Home Aviação de Caça FOTOS: Caças Gripen e F-5M em Gavião Peixoto (SP)

FOTOS: Caças Gripen e F-5M em Gavião Peixoto (SP)

9774
125

A Força Aérea Brasileira publicou mais fotos em seu Flickr da chegada do Gripen à planta industrial da Embraer em Gavião Peixoto (SP) no dia 24 de setembro.

Além do primeiro caça Gripen brasileiro, aparecem os dois F-5M da FAB que o receberam na chegada.

Subscribe
Notify of
guest
125 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jadson Cabral
Jadson Cabral
26 dias atrás

Senhores, alguém sabe o que são aquelas protuberancias nos intakes na ponta dos canards? Parece algum tipo de sensor óptico passivo. Atrás, perto do motor, tbm tem.

Last edited 26 dias atrás by Jadson Cabral
Guilherme Poggio
Reply to  Jadson Cabral
26 dias atrás

Bom dia Jadson Cabral
.
Parte do sistema MAWS. Discutimos sobre ele na live mais recente (link abaixo)
.
https://www.youtube.com/watch?v=UAImy3vLX3s&t=1694s

Major Tom
Major Tom
26 dias atrás

Sem Palavras ! Incrível esta aeronave ! Que venha mais do que apenas 36 caças. O Brasil precisa ser superior, uma potencia militar de alto nível na América do sul e latina !

”Não é preciso ter olhos abertos para ver o sol, nem é preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovão. Para ser vitorioso você precisa ver o que não está visível”
SUN TZU

Last edited 26 dias atrás by Major Tom
Allan Lemos
Allan Lemos
26 dias atrás

Por quê o F-5 precisou de paraquedas para pousar?

Guilherme Poggio
Reply to  Allan Lemos
26 dias atrás

Allan Lemos, além de ser muito fotogênico, o uso do paraquedas reduz o consumo das pastilhas de freio. Gavião Peixoto tem uma pista longa e não precisa de muitos recursos para frear nela.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Guilherme Poggio
26 dias atrás

Obrigado pela resposta.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Guilherme Poggio
26 dias atrás

Olá Poggio. Após a abertura do paraquedas e da desaceleração, o F5 solta o paraquedas na pista, ou ele é recolhido pelo próprio avião? Imagino que ele seja facilmente redobrado no compartimento após o pouso, mas haveria algum risco dele se abrir na decolagem, como aconteceu com o reverso do avião da TAM em Congonhas, que derrubou o Fokker na decolagem?

mark s
mark s
Reply to  Camargoer
26 dias atrás

ele libera o paraquedas na pista e o mesmo é recolhido por uma equipe no solo.

Camargoer
Camargoer
Reply to  mark s
25 dias atrás

Obrigado Mark.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Camargoer
25 dias atrás

Recolhido pela manutenção, de viatura.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Rinaldo Nery
25 dias atrás

Olá Cel.Nery. Obrigado.

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Guilherme Poggio
26 dias atrás

Sim, certamente, mas é um recurso que não é mais utilizado em caças de gerações mais recentes.

JSilva
JSilva
Reply to  Funcionario da Comlurb
26 dias atrás

Pelo menos o Su-57 ainda utiliza, e usa dois.

JSilva
JSilva
Reply to  JSilva
26 dias atrás

Os F-35 da Noruega também, para pouso em condições de gelo, mas estavam tendo problemas, não sei como está agora.

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  JSilva
26 dias atrás

Curioso, não sabia disso. Legal!

Teropode
Reply to  Funcionario da Comlurb
24 dias atrás

Mais recente do que o J20 , F35 , SU57 só o 6g solitário que voou meses atrás , mas até ele carrega o para quedas .

