Home Aviação Comercial OGMA, empresa do Grupo Embraer, é novo Centro de Manutenção Autorizado da...

OGMA, empresa do Grupo Embraer, é novo Centro de Manutenção Autorizado da Pratt & Whitney para motores GTF

2691
61

  • OGMA passa a integrar Rede de Centros de Manutenção Autorizados da Pratt & Whitney, um dos maiores fabricantes mundiais de motores de aviões
  • OGMA investe 74 milhões de euros e inicia a manutenção de motores GTF (Geared Turbofan), usados pela nova geração de aeronaves comerciais como a família Airbus A320neo, Airbus A220 e Embraer E190-E2 e E195-E2
  • Projeto reforça leque de serviços da OGMA na área de manutenção de motores, cria cerca de 300 postos de trabalho durante os próximos anos e permite à OGMA, Empresa do Grupo Embraer, triplicar o volume de negócios da empresa portuguesa para atingir cerca de 600 milhões de euros anuais

A OGMA é o novo Centro de Manutenção Autorizado para motores Pratt & Whitney, um dos maiores fabricantes mundiais de motores de aeronaves. Esta é a conclusão de um projeto desenvolvido pela OGMA, com o apoio da Embraer, ao longo dos últimos 12 meses, que permite expandir seu leque de serviços na área de manutenção de motores, marcando a entrada da área de manutenção, reparo e revisão da Pratt & Whitney em Portugal.

O contrato entre a Pratt & Whitney e a OGMA foi formalizado recentemente. O projeto de industrialização e capacitação para realizar a manutenção do motor Pratt & Whitney GTF™ (Geared Turbofan) PW1100G-JM está programado para começar em 2021 e será desenvolvido nas próximas duas décadas. Ao longo do projeto, com maior incidência entre 2022 e 2023, prevê-se a criação de cerca de 300 postos de trabalho diretos altamente qualificados.

A OGMA vai investir 74 milhões de euros, principalmente nos primeiros quatro anos do projeto, em um passo estratégico que lhe permite expandir o seu âmbito de atuação na área de manutenção de motores e, ao longo das próximas décadas, captar novos negócios que permitirão triplicar o volume de receitas da empresa e chegar ao patamar de 600 milhões de euros anuais.

Para Alexandre Solis, CEO da OGMA, “este é um marco histórico para a OGMA, uma empresa com mais de 100 anos de existência. Ao merecermos a confiança da Pratt & Whitney, estamos comprovando a competência e a experiência das nossas equipes, mas estamos também oferecendo condições à OGMA de continuar com uma operação duradoura nas próximas décadas. Estamos motivados e ansiosos para começar esta parceria com a Pratt & Whitney”.

“É com entusiasmo que damos as boas-vindas à OGMA na rede de MRO dos motores GTF”, disse Dave Emmerling, vice-presidente de Commercial Aftermarket da Pratt & Whitney. “Com a OGMA, adicionamos um provedor de manutenção altamente capaz, com um longo histórico de experiência na manutenção, reparo e revisão de motores. À medida que a frota GTF continua a crescer, a rede de manutenção estará pronta para oferecer suporte à nossa base de clientes global em expansão”.

“Este contrato é uma demonstração do alto nível de experiência e competência da OGMA na manutenção de motores de aeronaves e representa uma oportunidade para o grupo Embraer expandir seus negócios na prestação de serviços a outros fabricantes no mercado internacional. Em linha com a nova estratégia da Embraer, é uma diversificação dos negócios que resultará no crescimento da área de Serviços e Suporte nos próximos anos”, afirma Johann Bordais, Presidente e CEO da Embraer Serviços & Suporte.

A família de motores GTF da Pratt & Whitney é usada na nova geração de aeronaves comerciais como a família Airbus A320neo, Airbus A220 e Embraer E190-E2 e E195-E2.

Os motores GTF da Pratt & Whitney constituem uma nova geração de motores turbofan de alto bypass, que começaram a operar em 2016, permitindo operações com uma redução de até 16% no consumo de combustível, até 75% nas emissões de ruído e entre 50 a 75% das emissões de CO2 e NOx em comparação com a geração anterior de motores.

