segunda-feira, outubro 25, 2021

Gripen para o Brasil

Força Aérea do Chile exibe seus F-16 com mísseis AIM-120 AMRAAM

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Em evento inédito, a Força Aérea do Chile (FACh) exibiu dez caças Lockheed Martin F-16  Block 20 MLU com mísseis AIM-120 AMRAAM C7 em um “Elephant walk”.

O feito ocorreu no dia 1 de setembro em comemoração aos 71 anos da Grupo de Aviação nº 7, localizado na Base Aérea de Cerro Moreno da V Brigada.

Este treinamento geralmente é feito para preparar esquadrões para operações de guerra e para preparar pilotos para o lançamento de aeronaves totalmente armadas em uma grande operação.

Em 2002 o Chile adquiriu 10 caças F-16 C/D Block 50+ novos da Lockheed martins, em 2005 comprou 18 F-16MLU M2 (11 F-16A e 7 F-16B) usados da Holanda e, em 2008, mais 18 F-16MLU M4.

FONTE: Defensa.com

- Advertisement -

209 Comments

Subscribe
Notify of
guest
209 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ricardo da Silva

Fico imaginando o piloto esperando a autorização para disparar um AIM-120 enquanto os oficiais superiores discutem sobre a “papelada” para justificar o disparo aos EUA.

Glasquis7

Isso é lenda e já foi debatido extensamente.

Não precisa autorização pra usar;
Não fica estocado nos EEUU;
Não vem com Chip de desativação.

Essas são as lendas militares que teimam em morrer.

Se isso fosse realmente verdade, ninguém compraria armamento americano nem eles colocariam tantas restrições pra vender.

ADRIANO MADUREIRA

Não precisa autorização pra usar;
Não fica estocado nos EEUU;
Não vem com Chip de desativação.
Essas são as lendas militares que teimam em morrer.

Se isso fosse realmente verdade, ninguém compraria armamento americano nem eles colocariam tantas restrições pra vender.

Você diz que é lenda,mas Washington quis saber se o Paquistão usou as aeronaves deles no recente encontro com os indianos…

E se usou,qual o problema?! Ou os americanos só querem que o governo de Islamabad só usem as aeronaves em desfile…

Glasquis7

Não Adriano. O problema no Paquistão não foi o uso dos caças mas sim a base desde a qual operaram. O contrato de compra dos caças do Paquistão determina que estes estejam baseados em determinadas regiões do país, justamente, pra evitar a violação do sigilo das tecnologias empregadas e no caso do incidente com a India, estes caças decolaram de uma região não autorizada no contrato. Por isso a bronca. Mas isso demonstra como é lenda essa história de que tem que pedir autorização pois deu pra ver que até os paquistaneses operam seus caças sem previa autorização do Tio… Read more »

Fernando Turatti

Se isso é verdade e ainda assim o mundo adora comprar arma americana, honestamente, é melhor jogar no lixo todos os caças e mísseis de qualquer outro país, porque só sendo um GAP absolutamente alienígena pra alguém topar essas condições.

Xerem

Fernando Turatti o mundo todo ? kkkk nem a colonia Brasil quer comprar mais se liga amigao estamos no seculo 21 !

Fernando Turatti

Dá uma olhada rapidinha na lista de exportações militares por países, depois volta pra discutir.

Cristiano de Aquino Campos

Quando você compra uma arma de um país, você compra uma aliança com o país vendedor e com o financiador.
Quem não compra dos EUA, quais alternativas que se encaixam na geopolitica desse pais?

Fernando Turatti

Você quer colocar todo país que importa dos EUA como se fossem Taiwan. Não são.

Teropode

Inútil este argumento , eles não querem entender isto .

glasquis 7

Respondi faz umas 5 horas mas os meus comentários estão ficando retidos por horas. Vou postar novamente. O problema com os paquistaneses não foi terem usado os caças mas sim desde onde operaram. O Contrato de compra entre EEUU e o Paquistão, determina que os caças sejam alocados em determinadas bases. Isto se faz pra garantir sigilo nos sistemas tecnológicos desenvolvidos por EEUU, evitando assim que seja empregada a engenharia reversa neles. Os que enfrentaram os caças da Índia decolaram desde bases não autorizadas e essa foi a bronca. Este fato comprova por si só, que depois de comprado, não… Read more »

J R

Lendas urbanas alimentada pela inveja em um época em que nem se sonhava com o Gripen E/F na FAB…

Xerem

Glasquis7 lenda nada e vdd , porem so com certos paises aqui mesmo na FAB foram comprados 20 Harpoon e desses 4 sao para treinamentos e os mesmos estao estocados na USAF, trouxa e a força e pais que aceita isso eu fosse a FAB na epoca teria arrumado um jeito de poder mexer no codigo fonte , ainda mais que as aeronaves foram modernizadas na Espanha mais infelizmente a vassalagem das FFAA aqui foi mais forte mais uma vez .

Teropode

Não é bem assim , como exemplo temos o abate do F16 pastuns feito por um Mig 21 da IAF , o Paquistão utilizou o F16 para uma incursão na área Hindu da Cachimira , tudo ficou por isso mesmo porque os Pastuns não queriam admitir que usaram os F16 temendo uma punição Americana e ao mesmo tempo os Americanos não renderam assunto para não ter que admitir que o F16 foi abatido por um caça da década de 50 , com isso o projeto F21 para os Indianos morreu .

Glasquis7

Já respondi acima que o problema aí foi a base desde a qual os caças operaram e não o uso dos caças.

glasquis 7

O problema no Paquistão não foi o uso dos caças mas sim a base desde a qual operaram.
O contrato de compra dos caças do Paquistão determina que estes estejam baseados em determinadas regiões do país, justamente, pra evitar a violação do sigilo das tecnologias empregadas e no caso do incidente com a India, estes caças decolaram de uma região não autorizada no contrato. Por isso a bronca.
Mas isso demonstra como é lenda essa história de que tem que pedir autorização pois deu pra ver que até os paquistaneses operam seus caças sem previa autorização do Tio Sam.

Bruno

A mesma lenda de que o Exército não pode comprar um MBT acima de 50 toneladas por causa das pontes e estradas. Piada que muitos ainda acreditam.

Ricardo da Silva

Glasquis7, se acalme, respire fundo e leia o que escrevi de novo.
A gora preste atenção:
1 – A autorização para o disparo é de um “superior hierárquico”;
2 – A “papelada” é pra “justificar” o disparo do míssil ao governo dos EUA.
Até onde sei, os EUA há muito tempo monitoram as armas de alta tecnologia (como os AIM-120), justamente para evitar até mesmo para evitar a engenharia reversa.

