Home Aviação de Ataque Os planos de modernização da Força Aérea Argentina

Os planos de modernização da Força Aérea Argentina

8135
181
Em 2019 a Argentina confirmou negociações com a empresa sul-coreana KAI para aquisição do jato FA-50 Fighting Eagle

Os principais planos que estabelecem as diretrizes gerais do material que deve ser adquirido e incorporado à Força Aérea Argentina são o Plano Transversal Sistêmico (PTS) e o Plano de Capacidades Militares (PLANCAMIL).

O primeiro visa estabelecer as previsões para o alcance de capacidades baseadas na ciência, tecnologia e no sistema de produção nacional, de forma a dotar o instrumento militar de alerta estratégico, reconhecimento e vigilância aeroespacial, coordenados através de um sistema de comando e controle no todo o território nacional.

A segunda é uma ferramenta que identifica e define o modelo de instrumento militar, seu conceito de emprego, categoria de forças e os efeitos que deve assegurar, bem como as capacidades militares conjuntas, seus sistemas de força e o adequado desdobramento territorial a ser implementado.

O Instrumento Militar desenhado no âmbito destes dois planos, cujos objectivos são complementares, é o necessário e adequado para cumprir os requisitos operacionais da Defesa Nacional. Com esses planos como diretrizes para o planejamento da Força Aérea Argentina, podem-se detalhar as aeronaves que se espera serem incorporadas e modernizadas nos próximos anos:

IA-58 Pucará com novos motores PT-6

 

1. Aviação de caça:

• Adquirir um número de doze caças complementares, como uma aeronave de transição para um sistema de armas de quarta geração.

• Modernizar um total de doze aeronaves EMB-312 Tucano, com o objetivo de otimizar sua operação para continuar apoiando as atividades de vigilância e controle aeroespacial.

• Incorporar, por meio de compra e desenvolvimento nacional, sistemas de tiro aéreo para equipar os sistemas de armas EMB-312 Tucano, IA-63 Pampa II e Pampa III, de forma a contribuir com a vigilância e controle aeroespacial.

• Aumentar o número de aeronaves no sistema A-4AR Fightinghawk, recuperando o ciclo logístico correspondente.

A-4AR

• Continuar com o desenvolvimento de sistemas aéreos não tripulados de forma a aumentar a capacidade de vigilância, exploração e reconhecimento aéreo com este tipo de vetores.

• Reconfigurar as capacidades do sistema de armas IA-58 Pucará através da modernização de seu motor e aviônica (com intervenção da FAdeA), de forma a utilizar os sensores e sistemas desenvolvidos pelo INVAP S.E. para vigilância, exploração e reconhecimento aéreo, especialmente no norte da Argentina.

• Continuar com a incorporação das aeronaves IA-63 Pampa III fabricadas pela FAdeA, com o objetivo de atingir uma frota de 40 aeronaves.

POD ISR da INVAP para o Pucará

2. Aviação de Transporte:

• Adquirir uma aeronave Boeing 737 para tarefas de transporte aéreo de médio alcance.

• Continuar os processos de incorporação de 10 aeronaves leves TC-12B Huron de curto alcance.

• Recuperar progressivamente o sistema Fokker F-28, para ter três aeronaves, de forma a complementar o sistema de transporte de médio alcance.

• Continuar com a modernização do sistema de armas do C-130 Hercules para o número de seis aeronaves.

• Continuar com a recuperação do sistema de armas Lear Jet L-35, de forma a sustentar as atividades exigidas pelo Estado Nacional (verificação radioelétrica, exploração e reconhecimento fotográfico, voos médicos, transferência de órgãos, etc.). Nota: A recuperação de todas as aeronaves de transporte (SAAB 340, DHC-6 Twin Otter) tem, entre outros objetivos, contribuir para a tarefa de conexão de voos e promoção do LADE dentro do país, especialmente na região patagônica.

Mi-17 da Força Aérea Argentina

3. Helicópteros:

• Substituir progressivamente o sistema de armas SA-315 Lama (com mais de 40 anos de serviço nas FAA), prevendo a incorporação de pelo menos três helicópteros aptos para operações de busca e salvamento e ajuda humanitária em altas montanhas.

• Recuperar o ciclo logístico dos dois helicópteros pesados ​​Mi-171E para dar continuidade às tarefas de transporte e carga de apoio à atividade antártica. A tarefa será realizada na Área de Materiais da Quilmes, com assistência russa.

• Reconfigurar a Unidade Aérea em Chipre que está operando sob o mandato da ONU. Espera-se homogeneizar a frota de helicópteros desdobrada na mencionada missão. Os helicópteros leves H-500 serão aposentados e a frota será unificada nos Bell 212 da instituição.

FONTE: Ministério da Defesa da Argentina via Desarrollo Defensa y Tecnologia Belica

Subscribe
Notify of
guest
181 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joelson
Joelson
1 mês atrás

…. antes da moratória!

Fernando Turatti
Fernando Turatti
1 mês atrás

A gente acha uma loucura quando surgem as megalomanias das nossas Forças Armadas, aí vemos a Argentina e os caras realmente acreditam que terão 12 caças novos em algum momento…
A Argentina acabou, já era.

J R
J R
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Nesses caso, leia-se, aviões de treinamento armado. Para os argentinos FA-50 e M-346 são caças…

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  J R
1 mês atrás

Mas nem 12 A-4 skyhawks voando eles terão, esse é o ponto.
Não existe a prata e a situação econômica deles é tão desoladora que se mantiverem 5 skyhawks no ar já vai ser uma vitória! Ter 12 FA-50 pra eles não muda em nada o balanço de força e aí mora o problema. A Argentina continuará acima dos vizinhos que já está hoje e continuará incomparavelmente atrás do restante(Brasil, Chile…).

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Mas hoje a Argentina não tem nenhum interceptador supersônico e nem um com capacidade BVR e o FA-50 resolveria esses problemas. Um país tão grande quanto a Argentina precisa de um caça interceptador supersônico com capacidade BVR. O ideal é era eles comprarem caças médios, mas a grana não dá então vão do que teoricamente podem comprar o que é caças leves!

