Home Aviação de Ataque Workshop de apresentação do F-39E Gripen

Workshop de apresentação do F-39E Gripen

2386
38

Por Mairton Melo*

Fomos convidados para participar do Simpósio Operacional de apresentação do F-39, ocorrido na Base Aérea de Brasília. O evento contou com apresentação da Força Aérea Brasileira (FAB), Embraer e Saab.

A FAB informou que o projeto do Gripen segue dentro do planejado. Em 2021 ela espera reeceber 4 aeronaves, ao mesmo tempo em que os primeiros F-5 começarão a ser desativados.

Em 2024 será a vez de começar a aposentar algumas unidades do AMX. E de 2021 até 2026 serão entregues os 36 Gripens adquiridos.

Jackson Schneider, CEO da Embraer Defesa e Segurança, enfatizou em sua apresentação o ganho na capacidade operacional da Embraer ao participar do desenvolvimento do Gripen NG, deixando claro que a empresa em um futuro próximo, terá capacidade de desenvolver seu próprio avião de combate de nova geração.

Destacou também que a partir de 2022 a fábrica em São Bernardo começará a produção de várias unidades do Gripen.

Micael Johansson, CEO da SAAB, começou o discurso pedindo desculpas. Nas palavras dele: não tenho tanta confiança em falar português, então vou falar em inglês pois será melhor do que em sueco.

Interesse da Suécia no C-390

A apresentação iniciou enaltecendo os ganhos da colaboração entre Brasil e Suécia no desenvolvimento do novo avião, destacando a transferência de tecnologia, cooperação entre as empresas envolvidas, a produção no Brasil e a criação do centro de excelência para construção do Gripen F, a versão biposto do avião.

Ao final, ele declarou que a Suécia possui interesse na compra do C-390.

*Essa matéria contou com o apoio de Mairton Melo, do canal de plastimodelismo ToyHobby. Clique no banner para conhecer o canal:

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gabriel
Gabriel
1 mês atrás

Quando se fala no cronograma de desativação dos primeiros F-5, a partir de 2021, dos AMX, a partir de 2024, se afirma que até 2026 serão entregues os 36 Gripens adquiridos e “não se comenta nada” sobre um 2° lote: “o gato subiu no telhado”.

ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Sem dúvida que é preciso decidir logo por, pelo menos, mais um lote.

Camargoer
Camargoer
Reply to  ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
1 mês atrás

Olá André. O contrato do segundo lote poderá ser assinado até 2024 para que haja continuidade de produção.

JSilva
JSilva
Reply to  ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
1 mês atrás

Com essa situação econômica atual pós pandemia, em que o endividamento do Brasil está caminhando para 100% do PIB e que o Governo Federal, com pretensões eleitorais, flerta em romper com a única âncora fiscal que o país possui atualmente, é impossível falar em segundo lote neste momento. Primeiro é preciso arrumar as contas públicas, mostrar a quem financia a dívida pública (brasileiros que tem fundos de previdência, correntistas de instituições financeiras, quem investe em fundos de investimento, tesouro direto) que ela não corre o risco de não ser paga no futuro. Depois é preciso dizer qual despesa precisará ser… Read more »

Last edited 1 mês atrás by JSilva
Camargoer
Camargoer
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Caro Gabriel. Segundo alguns colegas ex-FAB e outros que trabalham na Embraer, seria necessário um ano para iniciar a fabricação de um avião até sua entrega operacional. Como os últimos F39 do primeiro lote serão entregues em 2026, a FAB teria até 2024 para contratar o segundo lote com folga. “O gato desceu do telhado”.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Meu amigo, eu compartilhava do teu otimismo (torço inclusive).

Porém, conforme o cronograma apresentado, nada leva a apontar na direção da encomenda de um 2° lote.

Nem vou entrar no mérito da questão que, salvo melhor juízo, já foi até mesmo declarado pela própria FAB, que a substituição do F-5/A-1 pelo Gripen não será 1 por 1.