Sobre a Pratt & Whitney

A Pratt & Whitney, uma unidade da Raytheon Technologies (NYSE:RTX), é líder mundial no design, fabricação e manutenção de motores de aeronaves e helicópteros e unidades de energia auxiliares. A Raytheon Technologies Corporation é uma empresa aeroespacial e de defesa que fornece sistemas e serviços avançados para clientes comerciais, militares e governamentais em todo o mundo. Para saber mais sobre a RTX, visite o website www.rtx.com.

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer possui negócios nas áreas da aviação comercial e executiva, defesa e segurança e aviação agrícola. A empresa concebe, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, prestando serviço e suporte pós-venda aos clientes.

Desde a sua fundação em 1969, a Embraer já entregou mais de 8.000 aeronaves. Em média, a cada 10 segundos, uma aeronave fabricada pela Embraer descola em algum lugar do mundo, transportando mais de 145 milhões de passageiros por ano.

A Embraer é a maior fabricante de jatos comerciais até 150 assentos e a maior exportadora de produtos de alto valor acrescentado do Brasil. A empresa detém unidades industriais, escritórios, centros de serviços e de distribuição de componentes, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Sobre a OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal S.A.

Fundada a 29 de junho de 1918, a OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal S.A. comemorou em 2018 100 anos de existência. A empresa assenta a sua atividade em duas áreas de negócio – Manutenção, Reparação e Revisão Geral de Aeronaves e de Motores e Componentes de Aviação Civil e de Defesa, e Fabrico e Montagem de Aeroestruturas para aeronaves civis e militares.

Desde a privatização, concretizada em 2005, a OGMA é detida em 65% pela Airholding SGPS (100% EMBRAER) e em 35% idD Portugal Defence (100% Estado Português).

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest
61 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
José C. Messias
José C. Messias
17 dias atrás

Com essa expansão das capacidades da OGMA a própria EMBRAER passa a poder oferecer aos clientes que operam a nova família de jatos E-2, especialmente na Europa, a facilidade de suporte aos motores dessas aeronaves. Muito bom!

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  José C. Messias
17 dias atrás

Sim… mas o principal volume de negócios vem da Airbus… ja este ano a OGMA teve um volume de negócios de 275 milhoes de dólares, e cerca de 44 milhões é que estavam relacionados com a Embraer, hoje a OGMA é um important meio de salvaçao da Embraer…

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
14 dias atrás

Desculpe, não entendi a parte do montante relativo a Embraer, assim como o “important meio de salvação da Embraer…” A OGMA é um empresa na qual 65% do seu capital pertence a Embraer, logo, acionista maioritário. Tem sua gestão dependente de indicação da Embraer, seu acionista maioritário, sendo assim, responsável por seu sucesso ou fracasso. Foi privatizada em 2005, desta forma há anos o modelo de negócio é decidido pela Embraer, seu acionista maioritário. Logo, acredito que seja inverso ao seu comentário. Devido às qualidades de planejamento e gestão exercidos pela Embraer, acionista maioritário, a OGMA hoje representa importante empresa… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Rodrigo
13 dias atrás

A OGMA e uma empresa portuguesa de direito português, com autonomia própria o por ora participada por uma empresa brasileira, com sede no brasil e com a maioria de capital norteamericano… apos a conclusão deste negócio conquistado com a capacidade de engenharia e de trabalho dos portugueses, e de provavelmente outros estrangeiros que por la trabalha, (como brasileiros que vieram á procura de uma vida melhor) apois a conclusao do negocio, podemos afirmar que cerca de 20% da facturaçao da Embraer vai ser gerado por uma empresa Portuguesa, cujo 35% da receita reverte para o estado português para o estado… Read more »

Last edited 13 dias atrás by Rui Manuel Fernandes Palmeira
Alexandre
Alexandre
17 dias atrás

Excelente matéria e uma excelente notícia, para mostrar aos nossos amigos Portugueses, bem como outros estrangeiros, o real tamanho da Embraer.
Bem como sua importância para o mundo, para Brasil, e também Portugal!
Afinal, parece que alguns não entendem.