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

O ideal era o Brasil ter umas duas dúzias de caças pesados e uma centena de caças leves, contudo, infelizmente o mundo não liga para o ideal.
A Argentina precisa desses pseudo interceptadores como FA-50 pra que exatamente? Patrulha aérea antidrogas? Pra isso o que eles já tem já faria o serviço(se voasse, claro, porque não voam). Se for pra guerra de verdade, novamente, FA-50 no contexto deles, nas quantidades deles e contra quem eles tem nas bordas não mudaria absolutamente nada.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

No nosso caso já estamos comprando um caça bem capaz e bem ou mal os F-5 e os A-29 ainda podem fazer essa função de caças leves e patrulha antidrogas por algum tempo, no momento temos que pensar em aumentar a quantidade de Gripens. No caso dos Argentinos eles precisam de interceptadores supersônicos e os FA-50 podem fazer essa função, concordo que o ideal seria caças no mínimo médios, mas apesar da velocidade não passar de 1,5 mach e de não levar muita armas o FA-50 consegue fazer a função, para a função antidrogas eles usam o Pucará!

pangloss
pangloss
Reply to  J R
1 mês atrás

E o F-5 também não supera essa descrição. É um T-38 anabolizado. Para nosso contexto geopolítico atual, sem maiores ambições, serve.

Vilela
Vilela
Reply to  pangloss
1 mês atrás

exatamente… e o T-38 é um dos maiores acertos da aviação a jato!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  J R
1 mês atrás

Mas o FA-50 é um caça leve baseado num avião de treinamento o TA-50, e isso não é demérito, é muito semelhante ao T-38 e o F-5, foram modificados para ter uma performance melhor que o treinador do qual tiveram origem o F-5 foi um sucesso e o FA-50 tem tudo para ser um!

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

correto o projeto dele foi idealizado justamente para substituir o F-5….

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Outra coisa o FA-50 vai ser um salto tecnológico muito maior para a Argentina que tem no A-4R o principal caça que o Gripen vai ser para o Brasil, o nosso F-5 foi modernizado tem capacidade BVR e sensores modernos, a Argentina não tem nada parecido. O FA-50 foi projetado para ser o caça leve da Coreia do Sul, isso significa que ele foi pensado para enfrentar caças maiores que ele da China e da Coreia do Norte, ele pode ser pequeno, mas tem um bom motor, é equipado com radar AESA e tem o que existe de mais moderno… Read more »

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  J R
1 mês atrás

pois então,no Brasil,A-29 Super Tucano é caça….

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Marcos Cooper
1 mês atrás

Esta correto. Toda aeronave usada em missões de ataque e que possuem ate 2 tripulantes e designado caça.
Não tem nada a ver se e há jato, super-sônico ou um turbo-helice.

Last edited 1 mês atrás by Cristiano de Aquino Campos
Henrique
Henrique
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Super tucano não é caça. É avião COIN. Caça só ó é comparado com outros caças contemporâneos. Super Tucano tecnologicamente e em termos de desempenho está no nível de um F-16? Não. O super tucano é caça só se comparar ele com Bf-109 ou P-51.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Henrique
1 mês atrás

o Glass cockpit é similar ao F-16 mestre….só não tem radar…

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Henrique
1 mês atrás

É um caça sim…

É um caça de ataque leve, turbo-hélice, e de instrução (avançada depende da filosofia adoptada pelos respectivos clientes).

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Qualquer avião militar que seja capaz de abater outras aeronaves é um caça. Os aviões abatidos ou forçados a pousar dos narcotraficantes não concordam contigo.

Teropode
Reply to  Marcos Cooper
1 mês atrás

Bom ,o Cristiano deu a réplica , a letra está com vc ! Aguardando 1 ,2,3,4,5,….

Salomon
Salomon
Reply to  Marcos Cooper
1 mês atrás

Discussão bizantina. Leão é caçador e gato-do-mato também é. Águia é caçadora e Carcará também é.

Gaineth
Gaineth
Reply to  Marcos Cooper
1 mês atrás

Pois é!
E só com os nossos SUPER TUCANO destruiriamo toda a força área argentina. 😏

Jorge Knoll
Reply to  J R
1 mês atrás

Eles são realistas, sabem onde o sapato aperta.

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  J R
1 mês atrás

Não, leia-se caças de instrução avançada e ataque/ataque leve.
O FA-50 pode ainda ser considerado um caça leve, ou de menor desempenho.

Caça de instrução armado induz que a instrução é armada, o que sendo algo que de facto se faz, não especifica justamente o duplo uso da aeronave.

rui mendes
rui mendes
Reply to  J R
1 mês atrás

Assim como muitos acham o super tucano, um caça leve, é igual ou pior.

Last edited 1 mês atrás by rui mendes
Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Podem esquecer, a única chance da Argentina ter aviação de caça é se deixarem a China voar por eles.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Os argentinos não tiveram boa experiência com material militar chinês e por conta disso existe uma forte resistência dentro da Argentina à compra de material militar chinês, mas o material chinês melhorou de qualidade e por exemplo o FTC-2000 pode ser uma opção mais barata que o FA-50 e também é um caça leve supersônico baseado no treinador J-9L.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Vi uma live so canal a arte da guerra no you tube com um coronel argentino e não foi o que ele disse. Inclusive estavam avaliando um modelo se blindado 8×8 Chines. Segundo o mesmo, os blindados Chineses que foram enviados a argentina para teste não agradaram pelo mesmo motivo que o guarani. Eles são 6×6 e eles querem um 8×8 e de preferência fabricado no país.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Mas esse coronel esta fazendo avaliações do material mais moderno e como falei a qualidade melhorou muito, mas os argentinos tiveram problemas com munições 105 mm e com outros equipamentos no passado que deixaram mal impressão, são coisas do passado e se aprovado nos testes os chineses vão ter algum trabalho para conquistar a confiança mas só tempo para resolver o problema da desconfiança que esta na mente dos argentinos.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

O JL-9 FTC 2000 é uma otima opção. pe duro e barato de tudo, fazendo o que um F-5M faz….zero km de fabrica…preço de Super Tucano…mas na argentina colidiria com o Pampa III…eles teriam de abrir mão do Pampa….mas dá coceira….afinal, é tambem um treinador biplace com BVR…

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Os planos apresentados não são de todo irrealistas, na minha opinião. Mudaria algumas coisas no entanto.

RenanZ
RenanZ
1 mês atrás

Interessante……
“só” falta dinheiro pra isso

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  RenanZ
1 mês atrás

Acho que o problema e mais falta de vontade politica mesmo. Dinheiro por dinheiro, a India tem um povo miserável más gasta fortunas em defesa, sem falar em países africanos.
Vê se lá tem mimimi por gastar em defesa enquanto outras questões precisam mais de dinheiro.

