Home Aviação de Treinamento Índia aprova compra de 106 turboélices HTT-40 de treinamento

Índia aprova compra de 106 turboélices HTT-40 de treinamento

2284
47
HTT-40
HAL HTT-40

Em 11 de agosto de 2020, o Conselho de Aquisição de Defesa Indiano (DAC) aprovou a aquisição de equipamento de defesa por um custo aproximado de US$ 2 bilhões, incluindo 106 aeronaves de treinamento básico HTT-40 da Hindustan Aeronautics Ltd (HAL) para o Bharatiya Vayu Sena (IAF, Força Aérea Indiana).

O processo de certificação está bem encaminhado para o novo treinador. Setenta HTT-40s serão adquiridos inicialmente, enquanto um segundo grupo de 36 aeronaves será adquirido após a operacionalização do HTT-40 na Força Aérea Indiana.

O anúncio dessa aquisição do treinador básico ocorre poucos dias depois que o Ministério da Defesa da Índia (MoD) publicou sua primeira lista de 101 sistemas de armas e equipamentos que não comprará mais no exterior.

A extensa lista cobre um amplo espectro de hardware, incluindo aeronaves de transporte, armas de artilharia, helicópteros de combate, sistemas de radar, simuladores, fuzis de assalto, navios de guerra e muito mais.

O primeiro conjunto de itens será proibido de importar a partir de dezembro de 2020, seguido por outro conjunto a partir de dezembro de 2021 e um terceiro a partir de dezembro de 2022.

Isso definitivamente significa que nenhuma outra aeronave de treinamento Pilatus PC-7 será adquirida.

De acordo com a HAL, o custo por aeronave será reduzido ainda mais quando o número total ultrapassar 100 aeronaves. A Força Aérea Indiana, no entanto, pintou um quadro sombrio para sua frota de aviões de treinamento no ano passado.

Ela destacou que os esforços para desenvolver um treinador básico sob o programa HTT-40 estavam atrasados ​​cinco anos. A IAF esperava até mesmo que o treinador da HAL dificilmente seria certificado para voo em 2021.

Embora o processo de certificação do HTT-40 ainda não tenha terminado, a decisão de comprar “Make in India only” é uma notícia muito positiva para a Hindustan Aeronautics Ltd.

FONTE: Scramble Magazine

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Qualquer semelhança com o Tucano não é mera coincidência, criamos um avião que é referencia para o resto.

A “segunda frente”.. ops… Índia, está bem ativa nos últimos tempos.

Nostra
Nostra
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

One of the main criteria of HTT40 selection was to show its ability to enter into a induced spin and recover from the same safely everytime. This is required to train young pilots on how to recovery from uncontrolled spin encountered in fighter jets incase of accidents etc.

https://m.youtube.com/watch?v=E2cNVWDXGyQ

On/off board video of HTT40 spin and recovery test.

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
1 mês atrás

Also HTT40 is primarily meant to be a trainer. But HAL has decided to produce a armed variant for export market and local requirements if any in the future.
comment image

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
1 mês atrás

comment image

On the left 2 prototypes of HTT40 primary trainers prepping for flight tests.

On the right 2 prototypes of HTT36 intermediate jet trainers prepping for flight tests.

Initially HTT36 faced problems with spin tests , but tests resumed after modification of the same.

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
1 mês atrás

LUH IOC expected shortly
comment image

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
1 mês atrás

Also Dhruvastra helicopter launched ATGM test-fired recently.

LOAL & LOBL , IIR seeker , direct attack & top attack mode , range 8 km
comment image

Nostra
Nostra
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Indian hypersonic glide vehicle ( HGV )
comment image

Glasquis7
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Beechcraft T-6 Texan II

30423914244_da34115a71_b.jpg
Last edited 1 mês atrás by Glasquis7
Glasquis7
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

KAI KP1 TORITO

peru-fzaaerea-kt-1p-fap1-520.jpg
Glasquis7
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás
Glasquis7
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

T 35 ENAER PILLAN

Enaer-T-35B-Pillan.jpg
Glasquis7
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

T 27 EMBRAER TUCANO

imagesFTZWK99S.jpg
Glasquis7
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Então, quem copiou quem?