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Alexandre
17 dias atrás

Excelente notícia, todos concordamos, penso. Para “mostrar aos amigos portugueses” é que eu necessito de esclarecimento. Conforme alias descrito no próprio artigo, a OGMA sempre foi uma empresa especializada em manutenções, revisões e trabalhos semelhantes desde ah muitas décadas. Muito antes de 2005. Nesse sentido, olho para o seu comentário como ” a vossa OGMA é nossa” e, “a vossa OGMA só faz “ Manutenção, Reparação e Revisão Geral de Aeronaves e de Motores e Componentes de Aviação Civil e de Defesa, e Fabrico e Montagem de Aeroestruturas para aeronaves civis e militares” graças à Embraer, o que não é verdade.… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Alexandre
17 dias atrás

Tal como ja tinha dito a Embraer depende muito da capacidade de trabalho, engenharia e 100 anos de historia da OGMA, é uma vitoria dos tecnicos de MRO portugueses, é uma vitoria da Portuguesa OGMA, e talvez uma boa oportunidade para exigir aos brasileiros uma FAL do E175 e reforçar a posiçao o Estado Português na OGMA, a OGMA é demasiado important para estar 65% nas maos de estrangeiros … estrangeiros, norteamericanos diga-se, os acionistas da Embraer na sua maioria… a empresa de capital norteamericano com sede na america ddo sul, nao tinha rigorosamente nenhuma capacidade no segmento do MRO,… Read more »

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
17 dias atrás

Não me associo ao seu comentário.
Se a Embraer precisar de ser salva, não será por conta da OGMA ª_ª.
A Embraer não é de todo pequena, sendo a terceira maior do mundo no seu segmento.

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  peter nine nine
16 dias atrás

o meu comentário nao é uma associaçao, nao precisa de socios, de toda a forma leia a ultima entrevista do CEO da Embraer e reflita, a facturaçao media da Embraer num ano normal, com igualdade de forças com os concorrentes (algo que neste momento nao se verifica) é de 5 bilioes de dolares este ano vai tar na ordem dos 2.5 bilioes, e a facturaçao… vamos imaginar que para o futuro proximo a Embraer volta ao 5 bilioes ou mais, tire desses cinco bilioes um biliao facturados em Portugal, tanto nas OGMA como em Evora, 750 bilioes de dolares na… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

Hoje ogma fatura usd 275 mi, objetivo e usd 600 mi. Embraer salvou ogma do fechamento. Estude um pouco números e contexto das ações ocorridas. Coloque opiniões concretas e reais e ruim para países , como os nossos que se tratam bem este tipo de pensamento que não contempla nada.

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Salim
15 dias atrás

nao diga asneiras, quando a OGMA foi privatizada tinha um turnover de 140 milhoes de euros, ja montava o Pilatus e ja fabricava componentes para outros players inclusive tinha uma subsidiaria a Listral, alem de tar envolvida no A400, quando o ministro de defesa mudou para o prejudicial paulo portas, interrompeu o programa do A400 e iniciou o processo de privatizaçao… e sabe quantos interessados existiam?? a Roll Royce, que ja tinha um contrato de MRO engines, a alemã MTU, e a Airbus em parceria com a Embrar que ganhou a privatização, foi a Embraer que tinha uma parceria com… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
14 dias atrás

Desculpe, sua resposta e confusa, se ogma fosse bom negócio Airbus não perderia. Pense, você não sabe nem ao certo faturamento ogma. Leia e pense a respeito, estude um pouco talvez você consiga ser mais claro e honesto com números.

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Salim
14 dias atrás

o seu problema deve ser mesmo iliteracia, primeiro chama burros a Embraer que compraram a parte que pertencia á Airbus… a Airbus nao perdeu, a Airbus vendeu, numa altura que a Airbus estava a vender todos os activos fora do grupo que estavam em modelo de Joint Venture, a Patria Filandesa foi outra empresa que a Airbus abriu mao, vendeu-a, assim como deixou a fokker holandesa pos falencia ficar nas maos inicialmente de um grupo economico holandees hoje na GKN, e a Airbus tinha sido proprietária atraves da Daimnler, que fazia parte do consorcio… a Facturaçao da OGMA no momento… Read more »

Mayuan
Mayuan
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
16 dias atrás

Causa espanto a disparidade entre o bom senso e elegância dos comentários do Peter quando comparados às besteiras bairristas que esse Rui profere.

