Home Aviação de Caça Agora você também pode comprar seu caça F-16!

Agora você também pode comprar seu caça F-16!

4604
83

O site americano Aviators Market colocou à venda um caça F-16 Block 20 fabricado em 1980.

Segundo o anúncio, a aeronave possui as seguintes características: um turbofan Pratt & Whitney F100-PW-200, com empuxo seco de 12.240 lb.s.t., 14.670 lb.s.t. de empuxo militar completo e 23.830 lb.s.t. com pós-combustão, velocidade máxima de Mach 2,05 a 40.000 pés, teto de serviço 55.000 pés, alcance máximo 2.400 milhas, taxa de subida inicial 62.000 pés por minuto.

O site só revela o preço sob consulta. Enviamos um e-mail e estamos aguardando a resposta.

Quem sabe a gente não faz uma vaquinha e compra o F-16 como presente de Natal?

Subscribe
Notify of
guest
83 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jmgboston
Jmgboston
13 dias atrás

Será que o governo brasileiro permitiria a alguem que tem grana suficiente importar mesmo sendo totalmente desarmado?

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Jmgboston
13 dias atrás

Acredito que sim, mas na modalidade de não poder voar e todo despelado.

Matheus S.
Matheus S.
Reply to  DOUGLAS TARGINO
13 dias atrás

Um fato curioso é do bilionário norte-americano Larry Ellison, dono da Oracle, um dos homens mais ricos do mundo. Ele gosta de caças de combate e comprou da Rússia um MiG-29 armado, na qual o governo dos EUA vetou essa compra. Ele se contentou com um Aermacchi S-211, onde algumas fontes indicam que ele sobrevoou a ponte de São Francisco, o que seria contra as regras da agência federal americana.

gordo
gordo
Reply to  Matheus S.
13 dias atrás

Ouvi falar que mesmo desarmado não deixariam, já que é um avião arisco e com desempenho de voo muito além do que se quer para o uso de um civil. Acredito que fizeram um bem para o Larry Elison, provavelmente já teria morrido se tivesse com o caça.

*esse F-16 deve ser aquele da promoção em que deveria se juntar um milhão de tampinhas para se conseguir o caça.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  gordo
13 dias atrás

Ue, liberaram um par de Su-27, porque não o MiG-29, que é muito mais dócil nos comandos?

Fora que tem por lá F-100, F-4 e até MiG-21 na mão de civis (pilotos privados, não empresas), que são muito mais difíceis de pilotar que qualquer caça de 4ª geração.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Clésio Luiz
13 dias atrás

O MiG-21 inclusive, era do dono da Oracle e eu vi o anuncio real dele no eBay.

gordo
gordo
Reply to  Clésio Luiz
13 dias atrás

Grato pela correção, não sabia que haviam liberado Su-27 e outros. Ouvi que a causa da não venda era algo relacionado ao desempenho do caça ou algo assim, mesmo porque só um doido para querer comprar um caça armado.

JORGE PETROLA FERREIRA
JORGE PETROLA FERREIRA
Reply to  Clésio Luiz
12 dias atrás

Se fosse para apostar diria que o Mig-29 deveria ser mais arisco. Menor envergadura de asa, maior razão potência/peso e VNE superior. Não é definitivo, mas são indícios de que a aeronave deve operar de forma mais crítica.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  JORGE PETROLA FERREIRA
12 dias atrás

O MiG-29 é reconhecido pela facilidade de manejo. Todo piloto que voou ele, mesmo civis, fazem questão de enfatizar isso.

Aliás, praticamente todo caça de 4ª geração é facílimo de pilotar, alguns possuindo proteções no sistema FBW que simplesmente evitam que o piloto perca o controle da aeronave, com a infame excessão de apontar o nariz para baixo e entrar voando no solo.

JORGE PETROLA FERREIRA
JORGE PETROLA FERREIRA
Reply to  gordo
12 dias atrás

Acho que toda aeronave que opera em velocidades supersônicas deve ser arisca. O pouso de um jato comercial de asas enflechadas já é crítico sujeito a overrun e stall onde pilotos têm que ter muita atenção quanto à velocidade, razão de descida e empuxo… Imagina para aeronaves desenvolvidas para operar no transônico e supersônico, deve ser difícil para os engenheiros tornarem os pousos controlados sem exigir dos pilotos.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Jmgboston
13 dias atrás

Duvido muito. No Brasil, o Estado de microgerenciar a vida dos cidadãos, sem dúvidas algum órgão acharia uma forma de colocar empecilhos em qualquer tentativa que um particular faça de comprar um caça desses, mesmo que seja desarmado.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Allan Lemos
13 dias atrás

Infelizmente concordo. A ANAC e até a FAB iriam colocar terra no negócio.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Clésio Luiz
12 dias atrás

A FAB não tem NENHUMA gerência nisso. Vai marretar outro órgão do GF.