Daniel
Daniel
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Os vizinhos da Índia causam preocupação, diferentes dos vizinhos da Argentina.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Daniel
1 mês atrás

Eles tem mais problemas com vizinhos que nós. De um lado Chile e do outro Inglaterra/malvinas.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Os ingleses são problema para os argentinos ?

Só os argentinos ficarem na deles que não serão problema.

Idem para o Chile.

J R
J R
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Na verdade a Argentina é um problema para os ingleses e não o contrário.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
1 mês atrás

Bom dia Senhores!

Nada auspicioso, veremos se os planos irão à diante. Interessante a nota não falar nada sobre reaparelhamento da ARA. Será que ficarão nos cascos já adquiridos da França?

CM

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Alexandre Galante
1 mês atrás

Há planos para o exército argentino tbm Galante ???

glasquis 7
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Sim, deverão modernizar os TAM

alexandre
alexandre
1 mês atrás

vão comprar ou ganhar caças chineses, em troca de ceder base e territorio na patagônia.. A china endivida os paises, pra depois dominar…

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  alexandre
1 mês atrás

Que mané a China endivida, pelo amor de deus vamos botar os pés no chão.
A Argentina vai mal desde antes da China cogitar ser qualquer potência mundial! Os caras jamais precisaram de ajuda pra se endividar e fazer besteira.
A Argentina é um Brasil que, pro azar deles, não é too big to fail. Nós estamos condenados ao eterno purgatório, sendo incapazes de voar mas sendo grandes demais para afundar… A Argentina, por outro lado, afunda muito bem.

J R
J R
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

A Argentina esta mal desde o governo militar, e a coisa desandou mais ainda após a relação carnal entre Menen e o dólar, sem contar os anos correidos de administração peronista, que o argentinos tanto amam, vai entender… acho que uma das coisas mais significativas, é a recuperação da assistência aos A-4 e a modernização dos Tucanos, tomara que fiquem iguais aos colombianos.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Eu não diria que somos “too big to fail” não. As perspectivas para o futuro deste país são nebulosas,teremos crise econômica,crise financeira,crise política,crise social. Não se fala em um projeto de país. Se continuarmos abusando da sorte,é grande a chance de nos tornamos uma grande Argentina tropical.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Fernando, o Alexandre apenas não se aprofundou mas há um documentário português enorme falando sobre o modus operandi da expansão chinesa onde mostra exatamente isto, eles fornecem/constroem infra estruturas com a “bondade” de parcelar a perder de vista mas aos países não conseguirem arcar com os pagamentos eles simplesmente tomam conta da estrutura e a controlam com mão de obra chinesa como fizeram em um país africano o qual não recordo o nome onde construíram um porto enorme e, após demitir os trabalhadores locais, encheram de chineses lá.

Renato
Renato
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Tomcat4,2
Seu comentário é totalmente descabido e incoerente.
Essa de terceirizar responsabilidade, eu ainda não tinha visto.
Quer dizer que se vc pega um dinheiro emprestado comigo e não me paga a culpa é minha?
Pelo amor de Deus!
Cai na real.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

O último paragrafo foi perfeito!

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

A Argentina é um país em decadência desde Perón. Nos anos 70, até a amante e segunda esposa de Peron chegou a ser presidente do país e desencadeou o golpe militar, da ditadura mais ferrenha e cruel da época, que comprou muitos equipamentos militares mas não soube nem manuteni-los, depois entrou numa guerra suicida contra a Inglaterra.

Mas a decadência como nação e país, começou com o maldito Perón!

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Desde que o governo atrelou o peso ao dólar na proporção do 1/1 todos sabíamos que isso quebraria a Argentina. E quebrou.

Renato
Renato
Reply to  alexandre
1 mês atrás

Alexandre,
Esse seu comentário é sério ou piada?
Se for sério, aconselho a procurar ajuda.

Doug385
Doug385
1 mês atrás

E ganharam a participação na industrialização do KC-390 sem assumir nenhum compromisso.
Só no Brasil mesmo…

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Doug385
1 mês atrás

2!!!!!!!!!!!!

Caio
Caio
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Brasileiro sempre bonzinho, para os gringos!

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Pensei o mesmo quando não vi nada relacionado a compra do KC-390 por parte deles(tbm não há la plata).

Mauro
Mauro
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Culpa de quem?? dá nome aos bois….

Tem uma mulher que é presidente dessa tal de fadea, que eu não sei para que serve… que disse em entrevista, que a Argentina não pode e nem vai comprar o KC-390 porque tem componentes ingleses… só papo furado.. nunca foi proibido o KC-390 para eles por esse motivo…

Tem que ficar longe desses caras… fim de papo…

Eduardo
Eduardo
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Exatamente, vão tentar reformar os 6 C-130 deles, se tiver um voando é muito, esses tempo o uruguai teve que dar uma carona com o C-130 deles.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Eles não tinham a obrigação de compra para se tornarem fornecedores. Eles tiveram de investir para serem fornecedores, o que é bom por dividir os custos de industrialização.
Assinaram uma intenção de compra, que como nome diz é intenção, e não obrigação. E todos sabem disso (menos alguns que comentam aqui).
Os Tchecos tem um pacote de fornecimento do KC muito maior e também só tem uma intenção de compra… Normal.

Mauro
Mauro
Reply to  Fernando EMB
1 mês atrás

Isso foi acordo de bolivariano, nada a ver com interesse em “dividir custos”… foi 100% bolivarianismo… Outra, não investiram nada, quem pagou tudo foi o BNDES, taxa de juros negativas, ou seja, a capacidade instalada foi por nossa conta e nosso dinheiro, essa fadea tão pouco tinha o certificado ISO que permite exportar, o pessoal da Embraer foi lá e criou o certificado ISO que lhe capacitou a exportar, sem isso, o KC-390 não teria como ser vendido a ninguém, apenas a parte que fabrica essas peças é que tem o ISO.. as primeiras peças vieram com defeito de qualidade,… Read more »

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Com um bocadinho de graxa em Portugal e pode ser que a gente garanta a compra da sexta, ao invés de apenas 5 com possibilidade para mais um ^^… Se Lisboa presumir que tal significa mais investimento e cooperação, poderá não ser assim tão difícil.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Peter nine-nine
1 mês atrás

Pois, mas para estar tantos anos á espera do primeiro, não concordo.