RICARDO
RICARDO
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
16 dias atrás

Caro bloguista das terras de além-mar.   Vou lhe contar uma pequena história sobre a herança da construção aeronáutica no Brasil.   Para ser condescendente e não gerar polêmicas, vamos pular o legado de Santos Dumont.   Então, retornemos aos idos de 7 de Janeiro de 1910. Data que viu, na paulista cidade de Osasco, o voo do primeiro avião totalmente projetado e construído no Brasil pelo não menos paulista Dimitri de Sensaud de Lauvaud: o “São Paulo”, um monoplano impulsionado por um motor de 45HP. Em 1912, este também patenteou mundialmente o processo para fabricação de tubos metálicos sem… Read more »

Last edited 16 dias atrás by RICARDO
Luiz Henrique
Luiz Henrique
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

Tenho duas respostas para isso, uma racional e outra ao seu estilo, escolha uma: 1: A associação entre a Embraer e a Ogma produz benefícios mútuos, com a sinergia entre as empresas a Embraer aumenta sua presença na Europa aproveitando da expertise e experiência da OGMA, o que gera empregos e consolida a indústria aeronáutica de ambos os países na cadeia global de produção e manutenção de aeronaves, o C-390 é um bom exemplo disso. 2 :Deveriamos expulsar Portugal do projeto do C-390 após a entrega da última aeronave assim como os Estados Unidos estão fazendo com a Turquia no… Read more »

Last edited 15 dias atrás by Luiz Henrique
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Luiz Henrique
15 dias atrás

mas perdemos o que? sabia que grande parte das aeroestruturas dos Embraer sao feitas na Aernnova no pais basco… Espanha? Por acaso Singapura nao tem industria aeronautica, pois ainda nao produziram um aviaozinho!, mas sao só a 5ª maior do mundo anos luz a frente dos montadores brasileiros… delicie-se com ranking… e os irlandeses produziram o que? falo da republica da irlanda… só uma nota o LandAfrica é portugues… veja o ranking http://www.worldstopexports.com/aerospace-exports-by-country/

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Luiz Henrique
15 dias atrás

OGMA moderniza F16 e Estado português vende á romenia… so queria dizer uma coisa ao luiz fernando , esse segundo comentario é o que voces pensam porque sao uns frustrados, pelo menos voce teve a coragem de dizer o que os seus compatriotas terceiromundista nao teem… claro que eeu pessoalmente adoraria ve-los fora da OGMA, mas nao tenha duvidas…

http://www.passarodeferro.com/2020/10/ogma-entrega-mais-um-f-16-destinado.html

Luiz Henrique
Luiz Henrique
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

Pobre Rui, porque não abriu a porta da razão, continua vendo fantasmas.

Salim
Salim
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

Sua visão e meio medíocre no mundo atual, se como vc diz o correto seria a ogma comprar Embraer. Sem paixões, veja faturamento e presença Embraer e veja ogma. Resumo , o lucro e aumento importância global faz bem para as empresas e para os dois países, estão criando empregos de qualidade e saber. Só vejo coisas boas, maldita mania de agasalhar boas notícias dos dois lados.

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Salim
15 dias atrás

O facturamento da Embraer é de 5 bilioes de dolares, agora deve ficar pelos 2 Bi, a OGMA é de 275 milhoes de dolares… mas o futuro sera de 750 milhoes de dolares… e Evora cerca de 170 milhoes de dolares, ou seja quando a Embraer voltar á facturaçao normal um quarto deve vir de Portugal pois o próprio Ceo ja previu uma quebra na aviaçao regional a longo prazo compensado com outros segmentos, como o MRO de terceiros e para terceiros de engines (a OGMA faz MRO de engines á duas decadas, Roll Royce), algo que a OGMA abriu… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Salim
15 dias atrás