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Pra vc vê… O mais impressionante é ver que ainda tem gente que discorda do óbvio que vc escreveu…

Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
1 mês atrás

Os caras estão investindo pesado mesmo em.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Funcionário dos Correios
1 mês atrás

Eis aí um povo com plano de nação. Entra governo e sai governo, entra crise e sai, mas a mão continua firme no timão.
Exemplo para o Brasil.
Um amigo me perguntou ontem, se realmente existia uma “Secretaria de Desinvestimento” no Brasil, pois leu isso no site do governo federal.
Pensou ele, sem brincadeira que só poderia ser um erro de tradução e me mostrou. Eu lhe disse que sim, a tradução estava certa e tal secretaria sim existe.
Ele, e eu inclusive continuamos sem entender como algo assim é possível.

Abs

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

No Brasil, a cada dia que passa, tú não sabe mais o que é piada/zoeira e o que é realidade. E a realidade aqui é mais bizarra do que a piada/zoeira.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Poderia compartilhar o link?

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Amigos, a Secretaria existe mesmo, e ainda bem !!! Acho que os senhores estão um pouco equivocados quanto ao propósito desta, e isso acontece por causa do nome “Desinvestimento” Mais é preciso ler o titulo inteiro e ver o proposito desta secretaria, ela foi criada (idealizada pelo Ministro Paulo Guedes) para ajudar nas privatizações, diminuir o estado, o Seu secretário titular era o Salim Mattar (eu disse era poque pediu demissão esta semana) Salim é o fundador da empresa de locação de automóveis “Localiza” O seu projeto era vender cerca de 1 Trilhão de Reais em Estatais, ou seja ia… Read more »

Andre
Andre
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

O dia que a Índia ( 129° IDH) for exemplo para nós (79° IDH) estamos lascado. Um país muito mais corrupto e desigual, com uma sociedade muito mais machista e estratificada que a nossa, e uma rede de assistência social muito menor que a nossa. Com conflitos recentes com Paquistão e China, investem pesado em defesa e abandonam a sociedade. Sobre a secretaria de desestatização e desinvestimento, estamos apenas 30 anos atrasados em relação a todos os 25 maiores IDHs do mundo, que fizeram as reformas liberais (e em todos esses países, ser liberal é ser de esquerda) nos anos… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Andre
1 mês atrás

Muito bom!

Cláudio Severino da Silva
Cláudio Severino da Silva
Reply to  Andre
1 mês atrás

Mas será que a Nova Zelândia e Suécia tiveram o mesmo tipo de congresso que temos? Os “caras” querem enriquecer em quatro ou oito anos. Para isso seguem o exemplo daquele personagem do Fernando Veríssimo ,”Quero o meu” o Corrupião Corrupto.comment image

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Andre
1 mês atrás

Andre, eu concordo em relação à Índia, mas você confundiu as coisas em relação às reformas liberais. Quando se trata de economia, ‘reformas liberais’ são de direita, pois implicam em liberalização econômica, ou seja menos regulação estatal. Quando se fala em sociedade, ‘liberais’ são aqueles que não são conservadores, então esses sim são considerados de esquerda.

Só estou definindo porque realmente pode ficar confuso para muita gente.

João Rodrigues Dos Santos
João Rodrigues Dos Santos
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Leandro Costa, Perfeita sua explanação e explicação!!

Cass
Cass
Reply to  Andre
1 mês atrás

Mas ambos países, Suécia e Nova Zelândia, são Monarquias Constitucionais Parlamentares, aonde maus políticos podem ser demitidos pelo Poder Moderador (Rei).
Por isto as Monarquias modernas dominam os rankings de IDH e democracia!
Em nossa realidade presidencialista, não vislumbro grandes mudanças!

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Cass
1 mês atrás

Nossa!
De onde tiraste que numa monarquia constitucional, o monarca é moderador?! Não, meu querido! O monarca é apenas Chefe de Estado e há completa separação de poderes. O monarca, portanto, vai “demitir” parlamentar “mau” algum!
E antes fosse tão simples a solução de se aumentar o IDH de uma nação simplesmente estabelecendo-se uma nova forma de governo!

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Cass
1 mês atrás

Cass, Poder Moderador só existiu no Brasil.

Cristiano GR
Cristiano GR
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Depois que um governo como o pt passa é natural que exista mesmo uma pasta para avaliar, fazer cálculos e apontar áreas onde o governo deve tirar o dinheiro investido. Imagem quanto investimento duvidoso o pt fez nos 3,5 mandatos.

sagaz
sagaz
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Índia torrando Deus sabe lá quanto com diversas “aventuras” militares, ok, têm a China no cangote, mas não vejo grande planejamento de nação nisso. O Brasil carece de melhor qualidade em seus gastos, mas temos uma baita organização no que deve ser investido (educação/saúde/segurança.), temos uma infraestrutura em crescimento com capacidade de geração elétrica a qual comporta crescimento por várias décadas, temos cada vez mais uma agenda liberalista ganhando força na sociedade sem contar a nossa liberdade… Não consigo enxergar isso na Índia, inclusive ao comparar as nossas misérias e a deles eu não consigo enxergar que estejamos numa condição… Read more »

Nostra
Nostra
Reply to  sagaz
1 mês atrás

Electricity generation point reminded me of something you might find interesting, India has been working on since late 1950s on a 3 stage nuclear program ( thorium based ) .

