quinta-feira, fevereiro 25, 2021

Gripen para o Brasil

Cinco nações unem forças para desenvolver a próxima geração de helicópteros multifuncionais médios

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Eurocopter X3

França, Alemanha, Grécia, Itália e Reino Unido anunciaram o lançamento de um projeto multinacional de capacidades de helicópteros de última geração em 19 de novembro de 2020

O projeto é dedicado à modernização das frotas de helicópteros existentes e é um dos Projetos de Alta Visibilidade (HVP) da OTAN.

Um número significativo de helicópteros multifuncionais médios atualmente operados pelos Aliados chegarão ao fim de seu ciclo de vida no período de 2035-2040 e além, com a subsequente necessidade de substituições.

O projeto Rotorcraft Next Generation visa desenvolver uma solução para esses requisitos futuros, aproveitando uma ampla gama de avanços recentes em tecnologia, métodos de produção, bem como conceitos operacionais.

Nos próximos anos, especialistas de todas as cinco nações cobrirão um programa exaustivo de trabalho, começando com a definição de uma robusta Declaração de Requisitos e um plano de cooperação multifásico.

Os Ministros da Defesa dos cinco Aliados assinaram uma Carta de Intenções para desenvolver uma capacidade de helicóptero totalmente nova. A assinatura foi adicionada virtualmente das capitais das nações participantes.

“Ao investir os nossos recursos e canalizar as nossas iniciativas de desenvolvimento através de um quadro multinacional, estamos assegurando que os Aliados estão equipados com as melhores capacidades disponíveis, o que ajuda a manter a vantagem tecnológica da OTAN”, sublinhou o Secretário-Geral Adjunto da OTAN Mircea Geoană.

O projeto destaca o compromisso dos Aliados da OTAN em manter uma vantagem tecnológica e buscar a cooperação multinacional sempre que possível.

FONTE: www.nato.int

- Advertisement -

41 Comments

Subscribe
Notify of
guest
41 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gil U

Neste ponto os americanos parecem estar bem melhores posicionados do que os Europeus, já que tem um uma série de novos projetos em andamento, inclusive com protótipos em estágio avançado de testes.

Last edited 3 meses atrás by Gil U
Jad Bal Ja

E esse Eurocopter X3 parece uma gambiarra. Simplesmente colocam duas hélices a mais em um helicóptero e pronto.

Caloro

Pude ver in loco esse projeto na França e ver um comentário desse me dá vergonha pela pessoa escrever isso. Não faz a ideia de quantos H/h foram gastos de engenharia, ensaios em voo e análises diversas……
Vai estudar e entender o quanto é necessário para chegar numa “gambiarra” dessa.

Bosco

Já,
Não sei se vc notou nas ele não tem o rotor de cauda. Só aí já joga por terra sua percepção. Esse é um conceito de helicóptero composto que em tese é capaz de velocidade 50% maior e o dobro do alcance

Jad Bal Ja

Nossa, sério? Se tivesse rotor de cauda não seria uma gambiarra, seria uma piada.

Carlos Gallani

É um bagulho meio tosco mesmo, tem algo de muito desconfortante nesse projeto!

peter nine nine

O que distingue o progresso americano do europeu, é o facto dos americanos contarem com umas forças armadas cuja tendência é a de partir na frente relativamente às restantes.

Os Europeus já estudam estes conceitos ah anos, a diferença é que não se pode aplicar muita seriedade numa coisa que, a curto prazo, não representa um meio operacional.

Os americanos, tal como os europeus, irão operar os helis “convencioanais” ainda durante anos, mas, ao contrário dos europeus, o mais provável é que os americanos comessem já nesta década a fazer uso destes novos conceitos, operando conceitos mistos.

