Home Aviação de Ataque F-35: Pentágono estima que faltam US$ 10 bilhões para cobrir custos até...

F-35: Pentágono estima que faltam US$ 10 bilhões para cobrir custos até 2025

1586
48
F-35B do USMC

O plano orçamentário de cinco anos do Pentágono para o F-35 fica aquém em US$ 10 bilhões, concluiu a unidade de análise de custos independente dos militares, uma nova indicação de que o complexo caça a jato pode ser muito caro para operar e manter.

O plano do Departamento de Defesa para os próximos cinco anos fiscais exige a solicitação de US$ 78 bilhões para pesquisa e desenvolvimento, aquisição de jatos, operações e manutenção e construção militar dedicada ao F-35 construído pela Lockheed Martin Corp. Mas a unidade de análise de custos estima que US$ 88 bilhões serão  necessários.

O déficit estimado foi estabelecido em uma revisão de quatro páginas datada de 17 de junho e marcada como “Apenas para uso oficial”. O documento, obtido pela Bloomberg News, fornece a primeira estimativa abrangente até 2077 para o programa de armas mais caro do Pentágono desde que ele passou por uma grande reorganização em 2012.

O custo total do “ciclo de vida” do F-35 é estimado em US$ 1,727 trilhão em dólares atuais. Desse total, US$ 1,266 trilhão são para operações e suporte do avião avançado que é um supercomputador voador.

“Como os números de cinco anos são estimativas, não temos uma reação”, disse Brandi Schiff, porta-voz do escritório do programa F-35 do Departamento de Defesa.

O déficit projetado é “um problema a ser resolvido” durante a preparação do próximo plano de orçamento de defesa de cinco anos, disse o porta-voz do Pentágono Chris Sherwood por e-mail. “O departamento tem uma gama de opções em relação ao programa F-35 e irá considerar essas questões.”

O déficit “inclui pesquisa e desenvolvimento, construção militar, aquisição e operações e manutenção do sistema”, disse Sherwood.

Ele acrescentou que o aumento de custo projetado não é devido a qualquer grande aumento esperado no custo unitário da aeronave. Na verdade, o escritório de análise de custos projeta que o custo médio de aquisição de um F-35, incluindo seus motores, está caindo de US$ 109 milhões planejados para US $ 101,3 milhões em valores de 2012. Em contraste, descobriu que os custos estimados de suporte depois que os aviões são construídos aumentaram cerca de 7% em relação à estimativa de 2012.

Isso representará um desafio orçamentário assustador para o próximo presidente, seja Donald Trump reeleito ou derrotado pelo democrata Joe Biden.

Linha de produção do F-35
Linha de produção do F-35

O Pentágono prevê um orçamento fixo com praticamente nenhum crescimento pelo menos até o ano fiscal de 2023. Ao mesmo tempo, está acelerando a custosa modernização dos sistemas de armas nucleares, intensificando a construção naval e colocando o programa F-35 em produção plena em março próximo. O plano atual de cinco anos exige a solicitação de financiamento para 96 ​​jatos até 2025, contra 79 solicitados para o ano fiscal de 2021.

O programa F-35 “teve um bom trecho onde ficou dentro de suas estimativas de custo revisadas, mas isso mostra que os custos dos programas estão mais uma vez crescendo mais rápido do que o esperado”, disse Todd Harrison, analista de orçamento de defesa do Center for Strategic and International Estudos. Ele disse que ressalta “que o DoD está enfrentando sérios desafios orçamentários nos próximos quatro anos, independentemente de quem ganhar a Casa Branca”.

Byron Callan, diretor administrativo e analista de defesa da Capital Alpha Partners LLC, disse que “algo terá que acontecer. Se a estimativa estiver correta, o DoD pode ter que encontrar financiamento de outros programas ou cortar suas compras do F-35.”