O texto é claro, não entendo os arroubos dos “Fan-boys do Tio San”

Peter nine nine

Lembro de ah uns anos atrás… Quando a força aérea português fez levantar 22 F16 simultaneamente… Não me lembro se eram mais, mas recordo o número ser superior a 20…imagem impressionante, existem fotos mas não encontro.

Silvano

O Pentágono e o Departamento de Estado devem autorizar a utilização deste armamento. É parte do contrato.

Andre

Silvano, você poderia, por favor, compartilhar o contrato de fornecimento desses mísseis ao Chile?

Muitos, eu inclusive, adorariam ver um contrato desses.

glasquis 7

Por gentileza, mostre pra nos essa clausula contratual onde diz que o uso de armamento comprado deve ser autorizado cada vez que se usa. E se possível nos diga como o senhor teve acesso ao contrato também.

Também gostaria de saber o que impede ao equipo de terra colocar o míssil no caça ou ao piloto lançar o míssil.

glasquis 7

O Pentágono e o Departamento de Estado apenas autorizam a venda. depois de entregar o armamento, não há nada que se possa fazer pra evitar que ele seja usado.

RPiletti

Glasquis, não que seja o mesmo caso de agora, mas durante o episódio da “Guerra da Lagosta”, quando nossos navios estavam por sair ou já haviam saído do RJ, alguém dos EUA tentou impedir que os navios fossem utilizados, citando alguma condição imposta em contrato… Este é um dos motivos de existirem essas lendas urbanas… “O adido naval foi logo indagado sobre o real motivo de uma audiência no meio da madrugada. O adido trazia uma mensagem do embaixador dos EUA. Este recebeu ordens diretas do Departamento de Estado para que os dois contratorpedeiros que partiram do Rio de Janeiro… Read more »

Glasquis7

Isso que vc citou é corriqueiro até os dias de hoje. Existe sim um contrato prévio que deve ser respeitado principalmente em se tratando se um contrato de empréstimo mas, como vc postou: “alguém dos EUA tentou impedir que os navios fossem utilizados, citando alguma condição imposta em contrato” Tentou mas não conseguiu. O que demonstra que nada pode ser feito pra impedir vc de usar determinado armamento depois de comprado. O que os EEUU podem fazer como muita coisa, seria não fornecer mais sobressalentes (como aconteceu com os F5 da FACh durante o governo do Pinochet) mas mesmo assim… Read more »

Andre

alguém dos EUA tentou impedir que os navios fossem utilizados” para “O Pentágono e o Departamento de Estado devem autorizar a utilização deste armamento. É parte do contrato.” existe uma distância gigantesca.

José Carlos David

Os navios não pertenciam ao Brasil, pois foram adquiridos através de leasing, estando sujeitos às exigências americanas.

Xerem

Jose Carlos David Fan boy o que voce faria no lugar do presidente do Brasil na epoca e a MB idem? E incrivel como a maioria aqui baixa as calcinhas para os EUA meu Deus do ceu nao sei nem como chamar gente assim !

glasquis 7

alguém dos EUA tentou impedir que os navios fossem utilizados, citando alguma condição imposta em contrato… “

Tentou e não conseguiu. Além do mais, eram navios que se encontravam sob contrato de empréstimo.

Mesmo assim ficou provado que não ha como impedir o uso dos armamentos.

Dan

Nossos F-5 tiger 2 são americanos e eu ( particularmente ) nunca li nenhuma notícia ou oficial da FAB comentando que precisa de autorização norte-americana para decolar. Mais sou leigo no assunto não sei se só se acontecer isso são só os EUA que faz ou se os outros fazem. Particularmente não faz sentido já que ninguém comprariam armamentos se precisassem de autorização. Próprio exemplo disso é Israel que utiliza todos seus caças em combate, imagina pedir altorização sempre que eles precisassem ir ao combate, se isso acontecer Israel não existiria mais. Mais como falei sou leigo no assunto, tanto… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Dan
Rival Sensor

Claro que essa “autorização” é besteira, tem sempre neguinho inventando coisas aqui. Bullshit.

Last edited 1 ano atrás by Rival Sensor
Xerem

Exatamente e que comece o mimimi dos fan boys kkkkk

Rogério Loureiro Dhierio

Logo mais faremos TB um Elephant Walk com nossos Gripens.

Fico imaginando o nível das próximas Cruzex.

JuggerBR

F-16 B50 x Gripen NG x Su-30… Arena BVR

glasquis 7

Os MIG do Peru também tem capacidade BVR

Rogério Loureiro Dhierio

Eu ainda acrescentaria a Colômbia com possíveis Eurofighters ou até mesmo Gripen E nesta lista ai.

glasquis 7

Eu apostaria em que a Colômbia vai de F 16

Rogério Loureiro Dhierio

É verdade. Uma possibilidade TB .

GFC_RJ

Eu também acho.
Só não arrisco qual a quilometragem terá, se 0km ou semi-novo.

glasquis 7

Acredito que seja um misto como fez a FACh. Uns 8 0K e uns 22 MLU

RPiletti

Su-30 por aqui, só em imaginação…

Rogério Loureiro Dhierio

Somente em cenários reais ou virtuais e não em exercícios como a Cruzex. Kkkkkkkkk

Guilherme Poggio

“Elefante caminando”

Rogério Loureiro Dhierio

Não vejo a hora de isso acontecer.

ADRIANO MADUREIRA

Elephant Walk?! Seja mais modesto Rogério,no máximo faríamos um anta Walk…

vai demorar até atingir um numero expressivo,se não me engano o maior número de aeronaves foi de 52 f-35,além de 60 falcons e 70 strike eagles..

Sagaz

Ou viralata walk com esse tipo de mentalidade

Rogério Loureiro Dhierio

Adriano. Se tivermos e teremos com toda a certeza, um número igual aos que fizeram o Chile, já poderia me dar por satisfeito.

JuggerBR

Percebam a vibração dos mísseis nas pontas das asas no segundo video, por isso não dá pra deixa-los lá o tempo todo, ou estragam com o tempo.

Tomcat4,2

No primeiro tbm dá pra perceber o míssil vibrando na ponta da asa.

glasquis 7

Vibração é gentileza sua. Aqueles misseis balançam junto com a assa. Até parece que vão quebrar. Deve dar um medo nos pilotos na primeira vez que pilotam com os mísseis. Imagina a luta pra compensar depois de lançar um e ficar com o outro na assa produzindo arrasto só de um lado.

Flanker

Numa arma desse tamanho, o arrasto não é tão grande a ponto de ter que controlar assim como vc falou.

Luís Henrique

Em caças é a numero 1 da América Latina.
46 F-16 com misseis AIM-120 C7.

