Home Aviação de Ataque IMAGENS: Caça KF-X da Coreia do Sul em produção

IMAGENS: Caça KF-X da Coreia do Sul em produção

4327
69

 

KF-X

Foram divulgadas novas imagens do projeto conjunto de desenvolvimento do caça KF-X da Coreia do Sul e Indonésia, conhecido como KF-X ou Korean Fighter eXperimental.

O programa KF-X da Korea Aerospace Industries (KAI) tem como objetivo a produção de cerca de 120 aviões de combate avançados para substituir os antigos F-4 e F-5 da Força Aérea da Coreia do Sul.

A DAPA iniciou o programa KF-X em 2016 como uma joint venture com a Indonésia, com a última designando a PTDI (PT Dirgantara Indonesia) para participar do projeto.

O KF-X é um caça de 4.5 geração que emprega tecnologias “stealth”, mas não alcançará o nível de furtividade dos caças de 5ª F-35/F-22 dos EUA.

A variante de lançamento do KF-X não terá uma baia interna para armas, mas a KAI incorporará a baia interna na versão “Bloco 2”. O KF-X usará dois motores turbofan General Electric (GE) F414 modificados.

O jato sul-coreano é projetado para voar a uma velocidade máxima de Mach 1.81, com alcance de voo de 2.900 quilômetros.

KF-X

Com carga útil máxima de 7.700 quilos, o caça tem 10 pontos duros para mísseis e/ou tanques de combustível. Ele será capaz de transportar vários tipos de mísseis ar-ar, como o IRIS-T da Alemanha e os mísseis MBDA Meteor.

Segundo analistas do setor, o KF-X será uma plataforma voltada para os mercados do sudeste asiático, com um custo operacional de cerca de metade do exigido para o F-35A dos EUA.

O projeto KF-X é o maior desde a fundação das forças armadas sul-coreanas, com um orçamento total de cerca de 8,8 trilhões de won (US$ 7,56 bilhões). Os governos sul-coreano e indonésio cobrem 60% e 20% do orçamento, respectivamente, enquanto as empresas de defesa sul-coreanas fazem 20% da contribuição.

Mockup do KF-X
Radar AESA do KF-X
Cockpit do KF-X

O projeto de 14 anos iniciado em 2015 é dividido em duas fases, com o desenvolvimento de sistemas para desempenho básico de voo e capacidade de combate ar-ar a serem concluídos até 2026, seguidos por armamentos adicionais para recursos de combate ar-superfície até 2028.

A revisão preliminar do projeto foi realizada em junho de 2018 e a revisão crítica em setembro de 2019. O primeiro protótipo do jato de combate KF-X deve ser lançado na primeira metade de 2021.

O primeiro voo de teste deve ser realizado em 2022. Após 2.100 voos de teste programados para serem concluídos até o primeiro semestre de 2026, a KAI produzirá seis dos primeiros caças KF-X naquele ano.

O projeto KF-X envolve um total de 112 instituições – 16 universidades nacionais, 11 institutos de pesquisa e 85 empresas. Quando o desenvolvimento do protótipo estiver em pleno andamento, mais 35 instituições se juntarão ao projeto.

Subscribe
Notify of
guest
69 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 mês atrás

Levo mais fé nesse daí do que no TF-X turco.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Clésio Luiz
1 mês atrás

Mas sem sombra nenhuma de dúvidas. Enquanto o projeto turco ainda é uma dúvida o KF-X é uma certeza. O Anildo abaixo descreveu como os coreanos (do sul obviamente) executam seus projetos.

Last edited 1 mês atrás by MMerlin
Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Clésio Luiz
1 mês atrás

Digo mais:

Levo mais fé nesse do que os projetos Europeus, tanto o da Inglaterra (Tempest) quanto o franco-alemao….