Entre outras descobertas da unidade de análise de custos do Pentágono:

  • “Permanece a incerteza” sobre os custos de longo prazo do F-35 porque até agora os aviões voaram apenas cerca de 2% do total de horas de voo necessárias ao longo de seu ciclo de vida.
  • As razões pelas quais os custos de aquisição de aeronaves caíram “notavelmente” desde 2012 incluem a inflação que tem sido menor do que o esperado, um aumento nas vendas externas de 138 aviões, ou 18%, e taxas de contratação da Lockheed que foram menores do que o projetado.
  • O “governo deve tomar medidas para corrigir” a falta de dados suficientes para compreender os custos de manutenção dos motores Pratt & Whitney do avião.

FONTE: Star and Stripes

Subscribe
Notify of
guest
48 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gilmar
Gilmar
7 dias atrás

Quando vejo este tipo de materia falando da voracidade do programa F-35 em consumir dinheiro, me vem à mente aquele monstro que habita os centros das galáxias, chamado buraco negro, que devora tudo à sua volta.

Sergio
Sergio
Reply to  Gilmar
6 dias atrás

KKKKKKKKKKKKKK esta foi ótima Gilmar !!!!! Todo mês eles pedem Bilhões para manter o projeto…..
…..acho que é uma situação “conveniente”……….

GUILHERME NASCIMENTO
GUILHERME NASCIMENTO
7 dias atrás

“Don’t worry guys. This money will come from our brand new customer UAE.”

JDSSJúnior
JDSSJúnior
Reply to  GUILHERME NASCIMENTO
5 dias atrás

Todo vendedor acha bom quando vende seu produto, mas se o estimado da produção do F35 for mais de 2000 unidades a venda para os EAU corresponde a 2% do total, ajuda mas não resolve. A Inglaterra a todo momento revisa seu orçamento e nas últimas semanas o F35 apareceu como item de restrição orçamentária e provável corte no número total de aeronaves. Ganha ali, perde acolá…

Pablo Maroka
Pablo Maroka
7 dias atrás

Tudo que envolve defesa nos EUA é gigantesco.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Pablo Maroka
7 dias atrás

Inclusive o rombo nas contas públicas para cobrir esses gastos.
Nisso, os EUA são insuperáveis.
America first !

Agressor's
Agressor's
Reply to  Pablo Maroka
7 dias atrás

Inclusive a corrupção!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
7 dias atrás

E com isso aumentam os relatórios subestimando a força dos EUA e superestimando a força dos adversários para conseguirem mais grana. Aproveita que todo mundo esta vendo a força militar chinesa crescer e os russos apresentarem novos armamentos para exagerar um pouco para evitar cortes e conseguir grana extra para os novos projetos!

pangloss
pangloss
Reply to  Fabio Araujo
7 dias atrás

Sem falar nos projetos secretos que vão sendo financiados pelos alegados buracos no orçamento do F-35.

V12 aero
V12 aero
Reply to  pangloss
7 dias atrás

Também acho!!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Fabio Araujo
7 dias atrás

Fabio Araujo

É de conhecimento geral que a China se tornará (ou já é) a a maior potência econômica do Mundo.
Dessa forma, historicamente, é comum a potência decadente tentar evitar essa ultrapassagem por qualquer meio, inclusive com uma guerra.
Está na moda o termo ‘Armadilha de Tucídides’.
China e Rússia estão apenas assegurando que isso não vá ocorrer.
Ou seja.
Ou os EUA aceitam sua decadência e a ascensão chines ou serão pulverizados da face da Terra.

Agressor's
Agressor's
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Dizem que o PIB chinês passará o americano entre os anos de 2030 e 2032. Eu acredito que será antes, tendo em vista o plano Made in China 2025, que visa colocar a China como uma superpotência no quesito tecnologia. Quem quiser ter o controle sobre o mundo ou pelo menos estar entre as cabeças, precisa dominar a tecnologia. O país que apenas pensa em exportar commodities esta fadado a ser uma mera colônia de exploração!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Agressor's
7 dias atrás

Agressor’s.

