Home Aviação de Caça Conceito chinês do caça J-20 operando com alas não tripulados

Conceito chinês do caça J-20 operando com alas não tripulados

4344
50

A aeronave de combate não tripulada (UCAV) Dark Sword da China — conhecida também como Anjian, reapareceu (pelo menos em arte digital) como uma espécie de “loyal wingman” junto a um caça J-20 biposto, seguindo a mesma tendência do Ocidente.

Em junho de 2018, uma imagem de um demonstrador de tecnologia em grande escala do UCAV Anjian (Espada Negra) apareceu em portais de notícias e mídias sociais chineses.

Desenvolvido pela Shengyang Aircraft, subsidiária da Aviation Industry Corporation of China (AVIC), o Dark Sword se assemelha fortemente a um modelo que foi visto pela primeira vez em 2006.

O design aerodinâmico apresenta canards à frente de uma asa delta, estabilizadores verticais duplos inclinados e um único motor. A imagem mais recente também sugere um design de entrada ar do tipo diverterless supersonic inlet (DSI), semelhante à encontrada no caça Shenyang J-10C.

A publicidade de 2006 descrevia o Dark Sword como uma “plataforma supersônica, supermanobrável e de baixa observação para futuras missões ar-ar”.

O Dark Sword parece ser de tamanho semelhante ao Chengdu J-20, e observadores chineses estimam que o UCAV possui especificações semelhantes às do caça de quinta geração, com peso de decolagem de cerca de 15 toneladas, carga útil de uma tonelada e raio operacional de aproximadamente 1.000 km.

Se projetado para combate ar-ar, o UCAV poderia superar os caças tripulados ocidentais, com taxas de giro além de 9 g.

Tendo introduzido com sucesso o J-20 e sua tecnologia stealth para serviço, a China está transferindo rapidamente essas características para plataformas não tripuladas.

O UCAV Dark Sword e técnicos chineses
O UCAV Dark Sword atrás da equipe chinesa

Subscribe
Notify of
guest
50 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RenanZ
RenanZ
1 mês atrás

“Se projetado para combate ar-ar, o UCAV poderia superar os caças tripulados ocidentais, com taxas de giro além de 9 g.“

É conhecido que, aos olhos da engenharia, a grande limitação da performance de um caça é o piloto (carga G, suportes de vida, assento ejetor, etc). Para comparação, aqueles pequenos aviões da Red Bull Air Race, como o Extra 300, chegam tranquilamente na faixa de 12g, talvez até mais

Last edited 1 mês atrás by Alexandre Galante
Jacinto
Jacinto
Reply to  RenanZ
1 mês atrás

Se tirar o piloto de dentro, além de aumentar o envelope de vôo, também libera o volume representado pelos sistema de suporte à vida.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  RenanZ
1 mês atrás

12G sem traje anti-g, diga-se de passagem.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Clésio Luiz
1 mês atrás

O piloto não apaga?

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  RenanZ
1 mês atrás

A China esta marchando a passos largos em inovação e ae se os EUA e seus parceiros da OTAN não se despertarem vão ficar para trás de novo.

Antonio Renato Cançado
Antonio Renato Cançado
Reply to  Luiz Trindade
1 mês atrás

Oi? DE NOVO? COMO de novo? Já ficaram pra trás antes?

Antonio Renato Cançado
Antonio Renato Cançado
Reply to  RenanZ
1 mês atrás

Isso faz diferença na arena WVR, na BVR não faz a menor diferença…

Mauro
Mauro
1 mês atrás

Atenção: Millennium no ar, acabou de decolar, Mediterrâneo, voltando para o Brasil.

Antônio Palhares
Antônio Palhares
1 mês atrás

E pensar que há quarenta anos atrás o país do futuro era o Brasil. Se

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Antônio Palhares
1 mês atrás

O Brasil é o eterno “País do futuro”
Foi no passado, é no presente e será no futuro..

pangloss
pangloss
Reply to  Rodrigo M
1 mês atrás

Rodrigo M, o Brasil é o país do futuro do pretérito: seria, mas não é; faria, mas não faz; conseguiria, mas não consegue, e por aí vai.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antônio Palhares
1 mês atrás

‘Deitado eternamente em berço esplêndido’.

Mauro
Mauro
Reply to  Antônio Palhares
1 mês atrás

Elogie e China, mas morando na China.

Elogiar a China estando a milhares de quilômetros de lá, é sopa.

sagaz
sagaz
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Para eles futuro é ter que bater continência para alguma autoridade ao escrever em fóruns on line…

Antonio palhares
Antonio palhares
Reply to  sagaz
1 mês atrás

Cidadão sagaz.
Prestei muita continência para minha bandeira, a qual honrosamente prestei juramento solene.
jamais “bateria” continência para qualquer bandeira que não fosse a minha.

Antonio palhares
Antonio palhares
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Não é uma questão de elogiar.
A questão é que o país mencionado, que era mai atrasado que nós.
Hoje está batendo de frente com a maior potência de todos os tempos.