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Alexandre Galante
26 dias atrás

Obrigado pela resposta.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Allan Lemos
26 dias atrás

Elaborando as respostas do Poggio e Galante, caças antigos como o F-5 possuem velocidade de pouso mais alta, logo precisam de mais pista para parar, ou apelam para o paraquedas. Já a geração do Gripen pode voar mais lento. Ele em especial possui um modo de pouso curto no sistema FBW, que move os canards, elevons e freios aerodinâmicos para grudar a aeronave no solo após o toque na pista, além de criar grande arrasto aerodinâmico, como se fosse um paraquedas de frenagem. Some-se a isso freios nas rodas semelhantes ao que se usa na F-1 (freios “de carbono”), muito… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

não depende idade do projeto, são varias variáveis. Su57, F35 como exemplo. Depende comprimento pista, vento , gelo pista ou ate economizar pastilha, pneu com menor esforco frenagem.

Rawicz
Rawicz
26 dias atrás

Uma analise de leigo, mas o fato do uso de tanques externos no F5 e a ausencia deles no F39 é justamente pelo menos consumo e maior capacidade de carga do F39, aumentando a autonomia, ou de fato os F5 estavam apenas com o tanque externo de maneira aleatória?

Soldadinho pmesp
Soldadinho pmesp
Reply to  Rawicz
26 dias atrás

É que o F-5 é perna curta mesmo

Pablo
Pablo
Reply to  Rawicz
26 dias atrás

Se nao me engano, os F-5 sairam de canoas, se realmente for isso, voaram mais, consequentemente precisaram de mais combustível, sem contar que sua autonomia é bem inferior.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Rawicz
26 dias atrás

O F-5 leva pouco combustível mesmo. Salvo engano, os tanques internos do F-5E mais o tanque ejetável ainda não tem a mesma capacidade do Gripen E só com tanques internos.

Fora o fato do motor do Gripen (GE F414) ser turbofan com FADEC (basicamente “injeção eletrônica”), mais econômico que os 2 turbojatos do F-5 (GE J85-21).

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
26 dias atrás

Belíssimas fotos, mas a primeira….
Na época das primeiras edições da Revista Força Aérea, quando quase não tínhamos internet, sempre torcia para que nas primeiras páginas das revista (notícias) tivesse matérias a respeito da escolha do novo caça da FAB. Era constrangedor ler encomendas de outras Forças Aéreas e nada da FAB.
Finalmente este momento chegou, infelizmente décadas depois.

Last edited 26 dias atrás by Funcionário da Petrobras
Maurício.
Maurício.
Reply to  Funcionário da Petrobras
26 dias atrás

Funcionário, eu tenho algumas revistas força aérea, lembro dessa novela chamada FX e depois FX-2, ainda bem que essa novela está tendo seu fim, o Gripen nunca foi o meu preferido, mas é um belo caça, para quem ainda opera F-5, será um salto enorme.
E quanto a revista força aérea, se eu não me engano, ela não é mais impressa, agora só na versão digital, é uma pena.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Maurício.
26 dias atrás

Olá Mauricio. Eu lembro de um período que eu viajava muito de ónibus entre São Paulo e o interior do estado. Eu aproveitava as paradas do ônibus para folhear e ler as reportagens da “Revista Força Aérea” e da “Flap”.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Camargoer
26 dias atrás

Olá Camargoer, eu tenho boas lembranças da RFA, principalmente entre 2002 e 2004, inclusive comprei duas em uma banca na base aérea de Canoas em 2003, num portões abertos, mais pra frente ela começou a ser distribuída trimestralmente, aí desanimei um pouco, aí eu comprava só alguns números, mas já faz alguns anos que não compro mais.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Maurício.
26 dias atrás

Ola Mauricio. Eu adoro ler livros de verdade… mas acho que revistas ficaram muito caras para serem impressas… agora vai ser tudo online mesmo… feito televisão… vai ser tudo online ou ondemand… mas gente velha como eu ainda vai preferir ler um livro deitado na rede na varanda… e dormir ouvindo passarinho

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Camargoer
26 dias atrás

O lado bom de ter a revista em modo eletrônico é a facilidade de armazenamento. Não só se ocupa espaço ínfimo dentro de algo que vc já tem, mas a possibilidade de procurar reportagens específicas sem ter que mover um monte de papel empoeirado, é uma grande vantagem.

