Home Aviação de Caça USAF testa esquadrilha de F-16 com radar APG-83 AESA

USAF testa esquadrilha de F-16 com radar APG-83 AESA

3958
47

BASE DA FORÇA AÉREA DE EGLIN, Flórida — Uma equipe de teste operacional e de desenvolvimento combinada testou com sucesso uma nova capacidade de radar durante uma formação de quatro aeronaves F-16 da USAF em 2 de julho.

A missão foi a primeira do gênero a testar o radar APG-83 Active Electronically Scanned Array (AESA) em quatro aviões de combate ao mesmo tempo. A Operational Flight Program Combined Test Force (OFP CTF), o 40th Flight Test Squadron e o 85th Test and Evaluation Squadron foram responsáveis ​​por colocar o radar em campo para a frota de F-16 da USAF.

O radar equipa os F-16s com recursos de radar de 5ª geração semelhantes aos F-22s e F-35s. O sistema é usado na supressão ou destruição das defesas aéreas inimigas, para mirar em radares e mísseis ar-superfície. Também melhora os recursos ar-ar existentes e aprimora o mapeamento ar-solo.

“Essa capacidade nos permite atingir o canto noroeste de um pequeno prédio ou o cockpit de uma aeronave a vários quilômetros de distância, além da linha de visada”, disse Jack Harman, piloto de teste de F-16 do 40th FLTS. “O radar aprimora nossa capacidade de identificar a ameaça antes de sermos alvejados – não precisamos mais estar dentro de um envelope de ameaças para detectá-la.”

Ao testar quatro radares AESA ao mesmo tempo, a equipe avaliou se a aeronave sofreu interferência e avaliou se o sinal melhorou ou se degradou ao operar em conjunto. A esquadrilha é a formação básica de combate de aeronaves de combate, permitindo que os testadores vejam como o radar responde em um cenário de combate.

“Do ponto de vista do F-16, não recebemos hardware significativo há anos”, disse Harman. “Estamos passando por pelo menos 13 novos programas para a aeronave e isso está acontecendo quase simultaneamente.”

A OFP CTF é especializada em gerenciar a integração de testes operacionais e de desenvolvimento, permitindo que as equipes de teste combinadas atendam totalmente aos requisitos de um único comandante.

“Não apenas voamos e testamos o hardware, como também somos responsáveis ​​por garantir que ele seja adequado e atenda às necessidades e requisitos dos operadores”, disse o tenente-coronel Ben Wysack, diretor da divisão de testes do F-16. “Estamos sempre atualizando o software, melhorando, corrigindo bugs e adicionando novos recursos”.

Como especialista no assunto do radar AESA do F-16, Wysack ensina outros pilotos da Força Aérea a usar o radar e trabalha no currículo da próxima versão do software.

Este teste de radar incluiu pessoal dos F-16 e F-15 representando civis, contratados, Reserva, Guarda Nacional e componentes de serviço ativo. Além disso, a 309th Software Maintenance Wing da Hill AFB, Utah, produziu o código para o software de teste.

“Do ponto de vista de um gerente de programa, essa foi uma jornada gratificante — desde gerenciar o programa em Wright-Patterson até testar e trabalhar aqui em Eglin”, disse o tenente-coronel Alec Spencer, diretor de operações do 40th FLTS.

Embora o radar continue a ser testado aqui no futuro próximo, espera-se que o sistema esteja operacional em toda a frota de F-16 ainda este ano.

“Conseguir isso, especialmente nas condições da COVID-19, foi um esforço hercúleo. Estamos vendo flexibilidade de diferentes organizações para que isso aconteça”, disse Harman. “Somente este teste é uma grande vitória para a comunidade do F-16”.

FONTE/FOTOS: USAF

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Karl Bonfim
Karl Bonfim
1 mês atrás

“Radar APG-83 Active Electronically Scanned Array (AESA) com recurso de 5ª geração” no F-16. Será que com isso deve superar o Raven ES-05 do Gripen NG?

Last edited 1 mês atrás by Karl Bonfim
Kemen
Kemen
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

Devem ser mais ou menos similares, sendo que o Raven ES-05 não foi desenvolvido para upgrade de um caça existente com as suas normais limitações, devido à ser mais antigo, o Raven ES-05 foi desenvolvido para o novo Gripen E/F, com seus novos sistemas de energia e software.

Kemen
Kemen
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

AESA´s – alvos aéreos. Que eu saiba, do ocidente só o Captor-E tem alcance maior que o Raven ES-05, entretanto alcance não é tudo para os radares. Mais alcance melhor, mas existem outros parâmetros a considerar e não tenho informações a respeito de todos eles. O ES-05 detecta um objetivo de 3 m² a 200 Km e pode fixar 20 alvos simultâneamente. O AN-APG 80 (dos F-16 Block 60), detecta 1 m² a 110 Km e 5 m² a 165 Km. O AN-APG 83 (upgrade dos F-16 A/B/C/D), detecta 2 m² a 150/160 Km e pode fixar 8 alvos simultâneamente… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Dod
Dod
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Qual a fonte de pesquisa, que vc tem essa informação ?