Antonio palhares
Antonio palhares
Reply to  Antonio palhares
1 mês atrás

Mais atrasado quis dizer.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Viva a China! Sou um fã numero 1 do empenho e desenvolvimento chinês. E vou continuar morando no meu pais.

pangloss
pangloss
Reply to  Antônio Palhares
1 mês atrás

“O Brasil corre o risco de ficar obsoleto antes de estar pronto.” (Lévi-Strauss)

Luciano
Reply to  Antônio Palhares
1 mês atrás

Esse fazendão aqui só tem futuro para donos de terra e seus herdeiros.

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

Me parece que pra China é mais conceito que arma pronta pra uso, os americanos parecem estar mais na frente dessa evolução no combate aéreo. Sempre usando o ‘parece’ porque a realidade deve ser muito diferente do que eles divulgam…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Segundo o CEO da Canalys, uma das mais conceituadas editoras da área de tecnologia e computação, a China será líder mundial em 5 campos de tecnologia: Inteligência Artificial, cidades inteligentes, 5G, computação exascale e microfinanças.
Isto tudo em menos de 5 anos.
Portanto, não se surpreenda se a China já estiver bem mais avançada que os adversários também nessa área de UCAVs integrados.

Antonio Renato Cançado
Antonio Renato Cançado
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Taí, pago pra ver…

Antonio Renato Cançado
Antonio Renato Cançado
Reply to  Antonio Renato Cançado
1 mês atrás

Em tempo: NUNCA OUVI FALAR nessa “Canalys”

Matheus S
Matheus S
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Acredito que os editores não postaram a matéria completa para não causar pânico nos entusiastas, ainda falta essa parte que lhe responde: “A China costuma ser acusada de fazer engenharia reversa de design e tecnologia ocidentais, mas agora o país está revelando mais variantes do UCAV do que o Ocidente. Ela já desenvolveu uma série de sistemas não tripulados a jato, como o Guizhou Soar Eagle e o Chengdu Cloud Shadow. Estas são plataformas de reconhecimento, mas mais recentemente a China tem desenvolvido o UCAV Chengdu Sharp Sword e revelou o conceito Star Shadow da Star UAV.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Matheus S
1 mês atrás
Teropode
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Pânico por que ? 🤔

Matheus S
Matheus S
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Por causa do abalo do mito de superioridade total do ocidente.

LEONARDO CORREIA BASTOS
LEONARDO CORREIA BASTOS
1 mês atrás

A MAQUETE aceita tudo…

Lyw
Lyw
Reply to  LEONARDO CORREIA BASTOS
1 mês atrás

Isso era o que se comentava do J-20…

LEONARDO CORREIA BASTOS
LEONARDO CORREIA BASTOS
Reply to  Lyw
1 mês atrás
WVJ
WVJ
Reply to  LEONARDO CORREIA BASTOS
1 mês atrás

A maquete eletrônica, baseada em FEM, não
aceita tudo.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  LEONARDO CORREIA BASTOS
1 mês atrás

exatamente,como aqui nas forças armadas,onde são experts em maquetes e imagens 3D… não duvido da capacidade deles de projetar e fabricar algo para o mundo real,já nós não temos a mesma capacidade tão facilmente,pois as vezes falta grana e vontade política,e até mesmo vontade militar,tendo em vista que muitos projetos militares já foram descartados e em seu lugar um produto estrangeiro foi escolhido. Não conseguimos nem construir um VLS de vergonha,mas adivinhem quem leva nossos mini-nano satélites para o espaço?!sim,os chineses ! Os mesmos que começaram seu programa espacial(1956) quase paralelo ao nosso. Hoje eles constroem caças,fragatas,corvetas,NAes e LHD,enquanto nós… Read more »

Pedro Rocha
Pedro Rocha
1 mês atrás

Olá senhores! Reparam nos tanques subalares do J-20? Eu acho que na verdade esse conceito é para SEAD sendo que J-20 será o vetor de interferência dos radares e os UCAV serão os vetores de ataque. No meu ponto de vista um piloto só conseguiria controlar um UCAV ou seja é impossível dois ou mais. Sendo que na verdade o segundo tripulante do J-20 é um especialista em guerra eletrônica sendo que o enxame de UCAV deve ser controlados remotamente de terra ou um grande plataforma aérea

Lyw
Lyw
Reply to  Pedro Rocha
1 mês atrás

Os UCAV serão controlados de cabines em terra, navios ou outras aeronaves. A ideia é que a força inimiga tenha de combater uma força mista, formada por aeronaves tripuladas + não-tripuladas, isso aumentará as chances das pilotadas não serem abatidas.

Assim, na maioria das vezes, os pilotos e navegadores das aeronaves tripuladas estarão concentrados em suas próprias aeronaves. Já os UCAVs estarão sendo pilotados em bases terrestres, navios, ou grandes aeronaves como os AEW&C.

Last edited 1 mês atrás by Lyw
Marcelo
Marcelo
Reply to  Lyw
1 mês atrás

o 2o piloto, no suposto J-20 poderia controlar 1 ou ate mais UCAVs dependendo do nivel de autonomia deles. Poderemos ter isso com o Gripen F também…(sonho).

