Home Aviação de Ataque Quatro A-29 Super Tucano já pousaram nas Filipinas

Quatro A-29 Super Tucano já pousaram nas Filipinas

2575
18

MANILA – Quatro das seis novas aeronaves de apoio aéreo aproximado A-29 Super Tucano da Embraer Defesa e Segurança, que se destinam a reforçar as capacidades de apoio aéreo aproximado da Força Aérea Filipina (PAF), pousaram no sábado em Base aérea Clark  Angeles City, Pampanga.

O porta-voz do Departamento de Defesa Nacional (DND), Arsenio Andolong, disse que as quatro aeronaves pousaram na Base Aérea de Clark por volta das 13h06 enquanto os outros dois ainda estão em Nova Delhi, Índia, aguardando liberação e serão levados para as Filipinas em uma data posterior.

Os pilotos da Embraer voaram com as aeronaves do aeródromo da empresa em São Paulo, Brasil, e fizeram paradas para abastecimento nas Ilhas Canárias, Portugal, Malta, Egito, Bangladesh, Emirados Árabes Unidos, Índia, Tailândia e Vietnã antes de pousar nas Filipinas.

Andolong disse que os pilotos da Embraer treinarão os pilotos do PAF selecionados para voar no Super Tucano por dois meses, como parte do acordo do Comitê de Inspeção Técnica e Aceitação.

Os A-29s estavam programados para serem entregues antes do final de julho, mas a pandemia do coronavírus (Covid-19) e subsequentes proibições de viagens afetaram o cronograma de entrega.

As aeronaves, que farão parte da 15ª Asa de Ataque do PAF, reforçarão as demais aeronaves de ataque norte-americanas Rockwell OV-10 “Bronco” usadas pela Força Aérea em missões de ataque.

“Eles são um substituto bem-vindo e muito necessário para as aeronaves de apoio aéreo aproximado do PAF, e sua versatilidade de missão e capacidade de transportar uma variedade de munições serão muito úteis em campo”, disse Andolong.

O Super Tucano é uma aeronave turboélice projetada para ataque leve, contra-insurgência, apoio aéreo aproximado, missões de reconhecimento aéreo em ambientes de baixa ameaça, além de fornecer treinamento de pilotos.

O contrato para as seis aeronaves é de PHP 4,968 bilhões (US$ 102,5 milhões) e foi emitido no final de 2017. (PNA)

FONTE: Philippine News Agency

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Esse avião é lindo demais! Será que em um futuro terá uma versão do mesmo mais potente?

Ramon Grigio
Ramon Grigio
1 mês atrás

Alguém tem os dados de capacidade de combustível dos tanques de combustível convencionais e esses de translado?

Fernando EMB
Fernando EMB
1 mês atrás

Sim. Foi esta semana.

Cristian
Cristian
1 mês atrás

Foi sim

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 mês atrás

Os F-5E que vieram dos EUA nos anos 1970 também vieram voando. Mas tragicamente um se perdeu já por aqui na última perna da viagem, com morte do piloto.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Que mostrem serviço e sejam os primeiros de muitos!

Paulo R T Fernandes
Paulo R T Fernandes
1 mês atrás

Duas das 6 aeronaves permaneceram na Índia e devem chegar somente hoje às Filipinas.
A razão não está muito bem esclarecida.
Seria por questões técnicas ou é possível que tivessem ficado para demonstrar a aeronave aos indianos?

Diego
Diego
1 mês atrás

Boa tarde, pergunta de leigo, seria exequível uma versão navalizada do Super Tucano decolar e pousar do PHM Atlântico supondo que o navio recebesse SKY jump e cabos de parada, considerando que a veloc máxima do navio são 20 nós ?

Salim
Salim
Reply to  Diego
1 mês atrás

Diego, e possível porem acredito não valer o valor a ser gasto nesta modificação tucano e no navio. O Ocean operava com Chinok e Heli ataque Apache, pode ser utilizado o Cobra também. O Tucano teria a mesma função como CAS ( suporte ataque a tropas em campo ) de um heli de ataque. O tucano não serviria para superioridade aérea e a velocidade menor do Atlântico restringiria a capacidade de lançar tucano com condição tempo adversa ou sem vento, portanto a meu ver esta modificação, embora viável, sairia muito caro e não traria grandes benefícios táticos

Luis Natal
Luis Natal
Reply to  Diego
1 mês atrás

Diego, acredito ser impossível. A ausência de cabos de parada e formato/largura do deck não devem suportar um operação “normal”, somente aeronaves de pouso vertical!

glasquis 7
Reply to  Diego
1 mês atrás

O convoo do Atlântico não suporta esse tipo de operação. Teria que ser adaptado, como fez o Japão com um dos seus Porta Helos pra abrigar o F 35.

Além do mais, tem que realizar uma série de adaptações estruturais no A 29 pra suportar o “tranco”, tanto o da decolagem com catapulta, como o do pouso com gancho.

Glasquis7
1 mês atrás

Possivelmente o Chile faça encomendas periódicas de A 29 até completar uma frota de 30 a 36 unidades.

Aviator
Aviator
1 mês atrás

Os Mirrage 2000 da FAB vieram voando. Meu pai, Major na época fez um dos translados.

Salim
Salim
Reply to  Aviator
1 mês atrás

Aviator, pega umas historias legais na FAB do seu pai. E manda pro site pra dividir com a gente, assim resgatamos parte historia da fab. Claro se ele permitir e vc também. Abraço

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Aviator
1 mês atrás

Quem era o teu pai? Mioni? Grolla? Já eram Majores?

Teropode
1 mês atrás

Estes caças serão utilizados contra insurgentes muslins , mas a ameaça chinesa vai acabar forçando o governo filipino a propor um acordo de paz definitivo com os insurgentes , ou extermina__los na origem para focarem só na China. .

fewoz
fewoz
1 mês atrás

Está aí a solução para muitos países africanos e obviamente também, muitos latino-americanos.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
1 mês atrás

E Emirados Árabes Unidos antes da Índia. E é Ala, não ¨Asa¨.