domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

Suécia vai manter caças Gripen C/D após 2026

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Força Aérea Sueca (SwAF) manterá vários de seus caças Saab JAS 39 Gripen C/D além de sua data de aposentadoria planejada para 2026, solidificando um plano anunciado anteriormente para compensar uma queda antecipada nos números do Gripen E.

O plano, anunciado pelo Ministério da Defesa sueco em meados de outubro e confirmado pelo fabricante Saab em 23 de outubro, faz parte de um aumento mais amplo nos gastos com defesa nacional em mais de 40% entre 2021 e 2025, revelado pelo ministro da Defesa sueco, Peter Hultqvist.

Dos atuais seis esquadrões Gripen C/D em campo pela SwAF, quatro deverão fazer a transição para o Gripen E nos próximos anos. Conforme revelado no último anúncio de Hultqvist, os dois esquadrões pendentes permanecerão operacionais com suas aeronaves Gripen C/D existentes.

Em 2017, o Jane’s relatou pela primeira vez os comentários feitos por um oficial sênior da SwAf, que disse que, com apenas 60 caças Gripen E entregues de 2022 a 2026, o serviço estava discutindo a possibilidade de manter um número de seus 73 caças Gripen C além desta data final de entrega até resolver uma lacuna de números (já havia sido divulgado que vários dos 24 Gripen D de dois lugares provavelmente seriam mantidos como treinadores operacionais).

Embora reter vários Gripen C fosse uma opção, naquela época não havia dinheiro adicional para financiar tal plano. Conforme observado pela Saab, não apenas o dinheiro está previsto, mas uma data “além de 2030” foi definida para sua retenção.

Saab Gripen C e D junto a um Saab 340 AEW

FONTE: Jane’s

- Advertisement -

78 Comments

Subscribe
Notify of
guest
78 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gustavo

Talvez seja a oportunidade de modernização de forças aéreas como Argentina, Uruguaia e etc, com a disponibilidade de algumas dezenas de Gripen C/D após a transição destes 4 esquadrões que irão migrar para o “E”

Fabio Araujo

Com certeza a SAAB já deve estar pensando em clientes para comprar ou arrendar parte destes caças, creio que uma parte fique como uma reserva da força aérea sueca.

Davi Pinheiro

A Marinha do Brasil deveria ficar atenta. Os A-4 não passam de 2024 e 2025. Seria bom ter alguma comunalidade com a FAB, além de já ir criando doutrina para um futuro Gripen Naval

Last edited 6 meses atrás by Davi Pinheiro
Tutu

A marinha não pode operar aviões que não possam ser embarcados de alguma forma.

RPiletti

Embarcados onde?

Tutu

Ao meu ver, como está atualmente constituída a legislação, a MB não pode desassociar a asa fixa do guarnecimento de meios de superfície, em operação, ou planejados.

 Art 1º A Marinha disporá de aviões e helicópteros destinados ao guarnecimento dos navios de superfície e de helicópteros de emprego geral, todos orgânicos e por ela operados, necessários ao cumprimento de sua destinação constitucional.

Tutu

Porém, se formos puxar na memoria, quando a MB adquiriu os A4 ela não tinha nem autorização para ter asa fixa.

Denis

Boa, jovem!

Flanker

A legislação atual fala que a MB pode operar aviação de asa fixa embarcada, portanto, tem que ser ao menos capaz de operar embarcado.

Jef2019

Facil justificar…o F39 ja veio embarcado então esses Gripen C/D poderiam ser embarcados tb…pronto…kkkk brincadeira fica zangado não

Carlos Campos

kkkkkkkkkkk

Carlos Campos

embarcados nas viagens do Almirantes né? tem que se fazer teste toxicológicos nesses caras, deviam sair mais do Principado de Guanabara Bay e vir para realidade.

Vicente Hr.

Poxa, gostei dessa ideia.
Se for negociado um preço atraente de 12 a 14 Gripen C/D para a nossa Marinha, seria excelente.

Ainda traria uma alguma padronização para nós.

Camargoer

Olá Vicente. Já existe uma padronização entre o A4M e os F5M, A29 e AMX-M. O F39C/D é muito diferente das versões “M” e do F39 E/F. Sua aquisição seria um problema logístico ao invés de uma solução. O certo é usar o A4M enquanto a FAB tiver os seus “M” e depois saltar para o F39 E/F.