Mas que é mais prazeiroso folhear a revista fisicamente, isso é.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Clésio Luiz
26 dias atrás

Olá Clésio. Os livros são coisas engraçadas. O cheiro de livro novo é ótimo. O cheiro de livro velho também.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Camargoer
26 dias atrás

Pô… praia com cadeirinha, guarda-sol e um copo de mate-coliformes. Livro com lapiseira na mão pra sublinhar os destaques. Óculos escuros pra patroa não ver pra onde estou olhando é fundamental.

Nesses casos também sou conservador nos costumes. Também prefiro a RFA impressa à on-line. Pena.

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  Camargoer
26 dias atrás

Eu também fazia isso, trabalhava em Barueri e aos finais de semana quando ia para casa no interior de SP, comprava as revistas Força Aerea e Defesa&tecnologia naquela banca da rodoviaria de SP, e após 6h e meia de viagem, tinha destrinchado a revista. Confesso que minha ansiedade também era essa, de ver o avião escolhido estampado na revista FA.

Abs

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Maurício.
26 dias atrás

Confesso também que o Gripen também não foi meu preferido, mas sim o terceiro, depois do Su-35 e Rafale (nesta ordem), porém, vejo hoje que foi a melhor escolha para a FAB.
O desempeno destes três caças são similares, com alguns aspectos em favor do Gripen (transferência total de tecnologia e baixo custo de manutenção).

Salim
Salim
Reply to  Funcionário da Petrobras
25 dias atrás

A meu ver o caça ate quarta geração o que importa e : raio ação , capacidade de carga. Hoje o relevante e radar aesa, contra medidas e misseis bvr com grande alcance e nez alto. Qualquer escolha quarta geração seria boa atendendo o descrito acima. O quinta geração muda equação com furtividade, vê antes, atira antes e mais próximo sem ser trackeado. Acredito ser ideal voltarmos formula antiga f5/mirage com 80 gripens e 20 f35a.

Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
Reply to  Funcionário da Petrobras
26 dias atrás

Concordo contigo colega de estatal. Mas antes tarde do que nunca.

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Funcionário dos Correios
26 dias atrás

Pois é.
Como sou funcionário da Petrobras e vi que você e outro colega da Alumrb usam nicks parecidos, adotei também, se vocês não se incomodarem.
Entrava, até então, com o nick do meu nome mesmo (Daniel).
Abraços.
Diga não à privatização!!!

Last edited 26 dias atrás by Funcionário da Petrobras
Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Funcionário da Petrobras
26 dias atrás

“É nóis” !!!!!!

Hahaha

Salim
Salim
Reply to  Funcionário da Petrobras
25 dias atrás

Também gostava da revista, hoje preço proibitivo. No resto mundo usam propaganda para reduzir preço capa e baratear custo e maior venda, com aumento venda mais propaganda. Aqui usam propaganda para aumentar lucro. Lembro que comprava similar americana que era 10% valor equivalente nacional. Sinto falta papel, ainda sou analógico.

Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
26 dias atrás

Neste mesmo dia, um f-5 veio para São José dos Campos e fez durante uns 15 minutos passagens pela base aérea.
Depois foi em sentido Rio de janeiro.

Não sei dizer se era o mesmo que participou deste evento. Más o rugido dos motores foi ouvido na cidade inteira.

Tenho vídeo inclusive.

Alexandre Pessoa
Alexandre Pessoa
Reply to  Rogério Loureiro Dhierio
25 dias atrás

Escutei em Redesende/Visconde de Mauá!

Alexandre Pessoa
Alexandre Pessoa
Reply to  Alexandre Pessoa
25 dias atrás

Ops, *Resende

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Alexandre Pessoa
25 dias atrás

A área Barreiro fica sobre Resende.