Em segundo fica a Venezuela com 23 Su-30 e misseis R-27 e R-77 (RVV-AE). Os 19 F-16 não contam tanto pois são da década de 80, não foram modernizados e não usam AMRAAM.

Em terceiro o Brasil com 47 F-5 modernizados + misseis Derby. Apesar que o Peru possui MiG-29 modernizados com misseis R-77. Porém creio que são somente 8 aeronaves modernizadas.

No entanto, a FAB em poucos anos assumira a ponta com os 36 Gripen E/F + misseis Meteor.

Tomcat4,2

Pois é muchacho em breve a balança penderá de forma “mitológica” a nosso favor !!! 😉

RPiletti

Antes de uns bons 5 anos, negativo… Chile tem os seus F-16 operacionais a mais de década, tempo suficiente para formar tripulações e aperfeiçoamentos de táticas.
Sair de F-5 para Gripen é um salto enorme…

GFC_RJ

Somente para acrescentar vosso post…

Os Venezuelanos estão com 22 SU-30, pois um se acidentou fatalmente ano passado. Foram 2 acidentados de 24 adquiridos.
Os Falcons deles não é só um problema de falta de AMRAAM. Eles não possuem capacidade BVR alguma, nem NVG, nem REVO… nada.

O Peru está com 7 MIG-29 modernizados, pois um deles também se acidentou fatalmente ano passado ou retrasado. Não há qualquer previsão de novo lote de MLU para esses Fulcrums. Mas tem de pôr na conta dos peruanos os M-2000 que possuem.

Abraços

Silvano

Não podemos esquecer da modernização desses F-16. Imagina quando todos eles estiveram com radar AESA, IRST, antenas de EW de Nitreto de Gálio para auto defesa e data link no estado da arte??

Meu deus… não deve demorar.

Glasquis7

Acho que demora sim e quando chegue, virá sem AESA, o que me parece um bom sinal pois deverá significar que a FACh já está a procura de um novo caça que já venha com o AESA de fábrica.

RPiletti

Isto estava listado no pacote de atualização deles?

Glasquis7

O AESA não.

glasquis 7

Curioso. No caso dos F 16 do Chile ou dos SU da Venezuela, os consideramos super trunfo. No caso dos Gripen não.

Vai entender.

Luís Henrique

Essa palavra super trunfo foi utilizada pela 1a vez quando um debatedor não tinha mais argumentos para defender o seu caça preferido e é utilizada por centenas de pessoas desde então, sempre que o seu equipamento preferido é colocado em desvantagem ou em inferioridade em relação à outros.

Em vez de pesquisar, se informar e colocar um contra ponto embasado é mais fácil encerrar a discussão alegando que não passa de super trunfo.

Johnny

Salvo engano, dos 24 SU-30 venezuelanos, dois caíram com perda total das aeronaves. Seríam agora 22.

Jorge Knoll

Por isso, em organização e reaparelhamento o Chile dá de 10×0 no Brasil.

GFC_RJ

Sério?!
Com todo repeito à FACh, mas não tem qualquer vetor que o Chile possua hoje que eu deseje para a FAB.
E outra, a FACh vai muito bem obrigada com vetores Made in Brazil (Super Tucano e Bandeirulha). Sabe quando eu vou ver a FAB feliz com um vetor Made in Chile? Jamás!
De boa, eu posso admirar muita coisa que o Chile tem em relação ao Brasil, mas definitivamente Poder Aéreo não é uma delas.

Marcelo Andrade

O vinho deles é ótimo!!!! rsrsrs

glasquis 7

“a FACh vai muito bem obrigada com vetores Made in Brazil (Super Tucano e Bandeirulha)” Vc coloca isso como se o exito da FACh depende-se do Brasil. A FACh tem +/- 20 A 29 e os usa como Treinador Intermediário. Ótimo vetor mas não é a ele que a FACh deve o seu sucesso. O importante é entender que a FACh, como força aérea, na atualidade, tem as suas ameaças sob controle. Isso faz dela uma força respeitada e de sucesso. Na atualidade tem a respeitável frota ao redor de 80 caças a reação operacionais. Além disso conta com o… Read more »

GFC_RJ

“Vc coloca isso como se o exito da FACh depende-se do Brasil”. Eu não falei isso. O Sucesso ou o insucesso da FACh depende dos chilenos. Da FAB depende dos brasileiros. Da FAA depende dos argentinos. Etc. etc. O que eu disse é que o NOSSO poder aéreo é capaz de produzir e projetar os próprios vetores, que são tão bons que até a própria FACh adquiriu pra ela e está super-feliz. Já o inverso não ocorrer e nem ocorrerá. Já falei isso pra tu. Não tenho nada contra um chileno (ou de qualquer outra nacionalidade) pagando pau para a… Read more »

GFC_RJ

Só pra complementar o que disse acima… A Defesa Aérea do Chile é um desafio hercúleo! Não pelo povo, mas pela GEOGRAFIA. Embate entre forças aéreas é muito, mas muito menos combate ar-ar do que a capacidade de se atingir os centros de gravidade do oponente. Quem discorda disso não me ofenda, mas vai bater em Douhet, Seversky, Warden III etc.   O território chileno em forma de tripa não ajuda em nada sobre isso. Os principais CGs chilenos estão ao alcance de armas que nem precisam ser muito elaboradas, atiradas do próprio território argentino e também da Bolívia (este último… Read more »

Glasquis7

NOSSO poder aéreo é capaz de produzir e projetar os próprios vetores,”

Quais aviões a FAB produz?

GFC_RJ

Poder aéreo é abrangente. Vai lá em qualquer doutrina base e veja o que significa poder aéreo. A FAB é UM elemento do poder aéreo, tal qual faz parte a AFA, o CTA, a Embraer, o ITA, o cluster de SJC etc.
E sim, a FAB projeta aeronaves e tal qual a USAF, utiliza indústrias para produzí-las.

GFC_RJ

Só pra complementar o que disse acima… A Defesa Aérea do Chile é um desafio FDP! Não pelo povo, mas pela GEOGRAFIA. Embate entre forças aéreas é muito, mas muito menos combate ar-ar do que a capacidade de se atingir os centros de gravidade do oponente. Quem discorda disso não me xingue, mas vai bater em Douhet, Seversky, Warden III etc.   O território chileno em forma de tripa não ajuda em nada sobre isso. Os principais CGs chilenos estão ao alcance de armas que nem precisam ser muito elaboradas, atiradas do próprio território argentino e também da Bolívia (este último… Read more »

Salim

Tem certeza deste gasto anual Chile!? Você pode informar gastos e efetivos fach na ultima década, se for possível e náo tomar muito do seu tempo.

