Home Alerta Aéreo Antecipado Em meio à crise Greco-Turca no Mar Egeu, aeronaves AEW operam sobre...

Em meio à crise Greco-Turca no Mar Egeu, aeronaves AEW operam sobre o Mediterrâneo

5146
58
E-7T da Força Aérea Turca

O site de monitoramento Itamilradar acompanhou ontem um Boeing E-7T (13-002) da Força Aérea da Turquia, que partiu da Base Aérea Konya.

A aeronave sobrevoou a área de operação do navio de perfuração turco Yavuz, que está pesquisando um bloco de perfuração licenciado para as empresas de petróleo francesas e italianas Total e Eni.

O Itamilradar também acompanhou um EMB-145 AEW&C da Força Aérea Grega de volta à base aérea de Elefsis após uma missão de vigilância no leste do Mar Mediterrâneo.

Acompanhe os desdobramentos da crise Greco-Turca no Mar Egeu no site do Poder Naval, clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest
58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
3 meses atrás

Guerra de inteligência moderna, usando sensores avançados para monitorar o adversário.

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
3 meses atrás

A MB poderia operar EMB-145 AEW&C!

Marcos10
Marcos10
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

A FAB já opera.

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
Reply to  Marcos10
3 meses atrás

Sua mentalidade bate com a da brigadeirada, que somente países de 1° e 2° mundo devem possuir “aviação naval” decente…

Bardini
Bardini
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

É a Marinha Grega que está operando o 145 lá???
É a Marinha Turca que está operando o E-7T lá???
.
Eles também tem uma “brigadeirada” com mentalidade bairrista, ou isso só vale no caso da FAB???

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
Reply to  Bardini
3 meses atrás

Qual o tamanho do território marítimo brasileiro? E qual o da Grécia? E outra, o E-99 da FAB mal consegue desempenhar bem suas “trocentas” principais funções devido a quantidade baixa de aeronaves, que dirá ter que desempenhar uma função (vigilância marítima) que é entendida por eles como “secundária”… https://www.fab.mil.br/noticias/mostra/10255/

Bardini
Bardini
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Queridão, quem é que faz vigilância marítima com AEW&C????
.
Quem faz “vigilância marítima” no Brasil são os Orion e os Bandeirulhas, que FORAM oferecidos a MB.
.
Os SC-105 servem mais a função de “vigilância marítima” que os nossos E99…

Ted
Ted
Reply to  Bardini
3 meses atrás

Mas quem encontrou os destroços do Airbus francês no Atlântico foi o E99

Bardini
Bardini
Reply to  Ted
3 meses atrás

Foi o R99. Aprenda a diferença.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Quais são as ¨trocentas principais funções¨ que o 2°/6° GAV tem que realizar, que eu desconheço? Quem te disse que não consegue? Fui cmt do 2°/6° e seu fundador. Me convença.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Bardini
3 meses atrás

Nos dois países as aeronaves AEW&C são operadas pela Força Aérea.
E nos dois países, tanto Força Aérea como Marinha, são um ramo das FFAA.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Em um país que não tem caças, não tem navios e falta tudo, querer criar uma aviação do Exército e uma aviação Naval não faz sentido algum. A FAB, Exército e MB são um braço das FFAA. Igualmente proliferam pelo país hospitais militares da Força A, B ou C, muitas vezes no mesmo bairro.

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  Marcos10
3 meses atrás

Concordo com a premissa, mas rejeito a conclusão.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Marcos10
3 meses atrás

Não se iluda,o problema não é a falta de verbas,mas sim a falta a mentalidade dos oficiais que ainda devem achar que estamos na década de 40.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Marcos10
3 meses atrás

Como o colega Yuri Dogkove já disse,essa é exatamente a mentalidade dos oficiais,e é um pensamento extremamente tacanho.A MB deveria sim operar AWACS,até mesmo porquê ela possui aviação naval.Temos que seguir os exemplos que dão certo,como a USN,que antes de mandar os F-18/F-35 decolarem,sempre coloca seus E-2 Hawkeye nos céus primeiro.Do contrário continuaremos com essa mentalidade obsoleta que contribuem para o atraso operacional das forças armadas e impede,por exemplo,que o EB opere míseros aviões de transporte pequenos.

Last edited 3 meses atrás by Allan Lemos
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

A MB que tenha navios, primeiro, pra operar. Quando estiver repleta de navios, daí pensem num AWACS. A FAB não se opõe, te garanto. Aliás, a MB já possui planos de um Tracer AWACS. Espero que façam o curso no 2°/6°! Aliás, se a FAB se opusesse à asa fixa na MB, não ministraria o curso de caça e de transporte, em Natal, pros aviadores navais. Você sabia que na AFA há aviadores navais ministrando instrução de T-27 pros cadetes?