Luiz
Luiz
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Produzir um avião não é como fazer um bolo! Planejar, projetar/desenvolver e produzir uma aeronave é complexo e demanda tempo.Só se for diferente aí onde você mora.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Na época era tudo feito pelo bem do “Fórum de São Paulo” o objetivo foi ajudar o país irmão sem ligar para a parte técnica e nem econômica!

Thulio manhaes
Thulio manhaes
1 mês atrás

Detalhe que ainda assim a argentina continuaria com número insuficiente de caças disposição!

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

pelo jeito que a economia da Argentina anda, eu acho mais fácil o brasil encomendar o terceiro lote dos Gripen do que a argentina comprar esses 12 caças de 4 geração.

A6MZero
A6MZero
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Terceiro lote? se sair um segundo já tá ótimo.

Glasquis7
1 mês atrás

Eles já tiveram a capacidade de construir seu próprio caça. Acredito que consigam reaparelhar medianamente ao longo da próxima década mas, deverão ser caças de 4 ou 4,5 geração. Os vizinhos, Chile e o Brasil, terão forças e vetores mais mais capazes mesmo assim. A

Emmanuel
Emmanuel
1 mês atrás

A Argentina começou o processo de venezuelização. Estão congelando preços. É questão de tempo o país quebrar mais ainda. A fuga de capital e empresas é sem igual.
Triste.
Lamentável.
Mas foi o que o povo quis. Agora arque com as consequências.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

O problema da Argentina é que sua dívida passou dos 90% do PIB, o que a torna impagável nas condições do país. Agora, se o Brasil não abrir os olhos, iremos pelo mesmo caminho, já que a nossa dívida já está em 75% do PIB e pode chegar a mais de 80% a depender dos resultados econômicos da pandemia e se o crescimento da dívida continuar no ritmo atual será de 100% em 2026.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Caro Jacinto, Você pegou UM número absoluto (relação dívida BRUTA e PIB), comparou com o Brasil e fez uma ilação completamente longe de qualquer realidade. A Argentina tem dois problemas: Balanço de Pagamentos e Dívida Externa. Portanto, trata-se de uma questão de fluxo de moeda estrangeira. Esses não são problemas dramáticos brasileiros no momento, ainda mais que a dívida LÍQUIDA brasileira é bem melhor que a Argentina. A dívida argentina é dolarizada, de curtíssimo prazo e juros altos. Com problemas de balanço de pagamentos, eles não conseguem emitir novo endividamento em volume suficiente para pagar as dívidas que vencem (isto… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

GFC_RJ A diferença entre o Brasil e a Argentina é de tempo; a Argentina nem sempre esteve neste estado, mas as suas contas públicas foram se deteriorando o perfil da dívida foi se modificando, e o resultado é o que temos hoje. Hoje, o Brasil está em situação melhor, mas está percorrendo o mesmo caminho da Argentina. A permanecer no mesmo caminho, chegaremos no mesmo lugar. Pode demorar mais, ou menos, mas a conta chega. Não adianta querer se tranquilizar com os dados atuais quando, como ressaltei, o problema brasileiro não é hoje ou amanhã ou o fim do ano.… Read more »

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

“A diferença entre o Brasil e a Argentina é de tempo”. Não é bem de tempo. Cara… Você está preso ainda na unidimensão da dívida bruta. Mas essa dívida bruta tem várias faces. Ela tem “perfis”. Esses perfis podem piorar ou melhorar por diversas razões. A camisa de força argentina é que o perfil da dívida dela é o pior possível. E chegou a esse ponto por todo um histórico, mas que é difícil sair porque ela tem uma vulnerabilidade EXTERNA muito grande. Ela não consegue gerar divisas em moeda estrangeira que permitam se livrar do fardo. Aqui no Brasil… Read more »

sub urbano
sub urbano
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Parabens pelo comentario, GFC,bastante esclarecedor mesmo sendo uma opinião Liberal sobre o assunto.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Estão estatizando os meios de comunicação, imagina só…

rui mendes
rui mendes
Reply to  Eduardo
1 mês atrás

Olha que quando tens um presidente da república, que por não gostar de uma pergunta de um jornalista, o ameaça fisicamente, oferecendo-lhe porrada, e depois não lhe acontece nada, a democracia desse país, também está muito doente.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Pois é escolheram retroceder nas urnas e agora o preço, bem caro, está sendo cobrado. Só fico triste pelos que não votaram por esta sandice .

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

Pra tirar do papel esses planos só falta ‘la plata’…

Rodrigo M
Rodrigo M
1 mês atrás

Pois é o KC-390?
Não péra…
Pensando bem é melhor que fiquem longe mesmo..
Isso se chama livramento!

Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
1 mês atrás

Que situação calamitosa vive a Argentina. Acredito que dificilmente esse plano vá para frente.

MCruel
MCruel
Reply to  Funcionário dos Correios
1 mês atrás

Acabou a greve?

Sagaz
Sagaz
Reply to  MCruel
1 mês atrás

Correio para é gmail..

Diniz
Diniz
1 mês atrás

Com todo o respeito aos irmão argentinos, mas… o processo de venezuelização está a todo vapor, e quem tinha alguma duvida não tem mais com a estatização da telefonia e internet semana passada. Se eu fosse um piloto argentino ou mesmo qualquer militar com alguma experiência em manutenção de aeronaves, cairia fora do pais o mais rápido possível com a minha família. Ah, sobre aquisição de meios… esqueçam. Estão mais do que falidos. Mal vão ter dinheiro para pagar os soldos, quanto mais comprar alguma coisa. Nem sequer petróleo eles têm como a Venezuela pra trocar por armamento russo ou… Read more »

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Diniz
1 mês atrás

Uma pena pra eles, quem já visitou sabe que são uma espécie de Brasil do Sul, belíssimo, cheio de recursos naturais, pessimamente administrado há décadas, onde a única ideologia vigente é a corrupção.

LUIS NATAL
LUIS NATAL
Reply to  Diniz
1 mês atrás

A direita levou eles para o buraco pós guerra! Agora a esquerda vai acabar de fazer o serviço!

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Diniz
1 mês atrás

Temos que ficar de olho para não acontecer o mesmo aqui, tem muita gente trabalhando para destruir o Brasil

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

O STF que o diga ,é o lado jurídico do foro de SP(o câncer deste país).