Inclusive o tal SAAB FS 2020……

E pra terminar de tirar onda, acredito que vai ter produção seriada em mais quantidade do que o Su-57…..

rui mendes
rui mendes
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Claro, dá uma espiada no relatório das 100 maiores empresas do mundo, no sector da defesa em 2020, aí verás, porque uns têm que comprar tot, enquanto outros que esses primeiros odeiam, continuam a desenvolver os seus próprios projectos.
Falam muito, mas a única Brasileira lá, é a Embraer, e no 76 lugar, e como sempre, o maior número de empresas e as maiores são as Norte Americanas, Chinesas, Europeias e Russas, por esta ordem, depois em menor número e mais para baixo neste ranking, também aparecem algumas Japonesas e Coreanas.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Sem desmerecer os coreanos, com certeza são merecedores de elogios e congratulações por todo nós ( como boa parte das tigres asiáticas fizeram e fazem o próprio dever de casa) mas o Ocidente contínua liderando e traçando as trilhas por onde eles caminham( com raras exceções) . Como bem aprontou o colega Rui Mendes. Palpite : da uma olhada no belíssimo MBT coreano e adivinha quem eles solicitaram e confiaram para dar vida ao mesmo ? Os mestres alemães. Canhão, transmissão, motor… Temos Inumeros exemplos, a partir do Surion, ou a futura cópia do Taurus KEPD 350… FCAS ou o… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Todas as tecnologias empregadas pela KAI são já em posse das empresas ocidentais, os coreanos apenas nacionalizaram , não por a caso há uma relevante colaboração com empresas estadunidenses, europeias e israelenses, que quando não são fornecedoras, fornecem consultoria técnica e know-how.
Os projetos europeus tentam superar essas tecnologias e implementar inovações , se serão um sucesso é outro quinhentos.

Last edited 1 mês atrás by Thiago A.
Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Clésio Luiz
1 mês atrás

Ah um facto, que a meu ver,é de enorme relevância neste projecto. O caça está a ser rotulado, pelo próprio país de origem, de geração 4,5, mas que vale a pena salientar que vai de encontro aos princípios filosóficos da furtividade, características da quinta. Com uma baía interna integrada desde o início, com previsão de ser operacionalizada no tranche 2, vale a pena questionar afinal até que ponto não falamos de um 5g de baixo custo. Para alem do mais, como está, ou melhor em breve estará, por conta destes mesmos factores por mim referidos, o vector apresenta um potencial… Read more »

Anildo Silva
1 mês atrás

Seriedade, competência e dedicação. Materias primas dos projetos bem sucedidos.

PACRF
PACRF
Reply to  Anildo Silva
1 mês atrás

Concordo, porém vai ter gente dizendo que é “cópia”.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

A Coria do Sul tem tecnologia e dinheiro para fazer esse caça, o que faltava era vontade política, mas com o aumento da força militar chinesa e dos discursos agressivos da China e da Coreia do Norte decidiram levar o projeto adiante. A Coreia do Sul pode ter condições de comprar as armas mais modernas dos americanos e mas lá a questão não é se vão enfrentar alguma guerra, mas quando vão enfrentar uma guerra, por isso eles precisam também ter projetos locais que possam fazer no momento da crise e tiverem dificuldade de receberem armamentos do exterior.

Kommander
Kommander
1 mês atrás

“O projeto KF-X envolve um total de 112 instituições – 16 universidades nacionais, 11 institutos de pesquisa e 85 empresas. Quando o desenvolvimento do protótipo estiver em pleno andamento, mais 35 instituições se juntarão ao projeto.”

Incrível!! Que inveja, o caça já vai sair do papel, todos trabalhando juntos…

Andromeda1016
Andromeda1016
1 mês atrás

Photoshop mostrando como seria o caça completo.

20200903_085003.jpg
Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Rápidos os Sul-Coreanos, tem projeto que fica só na discussão por décadas.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Pelo contrário esse foi um desses projetos que levam aos, começaram a discutir em 2001 e várias vezes esteve ameaçado de não sair do papel ao longo dos anos!