Cristiano de Aquino Campos

Resumindo, oa americanos tem mais grana para arriscar e bancar projetos inovadores. Fora os EUA, só Russia e China investem em inovação tecnológica hoje em dia. Oa demais apenas adaptam e modificam técnologia conhecida.

peter nine nine

Não, não foi de todo isso que disse. Os Europeus, com as suas reconhecidas indústrias de defesa e tenologia, equiparam-se em muitos aspectos aos países que listou, superando até alguns em alguns quesitos. Muita inovação aeronáutica teve e tem origem na Europa, aliás, tanto em asa fixa como rotativa. O que ocorre é que na Europa, as respectivas indústrias limitam-se a trabalhos de investigação e pesquisa, testando um conceito ali e acolá, mas nunca partindo com um investimento no sentido de operacionalizar e comercializar um novo conceito de helicóptero sem que para isso o mesmo seja pedido por uma ou… Read more »

rui mendes

Não acho nada disso, e os países que ali estão representados, fora a Grécia, são a Airbus Helicopters(Eurocopter) e a Agusta-Westland.

Kemen

Oi, o garoto dos números voltou.__ Não sei ao certo, se falamos de todos os helicópteros, mas os helicópteros norte americanos tem perdido mercado, isso é certo.__ Ao contrario do que parece, o mercado global ocidental é detido atualmente pelas principais seguintes empresas + ou -. Airbus (Europa) – 34% Augusta Westland (Finmeccanica – Europa) – 20% Bell USA – 19% Robinson USA – 12% Sikorsky USA – 5% Outras… A participação da Europa na fabricação de helicópteros parece estar crescendo, e a tecnologia e preços é uma das principais causas dessa tendência.__ O mais interesante nisso é que o… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Kemen
Antoniokings

Adirmo e reafirmo.
A Europa está trilhando um caminho equidistante de EUA e China/Rússia.
Está vendo mais seus interesses em vez de ficar perdendo tempo se atrelando a de outros.

Teropode

Isso até surgir uma guerra né ,,

USS Independence

E eles correrem pedindo ajuda aos americanos perversos. A Europa não dá conta nem dos problemas internos quanto mais dar conta de uma guerra contra China ou Rússia.

Jean Jardino

Vai estudar um pouco meu caro, e para de escrever besteiras…..primeiro que a Europa, nao ira fazer guerra contra China e Russia, pq sao parceiros comerciais, e tem interesses mútuos, a guerra europeia eh contra o terrorismo, va estudar vai.

peter nine nine

lol

A correr a pedir ajuda.

Amigo, a EUROPA não pediu ajuda, certos EUROPEUS pediram ajuda para combater outros EUROPEUS.

Foi uma guerra essencialmente interna, dentro da EUROPA, com diferentes lados EUROPEUS.

O conceito UE ainda não foi testado numa guerra digna do nome, é facto, mas ainda assim, uma guerra hoje teria os dois lados antes inimigos como amigos e, se o adversário não forem uns USA da vida, é pouco provável que se vá a correr pedir ajuda.

Por fim, os EUA não apenas ajudaram, fizeram essencialmente negócio.

Rodrigo Martins Ferreira

Fazendo negócio ou não…

Senão fossem os americanos de um lado e os russos do outro.. Vocês estariam falando alemão.

peter nine nine

Sim, poderia não estar aqui hoje, dado a ausência de traços “arianos”. Facto. Mas, ganha-se um ou outro, a potência Europeia permaneceria europeia. Ah uma distinção entre a incapacidade europeia de se defender, e a necessidade de auxílio quando a guerra é dentro da própria europa, dividida, com europeus a combaterem europeus. Os Estados Unidos escolheram um dos lados, sempre de forma a ficarem a ganhar, como bem sabemos, por vezes até de forma moralmente questionável. A Europa, quando unida, é e sempre foi uma potência. De facto, no quadro actual, a aliança Europeia é uma mais que digna potência… Read more »