Espero, sinceramente, que minha percepção esteja totalmente equivocada.

Kemen
Kemen
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Com relação a declaração da própria FAB de não substituir os F-5BR 1 por 1, pegaria essa declaração com pinças._ O fato é que na futura substituição dos AMX, o critério das operações de defesa aérea devera mudar, qualquer esquadrão tera a possibilidade de atuar integralmente ar-ar e ar-terra.__ Mantendo esse raciocinio, eu acharia de bom grado para obter maiores ganhos econômicos, iniciar a negociação para mais F-39 até 2022, então os fornecedores de peças, partes e sistemas poderiam prever seus meios e recursos por um período mais longo, acredito que barateando o produto final. Lembrado: F-5BR=47, AMX=55, F-39 adquiridos… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Na realidade, são 48 F-5M e 14 A-1M. 55 AMX foi o total recebido pela FAB. Encomendados 56, mas o 5532 foi perdido em acidente antes da entrega oficial. Então, os 48 F-5M e 14 A-1M, totalizando 62 células, equipam 6 esquadrões (4 De F-5M e 2 de A-1M). Um segundo lote de F-39, tb de 36 exemplares, permitiria equipar 6 esquadrões com 12 células em cada um, com a anunciada reativação do Adelphi, podetia se reequiapr o Poker com aeronaves remotamente limitadas e transgerí-lo para Campo grande ou Porto velho…..manteria-se assim, o número de 6 esquadrões de caça.

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Este primeiro lote, vai colocar a FAB em outro patamar, o que exigirá ajustes na doutrina, para começar.
Outro ponto, é como somos os primeiros usuários, sempre, repito e garanto, aparecem problemas, problemas estes que precisarão ser analisados e solucionados.

Tanto a questão da doutrina quanto dos problemas, mostraram pontos de melhorias no próximo lote, portanto primeiro, precisamos usa-los, entende-los, saber seus pontos fortes e fracos, para que o próximo lote venha melhorado, e já pensando nas atualizações importantes para o 1o lote.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Eu creio que essa pandemia atrapalhou os planos, mas devemos assinar o segundo lote dentro do prazo!

Caçador Cometa
Caçador Cometa
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Esse segundo lote só sai após a IOC dele creio eu. Há riscos financeiros em tudo isso que está sendo feito no desenvolvimento desse projeto.

“Young sea duck, shouldn’t dive so deep”

Bille
Bille
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Buenas.

A COPAC é executora. Quem tem que comentar em 2º lote é o MD ou o CMTAER… Seria melhor se fosse o PR, e melhor ainda se fosse o CN…

Tem espaço, mas não no orçamento atual. Seria um protocolo de intenções, no máximo.

Joanderson
Joanderson
1 mês atrás

Alguém pode me tirar uma dúvida ?
Já qui os russos possuí o su 35 que é mais moderno que o su 30 eles param de comprar o último e si compram o mais moderno su 35 ?
E depois qui comessarem a receber o su 57 a produção de su 30 e 35 vão parar ou vão possuir de tudo su 30,34,35,57 e miga 35 ?
Perdoem se escreve bobagem .

Flight_Falcon
Flight_Falcon
Reply to  Joanderson
1 mês atrás

Nem sempre
Depende como está o planejamento da força, recursos.
O mais moderno pode ser muito caro para operar, vide o F-22 e unidades adicionais de F-15 que a USAF estão adquirindo.
F-35 e os F-18 E/F na Marinha.

OSEIAS
OSEIAS
1 mês atrás

O presidente da Embraer Jackson Schneider em sua fala final deixou uma pulga atrás da orelha no bom sentido. Deixou no ar a aquisição do K390 por parte da Suécia e os operadores do Gripen no mundo. Quando um homem, com essa importância fala isso significa que as coisas estão bem adiantadas, se não nem falava nada. Houve a explanação de que o objetivo do Brasil é o Tot para desenvolver aeronaves nacionais.

