Home Aviação de Caça FAB enaltece o primeiro voo do F-39E Gripen no espaço aéreo brasileiro

FAB enaltece o primeiro voo do F-39E Gripen no espaço aéreo brasileiro

5785
58

O voo ocorreu no trajeto entre Navegantes (SC) e Gavião Peixoto (SP), nesta quinta-feira (24)

A primeira aeronave multimissão F-39E Gripen chegou ao Porto de Navegantes, em Santa Catarina (SC), no domingo, dia 20 de setembro, após ter sido transportada em um navio, de Norrköping, na Suécia.

Na madrugada do dia 22 de setembro, o F-39E Gripen foi conduzido até o aeroporto de Navegantes, local de preparação para o primeiro voo em espaço aéreo brasileiro. O acompanhamento no trajeto foi feito por militares do Grupo de Segurança e Defesa (GSD) de Canoas, Santa Maria e Florianópolis, além do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar de Santa Catarina. Outros órgãos também participaram da Clique aqui para baixar a imagem originalação: Receita Federal, Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (INFRAERO), Prefeitura Municipal de Navegantes, Fundação Municipal de Vigilância e Trânsito (NAVETRAN) e Bombeiros Voluntários de Navegantes.

O coordenador da atividade e Chefe da Subchefia de Avaliação e Doutrina do Comando de Preparo (COMPREP), Brigadeiro do Ar Sérgio Barros de Oliveira, destacou a importância da ajuda dos órgãos envolvidos. “Todos contribuíram para que a missão fosse realizada com sucesso, com total segurança”, disse.

Este F-39E Gripen é uma unidade de testes equipada com instrumentos para a continuidade da campanha de ensaios, que teve início em agosto de 2019, na Suécia. Após a preparação para o voo, realizada no aeroporto de Navegantes, o multimissão, desenvolvido em uma parceria entre Brasil e Suécia, decolou, nesta quinta-feira (24), de Navegantes (SC) para Gavião Peixoto (SP), acompanhado por duas aeronaves F-5M pertencentes ao Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação (1º/14º GAV) – Esquadrão Pampa. Dois helicópteros da FAB, um H-36 Caracal e um H-60L Black Hawk, foram mantidos de sobreaviso de Busca e Salvamento em Pirassununga (SP) e Florianópolis, respectivamente, para qualquer eventualidade.

O pouso na planta da Embraer, em Gavião Peixoto (SP), ocorreu às 15h07. A aeronave ficará alocada no Centro de Ensaios em Voo do Gripen (GFTC, do inglês Gripen Flight Test Center), uma estrutura construída para a transferência de tecnologia, suporte e atualizações no ciclo de vida da plataforma na FAB. O objetivo é que o GFTC possa apoiar, nas áreas de engenharia, trabalhos de ensaios e testes, integração e modernizações, além de atuar no desenvolvimento de softwares de evoluções do projeto.

O F-39 Gripen, nos modelos E (monoposto) e F (biposto) será a mais moderna e avançada plataforma multimissão atuando na defesa do espaço aéreo brasileiro. O avião será apresentado à sociedade em Brasília (DF), no dia 23 de outubro, data em que é comemorado o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira. Neste dia, em 1906, Alberto Santos-Dumont realizou o primeiro voo com o 14-Bis, no Campo de Bagatelle, em Paris.

O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, destacou a importância do compartilhamento de experiências por meio da cooperação entre Brasil e Suécia. “O Gripen aumenta a capacidade operacional da Força Aérea Brasileira e impulsiona uma parceria que fomenta a pesquisa e o desenvolvimento industrial dos dois países”, declarou o Ministro.

