Home Noticiário Internacional Boeing vai cortar mais empregos por causa do 737 MAX e da...

Boeing vai cortar mais empregos por causa do 737 MAX e da Covid

1462
34
Jatos 737 MAX em uma fábrica da Boeing – Foto: Reuters

A Boeing Co relatou sua quarta perda trimestral consecutiva na quarta-feira, com a pandemia de coronavírus e o encalhe do 737 MAX continuando a prejudicar as vendas, enquanto reafirma sua expectativa de que as entregas do jato nos EUA sejam retomadas antes do final do ano.

A fabricante de aviões dos EUA também disse que estava mantendo a cadência de produção de corredor duplo profundamente reduzidas anunciadas em julho, bem como a meta de atingir uma cadência de construção de 31 narrow-bodies por mês no início de 2022.

A pandemia COVID-19 quase paralisou as viagens aéreas, levando as principais companhias aéreas à beira da falência e forçando-as a buscar ajuda do governo, cortar custos e adiar as entregas de aeronaves – quando a Boeing recebe a maior parte do dinheiro pelos novos jatos.

“Embora perder dinheiro e queimar mais de US$ 5 bilhões em três meses dificilmente seja uma boa notícia, pelo menos não foi pior do que isso”, escreveu o analista Rob Stallard da Vertical Research Partners em uma nota.

O diretor financeiro Greg Smith disse que a Boeing está pronta para cortar a produção do 787 novamente se necessário, já que alguns analistas questionaram por que a Boeing não cortou a produção antes, resultando em um estoque de 50 jatos não entregues.

O presidente-executivo Dave Calhoun disse aos funcionários que a Boeing agora espera eliminar cerca de 30.000 empregos para alcançar uma força de trabalho de cerca de 130.000 até o final de 2021. Isso é 11.000 a mais do que o discutido anteriormente, com 7.000 postos extras desaparecendo devido ao aumento das dispensas voluntárias ou involuntárias e o restante por meio de atrito.

FONTE: Reuters

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

Até uns dois anos atrás, a receita anual da Boeing estava na casa de US$ 100 bi.
No ultimo balanço publicado há alguns dias, ela teve receita de US$ 14 bi no terceiro trimestre.
Uma queda muito grande.
O setor de defesa deu uma força faturando cerca de US$ 7 bi.

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Vamos lá editores, liberem minhas críticas a este comentarista que nunca leu um artigo técnico sobre defesa, p&d. Eu fiz ESG, mas a opinião acéfala vale mais.

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Jagderband#44
1 mês atrás

Tipico do Brazil

Rui Chapéu
Rui Chapéu
1 mês atrás

Normal pra toda cadeia do setor turístico.

Olhem os balanços e perdas das companhias aéreas americanas, aliás, de todas praticamente.

É sangue jorrando que não acaba mais.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Ok que a pandemia quebrou um braço da Boeing ( e de todo o setor da aviação ).
Mas esse problema do 737 Max já tinha quebrado uma perna da Boeing antes da pandemia, além dos constantes atrasos e falhas da Boeing em não ter entregado ainda a USAF seu novo KC.
As vezes eu acho que Deus é mesmo brasileiro, por não ter permitodo que a Boeing absorvesse a Embraer…

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Só que nos negócios e na geopolítica,não dá para ficar contanto com a fé. Era óbvio que os acionistas iriam ser a favor do acordo com a Boeing,afinal a maioria nem é formada por brasileiros,logicamente iriam querer ganhar dinheiro,mas acho revoltante que ninguém dentro do Governo Federal tenha percebido que esse negócio seria terrível para o Brasil de várias formas diferentes. É por isso que dificilmente esse país se tornará uma grande potência,vendemos nossos patrimônios por qualquer trocado que nos ofereçam.E duvido muito que o Governo tenha desistido de vender a empresa,o que causará o fim do setor de defesa.Só… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Acho engraçado que, na hora de defender a venda da Embraer, tinha um monte de “patriota” aqui usando a desculpa do “livre mercado”, “neoliberalismo”, que tem que vender mesmo, que é empresa privada, e etc…
Agora tenta comprar a Lockheed Martin ou a Boeing, duas empresas privadas, pra ver se os EUA, o país do “liberalismo” e do “livre mercado”, permite isso…

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Quando os chineses da Canyon Bridge Fund  tentaram comprar a Lattice Semiconductor Corporation,donald trump interveio alegando ameaça a segurança nacional,o Tesouro disse que o acordo representaria um risco à segurança nacional devido ao apoio de Pequim à transação, à potencial transferência de propriedade intelectual para investidores estrangeiros e à importância dos suprimentos semicondutores para o governo americano, inclusive dos produtos da Lattice. A Lattice fabrica dispositivos lógicos programáveis, semicondutores que podem ser programados para ter funções similares às dos chips. Já aqui se vende tudo como em uma feira,sem nenhuma objeção do governo… Deixaram a Odebrecht vender a Mectron para… Read more »

Last edited 1 mês atrás by ADRIANO MADUREIRA
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
30 dias atrás

