Home Aviação Militar Atualização de software no drone MQ-9 duplica a capacidade de Hellfires

Atualização de software no drone MQ-9 duplica a capacidade de Hellfires

1885
44

Um drone MQ-9 Reaper em 10 de setembro dobrou sua capacidade de mísseis, carregando oito mísseis Hellfire AGM-114 pela primeira vez, graças a uma nova atualização de software.

O 556th Test and Evaluation Squadron da USAF voou com o Reaper na Base Aérea de Creech, Nevada, demonstrando a nova capacidade que faz parte do MQ-9 Operational Flight Program 2409 — uma atualização que será colocada em campo até o final do ano civil, de acordo com para um release da 53rd Wing. Com a nova capacidade, o Reaper pode transportar dois mísseis em cada uma das quatro estações. Também é compatível com bombas de 500 libras ou tanques de combustível.

“A história provou a capacidade do MQ-9 de fornecer continuidade aérea e suporte de ataque para as forças aéreas e terrestres durante a contra-insurgência e apoio aéreo aproximado”, disse o tenente-coronel Michael Chmielewski, comandante do 56th Test and Evaluation Squadron, no lançamento. “Dobrar o poder de fogo desta aeronave de alta autonomia com Hellfires melhora a letalidade e agilidade do MQ-9 em muitas funções de combate, com um arsenal de armas altamente versáteis, precisas e de baixo efeito colateral para todos os Comandantes Combatentes.”

Os novos requisitos do Comando de Combate Aéreo e do Comando de Operações Especiais da Força Aérea impulsionaram o desenvolvimento da nova capacidade. Com a capacidade adicional, as tripulações serão capazes de melhorar sua habilidade de alvos dinâmicos enquanto também defendem pessoal isolado, disse Chmielewski.

O Hellfire AGM-114 é a arma chave para a frota de aeronaves pilotadas remotamente da Força Aérea dos EUA e é regularmente usada em operações de combate ao terrorismo. É o primeiro míssil disparado por um RPA Predator em 2001, quando o nome da aeronave foi alterado de RQ-1 para MQ-1 para refletir o papel de multimissão do avião.

FONTE: Air Force Magazine

Subscribe
Notify of
guest
44 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jagdverband#44
Jagdverband#44
1 mês atrás

Barbudinhos de sandálias e AK47 não gostaram da notícia.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
1 mês atrás

Sou fã desse Drone, muito bonito e letal, poderiamos dizer que ele é o melhor do mundo dentro das suas aplicações em combate?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Pelo que a sabe é sim.

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

Não sei se é o MELHOR do mundo, mas o MQ-9 já se tornou uma plataforma relativamente barata e capaz elem de ser bastante eficiente quando empregado naquilo que a plataforma se propõe

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
1 mês atrás

Aqui está meu sobrinho caçula, na fábrica de pilotos da USAF.
Nós conversamos muito de drones, e a tecnologia não vista pelo público está ao menos 10 anos adiante.
Já o adverti; “Eu troquei tuas fraldas, não posso te chamar de Sir” 😂

https://www.facebook.com/122453658852/posts/10158071139493853/?extid=0&d=n

https://www.facebook.com/122453658852/posts/10158071139493853/?extid=0&d=n

smichtt
smichtt
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

A família deve estar muito orgulhosa.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  smichtt
1 mês atrás

Bastante. O irmão gêmeo dele também estava lá, mas por um problema de saúde não pode prosseguir. Agora é piloto em uma linha aérea regional.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

O fenômeno “drone” existe desde de 1945, porém tinha o nome de RC (rádio Control).
O impressionante dos Stones de hoje é sua capacidade de inteligência artificial, não necessitando de quase nenhuma intervenção humana.
Aqui no Brasil é que vivem achando que é tecnologia “alienígena”.
Deve ser por causa do atraso intelectual de nossa sociedade !

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Isso tem muitíssimo a ver com o “brain drain”, aonde os engenheiros e técnicos mais capacitados, verdadeiros gênios e visionários simplesmente deixam o Brasil devido às condições reinantes lá, levando consigo todo o conhecimento para o exterior. Já conheci vários.

Abs

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Moita, eu não tô acreditando é nessa presteza do pessoal da USAF. Entraram contato pra perguntar e depois voltaram pra responder o comentário. Aqui se a gente manda um email para perguntar sobre alguma coisa que tá sendo para pôr nós mesmos nem recebemos respostas

Captura de Tela 2020-10-09 às 19.17.11.png
Leitor da Trilogia
Leitor da Trilogia
1 mês atrás

Como é possível duplicar a capacidade de carga apenas modificando o software, sem mudanças estruturais?
Alguém me explica essa mágica por favor.
Boa tarde.

Gus Talking
Gus Talking
Reply to  Leitor da Trilogia
1 mês atrás

Capacidade de carga (física) sempre houve, ele sempre foi capaz de suportar mais peso, o problema é que o programa só conseguia lidar com X ameaças ao mesmo tempo, agora é 2X. Muito provavelmente a atualização inclui a substituição do processador original por um mais poderoso.