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Rinaldo Nery
3 meses atrás

Primeiro,uma coisa não exclui a outra,o preço de aquisição e operação de 3 ou 4 aviões AWACS,semelhantes aos que a FAB já opera seria pequeno e caberia totalmente dentro do planejamento da FAB,bastaria um pouco de planejamento. Segundo,pela sua lógica,então o EB deveria primeiro adquirir novos MBTs,para só depois adquirirmos um sistema de defesa antiaérea,para só depois adquirirmos os MTC-300,sendo que todos os 3 são extremamente necessários.Vamos fazer as coisas a conta gotas para daqui a uns 300 anos a gente consiga ter forças armadas capazes de cumprir a sua função constitucional. Terceiro,você compartilha da mesma mentalidade tacanha dos oficiais… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

Primeiro a lição de casa. Sim tudo dentro das prioridades, SEMPRE. PRIMEIRO, meios de superfície. Sim, vale pro EB também: PRIMEIRO, carros de combate, fuzis, obuses, depois o resto. Não tem nada de tacanho nisso. Chama-se PRIORIZAR. Depois disso, a MB pode comprar até o E-3D! Se a MB tivesse NaPaO em número suficiente não demoraria uma eternidade pra saber quem derramou óleo no nosso litoral.
Allan, não sabia que você foi do AltCom… Sabe tudo de planejamento estratégico! Deve ser CEO de uma grande multinacional.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Rinaldo Nery
3 meses atrás

Exato. E isto serve como instrução também para o caso da compra de um NAe.
Indispensável pensar no básico antes de querer chegar no avançado.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Dado as dimensões continentais do Brasil, não seria melhor uma versão AEW&C do KC-390 com radares e sensores bem mais potentes?

Last edited 3 meses atrás by Vinicius Momesso
Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
Reply to  Vinicius Momesso
3 meses atrás

Sim! Apenas citei o E-99 como exemplo! Mas não deixe os fanboys da brigadeirada virem isso, pois para eles tudo que for de asa fixa tem que ser da FAB.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Com certeza dever por que geralmente os contratos para aquisições de aeronaves envolvem muito mais dinheiro do veículos terrestres por exemplo, ou seja, mais dinheiro nos bolsos…

Fighting_Falcon
Fighting_Falcon
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Yuri, A MB está conseguindo operar a contento seus A-4? Tem navios de escolta? Tem porta aviões e uma força para acompanha-lo, necessitando de aeronaves com esse fim para proteger esse força? Para que colocar um AEW na MB se sua função fim não é bem realizada por falta de meios? Não é questão de puxar sarna para Brigadeiro é utilizar da melhor forma o pouco recurso disponível para cada um. Sua empresa tem um ônibus para levar os funcionários em cs? Provavelmente não, para ela é melhor pagar o auxílio transporte que sairá mais barato para ela e outro… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Concordo plenamente,mas tem muita gente que,assim como os brigadeiros,acha que ainda estamos nos anos 40.É uma surpresa a FAB não ter reclamado quando a PF adquiriu alguns drones há um tempo atrás.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Allan Lemos
3 meses atrás

Nem precisou! A PF não teve competência para operá-los (logisticamente), e já estão no 1°/12° em Santa Maria!

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Vinicius Momesso
3 meses atrás

O proprio KC390, em sua versão básica, possui um radar de busca excelente capaz de se rivalizar, em termos, com o R99 em cenário marítimo. . Mas, embora seja fã deste avião, o KC390 não é a melhor aeronave para ser dotado com funções mais complexas AE&W porque é otimizado para missões de transporte militar e operar em pistas semi-preparadas. Assim optando por aeronaves EMBRAER há desde os E-Jet até os Phenons com várias concepções destinadas a várias missões distintas.; são aviões com melhores condições aerodinâmicas e podem ser adaptados para autonomias muito maiores do que aquela em uso na… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rommelqe
3 meses atrás

O R-99 não serve pra nada em cenário marítimo, a não ser pra identificar manchas de óleo no mar. O E-99 tem utilidade, mas, cada um no seu quadrado.

Bille
Bille
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

A aviação de patrulha deveria ser da MB. Os sensores do P-3, na situação atual do Atlântico Sul, estão na medida que a MB precisa!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Bille
3 meses atrás

Por isso a transferência para SC. Militares da MB voarão como Operadores de Equipamentos Especiais (OE) no 1°/7°.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Rinaldo Nery
3 meses atrás

Cmte: quer dizer que os Orions estão em (ou serão transferidos para…) SC?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rommelqe
3 meses atrás

Estão lá HÁ MUITO tempo.