Fabio Araujo

A MB andou de olho em uns F-18 usados, mas não vi mas nada a respeito

Camargoer

Caro Fabio. Neste momento, é um erro substituir os A4 usados por outros caças usados. O importante é usar os A4 até o osso e modernizar outros se for necessário substituir um ou outro aparelho devido o desgaste natural ou perda.

Camargoer

Olá Davi. Acho que a MB poderia sim manter um esquadrão de Gripens baseados em terra para guerra antinaval. Contudo, aco que se for trocar os A4 que seja por um esquadrão novo de F39 E/D. Não faz mais sentido o Brasil comprar caças usados

Jef2019

Ola amigo…sim esse seria o cenario ideal sem dúvidas…mas vc acha que isso realmente seria possível no curto prazo no cenario atual? Fora a crise mundial e condições politica para isso lwmbro que a MB ja tem projetos importantes em curso que já engessam seu orçamento quanto a investimentos (prosub, fragatas, helis, subnuc) e esta sendo um perrengue para honrar esses projetos e compromissos firmados…claro que seria maravilhoso ter o gripen N mas sinceramente nao acredito neste momento…e os A4 de fato nao estão atualmente agregando muito na proteção da esquadra…portanto acho sim que seria uma excelente oportunidade esses gripens… Read more »

Camargoer

Olá Jef. A prioridade a curto prazo é da prosseguimento aos programas em andameto. Gripen E/F, ProSub, FCT, KC390 e Guarani, Mansup, Astros 2020… a tendência é que ocorra alguma melhoria a médio prazo devido a normalização da atividade econômica. A longo prazo vai depender das escolhas políticas que fizermos nas nestas e nas próximas eleições.

Satyricon

Cuma???

Camargoer

Olá Satyricon. Um dos objetivos de uma aviação naval é o ataque a uma forta-tarefa agressora, impedindo-a de se aproximar do litoral brasileiro, seja vindo do norte ou do sul do Atlântico. Neste contexto, um alguns caças equipados com mísseis antinavio decolares de uma base continental, voarem a baixa altitude guiadas por um AWAC em direção aos alvos, dispararem os mísseis e subirem até grande altitude para serem reabastecidos e retornarem para uma base. Isso dá um alcance de até 3,5 mil km (incluindo o alcance dos mísses antinavio). Como a FAB tem várias bases próximas do litoral, os caças… Read more »

sergio ribamar ferreira

Concordo com Camargoer. Apenas falta verba e vergonha .

_RR_

Davi,

Há outras prioridades para as asas fixas da MB…

Ao invés de uma aeronave de caça, há a necessidade clara de se transferir a aviação de patrulha para a MB e de se adquirir uma aeronave de patrulha marítima descente para substituir o P-3; algo muito mais necessário para abrir o leque da guerra ASW.

Quanto ao Gripen Naval… Sem um mercado real, é improvável que aconteça… Ademais, não haverá um NAe para a MB no futuro previsível…

Kemen

Transferir a patrulha maritima para a Marnha, sem dúvida seria uma ótima reorganização, sobre os P-3 ainda tem muitos paises operando esse avião, se mostrou bom e confiável.

Tutu

Acho que não existe uma urgência tão grande para substituir os P-3AM, a eletrônica é moderna, e as questões estruturais estão sendo trabalhadas pela Akaer.
Ao meu ver esse é o espaço temporal para Embraer começar a desenvolver uma aeronave de patrulha, afinal, quando esses P-3 chegarem ao fim das suas vidas úteis, muitos países não vão ter dinheiro para migrar para o P-8.

Last edited 6 meses atrás by Tutu
Jef2019

Gostei da sugestão…seria uma otima oportunidade…não vejo condições politicas e financeiras favoraveis para compra do F39 naval 0k no curto prazo e de fato os A4 já estão no limite..

Last edited 6 meses atrás by Jef2019
Allan Lemos

A Argentina não tem dinheiro,e acho difícil os britânicos permitirem que eles operassem os Gripen,mesmo esses antigos.

Fabio Araujo

A Argentina se conseguir grana vai de FA-50 ou algum caça chinês mais barato!