Salim

Obrigado, pelo que entendi o investimento em modernização, equipamentos e armamento e zero, provavelmente investimento terá outra conta. Este valor seria somente pessoal e gastos operacionais.

glasquis 7

Sim, o Chile possui um fundo especialmente dedicado ao reaparelhamento da força conhecido popularmente como Ley Reservada del Cobre.

Mas este fundo está sendo desmembrado e o sistema de reaparelhamento da força passará a ter um fundo plurianual.

Matheus

No dia que o Chile tiver um complexo aeroespacial do mesmo nível do nosso, ai sim voce pode dizer 10×0.

glasquis 7

Estamos falando de capacidade de força de combate não de desenvolvimento tecnológico.

glasquis 7

Se for assim, no dia em que o Brasil tiver uma defesa aérea que se aproxime da do Chile ou da Venezuela, aí sim podemos comparar.

Absurda a sua colocação não acha?

Marcelo Andrade

amigo, acho que só os 10 F-16 block 50 podem empregar o AIM-120 C7, os F-16 MLU não têm essa capacidade, mas posso estar enganado!!

glasquis 7

Amigo, olhe o vídeo e as fotos, leia a matéria, são 10 F 16 MLU com AIM 120 C7

rui mendes

Estás mesmo enganado.

glasquis 7

“Lembro que os EUA se recusaram a entregar um lote de mísseis comprados pelos chilenos sob a alegação de que iriam desequilibrar a balança de forças na AL,” Vc está enganado. Se os EEUU tivessem receio quanto ao desequilíbrio nas forças na região, simplesmente não autorizariam a compra. Como já foi debatido, isso é uma lenda. Existem sim restrições de uso do material de procedência americana pra algumas situações específicas estabelecidas em contratos mas, elas são apenas pra reduzir o risco de engenharia reversa sobre o desenvolvimento de armas americanas mas, todos sabemos que quem compra armamento o faz pra… Read more »

Teropode

Temem que o míssel ao atingir um Mig 21 ele não exploda e volte para o país inimigo grudado na fuzelagem , não querem repetir 1951 da Coréia .

glasquis 7

O Chile tem F 16 Block 50 ha quase 15 anos e misseis AIM 120 C7 ha 11 anos. Acho que não estão correndo atrás, muito pelo contrário.

Isso em se falando apenas de caças. Se analisar o resto…

Andre

Este é um fórum público, se não quer que um outro participante debata com você sugiro você não participar.

Andre

Então você deveria aprender melhor como funciona um fórum público, onde todos damos nossas opiniões sem que ninguém precise perguntar.

Aproveitando, o pessoal da 5° B mandou um abraço.

Flanker

Glasquis, quer vc queira, ou não, com todos os Gripen e seus armamentos entregues à FAB, ela terá uma força de caças superior em tecnologia e armas à qualquer outra da américa latina. Com os atuais, e logo ainda mais como os modernizados E-99, tb não existe nada que se compare na américa latina. Com os C-130 e mais ainda com os KC-390, não tem nenhuma outra que se compare em transporte tático na américa latina. Com os A-29, e nos números dessa aeronave que a FAB possui, não há outra Força na AL com capacidade semelhante de COIN. A… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Flanker
Glasquis7

quer vc queira, ou não, com todos os Gripen e seus armamentos entregues à FAB, ela terá uma força de caças superior em tecnologia e armas à qualquer outra da américa latin”

Eu acho que existe alguma falha na compreensão de leitura ou na forma em que eu escrevo.

Eu apenas postei que o Chile não está correndo atrás, o Chile correu atrás entre 1995 e 2005 e agora está no topo junto com a Venezuela e o Brasil.

Flanker

Acho que foi vc que não entendeu o que eu escrevi. Leia de novo a parte que eu escrevi e vc colou no seu comentário. Como todos os Gripen entregues e armados com o Meteor, a força de caças da FAB será superior à qualquer outra da América latina, incluindo a chilena e a venezuelana.
O resto que eu escrevi, sobre os outros tipos de aeronaves refere-se ao que vc escreveu no seu comentário original: “Isso em se falando apenas de caças. Se analisar O resto…”

glasquis 7

Realmente, o Parque de Aerotransportes do Chile é pequeno e se vê ainda menor devido a que, a diferença do Brasil, cada força contempla os médios que considera necesáros pra o cumplimento da sua função. Assim, os P3 e os Persuaders pertencem à ARCh, não à FACh, assim como o Exercito tem também seu esquadrão aéreo composto por Caravan, C212n CN 235. Mas, mesmo assim, o Parque de Aerotransportes da FACh é pequeno se comparado à FAB. Mas não é só de vetores que uma força se compõe. Se formos ver a parte de Armamento em misseis, a FACh conta… Read more »

Carlos Alberto Soares

Esqueceu dos 105 ?

Flanker

Nem citei, pq daí teria que citar os C-95M, C-97, C-98, C-99…..só citei os mais importantes/maiores….mas, é uma boa lembrança….temos 11 C-105 e 2 SC-105 com mais 1 encomendado

Marcelo Silveira 75

O Chile é como a França de Napoleão.
Achavam que poderia vencer a mãe Rússia, deu no que deu!

É muita hipocrisia e arrogância achar que por via bélica o Chile faz frente ao Brasil.

É muita sorte do Chile ter o Brasil como aliado, caso contrário não existiria mais Chile.
O Chile deve dar graças a ter um “inimigo” em comun com o Brasil.

Glasquis7

É muita sorte do Chile ter o Brasil como aliado, caso contrário não existiria mais Chile.”

Isso por que o hipócrita arrogante é o Chile.

Marcelo Silveira 75

Arrogância e hipocrisia é referida a sua pessoa no singular. Que bom que o país chileno não ser todo como vós. Gosto muito da Fach, do Chile e da forma como o governo pós-Pinochet, reergueu o país. Em assuntos militares sou admirador das forças armadas do seu país. Porém a crítica é quanto a sua pessoa. Bem sei que tens grande entendimento no assunto aqui vinculados. Porém se desceste do pedestal e usasse as sandálias da humildade, enriquecerá este ambiente. Moderação é bom pra todos.! Só o rebato, pois a tempos o Sr. exerce aqui no fórum sua forma de… Read more »

rui mendes

Bem dito.

RPiletti

Marcelo, sorte a deles e sorte a nossa também… chilenos são mais nossos hermanos que “aqueles” que estão próximos ao Rio da Prata…

Camargoer

Caro RPiletti. O Brasil é destino de 4,4% das exportações do Chile (US$ 3,4 bilhões), enquanto que é destino de 18% das exportações argentinas (US$ 11 bilhões, sendo o principal destino das exportações argentinas). A Argentina é o terceiro destino das exportações brasileiras (US% 15 bilhões, equivalente a 6,2% das exportações) enquanto o Chile é destino de 2,7% das exportações brasileiras (US$ 6,5 bilhões). Os argentinos são melhores parceiros comerciais que o chilenos.