Para o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, a chegada da primeira unidade da aeronave F-39E Gripen é um grande marco para o projeto. “É uma imensa satisfação para a Força Aérea Brasileira ver esta aeronave voando em território nacional. O F-39E/F Gripen, novo multimissão da FAB, será a espinha dorsal da Aviação de Caça e veio para reafirmar o nosso compromisso em manter a soberania do País, defendendo os 22 milhões de quilômetros quadrados sob sua responsabilidade”, ressalta o Tenente-Brigadeiro Bermudez, que assinou a autorização para o primeiro voo do F-39E Gripen em espaço aéreo brasileiro.

Gripen

O Gripen é conhecido pela sua eficiência, baixo custo de operação, elevada disponibilidade e avançada capacidade tecnológica. Em diversas Forças Aéreas no mundo é o vetor responsável pela soberania e proteção da nação, realizando missões variadas, como as de policiamento do espaço aéreo em regiões críticas. O emprego dessa aeronave trará um importante salto qualitativo e tecnológico ao Brasil, com alguns dos recursos embarcados até então inéditos para a FAB.

Ainda nesse contexto, o novo multimissão será empregado nas atividades de desenvolvimento conjunto que serão realizadas no parque industrial brasileiro, por cooperação entre a Saab e as empresas nacionais selecionadas como beneficiárias no programa de transferência de tecnologia (offset). A indústria de defesa nacional está envolvida no processo de desenvolvimento de estruturas, sistemas e aviônicos, na produção, ensaios em voo e capacitação para apoiar, manter e modernizar essa frota pelas próximas décadas.

As atividades conjuntas iniciaram em 2014 com a assinatura do contrato para o desenvolvimento e produção das aeronaves Gripen E/F para a FAB, incluindo sistemas embarcados, suporte e equipamentos. As plataformas são desenvolvidas e produzidas com a participação de técnicos e engenheiros brasileiros. Essa integração faz parte da transferência tecnológica e visa a proporcionar o conhecimento necessário para a continuidade das atividades no Brasil.

Confira mais fotos do F-39E Gripen no Flickr oficial da FAB.

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joelson
Joelson
1 mês atrás

Há um impressão que vão ser integradas a FAB antes do previsto!
Sinto cheiro disso no ar…

A C
A C
Reply to  Joelson
1 mês atrás

Muito pouco provavel, caro Joelson.
Com raras excecoes projetos terminam antes do prazo. Uma vez que o cronograma de projeto eh estabelecido, cada fase deve ser completada a seu tempo.

Uma comparacao bem inadequada mas apenas para ilustrar. Voce contrata uma empreiteira para construir a sua casa no prazo de 1 ano. Eles finalmente entregam em 8 meses. Voce entraria nela alegremente ou ficaria com a pulga atras da orelha?

Eduardo Ribeiro
Eduardo Ribeiro
Reply to  A C
1 mês atrás

A questão não é essa, é o cronograma financeiro. Não dá para adiantar se o cliente não tem como adiantar o cronograma de desembolso.

Joelson
Joelson
Reply to  A C
1 mês atrás

Tendi…

Rodrigo M
Rodrigo M
1 mês atrás

Excelente, lindas fotos.. Mas um detalhe que eu percebi nesse nosso primeiro Gripen foi uma espécie de carenagem com formato parecido a uma folha, colocado ali naqueles dois espaços que se parecem saídas de ar logo atrás da cabine, nas fotos dos outros Gripen E (Pelo menos até agora) não se vê isso.. É detalhe sutil, mas eu percebi.

Tutu
Reply to  Rodrigo M
1 mês atrás

De fato, isso não estava presente quando ele estava na Suécia, seria algo relacionado com a tropicalizacão?

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Pode ser Tutu..

André Bueno
André Bueno
Reply to  Rodrigo M
1 mês atrás

Parece um direcionador de fluxo.

Rafael Cordeiro
Rafael Cordeiro
Reply to  Rodrigo M
1 mês atrás

Excelente observação, as saídas estão mais vincadas (ângulo reto) e parecem flutuar na carenagem, formando uma espécie de ponta de flecha, antes eram mais sutis.