rui mendes

E Britânicos e Franceses não combateram também? Se não me engano, foram os dois primeiros países a declarar guerra á Alemanha nazi, que alguns aqui devem desconhecer, ser Europa, mais os Britânicos no finalzinho da 2 ww, estavam a ajudar os Americanos a combater o Japão, existem imagens de 3 porta -aviões Britânicos, no pacífico em 1945, a combater os Japoneses. Quanto ao resto, orgulho enorme em ser um cidadão Português e um cidadão da UE, e também de a NATO ser a base da defesa Europeia, que por acaso ou não têm a sua sede na capital da UE,… Read more »

rui mendes

Isso é assim, mas ao contrário, meteram-se no Afeganistão e Iraque, e para isso pediram a ajuda a quem pedem sempre, primeiro dos aliados Europeus, mas também do Canadá e Austrália, mas visto bem as coisas, a quem mais iriam pedir?
Alguns países até em missões de paz, têm medo de participar.
Isto para combater terrorismo internacional e Saddam Husseín, imaginem se fossem os Russos ou os Chineses, era logo uma cimeira da NATO, o que tirando a Austrália, dá no mesmo.

Cristiano de Aquino Campos

Se surgir uma guerra, dependendo de onde ela acontecer, a europa vai ter que entrar na dança de qualquer jeito. Sendo quê, hoje a possibilidade de guerra esta mais na asia que europa. Portanto, longe demais para se gastar muito dinheiro europeu em tecnologia americana.

Antoniokings

Exatamente.
É jogar dinheiro bom em negócio ruim
Deixem os EUA jogarem este jogo perdido.

rui mendes

A Europa constroi tudo a todos os níveis, não confundas Europa, com outras partes do mundo.

Antoniokings

Acho que a Europa chegou à brilhante conclusão que não há riscos de guerra pelos próximos cem anos.
Está deixando os EUA gastarem o que têm e o que não têm comprando armas.
Sábia estratégia.

Leandro Costa

Então… Concorde, SEPECAT, PANAVIA, Airbus, enfim… acho que a Europa já vem fazendo isso a bastaaaante tempo.

Kemen

Kings, a Europa esta vislumbrando uma oportunidade nesse novo e recente “Mercado Comum Asiático”, e já pensam em abrir negociações com eles, assim foi publicado, no que resultara isso não sei, mas se fôr adiante eu acho que o maior prejudicado posivelmente sera a America do Norte e muitos produtos que são exportados de toda a America podem vir também a ser prejudicados.

Last edited 3 meses atrás by Kemen
Gabriel BR

A questão é : A Europa é competitiva o suficiente para disputar com os asiáticos? Não poderiam haver um acordo CANZUK +NAFTA + India + Brasil ?!

Paulo Sollo

“…começando com a definição de uma robusta Declaração de Requisitos e um plano de cooperação multifásico.” Eis o grande desafio. Os europeus poderiam estar muito além com parcerias como esta a tempos, mas a desunião que impera no continente sempre se impôs. Estes novos projetos deverão ser acima de tudo extremamente versáteis no que diz respeito às suas configurações de sistemas embarcados e capacidades operacionais para atenderem a necessidades muitas vezes bem diferentes, principalmente quando há França e UK no negócio. E o mais complicado: a divisão de atribuições e poderes. Vamos ver se a coisa toda não naufraga ainda… Read more »

Matheus S

Concordo. Uma coisa que a UE não foi capaz de realizar é a integração da indústria de defesa do bloco. Cerca de 80% das compras de defesa são realizadas em uma base puramente nacional, levando a uma duplicação onerosa das capacidades militares. Estima-se que a falta de cooperação entre os estados no domínio da defesa e segurança custe anualmente entre 25 bilhões e 100 bilhões de euros. Por esse motivo dos esforços multinacionais de compras limitados e outros motivos, embora a UE gaste 50% das despesas militares dos EUA, tenha apenas 15% de sua eficiência. As compras cooperativas parecem ser… Read more »