1st stage PHWR
2nd stage FBR
3rd stage Thorium reactors

The 3rd stage when completed ( by 2050+ ) will have the potential to generate 358,000 GWe-yrs of electricity ( depends on installed capacity ) for centuries to come.

Last edited 1 mês atrás by Nostra
GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Desinvestimentos é um termo comum de mercado quando se quer diminuir de tamanho. Empresas desinvestem quando vendem ativos, subsidiárias, carteiras etc.
A Petrobras desinvestiu quando vendeu seu controle e participação na BR Distribuidora, por exemplo.

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

Pra ter mais pilotos pros aviões novos precisa de treinamento, até aí, normal. As quantidades é que assustam na Índia, tudo é em escala grande…

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Mas uma cópia do icônico T-27, mostra a qualidade do original ninguém faz cópia de um projeto ruim.

Last edited 1 mês atrás by Fabio Araujo
Cláudio Severino da Silva
Cláudio Severino da Silva
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Mas fizeram foi cópia do Beechcraft AT-6B. Vejam o tamanho da seção traseira da fuselagem. O leme quase tocando a parte posterior da nacele! Esse HTT está mais para cópia do AT-6B. Não tem a elegância, o belo desenho do Embraer A-29 Super Tucano!

Glasquis7
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Todos o treinadores desse tipo são muito parecidos. Não se pode dizer que foi cópia do T 27

Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
1 mês atrás

Tínhamos que colocar um pedido destes para os Novaer T-Cx.

Umas 100 pelo menos. E já aposentar os T-27.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Rogério Loureiro Dhierio
1 mês atrás

Novaer T-Cx seria para instrução básica para substituição aos Neiva T-25.
T-27 Tucano já é para instrução intermediária. Aliás, estes estão sendo modernizados e ganharam um simulador. Portanto, serão utilizados por um bom tempo na AFA.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 mês atrás

Não demora, fazem uma versão de ataque e contra insurgência…

V12 aero
V12 aero
1 mês atrás

Avião estranho, curto d+

Luiz Antonio
Luiz Antonio
1 mês atrás

O Brasil não perde nenhuma oportunidade para perder oportunidades, isso é nossa desgraça endêmica.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 mês atrás

Observem o trem de pouso!
Só suportam a aeronave!
Ñ suportam nem uma granada sob as asas!

Glasquis7
Reply to  Sérgio Luís
1 mês atrás

É um treinador básico, não precisa mais do que isso. Se começar a incrementar ele, torna-se muito caro de construir e de operar.

Last edited 1 mês atrás by Glasquis7
Antônio Araújo
Antônio Araújo
1 mês atrás

O avião não tem nem proteção aerodinâmica para as pernas do trem de pouso principal Eca. Vale ressaltar que este avião é um mero treinado, passa longe do nosso Super Tucano.

Glasquis7
Reply to  Antônio Araújo
1 mês atrás

Este avião é um treinador básico. O A 29 é um caça CAS/COIN, duas aeronaves totalmente diferentes, desenvolvidas pra funções diferentes, a custos diferentes.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
1 mês atrás

Creio que alguns colegas estão equivocados ao comparar essa aeronave aos A-29 e mesmo aos T-27. Essa aeronave destina-se a treinamento primário, e mais moderno do que como o nosso T-25 de 60 anos de idade aliás. Se não construímos nada mais moderno, não tem sentido criticar quem o faz, a não ser pela critica gratuita de quem não foi capaz de fazer o que alguém fez. Quanto à essa aeronave ter capacidade de suportar carga bélica, que o trem de pouso é isso ou aquilo, nem vou comentar, pois a aplicação para qual foi projetada deixa bem claro. Projetaram,… Read more »

Glasquis7
Reply to  Luiz Antonio
1 mês atrás

O senhor está coberto de razão. O A 29 é um caça CAS/COIN que em algumas forças é usado às vezes, como treinador intermediário. Não há como comparar com o treinador básico indiano.