Andromeda1016
Andromeda1016
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

O engraçado é que diferente do Brasil lá quem apoia o investimento e o fortalecimento das forças armadas são a esquerda, pois querem forçar a saída dos EUA do país como seus vizinhos comunistas querem. A demora de que você fala foi uma bênção para o projeto do caça pois deu tempo de desenvolver muitas tecnologias localmente, diminuindo assim a dependência de tecnologia estrangeira. Enquanto a discusão sobre a viabilidade do projeto se estendia por anos a KAI, suas subcontratadas e as instituições de pesquisas envolvidas desenvolveram tecnologias locais para o FA-50 com vista a serem aplicados no futuro no… Read more »

Andromeda1016
Andromeda1016
1 mês atrás

Foto do compartimento interno para carregar mísseis dentro do avião. Estará no avião desde o início mas só será utilizado a partir da segunda fase de produção do caça.

20200903_085517.jpg
OSEIAS
OSEIAS
1 mês atrás

Veja o exemplo da Coreia do Sul, estão utilizando seus recursos para desenvolver ainda mais seu país. Claro aliado a isso uma imensa necessidade devido a seus vizinhos belicosos. Investimento para o ano 2021 de 5,5Bi de dólares nesse projeto o mesmo que iremos desembolsar pelo Gripen (sempre fui apoiador do FX com o Gripen), mas me fica aquela questão: Não temos um conflito eminente a frente, logo temos tempo para desenvolver nossas forças, com calma e estratégia. Vamos ao primeiro ponto. 1 Assim como a Coreia, não poderíamos desenvolver uma aeronave de 5, 6 7, ou sei lá que… Read more »

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

Temos varias Universidades e Institutos que poderiam alavancar nossos projetos militares, não só aeronáuticos, mas os outros programas, ganharíamos muito se mudássemos de atitude, quantos bons pesquisadores necessitam de uma oportunidade dessas para desenvolver algo no Brasil.

Bille
Bille
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

Para isso acontecer é necessário uma mudança nos normativos de indústria de defesa e, principalmente, na direção de nossas universidades.
Com o tanto de comunista hoje, quem colocaria projetos com grau de sigilo para serem vazados? ou tecnologia para ser comercializada no mercado negro?

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

Porque não há vontade política e planejamento para o que você propõe. Temos uma das maiores fabricantes de aeronaves do mundo,centros de excelência como o ITA e o DCTA,mas não há um político que vá até essas instituições e proponha uma parceria para o desenvolvimento de um caça de 4º geração. Os militares também não colaboram pois o lobby deles funciona quando se trata de salários,benefícios e alterações da carreira,mas não quando se trata de bater à porta dos parlamentares e do Governo Federal para exigir mais verbas e investimentos nos projetos estratégicos das 3 forças.Aliás,aposto o valor que quiser… Read more »

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Concordo com seu ponto de vista, e friso que nosso maior problema é nosso sistema politico criado para tornar a população escrava dos senhores no controle.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  OSEIAS
1 mês atrás

Meu amigo Oseias: a UFPR, LACTEC e outras entidades paranaenses tem sim participação relevante, mesmo que indiretamente. Só de engenheiros formados por ai e que trabalham na EMBRAER (projetos do PHENON, do KC390 etc) são vários ….

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Torço por este projeto é muito, muito interessante, estão de parabéns,
Esta parte chama atenção:

“O projeto KF-X envolve um total de 112 instituições – 16 universidades nacionais, 11 institutos de pesquisa e 85 empresas. Quando o desenvolvimento do protótipo estiver em pleno andamento, mais 35 instituições se juntarão ao projeto”.

Jmgboston
Jmgboston
1 mês atrás

Gostaria de saber como um pequeno país cuja situação era pior que a nossa 30 anos atras hoje projeta entre tantas coisas un caça desses para se defender e nos continuamos dependendo de tecnologia estrangeira para nossa defesa. O gigante continua deitado em berço esplendido pelo visto.

Heitor
Heitor
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Isso é investimento no povo, na Nação!O Brasil ainda nem pagou seu passivo escravagista, as elites econômicas e políticas brasileira não se identificam com o Povo! Logo estamos colhendo os frutos não plantados, violência, divisão, os abismos sociais que só se aprofundam! Amanha será pior!Infelizmente é essa a realidade do Brasil!

sub urbano
sub urbano
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Depende… qual carreira é melhor lá: juiz ou engenheiro? rs

Gabriel
Gabriel
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Tudo começa por uma “mínima” união nacional em prol de algo maior, que apenas a vontade de “meia dúzia”.