Camargoer
Camargoer
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Olá Tom. Acho que necessário atualizar o debate.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Diniz
1 mês atrás

Então, lá tal qual Venezuela e Brasil a classe pública não sofre as consequências da má administração, afinal o setor produtivo banca o funcionalismo público. Quando estive por lá ano passado até ouvi de algum argentino que o pior de tudo é que alguns setores do funcionalismo recebem até em dólar rsrs Basta ver quanto de cargos públicos foram cortados nessa pandemia por aqui, nem comissionados foram…

Jacinto
Jacinto
Reply to  Diniz
1 mês atrás

Isso é o custo do populismo. Geração após geração os argentinos se acostumaram com um estado populista, que gasta mais do que arrecada, gerando déficits fiscais ano sim e outro também. Hoje, a dívida argentina supera 90% do PIB deles, o que significa que ela é impagável. Agora, se o Brasil não começar a pensar direito na questão dos gastos públicos, iremos pelo mesmo caminho. No começo do ano a nossa dívida estava em 75% do PIB, mas como haverá um deficit gigantesco este ano, acabaremos o anos com mais de 80%; e se não fizermos nada, em 2026 será… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Eu diria que o Peronismo é um fantasma que leva a Argentina ao buraco, sempre. Não conseguem esquecer essa figura do Peron. Um admirador do nazismo. É como se o Getulismo ainda vivesse no Brasil. Impressionante.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Olá Cel.Nery. Acho muito difícil comparar Getúlio com Peron. Creio que o presidente brasileiro foi mais matuto, soube mudar quando o mundo mudou. Aproveitou as oportunidades históricas, trocando uma visão fascista (quando o fascismo parecia ser a solução capitalista para o impasse social) pelo apoio aos EUA, lançando a base para uma ampla industrialização do país. Há uma biografia de Getúlio do Lira Neto, em 3 volumes. Achei muito boa. Ela consegue mostrar como Getúlio foi capaz de aprender a avaliar o contexto geral. A impressão que se fica de Getúlio é que quando há um impasse, o melhor é… Read more »

Alessandro
Alessandro
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

“É como se o Getulismo ainda vivesse no Brasil. Impressionante.”

Não brinca com isso não, infelizmente tem uma minoria que vivem e respiram do getulismo ainda, os cirominions! O lado positivo é que não temos perigo desse cara vencer as eleições por aqui, senão seríamos uma Argentina “peronista” 2.0

rui mendes
rui mendes
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Vê a percentagem da dívida dos países Europeus, do Japão e dos EUA.

Luiz
Luiz
1 mês atrás

Eles também acreditam em Coelhinho da Páscoa e Papai Noel?

glasquis 7
Reply to  Luiz
1 mês atrás

Tem que começar de alguma forma. Mesmo que seja sonhando, eles tem que manter viva a FAA e pra isso, tem que planificar.

Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

E ainda havia pessoas que falavam da possibilidade da Argentina adquirir Gripens de fabricação brasileira.

Daniel
Daniel
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Pois é.
Tem gente que viaja mesmo.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Eles vão comprar, aeromodelos…

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Um dos objectivos da “modernização”/reestruturação actual é, em parte, a aquisição de um vector que facilite a futura eventual incorporação de um caça de 4,5 geração “puro”, mais capaz. Portanto…

Jhon
Jhon
1 mês atrás

Argentina vai acabar comprando uma duzia de F5, modernizado, talvez do Chile ou Suíça.

pangloss
pangloss
Reply to  Jhon
1 mês atrás

Do Chile? Tem certeza?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Jhon
1 mês atrás

Acho que os F-5 suíços não foram modernizados, posso estar enganado mas creio que só Chile, Brasil e Tailândia modernizaram os F-5! Quanto ao Chile vender os F-5 para os argentinos não seria problema desde que os americanos aprovassem, o relacionamento entre os países esta numa boa fase existe até uma força conjunta do Chile e Argentina chamada “Fuerza de Paz Combinada Cruz del Sur” criada para ser usada em missões de Paz da Onu!

Escudo_CS.png
Lucianno
Lucianno
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Os argentinos são muito orgulhosos, jamais comprariam caças aposentados do Chile.

Glasquis7
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Os F5 da Suíça não voam devido a fraturas estruturais.
O Chile dificilmente venderia armamento desse tipo á Argentina e seria ainda mais difícil a Argentina se submeter comprar armamento do Chile.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Jhon
1 mês atrás

Eles odeiam os chilenos por se posicionarem a favor da rainha em 1982. É até mais fácil comprar uns F-5 modernizados no PAMA do que algo dos chilenos.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Eduardo
1 mês atrás

“Eles odeiam os chilenos por se posicionarem a favor da rainha em 1982”
Não é por isso. Pôs o carro na frente dos bois. O apoio chileno ao RU veio pela rivalidades histórica e não o contrário.
Eles se detestam historicamente. Disputas de fronteiras centenárias. Para os Chilenos, a Patagônia lhes foi roubada no período da Guerra do Pacífico.
O capítulo mais recente é a questão do pedido de reconhecimento plataforma continental pela Argentina.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Exato, na época da Guerra do Pacífico a Bolívia e o Peru chamaram a Argentina para se aliar a eles, o governo argentino se recusou e aproveitou a situação para chamar o Chile e fazer um acordo a respeito da Patagônia e os chilenos com receio dos argentinos se aliarem ao Peru e à Bolívia terminou aceitando um acordo um tanto desfavorável ao Chile. Os chilenos dizem que foram esfaqueados nas costas pelos argentinos e até hoje guardam mágoas disso.

Glasquis7
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Não é só isso. 1 – Durante a guerra de emancipação do Chile, Argentina Confiscou armamentos e Navios trazidos por Carrera desde EEUU e executou seus oficiais incluindo a José Miguel Carreras. 2.- Em 1891, Durante o Caso Baltimore, Argentina ofereceu armas, apetrechos, tropas, informações de inteligência e até território pra uma invasão Americana contra o Chile. 3.- Em 1975, Argentina ameaça o Chile sugerindo aliança militar com o Perum pra uma invasão a Território Chileno. 4.- Em 1978 Argentina, depois de submeter a Arbitragem internacional, ignora a sentencia a favor do Chile pelas Ilhas do canal do Beagle e… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Em 1978 a Marinha Argentina zarpou em direção ao Chile, fala-se na bica miuda que tropas argentinas chegaram a entrar 5km do território enquanto os bastidores da diplomacia e o diabo a quatro tentava abafar o conflito…depois de 4 anos alguem acha que o Chile não daria apoio a quem quer que fosse contra os argentinos? Faz parte oras!!

glasquis 7
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

“fala-se na bica miuda que tropas argentinas chegaram a entrar 5km do território” Jamais!!! Era o que as tropas chilenas sonhavam. Depois de 6 meses de campanha e duro treinamento em condições adversas, passando frio e fome, sem ver a família, os militares chilenos sonhavam com ter um argentino pela frente pra descontar um mês pelo menos. O relato dos conscritos da ARCh da conta do desânimo e a decepção das tropas quando souberam que os argentinos tinham recuado. Diz a lenda que uma coluna blindada Argentina não aceitou a ordem de recuar e tentou entrar em território chileno sendo… Read more »

Eduardo
Eduardo
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Esse evento citado é só o mais recente.

