Home Aviação de Ataque Reino Unido investirá £ 317 milhões no radar AESA para o Typhoon

Reino Unido investirá £ 317 milhões no radar AESA para o Typhoon

1571
24

Os caças Typhoon da RAF serão equipados com radares de última geração graças a um investimento de £ 317 milhões, anunciou o ministro da Defesa do Reino Unido, Jeremy Quin.

O novo contrato vai gerar mais de 600 empregos e garantirá que o Reino Unido permaneça na vanguarda do desenvolvimento de tecnologia de radar.

A RAF também está um passo mais perto de colocar sua tecnologia ORCUS em vigor, que pode bloquear sinais de rádio de drones e já foi implantado com sucesso durante avistamentos de drones em aeroportos.

Confirmando a notícia no evento Defesa, Compras, Pesquisa, Tecnologia e Exportabilidade (DPRTE) 2020, o Ministro disse: “É vital que nossas Forças Armadas estejam equipadas com a mais recente tecnologia para enfrentar as ameaças emergentes de nossos adversários.

“Hoje anunciamos o investimento no que há de mais moderno em tecnologia de radar para nossos caças e novos sistemas de defesa pioneiros para enfrentar as ameaças dos drones. Isso demonstra nosso compromisso em manter a segurança no ar, ao mesmo tempo em que apoiamos empregos altamente qualificados em todo o Reino Unido.”

A aeronave Typhoon será equipada com radar de última geração graças ao investimento de £ 317 milhões, que permitirá localizar, identificar e suprimir as defesas aéreas inimigas usando interferência (jamming) de alta potência.

A integração do novo European Common Radar System (ECRS) Mk2, que é baseado na tecnologia Active Electronically Scanned Array (AESA), proporcionará uma vantagem de capacidade no espaço de batalha cada vez mais disputado.

Atualmente equipado com radar de varredura mecânica, o Typhoon é projetado para ser atualizado continuamente para atender à demanda operacional, independentemente do desafio ou da ameaça. O ECRS Mk2 permitirá que a aeronave detecte, identifique e rastreie simultaneamente vários alvos no ar e no solo nos ambientes mais desafiadores.

Planejado para estar em serviço em meados da década de 2020, o programa de desenvolvimento de radar sustentará centenas de empregos altamente qualificados, incluindo mais de 300 nas instalações de Leonardo em Edimburgo e 100 em Luton; 120 nas instalações da BAE Systems em Lancashire e 100 em suas instalações em Dunfermline, Fife; e 50 na subcontratada Meggitt em Stevenage.

FONTE: UK Ministry of Defence

Subscribe
Notify of
guest
24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Essa é uma atualização importante, os radares AESA’s geralmente tem maior alcance e sofrem menos interferências!

pangloss
pangloss
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

O problema é que o Eurofighter Typhoon tem seu desenvolvimento atrasado demais, em cada etapa.
Adaptando aquela velha frase, “o Typhoon corre o risco de se tornar obsoleto antes de estar pronto”.
E, como comentário lateral, a arte que abre a matéria conseguiu fazê-lo ainda mais feio. Não é algo simples.

Last edited 1 mês atrás by pangloss
Kemen
Kemen
Reply to  pangloss
1 mês atrás

A vantagem do acôrdo do Eurofigther foi a participação das empresas de todos os paises, que depois compraram. A outra opção européia seria comprar da França sem nenhuma participação local e a primeira versão do Rafale foi considerada inferior ao Typhon.____ Desde a informação do desejo de saida do R.U. da U.E. as coisas se complicaram, atrasando as modernizações previstas dos Eurofigther. A única vantagem do Rafale sobre o Eurofigther agora é o AESA sendo montado nas versões antigas e originando o F-3R a modernização se encerrara em 2022 para os Rafale da França. Os exportados para o Egito e… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Kemen
rui mendes
rui mendes
Reply to  pangloss
1 mês atrás

O Typhoon está tão atrasado, que actualmente é de longe o melhor caça, tirando os da 5g. Antes diziam, que com a entrada do F35 em Itália e no UK, ele seria aposentado mais cedo, mas como não podem passar por cima das informações que o dão em serviço, até á chegada do tempestade no UK e Itália, e do scaf na Alemanha e Espanha, agora está atrasado, e é feio, enfim, mas será o único caça, com 3 radares aesa diferentes, um para UK, outro para os Italianos e compradores de fora da UE, e outro para a Espanha… Read more »

pangloss
pangloss
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Rui Mendes, o aspecto estético é subjetivo, e em nada determina a eficiência de um equipamento. É opinião pessoal, e nada mais. Se temos pontos de vista diferentes, tudo bem.
Sobre ser o melhor caça, discordamos mesmo.
O consórcio Eurofighter, ao invés de somar esforços, divide-se internamente conforme interesses de cada país que o integra, com reflexos na cronologia dos desenvolvimentos necessários para que o Typhoon alcance sua máxima performance.