Glasquis7

Os argentinos são melhores parceiros comerciais que o chilenos.”

Errado, os chilenos compramos menos que os argentinos mas pagamos e isso faz uma diferença enorme pra quem vende, pode acreditar.

Além do ,mais, os investimentos chilenos no Brasil são maiores que os da Argentina.

Camargoer

Caro Glasquis. O comércio entre o Brasil e a Argentina é maior e mais diversificado do que o comércio entre o Brasil e o Chile. A Argentina é o maior destino dos bens industrializados e máquinas e equipamentos produzidos no Brasil. Os dois países mantém um câmara de compensação que permite o pagamento das importações em moeda local. Isso significa que os argentinos compram do Brasil pagando em pesos e os brasileiros recebem em reais (e vice versa). Sobre os investimentos, seria interessante fazer esse levantamento. Fiquei bem curioso.

RPiletti

Não me refiro ao dinheiro/comércio, se for por este meio então teríamos que adotar um chinês…
Até hoje não me lembro de algum comentário sobre termos que nos cuidar frente aos chilenos, já em questão aos pratenses… nem comento…

Camargoer

Caro RPiletti. Eu afirmei que os argentinos são melhores parceiros comerciais que os chilenos. A diplomacia moderna brasileira (desde Rio Branco) foi muito eficiente em não colocar o Brasil em posição de conflito com qualquer país latino-americano. Houve um ensaio de corrida armamentista entre o Brasil e a Argentina durante os regimes militares que foi (felizmente) interrompido com a criação da ABACC durante os governos Alfosin/Sarney. Há um filme argentino “A cordilheira” que tem como pano de fundo uma conferência de cúpula dos países latino-americanos. Serve como um bom termômetro de como os argentinos vêem o papel do Brasil na… Read more »

Leandro Costa

Eu que negativei, Camargoer, mas eu explico heheheheh Não considero que o único governo brasileiro que desafinou na política externa regional tenha sido o atual. Infelizmente na era do nada saudoso Celso Amorim à frente do Itamaraty também patinamos na política externa regional. Não antagonizamos muitos, mas cedemos papel de liderança algumas vezes e entramos em empreitadas completamente um tanto surtadas que passaram longe de serem benéficas para o Brasil. Infelizmente, no caso da atual gestão, apenas trocamos o seis por meia dúzia e continuamos com uma política externa contraproducente. Tanto regionalmente quanto globalmente. Normalmente as pessoas não entendem que… Read more »

Camargoer

Olá Leandro. Se tiver chance de ver o filme, vale a pena. Sobre o duelo F39E x F16C, o palco pode ser uma Cruzex (já está no momento de organizar mais uma). Há uma diferença enorme entre os ministros que chefiaram o Itamaraty desde Vargas até Dilma, até mesmo incluindo aqueles durante o regime militar, como atual. Há motivos para elogiar e criticar o Itamaraty ao longo de todos estes anos por diversos motivos ideológicos ou políticos, mas só passei a sentir vergonha de a partir de 2019.

Marcelo Silveira 75

Sorte nossa porquê? Hipoteticamente! Em caso de conflito regional O Brasil é “auto suficiente”, talvez até sofreriamos em algumas batalhas más o resultado final é como “Tanos, inevitável” a vitória brasileira! Alemanha vs Rússia. França vs Rússia. Japão vs China. O que todos tem em comum? Não há como capitular grandes áreas territoriais dê grandes países. Porém o Chile não tem como enfrentar seus adversários sem aliança externa, em igual condição ao Brasil simples! Veja bem sua geografia cercado de desafetos. Sua força de armadas são ótimas, para defesa, más não se sustentaria por muito tempo. Lembrando que HOJE se… Read more »

Glasquis7

Porém o Chile não tem como enfrentar seus adversários sem aliança externa”

O Peru e Bolívia que o digam, duas vezes se juntaram criando alianças militares primeira se renderam em Jungay, a segunda, bom té hoje choram pelos territórios perdidos.

O Chile chegou até Lima e por anos controlou o Peru.

Aqui uma foto do palácio presidencial do Peru.

1B4A0CEA5E2D49BD67D92A49BD67A9.jpg
Marcelo Silveira 75

Nos tempo de hoje se houvesse um conflito regional meu caro.
Escrevi no comentário acima HOJE “nessa época” com letras maiúsculas.

Last edited 1 ano atrás by Marcelo Silveira 75
glasquis 7

Nos tempos de hoje, como nos tempos de antes, o Chile chegaria até Lima. As guerras tem históricos que devem ser considerados Esses históricos marcam em parte, a derrota da Argentina nas Falklands.

glasquis 7

Em 78 quando Argentina e Chile chegaram a viés de fato, quem impediu diplomaticamente o país do Peru que estava babando de entrar no conflito? Que certamente arrastaria a Bolívia!”

Aquí vc já está inventando.

O Peru não aceitou a oferta de aliança contra o Chile por que a Argentina negou aliança à Bolívia e ao próprio Peru durante a Guerra o Pacífico. Isso é oficial e existem textos sobre isto em Torre Teagle que vc pode ler.

Marcelo Silveira 75

Não estou inventando nada, essa acusação foi bem leviana! l Saiu aqui no Brasil nas manchetes televisivas, na época. “Talvez eu seja bem mais velho que vossa senhoria imagina”. A correria diplomática brasileira atuando para conter, que na hipótese do conflito de 78 atuarem Peru e Bolívia a favor da Argentina envolvesse o Brasil a favor do Chile, na qual o Brasil não estava militarmente preparado. Brasil e Argentina estavam competindo pela liderança da região, o Brasil perdendo feio. Há tempos o SNI sabia de um planos de ataque estava em planejamento, só não sabia quando e aonde, tanto que… Read more »

glasquis 7

Está juntando pedaços pra justificar a sua afirmação. O conflito entre Chile e Argentina se deu no Extremos sul do Continente em 1978. Nada tem a ver o Canberra caído em 72. Nessa época nem Pinochet tinha assumido o poder no Chile. O Peru entrou em conflito com o Chile em 1975 3 anos depois e isso se deve a uma data Histórica. A emancipação do Peru, que quis celebrar com o território perdido, reintegrado. O Conflito com a Argentina, em 1978, foi por soberania sobre a região de mar que permite o acesso ao Paífico e à Antartida. A… Read more »

Marcelo Silveira 75

Nem um momento afirmei que o Brasil mediou a situação do conflito de Chile e Argentina diplomáticamente ou com Peru. Disse que o Brasil “acomodou” o Peru (faltou um entre aspas “no diplomática)a NÃO entrar no conflito. Que caso isto ocorresse de Alianças Argentinas com os referidos o Brasil entraria ao lado do Chile. A região estava pra explodir. Vivi esse período no Brasil, todo o alarde do conflito, assim como vivi a prontidão no Sul do Brasil no conflito argentino com os ingleses. Não é, e nunca foi de uma hora para outra, que um conflito regional se desenvolve.… Read more »

glasquis 7

O Camberra perdido no Brasil foi devido a uma tempestade. O destino dele era Ezeiza mas enfrentaram uma terrível tempestade que desabilitou todos os sistemas abordo assim como colocou o voo em alto risco o que os obrigou mudar o curso às cegas sem saber onde estavam abandonaram aeronave no sul do Brasil achando que estariam ainda sobre o norte da Argentina ou o Uruguay. Dos três tripulantes apenas dois foram resgatados com vida. Nada suspeito foi encontrado na aeronave.