A única opção de se considerar os EUA a maior economia é pelo câmbio.
Até as pedras sabem que a moeda chinesa é extremamente desvalorizada.
A China já é o maior produtor, consumidor ou importador de praticamente todos os produtos.
Já tem 25% da base industrial do Planeta.
E ainda, com essa pandemia, os números mais recentes mostram que as economias ocidentais vão cair cerca de 9% e a chinesa vai crescer cerca de 3%.
Teremos novidades pela frente.
E logo.

Jefferson
Jefferson
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Só falta o principal na sua análise: PNB…saber a quem pertence o PIB e não quem faz o PIB.
Se a moeda chinesa é desvalorizada é porque os chineses estão fazendo alguma manobra para isso e isso tende a explodir…qualquer pais que segura a sua moeda uma hora explode.
Quem são os donos da fabricas na China?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Jefferson
7 dias atrás

Essa é a questão.
Em que pese a China já ter a dominância em vários setores, algumas empresas não são de capital nacional.
O problema para as matrizes dessas empresas transnacionais é que elas não podem simplesmente sair da China e muito menos prescindir do mercado chinês.
Agora, temos como complicador esse processo de ascensão das empresas genuinamente chinesas que estão dominando vários mercados.
E ainda, mesmo as empresas transnacionais que necessitam da China são fontes de imensos superávits comerciais para os próprios chineses.
Ou seja: ‘Se correr o bicho pega. Se ficar o bicho come’

Jefferson
Jefferson
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

As empresas estrangeiras não pretendem sair da China porque as margens lá são enormes e porque acreditam no mercado interno chinês. Não tem nada de governo nisso, apenas capitalismo. Várias empresas genuinamente chinesas tem capital estrangeiro, basta ver hauwei, aliada, tencent etc. Aliás, olhe as cidades chinesas, sua cultura no ano de 2020 e verás que na guerra cultural eles já perderam, o único ponto a ser superado é a democracia. Não existe esse discurso político, existe só dinheiro. A nata chinesa massacra sua população em nome do seu próprio bolso. O resto é resto…pergunte a um trabalhador chinês que… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Jefferson
7 dias atrás

Esses aspectos culturais subjetivos, eu não posso avaliar.
O que eu sei, e que foi publicado essa semana, é que o investimento estrangeiro na China esse ano, até agosto, é maior que em igual período no ano passado.
E isso em plena pandemia.
Se os EUA e Trump (por enquanto) não sossegarem o facho, ficarão de fora da nova onda de prosperidade mundial que virá do Oriente.

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Chinês comum próspero é o que trabalha no Japão!A vida real como ela é!

Jefferson
Jefferson
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Isso confirma o que eu disse! Eu não estou falando de bandeiras, estou falando de dinheiro. Os chineses são escravos do dinheiro e a sua cultura praticamente não existe mais como há 40 anos.

V12 aero
V12 aero
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Q?

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

“serão pulverizados” enquanto pulverizam China, o que restou da URSS em forma de Rússia e qualquer outra coisa que for colocada pelo caminho… Deprezar o poder militar americano é um erro que você está cometendo tratando como um cachorro morto que não reagiria!
.
Sds

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Theo Gatos
6 dias atrás

Muito provavelmente haverá destruição mútua.
Mas os EUA têm de saber que isso ocorrerá e que qualquer aventura não sairá impune.

Ersn
Ersn
7 dias atrás

E difícil acreditar que fora os EUA, algum país ao médio prazo vai conseguir operar plenamente dezenas de F35 em total capacide.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Ersn
7 dias atrás

Cara!
Se vc não reparou, quase nenhum País quer operar o F-35.
Muito menos dezenas.

Marcio
Marcio
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Que mundo paralelo você vive?

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

Japão já está operando dezenas e vai operar centenas!

Andre
Andre
Reply to  Antoniokings
6 dias atrás

Se quase nenhum país quer operar o f35, nenhum país consegue operar o su57…

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Ersn
7 dias atrás

Japão e Israel!

Tutu
Reply to  Paulo Siqueira
6 dias atrás

Itália, Polônia, Reino Unido, Coreia do Sul….

