Home Aviação de Ataque Segundo esquadrão da caças F-35I ‘Adir’ operacional em Israel

Segundo esquadrão da caças F-35I ‘Adir’ operacional em Israel

1694
16

Cerca de seis meses atrás, o pessoal do 116º Esquadrão “Lions of the South” ficou em posição de sentido orgulhosamente enquanto quatro jatos de combate “Adir” (F-35I) voavam sobre eles. A data era 16 de janeiro de 2020, inauguração do segundo esquadrão para operar as aeronaves mais avançadas do IAF. Hoje (6 de agosto), o esquadrão atingiu mais um marco e tornou-se oficialmente operacional. De agora em diante, os “Leões do Sul” estão prontos para participar da extensa atividade operacional da IAF.

Enfrentando o desconhecido

Antes de ser anunciado como operacional, o esquadrão passou por um longo processo, durante o qual ganhou experiência em vários campos — desde a definição dos processos de treinamento até o planejamento das táticas do esquadrão. Nos últimos seis meses, o pessoal do esquadrão foi confrontado com os vários cenários que eles foram obrigados a enfrentar como parte da preparação para a inspeção de aptidão operacional que ocorreu nesta semana – eles estarão preparados para situações reais. “A inspeção de aptidão operacional fornece um selo oficial de aprovação para a capacidade operacional do 116º Esquadrão para realizar todas as missões da divisão ‘Adir’. As tarefas do esquadrão incluem sua gestão durante a rotina e períodos de guerra, bem como a manutenção funcional continuidade”, explicou o major Edi, oficial técnico do esquadrão.

O pessoal do 116º Esquadrão não foi exposto com antecedência aos cenários que eles tiveram que enfrentar durante a semana de teste, da mesma forma que durante o combate eles nem sempre serão capazes de prever o que acontecerá. “A inspeção simulou a arena operacional e as tensões regionais atuais. Vários cenários levaram a uma guerra simulada em todas as frentes, e os membros da tripulação decolaram para missões em todas as regiões de Israel”, compartilhou o Maj. G, líder da inspeção de aptidão operacional e membro da tripulação aérea do esquadrão.

Alguns dos comandos operacionais já alcançaram o esquadrão na semana passada, para dar aos membros da tripulação tempo suficiente para se prepararem para suas tarefas aéreas. “Vários oficiais de diferentes departamentos do QG da IAF vieram ao esquadrão para nos examinar”, disse o Maj. G. “Durante a atividade contínua e o combate da IAF, essas pessoas dão comandos operacionais aos diferentes esquadrões — os comandos que descrevem a missão, o resultado desejado e a política de ação definida pelo Comandante do IAF. Somos obrigados a tomar esses comandos operacionais e planejá-los e executá-los”.

Tudo culmina neste momento

A inspeção de aptidão operacional simulou 72 horas de combate intensivo. “Trabalhamos 24 horas por dia, sem parar”, descreve o Maj. Edi. “Soldados, oficiais e sargentos trabalhavam 16 horas por dia e descansavam as oito restantes. O esquadrão operava em turnos, para simular sua atividade durante a guerra”.

Ao longo da semana, o departamento técnico do esquadrão foi testado em diversos cenários que podem afetar seu funcionamento. “Lidamos com situações de ataques de mísseis e fomos testados quanto à nossa capacidade de lidar com eles de maneira adequada”, disse o Maj Edi. “Quando os mísseis atingiram o esquadrão, um incêndio irrompeu e houve feridos — eles examinaram nosso processo de tomada de decisão, gerenciamento durante o combate e capacidade de manter a continuidade funcional. Esse é apenas um exemplo entre muitos. Não havia um único cenário para o qual não estávamos preparados”.

O início da era “Adir”

“Todo o esquadrão participou da inspeção de aptidão operacional, desde novos soldados que chegaram este mês até reservas que foram especialmente recrutadas para participar”, disse o Maj. G. “Desde o momento em que o esquadrão foi estabelecido até hoje, fomos acompanhados por um sentimento de desejo de fazer parte de uma equipe. Todos nós queremos ter sucesso e ser o melhor que pudermos. Ao longo do último semestre, o pessoal do 116º Esquadrão deu cem por cento de sua energia e habilidades para garantir que estará entre os esquadrões líderes da IAF. Há expectativa e um sentimento de preparação — viemos prontos para a preparação operacional e agora podemos nos mostrar”.

Como será o 116º Esquadrão a partir de agora? “O próximo marco significativo será a nossa primeira missão operacional”, concluiu o Maj. G. “Ainda somos um pequeno esquadrão e continuaremos a recrutar novas pessoas e aeronaves nos próximos meses”.