Frederick
Frederick
Reply to  Jmgboston
13 dias atrás

Nos céus brasileiros voam dois Aero L-39. Quem sabe a legislação possibilite também a posse e operação dessa aeronave?

Paulo S F
Paulo S F
Reply to  Jmgboston
13 dias atrás

O pior de tudo é obrigarem a retirada dos assentos ejetores, é proibido o uso civil, por mais incrível que pareça…

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Paulo S F
12 dias atrás

Também acho inacreditável. Coisa dos concursados da ANAC. Quem escreve a regra deve ser psicólogo, economista…

JORGE PETROLA FERREIRA
JORGE PETROLA FERREIRA
Reply to  Jmgboston
12 dias atrás

Se tivesse um desses ia me deixar disponível para treinar BVR com os pilotos da FAB… Uma saída por dia…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  JORGE PETROLA FERREIRA
12 dias atrás

legal ia ser o “agressor” da FAB

Antoniokings
Antoniokings
13 dias atrás

Isso aí deve dar mais manutenção que um Ford Galaxie.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
13 dias atrás

Com certeza dá bem menos manutenção, e problemas, que o K-8 Karakorum.

MFB
MFB
Reply to  Antoniokings
13 dias atrás

Mas não dá mais manutenção que um Marea não hehehe

Leandro Costa
Leandro Costa
13 dias atrás

A gente faz a vaquinha e larga na mão do Cel. Nery para dar um rolé hehehehe

Tamandaré
Tamandaré
Reply to  Leandro Costa
13 dias atrás

Apoiado!!! hahahahahahahahaha seria ótimo se fosse uma unidade biplace…

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Leandro Costa
12 dias atrás

Vixe! Tô velho pra puxar G. Mas ainda tenho capacete e máscara! hahaha

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Rinaldo Nery
12 dias atrás

Deixa de ser fresco e vai puxar uns G’s! Hehehehehe

Com todo o respeito, claro 😀

Paulo Maffi
Paulo Maffi
13 dias atrás

Sem dúvida alguma, é o F16 mais lindo de todos!

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Paulo Maffi
13 dias atrás

Eu negativei, mas acho o bicho muito muito bonito. Ainda mais nas versões mais antigas.

Paulo V S Maffi
Paulo V S Maffi
Reply to  Leandro Costa
13 dias atrás

Mas, essa é a versão antiga.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Paulo V S Maffi
13 dias atrás

Eu sei, Paulo. Meu problema com a sua frase foi a palavra ‘todos’ heheheheh

Mas sim, os F-16 estão entre meus preferidos 🙂

Paulo V S Maffi
Paulo V S Maffi
Reply to  Leandro Costa
12 dias atrás

Ah sim! Mas, não disse que ele é o caça mais lindo de todos… Disse que essa versão é a mais bonita que todas as outras do F-16😁

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Paulo V S Maffi
12 dias atrás

Nesse caso concordo em gênero, número e grau! 🙂

Joli Le Chat
Joli Le Chat
13 dias atrás

Se eu tivesse uma universidade com cursos de engenharia, compraria o avião e falaria para meus professores: escaneiem, desmontem, analisem, remontem, e aprendam. Registrem tudo direitinho. E formem bons engenheiros.

Ferreras
Ferreras
Reply to  Joli Le Chat
13 dias atrás

Uma empresa não poderia doar ao ITA?

Fernando
Fernando
Reply to  Ferreras
13 dias atrás

E especificamente para quê? Para ser um recurso de apoio em aula… OK. Para desmontar e copiar não vale nada.

Hertz
Hertz
Reply to  Joli Le Chat
13 dias atrás

No Laboratório de Estruturas do ITA há uma asa de Mirage III, usada nas aulas.

Aliás, através do ITA e do IPEV, a FAB desenvolveu mais conhecimento sobre as características aeroelásticas do F-5 que a própria Northrop.