Ersn
Ersn
Reply to  Paulo Siqueira
6 dias atrás

Começaram a operar poucas unidades,quero ver o custo de operação de uma frota de 100 F35 após 15 anos de operação,os Sul africanos acreditavam que poderiam manter os gripens que compraram e agora metade estar estocada.

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Ersn
5 dias atrás

Tudo dentro do seu tempo!O Japão já liberou a compra de mais de uma centena para se juntar as dezenas já existentes!Se liga!

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Ersn
5 dias atrás

Custos militares não é problema para economia japonesa quando se tem um vizinho ameaçando suas fronteiras!

Andre
Andre
Reply to  Ersn
6 dias atrás

Tirando Japão, Coréia do Sul, israel, Reino Unido, Itália, Polônia….

O avião que nenhum país consegue operar, nem uma dúzia de unidades, é o su57

Antoniokings
Antoniokings
7 dias atrás

É cilada, Bino!

Jefferson
Jefferson
Reply to  Antoniokings
7 dias atrás

É tao cilada que os chineses e russos estão gastando verdadeiras fortunas para ter a mesma CILADA. Ou tu acha que vai sair barato ter essas armas?

IBIZ
IBIZ
7 dias atrás

Alguém mais já parou pra pensar na possibilidade alguma parte do custo dos programas e projetos de defesa dos EUA ser simplesmente superfaturamento das empresas envolvidas? O lobby dessas companhias lá é muito pesado e o “tomá lá dá cá” na política deles também é mais forte do que a gente imagina.

JuggerBR
JuggerBR
7 dias atrás

Como pode esse contrato terrível com a LM nunca ser revisto? Mudar pra compra por preço fixo, sem esses reajustes sempre que surge um novo ´problema…

Sérgio Luís
Sérgio Luís
7 dias atrás

Esse canopi rosado ñ me engana!

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
7 dias atrás

Então quer dizer que o preço da aeronave caiu,mas em compensação o custo operacional aumentou?!

Podem dizer oque for mas escolher o Gripen-E foi uma boa decisão da FAB/ COPAC…



Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
7 dias atrás

Com esses custos astronômicos do F-35 “Aadvark II”, acho muito estranho essas novas vendas. Fico me perguntando se o governo dos EUA não estaria condicionando a compra do F-35 a manutenção do seu apoio militar . . . . .
Muito estranho, não?

Paulo Neves
Paulo Neves
7 dias atrás

“Quando vão solicitar verbas para novos projetos, a USAF apresenta as armas Soviéticas como modernas, letais, sofisticadas e quase insuperáveis. Quando os Congressistas, reclamam do preço real absurdo das novas armas da USAF, em comparação ao que foi orçado, afirmam que elas mais caras por que as dos Soviéticos na verdade são toscas, quase feitas a martelo e as nossas são verdadeiramente modernas. É o preço a pagar pela superioridade aérea e pela segurança do país.” Bill Gunston escreveu em um livro sobre Aviação da URSS. O texto não era este exatamente, mas o sentido é. Dá para ver que… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
7 dias atrás

Para a realidade da maioria dos países do mundo, padronizar com o F-35 é impraticável.

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Gabriel BR
7 dias atrás

Só para aliados!

Argos
Argos
Reply to  Paulo Siqueira
3 dias atrás

Como assim,Paulo? Se nem os americanos estão conseguindo manter o projeto no orçamento, imagine outros compradores aliados? Sem falar que vendas desses aviões são somente para aliados “de confiança”…

Agressor's
Agressor's
Reply to  Gabriel BR
7 dias atrás

O F-35 é a prova viva de como o lobby militar norte-americano, pode trazer enormes prejuízos ao contribuinte americano, tenho pena dessas pessoas que acham que o EUA é “incorruptível” !

João Ricardo
João Ricardo
6 dias atrás

É um excelente avião, mas seus custos de operação são proibitivos para países como o Brasil

Argos
Argos
Reply to  João Ricardo
3 dias atrás

Pelo visto, para outros países também…

m. wolf
m. wolf
5 dias atrás

que bom que faltam só 10 bi. troco de pinga