Kemen
Kemen
Reply to  Dod
1 mês atrás

Varias fontes ao longo dos tempos, algumas até divergem, mas se quer uma generica com um apanhado geral ai vai.

https://weaponews.com/weapons/1563-advanced-aesa-radars-for-front-and-perspective-instants-the-unpreceden.html

Dod
Dod
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Muito obrigado amigo

Lucianno
Lucianno
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Li a matéria que indicou como fonte e lá não esta escrito qual seria o alcance do ES-05. Acredito que não deve passar de 160 km, provavelmente a menor do caças atuais, do jeito que o pessoal da SAAB é fanfarão e marketeiro, se realmente o alcance fosse bom já teríamos um enxurrada de “reportagens” na internet.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

é superior sim, é tem alcance de 370 km, contra cerca de 200 Km do RAVEN, mas é demerito para o RAVEN, se trata de um dos melhores radares aesa para caças que existe, sendo uma cópia menor do APG 81 do F35

Kemen
Kemen
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Colega, me desculpe, mas a sua informação de alcance não esta correta, os alcances se especificam pelo RCS (m²), sem especificar RCS o ES-05 ultrapasa os 400 KM. É até onde a frequência refletida do radar detecta.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Olá Kemem solicito o link de onde vc viu esses alcances.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

correção: não é demérito para o RAVEN

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

Sim, é um radar superior principalmente por conta da sua capacidade de ser usado como jammer, em termos de alcance e capacidade de detecção creio que sejam similares a não ser que tenha empregado transistores de nitreto de gálio, pois ambos são AESA e tem basicamente o mesmo tamanho. O radar do gripen precisa uma atualização, ele é basicamente um vixen 1000, um Bom radar AESA, mas nada no estado da arte como APG-83.

Kemen
Kemen
Reply to  Mateus Lobo
1 mês atrás

O Vixem 1000 foi modificado e melhorado, por isso recebeu um novo nome Raven ES-05. O APG-83 é similar e um pouco inferior, natural por ser um radar desenvolvido para modernizar os velhos F-16 A/B/C/D.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Outro patamar…

leandro
leandro
1 mês atrás

chile curtiu esse post! heheehe

Kemen
Kemen
Reply to  leandro
1 mês atrás

Claro, mas precisa ter dinheiro sobrando.

glasquis7
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Ninguém tem dinheiro sobrando. Ainda menos nestes dias.

Kemen
Kemen
Reply to  leandro
1 mês atrás

Seria ideal para a FACh que fizessem upgrade dos F-16 MLU que devem ter os radares AN APG-66 (ou AN APX-66 da Westinghouse) e também dos Block 50/52 que devem ter os radares AN APG-68. Os AESA dariam uma capacidade maior a FACh

Glasquis7
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Sem dúvidas um Radar AESA seria um Up importante na frota mas, algo aconteceu entre 2018 e 2019 e a FACh preferiu não incluí-los no pacote de atualização.

Em tudo caso, os radares dos F16 São os AN/APG 66(V)2a com 233 Km de alcance pros MLU e os Block 50 usam o AN/APG68(V)9 de 300 Km de alcance.

Pras necessidades da FACh na atualidade, estão até sobre dimensionados. Se somarmos todos os sistemas e subsistemas então. Mais ainda se pensarmos que dos MIG peruanos apenas 8 foram modernizados e a Argentina praticamente caem sozinhos.

Kemen
Kemen
1 mês atrás

Pouco conheço dos radares dos chineses, mas no que se refere aos F-16 pelo que parece o AN-APG 80 (AESA) que equipa os Block 60, é inferior em alguns parâmetros. O objetivo deve ser fazer modernização nas unidades da USAF ou também da National Guard. Agora me vem uma dúvida, sera que esse radar sera considerado equipamento estratégico e não sera fornecido para eventuais upgrades de F-16 de outros paises? Dai os F-16 devem sobreviver por mais um tempo,economia, “o mar não esta para peixe”. Entretanto, quem tem F-16 com radar antigo (por exemplo APG-66) deve certamente achar que esse… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Kemen
Kemen
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Respondendo a minha propria dúvida, sim o SABR (AN-APG 83) de 2012/2013 esta previsto também para modernização dos F-16 de outros paises, caso queiram.

glasquis7
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Há vários motivos pro Chile ter desistido da compra dos AESA. A situação social tem declinado muito e o apoio do governo está muito baixo. Abaixo do 15%. Neste ano a força policial está renovando a sua frota, que já é bem custosa sendo o Dodge Charger interceptor a sua viatura principal e o Dodge Durango o seu “camburão”. Gastando horrores na força anti disturbios. https://www.infodefensa.com/latam/2020/07/16/noticia-carabineros-chile-recibe-nuevo-lanzagua-rosenbauer-cobra.html https://www.infodefensa.com/latam/2019/12/09/noticia-carabineros-incoporara-nuevo-equipamiento-fuerzas-especiales.html https://www.msn.com/es-cl/noticias/chile/%C2%BFde-qui%C3%A9n-es-el-veh%C3%ADculo-blindado-que-circula-por-las-calles-de-santiago/ar-BBXHCx1 https://www.flanlate.com/2020/03/asi-es-el-nuevo-camion-lanzaguas-turco.html https://reddigital.cl/2020/02/13/potencialmente-letal-la-nueva-arma-antidisturbios-entrena-carabineros/ Tudo isto tem agravado a crise e exaltado os ánimos da população. Com a notícia do gasto da compra das Adelaide e a as modernizações em andamento a situação do… Read more »

Pablo Astorga
Pablo Astorga
Reply to  glasquis7
1 mês atrás

Como dicen nuestros hermanos brasileños, con su peculiar buen humor: mimimimimimi…

Otra cosa, su comentario es completamente contradictorio.