Frederick
Frederick
Reply to  Hertz
13 dias atrás

Quando o Venâncio e a sua turma conseguiu esse (notável) feito, foi para um propósito específico. Não para formação de novos engenheiros ou massa crítica, contrariando a proposta original do comentário.

Hertz
Hertz
Reply to  Frederick
13 dias atrás

O projeto do qual o Brig Venâncio fez parte contou com alunos de graduação e pós em projetos de pesquisa relacionados.

O propósito específico foi atingido e conhecimento foi gerado em diversos níveis.

Frederick
Frederick
Reply to  Hertz
13 dias atrás

Estou explicando que, ao contrário do sugerido no comentário acima, não adianta pendurar uma aeronave e fazer estudo de proa à deriva que o conhecimento adquirido não será suficiente sequer para replicá-lo.

Fosse assim, a título de exemplo didático, a Força Aérea Iraniana teria material de sobra para desenvolver um ultra F-14 ou F-5.

Ao que parece, não é bem essa a realidade…

f-5.jpg
Last edited 13 dias atrás by Frederick
Gus Talking
Gus Talking
Reply to  Joli Le Chat
13 dias atrás

No mais manjado e safado estilo 171 de aprender, em vez de estudar e investir pesadamente em conhecimento, é mais fácil adquirir um, depenar e fazer eng. reversa, enquanto outros criam, os incompetentes copiam.

André E.
André E.
Reply to  Gus Talking
13 dias atrás

Um professor nos disse no primeiro ano de engenharia mecânica para sempre observar muito bem como as coisas são construídas porque a gente não precisa reinventar a roda todas as vezes, é muito melhor ter um ponto de partida.

Carlos Gonzaga
Carlos Gonzaga
Reply to  André E.
13 dias atrás

Tivemos o mesmo mestre. Não se deve recriar o que existe. É preciso desenvolver ao máximo e com base na experiência e conhecimento científico, criarmos novas técnicas e tecnologias.

Frederick
Frederick
Reply to  André E.
13 dias atrás

O projeto do F-16 não é bem uma “roda”.

Caio
Caio
Reply to  Gus Talking
13 dias atrás

É típico esse forma de pensar no país, que também influi nas poucas mudanças sociais, econômi cientificas e políticas da nossa terra, coisas como:
“Não copie invente”
“Se é pra fazer assim melhor nem fazer”
“Quem não tem competência não se estabelece”
“Isso é coisa pra quem sabe fazer”
” Se outros não fizeram certo, não é esse que vai fazer”

Last edited 13 dias atrás by Caio
Frederick
Frederick
Reply to  Caio
13 dias atrás

Bravo.

Carlos Gonzaga
Carlos Gonzaga
Reply to  Gus Talking
13 dias atrás

Como dizia Lavoisier, “Nada se cria, nada se perde, tudo se copia” 😎

Agressor's
Agressor's
Reply to  Gus Talking
13 dias atrás

Os eua são os maiores copiadores de tecnologia do mundo inclusive dos russos e estes deles também…algo que fazem todos os dias é pagarem milhões a estrangeiros para que realizem pesquisas para eles… financiam tudo…e todos os resultados são de propriedade do governo estadunidense…o que mais tem nos eua é brasileiro trabalhando pra eles inclusive dentro da NASA…. Vcs acham que os estadunidenses e os Russos desenvolveram mesmo alguma tecnologia para conquistar o espaço e chegar a lua ou eles simplesmente copiaram tudo dos nazistas?!…existe um consenso…não existiu programa espacial estadunidense ou Russo o que existia nos dois países era… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Agressor's
12 dias atrás

Então os programas espaciais dos EUA e da URSS foram completamente copiados dos nazistas? Então, nas décadas de 1930 e 1940 os nazistas já sabiam, e tinham capacidade técnica e fabril, para colocar o homem no eespaço e tb para levá-lo à lua e trazê -lo de volta em segurança? Tá bem….nem vou discutir contigo…..

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Flanker
12 dias atrás

Em termos de propulsão, poucas coisas foram aprimoradas pós nazistas, todo o resto teve que ser desenvolvido, manutenção de vida no espaço, controle do voo, comunicações, etc…

Wagner
Wagner
Reply to  Flanker
11 dias atrás

Bom, o chefe da criação do Saturno V (e de muitas coisas que foram ao espaço nos tempos aureos do programa espacial americano) foi Wernher von Braun e uma turma de especialistas que vieram com ele da Alemanha após o fim da 2 GM… Então, segundo sua ideia, eles nao eram nazistas? Ah, e você garante que o know how dessa trupe foi totalmente adquirido nos EUA, é isso mesmo?