Martin
Martin
26 dias atrás

Why doesn’t it include an IRST? isn’t it a Gripen E / NG?

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Martin
26 dias atrás

Its still on test, the IRST will be installed later.

Andre
Andre
Reply to  Martin
26 dias atrás

Caramba, deve ser pandêmico. Até o pessoal de fora….

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Andre
25 dias atrás

Pois é, já foi falado “trocentas” vezes que o IRST será instalado depois.
Este avião ainda fará ensaios de voo por um ano e está em fase de testes… Como o pessoal é cansativo.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Funcionário da Petrobras
25 dias atrás

E a pintura? Hahahahahaa

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Rinaldo Nery
25 dias atrás

Pois é.

Solskhaer
Solskhaer
26 dias atrás

Pô manutenção, poderiam ao menos ter dado uma lavada no nosso velho bicudo aí, nessa imagem com o paraquedas acionado me parece que ele estava voltando da guerra. Apesar de modernizado, essa pintura já esta horrível!

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Solskhaer
26 dias atrás

Negativo Solskhaer. A pintura desgastada indica aeronave voando regularmente, que é o que interessa. Melhor do que esses caras aqui, com pintura novinha porque vivem dormindo:

comment image

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

Estão mesmo dormindo: zz..zz..zz..zz.zz

Camargoer
Camargoer
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

Olá Clesio. Sensacional. “Nada de novo no front” (qualquer coisa, me acorda).

Dario
Dario
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

Clésio, claro que a piada é com o tail code, mas se tem uma coisa que o 44th Vampire Bats não pode fazer é viver dormindo. Estão baseados em Okinawa.

Flanker
Flanker
Reply to  Solskhaer
25 dias atrás

Você se refere ao biposto, né? Se olhar o monoposto, verá que a pintura dele está mais judiada. A do biposto está normal, aquilo que parecem marcas são sombras causadas pela luz no ângulo que a foto foi feita. Mas, todos os F-5M já passaram por pelo menos uma revisão geral nível Parque após a modernização….a maioria passou por 2 dessas revisões, que são feitas a cada 1200 horas de voo, p qie equivale a 6 anos de operação, em média. Nessas revisões são desmontados e tudo é manutenido e revisado…..a aeronave tb recebe uma pintura total nova. Quando operando… Read more »

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Flanker
25 dias atrás

Flanker.
A revisão “nível parque” dos Gripens será feito pela Embraer?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Funcionário da Petrobras
25 dias atrás

Tem que perguntar pro COMGAP…

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Rinaldo Nery
25 dias atrás

Como sou morador de Santana e sonhar não custa nada, ficaria feliz se ocorresse aqui no PAMA-SP, e muitíssimo mais feliz se passassem a pousar na pista do Campo de Marte (SAO) para as manutenções.
Já a decolagem talvez não aconteceria na pista do SAO, devido aos riscos de operar uma aeronave após passar por revisão geral no meio da cidade, como já falado.

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Rinaldo Nery
25 dias atrás

Colega Rinaldo.
Ainda falando sobre a revisão nível parque, qual o implicador dos F-5s pousarem no Campo de Marte?
Creio que a extensão da pista para pouso dos Mikes é suficiente com ou sem o uso dos paraquedas.
Corrija-me, por favor, se estiver enganado.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Funcionário da Petrobras
25 dias atrás

Nunca vi F-5 pousando no Campo de Marte, mas já os vi decolando de lá.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Funcionário da Petrobras
25 dias atrás

Completamente insuficiente.

Flanker
Flanker
Reply to  Funcionário da Petrobras
24 dias atrás

As revisões do Gripen eu não sei onde serão feitas. Quanto aos F-5 operarem no Campo de Marte, nem pensar. Não é sem motivo que eles vão e voltam do PAMASP de carreta. Pista curta demais para operar os F-5.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Flanker
23 dias atrás

Olá Flanke, Pelo que lembro, as revisões do F39 serão feitas em Anápolis (e talvez em Gavião Peixoto). Faz sentido terceirizar as grandes revisões para a Embraer, considerando a extensão tecnológica e complexidade do F39.