Eu disse que a OGMA devia comprar a Embraer? nao disse nada disso, disse e digo que a OGMA e os segmentos de mercado onde a OGMA actua vao ajudar a Embraer a sobreviver a iminente falência! sim, a Embraer vai falir se nao fizer parcerias para a aviaçao comercial, e nao apostar em outros segmentos… alias atraves de Portugal a Embraer poderia colaborar com o OGMA para juntos iniciarem-se na produçao de módulos de turbinas… era possivel… alias existem projectos de colaboraçao entre a massa critica dos dois paises, mas nao e visivel por estes tristes comentários ate pelos… Read more »

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Alexandre
16 dias atrás

Gostava de perguntar aos administradores do blog o que pensam dos continuados comentários do Alexandre. Defender a sua dama é uma coisa, usar todas as noticias, incluindo não aceitando factos para rebaixar os Portugueses já começa a ser doença Gostaria de perguntar também se a teoria do Sr Alexandre de que “A Embraer detém a maior parte do capital da OGMA, logo a OGMA é Brasileira” se aplica á própria Embraer, empresa detida por capitais privado. Se os capitais privados forem fundos internacionais, que pela sua própria existencia são “apátridas” o que tem ela de Brasileiro? Se o Sr Alexandre… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  MestreD'Avis
16 dias atrás

Creio que os administradores do site já perceberam que meus comentários, que foram realizados em três matérias seguidas sobre a Embraer, foram comentários justos, sem ofensas pessoais a ninguém. Então, estou super confortável em realizar meus comentários, já que sou Brasileiro, estou num site Brasileiro e falando sobre uma empresa Brasileira. Estaria errado, se estivesse em um site Português, menosprezando uma empresa portuguesa, que por um acaso tivesse feito investimentos no Brasil e gerados empregos qualificados para os Brasileiros. Dito isso vou mostrar como é feita a participação acionária da Embraer. “Em 2006, a EMBRAER adotou o modelo de companhia… Read more »

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Alexandre
16 dias atrás

Pois, para mim a liberdade de expressão não tem fronteira e gosto de saber que me posso expressar livremente e educadamente sobre qualque assunto. Ser um site brasileiro, portugues ou uzbeque deverá ser igual num mundo livre e numa sociedade avançada. Se o Sr Alexandre acha que ser Brasileiro e comentar nesse site lhe dá direitos especiais e se os administradores concordam sem no minimo uma advertencia, claramente a posição do blog está exemplificada. Isto: “Então, estou super confortável em realizar meus comentários, já que sou Brasileiro, estou num site Brasileiro e falando sobre uma empresa Brasileira. Estaria errado, se… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  MestreD'Avis
15 dias atrás

Porque exagero nos comentarios ate ferindo a suscetibilidade de brasileiros decentes? todo causado por complexados como esse alexandre, esse lusofobico, morei tres anos em sao paulo, e conheci muitos tipos frustrados desses, existe um bairro que é a mooca, eu morava proximo,,, dava pena ver esses tristes a bajularem a italia, nem metade podia la entrar, e os Portugueses que eles tratam tao mal ainda sao os unicos que os aturam… em tres anos nunca mais suportei brasileiros do calibre desses frustrado… esses frustrados e que estragam as relaçoes, e depois acabam se envolvendo pessoas decentes…. esses alexandre é um… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

Desculpe mais seus comentários também são ofensivos, somos países irmãos, as vezes brigamos com todas as virtudes e defeitos. Espero mais empresas portuguesas no Brasil e empresas brasileiras em Portugal. Juntos crescemos e é evoluímos. Vocês só dividem, em ambos os países com comentários sem base real.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Pude passar 20 dias em Portugal ano passado, pela primeira vez a passeio. Apenas assim para aproveitar e observar o desenvolvimento do país pós crise. O mercado se abriu para investimento estrangeiro. A economia agradece.

Do mais, nunca tive problemas devido a nacionalidade, tanto na viagem turística quanto nas profissionais. Inclusive, muito pelo contrário. E quem tiver oportunidade, vários pontos são obrigatórios mas o Museu da Marinha deve estar no topo da lista, com “algumas” horas reservadas.

Allan Lemos
Allan Lemos
17 dias atrás

Já passou da hora do Brasil investir no desenvolvimento de motores a jato nacionais.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Allan Lemos
17 dias atrás

Tem a TurboMachine que poderia fazer isso, mas ela não tem grana para homologar um motor a jato para uso em aviões comerciais, por isso seus produtos se resumem a motores a jato para drones e misseis.

