Home Aviação de Caça F-15 usa o novo Legion pod para abater alvo com o míssil...

F-15 usa o novo Legion pod para abater alvo com o míssil Sidewinder AIM-9X

3855
38

O Legion Pod permitirá que os F-15 e F-16 detectem e engajem até mesmo aeronaves furtivas, sem ter que ligar seus radares

Um F-15C Eagle da Força Aérea dos EUA disparou um míssil ar-ar AIM-9X Sidewinder pela primeira vez usando dados de direcionamento fornecidos pelo pod Legion de busca e rastreamento por infravermelho da Lockheed Martin.

A missão de tiro real do AIM-9X ocorreu durante os testes na Base Aérea de Eglin, na Flórida, em 8 de julho de 2020, e envolveu um Eagle do 85th Test and Evaluation Squadron (TES), os “Skulls”, parte da 53rd Wing. Cinco dias depois, um F-16DM da mesma unidade realizou o primeiro voo de teste operacional carregando o pod.

“As equipes do F-15C e do F-16 vêm fazendo um trabalho fenomenal em condições difíceis para obter rapidamente essa nova capacidade”, disse o tenente-coronel da Força Aérea Thomas Moser, comandante da Operational Flight Program Combined Test Force, uma unidade conjunta 96th Test Wing/53rd Wing em Eglin.

O Legion Pod fornecerá aos pilotos F-15C e F-16C/D a capacidade de identificar, rastrear e travar em aeronaves, incluindo plataformas furtivas que não podem ser “vistas” no radar, em ambientes complexos de guerra eletrônica.

F-16 com o Legion Pod

O emparelhamento do Legion Pod com os recursos avançados do AIM-9X é particularmente significativo. O AIM-9X Block II, também conhecido como AIM-9X-2, que entrou em serviço em 2015, oferece um grande salto à frente na capacidade com suas melhorias de link de dados e travamento após lançamento, o que significa que pode ser lançando contra um inimigo sem primeiro travar seu buscador no alvo.

O AIM-9X de hoje é mais do que apenas um míssil ar-ar de dogfight de curto alcance. Sob certas condições, seu buscador de infravermelho por imagem pode ver muito além da distância que ele realmente pode percorrer e uma variante de alcance estendido está em desenvolvimento.

FONTE: The Drive/The War Zone

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
3 meses atrás

Sinceramente acho melhor ter o sensor no caça feito no Gripen e nos SU-27 e seus descendentes, vai estar sempre disponível.

Last edited 3 meses atrás by Fabio Araujo
Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Fabio Araujo
3 meses atrás

Eu não sei se esse sensor será integrado à fuselagem dos novos F-15EX, mas em se tratando dos F-15C e F-16C faz até sentido que sejam em forma de pods. São aeronaves já muito voadas em que uma modernização para instalação desse sensor poderia sair caro demais para ficarem em serviço durante pouco tempo. Pelo menos acho que a lógica é essa. Os japoneses modificaram seus F-15 com um sensor IRST (acho até que de fabricação local, mas não estou certo) e o colocaram acima do nariz da aeronave. Mas isso foi feito a alguns anos atrás e provavelmente o… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Leandro Costa
3 meses atrás

Concordo, e a propagando diz que é “plug and play”. Muito mais facil do que mexer na estrutura da aeronave.

Um pod desses torna o cinquentenário F-15 uma arma ainda mais letal. São esses aprimoramentos que podem fazer com que o projeto base do F-15 possa operar por mais de 70 anos na ativa, sem que o outro lado tenha feito alguma coisa capaz de abatê-los.

Guilherme Poggio
Editor
3 meses atrás

Juntar a informação dese post com a nova aquisição de F-15EX da USAF e dará para entender como eles mudaram de postura.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Guilherme Poggio
3 meses atrás

Na verdade não mudaram, pq a proposta do F-15 é somente suprir um GAP.

Sem aviões furtivos, adeus missões de interdição e não mísseis de cruzeiro e balísticos não ganham guerras.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Guilherme Poggio
3 meses atrás

Falta avisar a China e a Rússia que estão produzindo seus 5g…

Ah, dá tempo de avisar o UK e Japão…..

E a alemanha e França tb…

Não esquece da Turquia.

Vix, faltou a Coreia do Sul ….

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Rui Chapéu
3 meses atrás

Sim, as ultimas estimativas apontam mais de 5.600 SU-57 produzidos… ops… acho que não.