Camargoer

Caro Allan. Há anos os ingleses deixaram de se opor ao rearmamento argentino, como mostra a aquisição dos NaPaOc franceses.

Allan Lemos

Só que um navio de patrulha pode causar muito menos estrago do que um caça se 4° geração.Além do mais,não se sabe se há algum compontente crítico de origem britânica nesses navios.Depois da guerra de 82,os ingleses sempre terão um pé atrás quanto à Argentina adquirindo armas.

Camargoer

Caro Allan. Além das L´Adroid, a Argentina também comprou uma esquadrilha de Super Etendard. O problema argentino continua sendo recursos. Praticamente quatro décadas.. quase ninguém que teve participação de comando e de governo está vivo.

GFC_RJ

Camargoer, isso não é verdade.
Os ingleses impõem ainda muita restrição aos argentinos, e no caso dos Gripen isso é vital devido à presença de componentes britânicos.
Os NaPaOc são bem pouco armados e não devem possuir equipamentos britânicos.
Estão dizendo que os novos Super Etendard ainda não podem voar, pois estão tendo dificuldade com os assentos ejetáveis Martin-Baker. Bem… ao menos essa é a história que estão contando, pois o fato é que o avião ainda não voa.

Last edited 6 meses atrás by GFC_RJ
Welington S.

Tá e a Argentina pagará isso como? Como manterá esses caças em pleno funcionamento? Se nem com os A-4 eles estão conseguindo, quem dirá com Gripen C/D. Isso é ilusório demais! A Argentina vai continuar na mesma por longos anos.

Allan Lemos

Felizmente para nós.

Welington S.

E é bem provável mesmo já que a FAB já demonstrou interesse no Gripen C/D. Talvez a MB entre nessa disputa, não sabemos. Mesmo com problemas orçamentários, a incrível capacidade do Brasil de manter as coisas é absurda. Faz muito mais sentido esse Gripen C/D virem ao Brasil do que pra Argentina. Argentina é pura ilusão!

ADRIANO MADUREIRA

Pagará com doce de leite , alfajor e Churrasco😂…

Rodrigo

Esqueçam essa argentina… Se ainda tiverem comida lá nos próximos anos vai ser luxo.

johnwolque

não sei qual é dessa fixação de alguns pela argentina

rui mendes

Mentalidade de, se eu não posso ter, espero que os outros, além de não poder ter, percam tudo que ainda têm.

_RR_

Prezados…

Esqueçam qualquer rearmamento argentino…

A Argentina vai emergir desde caos econômico de 2020 como um dos países mais pobres das Américas… Não haverão condições para comprar muito mais que não seja munição pra fuzil…

Wagner

E o BR que se cuide para não ficar em situação parecida.

Marcos Cooper

Esse papo de novo! è bom pra Argentina?
Nem os argentinos sabem o que é bom pra eles.

Gustavo

É impressionante a quantidade de senhores que falam “vai pagar como?” Pagar não é problema, problema é manter. Comprar um caça, ainda mais de segunda mão é bem mais tranquilo… Manter é o problema. Operar é caro, comprar não. E isso seria um problema para FAA.
Mas como exemplo, conta de padaria (que não se faz) o valor que a argentina pagou nas 4 OPVs, ela compraria de 12 a 16 Gripen C/D.

rui mendes

E não só, a Argentina se não está bem agora, vai estar em breve, pois é uma democracia e um grande país, com um grande povo.

Fabio Araujo

É natural isso, o mundo vem enfrentando uma retração econômica e são poucos os países que estão aumentando seus gastos em defesa e a maioria dos que estão fazendo o estão fazendo por necessidade!

Gabriel BR

A França está investindo pesado também. Investir em defesa é uma excelente politica anti-ciclica

Fabio Araujo

A França não vai atingir os 2% de investimentos em defesa que os membros da OTAN tem que investir, mas qualquer 1% de investimento em defesa da França é muito mais grana que muitos países tem para investir!

Marcos Cooper

Olha o segundo lote de Gripens pintando…
Só lembrando que o plano da FAB quando da compra do Mirage III era comprar lotes sucessivos até chegar em torno de 48 caças,novos!
A história é bem conhecida.