Teropode

Hummmm, kkkkkk, o exemplo do comércio entre países não é sinônimo de cumplicidade , como exemplo cito os Yankees e os Hans kkkkkkk, um comércio gigantesco ,com um ódio de mesmíssima dimensão .🤔🤔🤔🤔

Camargoer

Caro Terapode. A existência de relações comerciais é diferente de colaboração militar mas significa relações diplomáticas. A ausência de relações comerciais significa ausência de relações diplomáticas, portanto impossibilidade de colaboração militar. Quod erat demonstrandum

Kemen

Somos aliados do Chile? Essa é nova!

glasquis 7

Não sei se podemos chamar de aliados mas, o Chile e o Brasil tem muito boas relações, especialmente em FA’s

Kemen

Isso sim, concordo, e as nossas boas relações se extendem a outros paises sul americanos, não somente ao Chile, é tradicional na nossa politica atual em relação aos nossos vizinhos ,principalmente sendo regimes plenamente democraticos.

glasquis 7

Sim mas com o Chile são “especiais”.

De uma pesquisada.

ALLAN

A forma mais simples de poder aéreo, aonde esses F16s conseguem fazer guerra, com esses 10 Block 50, eles conseguem exercer o poder aéreo no outro lado do continente ?, essa é a principal diferença entre o Gripen do Brasil e o F16 do Chile, o Gripen vai vir com a capacidade de levar o poder aéreo na América do Sul inteira.

Glasquis7

E por que os F 16 FACh não poderiam fazer isso?

Diogo Luiz Bizatto

óin.. pecadinho.
Revolts… kkkk

Last edited 1 ano atrás by Diogo Luiz Bizatto
Kemen

Como é o treinamento dos pilotos do Chile? Quais os exercicios aéreos de combate que fazem? Participaram da Red Flag?
Não tenho essas informações, se vc tiver gostaria de saber. desde já lhe agradeço;.
Acredito que os F-5 Tiger II ainda estão operacionais no sul do Chile, os F 16 MLU de segunda mão, são a maioria dos F-16 do Chile.

Leandro Costa

A última notícia que tive sobre o treinamento Chileno é que os pilotos de caça Chilenos, por exemplos, tem o maior número de horas de vôo por ano que qualquer de seus pares sul-americanos e isso já conta bastante. Mas minhas informações são defasadas e já fazem muitos anos desde que li isso.

Kemen

Obrigado pela informação. Mas maior horas de vôo que os nossos mesmo com as antigas Cruzex de combates simulados? No que se refere a operações da FAB com aviões de carga não acredito, utilizamos o transporte aéreo bem mais que o Chile, temos mais aviões, somos a Força Aérea mais numerosa, esses vôos certamente não são exercicios de combate, são vôos reais. E as interceptações de vôos ilicitos pelos S. Tucano, são contabilizados? E as patrulhas maritimas, temos mais P-3AM que o Chile e os P-95BM. Leandro, acho que as horas de vôo as quais vc leu se referem somente… Read more »

glasquis 7

Vc sabe cuantas horas de voo Realiza a FACh por cada ano? E a FAB, poderia me dizer quantas horas de voo faz por anos? Tudo isso é conjectura e me parece mais uma disputa de “quem a tem maior” do que uma intenção de conhecer as capacidades de ambos países. A comparação nesse ponto é muito difícil de se estabelecer pois ambas forças são altamente profissionais e os requerimentos aos quais são submetidos, deviso às dificuldades de se operar em países das dimensões do Chile e do Brasil, são muito severas. Mas, pra vc ter uma noção, um oficial… Read more »

Glasquis7

“Quais os exercicios aéreos de combate que fazem? Participaram da Red Flag?” Sim “Acredito que os F-5 Tiger II ainda estão operacionais no sul do Chile, os F 16 MLU de segunda mão, são a maioria dos F-16 do Chile.” Os 12 F5 Chilenos são TIII não T II e sim, eles operam na região sul na base de Chabundo, Punta Arenas. O Chile conta com uma frota de 36 F 16 Block 20 MLU e 10 Block 50. Todos Tape 4. Os caças desta matéria são os Block 20 MLU do Grupo de Aviação No. 7 pertencentes à quinta… Read more »

Marcelo Silveira 75

O Chile já participou da Red Flag em 98 na mesma vez que o Brasil foi a primeira vez com o AMX. Inclusive a Fach um deu um show aparte na arena WVR, a sensação do momento por ter modernizado o F-5 E/F para o padrão Tiger III pela IAI(Israel Aerospace Industries) com o conjunto Dash, mísseis Python 4 e, a primeira versão do radar EL/M-2032 com uma antena menor, que a atual versão do mesmo radar hoje. Antes da ida a Red Flag, a Fach surpreendeu a os Franceses “surrando” o Mirage 2000-C, que vieram antes ao Brasil em… Read more »

glasquis 7

O Chile tem os Exercícios Huracán e Salitre. Deste último o Brasil prticípa.

Marcelo Silveira 75

Concordo.
Eu já continha esse conhecimento.
Más valeu.

Welington S.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Marcelo Silveira 75

Os 10 F-16C/D Block 50, é inegável o mais moderno e talvez o mais mortal da América Latina o terror dos Andes.
Já os F-16 do MLU, é muito bom, más não é um “bicho de sete cabeças” em letalidade, prefiro os Kfir Colombiano, com radar AESA e mísseis Derby ER, esse impõe respeito.
Entretanto a FACH é IAF da América Latina.

ALLAN

A Força Aérea chilena é muito boa, e a única que se compara com a do Brasil na América do Sul, porém é uma força aérea pequena, em um cenário de guerra onde a importância de AEW e de reabastecimento em voo é um fator decisivo, ela peca ainda, então chamar de IAF da América Latina esta um pouco longe.