FernandoEMB
FernandoEMB
Reply to  Rinaldo Nery
24 dias atrás

Foi e uma única ocasião quando dois F-5 decolaram de Marte… Acho que fizeram algum tipo de teste desta operação. Durante os anos que passei no Campo de Marte, essa foi a única ocasião. Sempre chegavam e saiam de carreta, as vezes montados, as vezes parecendo um kit da Revell.

Salim
Salim
Reply to  Funcionário da Petrobras
25 dias atrás

Ideal seria Pama, pois tecnologia e ferramental fica diluído sistema e qualquer dificuldade teria estes centros aptos a fazer manutenção mais pesada.

Dod
Dod
26 dias atrás

O f-39 está voando sem os tanques externo porquê não tem ou porquê não precisa ?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Dod
26 dias atrás

Olá Dod. Não precisou. Tem muitas fotos do Gripen C/D com tanque externo. Teria que procurar uma de um Gripen E, mas acho que uma foto do C/D serve para ter uma ideia.

aaaa.jpg
Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Camargoer
26 dias atrás
Dod
Dod
Reply to  Alexandre Galante
26 dias atrás

Obrigado a todos, esse novo caça está muito bom.

Salim
Salim
Reply to  Alexandre Galante
25 dias atrás

Geralmente em patrulha leva tanques externos e descartam os mesmos se houver combate. O caça tem que ter autonomia para voltar base somente com combustível interno ou reabastecer no retorno.

Salim
Salim
Reply to  Dod
25 dias atrás

O F5 utiliza tanques por segurança e para aumentar raio ação. Provavelmente tanques estão instalados e como uso constante destes caças, ficou lá. Pode ser também que F5 saiu de base mais distante. Em operação tanques garantem mais tempo combate, pois se caça entra combate a primeira coisa que faz e alijar tanques externos pois os mesmos são limitadores manobras ataque e defesa, dai caça volta somente com combustível interno.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
26 dias atrás

É a primeira matéria que não vejo ninguém brigar nos comentários kkk

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Diego Tarses Cardoso
26 dias atrás

Só falar que outro caça é supostamente melhor que essa maravilha de caça, que começa o super trunfo kkkk.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Funcionário da Petrobras
26 dias atrás

Ah vira briga kkkk

Alexandre Pessoa
Alexandre Pessoa
Reply to  Diego Tarses Cardoso
25 dias atrás

Aliás, que maravilha! Parece o fórum de uns anos atrás, onde o prazer de ler os comentários era quase igual ao das matérias!

JBorges
JBorges
26 dias atrás

Pergunta de leigo: onde está o canhão do Gripen?

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  JBorges
25 dias atrás

Ligeiramente abaixo da entrada de ar do motor.

Captura de tela 2020-10-02 120033.jpg
Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
26 dias atrás

Lindas fotos!

Parabéns a todos!

Pergunta: O canhão está instalado na aeronave? Ou aquilo que vemos é uma espécie de capa?

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Ricardo Bigliazzi
26 dias atrás

Eu acho que é mais natural que tenham removido, ou até que não tenha sido instalado ainda naquela unidade específica. Afinal, a aeronave está sendo operada por civis, e obviamente existe controle sobre armamento de uso exclusivo das forças armadas.

Mais para frente, é provável que pilotos de teste da própria FAB venham as ser os responsáveis pelo teste com armamento.

Kleber Peters
Kleber Peters
Reply to  Clésio Luiz
26 dias atrás

Mas ela já não foi entregue à FAB? Teve até cerimônia…

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Kleber Peters
25 dias atrás

A foto é dele pousando pela primeira vez na Embraer, após transporte por navio, com um piloto civil estrangeiro nos comandos. Então nada mais natural que esteja desarmado.