Leitor da Trilogia
Leitor da Trilogia
Reply to  Gus Talking
1 mês atrás

Boa noite Gus, isso quer dizer que a aeronave estava sendo sub-utilizada até hoje em relação a capacidade total de carga, ou pode ter sido intencional anunciar uma menor capacidade no início, por algum motivo qualquer. E sobre a capacidade do processador e dos programas, penso que eles já possuiam a muito tempo tecnologia capaz de lidar com muito mais alvos simultaneamente, até porque de modo geral não precisa de tamanha capacidade de processamento para apenas 4 ou 8 alvos, difícil pensar que eles já não tinham essa tecnologia quando essa aeronave entrou em operação. A capacidade de gerenciar múltiplos… Read more »

Helio Mello
Helio Mello
Reply to  Leitor da Trilogia
1 mês atrás

Provavelmente o problema não era nem peso nem a capacidade de processamento interno em si, mas o link de dados. Deve haver muita perda de dados no link e ele deve ser bem enxuto, limitando a quantidade de informação que pode trafegar de forma eficiente, sendo prioritário o sistema de navegação em detrimento ao restante. Se for isso, um novo algoritmo de compactação de dados reduz o problema e vai em linha ao anunciado.

Salim
Salim
Reply to  Gus Talking
1 mês atrás

Gus, não vejo esta relação pesoxsoft. Acredito que upgrade foi mais radical e não noticiado.

Salim
Salim
Reply to  Leitor da Trilogia
1 mês atrás

Boa pergunta, também fiquei curioso. Acredito que noticia vem bem depois e nunca saberemos real capacidade equipamento USA.
Gostaria de ver algo semelhante FAB.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Salim
1 mês atrás

Salim, eu também. O 1°/12° GAV já possui uma experiência doutrinária muito grande na operação de ARP. E, por meio do nosso satélite SGDC e data link, já operamos em qualquer parte do território nacional. Só fico pensando em quem lançaríamos um Hellfire, em tempos de paz. Traficantes? Bandidos nos morros cariocas? Garimpeiros ilegais na Amazônia? Complicado…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

ó fico pensando em quem lançaríamos um Hellfire, em tempos de paz. Traficantes? Bandidos nos morros cariocas? Garimpeiros ilegais na Amazônia? Complicado”…….. eu não acredito que li isso de você.. vou te parafrasear: pra quê Gripen? em tempos de paz, vamos usar eles contra traficantes? Bandidos nos morros cariocas? garimpeiros ilegais na amazônia? complicado.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Com o GRIPEN você cumpre Defesa Aérea, até contra narcotráfico. Mas, um ARP com míssil? Pensa um pouco. Não que seja desnecessário, mas, só vamos atirar no estande.

Salim
Salim
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Caro Rinaldo, obrigado resposta, boa informação. Espero que nunca precisemos de nada, porem melhor garantia para náo ter guerra e estar pronto para guerra. Poderíamos ter alguns ativos e treinados, seria um ótimo argumento diplomático rsss.

Cleber
Cleber
1 mês atrás

O q era bom , vai ficar ainda melhor . Obs : Acorda FAB esse e o presente e futuro .

Guacamole
Guacamole
1 mês atrás

Sabe, as vezes penso que a FAB não investe em drones armados pra ter uma justificativa pra utilizar os Super Tucanos (sendo que drones tem forças e fraquezas diferentes do que o ST e não o substituiriam mas complementariam).
Pode ser miopia minha, mas uma plataforma que voa por mais de 12 horas armada até os dentes e por um preço camarada me parece algo que deveríamos estar desenvolvendo há tempos…..

Notem que estou falando particularmente de drones ARMADOS. Os normais nos já temos (mesmo que tenham sido comprados de fora).

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

O futuro do ataque ar-solo está justamente na tecnologia de drones, alguns como o Global Hawk com capacidade de permanência no ar e autonomia quase infinitas. O conflito do Karabakh por exemplo, está servindo como proving grounds para os sofisticados sistemas de drones de ataque ao solo desenvolvidos na guerra da Síria.
Aí podemos ver como um país preparadissimo nesse quesito está arrasando as forças inimigas com enxames de drones controlados remotamente, os quais simplesmente não podem ser combatidos eficientemente com artilharia AAA, e a tecnologia de signal jamming também possui limitações.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

O ST tem algum míssil ar-terra ou anti-tank integrado?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Concordo com você. Mas, agora, em tempos de paz, vamos lançar um Hellfire em quem? Nos morros cariocas?