Daniel
Daniel
Reply to  Jhon
1 mês atrás

Não duvido nada deles comprar F-5 de segunda mão para modernizá-los na EMBRAER.Tempos atrás foi cogitada a possibilidade.
Na atual situação em que se encontram, não seria nada ruim.
Antes F-5 modernizado do que FA-50.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Jhon
1 mês atrás

Eu acho que não!!!

Gabriel
Gabriel
1 mês atrás

Desculpem a sinceridade.

Quando comparo como era a FAdeA em 1982, com os planos de modernização de 2020, fico realmente feliz.

Primeiro porque, mesmo se o plano de modernização for plenamente efetivado, a FAdeA não será nem perto “do tamanho” que já foi em 1982.

Segundo porque “os hermanos” continuarão com uma Força Aérea muito inferior a FAB, pelos próximos 30 anos.

Terceiro porque “os hermanos” jamais serão “amigos” e/ou “parceiros” do Brasil, e com uma Força Aérea “desse tamanho” pelo menos continuarão “quietos” e “sem maiores ambições”, como hoje.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Nós temos a nossa equivalente a uma arma nuclear, chama-se Itaipu…

Tutu
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Recentemente a diplomacia Argentina pediu para aumentarmos a vazão de Itaipu para garantir a colheita de soja deles.

https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2020/05/19/itaipu-passa-a-abrir-comportas-para-apoiar-escoamento-de-graos-da-argentina-e-paraguai.htm

J R
J R
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Não somos irmãos mas temos que ser bons vizinhos, o Brasil só tem a perder com uma vizinhança miserável.

Nilo Rodarte
Nilo Rodarte
Reply to  J R
1 mês atrás

Tenho que concordar com o colega. Não se trata de carregar nenhum deles nas costas, mas de fato uma vizinhança miserável tende a respingar muita coisa na gente.

Wagner Guimarães
Wagner Guimarães
1 mês atrás

Os planos da Argentina são só isso mesmo, planos, papel aceita tudo. O novo governo já está vendendo o almoço pra comprar a jantar e não há perspectiva para que isso melhore. A Argentina está quebrada.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Wagner Guimarães
1 mês atrás

E eles trancaram todo mundo em casa desde março, agora estão no cenário em passamos no final de abril início de maio.

Sergio
Sergio
1 mês atrás

Infelizmente faltou dinheiro para tudo…..Muito dificuldade na reestruturação de todas as frentes e acúmulo de carências em todos os setores da força….
Nosso irmãos vão ter que trabalhar muito para atualizar a situação.

Astolfo
Astolfo
Reply to  Sergio
1 mês atrás

“Irmãos” do que? “Irmãos” por quê? Porque fazem fronteira com o Brasil? Nunca entendi esse pensamento ridículo… Nenhum país latinoamericano chama seus vizinhos de “irmãos”, e olha que eles falam a mesma língua! Mas por algum motivo o brasileiro insiste em se referir aos argentinos assim! Um povo que não nos respeita e que como país sempre que pôde nos prejudicar, o fez.

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

A Argentina vai quebrar e vai ser algo pior que 2001

J R
J R
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Acho que antes disso os paneleiros tiram eles de lá, as panelas na Argentina costumam ser muito mais efetivas que no Brasil.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Se eles tiverem dinheiro pra concluírem apenas 2 tópicos desses, vai ser muito.
Argentina só vai ter de volta aviação de caça se:
O Brasil der ( de graça mesmo ) pra eles nossos F-5M que serão aposentados com a chegada do Gripen ( ou seja, nunca ),
Ou;
Comprarem JF-17 chinês, em trocs de commodities.
Como ambas as possibilidades sáo, pra dizer o mínimo, remotas…

Luiz
Luiz
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

E os Lockheed T-33 Shooting Star que a Bolivia desativou? Será que ainda estão disponíveis? Bem que a Bolívia podia dar uma força e cedê-los para os hermanos. Por pior que estejam, poderiam ser restaurados e servir para treinamento dos cadetes.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Luiz
1 mês atrás

Considerando-de o que a AFA tem atualmente, esses T-33 seriam trocar seia por meia dúzia. Eles continuariam a operar um meio antigo ( pra não dizer obsoleto ) que precisaria urgente de uma substituição.

glasquis 7
Reply to  Luiz
1 mês atrás

Uma normativa na região. Países fronteiriços não cedem armamento entre si. A excepção do caso de países muito pequenos como Guiana, Suriname, Uruguai e Paraguai. Os restantes seriam potencialmente inimigos.

J R
J R
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Eles conseguindo normalizar a manutenção dos A-4 já será uma grande vitória.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Eles precisam para ontem, mas o problema continua o mesmo ” la plata”! O governo argentino esta quebrado, a economia esta em crise e juntando com a pandemia a situação só tende a piorar. Apesar de achar que não vai sair do papel eu torço muito para que consigam executar esse planejamento.

Andre
Andre
1 mês atrás

O Brasil poderia doar os A4 que temos, mediante um compromisso argentino de contratar a modernização dos mesmos com a Embraer.

Poderíamos entrar na briga para fornecermos as Kombis no programa de helicópteros deles.

Só imagino como poderiam nos pagar…

Astolfo
Astolfo
Reply to  Andre
1 mês atrás

Que doação o que! Será possível que toda hora alguém quer oferecer nossos meios de graça aos argentinos?? Eles que paguem!

Não interessa se os A4 não têm tanto valor de combate atualmente, ou se a MB quer (ou não) os operar. Se os argentinos os quiserem, que paguem, nem que seja um valor pequeno! Nós aqui precisando de dinheiro para investir em equipamentos e logo vem essa conversa de entregar meios para os argentinos.

Só aceitaria doação de A4 para eles se em contrapartida eles assinassem um contrato adquirindo alguns C-390 (e só mediante entrada)!