Mairton Melo
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

Bem por aí mesmo. Sem falar que a embaixadora da Suécia estava lá no evento também.
Eu tive a impressão de que toda a apresentação foi uma espécie de apresentação de contas e de oportunidades de negócios; apresentação essa totalmente direcionada ao staff político (presidente Bolsonaro, o Rodrigo Maia, alguns deputados, ministros, adidos militares, etc).
Ou seja… foi um evento para políticos se interessarem pelas oportunidades.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

O “problema” é que os C-130 ainda tem alguns anos de vida pela frente. A Suécia não irá antecipar a aposentadoria deles só para comprar o KC-390. Então essa possível compra seria no médio prazo.

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Olá Rafael, pode ser isso mesmo, lembrando que Portugal irá receber sua primeira unidade em 2023, se a Suécia decidir pelo KC-390, ela assinaria um eventual contrato em 2021/2022 e receberia lá em 2025 ou 2027. Longo prazo.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

Eu também acho. Talvez os suecos usem uma compra do KC-390 como forma alavancar um segundo lote de Gripens, no futuro.

Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Acho a afirmação de que a Embraer poderá projetar e construir sozinha se assim quiser o próximo caça do Brasil, muito interessante, e ainda que não o faça da pra ter uma ideia do conhecimento adquirido. O Interesse Sueco pelo KC-390, também é outra grande informação. O 2º Lote de Gripen NG ou melhor do F-39 acredito muito que vira sim a ser adquirido, Os Suecos não falam nisso porque esse 2º lote seria todo fabricado aqui no Brasil então não depende deles … Depende como todos sabem da FAB conseguir isso junto a ministério da Defesa e os políticos… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Acho a afirmação de que a Embraer poderá projetar e construir sozinha se assim quiser o próximo caça do Brasil, muito interessante

Um caça a jato nacional só vai acontecer em uma realidade paralela,porque nesta,não há interesse político,planejamento estratégico ou dinheiro para que o Brasil entre em uma empreitada dessas.

Mairton Melo
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

E olha que o executivo da Embraeer se esforçou MUITO em chamar a atenção do Rodrigo Maia e também do presidente.
Foi nítido durante a apresentação da Embraer o esforço do Shneider em destacar que “o Gripen é um ótimo negócio, o KC-390 é um ótimo negócio, aviação militar dá muito dinheiro, DINHEIRO karai!” e isso ele dizia olhando bem no fundo do olho do Rodrigo Maia (que tava na primeira fila, encostado no palco).

FernandoEMB
FernandoEMB
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Acredito que possa sim (tem ou terá capacidade para isso)… só que não depende dela…

Kemen
Kemen
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

A tendência atual é produzir partes em varios paises de um único projeto e comprar os sistemas ou até turbinas que não são disponiveis de quem tem._ Isso se aplicou ao Eurofigther, F-35, C-390 e outros, se aplicará ao Tempest e ao FCAS.__ Como lideres aeronauticos na America Latina, deveriamos propor essa perspectiva futura a alguns paises Latino Americanos e Portugal, mas a America Latina em geral nessa parte é um “poço sem fundo”, govêrnos se vão e govêrnos vem e mudam tudo.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Uma bela aeronave para nos recolocar no topo das forças aéreas latino americanas!

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
1 mês atrás

“Ao final, ele declarou que a Suécia possui interesse na compra do C-390.”
Muuuuuito interessante . . . . .

Claudio Moreno
Claudio Moreno
1 mês atrás

Boa noite Senhores camaradas do Aereo e da Trilogia!
Muitas boas notícias neste mês para os que amam a FAB. Além da apresentação oficial do F39, tivemos no mesmo dia o primeiro vôo do T27M no PAMA de Lagoa Santa – MG. O vôo teve duração um pouco mais de 2 horas.