Adriano RA
Adriano RA
3 meses atrás

Respeitosamente discordo. O F-35 veio para este papel dentro da USAF. Com tantos F-35 sendo entregues, não faz sentido comprar F-16. Já com o F-15EX é outra história, pois complementa bem o F-35 e a pequena frota de F-22.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Adriano RA
3 meses atrás

Simples, eles tem muito dinheiro e podem escolher seus brinquedos. O resto é fantasia.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Adriano RA
3 meses atrás

Disponibilidade e igual a dinheiro, com dinheiro a disponibilidade do caça mais caro, pode ser maior que do caça mais barato de operar.

Tallguiese
Tallguiese
3 meses atrás

A era do furtivo não vai durar muito tempo, com o advento dos novos sensores óticos passivos. Pra vc ver que nem o radar de varredura ativa não se faz necessário visto que isso entrega sua posição. E a ratoeira que faltava para pegar o rato!

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Tallguiese
3 meses atrás

OBS. Então os países que estão desenvolvendo caças furtivos como a Inglaterra, a Turquia, Coreia do Sul e o Japão precisam saber disso, eles vão torrar verdadeiras fortunas desenvolvendo caças stealth!

Andre
Andre
Reply to  Tallguiese
3 meses atrás

Da mesma forma que o advento dos radares e dos misseis ar-ar acabaram com os canhões embarcados….

Argos
Argos
Reply to  Andre
3 meses atrás

Acho q os canhões embarcados não acabaram… O Gripen estava testando dia desses o seu canhão .

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Argos
3 meses atrás

vc não entendeu a ironia

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Tallguiese
3 meses atrás

Cá por mim, tenho a impressão que a furtividade nos projetos veio para ficar. Ainda que sensores passivos e ativos fiquem cada vez mais capazes, assim também acontece com os mísseis, cujos envelopes de operação são cada vez mais amplos, levando a novos desafios para os sensores… Em fim, um avião furtivo sempre terá alguma vantagem sobre um convencional, na medida que que poderá se aproximar e diminuir o tempo de resposta dos defensores.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Tallguiese
3 meses atrás

Ouvi uma vez que nunca existirá uma blindagem de tanque que consiga resistir as munições que são projetadas contra elas, isso não é uma aposta, é apenas uma realidade. Para os “aviões invisíveis” deve se aplicar a mesma regra. Mas uma coisa é certa, quanto mais difícil for “enxergar” os seus inimigos maior será a vantagem deles. A era dos furtivos só começou, porque a era dos “não furtivos” já acabou. Uma arma que acerta um avião furtivo já abaterá o “não furtivo” com muito mais facilidade em muito maior distancia.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Ricardo Bigliazzi
3 meses atrás

O tanque não é projetado pra ser atingido, a blindagem é pra aumentar a sobrevivência num impacto.

Andre
Andre
3 meses atrás

O su57 com aqueles motores expostos deve brilhar como uma árvore de natal

Marcos10
Marcos10
Reply to  Andre
3 meses atrás

O F35 também!

AMSS
AMSS
Reply to  Marcos10
3 meses atrás

Sim é igualzinho! O F-35 só tem o bocal exposto, enquanto o SU-57 tem o corpo do motor inteiro.

Essa “pequena” diferença não deve mudar nada em uma busca por assinatura de calor!

Sergio Machado
Sergio Machado
Reply to  AMSS
3 meses atrás

Somente as versões iniciais do SU57 tem o corpo do motor exposto. Versões mais novas, incluindo as que foram à Síria, já estão recobertos, apenas com os bocais a mostra. De toda forma, isso era meio óbvio que iria acontecer. Protótipo é pra isso.

Corcel
Reply to  Sergio Machado
3 meses atrás

A furtividade não baseia apenas nisso,o desenho da aeronave é criticado por engenheiros por não apresentar furtividade em suas linhas,inclusive o desenho de suas entradas de ar e sensor IRST (mesmo modelo de outros) , RAMe outros detalhes que impedem ele de ser furtivo.