Bueno
Bueno
Reply to  Rodrigo M
1 mês atrás

todos os Gripen tem este acabamento
comment image

Bueno
Bueno
Reply to  Bueno
1 mês atrás

comment image

Tutu
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Eu olhei pela foto do primeiro vôo do 4100, não tinha notado nos outros, obrigado.

Screenshot_20200925-125837_Google.jpg
Bueno
Bueno
Reply to  Tutu
1 mês atrás

verdade , no video de apresentação em 2019 não tinha este detalhe , bem observado
https://www.youtube.com/watch?v=v-JD-5YmmW8

Bueno
Bueno
Reply to  Tutu
1 mês atrás

da pra ver melhor neste video de ontem
em 2,54min..
https://www.youtube.com/watch?v=fNuwyGH7MSM&t=83s

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Bueno
1 mês atrás

“todos os Gripen tem este acabamento”

IMG_20190826_180540 - Cópia.jpg
Bueno
Bueno
Reply to  Rodrigo M
1 mês atrás

Sim Rodrigo, ótima observaão do Tutu, em postei reposta, mas não foi publicado .. deve ter ficado boqueado

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Verdade, curioso esses detalhes..

Bueno
Bueno
Reply to  Rodrigo M
1 mês atrás

No video de apresentação do Griepen em 2019 não tem esta proteção, este ano tanto o Gripem 4100 Brasil e 6002 da Suécia apresentam esta proteção.. Isto é bom! Significa que melhorias foram feitas,

eu postei a resposta,deve ter ficado bloqueado..

Flanker
Flanker
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Todos os Gripen…A, B, C, D……todos tem.

20200926_202816.jpg
Flanker
Flanker
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Aqui tb

20200926_202733.jpg
Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Outro

Gripen_E_Taxt-Tests - Cópia.jpg
Caio
Caio
1 mês atrás

Que seja um sucesso.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Caio
1 mês atrás

Que entreguem logo., mais 35 unidades, E acelerar estes testes.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Todo procedimento que se acelera,nunca é bom Luiz Floriano…

V12 aero
V12 aero
1 mês atrás

O que seria isso?

Screenshot_20200925-101639_Chrome.jpg
Luciano da Cunha
Luciano da Cunha
Reply to  V12 aero
1 mês atrás

APU.

V12 aero
V12 aero
Reply to  Luciano da Cunha
1 mês atrás

Obrigado

DSC
DSC
Reply to  V12 aero
1 mês atrás

De inicio até pensei que isso fossem alguns dos lançadores de chaff e flares BOP-G do Gripen E/F.
comment image
comment image

…mas acho que isso é só do lado direito da fuselagem, e parece que é só mesmo a APU que aí se encontra como o Luciano bem disse.

Last edited 1 mês atrás by DSC
DSC
DSC
Reply to  DSC
1 mês atrás

comment image
comment image

V12 aero
V12 aero
Reply to  DSC
1 mês atrás

Obrigado

Luciano da Cunha
Luciano da Cunha
Reply to  DSC
1 mês atrás

Item 88.

jas-39_gripen_cutaway_lg.jpg
FighterBR
FighterBR
Reply to  V12 aero
1 mês atrás

A maioria dos problemas do F-16 é por falta de APU. Famoso sugador de pedras.

Flanker
Flanker
Reply to  FighterBR
1 mês atrás

Como assim? O APU só é usado para acionar o motor. O F-16 ter APU, ou não, não interfere em problema de ingestão de FOD.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
1 mês atrás

Gripen NG é brasil na libertadores!

Paulo Henrique
Paulo Henrique
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Acho que essa frase é uma boa explicação para o brasileiro comum que não entende nada de equipamento militar kkkk

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Paulo Henrique
1 mês atrás

Falou pouco e disse tudo !!! kkk

groosp
groosp
1 mês atrás

Lembro quando o presidente francês veio para o Brasil e divulgaram em todo o lugar a passagem do Concorde. Eu cheguei a ver em São Paulo. Poderiam ter divulgado os horário que iriam sobrevoar as maiores cidades. Perderam uma chance de divulgação.