Bille
Bille
Reply to  Rinaldo Nery
3 meses atrás

Interessante. E quando eles devem passar para o Acervo da MB? A FAB deveria se concentrar numa versão do E99 no 190-E2. Papo de futuro, começar agora para chegar na COPAC em 2025…

Além de uma versão de transporte de tropa e carga do E-190.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Bille
3 meses atrás

Passa pra MB quando ela tiver dinheiro pra manter e operar. Já postei acima prum sabichão: PRIMEIRO meios de superfície (que a MB não tem).

Sérgio Luís
Sérgio Luís
3 meses atrás

Os dois são da OTAN que se entendam!

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Sérgio Luís
3 meses atrás

Não é bem assim, o Erdogan não tá nem para as diretrizes da OTAN, sua maior preocupação é se manter no poder, para isso arrumar um inimigo externo que desvie a atenção dos problemas internos e mantenha os militares focados na defesa, sem pensar em política e dar golpes, é muito convenie-te…

Last edited 3 meses atrás by Karl Bonfim
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Karl Bonfim
3 meses atrás

É, mas queira ou não, esse é um dos flancos mais sensíveis da OTAN.
A Rússia está adorando isso e assistindo de camarote.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Antoniokings
3 meses atrás

Estas desavenças são antigas, não são de hoje, nos tempos de URSS sim, eles ADORAVAM , lembrando o conflito dos anos 70s, hoje nem tanto, a Rússia mantem boas relações com ambos em termos econômicos e um conflito não agrada ninguém ….seu conceito de geopolítica precisa ser revisto …

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Plinio Jr
3 meses atrás

Não confunda boas relações de momento com objetivos estratégicos de longo prazo.
Erro primário cometido até por estadistas ao longo da História.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Antoniokings
3 meses atrás

Objetivos estratégicos ??

Para Tonho, acabou a Guerra Fria entre EUA e URSS faz tempo, vc ainda está nela, a Rússia não é a URSS, não é autossuficiente em termos econômicos e um conflito que envolve dois de seus parceiros comerciais terá consequências nada boas para eles (russos)….

MMerlin
MMerlin
Reply to  Karl Bonfim
3 meses atrás

Essa disputa precede a OTAN em 120 anos, uma vez que a Grécia precisou entrar em guerra contra o Império Otomano (o que restou hoje é conhecido com Turquia) para obter independência.

gari
gari
Reply to  Karl Bonfim
3 meses atrás

Inimigo externo é bom pra se manter, entrar em guerra é péssimo

Denis
Denis
3 meses atrás

Caramba os turcos não tem zona econômica
! Essa tensão vai continuar por muito tempo!

Marcos10
Marcos10
Reply to  Denis
3 meses atrás

Assim sendo os turcos deveriam entregar uma parte de sua área continental aos gregos, afinal a Grécia de 1/6 da área da Turquia.

JuggerBR
JuggerBR
3 meses atrás

Uma faísca e explode…

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  JuggerBR
3 meses atrás

O problema é se essa explosão vai ficar limitada entre os dois ou vai se espalhar pelos países do Mediterrâneo como um rastilho de pólvora?

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Fabio Araujo
3 meses atrás

Eles tem aliados que comprariam a briga? Acho que não, seria um conflito isolado, o problema seria danos colaterais em países neutros, estando tão perto dos dois.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  JuggerBR
3 meses atrás

Os gregos tem acordos com os egípcios e mais alguns países na região e os turcos estão assinado um acordo com a Albânia, o problema é que essa confusão da Armênia e Azerbaijão tem o dedo dos turcos e o aumento da tensão entre Egito e Etiópia também tem.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Fabio Araujo
3 meses atrás

Acordo pra entrar na briga junto? Será que os povos desses países estão sabendo disso?

Gabriel BR
Gabriel BR
3 meses atrás

Vamos ver até onde os Gregos terão coragem de esticar a corda.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Gabriel BR
3 meses atrás

Por qual motivo não teriam?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
3 meses atrás
Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
Reply to  Fabio Araujo
3 meses atrás

Melhor Força Aérea da AL!

Thiago
Thiago
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Kkkkkk que referência a AL 😂😂 os únicos países que realmente tem potencial para alguma coisa aqui, que de alguma maneira podem ser uma preocupação para eles, que os proprios estadunidenses admitem são o Brasil e o México. O resto é resto, desculpe o pleonasmo.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Thiago
3 meses atrás

Mexico?

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
3 meses atrás
Thiago
Thiago
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Kissinger falando com o chileno Valdes :
“Sr. Ministro, você fez um discurso estranho. Você vem aqui falando da América Latina, mas isso não é importante. Nada importante pode vir do sul. A história nunca foi produzida no sul. O eixo da história começa em Moscou, vai para Bonn, atravessa o oceano até Washington e depois para Tóquio. O que acontece no sul não tem importância. Você está perdendo seu tempo.”

Fabio Araujo
Fabio Araujo
3 meses atrás