPA

estas 3 que a FAB comprou são da variante MPA ou inferior?

Last edited 2 meses atrás by Bueno
Bueno

Já vi que é somente SAR…
Bem provável que os C295MPA sera o substituto dos P-95M… ou a FAB vai esperar o turboélice da Embraer

https://www.airplane-pictures.net/photo/1056862/16705-portugal-air-force-casa-c-295mpa/

Last edited 2 meses atrás by Bueno
Flanker

Quando a FAB retirou seus SC-95B do Pelicano e os enviou para modernização e conversão para a versão de transporte igual aos outros Bandeirantes, foram recebidos pelo Pelicano 2 unidades do C-105, oriundas do Arara e do Onça. Essas duas células eram da versão cargueira como os outros C-105 da FAB, tendo recebido um kit de SAR, que podia ser instalado e retirado da aeronave conforme a necessidade. Tiveram também pintadas marcações em laranja e a inscrição SAR na fuselagem. Agora, essas 3 células recebidas são da versão dedicada à SAR, com sensores e equipamentos específicos para esse fim. Os… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Flanker
Rinaldo Nery

Tem um radar de vigilância marítima israelense, o mesmo que equipa os nossos P-3. Não deveria ser esse radar. Deveria ser um radar de abertura sintética banda P, construído pela antiga ORBISAT, hoje adquirida pela EMBRAER, e denominada BRADAR. 70% das buscas são sobre terra. Se for sobre o mar, mandem o P-3 que é mais equipado. Participei do processo de seleção desse avião, na COPAC, em 2009. Depois que saí de lá mudaram pro radar israelense, e não sei a razão. Pode ter sido de ordem técnica. Mas, na minha humilde opinião, adquirimos mais 3 aviões de ¨esclarecimento marítimo¨.

Cleber

Parabens a FAB . Na minha opiniao , a melhor forca q melhor esta equipada . Obs : Falta comecar a vir os Drones de ataque .

Salomon

Parabéns à FAB! E um detalhe: estão com edital para 234 vagas, incluindo veterinário. Seria para cuidar do tal Pelicano? Acredite é verdade, estão chamando veterinários.

Frederick

Os BINFAE têm cães farejadores. Salvo engano, até pouco tempo atrás, o GAP/SJ operava um Centro de Equoterapia.
Não vejo qualquer disparate nessa convocação.

Flanker

Veterinário para cuidar dos cães…..se for oficial temporário….ok. Quanto ao centro de equoterapia……para quem? Atende quem nessa clínica?

Frederick
Flanker

Com esse tipo de gracinha, típica de indivíduos como vc, reforça mais ainda a desnecessidade de um serviço desses ser realizado pelas FFAA……

Nilo

Alcançado o objetivo, é o fim do projeto gerenciado pela COPAC, o Programa CL-X2 previa a aquisição de 3 aeronaves Casa C-295 – a ser adapatado para missão SAR (SC-105 Amazônas SAR).

Gabriel BR

Belíssima aeronave

sergio ribamar ferreira

Excelente notícia. Parabéns!

Luiz Trindade

Uma ótima aeronave para pista pavimentada… Agora para substituir o Buffalo foi um tiro no pé aonde pousava curto em qualquer pista! Só não pousava em vertical.

Marcelo Andrade

Amigo, a Amazônia tem hojemuito mais pistas pavimentadas do que na década de 60 a 80, quando os Buffalos operavam, O Buffalo foi um excelente avião mas hoje está no MUSAL, temos que andar pra frente!! O C-295 foi uma ótima escolha!

Luiz Trindade

O despreparados só descobrem as necessidades quando elas são urgentes. Os precavidos enxergam à frente. Anos atrás dispensaram o Catalina dizendo que não havia necessidade de hidroavião. A vácuo tá até hoje!

Rinaldo Nery

Acho que você não entendeu que hoje não há mais as pistas de terra onde os Buffalo operavam. Foi tudo pavimentado, e o C-105 opera em todas. Meu filho é instrutor de C-105 no 1°/9°.
E, quanto a operar em rios da Amazônia, foi discutido amplamente noutra matéria. Não é tão simples.

Fernando EMB

Pelo que ouvi, este avião já no seu voo de translado cumpriu sua primeira missão operacional, ao atuar como aeronave de apoio SAR a aeronave Super Tucano que atravessavam o atlântico, em ambos os sentidos… Brasil – Europa e Europa – Brasil.
Cel. Nery sabe de algo?

Rinaldo Nery

Fernando, não sei mas vou me informar com os amigos que voam A-29 aí na EMBRAER: Torres, Ziegler, Carlos Alberto, William, Duek etc.

Combates Aéreos

A perda dos ases iraquianos

  Muitos pilotos iraquianos de Mig-21 ganharam notoriedade durante a guerra com o Irã. O mais conhecido foi Tenente (mais...
- Advertisement -
- Advertisement -