Marcos
Marcos
Reply to  Allan Lemos
17 dias atrás

Só depois que mandarmos um satélite para o espaço utilizando meios próprios…. kkkkkk

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Allan Lemos
17 dias atrás

Poderia fazer mais mal que bem. Alguns pontos para justificar o que digo. Motores “turbofan” ou a reação/jato são incrivelmente complexos, não necessariamente na sua ciência, mas na garantia de que os mesmos vão de encontro aos altos requisitos dos dias de hoje, demandados por quem deles precisa. Um bom exemplo disso mesmo, são os chineses e russos, que com motores tecnicamente bons, falham no entanto na obtenção dos altos padrões de durabilidade e fiabilidade, exigidos pelas companhias aéreas, fabricantes e entidades militares. A totalidade da gama de aeronaves da Embraer usa motores estrangeiros, de fabricantes poderosos e “experimentados” que… Read more »

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Allan Lemos
17 dias atrás

Em primeiro lugar o Brasil necessita resolver o problema do “tamanho do ralo”. Resolveu isso poderá pensar em alguma coisa relevante. Até lá, resta recolher os destroços que sobram.

Mauro
Mauro
Reply to  Allan Lemos
17 dias atrás

Para usar em aviões da Embraer não seria possível. As regras de mercado proíbem isso expressamente, (já parou para pensar que nem Boeing e nem Airbus fabricam turbinas. Por que será?) não sei se é do seu conhecimento, tão pouco compensaria economicamente, para usar de forma limitada em poucas unidades de aviões militares. Melhor seria ter motores reserva para os caças, para uma eventualidade. Não sei se é tão complicado manter. Irã voa até hoje F-14 e acho que F-5, e a Venezuela voa F-16, sem peças de reposição há décadas. Temos que investir no MTC-300, se aquela coisa já… Read more »

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Mauro
17 dias atrás

Confirme, está a tentar dizer que uma fabricante americana, por exemplo, não pode usar motorização de uma fabricante americana?

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Mauro
16 dias atrás

Por quê as montadoras são proibidas de fabricar as próprias turbinas? De qualquer forma, eu me referia a motores a jato para caças, feitos por outra empresa que fosse brasileira.

Mauro
Mauro
Reply to  Allan Lemos
16 dias atrás

Leis Antitruste, práticas que eliminam a concorrência e aumentam o preço, em suma, evitar o chamado “monopólio vertical”

No passado a Boeing fabricava suas próprias turbinas e foi obrigada a vender essa parte da empresa.

Sobre fabricar motores para caças é correto, o investimento é longo e caro. Veja a Rússia… um “top” tecnológico que fabrica motores, mas inferiores aos ocidentais, e os bilardários chineses se limitam a copiar dos russos.

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Mauro
16 dias atrás

Sim Mauro, mas o Allan, suponho, referia-se desde o inicio a motores brasileiros, não necessariamente da Embraer, mas brasileiros.

sergio ribamar ferreira
17 dias atrás

Uma boa notícia.

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
17 dias atrás

Tal como ja tinha dito a Embraer depende muito da capacidade de trabalho, engenharia e 100 anos de historia da OGMA, é uma vitoria dos tecnicos de MRO portugueses, é uma vitoria da Portuguesa OGMA, e talvez uma boa oportunidade para exigir aos brasileiros uma FAL do E175 e reforçar a posiçao o Estado Português na OGMA, a OGMA é demasiado important para estar 65% nas maos de estrangeiros … estrangeiros, norteamericanos diga-see, os acionistas da Embraer na sua maioria…

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
17 dias atrás

Diga-me um único sucesso comercial desenvolvido e fabricado pela própria OGMA. Arrogância demais para relevância de menos !

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Gabriel BR
16 dias atrás

A OGMA actua no mesmo sector da ST Aerospace o gigante de singapura, da A HAECO da hong-kong, como a luftansa tecnic, esta com uma facturaçao superior á Embraer, sao empresas de MRO, o facto de ter 100 anos de tradiçao, e ter a confiança de FA de todo o mundo é um exemplo de sucesso… ja agora em outro sector uma empresa que mete a Embraer a um canto, de nome Spirit Aerosystems, ou a gigante GNK o que ja produziram de sucesso?? alias a Embraer é a 28 maior empresa a nivel mundial, veja o que alguns players… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
16 dias atrás

queria dizer GKN aerospace…

Flanker
Flanker
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
16 dias atrás

Qual aeronave Portugal fabrica, como um E-Jet da Embraer, por exemplo?