Jacinto
Jacinto
Reply to  Lyw
1 mês atrás

Mas pilotar de uma estação em terra tem problemas de latência no sinal (demora em receber o sinal e processar o comando) é coisa de décimos de segundos, mas para isso não tem muita solução, já que é um problema físico. Para um ambiente de baixa intensidade, esta latência é aceitável, mas para um ambiente de alta intensidade é mais complicado. Não tem muito por onde escapar: se quiserem tirar o piloto de um caça, será necessário desenvolver algum tipo de comando autônomo, que pode ser por meio de automatização ou inteligência artificial.

j.leo
j.leo
1 mês atrás

Na década de 90 morei por 2,5 anos nos arredores de Cambridge, cidade onde está localizada a Universidade de Harvard, já naquela época, quase 10% dos alunos eram chineses, com bolsas do governo chines, que os selecionavam a dedo, pelo que se vê nos dias de hoje, o investimento surtiu efeito e o aluno sobressaiu ao mestre.

Antonio palhares
Antonio palhares
Reply to  j.leo
1 mês atrás

Aplicar em educação e em cérebros permitiu à China chegar onde chegou.
Independente de gostar do regime ou não. Transformou-se em uma potência.

filipe
filipe
1 mês atrás

A China vai liderar a nova ordem mundial, usando as altas tecnologias e com uma forte economia, 75 anos depois de Hiroshima e Nagazaki, ai estão novas armas e com inteligência artificial, de 2020 até 2050 serão 30 anos intensos para a China e para os seus Adversários… Mas eu não entendo o porque dos EUA nunca subjugarem totalmente os seus inimigos, tiveram oportunidades de eliminar a China e a Rússia em 1945, mas não o fizeram , em 1945 os EUA eram a única nação da Terra com a Bomba atómica , a URSS conseguiu 4 anos depois, e… Read more »

ted
ted
Reply to  filipe
1 mês atrás

quando o DCTA poderá produzir uma turbina com materiais que resistam a altas temperaturas em situação de pós combustão?

sub urbano
sub urbano
Reply to  filipe
1 mês atrás

As bombinhas atomicas que os USA tinham em 1945 não eram muito mais fortes que o deposito de fertilizantes em Beirute.Os sovieticos chegariam até o Atlantico em menos de 1 mês. No fim da segunda guerra eles tinham quase 10 milhões de soldados. Eles destruiram o exercito Kwantung em 1 semana cara.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  filipe
1 mês atrás

filipe

E se…
Estes momentos históricos perdidos sempre existiram para todos os lados.
A Rússia Imperial tinha o domínio do Alasca e possuía, inclusive, um forte no território que hoje é a California. O Forte Ross.
Isso em uma época en que a Rússia era uma potência militar que estava derrotando Napoleão e os americanos estavam plantando algodão.
De resto, concordo com vc.

MFB
MFB
1 mês atrás

É o famoso Hiphone kkkk

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  MFB
1 mês atrás

Pois é!
Começaram com o Hiphone e hoje possuem cerca de 60% do mercado mundial.
E aposto minhas fichas que vão dominar tudo em pouco tempo.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

Ou seja em ultimo caso pode ser usado para chocar com o inimigo.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

não duvido da capacidade deles de projetar e fabricar algo para o mundo real,já nós não temos a mesma capacidade tão facilmente,pois as vezes falta grana e vontade política,e até mesmo vontade militar,tendo em vista que muitos projetos militares já foram descartados e em seu lugar um produto estrangeiro foi escolhido. Não conseguimos nem construir um VLS de vergonha,mas adivinhem quem leva nossos mini-nano satélites para o espaço?!sim,os chineses ! Os mesmos que começaram seu programa espacial(1956) quase paralelo ao nosso. Hoje eles constroem caças,fragatas,corvetas,NAes e LHD,enquanto nós não conseguimos concluir honrosamente modestas NPaOC classe Macaxeira… Alguns preferem depreciar os… Read more »

Jacinto
Jacinto
1 mês atrás

Semana que vem a agencia responsável por desenvolvimento de projetos avançados dos EUA (DARPA) vai fazer uma competição de dogfight entre equipes que desenvolvem AI para caças. O AI da equipe vencedora será então colocada em um combate simulado com um piloto da USAF. Como se ve, chegamos no ponto em que AI podr substituir um piloto em dogfight.

Auricélio
Auricélio
1 mês atrás

Gosto muito do Conceito 3 DRONES para cada aeronave tripulada,(é certo que autonomia dominara os cenários de todas as áreas do civil ao militar, Brasil deve entra no desenvolvimento com prioridade constitucional, e quanto aos dados divulgados lembrando, sabemos muito dos países democráticos mas os autoritário tudo é questionável, seja para cima ou para baixo, devemos nos precaver.

Antonio Renato Cançado
Antonio Renato Cançado
1 mês atrás

Até os códigos de cauda da USAF e da USN esses incapazes copiam…