Guacamole
Guacamole
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

E vai querer desenvolver um correndo em tempos de guerra?
Sabe quanto tempo e dinheiro precisa pra fazer qualquer produto moderno?
Se fosse rápido assim, os Argentinos tinham ganho a guerra das Malvinas desenvolvendo mísseis como se fossem McDonalds.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

É Coronel, nesse caso, também discordo do Sr. Se for esperar a guerra estar iminente para adquirir esse tipo de material, não haverá tempo. Assim como todo material militar com capacidade de ataque, terá o uso dual. Preparado para o combate mas empregado em missões não ofensivas. Assim como os drones que possuímos, seria usado, além da criação de doutrina, em missões de monitoramento. De toda forma, prefiro ir pelo caminho do Atobá, e encomendar, à empresa fabricante, brasileira, um kit com mísseis e foguetes. Mas, sou fã do MQ9. Pra mim, uma das armas mais formidáveis e úteis na… Read more »

Rafael M. F.
Rafael M. F.
1 mês atrás

A FAB tem algum estudo para implantação futura de UCAV? Ia dar um baita Up em áreas como a Região Amazônica e nosso litoral, para missões de vigilância e ataque.

Bruno
Bruno
Reply to  Antunes 1980
1 mês atrás

Tenho certeza que a FAB irá fazer o que sempre se faz por aqui, olhar o drone dos caras, falar “Olha, parabéns! Vamos ali comprar drone de Israel e você que se vire pra vender o seu! Tchauzinho!”

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Bruno
1 mês atrás

É possível Bruno. Mas espero que não. Seria uma burrice muito grande não comprar e alavancar esse produto, que terá capacidades maiores e preço menor que o Hermes.

Vi em uma matéria que o Atobá terá o valor de U$ 8 milhões no kit, que é formado por dois drones e uma central. O Hermes custou cerca de U$ 25 milhões, se não me engano, num pacote com 04 drones e uma central.

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Esse é um excelente instrumento de defesa e ou ataque, vigilância , comunicações etc. Infelizmente aqui no Brasil somos tão atrasados que até hoje não adquiriram o Falcão Avibras, agora tem o Atobá da Estela tecnologias , tinha o caçador da Avionics Brasil. Isso para não falar no radar SAR que estava sendo desenvolvido para vants pela antiga Obrsat, o míssil M.A.S 5.1 do CTEX que seria um “Hellfire-1” nacional. A briga entre PF e FAB, sendo que a última impediu a PF de operar seus vants , com ameaças de derrubada dos mesmos caso os colocassem no ar. Chegando… Read more »

Bruno
Bruno
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Cabe também lembrar da dificuldade que o exército está tendo para ter permissão de ter suas próprias aeronaves, a FAB deve cagar de medo de perder verbas, daí os caras preferem ficar de briguinha de bairro, triste! O EB não pode ter suas aeronaves de transporte pq o FABinho não deixa, tem ciuminho.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Bruno
1 mês atrás

Isso já foi comentado em outras matérias. Vai lá ler e conhecer melhor o assunto.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

A FAB operou os Heron como quis. Só não teve competência pra mantê-los.

Salim
Salim
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Policia federal,FAB deve estar colocando eles operacionais.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Sei! Vou fingir que acredito Cel. Nery.
A notícia foi muito difundida na época do caso.
Saber se do infeliz pensamento bairrista de nossas FAA,s.
MB proibi uma guarda costeira por medo de perder royalties, a FAB proíbe aviação de asas fixas no EB e MB , e assim segue o carnaval corporativista nacional !
Ser um excelente profissional é também reprimir e condenar quando há erros na força.
E não passar a mão na cabeça sempre!

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

EUA de olho no que tá acontecendo entre Armenia X Azerbaijão, e correram pra aumentar a capacidade de mísseis de seus drones…

Salim
Salim
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Quando sai na mídia eles estão operacional a anos.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

não acredito nisso, uma mudança de software em equipamento caro, que pode comprometer seu uso, não é feito da noite para o dia.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
1 mês atrás

Tenho certeza que o que está acontecendo no conflito da Armênia x Azerbaijão abriu os olhos dos comandantes das forças armadas do Brasil, que logo menos vão adquirir drones para as três forças, o exército já começou utilizando na amazônia alguns dias atrás, e o interessante é que é nacional. Aguardo boas notícias em breve.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Tem certeza disso? Tenho a impressão que nossos comandantes militares estão dormindo em berço esplêndido assim como a população em geral. Só vejo militar brasileiro engajado em conseguir recursos quando é pra custeio de pessoal. Estamos chegando ao final do segundo ano de governo e não houve NENHUM projeto que beneficiasse as forças armadas em termos de material. NENHUM. O governo com mais militares desde a redemocratização e simplesmente não há NADA para as forças armadas. Só um corporativismo enojante e antipatriótico que, enquanto toda a sociedade se unia e entendia a necessidade de reformar a previdência, foram lá e,… Read more »

Zorann
Zorann
1 mês atrás

Ai a gente vê os conflitos a Armenia e no Azerbaijão…. os drones fazendo a festa… e nós aqui temos quantos drones mesmo? Algum deles é armado?

Para vocês verem como estamos atrasados. E estamos falando da Armenia e Azerbaijão..

Bruno
Bruno
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Kkkkkkk… perder pra Armenia e Azerbaijão é triste, só o Brasil é capaz de tal feito! Somos sempre os primeiros a sermos os últimos.