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Flanker
16 dias atrás

Não gosto, porque não tem nada haver uma coisa com a outra, mas depois do que o Rui disse, vou ter mesmo de comer ª_ª.l..

Ora fo###

Flanker
Flanker
Reply to  peter nine nine
16 dias atrás

Eu não quis ofender a OGMA….uma empresa respeitável e reconhecida. Eu quis deixar claro o contraponto ao que o Rui escreveu, pois não precisa desmerecer uma para exaltar a outra. E eu não vou desmerecer uma empresa estrangeira se ela fizer algo que o Brasil não faz, entende?

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Flanker
15 dias atrás

entao e qual o aviao que a Embraer fabrica de corredor duplo?? nenhum!! nao misture alhos com bugalhos, falo de um player de MRO nao falo de um montador de aeronaves… mas se formos falar de facturaçao existem player maiores que a Embraer que nao tem qq marca de sucesso, como a ja mencionada spirit aerosystems, ou MTU, ou GKN… porque que nao aceita que em breve um quarto da facturaçao da Embraer vira de terras lusas, pois paciencia… mas o que eu disse esta a acontecer… a Embraer sera parte da sua salvaçao da OGMA… sobre o investimento brasileiro,… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

correçao, “parte da salvaçao da Embraer ta na OGMA”

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

Rui, o problema não é o que diz, é a maneira como o diz. Você apresenta valiosos factos ali e acolá, mas desnecessariamente temperados com condimentos nacionalistas. É justificado porque o Alexandre não é nenhuma pérola e cospe bastante mer## quando o assunto envolve Portugal (já não é coisa de hoje, o indivíduo já o fez no passado) mas seja subtil e justo na hora de elogiar a OGMA, que como bem diz, é uma entidade independente, portuguesa. Digo pois os seus comentários têm o seu potencial. Mas se quer ser entendido, tem de ser imparcial. Você pode dizer tudo… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  peter nine nine
15 dias atrás

vai ajudar a salvar, porque as coisas vao mudar radicalmente, e começaram antes do Covid 19, começaram com as tarifas de trump e a venda da Bombardier… a Embraer vai falir se nao voltar ou a negociar com a Boeing ou arranjar outro parceiro, que nao existee… entao a saida vai ser turbohelices, MRO e provavelmente componeents de engines, porque estao quase vetados nas aeroestrutras para terceiros, primeiro sao rivais da Airbus, segundo criarem problemas com a Boeing, entao a salvaçao estara nas engines nos serviços… veja bem, a Embraer é a terceira fabricante de aeronaves, mas a anos luz… Read more »

Last edited 15 dias atrás by Rui Manuel Fernandes Palmeira
Flanker
Flanker
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
14 dias atrás

Hehehe…quem mistura alhos com bugalhos é você!! Aprenda A ter educação e saber falar com civilidade…..termos como “frustrados” e “terceiro-mundistas” são seu exemplo de educação?? Você acha que é melhor que os brasileiros por que é português?? Lamentável e digno de pena!

Fernando
Fernando
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
16 dias atrás

Exigir uma FAL do E175…. só em sonho meu caro. Não tem que exigir nada não. Estamos investindo na OGMA. Gerando empregos e focando nas competência da OGMA. Então segue o baile. E falar na dependência da OGMA quanto ao conhecimento de MRO… vale lembrar que a Embraer conhece muito bem este segmento. Temos ouras empresas de MRO, 100% EMbraer. Várias unidades de MRO na aviação executiva (aliás em pesquisa realizada por uma publicação de referência no setor, somos o número 1 do mundo em suporte ao cliente na aviação executiva). Temos a EAMS em Nashville como MRO da aviação… Read more »