Last edited 6 meses atrás by Marcos Cooper
Zeca

Parece haver a intenção de operarem um mix de Gripen E e Gripen C modernizados, com os C sendo substituídos diretamente pelo Tempest. Não duvido nada se ao mesmo tempo em que nós estivermos discutindo um segundo lote de F-39, os suecos já estirem recebendo a sexta geração.

Marcos Cooper

Isso é certeza.

Marcelo M

A produção do Gripen parece significativa. Dá mais de 10 por ano, apenas para a Suécia. Além dos 36 brasileiros até 2024.

Davi

Para o Brasil serão 36 até 2026. O prazo foi estendido por questão orçamentária.

Marcelo M

Obrigado Davi.

Jef2019

Significa que brevemente existirão excelentes caças de 2a mao no mercado…os primeiros entregues aquela força aérea datam de 1997…não sei quão surrados estão mas acho que das ofertas atuais de usados atualmente no mercado seriam uma das melhores opções…a colombia esta prestes a escolher um novo caça e devido a crise mundial isso pode ser uma boa opção, com apoio de seu vizinho aqui com suporte da saab…quem sabe…olha se houvesse essa oportunidade seria muito interessante para nossa marinha sim mas tem amigos aqui que falam que não poderia operar se não fosse embarcado…ai já não sei…mas claro que gostaria… Read more »

Sérgio Luís

Fora do tópico.
Projeções sem politicagem!!
Se o Biden ganhar e impor sanções pela Amazônia.” Ele disse isso”
O motor general eletric pode não vir para o nosso Gripen e aí!?!
Podemos colocar as barbas de molho !!!
Eu sei que é se…..mas e se ganhar!?!

Last edited 6 meses atrás by Sérgio Luís
Paulo

Não é só o motor que é americano. O NG tem mais de 15 componentes americanos.

Last edited 6 meses atrás by Paulo
Adriano RA

Difícil chegarmos ao ponto de termos sanções contra o Brasil, primeiro porque rapidamente nosso (des)governo mudaria de postura, mas também porque os americanos não iriam tão longe. Descascada a tinta da ideologia, todos nessa história são no fundo muito pragmáticos.

Rodrigo M

Por essas e outras, precisamos de Nukes..
Se tudo mais falhar, apenas elas podem garantir nossa dissuasão.
Dr. Enéas já falava isso há anos…

Paulo

É isso aí, Rodrigo M. Essa coisa de Tot é só para inglês ver. O gripen Ng brasileiro tem mais de 25 sistemas e componentes estrangeiros.

leonidas

Uma nação do tamanho da Suécia dizendo que “apenas” 60 gripens (quase o dobro do que iremos receber) não seria suficiente precisando manter outros 70 em operação… E de chorar viu. Daqui a pouco aparece a ladainha ” – mas não temos inimigos ” ou pior ainda ” nossos caças são os melhores do continente” grande continente a AL quando o assunto seja poder para algo ou mesmo soberania. Da licença, e pior foi ver o incapaz do planalto visitando o caça, já deu para ver umas nuvens cinzas no horizonte. Duvido que esse cidadão vai salvar a Embraer ou… Read more »

Last edited 6 meses atrás by leonidas
pangloss

Tomara que eu esteja fazendo uma interpretação pessimista da notícia, mas se a Suécia mantiver Gripen C/D em operação, vai haver menos produção de Gripen E.
Que, portanto, será apenas um “gap filler” até que os suecos tenham seu caça de quinta geração.
Eu, quando ouvia o Gripen E ser chamado de “Gripen NG”, não via nada além de uma versão aperfeiçoada do mesmo Gripen, e atribuía somente ao marketing o uso da terminologia “new generation”.
Acho que o Gripen E pode ter o mesmo destino do AMX: ser operado apenas por quem o montou.

Marcos Cooper

O problema não é esse. É a organização financeira. Não falta verba como todo mundo afirma. Falta planejamento,falta continuidade nos projetos,pior,falta comprometimento. Se é do governo ou da Força Aérea nesse caso não sei,mas é um maldito vício do brasileiro.

sergio ribamar ferreira

O sr. pangloss tem certa razão. Concordo.