Não vamos ser imediatistas. Existe uma hora e um local para tudo. Eventualmente a aeronave irá concluir os ensaios e ser entregue ao esquadrão em Anápolis junto com outras. Até lá, sempre haverá um detalhe aqui ou ali que não representará a forma como ela irá operar na FAB.

Last edited 25 dias atrás by Clésio Luiz
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

Marcos Wandt é oficial da Flygvapnet.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rinaldo Nery
25 dias atrás

Não é civil.

Dario
Dario
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

Clésio, acho que não até por questão de estabilidade da aeronave. Não acredito que retirem um equipamento orgânico com essa massa apenas por que está sendo pilotado por civil, que inclusive é um profissional certificado, isso traria inclusive dados incorretos ao programa de testes. Mais fácil estar desmuniciado.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Dario
25 dias atrás

Para isso existe lastro, que são pesos que se coloca na aeronave para manter o centro de gravidade (CG) dentro da especificação.

Eu acredito que caças com grandes superfícies de controle, somados à automação do FBW, como no Gripen, sempre permitem um “passeio de CG” maior que o que se vê na aviação civil.

Dario
Dario
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

Pode ser sim. Não tenho como afirmar que está instalado, mas acho que seria um trabalho desnecessário apenas pelo fato do piloto de testes ser civil.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Dario
25 dias atrás

Pilotos de prova de aeronaves de caça TÊM QUE SER CAÇADORES, a fim de ensaiar e certificar sistemas d´armas das aeronaves ensaiadas. Não há como ser civil. Civil não conhece combate aéreo, emprego ar-solo, ar-ar, vôo em formação etc. Nunca deu um tiro ou lançou uma bomba/míssil na vida. Marcos Wandt é oficial da Flygvapnet, caçador.

Salim
Salim
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

Geralmente em translado armamento e retirado, lembrando que este gripen veio para testes de vôo e provavelmente tem vários equipamentos/sensores náo instalados.

Gabriel BR
Gabriel BR
26 dias atrás

Show!

KMLZ
KMLZ
26 dias atrás

Como o Gripen é um vetor de belas linhas, em compensação, na minha opinião, o F-5 está no top 5 de caças mais feios já fabricados!

Vilela
Vilela
26 dias atrás

Ainda não está equipada com sensores FLIR…

Andre
Andre
26 dias atrás

Deve ter fila para pilotar o grifo. Imagino a felicidade dos pilotos que estão até então no simulador.

Gus Talking
Gus Talking
26 dias atrás

Com o Gripen a FAB finalmente entrou no século 20!

Maurício.
Maurício.
25 dias atrás

Roberto, eu achei meio gambiarra essa “latinha” rebitada alí, mas se for funcional está valendo.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Maurício.
25 dias atrás

Roberto, eu confesso que nem tinha reparado nesse detalhe, até que esses dias o colega Rodrigo M comentou sobre.
Na minha opinião ficou com cara de gambiarra porque parece que não ficou bem integrado na fuselagem da aeronave, parece que ficou faltando “lata”, não sei expressar muito bem, parece um remendo mal feito.
Eu pensei que era só pelo calor, mas você falou em arrasto aerodinâmico, talvez seja por isso que ele ficou com esse design meio esquisito então.
Aqui o do Rafale:comment image?resize=354%2C354&ssl=1

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre Galante
25 dias atrás

Também acho, Galante. Essas “chapinhas” direcionam o fluxo para longe da base da deriva. As versões anteriores do Gripen não precisavam delas pq não possuem a entrada na base da deriva. Essas “chapinhas” ficaram tão sutis que eu só percebi depois que vcs falaram.

Last edited 25 dias atrás by Flanker
Maurício.
Maurício.
Reply to  Alexandre Galante
25 dias atrás

Galante, eu também pensei nisso, pode ser.

Flanker
Flanker
Reply to  Maurício.
24 dias atrás

O Gripen E 6002 tem essa aleta.