A C
A C
1 mês atrás

O aviao certo no lugar certo. O Gripen foi uma excelente escolha para a realidade orcamentaria brasileira. E a competencia e qualificacao da EMB eh indiscutivel. Agora deve iniciar mais uma fase pesada de testes, com milhares de itens para verificacao e aprovacao considerando tambem ambientes quentes e umidos. Resultados dos testes deverao ser passados a FAB que deve aceitar se requisitos foram alcancados ou nao. Em caso negativo, correcao e re-teste. Tecnicos da Saab (vendor) certamente estarao presentes por algum tempo para garantir agilidade nas correcoes e ajustes, alem da transferencia de conhecimento (documentacao). Por fim, quando todos items… Read more »

Dr. Mundico
Dr. Mundico
1 mês atrás

Bem, até onde eu sei, o avião ainda não pertence legalmente ao governo brasileiro, o futuro proprietário do bem. Ainda é propriedade da Saab, que obteve autorização para navegar no espaço aéreo nacional e “estacioná-lo” numa empresa associada a Força Aérea.
Apenas após a catalogação e incorporação do bem ao patrimônio da União, feita através de ato público, podemos considerar a Força Aérea como responsável pelo uso e guarda da aeronave.

Last edited 1 mês atrás by Dr. Mundico
kaleu
kaleu
Reply to  Dr. Mundico
1 mês atrás

Esse é um bom exemplo de como pensam funcionários públicos no Brasil, a burocracia é minha razão de viver …. hhhhhrrrrr

Camargoer
Camargoer
Reply to  kaleu
1 mês atrás

Caro Kaleu. Isso nada tem a ver com o pensamento de funcionário público, mas com o pensamento da empresa de seguros e da própria SAAB em ser responsável pelo avião. De quem seria a responsabilidade em caso de acidente? Se o hangar pegar fogo, a FAB teria que arcar com o prejuízo ou a SAAB construiria um novo avião sem custo? Se um funcionário do aeroporto tiver um acidente relacionado com a operação do avião ele deve acionar a SAAB ou o governo brasileiro para obter uma indenização? E se o avião cair sobre uma casa ou uma peça dele… Read more »

Antonio Santos
Antonio Santos
Reply to  kaleu
1 mês atrás

Esse é um bom exemplo do seu preconceito ao funcionalismo público e falta de conhecimento jurídico. Camargoer explicou muito bem todas as questões relacionadas à burocracia de uma aquisição da aeronave. Tá achando que um contrato bilionário de compra e venda de 36 aeronaves é por notinhas promissorias ?

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
1 mês atrás

É o avião certo sem dúvidas, somente a quantidade que não é certa para um pacote de transferência de tecnologia, no mínimo, para se justificar, o alto investimento é necessário comprar pelo menos mais 2 lotes, menos de 100 unidades não faz sentindo nenhum comprar com transferência de tecnologia e é mais inteligente fazer compra de prateleira! A conferir…

Mario SAE
Mario SAE
Reply to  Jefferson Ferreira
1 mês atrás

Jéferson, esses brinquedos custam caro. Quando entramos na brincadeira, ele ainda era um projeto, agora que recebemos o produto finalizado, vamos proceder nas avaliações, verificando se tudo que foi prometido realmente condiz com a realidade. É claro que acompanhamos atentamente o desenvolvimento deste caça, mas a hora é de testar, incorporar esse e os próximos. Dando tudo certo e confiamos que vai dar, a ideia é partir para o próximo lote.
O GF está muito confiante neste projeto, bem como em outros, que envolvem as outras Forças, projetos estes que vão melhorar significativamente a capacidade de defesa de nossa nação.