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Agressor's
12 dias atrás

Meu caro, em linhas gerais poderia concordar, o problema, segundo minha particular visão, são algumas palavras usadas… Os EUA não “roubam”, eles atraem capital intelectual para trabalhar lá, eles investem pesado na busca por inovação e remuneram muitíssimo bem quem lhes apresenta inovações. E de uns tempos para cá, as fintechs norte-americanas fazem isso, ganhando rios de dinheiro no mercado de capitais. No Tio Sam, inovação e ciência são negócio. Assim, quem está verdadeiramente errado, quem desperdiça talentos (Brasil) ou quem busca talentos no mundo todo e paga bem (EUA)? O sonho da maioria dos pesquisadores brasileiros é estudar, formar… Read more »

Fernando
Fernando
Reply to  Joli Le Chat
13 dias atrás

Apesar de uma aeronave ser um bom recurso de apoio as aulas… O Brasil forma excelentes engenheiros, que nada devem aos de fora, e sem ter tantos recursos (talvez isso atá ajude na formação).

Mas várias escolas (e universidades) por aqui tem aeronaves para instrução.

Ter um F-16 na sua universidade não vai agregar nada que não se possa aprender de outra maneiras. Sendo assim um recurso de apoio apenas, mas que não traz nada de novo.

Carlos Gonzaga
Carlos Gonzaga
Reply to  Fernando
13 dias atrás

Nossa excelência vem da necessidade de repensarmos o que já foi pensado. Criarmos novas interpretações de velhos conceitos. Andar atrasado e ter limitação de recursos às vezes tem suas vantagens.

Frederick
Frederick
Reply to  Joli Le Chat
13 dias atrás

Não é assim que funciona. Dessa maneira não se aprende rigorosamente nada.

Traga conhecimento do exterior e nacionais, pague bem os professores, crie interesse nos alunos e dê condições de ensino. Crie massa crítica.

Ensaiem e testem exaustivamente. Apliquem a teoria.

Aprendam a projetar, desenvolver e criem estrutura para vender seus produtos. Consolidem e aprendam com as parcerias.

Dominem o ciclo.

Isso funciona. Foi assim que funcionou no mundo. Foi assim com o ITA/Embraer.

Last edited 13 dias atrás by Frederick
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Frederick
12 dias atrás

Frederick, vi no History (ou Natgeo, não tenho certeza) um programa sobre o Skunk Works e Kelly Johnson. Muito interessante. O cara quebrava paradigmas. Partia sempre do novo.

Frederick
Frederick
Reply to  Rinaldo Nery
12 dias atrás

Bem lembrado, Nery. Kelly Johnson foi um Engenheiro Aeronáutico único. Conhecia e dominava todos os paradigmas da área e quebrava cada um deles.

A prova, de sua época, de que para “pensar fora da caixa” deve-se primeiramente conhecer os quatro cantos dela. Fiquei curioso em ver a série!

Abraços.

Last edited 12 dias atrás by Frederick
Rui Chapéu
Rui Chapéu
13 dias atrás

De onde era esse F-16?

Testes? País que deixou de operar?

Guacamole
Guacamole
13 dias atrás

Duvido que esteja mais caro que o kilo do arroz.

Mussolini
Mussolini
13 dias atrás

Com o PC max ele consome 200 litros por minuto. Se não fosse beberrão eu comprava.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Mussolini
13 dias atrás

Faz o seguinte tio: coloca um desses na tubulação de combustível. Ele realinha as moléculas via magnetismo e faz o JP-8 render muito mais. Garantido economizar 30% no mínimo!

comment image

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Clésio Luiz
13 dias atrás

Seus problemas acabaram! Um oferecimento das Organizações Tabajaraaaa…

Flanker
Flanker
Reply to  Clésio Luiz
12 dias atrás

Bah…me lembro dessas gambiarras que vendiam como se fossem a maior tecnologia do mundo e fizessem milagres ….hehehe

Nick
Nick
13 dias atrás

Comprar blz, mas e para pilotar?? oO
È só tentar puxar 9g que já era 😛

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Nick
12 dias atrás

Ué, piloto civil de Extra 300 ou Su-26 costuma passar de 10G em competições, os 9 do F-16 não são nada demais.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Clésio Luiz
12 dias atrás

E sem o luxo de usar traje anti-G como nos caças.