Infelizmente, no Brasil, nos últimos 30 anos, não ficamos apenas “deitados em berço esplêndido”. Fomos “bombardeados” por informações de cunho ideológico que, resumidamente, pregaram o “nós contra eles” (oprimido x opressor; beneficiado x vitima histórica; etc) e o “quanto pior, melhor”.

Assim, meu amigo, serão necessários ainda muitos anos para que vejamos uma situação mais equilibrada.

Thiago
Thiago
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Investimento eficiente em educação, Japão e Alemanha foram destruídos na segunda guerra, e hoje tem um poderia financeiro e militar muito mais que o do Brasil que foi muito pouco afetado

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Basta assistir uma aula nestes países e ver como as crianças respeitam seus professores. Vem do berço (aprendem em casa) o valor pela educação e pelos educadores. Tudo o mais é consequência. Abraços.

Andre
Andre
Reply to  Adriano RA
1 mês atrás

A educação, no sentido de de respeito às normas de convivência, é algo que realmente nos falta e que deveria ser aprendido em casa.

Mas só isso não basta. O vizinho ao norte, da Coreia, tbm tem esse respeito, mas….

Maurício.
Maurício.
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Jmgboston, acontece que o gigante continua pensando só no seu próprio bolso, e quando eu pensei que alguma coisa iria mudar, veio a aprovação do fundão eleitoral, pagamento de advogados com dinheiro público para defender políticos corruptos, aumento de ministérios e por aí vai…O Brasil nunca será um país sério.

Jmgboston
Jmgboston
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Foi na ferida. Penso o mesmo.

Andre
Andre
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

A receita é simples e funcionou para todos os 25 maiores IDHs do mundo: reformas neo liberais: privatizações de empresas não estratégicas, redução da burocracia estatal, flexibilização das leis trabalhistas, ampliação da participação privada nos projetos públicos, ampliação da participação no comércio internacional com entrada em áreas de livre comércio….

Aqui um dedeta inventou que isso era coisa de extrema direita e essa mentira pegou e é repetida até hoje.

Há 30 anos ~1990….eles já estavam bem a nossa frente….

Robert Smith
Robert Smith
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Que realmente saber o porque? Lá eles “executam” políticos corruptos!

Salim
Salim
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Educação qualidade em todos os níveis. Já trabalhei com bastante empresas Coréia sul, tem boa qualidade, prazos e preço superior a China porem qualidade muito superior.

Richard Stallman
Richard Stallman
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

Basicamente capital japonês e copia a rodo de produtos japoneses. Há uma teoria que países que não respeitam IP tendem a desenvolver indústrias mais rápido.

groosp
groosp
1 mês atrás

Vários projetos de caças em diversos países mas esse eu acho que sai.

Mauro
Mauro
1 mês atrás

É do mesmo fabricante do FA-50: Lockheed Martin. Sabe qual vai ser a autonomia decisória da Coreia do Sul sobe este avião? Nenhuma. O Congresso Nacional dos EUA relutou muito em aprovar essa construção, depois de muito insistência é que foi autorizada a L.M a fabricar este avião localmente. O FA-50 tem o mesmo motor do Gripen, mas nem de longe tem a mesma performace, nem do Gripen nem do F-16, isso foi proposital, para não entrar no mercado dos F-16 da própria Lockheed. A Coreia do Sul é de grande interesse estratégico para os EUA, bem como interesse econômico… Read more »

Andromeda1016
Andromeda1016
Reply to  Mauro
1 mês atrás

A participação da LM neste projeto é mínima quando comparado ao FA-50. Pelo que lembro vão dar consulta técnica para revisar os projetos elaborados pela KAI em algumas áreas, só isso. De resto as tecnologias que vai fornecer são as compensações comerciais que foram prometidas quando da venda de caças F-35 no passado. O grande calcanhar de aquiles do avião em relação aos EUA serão as turbinas, mas com o tempo pode ser que isso seja contornado pois já tem projeto nacional de desenvolvimento de turbiba em andamento. Até 2025 vão concluir a turbina de 5.000 lbs (para serem instalados… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Tás tão equivocado.
Esse avião, é totalmente Coreano, da KAI, com participação da Indonésia, para ajudar com gastos do desenvolvimento e ter maior produção assegurada.