Glasquis7

porém é uma força aérea pequena, em um cenário de guerra onde a importância de AEW e de reabastecimento em voo é um fator decisivo,”

Certo mas por que o Chile não poderia fazer reabastecimento em voo ou por que não poderia usar um AEW?

Glasquis7

ela peca ainda, então chamar de IAF da América Latina esta um pouco longe.”

Pergunte ao Cel Nery, que a conhece de perto e já esteve em CRUZEX em que a FAChy participou.

Marcelo Silveira 75

Allan!
Pela qualidade do material e pessoal, a FACH é muito profissional. A exemplo do minucioso país do rei Davi.
Não há o que discutir.

A lição de casa feito categoricamente, não precisa ser maior que outras força aéreas, basta suprir, cumprir as exigências de defesa do país .

Kemen

Não tem F-16 (nem o block 72) que seja superior em teoria ao F-39. Se algum colega achar que é que nos mostre o porque.

glasquis 7

Eu queria entender como um caça que nunca entrou em combate, que está no início do desenvolvimento de seu envelope aéreo e que não tem nem mesmo escala de produção, pode ser, com tanta certeza, superior ao caça mais exitoso dos últimos anos, com a maior escala de produção, com todo o seu envelope de voo desenvolvido e com uma longa experiência em combates. Outra coisa que eu queria entender é como os líderes das grandes potências do mundo podem ser tão incompetentes e jogar dinheiro fora comprando Sukhois, F 35, F 15, MIG, Euro Fighter, F 16, etc. se… Read more »

Kemen

Tenho alguns detalhes a acrescentar ao seu comentario, o F-16 Block 72 ainda não foi testado em combate também.____ A maioria é alinhada, não diria que é incompetente e em outros casos escolhem a produção de caças que envolve suas empresas ou industrias.____ Já pensou numa França comprando caças diferentes dos Rafale? ____ Já pensou em paises como Alemanha, Espanha, Reino Unido, Italia, não comprando Eurofigther (o nome diz tudo não?).____ Quem compra SU´s ou MIG´s se não paises que tem indisposição politica com o ocidente, tem receio ou mesmo bloqueios a vendas de peças e certas armas ou mesmo… Read more »

Last edited 1 ano atrás by Kemen
glasquis 7

Que o Caça é muito bom eu não discuto. Mas isso de que é superior ao F 16 acho uma conjectura leviana. O E/F apenas está no início do seu desenvolvimento .

Marcelo Silveira 75

Não há como afirmar também a superioridade do F-39 sobre o F-16 Block-72.
Tudo que se sabe é teorias, como bem escreveu.
Todo vendedor vai “puxar a brasa para o seu assado”!
Assim como o Block 72 não foi testado, o F-39 também não!
A Saab vai afirmar que o Gripen-E é o melhor, o mesmo vai fazer a Lockheed!

Porém não há dúvida que são duas “grandes” e letais aeronaves.

glasquis 7

Nesse ponto concordo com o senhor. O Gripen ainda é uma incógnita. Ele pode se mostrar similar ao F 16 como também pode se mostrar muito superior. Mas temos que esperar. Até lá. só podemos conjecturar.

glasquis 7

Achei legal o “Capacete sem Mira num  F 16 , que não tem sequer GPS nem guiagem inercial”.

Flanker

Heheheh.. ..é mesmo. Me lembrei daquele comentarista sabichão que dizia isso dos F-16MLU…..sabia “muito”…..

FighterBR

Fonte: Blogspot

Glasquis7

É por aí mesmo.

FighterBR

Incrível como a asa do F-16 é “molenga”.

Rommelqe
Flanker

As asas do F-5, por exemplo, faz a mesma coisa ….

Bueno

Parabéns ao Chile, que tem uma força aérea adequada ao seu pais.

Kemen

Também os parabenizo, para um pais pequeno e com pouca população é pensar muito na defesa da pátria e estar focado nisso.

Camargoer

Olá Colegas. Teria sido mais divertido colocarem o tema do Enri Mancini “Olha o passo do elefantinho…. veja como ele é bonitinho….” do que aquela musica tecno “Biii–ooobiii-óóó–bióó- biii–“.

Camargoer

Caro FC. Uma vez, o Galvão Bueno disse que o atrito entre os pneus dos carros da F1 e o asfalto dependia da área de contato. Eu nunca teria falado isso.

Farroupilha

Caro Camargoer continue com seus comentários. Assim ou assado.
Alguns adoram Censura… EITA!

Camargoer

Olá Farroupilha. Opinião todo mundo tem. O desafio é ter paciência. Obrigado pela amizade.

Kemen

Seus comentarios são interesantes, e vc aceita réplicas, parabéns colega.

Camargoer

Olá Kemen. Obrigado pelo apoio. Acho que bom-humor é sinal de inteligência. Muitos colegas que comentam aqui têm formações bem diferentes da minha, o que permite muito aprendizado. Alguns colegas são muito bons no que fazem. Tenho um carinho e respeito muito grande pela comunidade aqui da trilogia.

Salim

Positivo e operante.

Camargoer

TKS

Maurício.

Será que limparam bem essa pista aí? O F-16 é um excelente caça, mas é cheio de frescura com detritos na pista (FOD), em 2018 na cruzex, americanos e chilenos tiveram chiliques e teve um dia que não voaram em protesto, porque a pista supostamente estava suja.

Glasquis7

Essas pistas são zelosamente revisadas e também e por isso não operam no sul do país.

Maurício.

Glasquis7, quem usa o F-16 tem mais é que zelar por suas pistas mesmo, se não já viu né, o chilique e o protesto comem solto.

Last edited 1 ano atrás by Maurício.
Glasquis7

É só manter as pistas nas condições combinadas que ninguém dá Chilique.

Maurício.

Glasquis7, era só terem conversado com a FAB, ficou feio o chilique chileno e americano, não precisavam ficar sem voar.

glasquis 7

Essa é a sua opinião de especialista. Eu prefiro ficar com os especialistas americanos e chilenos.

Sobre chilique, bom, se vc acha que reclamar é chilique é o seu critério.

O que eu sei á só que depois disso, os responsáveis limparam a pista a contente então, esse seu “não precisavam ficar sem voar. ” é meio que difícil de considerar.

JSilva

Essa questão foi discutida na época e os motivos foram explicados. Pelo que me lembro a pista era limpada diariamente, como combinado, a questão é que Natal venta muito e rapidamente a pista saia dos critérios operacionais para o F-16 operar. É um excelente caça mas não opera em qualquer condição de pista.

glasquis 7

Então não foi chilique, a resistência a operar na pista sob essas condições tinha a sua razão.