Carlito
Carlito
Reply to  Andre
1 mês atrás

Doar? Jamais! Esses caras não são confiáveis, e nunca foram ao longo da história.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Andre
1 mês atrás

C tá doido man ???

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Andre
1 mês atrás

Doar não, mas quem sabe vender por preço camarada!

Andre
Andre
Reply to  Andre
1 mês atrás

Estão parados, dando prejuízo…

a contra partida é a contratação da Embraer para modernizá-los. A geração de empregos e impostos, mais a redução das despesas, paga.

Não foi mais ou menos assim que recebemos os M109 e os M117?

Vamos desapegar…

Luís Henrique
Luís Henrique
1 mês atrás

Eu achei os planos bastante modestos A Argentina está com problemas econômicos etc, porém o orçamento militar da Argentina nos últimos 10 anos sempre girou próximo de U$ 4 bi. Valor muito próximo do orçamento de países como a Grécia e Suécia. Não estou dizendo que a Argentina tem condições de possuir forças armasa poderosas como a Suécia ou a Grécia, temos que levar em consideração o padrão de qualidade dos serviços públicos da América Latina, que não podem ser comparados com países do 1o mundo. Mas creio também que 12 caças como o FA-50 que é um caça Low… Read more »

Fernando EMB
Fernando EMB
1 mês atrás

Se vão modernizar seus EMB-312 isso deverá ser feito no Colômbia.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Fernando EMB
1 mês atrás

Vão tentar fazer isso localmente!

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Modernização do Tucano de verdade é a que a Colômbia fez. Trocaram as asas, aviônica 100% nova, novo tem de pouso…
Se quiserem fazer modernização neste nível, a Colômbia possui a licença para realizar estes trabalhos.
Agora se for uma modernização “meia boca”… Podem fazer ele mesmos.

André Luiz Domingues
André Luiz Domingues
Reply to  Fernando EMB
1 mês atrás

Uma pergunta: nada de KC-390 para eles? Li a respeito de modernização de C-130…. puxa via e eles produzem peças da aeronave….

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  André Luiz Domingues
1 mês atrás

Ele precisam investir em muita coisa e sai mais barato modernizar localmente os C-130 e sobrar dinheiro para a compra dos caças supersônicos que eles não tem! Sem dúvida seria melhor comprarem os KC-390, mas o cobertor é curto!

Bueno
Bueno
1 mês atrás

Enquanto planejam a FAB realiza.
mais um KC390 em teste Célula PT-ZNG
Ontem consegui ver pelo flightradar as 3 aeronaves entregue me operação ao mesmo tempo.
e hoje este feito!

https://www.flightradar24.com/2555a7c1

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

• Aumentar o número de aeronaves no sistema A-4AR Fightinghawk, recuperando o ciclo logístico correspondente.

Se eles quiserem,tem um hermano no continente que pode oferecer umas aeronaves A-4 da hora…

Ivanmc
Ivanmc
1 mês atrás

Creio que o KAI FA-50 na Força aérea Argentina não será concretizado, uma pena. Fo oferecido e renegaram o F-16, que era uma ótima opção também. O Gripen C/D poderia ser uma aquisição bem signicativa.
O Jf-17 Thunder, desse caça eu particularmente admiro, e seria uma bela alternativa para a realidade das FAA, como já foi bem colocado pelo debatedor Willber Rodrigues.
Portanto, o lutador que seria ideal para a FAA seria o J-10, esse seria uma decisão bem pontual e efetiva para proteção aérea.

Last edited 1 mês atrás by Ivanmc
Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Ivanmc
1 mês atrás

A questão é grana falam em 12 caças FA-50 se forem comprar o J-10, o J-17 ou outro caça similar comprariam entre 4 a 6 e para um país tão grande só daria para fazer a defesa da capital. Com 12 dá para deixar 6 na região da capital e 6 na Patagônia e assim cobrir a maior parte do país!

Ivanmc
Ivanmc
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Pois é, Fabio Araujo, é complicado. Sendo que, você disse bem tendo 12 caças já teriam um desdobramento mais significativo.
Saudações.

Last edited 1 mês atrás by Ivanmc
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Ivanmc
1 mês atrás

Se a Argentina quer realmente voltar a ter aviação de caça a jato ( e não treinadores armados fingindo ser caças ), não restam muitas opções a eles: Tentar modernizar os seus A4: mas até quando isso é viável numa plataforma de 50 anos? O Brasil vender barato seus F-5M conforme o Gripen for chegando aqui: nosso F-5M tem a aviônica mais moderna do que qualquer coisa que eles tenham, mas ainda sim seria o mesmo problema dos A4, uma plataforma de 50 anos. Tentar comprar algum vetor ocidental: com que dinheiro? E se esse vetor tiver componentes britânicos, ou… Read more »

Tutu
1 mês atrás

Eles mandaram esse “Pucará Fenix” para Israel, a maior parte do trabalho de conversão para os PT-6 quem fez foram os israelenses.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Planos são Plano, o FA-50 Fighting Eagle acredito ser uma boa opção para FAA, e também o Pucara, já quanto ao A4, já que pretendem manter a Marinha Brasileira podia aproveitar e vender dos dela para a FAA, e comprar F-18 Hornet

Gilson
Gilson
1 mês atrás

Modernização do pucará, aumentar o número de A4ar fightinghanwk, modernização de tucano EMB 312, adquirir 12 caças e continuar a incorporação dos pampas lll, essa é a modernização da força aérea Argentina?

glasquis 7
Reply to  Gilson
1 mês atrás

É o que tem pra hoje.

Sidy
Sidy
Reply to  glasquis 7
1 mês atrás

E muito provavelmente nem isso vai ter.

André Luís
André Luís
1 mês atrás

Parabéns para quem conseguiu ler o texto até o final…

LeoL
LeoL
1 mês atrás

Eu não entendi a necessidade de ter 40 treinadores avançados Pampa para quem tem apenas 6 A4AR voando e almeja ter no máximo 12. Os pilotos vão ficar muito tempo com os treinadores.

J R
J R
Reply to  LeoL
1 mês atrás

Acredito que o Pampa fará lá o mesmo papel que o ST faz aqui.

glasquis 7
Reply to  LeoL
1 mês atrás

Pra manter doutrina de Força Aérea.

