Home Aviação de Transporte Fim de uma era: primeiro KC-10 chega a Davis-Monthan

Fim de uma era: primeiro KC-10 chega a Davis-Monthan

1335
13

USAF dá início ao processo de “aposentadoria” dos ‘Extender’

Após quase quatro décadas reabastecimento de aeronaves em todo o mundo, em tempos de paz e de guerra, teve  início o processo de aposentadoria da aeronave de reabastecimento aéreo da USAF KC-10 Extender.

A cerimônia de despedida do primeiro KC-10 ocorreu na Base McGuire-Dix-Lakehurst, em Nova Jersey, no dia 13 de julho. O Extender aposentado taxiou sob um spray de água em arco, a tradicional saudação final, depois voou para a 309ª Aerospace Maintenance and Regeneration Group na Base da Força Aérea Davis-Monthan, no Arizona – comumente conhecido como “o cemitério de aeronaves”.

A Força Aérea planeja aposentar os 59 KC-10 de sua frota nos próximos anos. Eles serão substituídos pelos novos KC-46A Pegasus.

Este KC-10 matrícula 86-0036 estava em atividade por mais de 33 anos após entrar em serviço na Base da Força Aérea Seymour Johnson, na Carolina do Norte, em dezembro de 1986. Participou das operações Desert Shield e Desert Storm, e depois mudou-se para a Base da Força Aérea de Travis na Califórnia por alguns anos. Mudou-se permanentemente para McGuire-Dix-Lakehurst em 1997.

A aeronave voou mais de 33.000 horas de voo, apoiando missões em seis continentes e reabastecendo mais de 125.000 aeronaves de 25 países diferentes, disse o historiador da ala Stuart Lockhart. Quase 11.000 membros da tripulação aérea voaram e outros 12.000 cuidaram dele.

O KC-10 participou mais recentemente da luta contra o Estado Islâmico como parte da Operação  Inherent Resolve.

FONTE: AirForce Times (tradução e adaptação do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
3 meses atrás

Mas a entrega do KC-46A Pegasus não está atrasada?

Yuri Dogkove
Yuri Dogkove
3 meses atrás

Vai lá Brasil, olha a oportunidade…

João Bosco
João Bosco
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Este não é uma má ideia…. com algumas modeificações, acredirto que pode operar na FAB.

João Bosco
João Bosco
Reply to  João Bosco
3 meses atrás

ops…. modificações. acredito.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

É só o Jair falar com o Donald para separar uns menos “rodados” que dá jogo sim

Jean Jardino
Jean Jardino
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Puta síndrome de vira lata de lixão, meu Deus.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Yuri Dogkove
3 meses atrás

Não, não, tinhamos que reativar, se tiver grana, o Projeto KC-X2, que a “Presidenta” enterrou. A IAI foi vencedora para transformar 3 B-767 em cargueiros/pax mais reabastecedores. Estes aviões fizeram falta da Operação de repatriamento dos brasileiros da China. a FAB precisa de uns 4 aviões para transporte de longo alcance. O A330 tb seria uma boa, transformado em MRTT.

Pedro Rocha
Pedro Rocha
3 meses atrás

Olá senhores! Eu vi uma reportagem que foram modernizados sendo que o ultimo modernizado foi entregue em 2017. Eu acho que vale a pena adquirir ou ser for mais vantajoso fazer um leasing de duas a quatro células. Ainda temos que cobrir a lacuna do transporte / reabastecimento estratégico uma categoria acima do KC-390. Essa lacuna eu imagino que exista haja vista nossos compromissos internacionais.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Pedro Rocha
3 meses atrás

Reativar o KC-X2, comentei acima. Estes DC-10 já estão no osso e o sistema de abastecimento não nos é compativel. Custo de operação muito caro, nem os motores são mais fabricados. esse fórum é um barato! Tem gente que acha que a FAB tem que ter F-22 e outros que querem que ela compre sucata!

Miguel Felicio
Miguel Felicio
Reply to  Marcelo Andrade
3 meses atrás

Tudo que está sendo desativado, das três forças de todo o mundo e aqui postado, TEM QUE SER ÚTIL PARA NOSSAS FORÇAS, precisamos sim, existem coisas que consideramos “bonitas”, MAS…..parece que com a desculpa de sempre “falta de dinheiro” que é SIM uma falácia, temos que ter tudo velho???!!!

tadeu54
3 meses atrás

Em minha opinião a pintura cinza-carvão que foi padrão de toda a frota durante certo tempo nesses belos trijatos era sinistra !

Anderson Pimenta de Lima
Anderson Pimenta de Lima
3 meses atrás

Esse é um processo que não acontece da noite pro dia. A substituição é paulatina. Até todos serem substituídos, os que foram modernizados em 2017, certamente serão os últimos e com isso, terão um acréscimo considerável nas horas vôo. Creio que outras aeronaves mais novas e modernas, serão uma alternativa mais sensata.