Kemen
Kemen
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Caro Rui, adiciono ao seu comentario sobre as 3 versões do AESA na realiudade 2 são mais modernizações feitas no AESA original dos Eurofigther do Dubai. Ou seja, é um AESA que vem sendo modernizado.___No entanto o Doppler Captor por ser um bom radar, acho eu que fez com que as Forças Aereas que já tinham adquirido o caça, pensassem em substituir o radar por um AESA com as melhores modernizações tecnológicas possiveis, e sempre analizando custos envolvidos em cada caso.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Kemen
Kemen
Reply to  pangloss
1 mês atrás

Estão desenvolvendo a segunda e a terceira versão do AESA, atrasados em que? —- – O fato de ter um AESA disponível o Mk0, a sua instalação para substituir os radares antigos não AESA, depende de cada Força Aérea de cada pais que tem o Eurofigther e também do dinheiro disponível.____ A Alemanha aposta numa versão melhorada do AESA Mk0, o AESA (Mk1) e o R. U. aposta também aposta numa versão melhorada do AESA (Mk2), cada qual defendendo suas empresas, pois o R.U. saiu da U.E._____ Nota-se que o desenvolvimento vai continuar tanto para os Eurofigther, como para novos… Read more »

Roberto
Roberto
1 mês atrás

Eu sempre acreditei que os typhoon já tivessem o radar AESA com o prato giratório a exx. do gripen E .

Mercenário
Mercenário
Reply to  Roberto
1 mês atrás

As aeronaves do Kuwait e Qatar já estão com o radar AESA, mas a versão Mk0.

Os alemães contrataram a versão Mk1, sendo acompanhados pela Espanha.

Os britânicos e italianos vão com a versão tida como mais avançada Mk2, que teria maior capacidade de guerra eletrônica.

Kemen
Kemen
Reply to  Mercenário
1 mês atrás

A versão Mk2 é um futuro desenvolvimento que o R.U. esta contratando agora e envolve o desenvolvimento apenas do sensor, o R. U. investiu a quarta parte paga no desenvolvimento total gasto com o Mk1 pela Alemanha e pela Espanha. A versão Mk1 começou a ser esenvolvida em 2014 em breve sera disponibilizado pela empresa alemã Hendsold. A Itália hoje, ainda não decidiu se vai fazer upgrade ou não, apesar da Leonardo (R.U.) e Bae Systems (R.U.) serem encarregadas do desenvolvimento de uma versão denominada agora como Mk2.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Kemen
Kemen
Reply to  Roberto
1 mês atrás

O Eurofigther não tem AESA, mas o radar é giratório e superior ao radar original do Rafale. O F-39 tem AESA, permite conexão em rede, tem ECM integrado, pode usar POD´s diversos inclusive como ECM adicional, e também posibilita uso de 6 BriteCloud também integrado na suite.
Eita diabinho monoturbinão!

Last edited 1 mês atrás by Kemen
rui mendes
rui mendes
Reply to  Kemen
1 mês atrás

O Typhoon não têm aesa??
Têm tanto como o Grippen, está a ser testado para entrar ao serviço, e terá 3 tipos de aesa, sendo o radar dos Alemães,Espanhóis e o outro dos Britânicos superior ao do Grippen E, pelo menos é o que dizem as reportagens nas revistas militares, e os Italianos parece que vão comprar o primeiro dos aesa disponível para o Typhoon, que é o da versão do koweit.

Kemen
Kemen
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Nas Forças Aéreas da Europa o Eurofigther não tem AESA instalado, mas tem um excelente Doppler.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Nostra
Nostra
1 mês atrás

Offtopic

India today successfully test fired it’s hypersonic air breathing scramjet powered cruise vehicle HSTDV .
comment image

India now becomes one of the very few countries after USA and Russia to test a hypersonic air breathing cruise vehicle in flight.

The test assumes importance because negotiations have been going on to form a exclusive club of countries who will be allowed to keep hypersonic weapons . Now it will have to include India.

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
1 mês atrás

The hypersonic cruise vehicle HSTDV was launched to an altitude of 30 km using a solid rocket motor where the aerodynamic heat shields seperated at hypersonic mach number.
comment image

The cruise vehicle seperated from the launch vehicle , the air intakes opened , the hypersonic combustion sustained and the cruise vehicle travelled along its predetermined flight path at a velocity of 6 times the speed of sound ie at 2 km/s ( Mach 6 ).