Kemen
Kemen
1 mês atrás

Desejos e planos são fáceis de escrever, se ao menos atingirem a metade do que se propõe, e nem pensam em um caça de superioridade aérea. E sobre
o desejo de um govêrno anterior argentino a respeito do Gripen?
Yo lloro por ti Argentina.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
luciano ferreira lima
1 mês atrás

Brasileiros querendo dar aula para Argentinos… me lembra o sujo falando do mau lavado.

celso
celso
Reply to  luciano ferreira lima
1 mês atrás

Realmente é igualzinho.
Programa de corvetas
Programa Gripem
Programa KC
Programa de Submarinos
SUBNUC
Astros 2020

Realmente Nelson Rodrigues tinha razão…

Andre
Andre
Reply to  luciano ferreira lima
1 mês atrás

Enquanto nós iremos produzir um dos mais avançados caça de 4°, eles lutam para comprar velhos A4….

Sério que você acha que é o sujo falando do mal lavado??

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
1 mês atrás

Os argentinos tem o que merecem e o que procuram.

Pra eles todo castigo é pouco.

Pena um lugar maravilhoso.

fewoz
fewoz
1 mês atrás

Só perdem tempo e dinheiro com estas velharias, além de insistirem de forma cega na sua pífia indústria de defesa. Deveriam comprar, sim, os aviões coreanos (que caem como uma luva pra eles, já que são novos e razoavelmente baratos), mas também Super Tucanos, além de uma ou duas unidades do KC-390. Não precisam de muito mais do que isso. Acho que para a Argentina, seria muito mais proveitoso fazer uma parceria sólida com o Brasil do que ficar com essa ilusão de “soberania nacional”. Eu sempre falo que acho melhor ter um gol andando do que uma Ferrari parada.… Read more »

Luiz
Luiz
Reply to  fewoz
1 mês atrás

Acho que para a Argentina, seria muito mais proveitoso fazer uma parceria sólida com o Brasil…

E a soberba deles? Isso jamais se concretizará.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luiz
1 mês atrás

Caro Luiz. As melhores análises são aquelas baseadas em fatos, sem fazer juízos psicológicos ou motivações morais. Na maioria das vezes, é impossível fazer uma conclusão. Soberba, orgulho, pontualidade, futilidade, pragmatismo, ou qualquer outra qualidade humana, são qualidades individuais que não podem ser usadas para qualificar a população de um país sem ser preconceituoso ou xenofóbico.

fewoz
fewoz
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, é inútil explicar isso para muitos aqui. Sempre que o assunto é Argentina, vem o mesmo papinho: “soberba, arrogância, etc”. Parece que o brasileiro é o povo mais humilde e honesto do mundo… Nem todos aqui estão preparados para uma discussão de verdade e lógica.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 mês atrás

Mofou ….

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 mês atrás

Lendo sem paixão política e sem ranço dos “hermanos”, é um plano factível e bem adequado para uma força em situação de penúria, num país com seríssimos problemas econômicos. 12 caças leves podem ser comprados junto à China. Eles têm grande quantidade de A-4R. Canibalizam a maior parte da frota, guardam outra parte como fonte de peças e conseguem manter 12 ou 14 operacionais. Fazem o mesmo com os Pucará. E sim, podem construir mais 28 unidade do IA-63 Pampa e chegar às 40. Como também não é difícil modernizar os Tucanos. Me pareceu a primeira visão realística de forças… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 mês atrás

Concordo com SR Fabio Max. Com exceção do KC390. Creio ser bem razoável o que FAA está planejando. A argentina sem dinheiro disponível em caixa . Faz o que pode. Grande abraço.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Nossa, chego a duvidar que consigam fazer tudo isso nesse restinho de século XXI

Johnny
Johnny
1 mês atrás

OK. Haverá o PTS e o PLANCAMIL. A dúvida geral é quanto ao DVLP (Dadonde virá La Plata). kkkkkkkkkk

Peter nine-nine
Peter nine-nine
1 mês atrás

*clap, clap

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 mês atrás

Sua majestade vai jogar areia nesse possível negócio!

Victor Teixeira
Victor Teixeira
1 mês atrás

Eu até que achei o plano da FAA bem “pé no chão”, pois não darão um salto da situação precária em que estão para por exemplo se comparar as melhores forças da América do Sul. haverá uma transição interessante com o T-50 e as modernizações. E falando nelas “ Aumentar o número de aeronaves no sistema A-4AR Fightinghawk, recuperando o ciclo logístico correspondente” bem que eles podiam fazer isso com a EMBRAER, como ela fez com os nossos falcões, mas acredito que vão de FAdeA

ROBERTO CAMPOS FREIRE
ROBERTO CAMPOS FREIRE
1 mês atrás

Planejamento sensato. Acredito que a parte mais difícil será a aquisição de 12 caças, claro em razão dos custos envolvidos, as demais são totalmente plausíveis.

gilson
gilson
1 mês atrás

definitivamente o caso argentino, em todos os sentidos seja ecomico, politico e defesa no momento é inreversivel; na ecomina tem uma divida interna e externa impagavel, na defesa o sucatiamento foi apos a derota na guerra das malvinas,a argentina, no passado praticamente antes da criaçao da embraer aqui no brasil, dizen que era um forte pais, oque aconteceu com um pais gigantesco igual a argentina? fico triste pela situaçao na argentina, principalmente suas forças armadas que hoje nao se lembra nada na invasão das malvinas, é triste e preocupante pensar que o brasil, passou perto disso o que esta acontecendo… Read more »

Falken666
Falken666
1 mês atrás

Eu ofereceria os nossos A4 e buscaria substituir por uns F18 via FMS, ou então por uns heli de ataque AH-1Z, pra colocar no A140 Atlântico.

Pavan
Pavan
1 mês atrás

Resumindo… Não vão fazer porra nenhuma !!

MARCOS DA SILVA QUEIROZ RIBEIRO
MARCOS DA SILVA QUEIROZ RIBEIRO
1 mês atrás

O plano é comprar 20 14bis e retrofitalos com painéis digitais…..kkkkkkk

Paulotd
Paulotd
Reply to  MARCOS DA SILVA QUEIROZ RIBEIRO
1 mês atrás

Eu apoio a ideia de doar os A4Br pra Argentina, assim que tivermos quase todos os Gripens. Não vamos conseguir vender isso no mercado internacional, e é um gesto importante com um aliado.

MB tem que focar em meios de superfície , coisa hoje vergonhosa. Manter A4, pilotos, estrutura, mecânicos custa dinheiro, coisa que tá faltando. Foca nos helicópteros, e transfere esses pilotos e mecânicos para a aviação de asas rotativas da MB.

Deixa os caças e superioridade aérea pra FAB que tá muito mais bem equipada pra isso.