LUIZ CARLOS DOS SANTOS

Na verdade seriam úteis na própria FAB em substituição aos AMX

smichtt

é melhor começar aos poucos, procurar razões para frear a produção e pensar em algo superior”

Caro Roberto,

Concordo, mas não nos esqueçamos que já estão pensando no Tempest.

Nilton L Junior

Esses Suecos são estranhos.

Flanker

Eu já acho que eles são pragmáticos e responsáveis com sua defesa. O Gripen E está em testes ainda e eles já pensam no seu parceiro para daqui 15/20 anos. O Brasil está comprando o Gripen E/F e, se analisarmos o nosso histórico, ele vai se manter em operação por 30, 40, 50 anos…..e daí, quando estiver no final do final de sua vida estendida, será recebido um substituto. Países como a Suécia, não param nunca de desenvolver e aprimorar suas defesas.

Adriano RA

Aqui concordo totalmente. Essas empresas estão já há muito tempo desenvolvimento a tecnologia que estará madura daqui a 10-20 anos. Vendem hoje o que desenvolveram no passado. O que precisamos aprender é a fazer as perguntas certas. Quais tecnologias serão importantes daqui a 20 anos? Não sabemos… Estamos fadados a pagar pela “transferência” de tecnologias de ontem, achando que nos darão uma pista sobre as tecnologias de amanhã. Mas não dão.

Last edited 6 meses atrás by Adriano RA
Nilton L Junior

A conjuntura é muito dinâmica, sou mais otimista, o Gripen vai cumprir seu papel na FAB, muito provável que ao final da entrega do último lote a FAB já tenha um estudo o substituto.

Marcos Cooper

Quanta besteira. Com certeza os suecios estão tristes por depender somente da SAAB. Já pensou se não é exatamente isso que eles desejam? Alem disso,já faz muito tempo a FAB segue o padrão americano de nomenclatura dos EUA.. O F-103 se espelhava na série Century,assim como o AH-2 Sabre,T-27/AT-29,KC-390 entre outros.

Flanker

Só uma pequena correção: é A-29, sem o T.

Marcos Cooper

*Suecos! Kkkkk
Maldito teclado.
Explica seu argumentinho pros suecos, talvez eles compreendam seu erro histórico ao apostar na SAAB. Quem sabe eles considerem a opinião de um comentaristazinho de terceiro mundo sobre o que é melhor para sua Defesa. Vai lá,tenta a sorte.

JT8D

Poxa Roberto, coitadinha da França então, que só tem a Dassault. E a Russia, que está completamente dependente da Sukhoi! Eu acho que o único pais que atende os seus requisitos é a gringolândia, com a Boeing e a Lockheed. Que surpresa!

Rodrigo M

Roberto,

“O mesmo acontece na Rússia, com divisões como a Yakovlev, Beriev, Mikoyan,Tupolev, Myasishchev, Ilyushin, etc; todas unidas para criar um só conglomerado, mas que, individualmente, conservam toda uma capacidade industrial para atender qualquer demanda de projeto.”

Baseado em que você pode afirmar isso? Fontes?
Não é uma critica, apenas uma pergunta sincera.

Segundo: Quantos países com 10 milhões de habitantes possuem uma empresa como a SAAB? Quem dirá duas..

rui mendes

A França só têm a Dassault, e a Airbus???

Wellington Góes

Bom, bonito e barato… Faz o mesmo, por menos, com o novos MS-21, pra quê gastar mais com o E?! Ainda mais se precisar fazer uma modernização com muitos sistemas do ‘E’…
Tinha e ainda tem quem acredita que haverá um novo lote de Gripen E pela Flygvapnet… São 60 e olhe lá….
AMX-2….
Depois o “Eu te disse, não te disse?!”.
Brasileiro é muito “ixperto”…

Alex prado

São aeronaves praticamente novas, com alguns aviônicos bem interessantes. A aviação de combate está aposentado cada vez mais rápido os caças.

henrique

me corrijam se eu estiver errado, mas os suecos já chegaram a operar mais de 200 gripens…..

Reportagens especiais

‘DC-3 Affair’: o caso do avião espião sueco abatido pelos soviéticos

Por Alexandre Galante Em 13 de junho de 1952, um C-47 (versão militar do famoso DC-3) da Força Aérea Sueca,...
- Advertisement -
- Advertisement -