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
1 mês atrás

comment image

With the successful test flight of DRDO HSTDV , critical technologies like Aerodynamic configuration for hypersonic maneuvers , Use of scramjet propulsion for ignition , Sustained combustion at hypersonic flow , Thermo structural characterization of high temperature materials , Seperation mechanisms at hypersonic velocities , Fuel injection and auto injection of scramjet engine etc was successfully validated.

It assumes important because ignition of a scramjet engine and sustaining combustion of the same is akin to the near impossible task of lighting a match stick inside a hurricane and keep it burning inside the hurricane.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Nostra
1 mês atrás

Nostra, você é um precioso participante e seu contributo sempre enriquecedor, mas por favor algumas vezes tente escrever em português quando pretende divulgar sucessos e notícias indianas, mesmo que não seja gramaticalmente 100% correto, seria um gesto de educação, bom gosto e cortesia com seu público ( audiência) e seus anfitriões. É desagradável alem de desrespeitoso pretender que seus interlocutores( brasileiros) compreendam seu idioma , sem nem tentar um mínimo esforço de aproximação/comunicação .

Last edited 1 mês atrás by Thiago A.
Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Viralatismo clássico brasileiro que acha um pecado capital desconhecer o idioma do dominador, que pensa que o proprio pais e conterrâneos são mais estúpidos e ignorantes . Preserve sua língua e seu idioma, para você com este tipico sentimento de inferioridade, a lingua provavelmente é algo neutro e sem relevância. Meu querido não é assim. O idioma é uma ferramenta e instrumento de influencia e poder, conceitos como dominação cultural para você não fazem sentido.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Onde você viu ofensas ? Melhore sua interpretação , me responsabilizo pelos meus comentários mas certamente não é responsabilidade minha sua interpretação tendenciosa e errônea. Este é um portal brasileiro, em português, de defesa. Caso eu queira ler e escrever em italiano ou inglês vou procurar um dos vario portais que divulgam nesses idiomas. Entendeu ? Quando entro em um fórum de defesa argentino procuro escrever em espanhol, não em português. Ou quer um desnho Nando Moura? Quer algum material didático para entender a correlação entre língua e poder e seus reflexos na geopolítica ? Mas nem desenhando você entenderia… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Intolerância onde meu vovô? Onde você viu intolerância? Meu Deus, só o que faltava um fanboy do Trump querer falar de intolerância

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

“Suponhamos que ele não fale português, uma das línguas mais difíceis de se aprender.” Existe o Google translate, com um mínimo esforço quem responde e entende comentários escritos em portuguê pode tambem escrevelos, nem que sejam uma ou duas frases em português : ” olá rapazes …” Observo em continuação brasileiros que se esforçam para escrever em outros idiomas so para cumprimentar e até bajular, mas dificilmente vejo o contrário. Voce não chega na casa dos outros pretendendo que eles te entendam, é educação pelo menos um esforço, por mínimo que seja, para fazer-se entender. “Talvez ele nem tenha noção… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Nostra
1 mês atrás

Muito interessante, o Brasil tem um projeto parecido, o 14X, mas está indo lentamente, imagino que a India queira colocar ogivas nucleares nesses veículos hipersônicos, mas eles poderiam atacar satélites mais facilmente.

Nostra
Nostra
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Thanks for the information on 14x , I didn’t know about it . I downloaded some brazilian research publications on 14x . Broadly speaking as far as I understood 14x is a futuristic aerospace vehicle which is intended for hypersonic travel and in order to achieve that will incorporate 1. waverider technology for lift and 2. scramjet engine for propulsion. The concept is very interesting. I hope you guys speed it up and successfully test it as soon as possible. Also for info ISRO has the RLV -TD program inorder to test technologies for developing hypersonic vehicles with air breathing… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nostra
Kemen
Kemen
1 mês atrás

Essa versão de AESA, Mk2 é para os Eurofigther do R.U, modernização no R.U. com AESA montados no pais, a versão AESA Mk1 montada na Alemanha vai modernizar os Eurofigther da Alemanha e da Espanha, essa ultima esta decidindo se compra mais 20 Eurofigther ou não para substituir alguns F-18 antigos. Apesar da Leonardo (R.U.) estar na produção da versão Mk2 a Italia não se manifestou ainda se vai fazer upgrade dos seus e com que versão.

Last edited 1 mês atrás by Kemen