JOSE PADUA VIEIRA
JOSE PADUA VIEIRA
1 mês atrás

Alguns vão cair em,cima de mim por isso… Enaltecer a recepção de uma aeronave não deveria ser um acontecimento histórico, não que a FAB nem o Brasil mereça, mas a maioria da população do nosso pais e, acredito, que a totalidade de nossos governantes fazem tão pouco para manter as FA’s bem equipadas e preparadas que quando ocorre uma compra ou treinamento é noticiado como algo fantástico. Isso devia ser algo rotineiro, o recebimento de equipamentos novos não deveria ser um acontecimento esperado como está sendo com o Gripen, se está sendo ansiosamente aguardado, é pq houve uma lacuna na… Read more »

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
1 mês atrás

Quando decola o1º F-39F ? E porque não é F/A-39 ?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Ricardo da Silva
1 mês atrás

Olá Ricardo. Acho que você tem razão. Ou então poderia ser M-29 (de multirole). Já pensou que legal?

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Carmagoer

não vejo nada de errado com o M, mas quando você associa o M (de multirole) contra o F (de Fighter) o caça de repente parece mais inofensivo.

Pelo menos é oque rola na minha cabeça, não sei na dos demais.

Alem de que tem a padronização das siglas também.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Olá Victor. Pois é. M-39 parece código de jeep ou de morteiro. Pode-ser uma besteira, mas as forças armadas brasileiras precisam padronizar os códigos. O Departamento de Defesa dos EUA padronizou quando o McNamara foi secretário. Ele era o presidente da Ford e tentou colocar alguma ordem no DoD. Por isso é foi um erro colocar um general como ministro. Os almirantes e brigadeiros não podem se reportar a um general de hierarquia similar ou inferior. Ao colocar um civil como ministro da defesa, ele coloca os generais em igualdade hierárquica. O caso dos Sherpa mostrou que um ministro militar… Read more »

Eduardo Ribeiro
Eduardo Ribeiro
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Multirole significa apenas que é multimissão e atua em todo tipo de tempo. Não se opõe ou diverge da designação de lutador (fighter), que seria diversa de Cargo (C) ou bombers (B).

Daniel
Daniel
Reply to  Ricardo da Silva
1 mês atrás

Mais um que está procurando pelo em ovo.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Daniel
1 mês atrás

Amigo, já colocaram tanto pelo no ovo que já formaram uma peruca do tipo daquela moça da banda de forró que não lembro o nome. É “pintura”, “IRST”, a “janelinha” não sei do que, o “trem de pouso”, a “rodinha da frente”, agora a designação da aeronave, que é definição da FAB segundo critérios e não concurso de beleza. É sempre a mesma coisa. Falta de assunto não é. Acho que é falta do que pensar. Haja Rivotril

Meira Ricci
Meira Ricci
Reply to  Luiz Antonio
1 mês atrás

Mas a ausência do IRST incomoda mesmo!

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Ricardo da Silva
1 mês atrás

a denominação F/A significa Fighter/Attack, certamente cairia bem,até a designação P,de “pursuit”,como os famosos P-51 Mustang, P-47 Thunderbolt e P-38 Lightning,

Mas acho que indiferente de JAS-39 ou F-39,o nome Gripen deveria ficar…

JT8D
JT8D
1 mês atrás

Correndo o sério risco de ser chato, mas reparem na foto do Gripen voando junto aos F-5. Qual avião é mais fácil de vizualizar, o Gripen ou o F-5? E por que?

Flanker
Flanker
Reply to  JT8D
1 mês atrás

Nessa imagem, o F-5 se funde mais ao ambiente que o Gripen…….minha opinião……sei que vc vai discordar, mas…….

Imagens-da-FAB-do-primeiro-voo-do-F-39-Gripen-sobre-o-Brasil-7-681x463.jpg
Wellington
Wellington
1 mês atrás

Muito bom ter presenciado a sua decolagem em Navegantes.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Wellington
1 mês atrás

O Gripen E da Força Aérea Sueca não está com seus sistemas certificados e operacionais? O nosso deveria estar nas mesmas condições. Não faz sentido usarmos armas e sistemas diferentes.