Paulo Sollo

Pois é. Os países europeus estão num grande embroglio, pressionados por todos estes fatores de difícil resolução gerados por eles mesmo, e a utopia de uma União Européia de fato não se concretizou, e era bem previsível isto.

rui mendes

Sabes lá o que dizes, a UE está bem presente no dia a dia dos Europeus, através de tudo no quotidiano, moeda, cidadania, as leis, política, comércio, tribunais, as obras públicas, as empresas e quando existem grandes crises, todos os Europeus se viram para Bruxelas, acredita que quem pertence á UE, sente bem no seu dia a dia, essa realidade, nas televisões, a UE está bem presente sempre, além que os Europeus todos os dias viajam por toda a UE, pois todos temos os mesmos direitos e deveres, não há fronteiras, muitos Europeus vivem ou trabalham em diferentes estados membros,… Read more »

Paulo Sollo

Ô gajo, conheço o que narras. Estou a me referir exclusivamente a questões militares e econômicas. O fato de compartilharem a mesma moeda não significa que todos os países tenham uma economia saudável (lembre-se dos PIGS). E a nível militar os interesses particulares de cada país na maioria das vezes se sobressaem à possibilidade de parcerias bem sucedidas.

rui mendes

Vamos lá então, a Europa não se consegue defender sozinha ? De quem? Só se for contra os próprios USA, ou contra Russos ou Chineses, pois se gasta 50% dos USA em defesa, convenhamos, que os materiais de defesa existem, e só mesmo os USA e talvez a China gaste mais, e a Rússia gasta bem menos, mas com o armamento nuclear que têm e a sua excelente indústria de defesa, consegue estar no grupo dos 3, para a qual a Europa precise de aliados na sua defesa, mas quanto ao resto do mundo, não vejo mais ninguém que a… Read more »

Gabriel BR

E o Estado de Bem estar? Vão reduzir para bancar?

TeoB

esses novos helicópteros na minha opinião vão revolucionar mesmo é a guerra naval…

Alex

Interessante, o helicóptero do futuro terá que combater ameaças de origem assimétrica cada vez mais complexas.

Charles

PatuVê…A Grécia falida, gastando as burras de dinheiro, competindo com os turcos, devendo horrores, volta e meia reclamando dos Alemães sobre a 2ª guerra, com turismo em baixa por causa da Covid…sinceramente a conta não fecha e algum dia a conta vai chegar e levar mais alguns países juntos….Porque a Espanha que é um país pujante não está nessa?ou Bélgica? Dinamarca? até mesmo a Suécia? É apenas um comentário sobre a participação da Grécia…que estranho…

Marcelo Mendonça

É porque está sempre em “alta tensão” com seu vizinho Turquia, então lá equipamentos militares são prioridade.
Não é um caso à parte, países com problemas de beligerância com vizinhos acabam tendo que gastar com defesa mais do que seria tido como aceitável ou até mesmo necessário, vide o exemplo de Índia e Paquistão, donos de uma massa populacional enorme abaixo da linha de pobreza e sempre comprando armamentos.
Raramente conseguimos entender isso por não estarmos passando pelos mesmos problemas, é preciso viver em um país onde seu vizinho pode te invadir a qualquer momento para isso.

peter nine nine

A Grécia não está falida.
No máximo, estava “inviável”, hoje o país é um “negócio” viável.

rui mendes

A Grécia falida????
Vê só o que vai receber de Bruxelas, para o relançamento da economia Europeia, por causa do covid19.
A Grécia, como toda a UE, estava a crescer antes da covid 19.

Fábio Faustino

A Verdade é que um helicóptero Nunca será Um Avião 😁

Last edited 3 meses atrás by Fábio Faustino
- Advertisement -

Combates Aéreos

Inteligência Artificial vence piloto de F-16 da DARPA em ‘dogfight’

WASHINGTON: Em um placar de 5 a 0, um "piloto" de Inteligência Artificial (IA) desenvolvido pela Heron Systems venceu...
- Advertisement -
- Advertisement -