FONTE: Força Aérea Israelense

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Leandro Costa
Leandro Costa
3 meses atrás

Nossa, que fracasso! LOL!

MARCIO MESSIAS SOARES
MARCIO MESSIAS SOARES
3 meses atrás

já até imagino aonde esta molecada danada do GRANDE E ETERNO ESTADO DE ISRAEL, vão treinar, e afinar a pontaria, estes ninos são levados kkkk

Matheus S
Matheus S
3 meses atrás

Aparentemente, eles já tenham plenamente operacionais 27 caças F-35I. Quantos atualmente estão alocados no 116º Sqn? E quantos alocados no 140º Sqn? A última notícia que eu vi sobre isso foi novembro de 2019 quando o 140º estava com 18 aeronaves F-35I em seu inventário. E na própria matéria afirma que o 116º em janeiro de 2020 tinha 4 caças em seu inventário. Me lembro também de uma matéria afirmando em novembro de 2019 que os primeiros dois caças do 116º foram entregues. Algum entusiasta saberia me informar quantos estão alocados no 116º e no 140º Sqn atualmente? Tentei visualizar… Read more »

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Matheus S
3 meses atrás

Essa informação é altamente confidencial, ou você acha que Israel quer que o Irã saiba quantos F-35 podem ser utilizados num ataque?

Matheus S
Matheus S
Reply to  JuggerBR
3 meses atrás

A quantidade de vetores em um esquadrão não é uma informação confidencial, existem diversas notícias de aeronaves sendo implementadas nos esquadrões assim como pela quantidade de aeronaves compradas dá para se ter uma boa visualização. Eu sei que Israel usará dois esquadrões de F-35I com 25 aeronaves cada, e possivelmente virá um terceiro esquadrão de 25 F-35I ou partirão para um lote de F-15. O que eu quero saber é quantos F-35 têm atualmente em cada esquadrão. O Avgeekery noticiou em novembro de 2019 que o 140º Sqn tinha 18 aeronaves e 2 no 116º. Provavelmente terei que fazer um… Read more »

JuggerBR
JuggerBR
3 meses atrás

Irã não curtiu essa notícia…

Fabio Araujo
Fabio Araujo
3 meses atrás

Síria e Irã que não provoquem, os israelenses já mostraram que dominam bem essa fera!

Fernando C. Vidoto
Fernando C. Vidoto
3 meses atrás

Não estou fazendo uma crítica ao F35 (que acho excepcional).

Mas estava vendo umas fotos do Raptor e parece que o RAM que eles usam precisa de manutenção constante.

Em algumas fotos parece que ‘gastou’:

comment image
comment image

Last edited 3 meses atrás by Fernando C. Vidoto
Flanker
Flanker
Reply to  Fernando C. Vidoto
3 meses atrás

Esse vestimenta é caro e, sendo assim, em tempos de paz, as aeronaves não estão envolvidas em missões reais, podem operar sem o revestimento. Quando houver previsão e necessidade, o revestimento é aplicado e a aetonave passa a contar com toda sua capacidade de furtividade.

Flanker
Flanker
Reply to  Fernando C. Vidoto
3 meses atrás

Esse revestimento *

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Fernando C. Vidoto
3 meses atrás

Fernando, e tem razão. Uma das evoluções do F-35 em relação ao F-22 seria que o material absorvente é mais resistente e não necessita de tanta manutenção.
A USAF, para aumentar a taxa de disponibilidade, não está constantemente a repintar os F-22 que não estão na linha da frente com o RAM. Os que são usados para treino de pilotos têm sempre este ar mais “gasto”. Os que estão deployed no Oriente Médio, Europa e Alasca têm um ar muito diferente

Gabriel Farias
3 meses atrás

Os “passeios” de Israel pelo Oriente Médio estão ficando mais legais.

Plinio Jr
Plinio Jr
3 meses atrás

Ativação deste 2º Esquadrão será mais uma séria dor de cabeça á Sírios e Iranianos…o Xings pira com isto…kkkk

Tomcat4,2
Tomcat4,2
3 meses atrás

Queria ser uma mosca pra ver/saber o que os israelenses colocaram como personalização deles no F-35 I Adir viu. Já dominavam os céus das arábias e agora então… tem pra ninguém, no chão então melhor nem comentar. 😉

Nei
Nei
Reply to  Tomcat4,2
3 meses atrás

Realmente impressionante os israelenses …

MFB
MFB
3 meses atrás

F-35 desfilando sobre o oriente médio, dominante e impune. Para o desespero do senhor tonho da lua.