Nostra
Nostra
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Many American and European OEMs are also involved eg Cobham is supplying all the antennas , weapon ejector pylons etc SAAB is working on the aesa radar along with the Koreans Elta is also working on the aesa radar along with the Koreans Triumph group is providing the AMADs Meggitt is supplying various sensors UTC is supplying flow control valves , environmental control system , air turbine starter , air conditioning and cooling systems etc Honeywell aerospace is providing the navigation and communication systems etc Oxley is providing a full external lighting system Etc Etc My point being, it is… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Nostra
1 mês atrás

The same process adopted by Embraer, will be future, less risks with good performace

Ulisses
Ulisses
1 mês atrás

Muito interessante a versão bloco 2 vir com baia interna. Isso vai tornar esse caça ainda mais promissor.

Denis
Denis
1 mês atrás

Parece ser o projeto mais honesto de caça com capacidades stealth desde o F-22. Sem promessas inalcançáveis (F-35), sem marketing “cinematográfico” (J-20, Su-57, Tempest etc). Divulgação sem firulas: prática e objetiva. Crível.

Last edited 1 mês atrás by Denis
José Alexandre Alves de Azevedo
José Alexandre Alves de Azevedo
1 mês atrás

Construir a estrutura do avião é a parte menos complicada, não que seja simples construí-la.

O motor será importado dos EUA, não estou lembrado se com licença de fabricação, o que limita a possibilidade de utilização, somente de acordo com os interesses americanos, e de exportação, novamente limitado pelos americanos.

A parte principal é a parte de eletrônica embarcada ( radares, sensores, etc… ) e esta ainda está engatinhando, deve demorar ainda pelo menos 7 anos ( sendo otimista ) para ele ficar completamente operacional. Com certeza ele deve voar antes deste prazo, mas será somente para aprendizado.

Salim
Salim
Reply to  José Alexandre Alves de Azevedo
1 mês atrás

Queria que Brasil estivesse neste patamar desenvolvimento. Se descemos recursos e projeto para Embraer talvez teríamos algo parecido ou melhor. Veja ejets, super tucano, kc390 e jatos executivos. Se agrupasse universidades e empresas traria grande impulso e independência Brasil.

Elcimar menassa
Elcimar menassa
1 mês atrás

tai pra quem só fala que a china copia tudo. vai dizer que não é uma cópia do F22 ,esteticamente falando.

luciano ferreira lima
1 mês atrás

Os carros atuais são todos tetricamente iguais quanto no desenho, um mal da bendita lei da aerodinâmica e, na furtividade parece que segue a mesma escola sendo demais por parecido com o F35 e F22. A diferença é que nos carros o design é algo cada vez mais sem sal e nos caças uma questão compulsória para a sobrevivência. Vejo mais beleza numa Brasília do que num Onix e seu design que chega a sangrar os olhos.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  luciano ferreira lima
1 mês atrás

“Requerimentos semelhantes levam a soluções parecidas”.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

A Korea Aerospace Industries (KAI) tem alguns produtos muito legais…

Esse jato deles é imenso.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 mês atrás

Nada além do formato para ser furtivo!
Fica tudo pendurado do lado de fora. Rsrsr
Aeronave de “Quinta” categoria!

Andre
Andre
Reply to  Sérgio Luís
1 mês atrás

Para enfrentar os su35, os j10 e j11, é mais do que suficiente. Para o j20 eles compraram o f35.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Sérgio Luís
1 mês atrás

Ler a matéria ajudaria bastante 😉

Tomcat4,2
Tomcat4,2
1 mês atrás

Isto que é comprometimento com o dindin dos contribuintes ao levar a defesa da nação a sério, olha a velocidade com que este projeto está caminhando, impressionante!!!