CM

Flanker
Flanker
1 mês atrás

2021 inicia desativação do F-5M e começam entregas do F’39. Bem, o GDA opera entre 8 e 10 F-5M. Cjegando 4 Gripen em 2021, da para desativar todos os F-5 do GDA, basta deixar 2 para fazer o alerta até o F-39 estar apto para assumir. Resta a questão não respondida ainda pela FAB: qual vetor irá equipar o Grupo de Caça, o Pampa e o Pacau……talvez inicie a desativação apenas com a substituição do F-5 no GDA….mas, precisará manter o F-5 nos outros 3 esquadrões. E o A-2 começará a ser desativado em 2024? Faltando 2 anos para a… Read more »

Nunão
Nunão
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Flanker,
A desativação de A-1 começando em 2024 deve ser de aeronaves não modernizadas e que ainda servem aos dois esquadrões de Santa Maria. O fim do programa A-1M, totalizando 14 aviões modernizados, deve ocorrer por essa época.

Flanker
Flanker
Reply to  Nunão
1 mês atrás

Não, meu caro Nunão! Desde final de novembro de 2019, os exemplares não-modernizados que ainda operavam junto aos modernizados, foram todos estocados. Hoje, o Poker e o Centauro operam apenas as células modernizadas, que somam 8 entregues até agora.

Nunão
Nunão
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Não sabia disso, tem a fonte?
(Não é desafio, é que eu quero ler mesmo, ano passado foi difícil pra me manter atualizado)

Flanker
Flanker
Reply to  Nunão
1 mês atrás

Revista Força Aérea n⁰ 124 pág 60. Nessa edição, tem uma matéria sobre os 30 anos de operação do A-1 na FAB, nas páginas 50 à 63. E não percebi mais a operação de células não-modernizadas, mesmo. A distinção entre os exemplares modernizados e os nao-modernizados é possível mesmo em voo a baixa altura. Nas aproximações, na final para pouso e nos táxis e pousos e decolagens dá facilmente para observar os itens como o radome grande e as protuberâncias do MAWS. Gosto bastante de observar os pousos e decolagens aqui em SM.

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
1 mês atrás

Fusão entre Embraer e Saab, acho que seria uma boa, para os dois lados…

Minha opinião…

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Cristiano Salles (Taubaté-SP)
1 mês atrás

E abrir mão da mais importante empresa brasileira de defesa?Acho que não.

Desc
Desc
1 mês atrás

Uma coisa será verdade…não teremos 2 lote…até pq não sabemos que governo estará no poder em 2024.
Ou a FAB segura por mais um tempo os F5 e AMX , ou nosso espaço aéreo será patrulhado por apenas 36 gripens..

Alexandre
Alexandre
Reply to  Desc
1 mês atrás

Concordo plenamente, a FAB deve segurar por mais tempo os caças F-5 e AMX A-1, ou nós só teremos apenas 36 Gripens para a defesa do nosso espaço aéreo.

Nisso surge outro problema, que é o fator orçamentário. Infelizmente o Brasil não terá condições de manter os 53 caças F-5 e os 60 caças AMX A-1 além dos 36 Gripens que estão por vir.

Seria bastante custoso manter esse monte de aeronaves, por outro lado seria excelente mantê-las até concluir o segundo lote, mas com um orçamento baixo é muito difícil disso aí acontecer. É triste, muito triste…

Last edited 1 mês atrás by Alexandre
Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre
30 dias atrás

Meu caro, a FAB tem 48 F-5M….e nunca possuiu 60 A-1….encomendou 56, recebeu 55 e modernizará 14…..desses 14, foram entregues 8 até agora ….e todos os que não serão modernizados foram estocados. Portanto, São 48 F-5M e serão 14 A-1M……seus números estão equivocados.

Last edited 30 dias atrás by Flanker
Alexandre
Alexandre
1 mês atrás

É lamentável, os 36 Gripens já deveriam serem entregues até 2023. Estamos muito atrasados infelizmente!!!

Last edited 1 mês atrás by Alexandre