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Fernando
16 dias atrás

Fernando… Sensato. Deixou claro o valor da Embraer sem limitar a OGMA e a sua história a mera servente dependente da primeira. Gostaria apenas de complementar com um ponto que acho relevante. A OGMA é uma boa ponte de união entre a Embraer e os seus rivais. A OGMA a muito que trabalha com empresas como a Lockeed, Leonardo, Airbus…. isso abre portas e dá à brasileira uma útil visão de perspectiva. Por intermédio da OGMA, a Embraer tem fácil acesso a clientes da primeira, clientes esses que ao longo das décadas têm sido múltiplos clientes militares, europeus e não… Read more »

Fernando
Fernando
Reply to  peter nine nine
16 dias atrás

Peter… Perfeito. Não podemos desmerecer ou diminuir a OGMA e nem a Embraer. Incorrem em um enorme erro aqueles que desprezam um lado ou outro. Cada empresa tem o seu valor, e nenhuma depende da outra. Atualmente a OGMA depende mais da Embraer do que o contrário mas de forma alguma por competência, e sim porque hoje é uma empresa controlada pela Embraer. Mas é um componente importante na estratégia de futuro da empresa… sem dúvida, mas sem exageros. Não é a OGMA que vai tirar a Embraer do buraco em que se encontra. Quem vai tirar a empresa da… Read more »

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Fernando
15 dias atrás

Sim Fernando… mas “hoje é uma empresa controlada pela Embraer” A forma correcta seria dizer integrada num grupo da Embraer, não simplesmente controlada por. Quando expõe o contexto de integração, a perspectiva de quem lê torna-se muito mais clara e factual. A OGMA tem, como qualquer empresa, de atingir objectivos e obter clientes e extender serviços. Integrada no Grupo Embraer, grupo esse com posse de 65%, os seus objectivos vão naturalmente de encontro aos objectivos desse grupo, mas também de encontro aos seus próprios e do Estado Português que tem mais palavra no assunto do que alguns aqui imaginam. Como… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Fernando
15 dias atrás

Hoje mercado aeronáutico está diminuto pela gripezinha mundial que já matou milhares e está deixando sequelas em muitos. Todas as empresas produtoras de aeronaves esta dificuldades visto a redução de uso e compra aeronaves. Se usa não ajudar Boeing ela fecha não só pelo mercado como o 737 que é um fiasco. O certo e que Embraer está diversificando e investindo em suas operações no mundo em todos setores que atua e que irá entrar com sua tecnologia e conhecimento. Comparar ogma não faz sentido pois ela e uma empresa Embraer, o crescimento da ogma faz parte do crescimento da… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Salim
15 dias atrás

a OGMA e uma empresa participada pela Embraer, por agora maioritariamente, mas e uma joint venture… de resto concordo

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Fernando
15 dias atrás

a Embraer nao tem qualquer experiencia no MRO de engines, a OGMA ja fazia o MRO da Roll Royce muito antes da Embraer, a OGMA sempre trabalhou de terceiros e para terceiros… a Embraer faz MRO dee suas aeronaves, como todos os fabricantes… nao confunda as coisas

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

Então se informe melhor… Não fazíamos MRO de motores é verdade, mas já fazemos faz tempo MRO de aeronaves de outros fabricantes.

Salim
Salim
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
15 dias atrás

Você está confundindo fabricante aeronaves com empresa mro de aeronaves. Aqui no Brasil temos várias empresas de mor de motores e aeronaves. Por favor pensa um pouco antes de escrever. Veja tamanho e relevância empresas e para de falar coisa desconexas. Ambas as empresas são importantes em seu contexto , só isto.

RICARDO
RICARDO
16 dias atrás

Creio que o conterrâneo não leu … então vou colocar novamente e em destaque … Caro bloguista das terras de além-mar.   Vou lhe contar uma pequena história sobre a herança da construção aeronáutica no Brasil.   Para ser condescendente e não gerar polêmicas, vamos pular o legado de Santos Dumont.   Então, retornemos aos idos de 7 de Janeiro de 1910. Data que viu, na paulista cidade de Osasco, o voo do primeiro avião totalmente projetado e construído no Brasil pelo não menos paulista Dimitri de Sensaud de Lauvaud: o “São Paulo”, um monoplano impulsionado por um motor de… Read more »