Last edited 1 mês atrás by Tomcat4,2
leonidas
leonidas
1 mês atrás

Incrivel ver o que uma nação que honre esse nome não consegue fazer né?
é de chorar porque todo esse desprezo com nossa soberania ira nos custar muuuuito caro no futuro…

Teropode
1 mês atrás

Estão copiando na cara dura o projeto chinês J31 , primo do Dragão vigoroso.

Andromeda1016
Andromeda1016
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Gzuz …. o J31 é cópia pirata do F-35, enquanto que o KFX adotou o raptor como inspiração para ser desenvolvido, e por isso é chamado de “baby raptor” há anos desde que seu projeto foi concebido. Obviamente você não sabe do que está falando.

Teropode
Reply to  Andromeda1016
1 mês atrás

Quanta dureza de coração , isso foi uma provocação aos xings , relaxa .

Andromeda1016
Andromeda1016
Reply to  Teropode
1 mês atrás

👍😊

Alexandre Esteves
Alexandre Esteves
1 mês atrás

O próximo vetor de combate da FAA?

Oséias
Oséias
1 mês atrás

Os coreanos são fissurados com o trabalho e o estudo. Lotam as melhores universidades americanas. Trabalham duro. É uma cultura, assim como todas as orientais, em que o fracasso não é tolerado, em que quem não gera utilidade para a sociedade é desprezado e vira pária. Um pacote desses raramente dá errado. Só com um regime porco igual ao do Kim Jong. Mas no geral os orientais estão dominando tudo. Enquanto isso, em outras terras que prefiro não nomear, quem trabalha duro é chamado de trouxa e o bonito é ostentar riqueza que não tem. Um pacote desses só não… Read more »

Robert Smith
Robert Smith
1 mês atrás

Os Tigres Asiáticos dando de goleada no resto do mundo. Nem da pra mencionar os países da América Latina incluindo o “sic” Brasil no mesmo post! :/ vergonha

André
André
1 mês atrás

Se abrirem para exportação vai vender muito bem. Uma máquina intermediária entre a quarta e quinta geração

Atirador 33
Atirador 33
1 mês atrás

Dizer o que sobre esse projeto? Inveja, inveja e inveja e pensar que em um passado bem rescente os indicadores brasileiros sociais, econômicos e educacionais do Brasil eram melhores que da Coreia, nos dias de hoje os sociais e educacionais, ficamos bem para trás.

Abs

Oraculo
Oraculo
1 mês atrás

Mais um projeto de um país amigo do Brasil do qual a FAB poderia fazer parte e adquirir tecnologia no “estado da arte”.

Porém nossos Brigadeiros não estão preocupados com isso. Jamais vão mexer uma palha sequer para tentar conseguir apoio político para algo desse porte.

A preocupação dos ilustres comandantes da nossa Aeronáutica é garantir seus gordos salários, suas pensões polpudas e os cargos de primeiro e segundo escalão nas secretarias, estatais e agências do Governo, depois que dão baixa.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Oraculo
1 mês atrás

É, eu sei exatamente como seria se algum brigadeiro fosse até o congresso falando: ‘Então… queremos outro avião de caça além daquele que já contratamos.’

Daria para escutar as risadas daqui do RJ.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Depois de recebermos o lote de caças Suecos temos que fazer como a Indonésia olhar para a frente. Caças de passadas gerações não tem chance em combaate com as novas gerações. É muita difetrença nos armamentos e sensores. Estamos entrando na era dos caças roboticos.

Luciano
1 mês atrás

Amigos conhecedores da área, o Brasil teria condições de desenvolver um projeto semelhante caso houvesse vontade política? Sei que temos a Embraer produzindo jatos, avião de combate, mas teríamos condições de construir um avião de caça com o conhecimento que temos por aqui?

Thiago Telles
Thiago Telles
1 mês atrás

Prioridade ZERO é nao fazer as besteiras q fizeram no f35.