JSilva

Sim, claro que havia razão, senão não deixariam de voar. Não duvido que este tenha sido um dos motivos do F-16 não ter passado para a fase final do FX-2, fica difícil para operá-lo desdobrado em rodovias ou aeroportos pequenos que não tenham o maquinário para uma limpeza minuciosa a todo momento, e também aumenta o custo operacional do avião, mesmo que indiretamente.

ALLAN

Todo equipamento tem suas vantagens e desvantagens, o F16 foi projetado para operar em um padrão, cabe aos operadores ver se onde eles vao operar respeita esses requisitos.

glasquis 7

Sem dúvidas, é por isso que o Chile não opera seus F 16 desde Chabunco, no sul do Chile e preferiu modernizar seus F5 TIII trocando até a “pele” das asas pra extender a sua vida útil até 2030.

JuggerBR

Não há nenhum histórico de conflito entre chilenos e brasileiros, não há porque eles se preocuparem conosco. Em termos históricos só Bolívia e Peru já foram adversários em guerra.

João Adaime

Uma pergunta para os especialistas, como o comandante Rinaldo Nery:
Para evitar o pássaro “bater asas”, o míssil não poderia ir num suporte embaixo da asa?
Obrigado antecipadamente a quem responder.

Glasquis7

Ele pode ser usado nos pilões também.

Entenda Pilões como suporte embaixo da asa.

João Adaime

Prezado Glasquis7
Obrigado pela resposta. Sobre o pilão, aqui no Brasil é usado o termo pilone. Eu usei a frase “suporte embaixo da asa” porque aqui no blog muitas pessoas que leem, ainda não dominam completamente a terminologia adequada. Então devemos facilitar para que todos possam entender.
Abraço.

Rommelqe
Rommelqe

Um dos principais problemas que um avião – em particular os caças – pode ter que enfrentar, é a chamada ressonância mecânica da asa em decorrencia de sua resposta estrutural a certas solicitações induzidas pelo fluxo aerodinâmico, Entre as diversas formas de iteração aeroelástico dinâmicas de asas com o ar, a mais relavante é aquela denominada por “flutter”. Quando se posiciona o missel na extremidade da asa, um dos modos fundamentais de vibração (frequencia natural de vibração) – que nesse caso é caracterísitica do conjunto asa+missil – é alterado o valor que poderia coincidir com a frequencia induzida e causar… Read more »

Camargoer

Olá Rommelq. Considerando que as durante o vôo, o combustível é consumido, o que deve alterar o centro de massa (não sei se caças tem tanques de combustível nas asas, ou se todos os caças tem tantas nas asas), essa mudança no centro de massa (ou até o esvaziamento dos tanques internos ás asas, se houver), chegaria ao ponto de alterar estas frequências naturais da estrutura?

Rommelqe

Ola professor: sim porque se considerarmos a equação fundamental da dinâmica as massas (da estrutura da asas mais do missil mais do combustivel e até da parcela aderida do ar (que logicamente tem valor relativo muito baixo)) contribuem para os definir auto valores. Por isso que o envelope de voo tem que ser testado em varias e multiplas condições (e até mesmo considerando a composição deste fluido, só pra voces quimicos não ficarem com inveja…rsrsrsrsr) Assim a variação de combustível tem que ser considerada, definindo-se na realidade uma “zona ” de possivel operação. Imagino que os algoritmos do Gripen devem… Read more »

Camargoer

Olá Rommelqe. Valeu. De fato, eu lembrei de algo sobre a necessidade que a FAB teve de reavaliar todo o envelope de vôo do F5M (não lembro se foram as mudanças na versão modernizada que eram muitas, se o F5E não tinha um envelope suficientemente estudado ou outro motivo). Obrigado.

Rommelqe

Olha só os tanques de combustivel de um F18…
https://www.avioesemusicas.com/wp-content/uploads/2013/05/asa-f18.jpg

Rommelqe
Rommelqe

Alias, um dos fatores que certamente foi considerado nas restrições de voo do nosso Gripen desde a Suecia até o Brasil é que provavelmente ainda nunca foi testado com tanques internos e externos totalmente carregados de produtos químicos (rsrsrsrs)

Camargoer

Olá Rommelqe. Já ensinei minha filha que está sendo alfabetizada agora que as tudo no universo tem duas coisas, massa (que pode ser percebida pelo peso) e energia (que pode ser percebida pelo movimento). Ela entendeu na hora. Depois ensinei para ela que o quente esquenta o frio (e falei que esta é a segunda lei). Bingo. Ela também sabe que as aves descendentes dos dinossauros e que existiu um peixe de quatro patas chamado tiktaalik. Há algum tempo, ela perguntou onde seria o melhor lugar para guardar um segredo. Peguntei se era em um cofre, dai ela disse que… Read more »

Salim

Senhores , em verdade, alguem tem duvida da capacidade operacional e de combate do F16!?!! Pode ser discutível nivel atualização tecnológico de cada versão, porem todas elas são extremamente letais.

Camargoer

Olá Salim. O F16 é um excelente avião. No FX, ele era um candidato muito forte. O problema relacionado ao F16 (e ao F18) é que será muito improvável que um país passe a produzi-lo localmente. Ele é uma das melhores escolhas para os países que optarem por comprar um caça pronto. No caso brasileiro (acho que indiano também), a opção é pela produção do caça. Neste caso, o F39 foi a melhor escolha. O Japão fez um amplo processo de nacionalização do F16 que resultou no Mitsubishi F2, um derivado do F16 Creio que é o Japão é um… Read more »

Salim

A realidade e esta, Chile esta bem na foto, nos estamos no teremos , seremos, etc… E urgente por pe chão e arregaçar mangas para sempre termos forcas de defesa de ponta, pelo gasto dispendido e tamanho de nosso pais. Só olhando america sul, ficamos parados e lotados de pessoal e ter Chile, Venezuela se aparelhando e se alguem tem duvida que eles vão ficar impávidos quando chegar gripen, acho que estarão se enganando. Venezuela esta trazendo misseis Irã. F39 foi ótima escolha, porem eles tem f16 e su30 a 15 anos e náo vão ficar parados.

Camargoer

Olá Salim. Acho um equívoco apostar em uma corrida armamentista na América Latina. O Brasil precisa de uma força aérea capaz de exercer uma defesa aérea contra eventuais invasões do espaço aéreo. Em segundo lugar, é preciso uma força aérea capaz de desdobramentos internacionais em missões da ONU ou em missões aliadas. Por fim, o Brasil precisa de alguma capacidade de retaliação em caso de alguma agressão ou ameaça de agressão.A capacidade de defesa aérea serviria para evitar que o espaço aéreo brasileiro seja usado como rota ou acesso de outros países em seus objetivos estratégicos ou táticos. Se a… Read more »

João Adaime

Obrigado pela aula caro Rommelqe

Rommelqe
Rommelqe
ADRIANO MADUREIRA