Só no brasilistão mesmo pra acreditar em conversa cretina de “livre mercado” e “neoliberalismo”, e desconhecer totalmente o quê significa uma empresa estratégica.
Pela maneira como o governo agia ( e muitos militaree tambem ), parecia que, se pudessem, pagariam pra Boeing levar a Embraer embora, como se a Embraer fosse a empresa estatal mais deficitária do mundo.
Agora vai no Primeiro Mundo, e tenta comprar a Raytheon, Dassault, Boston Dynamics ou BaE Systems, pra ver o que acontece…

Francisco Bastos
Francisco Bastos
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Faz sentido seu comentário, mas por outro lado, tanto a Boeing quanto a Embraer sentiram a cassetada da Airbus. Com uma cassetada, a Airbus acertou dois coelhos de uma vez. No caso da Boeing, foi mais a questão do 737MAX que ajudou a Airbus, a pandemia foi só a pá de cal, haja vista que a fabricante Europeia sofreu menos durante a pandemia do que sua concorrente Americana.Já no caso da Embraer, de lider de mercado viu sua liderança evaporar depois que a Airbus assumiu a divisão de E jets da canadense Bombardier, renomeando o eterno rival do dos E… Read more »

Diogo
Diogo
Reply to  Francisco Bastos
1 mês atrás

Concordo plenamente meu amigo, e o pessoal aí de cima achar que uma fusão Brasil-US seria ruim para a Embraer e o Brasil, só pode ser piada né? O mundo dos negócios não é para amadores mesmo. Quero ver o pessoal falando depois que a Airbus engolir a Boeing e a Embraer juntas, fazendo concorrência com a China kkkkk

henrique
henrique
Reply to  Francisco Bastos
1 mês atrás

disse tudo…..

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Francisco Bastos
30 dias atrás

Lei de Murphy

A Boeing levou uma cacetada descomunal com com o 737 MAX.
E por uma fatalidade. Dessas que descem do além, veio a pandemia.

Cesar
Cesar
Reply to  Willber Rodrigues
30 dias atrás

Acredito que a pandemia fez mais bem a Boeing do que mal.
Imagine se não tivesse tido pandemia e o setor aéreo estivesse em ebulição e a Boeing sem poder entregar os 737 max…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Cesar
30 dias atrás

Não to vendo nenhuma vantagem pra Boeing nisso…
Um produto com defeitos que até provocaram mortes + a imagem desse produto e da empresa arranhados + uma epidemia que quebrou as pernas da aviação mundial, e cortou qualquer chance de vendas desse produto + a empresa ser obrigada a gastar o que não tem pra manter um produto que ninguem quer.
Se não fosse a mão do Tio Sam a ajudando + o setor de Defesa da Boeing, ela já teria sido comprada a muito tempo.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

O que tem salvado a Boeing são os contratos militares, mas foram duas pancadas pesadas o problema do Max e a Pandemia!

Agressor's
Agressor's
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

É o Estado americano intervindo mais uma vez pra salvar suas empresas mais importantes e estratégicas. Vai lá e deixa o mercado livre pra vê o que acontece, em 1929 quase o capitalismo foi por água abaixo, até que o presidente dos EUA teve que interferir rigorosamente na mercado pra salvar os EUA na crise. O mesmo que também fizeram na crise de 2008, onde empresas como a GM foram socorridas pelo o governo americano. O livre mercado não existe no mundo, existe países com maiores índices de liberdade econômica o que não faz ser 100% com livre de mercado.… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Agressor's
Agressor's
Agressor's
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Uma das maiores falácias da história é essa teoria de autorregulação do mercado. O mercado nunca se autorregulou em favor de consumidor algum. Pelo contrário, a tendência do mercado é encontrar “exploits”, falhas no sistema de oferta e procura ou até mesmo forçar falhas. Nesse sentido, pesquisar sobre monopólio horizontal e vertical do mercado, bem como cartéis. Fora as práticas de capitalismo canibal, padronização de preços exorbitantes e manufatura de produtos eletrônicos concebidos com materiais que tem uma vida útil preconcebida pra quebrar, impelindo o consumidor à troca.

Agressor's
Agressor's
1 mês atrás

Projetar um produto porcaria prá visar uma margem de lucro maior dá nisso. Mas essa bomba não salvou a Embraer de nada, apenas adiou o inevitável. Quando se recuperarem da crise fecharão outro negócio à um preço de banana menor que o de antes. E assim caminha a humanidade!

Aguiar Silva
Aguiar Silva
1 mês atrás

Vamos supor que a Boeing tivesse comprado a Embraer antes da pandemia, vocês acham que a Embraer existiria? Todas as fábricas e operações da Embraer iria para os EUA. Até o nome das aeronaves mudaria. Um lado positivo desse triste COVID é a não aquisição da Embraer por parte da Boeing.

