Home Aviação Comercial Helvetic Airways atualiza pedido para os jatos E2, da Embraer

Helvetic Airways atualiza pedido para os jatos E2, da Embraer

2697
6
Concepção em 3D do E195-E2 da Helvetic Airways

Amsterdã – Holanda, 15 de julho de 2020 – A Helvetic Airways assinou um contrato com a Embraer para converter quatro de seus pedidos firmes remanescentes para a aeronave maior da família E2, o E195-E2. O pedido original, para 12 aeronaves E190-E2, com direitos de compra para outros 12 e de conversão para o E195-E2, foi anunciado em setembro de 2018. Até agora, a Embraer entregou cinco E190-E2s à Helvetic Airways e as entregas das sete aeronaves, incluindo os quatro E195-E2, serão concluídas antes do final de 2021, sendo a maioria no primeiro semestre de ano.

O pedido firme restante, para a entrega das sete aeronaves, tem valor de US$ 480 milhões com base nos atuais preços de lista. Com todos os direitos de compra sendo exercidos, o contrato tem um valor total de US$ 1,25 bilhão.

Com o objetivo de diversificar a capacidade da frota, a Helvetic Airways configurará o E195-E2 com 134 assentos em classe única, enquanto seus E190-E2 têm 110 assentos. Isso permitirá à companhia alterar as ofertas para companhias aéreas e outros clientes e atender à demanda atual de passageiros para cada missão – muito útil no atual momento, em que a demanda está tendo flutuações significativas. Essa capacidade de ajustar o tamanho correto de avião para atender à demanda é possível operacionalmente graças à comunalidade do cockpit padrão do E2, que permite que as tripulações operem todos os modelos de E2.

O novo E195-E2 oferece mais capacidade, é mais sustentável e silencioso. A aeronave consome 10% menos combustível por voo, emite 30% menos CO2 por passageiro e é 48% mais silenciosa do que o E190 que substituirá na frota da Helvetic.

Segundo Tobias Pogorevc, CEO da Helvetic Airways, “O Embraer E195-E2 consegue um bom equilíbrio entre capacidade de assentos, alcance, consumo de combustível e operação ambientalmente amigável. Com capacidade entre 120 e 150 assentos, praticamente não tem concorrentes no segmento de aeronaves regionais. Operar uma única frota – em termos de cockpit – com capacidades variadas de assentos nos permitirá expandir a flexibilidade operacional e a autonomia de nossa organização.”

“A Helvetic Airways possui como cultura o alto desempenho e já consegue fornecer maior eficiência de combustível e emissões com seus E2 atuais do que o anunciado pela Embraer; e o E2 já é a família de aeronaves de corredor único mais eficiente do mercado”, disse Martyn Holmes, vice-presidente da Embraer Aviação Comercial para Europa, Rússia e Ásia Central. “Inovadoras e bem-sucedidas companhias aéreas que operam nossas aeronaves são a melhor propaganda. Agora atuando para garantir a melhor diversidade de capacidade para sua frota, ajudaremos a Helvetic Airways a ter ainda mais sucesso, mesmo nestes tempos desafiadores.”

Por quase duas décadas, a inovadora família de E-Jets da Embraer tem transformado a aviação comercial. Esta é a linha de jatos de passageiros de maior sucesso da indústria projetada especificamente para o segmento de 70 a 150 assentos. O programa registrou mais de 1.900 pedidos até hoje, de mais de 100 clientes. Mais de 80 companhias aéreas voam atualmente com E-Jets da Embraer. A frota global de E-Jets acumula mais de 30 milhões de horas de voo, com uma taxa média de conclusão de missão de 99,9%. Os versáteis aviões estão voando com companhias aéreas regionais, de baixo custo e tradicionais.

E190-E2 da Helvetic Airways

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer possui 50 anos de atuação nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança, Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
OSEIAS
OSEIAS
4 meses atrás

Ótima noticia, indica a movimentação do mercado e uma esperança para uma área tão afetada pela atual situação. E os dados divulgados pelo cliente em relação ao consumo e emissões é uma grande propaganda serve para afirmar o excelente produto da Embraer e convencer aqueles que estavam com alguma duvida e realizar negócios. Que os bons ventos soprem em direção a nossa indústria.

Marcos10
Marcos10
4 meses atrás

Essa substituição revela, em parte, o sucesso do seu concorrente. A demanda das companhias aéreas são por aeronaves maiores que a bem sucedida família 190/195.

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

Olá Marcos10, sua observação é bem vinda e agrega na discussão mas aeronaves maiores tem um maior consumo e mais emissões de carbono e os europeus dão muito valor em questões como essa, sem mencionar a eficiência. Não temos dados comparativos operacionais, até porque os mesmos estarão disponíveis após o uso e comprovação das estimativas. Mas acho que a família E-2 está bem posicionada no mercado e acredito que maior alcance e capacidade, não serão determinantes em relação ao maior consumo e emissões de poluentes, são itens importantes com um peso relevante, mas o apelo ao atendimento que cada operador… Read more »

AMSS
AMSS
Reply to  OSEIAS
4 meses atrás

Acredito que como produto os E2 estão muito bem posicionados e tem excelentes argumentos de venda e operação. O grande problema se é o melhor negócio atualmente, ter que concorrer com a Airbus e seu enorme poder econômico e político é um grande desafio, principalmente em vendas para companhias, holdings e empresas de leasing que adquirem aviões de categorias maiores, como widebodys, nem tanto para empresas puramente regionais.

Vamos torcer para a Embraer conseguir, novamente, se sobressair neste mercado cada vez mais disputado e volátil.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

É o contrário Marcos10, essa substituição revela que a empresa quer aproveitar a oportunidade de já ter pedidos na Embraer, para ter uma aeronave um pouco maior do que algumas do pedido original, para não ter que comprar aeronaves maiores, como o A220, ou seus irmão maiores A319/320, ou ainda B737-700/800 (não estou aqui nem colocando o MAX, por causa dos motivos já conhecidos).
Os fatos mostram que é a aviação regional quem estará puxando a recuperação do setor e a líder é a Embraer, com seus aviões.

Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
4 meses atrás

Excelente noticia a nossa amada EMBRAER!