Salomon
Salomon
13 dias atrás

O mais importante: qual país disponibilizou? Qual é o histórico do bicho? Está ou estava voando?

André
André
13 dias atrás

O problema não é comprar, é manter

Foxtrot
Foxtrot
13 dias atrás

Se eu fosse um milionário, de um país sério corria lá e comprava.
Trazia para o país e faria engenharia reversa em todos os seus sistemas.
Imagina quanta tecnologia não se conseguiria com os motores, aviônicos, computadores de missão, aero estrutura etc.
Mas infelizmente sou pobre, trabalhador e moro no Brasil.
Sem chance 😉!

Agressor's
Agressor's
13 dias atrás

Pelo histórico de acidentes por falha mecânica desta bomba prefiro voar num 737 Max a voar num “caixão voador” desses. Este apelido não foi criado pra ele por acaso.

Flanker
Flanker
Reply to  Agressor's
12 dias atrás

Sim, sim…por isso que o F-16 vendeu mais de 4500 unidades…..pq “não presta”….kkkkkk

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Agressor's
12 dias atrás

Não está confundindo de aeronave não?

Agressor's
Agressor's
Reply to  Leandro Costa
12 dias atrás

Não, é o recordista!

Clésio Luiz
Clésio Luiz
13 dias atrás

Vou falar com o pessoal da loja de acessórios para ver se dá para rebaixar ele, colocar umas rodas maiores de marca boa, usar uns pneus mais finos que esse daí parece de jipe, colocar um fumê de vergonha e uns leds. E trocar os farois dele por uns de xenon branco.

Depois vo levar pra oficina para travar o bocal de escape aberto para deixar o ronco melhor.

Rodrigo M
Rodrigo M
13 dias atrás

Se pelo menos viesse como na última foto, seria uma boa para dar um rolê em cima de umas quebradas na região de Brasilia… Se é que me entendem..

Moises
Moises
13 dias atrás

Seguro que permitiriam mas antes tem que inventar algum imposto!!

Andrigo
Andrigo
13 dias atrás

Dependendo do preço compro um e passo em cima da base aérea de Canoas, pra ver ser algum F-5 do Pampa decola pro “x1”!

Mas falando sério, se isso aí realmente está disponível para para qualquer civil arrematar, provavelmente deve estar só na casca, duvido que venha com o motor minimamente operacional.

Mazzeo
Mazzeo
13 dias atrás

Acho que esse deve estar um pouco mais em conta e mais facil de adquirir aqui.

https://autopapo.uol.com.br/curta/que-tal-um-tanque-do-exercito-americano/

A C
A C
12 dias atrás
Rodrigo Maçolla
12 dias atrás

O F-16 parece bom negócio, já que é fabricado em 1980 e não paga mais IPVA, colaboro com a vaquinha com uma nota de logo guará 🙂

Mais esse “bichão” aqui também é de se pensar… Esta em muito conservado:

https://www.aviatorsmarket.com/detail/aircraft-for-sale/1951-chance-vought-f-4u-5n-corsair-melbourne/3766

mazzeo
mazzeo
Reply to  Rodrigo Maçolla
12 dias atrás

Impecável … sou mais esse corsair que o F-16

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
12 dias atrás

Muito obrigado trilogia por divulgar essa informação …

Meu vizinho barulhento e seu funk ha muito mim incomoda, é hora de dar o troco … Bwahahahaha

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  Entusiasta Militar
9 dias atrás

Pelo jeito Meu vizinho funkeiro viu meu comentário e de um deslike … Bwahahahaha

Last edited 9 dias atrás by Entusiasta Militar
Carlos Campos
Carlos Campos
12 dias atrás

Pessoal falando em engenharia reversa, tem muito motor americano, russo, francês e inglês que já venceu a patente e poderiam ser copiados na cara dura mesmo, tá certo que não seriam comparáveis aos melhores motores/turbinas atualmente, mas são muito bons e serviriam de base para desenvolvermos algo melhor, pelo que sei o Brasil ainda não tem uma empres capaz de fazer turbinas para os Jatos da EMBRAER.

Delfim
Delfim
11 dias atrás

Nos EUA é possível comprar “warbirds” e pilotá-los.
No BR que só há pouco liberou calibres de arma de fogo livres em boa parte do mundo, não duvido que haja restrições.