Jefferson
Jefferson
Reply to  Aguiar Silva
1 mês atrás

Eu acho que a uniao da embraer com a Boeing seria excelente não vejo pontos negstivos. A embraer tem lucro menor hoje do que no ano 2000, a empresa está bem ruim, estagnada e cada vez mais ameaçada por chineses e outros entranhas. Embraer hoje só existe por causa do mercado americano, totalmente ancorada lá. Sinceramente não vejo muito futuro para a embraer e olha que tenho ações dessa empresa, tenho ações justamente esperando o melhor. A realidade é diferente das perspectivas. O BR não tem uma política de defesa nacional, nossos militares trabalham contra o país, reduto de servidores… Read more »

Diogo
Diogo
Reply to  Aguiar Silva
1 mês atrás

Claro que existiria, quanta besteira você fala meu amigo, você não sabe de nada. Se você lesse a proposta da joint-venture (mínimo a fazer) você não estaria postando besteira aqui nos comentários.

Agressor's
Agressor's
Reply to  Diogo
1 mês atrás

“Quem não pode atacar o argumento ataca o argumentador” Paul Valéry

Canarinho
Canarinho
Reply to  Diogo
1 mês atrás

Com o perdao da palavra mais quem ta falando besteira aqui e voce, e quem parece que nao sabe de nada e voce. Alias e vc leu a prosposa? Sabia que os 20 % restantes poderiam posteriormente ser comprados pela empresa americana. Diz ai para gente qual a clausula que obriga a empresa americana a longo prazo ser obrigada a manter as operacoes aqui. Alias, quem precisa de inimigos externos se temos brasileiros que nem voce

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Aguiar Silva
30 dias atrás

Pergunte a McDonnell Douglas

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

Quebrou, já era. É hora da China.

Diogo
Diogo
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

It’s China’s time, run to the hills.

ERIVELTONSILVA
ERIVELTONSILVA
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Na minha opinião, para a tristeza para a humanidade.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 mês atrás

Off Topic:

Embraer soltou novo vídeo sobre o KC-390, falando da campanha de reabastecimento aéreo:

https://youtu.be/J2MX6D-AwIg

ERIVELTONSILVA
ERIVELTONSILVA
1 mês atrás

Daqui a 200 anos vão dizer que a pandemia do Covid 19 marcou o fim da Era Ocidental. A rendição do Ocidente perante ao Covid 19 é um sinal de que não houve um avanço tecnológico o suficiente para que o Ocidente continuasse na dianteira. O Boeing 737 Max é uma prova de como os EUA estão “atrasados” tecnologicamente, em comparação com aquilo que esperávamos na década de 70 e 80. Havia uma expectativa, por exemplo, de que a primeira viagem tripulada a Marte acontecesse ainda no Fim do Século passado. Assume a vanguarda da tecnologia um pais que não… Read more »

Jefferson
Jefferson
Reply to  ERIVELTONSILVA
1 mês atrás

Eua atrasado? Amigo, é o país mais tecnológico do planeta, polo e sede de potentes indústrias. Parem de repetir bobagens. Se os EUA estão falidos, imaginem o Brasil e outros. Como vocês conseguem pegar os EUA e crucificar? Olhem o resto do mundo, 95% é só porcaria de países: corrupacao generalizada, guerras, fome, cultura ruim e o diabo…nao vejo nenhum paises melhor que os EUA, no máximo perto (europeus, Canadá, Austrália, Japão etc…). Onde vcs conseguem ver algo melhor? O Boeing deu problema justamente naquilo que tinha como inovação, algo diferente…se fosse para fazer igual eles não tinham desenvolvido nada.… Read more »

ERIVELTON SILVA
ERIVELTON SILVA
Reply to  Jefferson
30 dias atrás

Voce não entendeu o texto: ” EUA estão “atrasados” tecnologicamente, em comparação com aquilo que esperávamos na década de 70 e 80.” Veja o o “atrasados” está entre ASPAS e em “COMPARAÇÃO COM AQUILO QUE ESPERAVAMOS NA DECADA DE OITENTA.

sub urbano
sub urbano
Reply to  ERIVELTONSILVA
1 mês atrás

Concordei com o começo mas não com o fim. Os americanos não tiveram um papel tão civilizador como por exemplo tiveram os Britânicos e franceses no seu período de hegemonia. Os americanos foram mais ou menos como portugueses e espanhóis… espalharam mais violência do que progresso. Imagino que os chineses serão mais benevolentes em seu reinado, até mesmo por terem sofrido as agruras de uma colonização exploradora, terão mais simpatia pelos países que hoje são os mais atrasados e justamente os que mais precisam de progresso. Claro que a mão firme do Exército de Libertação Popular sempre estará a disposição… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
30 dias atrás

E ninguém fala nada dos Bancos… o risco do mundo não está apenas no setor produtivo, mas também no setor de serviços financeiros. Todos os fabricantes de aviões do Mundo se utilizam de estruturas de financiamento de longo prazo nos grandes agentes financeiros do Mundo, é como um carro financiado, a montadora não tem nenhum risco de crédito e recebe “a vista” do banco, mas o Banco fica com um monte de “papagaios” na mão. Se o setor não compra novos aviões pois não tem demanda, provavelmente também não tem receita para pagar as dezenas de milhares de aviões financiados… Read more »