DSC
DSC
Reply to  Sergio Machado
3 meses atrás

Nunca nenhum T-50 PAK FA teve/voou com o motor exposto. Isso seria impossível de acontecer e ninguém faz isso obviamente.. O motor estaria desprotegido, e a falta de uma superfície suave e lisa aumentaria o arrasto do caça. O que vemos em todos os Flankers e nos protótipos da 1ª fase do PAK FA (os 5 primeiros protótipos) nas partes da fuselagem que cobrem os motores é apenas a “pele”, uma parte da fuselagem do caça não pintada/revestida/tratada, e não o motor. Nos protótipos da 2ª fase essas superfícies já estão pintadas. Motor do T-50 PAK FA/Su-57 (AL-41F1): Protótipos 1ª… Read more »

Andre
Andre
Reply to  Sergio Machado
3 meses atrás

O su57 já entrou em versão de produção em série ou segue apenas no protótipo?

Saiu alguma foto dessa versão com apenas o bocal exposto?

DSC
DSC
Reply to  Marcos10
3 meses atrás

Não.
O F-35 NÃO tem nada exposto como os caças de 4ª/4.5 geração e o Su-57.

O bocal de exaustão do motor do F-35 (assim como os bocais dos motores do F-22) é o bocal com melhor tratamento e design para baixa assinatura RF e IR.
comment image?w=1024&h=585
comment image?w=1200
comment image

https://data6.primeportal.net/hangar/arrin_holt/f-35a_f-001/images/f-35a_f-001_13_of_18.jpg

https://data6.primeportal.net/hangar/arrin_holt/f-35a_f-001/images/f-35a_f-001_15_of_18.jpg

http://www.f-16.net/forum/download/file.php?id=30787&sid=b0c007e78c1e9c94ab5c08f126163b08&mode=view

Last edited 3 meses atrás by DSC
Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Andre
3 meses atrás

Um guarda roupa 6 portas com asas

Luiz Antonio
Luiz Antonio
3 meses atrás

Se esse troço funcionar mesmo, será como dois jogadores de xadrez jogando uma partida colossal e alguém passando e chutando a mesa.

Last edited 3 meses atrás by Luiz Antonio
Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
3 meses atrás

Toda moeda tem 2 lados.

Se agora foi divulgado na grande mídia os resultados dos testes feitos com esse pod, certamente Rússia e China já estavam cientes do seu desenvolvimento e evidente que já estão desenvolvendo contra-medidas.

A verdadeira guerra travada entre esses países é a guerra tecnológica, pesquisa e desenvolvimento.

CRSOV
CRSOV
3 meses atrás

Um sensor desse tipo hoje em dia é capaz de detectar uma aeronave oponente a quantos KM de distância ?? Os mísseis IR de uma aeronave lançadora podem ser guiados via data link até o alvo ?? Os sensores de guiagem dos mísseis IR são possíveis de serem anulados por outros sensores da aeronave alvo ??

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  CRSOV
3 meses atrás

Mistério… achei a integração com o Sidewinder interessante, buscando na internet a informação é alcance de 16km.

https://www.airforce-technology.com/projects/aim-9x-sidewinder-air-to-air-missile/

DSC
DSC
Reply to  Ricardo Bigliazzi
3 meses atrás

Aqui diz “aproximadamente até 32km”:
https://www.thedrive.com/the-war-zone/29158/the-aim-9x-sidewinder-may-finally-evolve-into-a-completely-new-and-longer-range-missile

“…

Currently, the AIM-9X Sidewinder has a published range of roughly up to 20 miles, although the unpublished numbers are usually more impressive.

…”

(20 milhas = 32km)

Last edited 3 meses atrás by DSC
Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
3 meses atrás

Como diria o Filosofo Bruno Henrique: “Otro patamar”.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
3 meses atrás

O resumo dessa brincadeirinha é que os que acham que usando uma aeronave Stealth podem entrar “de fininho” vão ter que se resguardar e pensar melhor, senão…puf

Luiz Antonio
Luiz Antonio
3 meses atrás

Calma, ainda tem a Golden Horde para agitar o “parquinho”.

carvalho2008
carvalho2008
3 meses atrás

Alguns sites estão dizendo que a Boeing estaria recebendo um novo pedido de encomenda de 160 F-15….

carvalho2008
carvalho2008
3 meses atrás

Se um IRIS detectar um ponto e calor, um laser telemetro pode apontar em seguida para estabelecer a distancia do alvo…..

Sérgio Luís
Sérgio Luís
3 meses atrás

Tá voltando né!?!?
Se o garotão (f-35)ñ dá conta do recado o vovô marombado voltou pra resolver o problema!
Rsrs

Last edited 3 meses atrás by Sérgio Luís