Saab-JAS-39E-Gripen-6002-3-2000x1333.jpg
Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Maurício.
25 dias atrás

Correções de última hora são mais comuns do que se pensa em aeronaves. Não fossem fotos tiradas dos protótipos, muita coisa passaria despercebida. O motivo é evitar reprojetar uma peça inteira, trazendo o ganho desejado apenas com pequenas e baratas modificações: Os P-51 e P-47 receberam extensões nas derivas após a adoção do canopi tipo bolha, por causa de perda de eficiência do leme em parafusos. O MiG-19 recebeu contrapesos na ponta dos estabilizadores por causa de vibrações; O F-8 teve acrescentadas aletas ventrais por causa de instabilidade durante o lançamento em catapultas; O F-104 recebeu uma aleta ventral para… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

Dorsal fin nos E-99 e strakes nos R/E-99.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Clésio Luiz
25 dias atrás

“é só o que me vem na cabeça”
Clésio, você é modesto rsrsrs, deu vários exemplos de cabeça, você gosta mesmo de aviação, parabéns.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Maurício.
25 dias atrás

Esse Clésio não sabe brincar. rsrs

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Rodrigo M
25 dias atrás

Claro que eu sei. Olha eu e uns colegas criando o apelido de “quadra de tênis” para o F-15:

https://pbs.twimg.com/media/EI7L93PU8AAgkYC?format=jpg

filipe
filipe
25 dias atrás

O Brasil poderia desenvolver um Gripen Bi-Motor, já que vai desenvolver um Gripen Bi-Place?

Nilo
Nilo
Reply to  filipe
25 dias atrás

Minha saudação a essa FERA (Gripen E “um momento de felicidade”) com Taurus KEPD 350 – projetado para penetrar em defesas aéreas densas. Entrega eficaz ao bandido sem direito a devolução.

Camargoer
Camargoer
Reply to  filipe
25 dias atrás

Caro Filipe. Acho se a FAB realmente desejasse um caça bi-motor, teria colocado isso na especificação do FX2. Em algum momento, a SAAB irá desenvolver o Gripen G/H ou um modelo totalmente novo. Como fez antes com o Draken e o Viggen, o Gripen poderá ser substituído por um novo modelo. Faria sentido a FAB se associar com a SAAB no desenvolvimento deste novo aparelho que seria projetado para atender aos dois países desde o início.

Nilo
Nilo
Reply to  filipe
25 dias atrás

Meu próximo sonho Felipe (congratulações), Não necessariamente um Bi, mas continuidade na aerea de pesquisa….inovação…. (Gripen F).
Uma aproximação continua da FAB com projetos de 6 geração (Tempest? Suécia?).
E um olhar para desenvolvimeto de Drones, ao invés de mais aquisição além dos 36.
Mais dezenas de gripen (70 – 100) altera consideravelmente gastos com recurso dando prioridade para o presente e não futuro. Os saltos tecnologicos estão cada vez mais curtos.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  filipe
25 dias atrás

Como o colega Camargo já comentou, se essa fosse uma especificação desejada pela FAB no momento, seria uma das exigências da concorrência.
Mas… Em tese a ideia da ToT é justamente auxiliar na capacitação da indústria nacional para no futuro ser capaz de projetar e desenvolver nossos próprios caças supersônicos de acordo com nossas necessidades.
Até lá se o “modus operandi” da FAB por algum motivo assim o exigir, teoricamente deveria ser possível. Essa é a ideia..

Adriano AR
Adriano AR
Reply to  filipe
25 dias atrás

Pensei no Twin Mustang… 🙂

Pedro
Pedro
25 dias atrás

Caramba, sonho realizado, hein?! Quem daqui era da época que a trilogia ainda tratava do finado Programa FX e já sonhávamos com SU-27, F-18 que o FHC jogo não o fez e jogou ao governo Lula e só finalizado anos bem depois.