Taso
Taso
Reply to  Pablo Astorga
1 mês atrás

con su peculiar buen humor: mimimimimimi…”
kkkkkkkkkkk eu ri

Taso
Taso
Reply to  Taso
1 mês atrás

ou melhor, jejejejejejeje

Kemen
Kemen
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Não tenho idéia do preço, mas falta acrescentar a logistica e o custo par efetuar as modernizações, o que pode elevar bastante o preço.

Silvano
Silvano
1 mês atrás

O pessoal da guerra do Kosovo não ficou sabendo disso. Era derrubado como mosca por lá.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Silvano
1 mês atrás

Sim é verdade eu sou do kosovo, eu derrubei 50

Kemen
Kemen
1 mês atrás

O Raven ES-05 confinado no nariz do Gripen, também tem a refrigeração a liquido.

Kemen
Kemen
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Resumindo: A sua refrigeração é semelhante a refrigeração do Raven ES-05 e também do APG-80. Assim fica bem mais fácil de comparar e de todos entenderem.

APG-83: It is designed to fit F-16 aircraft with no structural, power or cooling modifications.

Bye

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Delfim
Delfim
1 mês atrás

Tiveram acesso aos F-16 paquistaneses (além dos projetos do Lavi) para elaborar seu caça J-10.

Cleber
Cleber
1 mês atrás

Sempre achei o F 16 Fantastico ! Um legitimo caca mesmo . Sempre o desejei a FAB , bem q poderiamos ter uns lotes por aqui , mesmo via FMS me servia, em complemento aos Gripen NG , pois o Brasil e imenso e apenas 36 cacas nao faz verao .

Kemen
Kemen
Reply to  Cleber
1 mês atrás

É uma boa sugestão, ter dois fabricantes diferentes, na minha opinião gostaria que tivessemos alguns Rafale, é projeto mais recente.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Isso não ocorrerá. 
O Gripen é o caça multirole de 4a geração da FAB.
Foi concebido desde o início para substituir os Mirage como interceptador, os Tiger como táticos e os AMX como ataque. E o fará com um só vetor multiplicando todas as capacidades desses citados.

Não ocorrerá de ter outro vetor que faça as mesmas funções, com praticamente as mesmas capacidades. Para ter um outro vetor, somente de geração superior, não igual. É para frente que se anda.

Abraços.

Aurio
Aurio
1 mês atrás
Tutu
Reply to  Aurio
1 mês atrás

Lindo, se não fosse inútil.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Aurio
1 mês atrás

No dia em que as pessoas entenderem que esse tipo de manobra é inútil em combate aéreo o sol vai brilhar mais intensamente… um cara faz uma manobra dessa, perde totalmente a energia que tinha e fica em stall permanecendo “parado” no ar até começar a recuperar energia… eu fico me perguntando, como ele vai desviar de um míssil fazendo isso? ou que vantagem isso daria a ele em um dogfight? afinal ele perdeu a energia, mesmo que a aeronave inimiga de um overshoot ela simplesmente vai ter muito mais energia que ele e vai poder se afastar tranquilamente e… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Até um artilheiro zarolho acerta esse trambolho parado no ar.

Luciano
1 mês atrás

Sou leigo no assunto. Gostaria de saber o que os pilotos leem nessas pranchetas como na segunda foto? E nos caças mais atuais as pranchetas já foram substituídas por algo mais moderno?

Bille
Bille
Reply to  Luciano
1 mês atrás

Ipad, ou até kindle.
Mas papel não tem problema de bateria ou superaquecimento.
E se usa até hoje, deve ter alguma vantagem face a tecnologia disponível.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

OFF Acidente com A-4 da Força Aérea Argentina

https://twitter.com/FuerzaAerea_Arg/status/1291037212751142915

EeqvfrIWAAABaXH.jpg
Tutu
1 mês atrás

Off#
Um A4-AR caiu na Argentina, aparentemente o piloto ejetou, mas faleceu no caminho para o hospital.

Paulotd
Paulotd
Reply to  Tutu
1 mês atrás

E ainda querem tomar as Falklands, kkk, vão enfrentar os Typhon de Pucará

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Tutu
1 mês atrás

RIP. Podem falar o que for dos Argentinos durante as Falklands, mas coragem para seus pilotos não faltava.

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
1 mês atrás

teste

Eduardo Ribeiro
Eduardo Ribeiro
1 mês atrás
Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Ah, eh o upgrade que o Chile nao comprou? 🙂