Acho que lá pelos idos de 98 ou 99, o site era tosco, tinha o Darth Vader que postava aqui e vivia brigando com todo mundo kkkkk. E hoje chegaram os Grifos por meio do FX2.1. Abração e vida longa aos users e especialmente a trilogia!

Last edited 25 dias atrás by Alexandre Galante
Flanker
Flanker
25 dias atrás

Roberto, o E é o que está mais judiado pelo uso. O F está com a pintura mais lisa. Na foto do F tem reflexo da luz sobre a pintura e as diferentes cores somadas a isso, deixam a aeronave parecendo que esta mal cuidada.

Flanker
Flanker
Reply to  Flanker
25 dias atrás

Pois é, Roberto. Já vi esse C-105, mas o F-5F que vc falou eu não vi. Realmente tem algumas aeronaves nessas tonalidades que vc falou, já vi um C-130 assim tb. Não sei se é alguma pintura experimental ou se é algum lote de tinta que veio em tom diferente.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Flanker
25 dias atrás

Flanker, acho que o Roberto está falando desse F-5Fcomment image?resize=696%2C392&ssl=1
Eu acho que é o padrão normal da FAB, mas uma iluminação diferente deu essa mudada, deixando as cores mais pálidas.

Flanker
Flanker
Reply to  Maurício.
24 dias atrás

Obrigado, Maurício. Coincidentemente, esse é o mesmo F-5FM que escoltou o F-39. Talvez nesse caso seja algum efeito de luz, mesmo. Mas, no C-105 que eu me referi, as cores são diferentes mesmo. Nas fotos do exercício Tápio dá pra ver.

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Flanker
25 dias atrás

Sério mesmo que teve F-5F que pousou em emergência em Guarulhos? Não sabia dessa não. Quando foi?
Passa o link (site) a respeito.

Last edited 25 dias atrás by Funcionário da Petrobras
Flanker
Flanker
Reply to  Funcionário da Petrobras
24 dias atrás

É esse da foto que o Maurício postou. Observa o pneu estourado e a roda quebrada no trem principal direito.

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Flanker
22 dias atrás

Obrigado.

Nick
Nick
25 dias atrás

Vamos aguardar os futuros CRUZEX e REDFLAGs com o F-39. Acredito que vão se sair bem. 🙂

Nilo
Nilo
25 dias atrás

O caçador Marcos Wandt oficial da Flygvapnet. Caçador, foi essa a noção que Marcos deixou ao taxiar e decolar. Rapidez, prontidão, convicto e resoluto. Uma sinergia homem máquina, ele propiciou um momento expetacular com muita simplicidade.
Quanto tempo fica no Brasil?
O convio em caserna com essa figura é impagavél para nossos pilotos. Se inveja matasse!!!!
E ai trilogia vai nós deleitar com um bate papo com Oficial?????

Salim
Salim
25 dias atrás

Aeronave em uso e assim mesmo, pintura gasta e desgaste interno, alguns amassados… Só interfere estética.

Alfredo RCS
Alfredo RCS
23 dias atrás

Acredito que a mudança mais clara entre o Gripen C e o E, do ponto de vista aerodinamico (ou talvez a unica) seja o aumento do volume provocado pelo deslocamento do trem de pouso para parte das asas. Pode-se notar que na junção das asas com a fuselagem aparece um “bojudo” volume, o qual “invade” um pouco no sentido do centro da asa. Provavelmente possa ter afetado um pouco a aerodinamica, porem ganhou em espaço para combustivel e pilones. No mais, realmente acredito que, apesar de ser monomotor, essa É uma das melhores aeronaves de combate da atualiade, em todos… Read more »

Funcionário da Petrobras
Funcionário da Petrobras
Reply to  Alfredo RCS
22 dias atrás

A aparência “bojuda” da qual você referiu deve mais ao aumento do tanque do combustível em 40%, em relação ao modelo C.
Dá inclusive uma aparência de tanque conformal.